26/01/2020
Por Edilson Silva em Brasil

Minas Gerais: Governo decreta situação de emergência em 47 municípios

O Governo de Minas Gerais decretou situação de emergência em 47 municípios afetados pelas chuvas que atingem o Estado desde a última sexta-feira, 24. Segundo a Defesa Civil do Estado, 30 pessoas morreram, sete ficaram feridas e 17 seguem desaparecidas. além disso, há 2.620 pessoas desalojadas e 911 desabrigadas. Parte das vítimas foram soterradas depois de desabamentos de residências.

Conforme o decreto, publicado neste domingo, 26, no Diário do Executivo estadual, intensas precipitações pluviométricas causaram múltiplos desastres, como inundações, movimentos de massa, enxurradas e alagamentos.

O documento ainda estabelece luto de três dias, a contar deste domingo, em sinal de pesar pelas vítimas dos desastres naturais.

Entre a quinta-feira, 23, e a sexta, 24, Belo Horizonte registrou recorde do volume de chuvas em 24 horas: 171,8 milímetros. O maior marca era de 164,2 milímetros, em 14 de fevereiro de 1978. As medições são realizadas há 110 anos.

As precipitações deixaram comunidades inteiras ilhadas. No interior do Estado, em cidades como Matipó Manhuaçu, ambas na Zona da Mata, há relatos nas redes sociais de inundação e pessoas ilhadas.

Em Belo Horizonte, moradores da Vila Bernadete no Barreiro, onde os bombeiros faziam buscas por vítimas, afirmaram ter tentado telefonar para Defesa Civil Municipal e não conseguiram contato na sexta-feira, 24, quando as chuvas atingiram fortemente o bairro. O prefeito Alexandre Kalil, que acompanhava o trabalho de resgate, disse que, durante parte do dia — o período exato não foi especificado —, o sistema de telefonia da Defesa Civil apresentou problemas que, ainda conforme Kalil, tiveram origem na operadora do serviço.

Fonte: Terra


26/01/2020
Por Edilson Silva em Jucurutu

Corpos do casal jucurutuense morto em acidente foi sepultado neste domingo, 26

Marcos Dantas, apresentador do Panorama 95 que vai ao ar através do Sistema Rural de Comunicação, registrou em seu blog, momento em que os corpos do casal jucurutuense seguia da Igreja Matriz de São Sebastião com destino ao Cemitério Público de Jucurutu.

Veja:

#Jucurutu

Marcos Dantas, apresentador do Panorama 95 que vai ao ar através do Sistema Rural de Comunicação, registrou em seu blog, momento em que os corpos do casal jucurutuense seguia da Igreja Matriz de São Sebastião com destino ao Cemitério Público de Jucurutu.

Publicado por Blog do Edilson Silva em Domingo, 26 de janeiro de 2020


26/01/2020
Por Edilson Silva em Classificados, Jucurutu

Jucurutu: Ofertas imperdíveis é no SUPERMERCADO FLORACI (Rede Seridó)

Ofertas imperdíveis é no SUPERMERCADO FLORACI (Rede Seridó).

Venha encher o carrinho com muita economia!

Confira:


26/01/2020
Por Edilson Silva em Caicó, Jucurutu

Confira entrevista com o Dr. Raimundo Lourenço, médico-endocrinologista

Confira entrevista com o Dr. Raimundo Lourenço, médico-endocrinologista.
Dr. Raimundo Lourenço é mais um #EspecialistaRevigora que faz parte da nossa equipe!

Datas de atendimento a consultar!
Agende sua consulta (preço acessível):
(84) 9.9965-7775/9.9845-7317/9.8747-1208
Rua Joaquim Gregório, 110, Penedo (antiga Clínica Dr. Iran Campos).

Acompanhe no vídeo da Rádio Rural – 102,7 FM – Caicó

Confira entrevista com o Dr. Raimundo Lourenço, médico-endocrinologista.r. Raimundo Lourenço é mais um #EspecialistaRevigora que faz parte da nossa equipe! ???????????? Datas de atendimento a consultar!.???? Agende sua consulta (preço acessível):???? (84) 9.9965-7775/9.9845-7317/9.8747-1208???? Rua Joaquim Gregório, 110, Penedo (antiga Clínica Dr Iran Campos).

Publicado por Rural Caicó em Segunda-feira, 20 de janeiro de 2020


25/01/2020
Por Edilson Silva em Jucurutu

ITEP libera corpos do casal jucurutuense e sepultamento ocorrerá neste domingo

Após sete dias, os corpos de Aldo José e Maria Yoderlândia foram liberados pelo ITEP e o sepultamento ocorrerá neste domingo, 26 de janeiro de 2020 em Jucurutu.


25/01/2020
Por Edilson Silva em São Fernando

Açude de São Fernando acumula um bom volume de água

Com apenas duas chuvas, o açude público Juvenal Medeiros, em São Fernando/RN, tomou recarga suficiente para abastecer São Fernando por mais 18 meses sem necessidade de adutora. Barragem do Açu, Ácari e Currais Novos também estão com recarga considerável. Nosso inverno, como regra, começa no mês de março.


24/01/2020
Por Edilson Silva em Jucurutu

Convite Missa de 7º. Dia de Falecimento de Aldo José e Yoderlândia Arruda

A Família de Aldo José e Yoderlãndia Arruda, com pesar e ainda consternados com prematura despedida, convida parentes e amigos para a Missa de Sétimo Dia de Falecimento, que será realizada na Igreja Matriz de São Sebastião, neste domingo (26/01), às 07h da manhã.

Aos que comparecerem a Família, em LUTO, agradece.


24/01/2020
Por Edilson Silva em Jucurutu

Humor: Os novos Chicó e João Grilo de Jucurutu

Tudo começou com uma simples brincadeira em suas páginas do Facebook, onde os jovens Jucurutuenses João Paulo e Júnior Alves, através da irreverência e humor ganharam inúmeros seguidores e incentivos para continuar alegrando o povo.

Diariamente os jovens postam causos e histórias engraçadas, prendendo os leitores aos textos criativos e que levam a boas gargalhadas.

Agora considerados os novos Chicó e João Grilo de Jucurutu, os amigos seguem na missão de espalhar sorrisos.

Nos comentários em suas postagens, vários seguidores deixaram registros do bem que eles estão fazendo, desde incentivar a leitura, até casos de pessoas com quadro de depressão que relataram melhoras devido a terapia do riso.

Mesmo com vidas corridas, João Paulo que é proprietário do Rei do Crepís, e Júnior Alves Professor de Educação Física, encontram um tempinho para fazer essa boa ação.


24/01/2020
Por Edilson Silva em Jucurutu

Obras das 15 queijeiras ligadas à Capesa serão entregues em março

Técnicos das secretarias de Estado da Agricultura, da Pecuária e da Pesca (Sape) e as assistências técnicas (ATER) estão supervisionando, durante toda esta semana, as obras das 15 queijeiras vinculadas à Cooperativa Agropecuária do Seridó (Capesa), situada no município de Parelhas, beneficiadas pelo Edital de Leite e Derivados lançado pelo Governo do RN via projeto Governo Cidadão e Sape.

Distribuídas pelos municípios de Parelhas, Santana do Seridó, Florânia, Acari, Carnaúba dos Dantas, Tenente Laurentino Cruz, Currais Novos, Jucurutu e Timbaúba dos Batistas, essas unidades de beneficiamento estão recebendo um investimento de R$ 6.6 milhões, a partir do empréstimo com o Banco Mundial, para a construção e aquisição de equipamentos. As obras serão entregues em março deste ano.

Essa é a primeira parte do Edital que visa a construção de 39 queijeiras ligadas à Capesa e também à Cooperativa Mista dos Agricultores Familiares do Seridó (Coafs), selecionadas na chamada pública, com investimento total de R$ 20 milhões. Na semana passada, das 24 queijeiras restantes, foram assinadas 21 ordens de serviço para a construção das unidades. As obras devem ser iniciadas já no início de fevereiro. As últimas três estão em fase de ajustes.

Ao fim da execução deste projeto, as queijeiras estarão em acordo com as exigências sanitárias da legislação vigente, com a infraestrutura e maquinários adequados. Ainda passarão por melhorias na logística do transporte, comercialização e capacitação dos funcionários.


24/01/2020
Por Edilson Silva em Mundo

Brasil adianta ponteiros do Relógio do Juízo Final

Políticas ambientais do governo e devastação da Amazônia fazem com que o Brasil seja incluído pela 1ª vez em dispositivo criado em 1947 para medir o quanto a humanidade estaria perto de uma catástrofe.

O Relógio do Juízo Final teve seus ponteiros ajustados nesta quinta-feira (23/01) para a marca de apenas 100 segundos para a meia-noite, simbolizando o maior perigo para a humanidade registrado desde criação do dispositivo em 1947.

O Brasil foi citado pela primeira vez como um dos causadores do aumento do nível de perigo em razão das políticas ambientais do governo e do desmantelamento da proteção à Amazônia.

O avanço dos ponteiros foi decidido pelo Boletim de Cientistas Atômicos, um painel internacional de especialistas que controla o dispositivo e conta com a participação de 13 ganhadores do prêmio Nobel.

Outros fatores levados em conta foram o aumento das tensões internacionais, a maior utilização de tecnologias destrutivas, a militarização do espaço e o desenvolvimento de novas armas supersônicas, além do risco de uma nova corrida nuclear.

“Passamos a contar em segundos o quanto estamos próximos de uma catástrofe, não em horas ou minutos”, disse Rachel Bronson, presidente do organismo. O Relógio do Juízo Final foi inicialmente criado para medir os riscos de uma catástrofe nuclear, mas desde 2007 passou a incluir também as mudanças no clima do planeta e seus efeitos.

“No ano passado, alguns países agiram para combater as mudanças climáticas enquanto outros, incluindo os Estados Unidos, que deixaram o acordo de Paris, e o Brasil, que desmantelou políticas de proteção à floresta amazônica, deram vários passos para trás”, afirma o grupo de cientistas em comunicado.

Entre as causas de preocupação, os cientistas destacaram o fracasso da Conferência do Clima em Madri, o aumento das emissões de CO2 e incêndios de grandes proporções ocorridos “desde o Ártico até a Austrália”.

No ano passado, o aumento das queimadas na Amazônia gerou comoção internacional e fez com que o Brasil se tornasse alvo de pesadas críticas de governos e organizações ambientalistas em todo o mundo.

Em 2019, em torno de 10 mil quilômetros quadrados de floresta foram devastados no Brasil. O desmatamento na Amazônia cresceu 85,3% em comparação com 2018, de acordo com dados divulgados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

O Brasil abriga 60% da Floresta Amazônica, que é um regulador chave para os sistemas vivos do planeta e também para o índice de chuvas no país. Suas árvores absorvem cerca de 2 bilhões de toneladas de dióxido de carbono por ano e liberam 20% do oxigênio do planeta.

Depois de ter sido considerado uma história de sucesso ambiental, o Brasil vem perdendo prestígio, principalmente desde a eleição de Jair Bolsonaro à presidência. Ele já declarou várias vezes a intenção de explorar a floresta amazônica, ameaçando reservas naturais e terras indígenas, e chegou a negar a existência de mudanças climáticas.

Devido ao discurso do presidente e à agenda ambiental do governo, especialistas temem que o desmatamento no Brasil atinja níveis alarmantes nos próximos anos.

O Relógio do Juízo Final foi inicialmente acertado em sete minutos para a meia-noite. A pior marca até agora – dois minutos para a meia-noite – havia sido registrada nos anos de 2018 e 2019.

Segundo o dispositivo, o mais longe que a humanidade já esteve de uma catástrofe foi em 1991 com o fim da Guerra Fria, quando o relógio marcou 17 minutos para o fim dos tempos.

Fonte: DW – A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas.


24/01/2020
Por Edilson Silva em Mundo, Religião

Íntegra da mensagem do Papa para o Dia Mundial das Comunicações

Cidade do Vaticano  – Foi divulgada, nesta sexta-feira (24/01), a mensagem do Papa Francisco para o 54° Dia Mundial das Comunicações Sociais. A seguir, o texto na íntegra.

Mensagem do Papa Francisco

para o LIV Dia Mundial das Comunicações Sociais

« “Para que possas contar e fixar na memória” (Ex 10, 2).

A vida faz-se história »

Desejo dedicar a Mensagem deste ano ao tema da narração, pois, para não nos perdermos, penso que precisamos de respirar a verdade das histórias boas: histórias que edifiquem, e não as que destruam; histórias que ajudem a reencontrar as raízes e a força para prosseguirmos juntos. Na confusão das vozes e mensagens que nos rodeiam, temos necessidade duma narração humana, que nos fale de nós mesmos e da beleza que nos habita; uma narração que saiba olhar o mundo e os acontecimentos com ternura, conte a nossa participação num tecido vivo, revele o entrançado dos fios pelos quais estamos ligados uns aos outros.

1. Tecer histórias

O homem é um ente narrador. Desde pequenos, temos fome de histórias, como a temos de alimento. Sejam elas em forma de fábula, romance, filme, canção, ou simples notícia, influenciam a nossa vida, mesmo sem termos consciência disso. Muitas vezes, decidimos aquilo que é justo ou errado com base nos personagens e histórias assimiladas. As narrativas marcam-nos, plasmam as nossas convicções e comportamentos, podem ajudar-nos a compreender e dizer quem somos.

O homem não só é o único ser que precisa de vestuário para cobrir a própria vulnerabilidade (cf. Gn 3, 21), mas também o único que tem necessidade de narrar-se a si mesmo, «revestir-se» de histórias para guardar a própria vida. Não tecemos apenas roupa, mas também histórias: de facto, servimo-nos da capacidade humana de «tecer» quer para os tecidos, quer para os textos. As histórias de todos os tempos têm um «tear» comum: a estrutura prevê «heróis» – mesmo do dia-a-dia – que, para encalçar um sonho, enfrentam situações difíceis, combatem o mal movidos por uma força que os torna corajosos, a força do amor. Mergulhando dentro das histórias, podemos voltar a encontrar razões heroicas para enfrentar os desafios da vida.

O homem é um ente narrador, porque em devir: descobre-se e enriquece-se com as tramas dos seus dias. Mas, desde o início, a nossa narração está ameaçada: na história, serpeja o mal.

2. Nem todas as histórias são boas

«Se comeres, tornar-te-ás como Deus» (cf. Gn 3, 4): esta tentação da serpente introduz, na trama da história, um nó difícil de desfazer. «Se possuíres…, tornar-te-ás…, conseguirás…»: sussurra ainda hoje a quem se fia do chamado «mentiroso» (cf. Jo 9, 44), para atingir os seus fins. Quantas histórias nos narcotizam, convencendo-nos de que, para ser felizes, precisamos continuamente de ter, possuir, consumir. Quase não nos damos conta de quão ávidos nos tornamos de bisbilhotices e intrigas, de quanta violência e falsidade consumimos. Frequentemente, nos «teares» da comunicação, em vez de narrações construtivas, que solidificam os laços sociais e o tecido cultural, produzem-se histórias devastadoras e provocatórias, que corroem e rompem os fios frágeis da convivência. Quando se misturam informações não verificadas, repetem discursos banais e falsamente persuasivos, percutem com proclamações de ódio, está-se, não a tecer a história humana, mas a despojar o homem da sua dignidade.

Mas, enquanto as histórias utilizadas para proveito próprio ou ao serviço do poder têm vida curta, uma história boa é capaz de transpor os confins do espaço e do tempo: à distância de séculos, permanece atual, porque nutre a vida.

Numa época em que se revela cada vez mais sofisticada a falsificação, atingindo níveis exponenciais (o deepfake), precisamos de sapiência para patrocinar e criar narrações belas, verdadeiras e boas. Necessitamos de coragem para rejeitar as falsas e depravadas. Ocorre paciência e discernimento para descobrirmos histórias que nos ajudem a não perder o fio, no meio das inúmeras lacerações de hoje; histórias que tragam à luz a verdade daquilo que somos, mesmo na heroicidade oculta do dia a dia.

3. A História das histórias

A Sagrada Escritura é uma História de histórias. Quantas vicissitudes, povos, pessoas nos apresenta! Desde o início, mostra-nos um Deus que é simultaneamente criador e narrador: de facto, pronuncia a sua Palavra e as coisas existem (cf. Gn 1). Deus, através deste seu narrar, chama à vida as coisas e, no apogeu, cria o homem e a mulher como seus livres interlocutores, geradores de história juntamente com Ele. Temos um Salmo onde a criatura se conta ao Criador: «Tu modelaste as entranhas do meu ser e teceste-me no seio de minha mãe. Dou-Te graças por me teres feito uma maravilha estupenda (…). Quando os meus ossos estavam a ser formados, e eu, em segredo, me desenvolvia, recamado nas profundezas da terra, nada disso Te era oculto» (Sal 139/138, 13-15). Não nascemos perfeitos, mas necessitamos de ser constantemente «tecidos» e «recamados». A vida foi-nos dada como convite a continuar a tecer a «maravilha estupenda» que somos.

Neste sentido, a Bíblia é a grande história de amor entre Deus e a humanidade. No centro, está Jesus: a sua história leva à perfeição o amor de Deus pelo homem e, ao mesmo tempo, a história de amor do homem por Deus. Assim, o homem será chamado, de geração em geração, a contar e fixar na memória os episódios mais significativos desta História de histórias: os episódios capazes de comunicar o sentido daquilo que aconteceu.

O título desta Mensagem é tirado do livro do Êxodo, narrativa bíblica fundamental que nos faz ver Deus a intervir na história do seu povo. Com efeito, quando os filhos de Israel, escravizados, clamam por Ele, Deus ouve e recorda-Se: «Deus recordou-Se da sua aliança com Abraão, Isaac e Jacob. Deus viu os filhos de Israel e reconheceu-os» (Ex 2, 24-25). Da memória de Deus brota a libertação da opressão, que se verifica através de sinais e prodígios. E aqui o Senhor dá a Moisés o sentido de todos estes sinais: «Para que possas contar e fixar na memória do teu filho e do filho do teu filho (…) os meus sinais que Eu realizei no meio deles. E vós conhecereis que Eu sou o Senhor» (Ex 10, 2). A experiência do Êxodo ensina-nos que o conhecimento de Deus se transmite sobretudo contando, de geração em geração, como Ele continua a tornar-Se presente. O Deus da vida comunica-Se, narrando a vida.

O próprio Jesus falava de Deus, não com discursos abstratos, mas com as parábolas, breves narrativas tiradas da vida de todos os dias. Aqui a vida faz-se história e depois, para o ouvinte, a história faz-se vida: tal narração entra na vida de quem a escuta e transforma-a.

Também os Evangelhos – não por acaso – são narrações. Enquanto nos informam acerca de Jesus, «performam-nos»[1] à imagem de Jesus, configuram-nos a Ele: o Evangelho pede ao leitor que participe da mesma fé para partilhar da mesma vida. O Evangelho de João diz-nos que o Narrador por excelência – o Verbo, a Palavra – fez-Se narração: «O Filho unigénito, que é Deus e está no seio do Pai, foi Ele quem O contou» (1, 18). Usei o termo «contou», porque o original exeghésato tanto se pode traduzir «revelou» como «contou». Deus teceu-Se pessoalmente com a nossa humanidade, dando-nos assim uma nova maneira de tecer as nossas histórias.

4. Uma história que se renova

A história de Cristo não é um património do passado; é a nossa história, sempre atual. Mostra-nos que Deus tomou a peito o homem, a nossa carne, a nossa história, a ponto de Se fazer homem, carne e história. E diz-nos também que não existem histórias humanas insignificantes ou pequenas. Depois que Deus Se fez história, toda a história humana é, de certo modo, história divina. Na história de cada homem, o Pai revê a história do seu Filho descido à terra. Cada história humana tem uma dignidade incancelável. Por isso, a humanidade merece narrações que estejam à sua altura, àquela altura vertiginosa e fascinante a que Jesus a elevou.

Vós «sois uma carta de Cristo – escrevia São Paulo aos Coríntios –, confiada ao nosso ministério, escrita, não com tinta, mas com o Espírito do Deus vivo; não em tábuas de pedra, mas em tábuas de carne que são os vossos corações» (2 Cor 3, 3). O Espírito Santo, o amor de Deus, escreve em nós. E, escrevendo dentro de nós, fixa em nós o bem, recorda-no-lo. De facto, re-cordar significa levar ao coração, «escrever» no coração. Por obra do Espírito Santo, cada história, mesmo a mais esquecida, mesmo aquela que parece escrita em linhas mais tortas, pode tornar-se inspirada, pode renascer como obra-prima, tornando-se um apêndice de Evangelho. Assim as Confissões de Agostinho, o Relato do Peregrino de Inácio, a História de uma alma de Teresinha do Menino Jesus, os Noivos prometidos (Promessi sposi) de Alexandre Manzoni, os Irmãos Karamazov de Fiódor Dostoevskij… e inumeráveis outras histórias, que têm representado admiravelmente o encontro entre a liberdade de Deus e a do homem. Cada um de nós conhece várias histórias que perfumam de Evangelho: testemunham o Amor que transforma a vida. Estas histórias pedem para ser partilhadas, contadas, feitas viver em todos os tempos, com todas as linguagens, por todos os meios.

5. Uma história que nos renova

Em cada grande história, entra em jogo a nossa história. Ao mesmo tempo que lemos a Escritura, as histórias dos Santos e outros textos que souberam ler a alma do homem e trazer à luz a sua beleza, o Espírito Santo fica livre para escrever no nosso coração, renovando em nós a memória daquilo que somos aos olhos de Deus. Quando fazemos memória do amor que nos criou e salvou, quando metemos amor nas nossas histórias diárias, quando tecemos de misericórdia as tramas dos nossos dias, nesse momento estamos a mudar de página. Já não ficamos atados a lamentos e tristezas, ligados a uma memória doente que nos aprisiona o coração, mas, abrindo-nos aos outros, abrimo-nos à própria visão do Narrador. Nunca é inútil narrar a Deus a nossa história: ainda que permaneça inalterada a crónica dos factos, mudam o sentido e a perspetiva. Narrarmo-nos ao Senhor é entrar no seu olhar de amor compassivo por nós e pelos outros. A Ele podemos narrar as histórias que vivemos, levar as pessoas, confiar situações. Com Ele, podemos recompor o tecido da vida, cozendo as ruturas e os rasgões. Quanto nós, todos, precisamos disso!

Com o olhar do Narrador – o único que tem o ponto de vista final –, aproximamo-nos depois dos protagonistas, dos nossos irmãos e irmãs, atores juntamente connosco da história de hoje. Sim, porque ninguém é mero figurante no palco do mundo; a história de cada um está aberta a possibilidades de mudança. Mesmo quando narramos o mal, podemos aprender a deixar o espaço à redenção; podemos reconhecer, no meio do mal, também o dinamismo do bem e dar-lhe espaço.

Por isso, não se trata de seguir as lógicas do «mentiroso», nem de fazer ou fazer-se publicidade, mas de fazer memória daquilo que somos aos olhos de Deus, testemunhar aquilo que o Espírito escreve nos corações, revelar a cada um que a sua história contém maravilhas estupendas. Para o conseguirmos fazer, confiemo-nos a uma Mulher que teceu a humanidade de Deus no seio e – diz o Evangelho – teceu conjuntamente tudo o que Lhe acontecia. De facto, a Virgem Maria tudo guardou, meditando-o no seu coração (cf. Lc 2, 19). Peçamos-Lhe ajuda a Ela, que soube desatar os nós da vida com a força suave do amor:

Ó Maria, mulher e mãe, Vós tecestes no seio a Palavra divina, Vós narrastes com a vossa vida as magníficas obras de Deus. Ouvi as nossas histórias, guardai-as no vosso coração e fazei vossas também as histórias que ninguém quer escutar. Ensinai-nos a reconhecer o fio bom que guia a história. Olhai o cúmulo de nós em que se emaranhou a nossa vida, paralisando a nossa memória. Pelas vossas mãos delicadas, todos os nós podem ser desatados. Mulher do Espírito, Mãe da confiança, inspirai-nos também a nós. Ajudai-nos a construir histórias de paz, histórias de futuro. E indicai-nos o caminho para as percorrermos juntos.

Roma, em São João de Latrão, na Memória de São Francisco de Sales, 24 de janeiro de 2020.

[Franciscus]


24/01/2020
Por Edilson Silva em Patu

Jovem de Patu picada por escorpião morre no hospital de Pau dos Ferros, no RN

Nesta quarta-feira (22) uma jovem de 32 anos, da cidade de Patu, morreu após apresentar febre e bolhas pelo corpo.

Renata Souza havia sofrido uma picada de escorpião quando estava na casa de uma amiga, no sábado passado, dia 18.

Após o acidente, a jovem foi levada para o hospital da cidade de Patu, onde foi atendida e medicada e, após todos os procedimentos, recebeu alta.

De acordo com informações de uma amiga da vítima, ela passou a semana bem, mas no final da manhã desta quarta-feira (22) começou a apresentar um quadro febril e bolhas por todo o corpo.

No final do dia Renata foi levada para o hospital da cidade e de lá foi encaminhada para o Hospital Regional Doutor Cleodon Carlos de Andrade, na cidade de Pau dos Ferros. Ela não resistiu e morreu na unidade hospitalar.

O corpo de Renata foi encaminhado para o Instituto Técnico-Científico de Perícia de Mossoró e, em seguida, encaminhado para o Serviço de Verificação de Óbito (SVO), onde deverá ser determinada a causa oficial da morte.

Via Mossoró Hoje


23/01/2020
Por Edilson Silva em Classificados, Jucurutu

Jucurutu: Confira ofertas da quinta verde do SUPERMERCADO FLORACI (Rede Seridó)

Confira ofertas da quinta verde do SUPERMERCADO FLORACI (Rede Seridó) em Jucurutu.

Um verdadeiro mix de frutas e verduras que você só encontra aqui.


23/01/2020
Por Edilson Silva em Jucurutu

Crianças vítimas de acidente que deixou seus pais mortos receberam alta de hospital

Duas das crianças que estavam nos carros que colidiram de frente no último domingo (19), na BR-226, em Jucurutu, já receberam alta hospitalar. Eles são os filhos do casal, Aldo Filho e Maria Yoderlândia, que morreu carbonizado no acidente.

As crianças estão com familiares na cidade de Jucurutu.

Os corpos do casal, ainda não foram liberados pelo ITEP para sepultamento, mas a informação que chega dá conta que foi colhido material genético das crianças para que seja feito o teste de DNA. Depois de feita a confirmação, é que os corpos poderão ser entregues a familiares.

Fonte: Sidney Silva


22/01/2020
Por Edilson Silva em RN

Reunião climática confirma inverno chuvoso para o RN

Uma nova reunião climática realizada durante toda esta terça-feira (21) confirmou a previsão de chuvas de fevereiro a maio com características  normal e até acima do normal para o Rio Grande do Norte neste ano. A previsão está de acordo com a análise feita na semana passada pela Empresa de Pesquisa Agropecuária do RN (Emparn).

O encontro, por videoconferência com meteorologistas, pesquisadores e especialistas da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), aconteceu durante todo o dia e o Chefe da Unidade de Meteorologia da Emparn, Gilmar Bristot, repercutiu o assunto.

O que foi apresentado na Funceme é que eles apresentaram mais modelos e deu para constatar claramente que, 99% dos modelos mostravam aquilo que nós definimos: a chuva no Nordeste de fevereiro a maio deverá ficar de normal a acima do normal”, aponta Gilmar.

O Estado já vem registrando boas chuvas nos primeiros dias de 2020. Dados da Emparn mostram que, até o dia 15 de janeiro, o número de precipitações registradas no Estado foi 104,4% maior que o mesmo período do ano passado.

*Veja a notícia completa da Tribuna do Norteaqui


22/01/2020
Por Edilson Silva em Ceará

Prognóstico indica 45% de probabilidade de chuvas acima da média no Ceará entre fevereiro e abril

A esperança do cearense de ter boas chuvas entre os meses de fevereiro e abril deste ano pode se tornar realidade caso se confirme o prognóstico da Fundação Cearense de Meteorologia (Funceme), divulgado nesta terça-feira (21) pelo Governo do Ceará, no Palácio da Abolição. De acordo com o estudo feito pela instituição, o estado tem 45% de chance de receber chuvas acima da média para o trimestre. Já a probabilidade das precipitações ficarem em torno da média é de 35% e de ficar abaixo da média é de 20%.

Eduardo Sávio, presidente da Funceme, afirma que o prognóstico é mais otimista do que o do ano anterior. Ele destaca, ainda, que determinadas regiões devem receber mais chuvas que outras. “Nós temos um cenário mais favorável ao centro-norte do estado em relação ao sul, onde poderemos observar categorias em torno da normalidade ou até mesmo em algumas regiões no extremo sul abaixo da média”, disse Sávio. Mesmo assim, o presidente tranquiliza a população ao explicar que isso é comum. “Temos que lembrar que anos normais são caracterizados por uma intensa variabilidade, mas o cenário, em última análise, é muito favorável para o prognóstico de chuvas esse ano. Os meses iniciais da estação chuvosa tendem a ficar na categoria acima da média e há uma redução relativa ao longo da estação”.

Com probabilidade boa de chuvas, cresce a expectativa de que mananciais importantes para a oferta hídrica recebam bons aportes. Francisco Teixeira, secretário dos Recursos Hídricos, pondera que, mesmo com a previsão favorável para a ocorrência de precipitações, é preciso ter cautela e aguardar.

Chuva não é garantia de água dentro do reservatório. Para reservatórios como o Castanhão, Orós e Banabuiú terem uma reserva representativa, a chuva tem que cair de forma intensa em um curto espaço de tempo e cair no local certo, para que aquela água possa ser canalizada para o rio principal e causar o aporte no reservatório”, explicou Teixeira. O titular da SRH enfatizou que o Ceará já esteve em situação menos favorável, mas que graças ao trabalho feito, conseguiu garantir água. “Já chegamos a ficar com 6 ou 7% das reservas hídricas, que é metade do que temos hoje, pouco mais de 14%. Fazer ações de monitoramento eficiente do tempo e do clima para saber das nossas possibilidades de aporte é importante. Uma vez tendo o conhecimento, gerenciar aquela água com a maior eficiência possível”, comentou o gestor.

Essa capacidade operacional e técnica do Estado foi elogiada por Élcio Batista, secretário-chefe da Casa Civil. “Não há nenhum estado no Brasil com a competência que tem o Ceará nessa área dos recursos hídricos. Isso vem sendo construído ao longo dos últimos 30 anos. Talvez seja o setor em que a gente tem uma grande expertise para apresentar para o mundo em termos de capital humano. A gente pode ter orgulho dessa gestão de recursos hídricos. São Paulo não aguentou um ano de seca, o estado mais rico da Federação. O Ceará, praticamente com sete, oito anos de seca, está sem fazer racionamento em Fortaleza. Isso é um exemplo a ser seguido e tem a ver com planejamento, que começou lá atrás e vem sendo perseguido ano a ano”, comemorou Élcio.


22/01/2020
Por Edilson Silva em Paraíba, Patos

Temporal deixa comércio e casas alagados e provoca curto-circuito em Patos

As feiras, o comércio e algumas casas localizadas na cidade de Patos ficaram alagadas após as fortes chuvas que foram registradas nesta terça-feira (21). A previsão de pancadas de chuvas já era prevista pelo Instituto de Meteorologia (Inmet). No início da tarde por volta das 14h, uma pancada forte de chuva atingiu o centro da cidade.

A precipitação veio acompanhada de relâmpagos e trovões, que provocaram curto-circuito na energia elétrica. No Mercado Público de Patos, a chuva provocou alagamentos, e rapidamente os comerciantes começaram a mostrar a situação em rede social.


21/01/2020
Por Edilson Silva em Brasil

Pastora e cantora gospel agride sogra, de 73 anos, na frente de crianças; vídeo

A cantora gospel e pastora Lucimara Pires, de 34 anos, virou o assunto principal na cidade de Nova Andradina, em Mato Grosso do Sul, após circular nas redes sociais um vídeo que mostra ela agredindo sua sogra, de 73 anos. Segundo o ‘Jornal da Nova’, o episódio teria ocorrido no dia 7 de janeiro.

Em entrevista ao site, a missionária confirmou o episódio, mas negou ter batido na sogra. Ela classificou a briga como um “pequeno incidente”. Ainda em sua justificativa, a evangélica afirma que xingada e agredida pela idosa, que chegou a lesionar sua boca e no momento em que estava se defendendo, o marido – que é filho da idosa –, começou a filmar para mostrar aos irmãos e familiares que estava sofrendo com as atitudes da mãe.

“A mãe do meu esposo é muito transtornada, aparentando um descontrole anormal, me agrediu sem motivos, com muitos insultos. Fui obrigada a respondê-la, sem qualquer violência. Não houve nenhuma agressão física”, disse.

“Ninguém da família quer ficar com ela [idosa], então resolvemos ficar até que uma filha que mora em Nova Casa Verde, alugasse uma casa aqui em Nova Andradina, para morar com ela, mas desde que estava em nossa residência, foi uma tribulação, uma perturbação, cheguei a ligar no Corpo de Bombeiros e na Polícia Militar no dia 7, mas me disseram que não podiam fazer nada”, conclui.

Nas palavras da missionária, ela vai prestar depoimento na Delegacia, levar a verdade, provas e que tem apoio dos familiares, dizendo que não a agrediu e sim apenas se defendeu das agressões que há um mês vem sofrendo da idosa. “Hoje, vai ver a condição que ela está vivendo com um filho que é solteiro, em um sítio no assentamento na Casa Verde”, disse.

A Polícia Civil por meio da Delegacia de Atendimento à Mulher (DAM) de Nova Andradina investiga se houve maus-tratos ou vias de fato mediante a violência doméstica.

Fonte: Correio 24 horas


21/01/2020
Por Edilson Silva em Acari

Açude Gargalheiras sobe 7% com chuvas recentes

O açude Gargalheiras, em Acari, na região Seridó do Rio Grande do Norte, subiu 7,37% de nível com as chuvas recentes que caíram no início deste ano na localidade e em todo o estado. Esse aumento fez com que o reservatório atingisse o maior volume total de água desde 2014, segundo o Instituto de Gestão das Águas do RN (Igarn).

De acordo com o Igarn, o último relatório produzido, divulgado no dia 15 de janeiro – há cinco dias – apontava que o Gargalheiras estava seco. Assim, os 7% de nível que subiu com as chuvas representa também o nível total da barragem.

Os dados estão presentes no Relatório da Situação Volumétrica dos Principais Reservatórios Potiguares, que foi divulgado nesta segunda-feira (20) pelo instituto. O Gargalheiras, que tem seu nome oficial de barragem Marechal Dutra, recebeu 3.274.877 m³ de água com as recentes chuvas na região – isso corresponde a 7.37% da capacidade total do manancial que é de 44.421.480,38 m³.

O instituto monitora, ao todo, 47 reservatórios com capacidade superior a 5 milhões de metros cúbicos no Rio Grande do Norte – eles são responsáveis pela segurança hídrica no estado.

G1


21/01/2020
Por Edilson Silva em Paraíba, Tempo

Volta a chover bem no Sertão da Paraíba. Veja os índices

De ontem (segunda, 20) para esta terça-feira, 21, voltou a chover no Sertão e em outras regiões da Paraíba. Veja os índices divulgados pela Agência Executiva de Gestão das Águas (AESA):

Boa Ventura: 68,0

Diamante: 60,0

Monteiro/EMBRAPA: 55,2

Juru: 24,8

Bom Jesus: 24,2

Catolé do Rocha: 23,0

Princesa Isabel: 22,1

Aparecida: 14,2

São Francisco: 14,0

Manaíra: 12,8

Santana dos Garrotes: 4 mm

Folha Patoense




Facebook


Twitter