18/01/2021
Por Edilson Silva em Jucurutu

Incêndio é registrado na antiga Casa do Estudante de Jucurutu

Na manhã desta segunda-feira, 18 de janeiro, um incêndio de grande proporção atingiu o prédio onde funcionou a Casa do Estudante do município de Jucurutu/RN. O fato chamou atenção de populares e de repente vídeos com imagens começaram a circular nas redes sociais.

O local que fica no centro da cidade, mais precisamente ao lado do dick de proteção nas proximidades do Rio Piranhas estava vazio e no momento não houve registro de pessoas feridas. O que se sabe é que apenas alguns objetos velhos que estavam no local, foram atingidos pelas chamas.

A preocupação era com os moradores que residem em torno do prédio. Idosos tiveram que se ausentar das proximidades para evitar contato com a fumaça que emergia do fogo e se espalhava nos céus do bairro.

Dezenas de curiosos estiveram no local. As causas, porém, do que teria originado o incêndio ainda são desconhecidas.

A Polícia e Corpo de Bombeiros foram acionados.


18/01/2021
Por Edilson Silva em Jucurutu, Religião

Imagens da 7ª Novena da Festa de São Miguel de Jucurutu – Edição 2021

Blog Edilson Silva – Tem prosseguimento até o dia 20 de janeiro de 2021 os festejos em honra ao padroeiro São Sebastião de Jucurutu. Neste domingo, 17/01 aconteceu a 7ª novena dedicada ao santo.

O tema central da reflexão foi: Uma nova cultura. Texto extraído do documento (Fratelli Tutti – Pg 82 /85) do Papa Francisco. O momento teve como pregador o Diácono Diogo Deveson da Paróquia de Sant´Ana em Luiz Gomes.

Confira nas imagens da PASCOM – Pastoral da Comunicação.

 


18/01/2021
Por Edilson Silva em RN, Saúde

Fátima acompanha envio de vacina e confirma chegada ao RN nesta segunda-feira

A governadora Fátima Bezerra está em São Paulo onde acompanha a separação e envio das doses de vacina para o Rio Grande do Norte. Ela confirmou que o carregamento deve desembarcar em solo potiguar nesta segunda-feira (18).

Em vídeo compartilhado nas redes sociais, ela mostrou o lote que será enviado ao estado. “É um momento muito emocionante. A largada está sendo dada”, afirmou.

O 1º carregamento de vacinas está sendo embarcado agora para os Estados. É um momento histórico. Viva a ciência! Viva o SUS! #VemVacina #DefendaoSUS pic.twitter.com/HL2VgW8z9p

— Fátima Bezerra (@fatimabezerra) January 18, 2021

Ao mostrar a carga coberta com a bandeira do RN, Fátima afirmou: “Ainda hoje chegará ao RN para salvar vidas”. Contudo, a vacinação só deve começar na próxima quarta-feira (20), mesmo o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, liberando o início da campanha para esta segunda-feira.

Neste primeiro momento, o RN vai receber 82 mil doses, que serão destinadas aos profissionais da Saúde que atuam na linha de frente no combate à covid-19 e para idosos que estão em abrigos.


18/01/2021
Por Edilson Silva em Natal, Saúde

12 pacientes de Manaus com covid-19 chegam ao Rio Grande do Norte

Chegaram na madrugada desta segunda-feira (18) os 12 pacientes com covid-19 transferidos do Amazonas. O avião pousou às 2h50 na Base Aérea de Natal, em Parnamirim. Segundo o governo do RN, 10 pacientes foram levados para o Hospital Universitário Onofre Lopes (Huol) e outros dois para o Hospital Giselda Trigueiro.

A operação foi coordenada pela Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap-RN) e contou com o apoio da Força Aérea Brasileira (FAB), que fez o transporte dos pacientes e da equipe médica, além das forças de segurança estaduais e federais, do Samu Natal e RN e da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (STTU).

O secretário Cipriano Maia (Sesap) estava presente na chegada do voo e deu as boas-vindas oficialmente aos amazonenses. “Trata-se de uma operação humanista, de amor ao próximo, de grande relevância para a saúde pública na defesa da vida dos amazonenses, que aqui chegam e que são bem acolhidos para serem atendidos”, declarou.

“Tudo está preparado para que os pacientes recebam o tratamento da melhor forma possível. Aqui no Rio Grande do Norte, teremos todo apoio tanto da equipe do HUOL como do Giselda e da Sesap para garantir informações aos familiares e o devido apoio à distância com a secretaria de saúde do Amazonas”, afirmou Cipriano. Segundo ele, o RN não corre risco de sofrer com a falta de oxigênio, fato garantido pela empresa que fornece o insumo ao estado.

“Tivemos uma decisão precavida, lá no início da pandemia, de instalarmos tanque de oxigênio em toda rede hospitalar do estado.  Só tem um hospital que não tem e já estamos providenciando a instalação. Portanto, não temos risco imediato a não ser que haja problema de grande proporção”, explicou.

Mas, mesmo com disponibilidade de leitos e com a chegada da vacina, ele faz um alerta para a população manter os cuidados de prevenção, como uso da máscara, álcool 70º e distanciamento social.


18/01/2021
Por Edilson Silva em Saúde

Covid-19: Vacinação nacional terá carteira digital e identificação pelo CPF

A vacinação nacional contra a covid-19, prevista para ter início na quarta-feira (20), conforme anunciado pelo ministro da Saúde Eduardo Pazuello durante reunião com prefeitos na quinta-feira (14), contará com carteira digital, para registro da dose da vacina, e possibilidade de ser imunizado apenas apresentando o CPF.

“Melhorias no aplicativo Conecte SUS Cidadão vão permitir que a pasta monitore as doses da vacina contra o coronavírus e garanta maior segurança à população imunizada”, afirmou o ministério, por meio de nota. O acesso à carteira de vacinação será por meio do aplicativo do Conecte SUS.

As medidas fazem parte de um processo de modernização do Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunização (SI-PNI) e facilitará o controle do Ministério da Saúde, evitando que uma mesma pessoa tome vacinas de laboratórios diferentes.

“É importante que todos contribuam com essas informações. Hoje, nós temos uma, duas, três vacinas possíveis a serem aplicadas. E quando tiver três, quatro ou 10? Se nós não tivermos o controle, o paciente pode tomar a vacina de uma dose tipo A e nós temos que evitar que ele tome uma segunda dose da vacina B”, explicou Jacson Venâncio de Barros, diretor do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS).


18/01/2021
Por Edilson Silva em RN, Saúde

RN receberá 82.440 doses da vacina nesta segunda (18)

O Rio Grande do Norte receberá nesta segunda-feira, 82.440 doses da vacina Coronavac do Instituto Butantan feita em parceira com o laboratório chinês Sinovac.

O Ministério da Saúde distribuirá quase 6 milhões de doses da vacina para todos os estados e o Distrito Federal. As caixas já estão no Departamento de Logística da Saúde (DLOG), em São Paulo, segundo nota divulgada pela pasta.

A distribuição das vacinas será feita com aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) e caminhões com áreas de carga refrigeradas. As companhias aéreas Azul, Gol, Latam e Voepass também farão o transporte gratuito das caixas de vacinas para todos os estados que necessitem de transporte aéreo.

Depois que o Governo Federal entregar as vacinas aos estados, os governos estaduais irão se encarregar de levar as vacinas até os municípios em parceria com o Ministério da Defesa.

Os primeiros voos sairão de São Paulo, primeiramente para o Distrito Federal e para as capitais de 10 estados: Acre, Amapá, Amazonas, Ceará, Goiás, Mato Grosso do Sul, Piauí, Rondônia, Roraima e Santa Catarina.

Ainda segundo o Ministério da Saúde, a vacinação começa em todo o país na quarta-feira (20), às 10h.


18/01/2021
Por Edilson Silva em Concursos

Marinha abre concurso de admissão com 60 vagas para o curso de formação de Soldados Fuzileiros Navais

A Marinha acaba de informar que está aberto seu novo concurso público de admissão às turmas I e II de 2022 do curso de formação de Soldados Fuzileiros Navais (C-FSD-FN/2022). São ofertadas 960 vagas para candidatos voluntários do sexo masculino.

Além disso, para participar, é exigido Ensino Médio completo, idade mínima de 18 anos e máxima de 22 anos até 1º de janeiro 2022, altura mínima de 1,54m e máxima de 2,00m, entre outros.

Distribuição das vagas:

  • Rio de Janeiro (RJ): 260 vagas para a turma I e 270 para a turma II;
  • Brasília (DF): 10 vagas para a turma I e 5 para a turma II;
  • Rio Grande (RS): 20 vagas para a turma I e 22 para a turma II;
  • Belém (PA): 68 vagas para a turma I e 46 para a turma II;
  • Ladário (MS): 53 vagas para a turma I e 26 para a turma II;
  • Manaus (AM): 40 vagas para a turma I e 58 para a turma II;
  • Natal (RN): 9 vagas para a turma I e 26 para a turma II;
  • Salvador (BA): 20 vagas para a turma I e 25 para a turma II;
  • Aramar (SP): 2 vagas para a turma I.

Inscrições

Os interessados poderão se inscrever no período de 22 de fevereiro e 26 de março de 2021, pela internet, no endereço eletrônico www.marinha.mil.br/cgcfn, no link “Concursos para o CFN”. Será cobrada taxa de R$ 25,00.

Provas

Os candidatos serão submetidos a diversas etapas de seleção, conforma indicado abaixo:

  • Exame de Escolaridade;
  • Verificação de Dados Biográficos (VDB);
  • Inspeção de Saúde;
  • Teste de Aptidão Física de Ingresso (TAF-i);
  • Avaliação Psicológica (AP);
  • Verificação de Documentos (VD); e
  • Procedimento de Heteroidentificação.

Os aprovados em todas as etapas farão o curso de formação com duração de cerca dezessete semanas. As aulas serão conduzidas no Centro de Instrução Almirante Milcíades Portela Alves (CIAMPA), no Rio de Janeiro (RJ) e, simultaneamente, no Centro de Instrução e Adestramento de Brasília (CIAB), em Brasília (DF).

edital com mais informações sobre o Concurso Marinha – Fuzileiros Navais – 2021 pode ser encontrado aqui.


17/01/2021
Por Edilson Silva em Brasil, Saúde

Distribuição de vacinas contra a Covid-19 no Brasil inicia nesta segunda-feira, 18

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, disse que o governo começa nesta segunda, às 7h, a distribuição de vacinas contra a Covid-19 para todos os estados. Ele também previu o início da campanha para quarta-feira, às 10h.

A distribuição, segundo o ministro, será feita pela FAB a “pontos focais” definidos por cada estado.

“Está dado o primeiro passo para o início da maior campanha de vacinação do mundo contra o coronavírus”, afirmou, referindo-se à aprovação da Coronavac e a de Oxford/AstraZeneca pela Anvisa.

“Poderíamos num ato simbólico ou numa jogada de marketing iniciar a primeira dose em uma pessoa, mas em respeito a todos os governadores, prefeitos e todos os brasileiros, o Ministério da Saúde não fará isso”, acrescentou o ministro. Ele afirmou que a aplicação da primeira dose da vacina em São Paulo é “uma questão jurídica”.

“Todas as vacinas produzidas pelo Butantan estão contratadas de forma integral e de forma exclusiva para o Ministério da Saúde e para o PNI, todas, inclusive essa que foi aplicada agora. Isso é uma questão jurídica. Não vou responder agora, porque a Justiça que tem que definir. Como foi feita a entrega sem ter feito a liquidação nos nossos depósitos, para depois para a distribuição para o estado”, afirmou Pazuello.

Do G1


17/01/2021
Por Edilson Silva em Educação

Professor Carlos André acerta tema de redação do Enem

O tema da redação do Exame Nacional do Ensino Médio deste ano foi previsto pela escola Over, que tem oito unidades entre Rio Grande do Norte e Paraiba. A saúde mental foi abordada em sala de aula como possível tema do Enem.

Além disso, em entrevista à emissora de rádio de Natal, o professor Carlos André alertou os alunos para possibilidade do tema ser exigido na redação do Enem.

“Temos uma atenção muito especial com a preparação dos nossos alunos e a redação concentra nossa atenção. Fico feliz do tema deste ano não ter sido surpresa para nossos alunos e para os ouvintes que acompanharam nossas entrevistas”, disse Carlos André.

Anna Ruth


17/01/2021
Por Edilson Silva em Brasil, Saúde

Covid-19: primeira vacinada é enfermeira do Emílio Ribas em SP

Mônica Calazans, enfermeira de 54 anos, há oito meses na linha de frente do combate ao coronavírus no Hospital Emílio Ribas, é a primeira brasileira a receber uma vacina contra a covid-19 no Brasil. Ela foi imunizada neste domingo, 17, no Hospital das Clínicas de São Paulo, logo após a decisão da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) de autorizar o uso emergencial da Coronavac e da vacina de Oxford no país.

Apesar dela já ter sido vacinada, a autorização, de fato, ainda dependia da publicação da decisão da Anvisa e dos acordos com o Butantan em Diário Oficial.

Mônica é negra, moradora de Itaquera (zona leste), com perfil de alto risco para complicações da covid-19. Ela é hipertensa e diabética.

Apesar de se enquadrar nessas condições, em maio do ano passado, no auge da primeira onda da doença, ela se inscreveu para vagas de CTD (Contrato por Tempo Determinado), escolhendo trabalhar no Emílio Ribas, no epicentro do combate à pandemia.

Anvisa aprova uso da Coronavac e vacina de Oxford

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou, neste domingo, 17, o uso emergencial das vacinas do Instituto Butantan/Sinovac e da Fiocruz/AstraZeneca no Brasil. A reunião com os cinco diretores da agência levou cinco horas e teve aprovação unânime.

O parecer foi baseado em análises das áreas técnicas do órgão, responsáveis pelo registro de medicamentos, pela certificação de Boas Práticas de Fabricação, e pela farmacovigilância de medicamentos. Cerca de 50 pessoas participaram de todo o processo de aprovação.

Todas as áreas foram favoráveis ao uso de forma excepcional das duas vacinas, mas fizeram ressalvas para a necessidade de monitorar “incertezas” e deram prazo de 24 horas para os laboratórios comunicarem a Anvisa, caso ocorram algum evento adverso durante a vacinação.

(Com Estadão Conteúdo)


17/01/2021
Por Edilson Silva em Educação

Tema da redação Enem: ‘O estigma associado às doenças mentais na sociedade brasileira’

O tema da redação do Enem 2020 é ‘O estigma associado às doenças mentais na sociedade brasileira’.

Os candidatos terão que fazer um texto dissertativo-argumentativo, apresentar opiniões e organizar a defesa de um ponto de vista.

Para os professores ouvidos pelo G1, o tema foi considerado “pertinente” e “acertado”, mas os alunos devem ficar atentos à palavra “estigma” para desenvolver a argumentação.

As redações são avaliadas de acordo com cinco competências, segundo o Inep. A nota pode chegar a 1.000 pontos, mas há critérios que podem zerar a redação, como fuga ao tema, escrever menos de sete linhas, entre outros. Em 2019, o tema foi ‘Democratização do acesso ao cinema no Brasil’ (veja a lista com todos os temas abaixo da análise dos professores).

Análise de professores

Thiago Braga, professor de redação e autor do Sistema PH:

“Entre 2015 e 2018, os casos de depressão relatados aumentaram 52% entre brasileiros de 15 a 29 anos. Isso me chamou a atenção e trabalhei o tema em sala”, afirma. “Isso indica que mais pessoas buscaram ajuda e que houve mais dispêndio de investimento pelo Sistema Único de Saúde (SUS), mas isso não diminuiu o estigma social. É neste ponto que o aluno deve tocar: a gente tem aumento de casos, mas a percepção do mercado de trabalho ainda é preconceituosa de muitas vezes demitir ou deixar a pessoa estigmatizada”, completa.

Milton Costa, professor do Curso Pré-Vestibular Oficina do Estudante:

“Tema importante, pertinente e dentro do padrão esperado para o Enem. Eles apresentam uma situação problema dentro da realidade brasileira. Neste caso, candidatos deveriam propor caminhos para vencer o estigma que persegue vários brasileiros que têm doença mental”, afirma.

“Surpreendeu também que o tema se insurja contra ações recentes do próprio MEC, que propõe uma volta à discriminação de crianças com essas deficiências, e que já havia sido experimentada no passado, e que felizmente foram rechaçadas na Justiça, ainda que com liminares”, afirma, referindo-se à Política Nacional de Educação Especial.

David Gonçalves, professor do Colégio e Curso AZ

“Um tema acertado, sobretudo por conta de tudo que foi vivido em 2020, um ano muito simbólico no que diz respeito às discussões sobre saúde mental. A pandemia aprofundou as discussões sobre esse tema, contudo, nos últimos cinco anos, esse já era um debate com mais protagonismo, sobretudo com a influência das redes sociais. O fato de a dinâmica social ter mudado em 2020, com grandes alterações no modo de trabalhar e estudar, interferiu na forma como os brasileiros lidam com a questão psicológica, com seus medos e ansiedades. Tudo isso alterou a maneira geral de pensar e agir das pessoas. Ao trazer esse tema, O Enem coloca em pauta, apesar de não ser o foco da frase temática, as alterações que a pandemia trouxe. Os alunos que acompanharam de perto esse processo e os fatos provavelmente terão mais capacidade para desenvolver a redação.”

“A presença da palavra estigma no tema é um ponto relevante. Quando o Enem a utiliza, de alguma forma, sugere uma perspectiva negativa em relação a quem sofre de algum tipo de problema relacionado à saúde mental. Existe uma boa chance de os alunos abordarem o tema saúde mental sem levar em conta a palavra estigma. Assim, estará correndo risco de tangenciar o tema e ter um desconto significativo na nota. Portanto, era preciso considerar a questão do tema à luz de possíveis estigmas, ou seja, contextualizando em uma sociedade que tem perspectiva negativa, deturpada e estereotipada em relação a quem sobre algum tipo de doença mental.”

Sérgio Paganim, coordenador de Linguagens do Curso Anglo

“O tema do Enem 2020 tem vários aspectos envolvidos. Primeiro, estigma. Essa conotação negativa que a sociedade atribui às doenças mentais, talvez muito ligado ao histórico de tratamento manicomial e também por uma falta de informação e conhecimento mais consistente a respeito das doenças, do que significam e de como são tratadas. Este estigma pode trazer pouca visibilidade que a sociedade então deixa de perceber a doença como algo relevante, o que implica em poucas ações do estado para mitigar o problema. As questões das doenças mentais podem ser avaliadas em contraponto às doenças físicas, perceptíveis. As mentais têm o estigma de serem consideradas ou problemas de saúde ou falta de vontade.

Esse ano a gente teve o filme “O Coringa”, que também aborda a questão das doenças mentais; as portarias sobre saúde mental que estão em discussão, se o governo vai revogá-las ou não; o SUS com assistência psiquiátrica e mesmo as patologias mentais agravadas pela pandemia também compõem um cenário para discutir as doenças mentais.

A intervenção aqui pode ter várias questões: o Estado, o Ministério da Saúde, o SUS, ampliando o atendimento, criando políticas públicas de inclusão e proporcionando mais informação para as novas gerações por meio da escola e não só por meio das campanhas, como tem acontecido do Setembro Amarelo. Claro que isso tudo são apenas reflexões gerais. Precisamos dos textos da coletânea para perceber qual é o recorte que a banca realmente fez do tema, mas aí a gente tem várias questões ligadas ao estigma, à doença mental em si, a um contexto mais recente que pode intensificar a discussão e as intervenções.”

Maria Catarina Bózio, coordenadora de redação do Poliedro

“Tema possibilita que aluno coloque em discussão temas em alta em todo ano passado. foram colocados em pauta volta de alguns tratamentos como eletrochoque, internações em manicômio e um certo reforço de políticas públicas aos discursos capacitistas e mesmo de estigmatização.

Como repertório, os alunos tinham, de forma bastante acessível, o diálogo com literatura brasileira, Machado de Assis, colocando “O Alienista”. Mais próximo da sua dinâmica cotidiana, o próprio uso de palavras pejorativas, como “retardado”. Pensar em algumas figuras brasileiras icônicas do assunto, como o artista Artur Bispo do Rosário, a médica Nise da Silveira, que foi uma das primeiras em contexto nacional a defender claramente uma política antimanicomial.”

Simone F. G. Motta, coordenadora de Português do Colégio Etapa

“O tema é um assunto de interesse coletivo e sempre atual, de fundo social, que impacta diretamente na forma como a sociedade acolhe o indivíduo portador de uma dessas síndromes.

O estudante poderia conduzir seu texto apresentando algumas das diversas síndromes existentes, várias de conhecimento público, tais como ansiedade, depressão, déficits de atenção, transtornos de desenvolvimento – incluindo o autismo –, esquizofrenia e outras psicoses, por exemplo e, a partir delas, discorrer sobre a forma como essas síndromes afetam o relacionamento interpessoal, por meio de relações preconceituosas e que promovem a incompreensão, ou, ainda, a intolerância.

Além disso, também poderia ser usada a constatação – sobretudo em época de pandemia, como a que estamos vivenciando nesse momento – de que os transtornos mentais continuam crescendo, com impactos significativos sobre a saúde, com consequências sociais que envolvem soluções que respeitem os direitos humanos.

Tendo em vista que a redação do Enem cobra propostas de intervenção para o problema, o candidato poderia se apoiar em ações facilitadoras no processo de inserção desse indivíduo, de modo que os estigmas sejam minimizados e a inclusão ocorra de forma natural, sempre respeitando os direitos humanos.”

Maria Aparecida Custódio, professora do Laboratório de Redação do Objetivo

“O tema é muito oportuno em virtude da pandemia que tem contribuído para agravar muito os problemas de saúde mental dos brasileiros.

E provavelmente os textos motivadores vão mostrar em que circunstâncias se manifestam os estigmas, como eles se refletem, no preconceito, na discriminação, na dificuldade de inserção das pessoas que têm algum transtorno mental, inserção até na família. Rejeição do mercado de trabalho, rejeição da sociedade e as dificuldades que acompanham tudo isso. Uma possível reabilitação, melhora desses transtornos para que a pessoa possa ter mais qualidade de vida.

Claro que se espera, como sempre, uma intervenção. Pode falar do Ministério da Saúde, de campanhas, da importância da escola, não recusar, não rejeitar, estudantes que tenham algum tipo de doença.”


17/01/2021
Por Edilson Silva em Jucurutu, Religião

Jucurutu: confira imagens da 6ª Novena da Festa de São Sebastião

Na sexta noite de novena da Festa de São Sebastião, padroeiro do município de Jucurutu/RN, o momento de reflexão ficou com o Diácono Helimário Moreira.  A noite deste sábado, 16 de janeiro foi dedicada ao Terço das Mulheres e Setor Juventude, e contou com presença dos padres Valdeci, Hipólito (pároco) e Jaime (vigário).

Voltemos nosso olhar para o exemplo deixado por São Sebastião, para vermos como estamos vivendo com aqueles que estão ao nosso lado.

Após novena aconteceu o leilão virtual. Confira nas imagens da PASCOM – Pastoral da Comunicação de Jucurutu/RN.


17/01/2021
Por Edilson Silva em Educação, Serra Negra do Norte

Prefeitura de Serra Negra do Norte entrega Kits de Higiene e Alimentação para estudantes do ENEM 2021

A prefeitura municipal de Serra Negra do Norte, através da Secretaria Municipal de Educação e Cultura, realizou a entrega de Kits de Higiene pessoal e alimentação para os estudantes que farão o ENEM 2020 na cidade de Caicó/RN.

“Realizamos, mais uma vez, a entrega dos kits, pensando em ofertar melhores condições aos participantes na realização das provas, sabendo que é sempre importante estimular os nossos estudantes”, disse o secretário Petrúcio Ferreira.

O Kit Higiene é composto por álcool em gel, máscara e caneta. Já o Kit Alimentação possui uma água mineral, um bolinho de brigadeiro, uma bolacha waffer, Kit Kat e chocolate Baton. Além desses, foi realizada a verificação de temperatura dos alunos e higienização das mãos.

 


17/01/2021
Por Edilson Silva em Educação, Saúde

Risco para Covid no Enem é maior no transporte do que na prova, dizem infectologistas

O risco de um candidato do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 pegar Covid-19 é maior nos deslocamentos até o local da prova do que durante a avaliação. É o que dizem infectologistas entrevistados pelo G1.

“São jovens que deveriam estar evitando aglomerações e que vão ser forçados a sair de casa, a pegar transporte público e a talvez encontrar grandes grupos nos corredores e portões”, afirma Alexandre Naime Barbosa, chefe da infectologia da Universidade Estadual de São Paulo (Unesp) e consultor da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI).

“Se for ver todo o processo, a realização da prova em si é o menor dos perigos. A mudança de rotina, sim, vai impactar o número de casos.”

Segundo Barbosa, há uma maior possibilidade de controle dos protocolos sanitários nos locais de prova. Com distanciamento adequado entre as carteiras, uso constante de máscara, higienização com álcool 70% e ventilação natural (janelas abertas), os riscos de contaminação não são nulos, mas ficam reduzidos. Não há a mesma garantia nos momentos anteriores ou posteriores à prova.

“A gente sabe que não há distanciamento social nem limite de passageiros em ônibus, metrôs e trens ou nos barcos da região amazônica”, diz o infectologista. O Enem foi adiado no Amazonas, mas segue marcado para os dois próximos domingos nos outros estados da bacia amazônica.

“E, nos portões [das escolas onde farão a prova], os jovens vão encontrar os amigos ou conhecidos. Em provas de residência médica, recentemente, houve aglomerações absurdas nos corredores e escadas”, diz.

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), para prevenir a concentração de estudantes na entrada, antecipou a abertura dos portões para as 11h30.

Ainda assim, Barbosa acredita que há risco de formação de grandes grupos ou de desrespeito ao distanciamento social.

Ethel Maciel, epidemiologista e professora da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), demonstra a mesma preocupação com a circulação intensa de estudantes nos dias de Enem. “A gente fica falando para todo mundo se manter nas suas bolhas sociais e, agora, vai estourar a bolha no Brasil todo ao mesmo tempo. É irresponsável”, afirma.

Contato com grupos de risco

Depois de pegarem transporte público, de se encontrarem com grandes grupos na porta do local de prova e de permanecerem por mais de 4 horas em uma sala, os candidatos do Enem provavelmente entrarão em contato com familiares ou colegas de trabalho do grupo de risco (idosos, obesos, pessoas com doenças respiratórias etc).

É mais um risco coletivo de transmissão da doença. Para evitá-lo, Barbosa recomenda uma “semiquarentena”.

“Se o aluno mora com alguém de risco, é melhor manter distanciamento e usar máscara mesmo em casa, nos 14 dias seguintes. O ideal é ficar mais no quarto e não se expor”, diz.

É claro que nem todo mundo tem essa possibilidade. “É mais um contorno trágico da pandemia. Os pobres têm menos condição de fazer isolamento, de usar uma máscara de qualidade e de higienizar as mãos. Há casas sem água corrente ou sabonete. A recomendação de uma quarentena leve é para quando há possibilidade.”

Cronograma do Enem

  • Provas impressas: 17 e 24 de janeiro
  • Provas digitais: 31 de janeiro e 7 de fevereiro
  • Reaplicação da prova: 23 e 24 de fevereiro
  • Resultados: 29 de março


17/01/2021
Por Edilson Silva em Educação

EXAME NACIONAL: Portões serão abertos às 11h30 para realização do Enem; confira horários e novas regras

Milhões de estudantes de todo o país fazem hoje (17) a primeira prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020. Os portões serão abertos às 11h30. Os estudantes podem entrar no local de prova até as 13h, no horário de Brasília. Por causa da pandemia do novo coronavírus, a recomendação é que seja mantido o distanciamento entre as pessoas, mesmo fora dos locais de aplicação.

Quem for diagnosticado com covid-19, ou apresentar sintomas dessa ou de outras doenças infectocontagiosas até o momento do exame, não deverá comparecer ao local de prova e sim entrar em contato com o Inep pelo telefone 0800-616161. Esses estudantes terão direito a fazer a prova na data de reaplicação do Enem, nos dias 23 e 24 de fevereiro.

As provas começam a ser aplicadas às 13h30. Neste domingo, os participantes fazem as provas objetivas de linguagens e ciências humanas, com 45 questões cada, e a prova de redação. Os estudantes terão cinco horas e 30 minutos para resolver as questões. A prova termina às 19h.

O que levar

Para fazer o exame alguns itens são obrigatórios. Neste ano, além do documento oficial de identificação com foto e da caneta esferográfica de tinta preta, fabricada em material transparente, itens obrigatórios também nos exames anteriores, a máscara de proteção facial passa a integrar essa lista. Os participantes que não estiverem com máscara de proteção facial não poderão ingressar no local de prova.

lista de documentos aceitos está disponível na página do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Entre eles estão a Carteira de Identidade, a CNH, o passaporte e a Carteira de Trabalho emitida após 27 de janeiro de 1997.

Embora não seja obrigatório, é recomendado que os participantes levem máscaras extras para trocar durante a prova. Haverá nos locais de prova álcool em gel para que os estudantes higienizam as mãos, mas é permitido que os participantes levem seu próprio produto caso desejem.

Como se trata de uma prova longa, também é recomendado que os participantes levem lanche e água e/ou outras bebidas, com exceção de bebidas alcoólicas que não são permitidas e podem levar à eliminação do candidato. É recomendado também que se leve no dia do exame o Cartão de Confirmação da Inscrição. Nele está, entre outras informações, o local de prova. O cartão pode ser acessado na Página do Participante.

Caso necessitem comprovar que participaram do exame, os estudantes podem, também na Página do Participante, imprimir a chamada Declaração de Comparecimento para cada dia de prova, informando o CPF e a senha. A declaração deve ser apresentada ao aplicador na porta da sala em cada um dos dias. Ela serve, por exemplo, para justificar a falta ao trabalho.

Enem 2020

O exame segue no próximo domingo (24), quando os estudantes farão as provas de ciências da natureza e de matemática. Ao todo, cerca de 5,8 milhões de estudantes estão inscritos para fazer as provas. O Enem 2020 terá uma versão impressa, nos dias 17 e 24 de janeiro, e uma digital, realizada de forma piloto para 96 mil candidatos, nos dias 31 de janeiro e 7 de fevereiro.

As medidas de segurança adotadas em relação à pandemia do novo coronavírus serão as mesmas tanto no Enem impresso quanto no digital. Haverá, por exemplo, um número reduzido de estudantes por sala, para garantir o distanciamento entre os participantes. Durante todo o tempo de realização da prova, os candidatos estarão obrigados a usar máscaras de proteção da forma correta, tapando o nariz e a boca, sob pena de serem eliminados do exame. Além disso, o álcool em gel estará disponível em todos os locais de aplicação.

Impactos da pandemia

O exame, que estava inicialmente agendado para outubro e novembro do ano passado, foi adiado após uma série de protestos virtuais. O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) anunciou, então, uma série de medidas de segurança para evitar a contaminação pelo novo coronavírus.

Mesmo assim, com o aumento de casos e de mortes por covid-19 em todo o Brasil, o movimento por um segundo adiamento das provas ganhou força. A Defensoria Pública da União (DPU) acionou a Justiça pedindo o adiamento, argumentando que as aglomerações habituais nos dias de realização do Enem favorecem a disseminação do novo coronavírus. Além disso, o órgão afirma que os estudantes das escolas públicas podem ser prejudicados pela suspensão das aulas presenciais no ano letivo.

O pedido foi negado pela Justiça Federal de São Paulo, que afirmou que a alteração na data do Enem resultaria em grandes transtornos logísticos, que poderiam “comprometer a própria realização do exame no primeiro semestre de 2021”. A decisão, no entanto, ressalva que se o risco de maior de contágio levar alguma autoridade local ou regional a declarar novo lockdown, isso seria um impedimento para a realização das provas. Caberia ao Inep reaplicar a prova nessas localidades específicas.

Foi o que ocorreu no Amazonas, estado em calamidade pública por causa da pandemia, com falta de leitos e insumos para tratar os doentes. Diante dessa situação, a aplicação do exame foi suspensa no estado.

Agência Brasil


16/01/2021
Por Edilson Silva em Brasil

Manaus: PM apreende 45 cilindros de oxigênio em barco

Policiais militares detiveram, na noite dessa quinta-feira (14/1), um homem de 44 anos que tentava transportar cilindros de oxigênio de forma irregular, no porto de São Raimundo, na zona oeste de Manaus (AM).

Foram apreendidos 45 cilindros, dos quais 28 continham oxigênio. A capital de Amazonas sofre com a falta do gás, sobretudo após o aumento de internações em decorrência do novo coronavírus.

A equipe foi acionada pelo Supervisor de Área (SA) com a informação de que um barco, de nome “Deus é Bom Demais”, estaria ancorado no porto do São Raimundo para transportar cilindros de oxigênio a Juruá (AM).A equipe entrou em contato com o proprietário do barco para que comparecesse ao local com a documentação do material e confirmasse as informações necessárias, mas, chegando ao local, o homem não possuía documentos dos cilindros.

“Os cilindros foram apreendidos e inspecionados, sendo em seguida levados e distribuídos para as unidades hospitalares que necessitam do material”, informou a Secretaria de Segurança Pública de Amazonas (SSPAM). O homem recebeu voz de prisão e foi conduzido para a delegacia geral de Polícia Civil.

Por Metrópoles


16/01/2021
Por Edilson Silva em Caicó

Dr. João Tarcísio de Sena morre em Natal vítima de Covid-19

O médico caicoense Dr. João Tarcísio de Sena morreu neste sábado (16) em Natal vítima de Covid-19. É mais um profissional da área médica vítima do coronavírus no Rio Grande do Norte.

Dr. João trabalhava na Prefeitura de Caicó, no atendimento básico de saúde e fez parte do quadro de comissionados na gestão do ex-prefeito Batata como membro da junta médica da Secretaria Municipal de Saúde. Ortopedista, também atuou como médico do trabalho.


16/01/2021
Por Edilson Silva em Jucurutu, Religião

Jucurutu: Pe. Luiz Carlos foi o pregador da 5ª noite de novena da Festa de São Sebastião

Blog Edilson Silva – Com o tema: A Política Melhor (Fratelli tutti. Pg 58-75) aconteceu nesta sexta-feira, 15 de janeiro a 5ª noite de novena dentro da programação da Festa de São Sebastião, padroeiro do município de Jucurutu/RN.

O pregador foi Pe. Luiz Carlos, ex-pároco da cidade e atualmente residente em Equador/RN. O sacerdote conduziu a reflexão proposta pelo documento do Papa Francisco. A celebração prosseguiu com a Comunhão Eucarística seguida da bênção do Santíssimo Sacramento. Na ocasião, os devotos cantaram a Ladainha e o Hino de São Sebastião.

O momento foi dedicado à RCC – Renovação Carismática Católica. Confira no registro fotográfico da PASCOM – Pastoral da Comunicação de Jucurutu.

 


16/01/2021
Por Edilson Silva em Educação

Veja cinco dicas para se preparar para o Enem 2020

No próximo domingo (17), milhões de estudantes vão fazer a primeira prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020. Em um ano de pandemia do novo coronavírus, com aulas presenciais suspensas, estudantes e professores tiveram que se adaptar.

Tiveram que transpor as salas de aula para dentro das próprias casas. Enfrentaram problemas de infraestrutura, internet de baixa qualidade ou mesmo ausência de conexão, entre outras questões.

A dois dias para a aplicação da prova, a Agência Brasil reuniu cinco dicas para quem vai fazer o exame. Segundo os professores entrevistados, é importante levar em consideração que esse é um ano atípico e que os resultados talvez não sejam os esperados. Os participantes devem estar atentos às regras da prova e seguir as medidas de segurança para evitar o contágio pelo novo vírus.

Separar o que levar no dia da prova 

Para participar do Enem é obrigatório levar documento oficial de identificação com foto, caneta esferográfica de tinta preta fabricada em material transparente e máscara de proteção facial. Sem esses itens não será possível fazer a prova. A dica da professora de língua portuguesa da Escola Estadual Amélio de Carvalho Baís, de Campo Grande (MS), Letícia Cintra, é que, com antecedência, os participantes separem o que vão levar no dia do exame. “O que a gente conseguiu estudar, nós já estudamos. A partir de agora é organizar a caneta, máscara, o álcool em gel. Olhar o seu Cartão de Confirmação da Inscrição para ver onde vai fazer a prova, para não deixar para a última hora”, diz.

Cuidar da própria saúde 

Na reta final, é importante cuidar da própria saúde física e mental para ter energia no dia do exame, de acordo com o pré-vestibular UniFavela. “Sabemos o quão difícil este momento de quarentena pode estar sendo. Dificuldades para estudar, para manter os pensamentos leves ou até mesmo para se concentrar em coisas simples. Não se culpe por isso! O que está acontecendo agora, no Brasil e no mundo, é muito maior do que qualquer esforço que a gente faça”, diz cartilha divulgada pelo curso. “Tão importante quanto manter uma rotina de estudos é manter uma rotina de cuidados. Busque ao máximo dormir oito horas por dia. Além disso, tente entender os seus sentimentos, dar nome ao que você sente, expressar isso de alguma forma: escrevendo, cantando, dançando, chorando… Se permita sentir!”.

Revisar o conteúdo 

Às vésperas do exame, o momento é de revisar o que foi aprendido até aqui. Para o professor e sócio-diretor da Evolucional, startup de educação que oferece simulados e estudos de desempenho para escolas de todo o país, Vinícius Freaza, o Enem deve seguir a tendência de anos anteriores, já que as questões são escolhidas a partir de um banco de itens elaborados ao longo dos anos. “Seguramente teremos questões produzidas este ano, deve aparecer alguma coisa de pandemia, mas o grosso continua seguindo tendência de anos anteriores”. A recomendação, então, para a reta final é que os estudantes refaçam as provas antigas e que saibam os assuntos mais recorrentes em cada uma das áreas avaliadas no Enem.

Na página do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira é possível acessar as edições anteriores das provas e os gabaritos.

Aprender por vias alternativas 

É possível também buscar revisar os conteúdos e ficar a par de atualidades por meio de vídeos, de podcasts e outras ferramentas. “Você pode, por exemplo, estudar sobre uma guerra, ou um fato marcante para o mundo, assistindo a um filme sobre essa temática. Existem muitos materiais disponíveis em plataformas de streaming e no Youtube que podem ser aproveitados nesse sentido”, diz a UniFavela.

As redes sociais também podem ajudar, desde que sejam consultados conteúdos confiáveis, por exemplo de cursinhos reconhecidos ou de órgãos oficiais. O professor de física do Descomplica, Rafael Vilaça, recomenda que os estudantes acessem, por exemplo, as redes sociais do Inep, que é o responsável pelo exame. Lá podem ter dicas para a prova. “Entrar no Instagram do Inep e ver o que deu de spoiler sobre o exame, observar os temas tratados, para se cercar de repertório para a prova. O Inep falou muito sobre idosos, sobre leitura, alfabetização, são temas que podem cair na prova”, diz.

Ter uma estratégia de resolução de prova 

Segundo o coordenador pedagógico do ProEnem, Leandro Vieira, é importante que os participantes tenham uma estratégia para a resolução da prova. “A gente vê muitos alunos que chegam para o dia da prova muito nervosos, muito ansiosos, e acabam não conseguindo se concentrar naquele momento. Importante que vá para a prova sabendo por onde vai começar, sabendo os conteúdos pelos quais vai iniciar. No primeiro dia, se é por redação, se é por ciências humanas, por linguagens. É importante pensar uma estratégia e segui-la ao longo da prova porque às vezes a ansiedade acaba paralisando a gente naquele momento”. O professor recomenda, no primeiro dia, que os estudantes iniciem as provas pela redação e que dediquem no máximo uma hora para a escrita do texto. Em seguida, deve resolver as questões sobre os assuntos com os quais tem mais afinidade.

Enem 2020

Ao todo, cerca de 5,8 milhões de estudantes estão inscritos para fazer as provas. O Enem 2020 terá uma versão impressa, nos dias 17 e 24 de janeiro, e uma digital, realizada de forma piloto para 96 mil candidatos, nos dias 31 de janeiro e 7 de fevereiro.

As medidas de segurança adotadas em relação à pandemia do novo coronavírus serão as mesmas tanto no Enem impresso quanto no digital. Haverá, por exemplo, um número reduzido de estudantes por sala, para garantir o distanciamento entre os participantes. Durante todo o tempo de realização da prova, os candidatos estarão obrigados a usar máscaras de proteção da forma correta, tapando o nariz e a boca, sob pena de serem eliminados do exame. Além disso, o álcool em gel estará disponível em todos os locais de aplicação.

Quem for diagnosticado com covid-19, ou apresentar sintomas dessa ou de outras doenças infectocontagiosas até a data do exame, não deverá comparecer ao local de prova e sim entrar em contato com o Inep pela Página do Participante, ou pelo telefone 0800-616161, e terá direito a fazer a prova na data de reaplicação do Enem, nos dias 23 e 24 de fevereiro.


16/01/2021
Por Edilson Silva em Concursos

Concurso IBGE 2021: Primeiro de 3 editais já previstos oferece 6.500 vagas temporárias

Neste ano, certamente não vão faltar oportunidades para quem deseja conquistar uma vaga no Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Isso porque, até o momento, já estão previstos nada menos que três editais para o concurso IBGE 2021, que visam a seleção de profissionais de níveis médio e superior.

O primeiro deles irá oferecer 6.500 vagas temporárias para as pesquisas feitas regularmente pelo Instituto, abordando temas como Educação, Trabalho, Saúde e Economia no Brasil. Em setembro de 2020, foi publicada a portaria que autoriza a realização do certame.

De acordo com o texto, o edital deve ser lançado em até seis meses contados a partir da publicação da portaria, ou seja, até março de 2021. O IBGE pretendia divulgar o documento ainda em 2020, mas com a pandemia e o processo de seleção da banca organizadora houve um atraso na publicação, que deve sair em breve.

Serão duas seleções, uma a nível nacional e outra regional, para o estado do Rio de Janeiro. Para a seleção nacional, são previstas 6175 vagas para agente de pesquisa e mapeamento e supervisor de coleta e qualidade, que serão distribuídas entre todo o país. Já a seleção regional terá 325 vagas para os cargos de agente de pesquisa por telefone e supervisor de pesquisa.

Segundo informações da Folha Dirigida, duas bancas estão cotadas para assumir a organização do certame. A Fundação Getulio Vargas (FGV) seria a responsável pela seleção nacional, enquanto o Instituto de Desenvolvimento Educacional, Cultural e Assistência Nacional (Idecan) deve organizar o certame regional.

Concurso IBGE 2021

O próximo edital autorizado do IBGE irá selecionar até 6.500 temporários de níveis médio e superior. O contrato de trabalho terá duração de até um ano, com possibilidade de prorrogação. Confira a seguir a distribuição das vagas ofertadas no processo seletivo:

  • Agente de pesquisa e mapeamento (nível médio) – 5.623 vagas;
  • Supervisor de coleta e qualidade (nível médio) – 552 vagas;
  • Agente de pesquisa por telefone (nível médio) – 300 vagas;
  • Supervisor de pesquisa (nível superior) – 25 vagas.

Vale lembrar que os profissionais selecionados irão atuar nas pesquisas permanentes do Instituto, de natureza estatística e geocientífica, e não no Censo Demográfico, que também irá ocorrer em 2021.

No momento, o Instituto está selecionando a banca organizadora do certame, cujo edital deve ser publicado até março de 2021. A remuneração para cada cargo ainda não foi informada.

Censo 2021 – Editais previstos

O Censo Demográfico é um levantamento realizado a cada 10 anos que serve como referência para conhecimento das condições de vida da população em todo o país. Por meio da pesquisa, é possível identificar o número de pessoas que residem no Brasil, sexo, faixa etária, onde e como elas vivem.

Um novo Censo está previsto no Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) 2021. Desta forma, o IBGE deve realizar pelo menos três concursos em breve para selecionar profissionais que irão atuar na pesquisa. O processo já havia sido iniciado em 2020, mas foi suspenso em função da pandemia e será retomado nos próximos meses.

Ao todo, a seleção vai ofertar 208.695 vagas temporárias para níveis fundamental e médio, assim distribuídas:

Nível fundamental

  • Recenseador – 180.557 vagas.

Nível médio

  • Agente censitário municipal – 5.462 vagas;
    Agente censitário supervisor – 22.676 vagas.

A remuneração é de R$ 2.100 para o cargo de agente censitário municipal e de R$ 1.700 para agente supervisor, além de R$ 458, referentes ao auxílio-alimentação, para ambos os cargos. Já para recenseador, os salários podem variar de acordo com a região.

Os outros dois editais previstos para 2021 somam 312 vagas, sendo que um deles já recebeu o aval do Ministério da Economia. Neste caso, são 192 vagas para os cargos de agente censitário de pesquisa por telefone, que exige nível médio, e supervisor censitário de pesquisa e codificação, de nível superior.

Já o edital que aguarda autorização da pasta deve oferecer 120 vagas para codificador, carreira que exige nível médio. Nos dois casos, o Instituto já está em fase de seleção da banca organizadora.

A contratação dos candidatos aprovados no primeiro edital devem ocorrer a partir de julho de 2021, uma vez que eles irão atuar diretamente na pesquisa. Já os selecionados no segundo certame serão contratados a partir de fevereiro de 2022, após a realização do Censo, já que estes são os profissionais que atuam no processamento dos dados.

Para mais informações, consulte os editais a seguir:




Facebook


Twitter