Dnit termina obra do desvio na BR-304 e trânsito flui normal sem sistema “Pare e Siga”

 

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) concluiu nesta quinta-feira (23) a obra do desvio construído às margens da BR-304 em Lajes, na região Central Potiguar.

 

O local estava em construção desde 3 de abril, após fortes chuvas arrastarem uma ponte na BR-304, bloqueando o trânsito na rodovia. O prazo inicial de entrega era 15 dias, mas o Dnit adiou a finalização sucessivas vezes.

 

Na última segunda-feira (20), o tráfego foi liberado na via mesmo com a obra incompleta. Desde então, os serviços de pavimentação continuaram e os motoristas tiveram de respeitar o sistema de “Pare e Siga”. Agora, o trânsito está liberado completamente.

 

Segundo o Dnit, a obra custou pouco mais de R$ 6 milhões (exatamente R$ 6.169.202,19). O órgão enfatiza que não se trata de um simples desvio, e sim de uma estrada paralela na BR-304. O trecho será aproveitado durante a duplicação da rodovia.

 

Nova ponte

 

Agora, as atenções se voltam para a recuperação da estrada em si. De acordo com o Dnit, o anteprojeto da nova ponte da BR-304 foi aprovado e a empresa que fará o serviço também já foi selecionada.

 

A expectativa é que a ordem de serviço seja assinada na próxima semana, com prazo de conclusão de um ano. A nova ponte terá uma estrutura reforçada contra enchentes.

 

A contratação será na modalidade emergencial, o que dispensa a realização da licitação.

 

Compartilhe aqui:

BNDES e Sudene ampliarão investimentos para reduzir desigualdades no Nordeste

 

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene) assinaram, nesta quinta-feira, 23, Acordo de Cooperação Técnica (ACT) para fortalecer o desenvolvimento sustentável do Nordeste.

 

Com a parceria, as instituições de fomento pretendem ampliar os investimentos no setor produtivo da região, com medidas de aumento da oferta de crédito para cooperativas, MPMEs, com impactos na redução das desigualdades. O acordo foi assinado, na sede do Banco, no Rio, pela diretora Socioambiental do BNDES, Tereza Campello, e pelo superintendente da Sudene, Danilo Cabral.

 

A estratégia de ampliação de crédito para cooperativas e MPME é muito importante para o Nordeste, que tem participação de 14,2% no PIB, mas ainda apenas 9,4%, quando se observa apenas a participação do crédito da região na economia nacional, segundo dados do Banco Central.

 

Segundo Campello, o acordo é importante para a promoção de articulações estratégicas de desenvolvimento territorial que tenham impacto em prefeituras, atores do terceiro setor e órgãos diversos dos governos estaduais. “Talvez a maior inovação institucional que tenha acontecido no Brasil, nos últimos anos, tenha sido o Consórcio Nordeste, no ponto de vista de repensar o setor público e como se organizam os Estados. Essa ideia de se organizar e pensar a região é uma referência espetacular”, pontuou.

 

Evitar desperdícios

 

“Um dos grandes desafios dos governos é integrar políticas, sem gerar sobreposição de iniciativas e desperdício de recursos. O BNDES tem esse olhar de integração para a região, em semelhança ao nosso. Neste sentido, queremos analisar quais oportunidades dentro do nosso plano regional e da agenda de sustentabilidade o BNDES pode nos ajudar a viabilizar”, comentou o superintendente da Sudene, Danilo Cabral.

 

O acordo assinado nesta quinta contribui para que bancos e instituições financeiras da região possam aumentar suas operações de crédito fortalecendo o crescimento dos empreendedores. A expectativa é ampliar o acesso ao crédito de cooperativas e de MPMEs. Para isso, o BNDES e SUDENE poderão operar via agentes financeiros locais, que repassarão recursos para os clientes de menor porte.

 

As duas instituições também vão trabalhar em estratégias de estruturação de projetos do Plano Regional de Desenvolvimento do Nordeste (PRDNE). O objetivo é apoiar projetos de empresas e do setor público que contribuam para a redução de desigualdades regionais, com geração de empregos qualificados.

 

Estão previstos esforços de articulação e planejamento em iniciativas estratégicas de desenvolvimento territorial, incluindo fomento a investimentos em desenvolvimento urbano e modernização da administração pública municipal. A parceria prevê ainda o compartilhamento de dados, estudos e capacitações relacionadas a políticas de desenvolvimento regional, bacias hidrográficas e outros temas territoriais.

 

Fundo Caatinga

 

A diretora Socioambiental do BNDES e o presidente da Sudene também discutiram a formatação do Fundo Caatinga, para financiamento não-reembolsável de ações de prevenção e combate ao desmatamento e de restauro ambiental com inclusão produtiva no bioma. A proposta de criação desse instrumento foi apresentada pelo BNDES e Consórcio Nordeste na COP28, no final do ano passado. O Fundo está em fase de estruturação.

 

“Para além da captura de carbono, a Caatinga tem um potencial enorme de cumprir papéis em uma agenda ecossistêmica fundamental para o Brasil e para o mundo, em créditos de biodiversidade, em sua genética resiliente que deve ser valorizada, além de todo conhecimento adquirido pelos sertanejos ao longo dos anos”, afirmou Campello.

 

Por: Agência BNDES de Notícias

 

Compartilhe aqui:

Por unanimidade, STF proíbe desqualificar vítima de violência contra mulher em processos

 

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, por unanimidade, proibir a prática de desqualificação da mulher vítima de crimes sexuais ou de violência em audiências judiciais e investigações.

 

A conduta se caracteriza pelo uso de elementos que façam referência à vida sexual da mulher ou seu modo de vida, por exemplo, como forma de desqualificar a vítima.

 

Pela decisão, esses pontos não poderão mais ser usados como argumento das defesas de acusados dos crimes sexuais.

 

Policiais, promotores e juízes também ficam proibidos de tratar desses pontos. Os representantes dos órgãos do Estado devem atuar para impedir atos de desqualificação, sob pena de responsabilização.

 

Os ministros seguiram o voto da relatora, Cármen Lúcia

 

A magistrada, que votou na sessão de quarta-feira (22), é a relatora de uma ação em que a Procuradoria-Geral da República (PGR) contesta práticas de desqualificação de vítimas de violência sexual em investigações ou julgamentos de acusados pelo crime.

 

Sem base

 

Para a relatora, argumentos que usam elementos da intimidade da mulher, como seus hábitos sexuais, não têm base legal nem constitucional.

 

A conduta costuma ser usada pela defesa dos acusados, por exemplo. Também ocorre de os órgãos de Justiça não coibirem a prática.

 

Segundo a magistrada, essa prática foi construída a partir de um “discurso que distingue as mulheres entre aquelas que ‘merecem e outras que não merece’ ser estupradas”.

 

Trata-se, segundo Cármen, de uma forma de “relativizar a prática da violência, a tolerância vivida na sociedade aos estupros praticados contra mulheres com comportamento que fugisse ou destoasse do que era desejado pelo agressor”.

 

Em seu voto, a ministra citou casos de mulheres que comparecem a delegacias ou que participam de audiências de instrução em processos e são revitimizadas. “Atribuem a ela [à mulher] que já teria vida sexual anterior ‘promíscua’ ou o tipo de vestimenta que adotava”.

 

Ação

 

A ação foi apresentada ao STF em dezembro de 2023 pela então procuradora-geral da República interina Elizeta Maria de Paiva Ramos.

 

No pedido, a PGR afirmou que a prática de desqualificação da vítima por meio da exposição dos detalhes da sua vida deve ser invalidada porque representa uma conduta discriminatório, preconceituosa e de manutenção de uma desvalorização da mulher.

 

Segundo a PGR, a conduta parte de uma concepção de que seria possível distinguir mulheres que merecem ou não a proteção pela violência sofrida.

 

“Em ambiente que haveria de ser de acolhimento, a mulher vítima de violência passa a ser, ela própria, julgada em sua moral e seu modo de vida, na tentativa da defesa de justificar a conduta do agressor, e sem a reprimenda proporcional pelo Estado”, argumentou.

 

A PGR argumenta que há omissão do poder público nesses casos e afirma que o único elemento a ser considerado na investigação de crimes sexuais é o consentimento da vítima.

 

A ação pede que os envolvidos e os advogados dos casos sejam proibidos de mencionarem relações sexuais e modo de vida da vítima, e que os juízes sejam obrigados a combater a prática. Caso contrário, a PGR defende que os magistrados devem sofrer penalidades.

 

Mariana Ferrer

 

Um dos casos de desqualificação que ganhou notoriedade foi o da influenciadora Mariana Ferrer. O fato chegou a ser lembrado pelos ministros durante o julgamento do Supremo.

 

Na audiência que colheu seu depoimento, em 2020, Ferrer foi constrangida e atacada pelo advogado de defesa do réu no processo.

 

A influenciadora acusava o empresário André de Camargo Aranha de tê-la estuprado em dezembro de 2018, quando ela tinha 21 anos. Ele foi absolvido em duas instâncias. A influenciadora recorreu ao STJ e STF.

 

Em uma das audiências do processo, na 1ª instância, o advogado de defesa, Cláudio Gastão da Rosa Filho, mostrou o que chamou de fotos “ginecológicas” de Mariana e afirmou que “jamais teria uma filha” do “nível” dela.

 

Após Ferrer chorar com as falas, Rosa Filho se dirigiu a ela dizendo que “não adianta vir com esse teu choro dissimulado, falso e essa lábia de crocodilo”.

 

“Excelentíssimo, eu estou implorando por respeito, nem os acusados são tratados do jeito que estou sendo tratada. Pelo amor de Deus, gente, o que é isso?”, disse a jovem.

 

Em uma das ocasiões, o juiz do caso, Rudson Marcos, pediu para o advogado manter “bom nível”.

 

O juiz do caso foi punido com pena de advertência pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

 

Compartilhe aqui:

Cidades do RN estão em alerta para chuvas, confira a lista completa

 

Um alerta de chuva acumulada foi emitido para 70 municípios do Rio Grande do Norte, incluindo Natal, pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). O aviso começou nesta quinta-feira (23) à meia-noite e durará até as 23h59 de sexta-feira (24).

 

O alerta indica que chuvas de 20 a 30 milímetros por hora ou até 50 milímetros por dia podem atingir as cidades potiguares relacionadas. Além disso, as cidades com essas áreas de risco têm baixo risco de alagamentos e deslizamentos.

 

O Inmet aconselha a população a evitar o mau tempo, monitorar as mudanças nas encostas e evitar usar dispositivos eletrônicos conectados à tomada. A Defesa Civil e o Corpo dos Bombeiros podem fornecer mais informações.

 

Confira os municípios em alerta

 

Assú
Afonso Bezerra
Alto do Rodrigues
Angicos
Areia Branca
Arez
Baía Formosa
Baraúna
Bento Fernandes
Bom Jesus
Brejinho
Caiçara do Norte
Caiçara do Rio do Vento
Canguaretama
Carnaubais
Ceará-Mirim
Espírito Santo
Extremoz
Galinhos
Goianinha
Governador Dix-Sept Rosado
Grossos
Guamaré
Ielmo Marinho
Ipanguaçu
Jandaíra
Jardim de Angicos
João Câmara
Jundiá
Lagoa de Pedras
Lajes
Macaíba
Macau
Maxaranguape
Montanhas
Monte Alegre
Mossoró
Natal
Nísia Floresta
Nova Cruz
Parazinho
Parnamirim
Passagem
Pedra Grande
Pedra Preta
Pedro Avelino
Pedro Velho
Pendências
Poço Branco
Porto do Mangue
Pureza
Riachuelo
Rio do Fogo
Santa Maria
São Bento do Norte
São Gonçalo do Amarante
São José de Mipibu
São Miguel do Gostoso
São Paulo do Potengi
São Pedro
Senador Georgino Avelino
Serra do Mel
Taipu
Tibau
Tibau do Sul
Touros
Upanema
Várzea
Vera Cruz
Vila Flor

 

Compartilhe aqui:

Estudo da UFRN indica que as regiões do Nordeste têm chances significativas de abalos sísmicos

 

De acordo com um estudo recente do Laboratório Sismológico (LabSis) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), o Nordeste do Brasil tem uma probabilidade significativa de ocorrer abalos sísmicos. O professor Aderson Farias do Nascimento, em colaboração com os pesquisadores José Augusto Silva da Fonsêca e Stanislaw Lasocki do Institute of Geophysics da Academia de Ciências Polonesa, liderou a pesquisa.

 

Os dados sobre as origens sísmicas no Nordeste foram atualizados usando uma metodologia contemporânea, o que permitiu uma análise mais detalhada e precisa das informações já existentes. O objetivo do estudo não é prever danos ou avaliar condições de vulnerabilidade, diz o professor Aderson Nascimento. Em vez disso, o objetivo é fornecer dados essenciais para a construção de infraestruturas, como pontes, que têm um tempo útil estimado de 100 anos.

 

O professor Aderson destacou que o Nordeste já registrou abalos sísmicos significativos e que cidades como Dr. Severiano e João Câmara, no Rio Grande do Norte, são localidades suscetíveis a esses fenômenos. O maior tremor já registrado no estado ocorreu em novembro de 1986, em João Câmara, com uma magnitude de 5.1 na escala Richter.

 

“Há uma certa confusão às vezes das pessoas, isso, de certa forma, é natural. As pessoas confundem o resultado do nosso trabalho com uma previsão de terremotos e não é isso que a gente fez. Infelizmente, a sismologia não avançou ainda o suficiente em termos de metodologia para prever terremotos”, esclarece o professor.

 

Implicações do Estudo

 

Os resultados do estudo, publicado em 2 de maio, indicam que nas próximas cinco décadas, há uma probabilidade significativa de terremotos com magnitudes entre 4.7 a 5.1 na escala Richter ocorrerem no Nordeste. As regiões do lineamento Pernambuco, norte do Ceará e a bacia potiguar são algumas das áreas mais suscetíveis a abalos.

 

O professor Aderson Nascimento explica que, embora o Brasil continental esteja no interior de placas tectônicas, onde normalmente não se esperariam terremotos, esses eventos podem ocorrer. Ele reforça que o estudo é uma ferramenta crucial para o planejamento e gestão de obras de infraestrutura, mas não há motivo para alarmismo.

 

“Não existem motivos para uma preocupação excessiva nessas coisas. É simplesmente um trabalho científico que serve para balizar a forma com que a gente ocupa o nosso solo, que a gente constrói, e uma ferramenta de gestão. O que a gente faz é feito rotineiramente em vários lugares do mundo, é uma análise estatística para saber há possibilidade de haver um evento, e essa informação por si só tem muita relevância para o planejamento de obras de infraestrutura”, conclui o professor.

 

Compartilhe aqui:

Corpo de Bombeiros discute bullying e a cultura de paz em colégio de Natal

 

Nesta quarta-feira (22), militares do Corpo de Bombeiros realizaram uma palestra no Colégio Monte, em Natal, sobre a Cultura de Paz nas escolas e o combate ao bullying. Ministrada pela Coronel Denise, a palestra foi assistida por mais de 100 alunos. Estima-se que 1 em cada 10 estudantes sofrem bullying constantemente no Brasil, logo a importância em tratar do assunto.

 

Em muitos casos, a prática do bullying pode acarretar danos emocionais e psicológicos a longo prazo, podendo levar à depressão e suicídio. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o diagnóstico de depressão cresceu mais de 15% nos últimos anos, afetando principalmente jovens de 15 a 29 anos

 

Acredita-se que o tratamento precoce dos casos pode evitar o desenvolvimento da prática, porém é necessário que os profissionais e, principalmente os responsáveis, transmitam confiança aos estudantes de forma que eles sintam liberdade em expressar seus sentimentos e expor situações que acontecem na sua rotina. Laços de confiança abrem caminhos para a solução de grande parte das situações, proporcionando às crianças e adolescentes um melhor convívio social. Por tudo isso, o Colégio Monte se preocupa em tratar sobre um assunto tão importante.

 

Para diretora pedagógica do Colégio Monte, Mônica Guimarães, educar os alunos sobre o que constitui o bullying – seja físico, verbal ou cibernético – é essencial para que eles possam identificar esses comportamentos em si e nos outros. “Uma palestra como a realizada hoje na escola fornece estratégias práticas para que os estudantes saibam como agir quando se deparam com situações de bullying, seja como vítimas, testemunhas ou até como agressores em potencial. Professores e administradores também se beneficiam, pois aprendem a reconhecer os sinais de bullying e a intervir de forma eficaz. Esta foi mais uma ação do Colégio Monte sobre o combate ao Bullying. Os nossos alunos tiveram a oportunidade de aprender mais e saírem com o compromisso de estabelecer a ‘Cultura de Paz’ na escola e por onde eles passem”, explica Mônica Guimarães.

 

Conforme a Coronel Denise Figueiredo, o comportamento pode ser mudado a partir da conscientização sobre os perigos que o bullying oferece. “Eu vim trazer a mensagem do projeto Abrase-me que fomenta a cultura da paz. A base da cultura de paz é promover valores voltados à igualdade, ao diálogo, à amizade, ao respeito e à harmonia”, argumenta.

 

Na opinião da aluna Lavinia Krumm, da 3ª Série, foi uma experiência extremamente importante. “Acabei aprendendo muito sobre o bullying e as diversas formas que ele aparece e a gente saiu da palestra com a missão de fomentar o projeto paz nas escolas e também usar esse conhecimento para onde a gente passar”, comemora a estudante.

 

Compartilhe aqui:

Em alusão ao dia do Gari, vereador Lulu de Chico Ivo prestigiou categoria

 

Celebrar e valorizar o trabalho de quem cuida da limpeza urbana, todos os dias. Foi com esse intuito que o vereador Lulu de Chico Ivo prestigiou os profissionais pela passagem do Dia do Gari, comemorado no dia 16 de maio.

 

O vereador Lulu Lembrou o trabalho importante que os garis desempenham todos os dias.

 

Uma manhã especial celebrando os verdadeiros heróis da nossa cidade: os garis. Agradeço cada empenho e serviço prestado para manter Jucurutu limpa. Orgulho-me de representar uma cidade onde o trabalho dos garis é verdadeiramente valorizado”, destacou o parlamentar.

 

 

Compartilhe aqui:

Mês de maio chama a atenção para as doenças inflamatórias intestinais

 

 

Muitas são as enfermidades que impactam a qualidade de vida dos indivíduos, entre elas, as doenças inflamatórias intestinais (DIIs). Para reforçar a importância do tema, foi criada a Campanha Maio Roxo e instituída uma data no mês (19), para celebrar o Dia Mundial das Doenças Inflamatórias Intestinais.

 

A Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), por meio de seus hospitais universitários, oferece tratamento especializado na área e oportuniza de forma gratuita uma assistência de qualidade para os pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS).

 

O gastroenterologista e coordenador do Ambulatório de Doenças Inflamatórias Intestinais do Hospital Universitário Antônio Pedro, da Universidade Federal Fluminense (Huap-UFF) e professor de gastroenterologia da Faculdade de Medicina da UFF, Jorge Mugayar, explicou que as principais DIIs são a retocolite ulcerativa e a doença de Crohn. “São doenças inflamatórias crônicas que desenvolvem, geralmente, dor abdominal e diarreia inflamatória (pode ter a presença de sangue, muco, pus) que evoluem oscilando em períodos de agravamento da inflamação e de melhora”, frisou. São doenças que não têm cura até o momento, mas têm controle clínico.

 

Doença pode afetar vida profissional e pessoal quando não tratada

 

De acordo com o médico, um paciente com diarreia crônica desenvolve emagrecimento, diminuição do apetite, fraqueza, desidratação e apresenta dor abdominal crônica. Além disso, por muitas vezes não consegue fazer o controle, causando transtornos na vida social e na vida profissional. Por conta da dor abdominal, pode ficar dependente de medicamentos analgésicos e até mesmo de medicamentos opioides.

 

“É uma causa frequente de absenteísmo no trabalho, além do prejuízo no convívio social, porque esse paciente muitas vezes tem medo de frequentar reuniões, festas, por conta das limitações em relação à alimentação e pela vontade de ir ao banheiro e muitas vezes não ter o acesso”, pontuou.

 

Rosilma Barreto, coloproctologista do Hospital Universitário da UFMA (HU-UFMA) acrescentou que a doença de Crohn pode acometer desde a boca até o ânus e que a retocolite ulcerativa é uma doença restrita ao cólon e reto e que a prevalência dessas doenças no Brasil é de cerca de 100 casos para cada 100 mil habitantes.

 

Segundo ela, não existe uma causa específica, mas os fatores de risco que influenciam a manifestação das doenças são: genética (herança de genes que torna uma pessoa mais propensa a desenvolver a doença); reação anormal do sistema imunológico a bactérias do intestino; fatores ambientais (vírus, bactérias, dieta, tabagismo, estresse e alguns medicamentos; vivência em área urbana (maior prevalência em países mais desenvolvidos); e idade (pode surgir em qualquer idade, mais provável entre os 10 a 40 anos).

 

Compartilhe aqui:

UFPB abre inscrições para novo Concurso Público

 

Universidade Federal da Paraíba (UFPB) torna pública a realização de um novo Concurso Público que tem como objetivo a contratação de Professor do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico, a fim de atuar no Centro de Ciências Humanas, Sociais e Agrárias.

 

De acordo com o edital, será preenchida uma vaga na área de conhecimento de Medicina Veterinária e ao ser admitido, o profissional deverá exercer funções em carga horária de dedicação exclusiva e contará com a remuneração no valor de R$ 4.875,18 ao mês.

 

Para concorrer a oportunidade, é necessário que os candidatos possuam a graduação em medicina veterinária.

 

Procedimentos para participação

 

Para participar, os interessados devem efetuar as inscrições no período de 10 a 21 de junho de 2024, na secretaria do Departamento de Ciência Animal, na UFPB – Campus III – Rua João Pessoa, s/n, Bananeiras/PB, no horário das 8h às 12h.

 

Vale ressaltar que, para efetivar a inscrição o candidato deve efetuar o pagamento da taxa no valor de R$ 95,00. No entanto, os candidatos que se enquadram nos critérios especificados no edital, poderão solicitar a isenção da taxa nos dias 10 e 13 de junho de 2024.

 

Como método de seleção, os candidatos serão submetidos a prova escrita prevista para ser realizada no dia 22 de julho de 2024, prova didática no dia 6 de agosto de 2024, e prova de títulos, de acordo com os critérios de pontuação especificados no edital.

 

O prazo de validade do presente Concurso Público será de um ano, contado da homologação do resultado final, com possibilidade de prorrogação por igual período.

 

Compartilhe aqui:

Vereador Edivan da Ambulância parabeniza Técnicos e Auxiliares de Enfermagem pelo seu dia

 

O vereador por Jucurutu, Edivan da Ambulância, parabenizou a todos os Técnicos e Auxiliares de Enfermagem pelo seu dia, destacando a importância e dedicação desses profissionais na área da saúde.

 

Hoje, comemoramos o dia desses técnicos e auxiliares de enfermagem que dedicam suas vidas ao ofício do cuidado com humanidade”, comentou o vereador.

 

A data comemorativa foi estabelecida pelo Conselho Federal de Enfermagem (Cofen) através da resolução nº 294/2004. Este dia é utilizado como um momento de reflexão sobre a importância da valorização dessa categoria essencial para o sistema de saúde.

 

A homenagem do vereador reflete o respeito e a gratidão da sociedade pelos técnicos e auxiliares de enfermagem, que desempenham um papel crucial na saúde pública, muitas vezes enfrentando desafios e riscos significativos em seu cotidiano.

 

Compartilhe aqui:

Barragem Umari chega a 100% da sua capacidade e sangra nesta segunda-feira (20)

 

O Governo do Estado do Rio Grande do Norte, por meio do Instituto de Gestão das Águas do RN (Igarn), realiza o monitoramento dos principais reservatórios responsáveis pelo abastecimento e atendimento às diversas necessidades de uso dos municípios potiguares. O Relatório dos Volumes dos Principais Reservatórios do RN, divulgado nesta segunda-feira, 20 de maio, indica que a barragem Umari, localizada em Upanema, atingiu 100% da sua capacidade.

 

Umari é o terceiro maior reservatório do RN, com capacidade para 292.813.650 m³. No ano passado o manancial teve sua sangria registrada no dia 09 de abril. A água vertida pelo sangradouro percorre o rio do Carmo, que se encontra com o Rio Mossoró e deságua no mar em Areia Branca.

 

Outro reservatório monitorado pelo Igarn que sangrou na madrugada desta segunda-feira, foi o açude Morcego, localizado em Campo Grande. O manancial possui capacidade para 6.708.330 m³.

 

As reservas hídricas superficiais totais do RN, que correspondem à somatória dos volumes dos reservatórios monitorados pelo Igarn, acumulam 3.453.678.835 m³, o que representa 76,36% da capacidade total, que é de 4.438.663.499 m³.

 

Maior reservatório dp RN,a barragem Armando Ribeiro Gonçalves acumula 1.941.002.478 m³, correspondentes a 81,79% da sua capacidade total, que é de 2.373.066.000 m³.

 

A barragem Santa Cruz do Apodi, segundo maior manancial do RN, acumula 487.358.920 m³, percentualmente, 81,27%, da sua capacidade total, que é de 599.712.000 m³.

 

Até o momento, 25 reservatórios monitorados pelo Igarn já atingiram 100% da sua capacidade no período de chuvas no interior do RN. Atualmente, são 18 os mananciais que permanecem com a capacidade máxima de acúmulo de água, são eles: Umari, em Upanema; Mendubim, em Assu; Campo Grande, em São Paulo do Potengi; Pataxó, em Ipanguaçu; Apanha Peixe, em Caraúbas; o açude público de Riacho da Cruz; Santo Antônio de Caraúbas, em Caraúbas; Passagem, em Rodolfo Fernandes; Beldroega, em Paraú; Malhada Vermelha, em Severiano Melo; Morcego, em Campo Grande; o açude Público de Encanto; Riachão, em Rodolfo Fernandes; Curraes, em Itaú; Corredor, em Antônio Martins; Tesoura, em Francisco Dantas; Dinamarca, em Serra Negra do Norte; e Sossego, em Rodolfo Fernandes.

 

Os mananciais que estão com mais de 90% da sua capacidade são: Marechal Dutra (Gargalheiras), em Acari, com 97,69%; Trairi, em Tangará, com 99,32%; o açude público de Cruzeta, com 90,31%; Dourado, com 98,17%; Gangorra, em Rafael Fernandes, com 98,20%; Flechas, em José da Penha, com 91,30%; Santa Cruz, com 94,47%; Novo Angicos, em Angicos, com 94,32%; Pinga, em Cerro Corá, com 94,43%; e o açude público de Currais Novos, com 99,61% da sua capacidade total.

 

Natal (RN), 20 de abril de 2024

 

GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE
INSTITUTO DE GESTÃO DAS ÁGUAS – IGARN

 

Compartilhe aqui:

Confira os registros pluviométricos da chuva deste domingo em Jucurutu

 

Confira alguns registros pluviométricos de alguns bairros e sítios da cidade de Jucurutu/RN.

 

Chuva 19/05/2024

 

Centro e bela vista 55mm
Bairro Freitas 45mm
Novo Horizonte 52mm
Severina Lopes 45mm

 

Zona rural

 

Sitio Angicos 38mm
Saco do anil 50mm
Sítio lagoa 28mm/30mm
Sítio estreito 32mm
Aroeira 40mm
Barra de Santana 30mm
Rolinha dois 23mm
Curral velho 22mm
Sítio loca 23mm
Sítio São Bento 27mm
São braz 53mm
Riacho da palha 48mm
Tapera 50mm
Sítio camilos 27mm
Sítio Santa Rita 47mm
Boi selado 50mm
Pocinhos 40mm
Adq dois 60mm
Cacimbas 48mm/50mm
Sítio arroz 82mm
Pau ferrado 77mm
Sítio Canaçu 22mm
Saco grande 4mm
Espinheiro 5mm
Soledade 9mm
Pedra branca 12mm
Pinturas 20mm
Lagoa seca 18mm
Sítio soar 60mm
Siio represa 40mm
Saco São Vicente 62mm
Pedra do navio 45mm
Serra do João do Vale
Chã velha 95mm
Chã das cacimbas 95mm
Chã dos Félix 84mm
Chã do cajueiro 75mm
Chã da caponga 53mm
Pangoa 84mm
Preguiça 69mm

 

Dados levantados pelo locutor Jackson Douglas

 

Compartilhe aqui:

Estudo aponta Caatinga como ‘mais eficiente dos biomas brasileiros para sequestrar carbono’

 

Apesar do senso comum atribuir à Caatinga a imagem de pobreza e falta de vitalidade, estudos mostram que ela é crucial para enfrentar as mudanças climáticas, além de ter um papel importante para ampliar as possibilidades de novas atividades econômicas.

 

Conforme a revista Algomais, isto é o que mostra uma pesquisa coordenada por Aldrin Pérez, pesquisador titular do Instituto Nacional do Semiárido (Insa), órgão vinculado ao Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação. Segundo o estudo, a Caatinga é o bioma mais eficiente do Brasil no sequestro de carbono.

 

Na entrevista, Pérez destacou a importância da instalação de atividades econômicas que não afetem o meio ambiente no semiárido e alertou para a necessidade de evitar o desmatamento da vegetação local que contribui para a retenção do CO2 e preservação da água na região.

 

Segundo ele, se essas recomendações não forem atendidas, serão intensificadas ameaças como a desertificação, mudança do clima, perda de biodiversidade e a expulsão das pessoas do campo. “Elas vão ocupar as periferias e os morros nos grandes centros, onde também há outros problemas ambientais, como deslizamentos de terra, que acontecem porque as famílias chegam sem condições nenhuma”, avaliou o estudioso, lembrando que a pesquisa em questão é realizada há mais de uma década.

 

“Somos um grupo de pesquisa que desde 2010 busca entender o bioma e desenvolver modelos ambientais como suporte para políticas públicas, focando na conservação e no uso sustentável da Caatinga. Uma dessas pesquisas, foi compreender a dinâmica e a variação sazonal tanto do carbono, quanto da água, no processo contínuo de renovação da energia do bioma em seus três componentes principais: o solo, a vegetação e a atmosfera”, explicou, contanto que o trabalho envolveu o Insa, a Universidade Federal de Campina Grande, uma equipe da Embrapa Semiárido, um grupo da Universidade Federal Rural de Pernambuco, além de outro grupo da Universidade Federal Rural do Rio Grande do Norte.

 

Segundo Pérez, o trabalho surgiu para desenvolver uma pesquisa que tivesse mais solidez e fosse mais articulada em cima de objetivos e problemas comuns dos impactos das mudanças do clima, da desertificação e como isso afeta na biodiversidade.

 

Com o decorrer do trabalho, ele explica que foi possível mudar a visão do senso comum sobre o bioma. “Historicamente, a Caatinga já foi vista como um bioma pobre, tanto em espécie quanto em florística. Houve a necessidade de desmistificar essa visão. Montamos um grupo de biologia e, desde 2016, estudamos esse balanço do carbono, a dinâmica e a formação de energia ao longo desse período”, lembrou.

 

“Ao contrário do que se falava, que a Caatinga não contribuía para o sequestro do carbono, desde 2010 até o momento, ela se mostrou uma extraordinária solução para as mudanças climáticas. Não esperávamos esse resultado. Passamos a ter consistência nos dados. De 2010 para cá são 14 anos. Depois que acumulamos uma série de dados, começamos a publicar os resultados em revistas científicas internacionais desde 2020. Há alguns marcantes, como os que saíram na revista Nature (Scientific Reports) e na Science of the Total Environment, entre outras”, relevou o pesquisador, que junto com a equipe agora elabora um artigo em que confirmam que “no fluxo de carbono entre a atmosfera e a vegetação, mesmo nas áreas mais secas, há um robusto sequestro de carbono”.

 

“Mesmo aquela Caatinga localizada em regiões com menos chuva – em torno de 300 milímetros – ocorre o sequestro em torno de 1,5 a 2 toneladas de carbono por hectare por ano. Naquelas localidades mais úmidas, na transição do Agreste, que se chama ecótono do Agreste, a Caatinga sequestrou de forma mais consistente 5,5 toneladas de CO2”, frisou o estudioso, ressaltando ainda como o bioma se destaca em relação a outros no país.

 

“No Brasil é significativa a contribuição da Caatinga. Esse bioma está entre as maiores representações do mundo em floresta seca. Imagina o impacto para o clima global ter uma vegetação que está sequestrando carbono além de ter um papel importante para programas de conservação da vida silvestre! Dos 3.346 tipos de planta que temos na Caatinga, 526 são endêmicas, ou seja, só ocorrem dentro desse bioma. Isso transforma o espaço em algo extraordinário para a conservação da vida silvestre. Numa segunda etapa da pesquisa fomos tentar responder outra questão: qual é a eficiência desse sequestro de carbono? Será que é menor que o da Amazônia, do Cerrado e do Pantanal? Verificamos, para a nossa surpresa, que a Caatinga é o mais eficiente dos biomas brasileiros para sequestrar carbono”, relatou Aldrin Pérez.

 

Compartilhe aqui:

Faculdade Caicoense Santa Teresinha anuncia data do novo vestibular solidário com 330 vagas sendo 12 gratuitas

 

A Faculdade Caicoense Santa Teresinha – FCST, vai realizar no próximo dia 22 de junho, mais um vestibular solidário. A informação foi confirmada pelo diretor acadêmico Claudianor Figueiredo.

 

Os alimentos arrecadados no ato da inscrição, serão todos destinados para doação às famílias atingidas pelas enchentes no Rio Grande do Sul.

 

Sobre a quantidade de vagas, Claudianor Figueiredo, disse que serão: 50 para o curso de Direito, 80 para Psicologia, 100 para Administração e 100 para Contábeis. Dessas vagas, 12 serão bolsas 100% gratuitas, sendo 3 para cada curso.

 

O Edital com todas as expecificações sai nesta segunda-feira (20). “Nós esperamos mais uma vez, o sucesso do Vestibular Solidário. Com isso, nós buscamos cumprir a função social da faculdade, através da educação“, disse Claudianor Figueiredo.

 

Compartilhe aqui:

Metrópole Parque realiza lançamento do Decola RN

 

O Parque Tecnológico Metrópole Digital (Metrópole Parque) realizou o lançamento do Decola RN powered by InovAtiva, programa que visa oferecer, para empreendedores com negócios em fase inicial, mentorias personalizadas, capacitações e oportunidades de conexões com diversos atores dos ecossistemas locais, além de parceiros nacionais.

 

O evento aconteceu na sede do Metrópole Parque e contou com a participação de empreendedores, servidores, estudantes e representantes de ecossistemas de inovação de diferentes locais do estado. Também estiveram presentes o pesquisador Renan Hubert, represente da InovAtiva Brasil – entidade correalizadora do programa – e os CEOs das empresas Hubbi, WayABA e E-Rentav, negócios que já participaram do programa de aceleração da InovAtiva.

 

A ocasião marcou o início do prazo de inscrição para os empreendedores interessados em participar do Decola RN, que vai selecionar 25 projetos com foco em quem ainda não tem CNPJ e que conta com projeto em fase de ideação ou validação. As inscrições devem ser feitas a partir do link, até o dia 16 de junho.

 

O programa busca dar atenção especial aos empreendimentos do interior do Rio Grande do Norte, que atualmente conta com sete Ecossistemas Locais de Inovação (ELIs), nos municípios de Currais Novos, Caicó, Assu, Mossoró, Pau dos Ferros, Macaíba e Nova Cruz.

 

InovAtiva Brasil

 

O Decola RN é desenvolvido a partir da InovAtiva Brasil, também contando com a realização do Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC) e do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae); além do apoio metodológico da Wadhwani Foundation.

 

Segundo Rodrigo Romão, diretor do Metrópole Parque, espera-se receber um bom número de inscrições, visto que, em ações como o último Startup NE, programa de fomento à inovação, o número de projetos potiguares inscritos chegou a 340. Atualmente, o estado potiguar conta com cerca de 742 startups, segundo levantamento feito pelo Sebrae.

 

De acordo com Edinete Nascimento, analista do Sebrae, a iniciativa tem potencial para beneficiar todo o estado. “Esse programa, além de difundir informações, conexões e conhecimento, serve como uma plataforma de acesso para jovens empreendedores que querem concretizar suas ideias. Tudo isso através de uma metodologia que impulsiona negócios e novas oportunidades para nosso estado”, comenta ela.

 

Apoiadores

 

O evento de lançamento também marcou o início das inscrições para apoiadores do programa. A ideia é recrutar dezenas de profissionais que possam contribuir com o andamento do Decola RN nos próximos meses, exercendo as funções de avaliadores e mentores.

 

Os avaliadores serão responsáveis por selecionar os projetos a serem beneficiados pelo Decola RN. Interessados podem se inscrever no link. Já os mentores são os colaboradores que acompanharão os participantes durante toda a formação do Decola RN, atuando como tutores na condução das atividades. Nesse caso, os interessados podem realizar a inscrição aqui.

 

Além dessas, outras funções previstas são as de apoiadores para realização de eventos, divulgação, incentivo à submissão de propostas, disponibilização de conteúdos sobre empreendedorismo, entre outras. Nesse caso, quem quiser participar pode se candidatar por meio deste link.

 

Compartilhe aqui:

Inmet coloca RN inteiro em alerta para chuvas; confira

 

Todos os municípios do Rio Grande do Norte estão em alerta para acumulado de chuvas. O aviso foi emitido pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), na manhã desta sexta-feira (17) e é válido até às 10 horas da manhã de sábado (18).

 

De acordo com o Inmet, todas as cidades potiguares podem ser atingidas por chuvas entre 20 e 30 milímetros por hora ou até 50 milímetros por dia. Além disso, há baixo risco de alagamentos e pequenos deslizamentos em cidades com tais áreas de risco.

 

Natal e Região Metropolitana estão sendo atingidas por chuvas fortes desde a madrugada desta sexta-feira (17). Na capital, pelo menos quatro lagoas de captação transboram. Além disso, diversos pontos de alagamento foram registrados na cidade.

 

Dados do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden) apontam que choveu mais de 100 milímetros em cerca de 12 horas em Natal, principalmente nos bairros Pajuçara e Nossa Senhora da Apresentação, ambos na zona Norte de Natal. Parnamirim e Extremoz também enfrentaram problemas.

 

Portal da Tropical

 

 

Compartilhe aqui:

CCJ do Senado aprova PL sobre adaptação a mudanças climáticas

 

O Projeto de Lei (PL) 4.129/2021, que estabelece regras para elaboração de planos de adaptação às mudanças climáticas, teve o parecer aprovado na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado Federal, nesta quarta-feira (15). O texto substitutivo apresentado pelo relator Jaques Wagner (PT-BA), seguirá para apreciação do plenário, com previsão de votação ainda hoje.

 

O PL trata da criação de um plano nacional, que orientará versões nos estados e municípios, para tornar o país mais resistente e resiliente às mudanças climáticas. Se aprovado, modificará a Política Nacional sobre Mudança do Clima, criada pela Lei 12.187/2009.

 

Na construção dos planos, as ações deverão passar por revisões periódicas, além de preverem medidas de desenvolvimento regional e redução das emissões de gases do efeito estufa.

 

A proposta de autoria da deputada Tabata Amaral (PSB-SP) estava ontem (14) na pauta do plenário, mas teve a votação adiada por um dia, a pedido do senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ), para análise de emendas. Um acordo para atender ao pedido condicionou que a votação, tanto na CCJ quanto no plenário, ocorressem ainda hoje.

 

Para isso, Jaques Wagner, que também é líder do governo no Senado, acolheu parcialmente uma das emendas para a inclusão da participação do setor privado na elaboração do plano. Sem novos pedidos de vista, o acordo foi cumprido e a proposta avançou.

 

O PL foi aprovado pela Câmara dos Deputados em dezembro de 2022 e, após ser enviado para análise do Senado, tramitou por mais de um ano na Comissão de Meio Ambiente, tendo sido aprovado somente em fevereiro deste ano. O texto aprovado também sofreu modificações no substitutivo do relator Alessandro Vieira (MDB-SE).

 

Compartilhe aqui:

FIES: divulgada nova convocação da lista de espera

 

O Ministério da Educação (MEC) lançou nova convocação da lista de espera do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), referente ao processo seletivo do primeiro semestre de 2024.

 

 Com esta, houve oito convocações da lista de espera do Fies, cujo prazo terminará na próxima sexta-feira, 17 de maio. Essa etapa do processo seletivo começou no dia 28 março e se encerraria em 30 de abril, mas foi prorrogada pelo MEC, por meio do Edital nº 13/2024.

 

Os estudantes não pré-selecionados na chamada única do Fies foram automaticamente incluídos na lista de espera. Para consultarem a classificação e verificarem se foram pré-selecionados na lista, os candidatos devem acessar o Portal Único de Acesso ao Ensino Superior e entrar com sua conta gov.br. Considerando que não será realizado um novo ranqueamento das notas, os participantes devem acompanhar todo o processo pela página do Fies, pois a lista é atualizada à medida que as vagas são ocupadas ou não.

 

Caso sejam pré-selecionados para uma das vagas, os candidatos que estão na lista de espera deverão acessar novamente a página do programa e complementar sua inscrição com as informações necessárias à contratação do financiamento. Os estudantes terão, então, três dias (a contar da data de divulgação da pré-seleção) para completar esse processo.

 

Fies – O Fundo de Financiamento Estudantil, programa do MEC, foi instituído pela Lei nº 10.260, de 12 de julho de 2001, que visa conceder financiamento a estudantes em cursos superiores não gratuitos. Os cursos devem ser ofertados por instituições de educação superior privadas participantes do programa, bem como ter avaliação positiva no Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes), divulgado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

 

Em 2024, a ação ainda contará com o Fies Social, instituído pela Resolução nº 58/2024, cuja meta é oferecer melhores condições para a obtenção do Fies, como a reserva de 50% das vagas e a concessão de até 100% de financiamento dos encargos educacionais para os estudantes inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), desde que possuam renda familiar per capita de até meio salário mínimo.

 

Por: Ministério da Educação (MEC)

 

Compartilhe aqui:

Governo Federal aprova 235 planos de trabalho para restabelecimento de cidades gaúchas

 

O Governo Federal já avaliou e aprovou até esta quarta-feira (15/5), por meio do Ministério da Integração e Desenvolvimento Regional (MIDR), 235 planos de trabalho para resposta, restabelecimento e reconstrução das localidades afetadas pelas fortes chuvas no estado. Com isso, R$ 186,6 milhões estão sendo repassados para as ações de Defesa Civil. Outros 94 planos de trabalho estão em análise, somando mais R$ 131,4 milhões solicitados pelos municípios.

 

O Governo Federal ainda anunciou nesta quarta-feira novas ações efetivas para ajudar a população do estado do Rio Grande do Sul e apoiar a reconstrução das localidades impactadas. Em São Leopoldo (RS), o presidente Luiz Inácio Lula da Silva destacou o pagamento de R$ 5.100 por família desabrigada e mais uma série de medidas para as pessoas que perderam suas casas, além da antecipação do Bolsa Família.

 

A estratégia para atender as famílias que tiveram casas destruídas nas áreas urbanas atingidas pelas enchentes inclui a compra assistida de imóveis usados, busca de imóvel pelo beneficiário e/ou chamamento público de interessados em vender imóveis. O governo também prevê a aquisição de imóveis em processo de leilão da Caixa e Banco do Brasil que estejam desocupados.

 

Entre as medidas, está prevista ainda a aquisição de imóveis de construtoras já em obras ou concluídos; aproveitamento de propostas inscritas e não selecionadas na seleção do Minha Casa, Minha Vida em 2023. Para os casos que não foram contemplados nas anteriormente citadas, uma nova seleção do MCMV para os municípios será realizada.

 

Também nesta quarta, o Ministério da Saúde coordenou a doação de 603 mil itens de higiene pessoal para as vítimas das enchentes no estado. No total, foram entregues 423 mil absorventes, 61,8 mil pacotes de toalhas umedecidas, 116 mil fraldas infantis e 3 mil fraldas geriátricas. A entrega vai beneficiar diretamente mais de 20 mil pessoas.

 

Segundo o balanço da quarta-feira, atualizado pela Defesa Civil do Rio Grande do Sul, o número de municípios afetados é de 452. São 76,5 mil pessoas em abrigos, 538 mil desalojados e 2,14 milhões de pessoas afetadas. Nas últimas 24 horas, não houve registro de novos óbitos, mantendo o número de 149 mortes. Há 806 feridos e 108 desaparecidos. O número de pessoas resgatadas supera 76,5 mil, e o número de animais resgatados é de 11,4 mil.

 

Confira outras atualizações das frentes de trabalho do Governo Federal no Rio Grande do Sul

 

Importação de arroz

 

O Governo Federal definiu os parâmetros para a importação de arroz beneficiado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Com a portaria assinada pelos ministérios do Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar (MDA), da Agricultura e Pecuária (Mapa) e da Fazenda, a primeira aquisição, de até 104.034 toneladas do cereal no primeiro leilão, está marcada para terça-feira (21/5). Para esta compra, foram previstos R$ 416,1 milhões — outros R$ 100 milhões para as despesas relativas à equalização de preços para a venda do produto. No total, a Conab foi autorizada a importar até um milhão de toneladas de arroz por meio de leilões públicos, ao longo de 2024, a partir da Medida Provisória nº 1.217/2024. O objetivo é evitar especulação financeira e estabilizar o preço do produto nos mercados de todo o país.

 

Auxílio reconstrução

 

Todas as famílias diretamente afetadas pela catástrofe climática no Rio Grande do Sul vão receber um repasse de R$ 5,1 mil do Governo Federal para repor equipamentos e outros bens perdidos pelos efeitos das fortes chuvas que atingiram o estado. A oficialização foi feita nesta quarta-feira, em evento com a presença do presidente Lula em São Leopoldo (RS). A estimativa é de que cerca de 240 mil famílias sejam beneficiadas, a partir de um investimento de R$ 1,2 bilhão. Uma Medida Provisória vai reunir os critérios para o estabelecimento do apoio financeiro às famílias.

 

Gás gratuito

 

Um total de 197 cozinhas comunitárias, que diariamente produzem refeições para desabrigados no Rio Grande do Sul, terão fornecimento gratuito de gás por 90 dias. A garantia veio durante reunião no Palácio do Planalto entre o presidente do Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Gás Liquefeito de Petróleo (Sindigás), Sérgio Bandeira de Mello, com os ministros Márcio Macêdo (Secretaria-Geral) e Alexandre Silveira (Minas e Energia), além do presidente da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Edegar Pretto. A expectativa é que sejam entregues pelo menos 9 mil botijões de gás neste período, para a produção de refeições pelas cozinhas comunitárias em todo o estado.

 

Formulário para habitações

 

O Ministério das Cidades criou um formulário digital para levantar necessidades no setor habitacional dos municípios atingidos pela tragédia climática no RS. O documento servirá como ponto de partida para o planejamento do Governo Federal voltado à reestruturação dos municípios. Nele, gestores municipais poderão inserir as estimativas iniciais de necessidade habitacional para suas cidades. As informações servirão de base para o mapeamento das soluções. Entre os dados que podem ser enviados no documento estão a quantidade de imóveis destruídos (total ou parcialmente) nas áreas urbanas e rurais, a renda média mensal das famílias atingidas diretamente, entre outras.

 

Cofinanciamento federal

 

Há um recurso disponível sem burocracia no Governo Federal com potencial de ajudar dezenas de prefeituras gaúchas em estado de calamidade na compra de colchões, cobertores, água, sabão, detergente, utensílios para cozinhar e até estrutura para montar abrigos. O repasse em dinheiro vai direto para o município, em cerca de 72 horas após o requerimento. Pela regra, são R$ 20 mil a cada grupo de 50 pessoas acolhidas. O recurso já foi solicitado, até a noite de quarta-feira (15/5), 48 dos 446 municípios gaúchos impactados pela crise climática. Para eles, foi aprovado um repasse total de R$ 11,3 milhões para assistência a cerca de 40 mil pessoas. Para solicitar o recurso extraordinário, o gestor municipal deve encaminhar ofício simplificado ao email: emergencianosuas@mds.gov.br. Outros documentos previstos devem ser enviados em até 90 dias após o recebimento dos recursos. Para tirar qualquer dúvida, basta acessar o WhatsApp em (61) 99321.0068.

 

Exportações do exterior

 

O Ministério de Portos e Aeroportos e a Receita Federal criaram uma parceria para estruturar o envio de doações do exterior pelos modais aéreo e aquaviário à população afetada pelas chuvas. O Ministério de Portos e Aeroportos lançou na semana passada a malha aérea emergencial para reforçar voos que atendem o interior do Rio Grande do Sul. A Receita Federal criou a iniciativa “Receita Via Rápida”, que facilita o envio de doações do exterior em situações de calamidades. Basta ir à transportadora e indicar como destinatário o estado do RS ou um dos municípios afetados, para que as mercadorias doadas sejam enviadas isentas de tributos.

 

Mantimentos e resgates

 

A Marinha já transportou para o Rio Grande do Sul mais de 390 toneladas de donativos e 130 mil litros de água, além de 2 mil militares, nove navios de guerra, 50 embarcações, 11 helicópteros e 70 viaturas. Com o auxílio de um drone, o Exército conseguiu localizar, no fim da tarde de terça-feira (14), um grupo de moradores de Canoas (RS) que estavam pedindo ajuda no topo de um prédio. A equipe de resgaste salvou sete pessoas e dois pets. Além das missões de entrega de mantimentos, os helicópteros da Aeronáutica já realizaram mais de 60 evacuações aeromédicas e milhares de resgates.

 

Secretaria Geral

 

Em Porto Alegre está sendo constituído o Fórum da Participação Social, mantendo um canal de diálogo permanente com os movimentos e suas demandas. Foi criada uma coordenação dos movimentos, acompanhada pela SG. Uma reunião extraordinária do Comitê Interministerial de Inclusão Socioprodutiva dos Catadores e Catadoras (CIISC) foi realizada, para tratar do atendimento às necessidades imediatas e projetando ações estruturantes.

 

Secretaria de Relações Institucionais

 

Emenda de resgate emergencial, que soma R$1,33 bilhão para os municípios em situação de calamidade no Rio Grande do Sul

 

a) Autorizado pagamento de R$ 647,7 milhões / R$ 620,1 milhões foram pagos (97,3%)

 

b) Transferências Especiais para o RS (R$ 464 milhões disponíveis para aceite dos municípios) / 465 (99%) dos 469 municípios indicados já confirmaram o aceite, totalizando R$ 451 milhões (97% do total disponível).

 

Secretaria Nacional de Assistência Social (SNAS/MDS)

 

A SNAS conta com 17 técnicos “in loco” no Estado, com o objetivo de orientar os municípios na solicitação, utilização e prestação de contas do cofinanciamento federal, gestão de abrigo e cadastro de famílias e indivíduos desabrigados e desalojados. Já solicitaram o cofinanciamento (para manutenção dos alojamentos provisórios) 74 municípios, implicando na soma de R$ 32,29 milhões em repasses.

 

Ministério das Minas e Energia

 

Dez mil clientes tiveram o religamento do fornecimento de energia nas últimas 24 horas pelas distribuidoras do Rio Grande do Sul, embora muitos acessos ainda estejam bloqueados ou obstruídos. Foram religadas mais de 300 mil clientes — porém, 257 mil clientes ainda continuam sem energia, em sua maioria por questões de segurança ou impedimento de acesso. O município de Boqueirão do Leão continua com 100% dos clientes desligados. Na Rede Básica não há limitação de atendimento à carga a partir dos ativos de transmissão, para suprir a rede de distribuição atualmente disponível.

 

Petrobras

 

A empresa contabilizou o fornecimento de 1.033 mil litros de água potável para abrigos e Defesa Civil até o dia 14/5. Até esta terça-feira, também foram fornecidos 2.387 litros de gasolina e 265 litros de diesel para veículos de resgate e atendimento humanitário nos municípios de Esteio e Canoas.

 

Polícia Rodoviária Federal (PRF)

 

Até esta quarta-feira (15), às 16 horas, 12.113 pessoas foram resgatadas (1.893) ou assistidas (10.220) pelas equipes em operação. Também foram resgatados 159 animais. A PRF permanece no trabalho de resgate, na desobstrução de rodovias e no transporte de mantimentos para a população do Rio Grande do Sul. Entre as atividades realizadas no estado, a PRF escolta caminhões com doações que chegam de diversos locais do país com destino às cidades atingidas pelas chuvas.

 

Agência Brasileira de Cooperação (MRE)

 

O Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR), em coordenação com o MDS e a ABC/MRE, se comprometeu a doar ao Rio Grande do Sul 100 “casinhas modulares” (oriundas da ACNUR Colômbia) e itens emergenciais (do ACNUR Panamá), sendo estes 3,6 mil cobertores, lâmpadas (luminárias), 200 kits para cozinhas comunitárias e kits de higiene, inclusive higiene feminina. A ABC/MRE está em coordenação com a Receita Federal para realizar, em caráter de urgência, o desembaraço aduaneiro dessas doações. Os donativos devem chegar em Florianópolis (SC), por meio da companhia aérea Latam, em datas a serem definidas. A Santa Sé também anunciou doação financeira de 100 mil euros para as paróquias no Rio Grande do Sul ajudarem a população afetada.

 

Ministério de Portos e Aeroportos

 

Foram realizados dois voos da Azul com doações para Canoas, totalizando 235,9 toneladas transportadas por via aérea (19 voos).

 

Compartilhe aqui:

Jucurutuense residente em Gramado faz campanha para ajudar afetados pelas chuvas no Rio Grande do Sul

 

Para socorrer os afetados pelas fortes chuvas que assolam o Rio Grande do Sul, um empresário jucurutuense, residente na Serra Gaúcha, realiza ações de solidariedade para amparar às vítimas. Francisco Pinheiro de Araújo Neto trabalha com atividades do setor de turismo naquela região e sofre juntamente com os gaúchos que enfrentam o maior desastre ambiental de suas vidas.

 

Em seu perfil particular na rede social instagram, ele faz campanhas de arrecadação para aquisição de itens como toalhas, travesseiros, roupa íntima, produtos higiênicos, água mineral, entre outros.

 

Em contato com esse blogueiro ele descreve o que testemunha por lá:

 

“Amigo, Edilson; precisa você ver o olhar das pessoas que neste momento necessitam de ajuda, roupa, comida, itens para sobrevivência diária. Cada olhar, um sentimento diferente, de dor, de perdas familiares. Só estando aqui na linha de frente no Rio Grande do Sul para entender um pouco da gravidade da coisa. O que posto nas minhas redes não é suficiente para descrever toda essa tragédia. Aqui destaco a bravura dos policiais, bombeiros e voluntários que estão 24h se dedicando a causa”, explicou.

 

As contribuições chegam de várias partes do Brasil, através de uma rede de solidariedade formada a partir de sua iniciativa voluntária.

 

Como mensagem de incentivo à solidariedade o #BlogEdilsonSilva divulga esta ação.

 

Contribua com o PIX SOLIDÁRIO CPF 01770653465

 

 

 

 

Compartilhe aqui: