RN

Dnit termina obra do desvio na BR-304 e trânsito flui normal sem sistema “Pare e Siga”

 

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) concluiu nesta quinta-feira (23) a obra do desvio construído às margens da BR-304 em Lajes, na região Central Potiguar.

 

O local estava em construção desde 3 de abril, após fortes chuvas arrastarem uma ponte na BR-304, bloqueando o trânsito na rodovia. O prazo inicial de entrega era 15 dias, mas o Dnit adiou a finalização sucessivas vezes.

 

Na última segunda-feira (20), o tráfego foi liberado na via mesmo com a obra incompleta. Desde então, os serviços de pavimentação continuaram e os motoristas tiveram de respeitar o sistema de “Pare e Siga”. Agora, o trânsito está liberado completamente.

 

Segundo o Dnit, a obra custou pouco mais de R$ 6 milhões (exatamente R$ 6.169.202,19). O órgão enfatiza que não se trata de um simples desvio, e sim de uma estrada paralela na BR-304. O trecho será aproveitado durante a duplicação da rodovia.

 

Nova ponte

 

Agora, as atenções se voltam para a recuperação da estrada em si. De acordo com o Dnit, o anteprojeto da nova ponte da BR-304 foi aprovado e a empresa que fará o serviço também já foi selecionada.

 

A expectativa é que a ordem de serviço seja assinada na próxima semana, com prazo de conclusão de um ano. A nova ponte terá uma estrutura reforçada contra enchentes.

 

A contratação será na modalidade emergencial, o que dispensa a realização da licitação.

 

Compartilhe aqui:

Estudo da UFRN indica que as regiões do Nordeste têm chances significativas de abalos sísmicos

 

De acordo com um estudo recente do Laboratório Sismológico (LabSis) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), o Nordeste do Brasil tem uma probabilidade significativa de ocorrer abalos sísmicos. O professor Aderson Farias do Nascimento, em colaboração com os pesquisadores José Augusto Silva da Fonsêca e Stanislaw Lasocki do Institute of Geophysics da Academia de Ciências Polonesa, liderou a pesquisa.

 

Os dados sobre as origens sísmicas no Nordeste foram atualizados usando uma metodologia contemporânea, o que permitiu uma análise mais detalhada e precisa das informações já existentes. O objetivo do estudo não é prever danos ou avaliar condições de vulnerabilidade, diz o professor Aderson Nascimento. Em vez disso, o objetivo é fornecer dados essenciais para a construção de infraestruturas, como pontes, que têm um tempo útil estimado de 100 anos.

 

O professor Aderson destacou que o Nordeste já registrou abalos sísmicos significativos e que cidades como Dr. Severiano e João Câmara, no Rio Grande do Norte, são localidades suscetíveis a esses fenômenos. O maior tremor já registrado no estado ocorreu em novembro de 1986, em João Câmara, com uma magnitude de 5.1 na escala Richter.

 

“Há uma certa confusão às vezes das pessoas, isso, de certa forma, é natural. As pessoas confundem o resultado do nosso trabalho com uma previsão de terremotos e não é isso que a gente fez. Infelizmente, a sismologia não avançou ainda o suficiente em termos de metodologia para prever terremotos”, esclarece o professor.

 

Implicações do Estudo

 

Os resultados do estudo, publicado em 2 de maio, indicam que nas próximas cinco décadas, há uma probabilidade significativa de terremotos com magnitudes entre 4.7 a 5.1 na escala Richter ocorrerem no Nordeste. As regiões do lineamento Pernambuco, norte do Ceará e a bacia potiguar são algumas das áreas mais suscetíveis a abalos.

 

O professor Aderson Nascimento explica que, embora o Brasil continental esteja no interior de placas tectônicas, onde normalmente não se esperariam terremotos, esses eventos podem ocorrer. Ele reforça que o estudo é uma ferramenta crucial para o planejamento e gestão de obras de infraestrutura, mas não há motivo para alarmismo.

 

“Não existem motivos para uma preocupação excessiva nessas coisas. É simplesmente um trabalho científico que serve para balizar a forma com que a gente ocupa o nosso solo, que a gente constrói, e uma ferramenta de gestão. O que a gente faz é feito rotineiramente em vários lugares do mundo, é uma análise estatística para saber há possibilidade de haver um evento, e essa informação por si só tem muita relevância para o planejamento de obras de infraestrutura”, conclui o professor.

 

Compartilhe aqui:

Barragem Umari chega a 100% da sua capacidade e sangra nesta segunda-feira (20)

 

O Governo do Estado do Rio Grande do Norte, por meio do Instituto de Gestão das Águas do RN (Igarn), realiza o monitoramento dos principais reservatórios responsáveis pelo abastecimento e atendimento às diversas necessidades de uso dos municípios potiguares. O Relatório dos Volumes dos Principais Reservatórios do RN, divulgado nesta segunda-feira, 20 de maio, indica que a barragem Umari, localizada em Upanema, atingiu 100% da sua capacidade.

 

Umari é o terceiro maior reservatório do RN, com capacidade para 292.813.650 m³. No ano passado o manancial teve sua sangria registrada no dia 09 de abril. A água vertida pelo sangradouro percorre o rio do Carmo, que se encontra com o Rio Mossoró e deságua no mar em Areia Branca.

 

Outro reservatório monitorado pelo Igarn que sangrou na madrugada desta segunda-feira, foi o açude Morcego, localizado em Campo Grande. O manancial possui capacidade para 6.708.330 m³.

 

As reservas hídricas superficiais totais do RN, que correspondem à somatória dos volumes dos reservatórios monitorados pelo Igarn, acumulam 3.453.678.835 m³, o que representa 76,36% da capacidade total, que é de 4.438.663.499 m³.

 

Maior reservatório dp RN,a barragem Armando Ribeiro Gonçalves acumula 1.941.002.478 m³, correspondentes a 81,79% da sua capacidade total, que é de 2.373.066.000 m³.

 

A barragem Santa Cruz do Apodi, segundo maior manancial do RN, acumula 487.358.920 m³, percentualmente, 81,27%, da sua capacidade total, que é de 599.712.000 m³.

 

Até o momento, 25 reservatórios monitorados pelo Igarn já atingiram 100% da sua capacidade no período de chuvas no interior do RN. Atualmente, são 18 os mananciais que permanecem com a capacidade máxima de acúmulo de água, são eles: Umari, em Upanema; Mendubim, em Assu; Campo Grande, em São Paulo do Potengi; Pataxó, em Ipanguaçu; Apanha Peixe, em Caraúbas; o açude público de Riacho da Cruz; Santo Antônio de Caraúbas, em Caraúbas; Passagem, em Rodolfo Fernandes; Beldroega, em Paraú; Malhada Vermelha, em Severiano Melo; Morcego, em Campo Grande; o açude Público de Encanto; Riachão, em Rodolfo Fernandes; Curraes, em Itaú; Corredor, em Antônio Martins; Tesoura, em Francisco Dantas; Dinamarca, em Serra Negra do Norte; e Sossego, em Rodolfo Fernandes.

 

Os mananciais que estão com mais de 90% da sua capacidade são: Marechal Dutra (Gargalheiras), em Acari, com 97,69%; Trairi, em Tangará, com 99,32%; o açude público de Cruzeta, com 90,31%; Dourado, com 98,17%; Gangorra, em Rafael Fernandes, com 98,20%; Flechas, em José da Penha, com 91,30%; Santa Cruz, com 94,47%; Novo Angicos, em Angicos, com 94,32%; Pinga, em Cerro Corá, com 94,43%; e o açude público de Currais Novos, com 99,61% da sua capacidade total.

 

Natal (RN), 20 de abril de 2024

 

GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE
INSTITUTO DE GESTÃO DAS ÁGUAS – IGARN

 

Compartilhe aqui:

Metrópole Parque realiza lançamento do Decola RN

 

O Parque Tecnológico Metrópole Digital (Metrópole Parque) realizou o lançamento do Decola RN powered by InovAtiva, programa que visa oferecer, para empreendedores com negócios em fase inicial, mentorias personalizadas, capacitações e oportunidades de conexões com diversos atores dos ecossistemas locais, além de parceiros nacionais.

 

O evento aconteceu na sede do Metrópole Parque e contou com a participação de empreendedores, servidores, estudantes e representantes de ecossistemas de inovação de diferentes locais do estado. Também estiveram presentes o pesquisador Renan Hubert, represente da InovAtiva Brasil – entidade correalizadora do programa – e os CEOs das empresas Hubbi, WayABA e E-Rentav, negócios que já participaram do programa de aceleração da InovAtiva.

 

A ocasião marcou o início do prazo de inscrição para os empreendedores interessados em participar do Decola RN, que vai selecionar 25 projetos com foco em quem ainda não tem CNPJ e que conta com projeto em fase de ideação ou validação. As inscrições devem ser feitas a partir do link, até o dia 16 de junho.

 

O programa busca dar atenção especial aos empreendimentos do interior do Rio Grande do Norte, que atualmente conta com sete Ecossistemas Locais de Inovação (ELIs), nos municípios de Currais Novos, Caicó, Assu, Mossoró, Pau dos Ferros, Macaíba e Nova Cruz.

 

InovAtiva Brasil

 

O Decola RN é desenvolvido a partir da InovAtiva Brasil, também contando com a realização do Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC) e do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae); além do apoio metodológico da Wadhwani Foundation.

 

Segundo Rodrigo Romão, diretor do Metrópole Parque, espera-se receber um bom número de inscrições, visto que, em ações como o último Startup NE, programa de fomento à inovação, o número de projetos potiguares inscritos chegou a 340. Atualmente, o estado potiguar conta com cerca de 742 startups, segundo levantamento feito pelo Sebrae.

 

De acordo com Edinete Nascimento, analista do Sebrae, a iniciativa tem potencial para beneficiar todo o estado. “Esse programa, além de difundir informações, conexões e conhecimento, serve como uma plataforma de acesso para jovens empreendedores que querem concretizar suas ideias. Tudo isso através de uma metodologia que impulsiona negócios e novas oportunidades para nosso estado”, comenta ela.

 

Apoiadores

 

O evento de lançamento também marcou o início das inscrições para apoiadores do programa. A ideia é recrutar dezenas de profissionais que possam contribuir com o andamento do Decola RN nos próximos meses, exercendo as funções de avaliadores e mentores.

 

Os avaliadores serão responsáveis por selecionar os projetos a serem beneficiados pelo Decola RN. Interessados podem se inscrever no link. Já os mentores são os colaboradores que acompanharão os participantes durante toda a formação do Decola RN, atuando como tutores na condução das atividades. Nesse caso, os interessados podem realizar a inscrição aqui.

 

Além dessas, outras funções previstas são as de apoiadores para realização de eventos, divulgação, incentivo à submissão de propostas, disponibilização de conteúdos sobre empreendedorismo, entre outras. Nesse caso, quem quiser participar pode se candidatar por meio deste link.

 

Compartilhe aqui:

Campanha alerta contra abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes no RN

 

O Governo do Estado, por meio da SETHAS, lança a Campanha “RN FAZ BONITO”. Um alerta sobre abuso e exploração sexual contra crianças e adolescentes que faz parte do 18 de Maio, uma data nacional de mobilização coordenada pela organização Faça Bonito.

 

A campanha dentro do Maio Laranja é extensiva a todos os municípios do RN e secretarias de estado que podem aderir ao combate à violação de direitos acessando o site https://www.facabonito.org/. Lá estão disponíveis materiais para as campanhas locais.

 

O RN FAZ BONITO é composto de peças gráficas banner, wind banner, leque, folder, panfleto e digitais. A parceria é com a organização Faça Bonito que este ano completa a 24ª edição com a mobilização nos estados e municípios.

 

Na SETHAS, a campanha é executada pela Coordenadoria Estadual da Política de Assistência Social (COPAS) e Subcoordenadoria de Proteção Social Especial (PSE).

 

O Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes foi instituído pela Lei Federal 9.970/00, data que demarca a luta pelos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes no território brasileiro e já alcançou centenas de municípios do país.

 

Neste 24º ano a campanha se alicerça no tripé de ações estratégicas a partir de três eixos: pauta técnica, pauta política e mobilização social, explica a subcoordenadora da PSE da SETHAS, Larissa Carvalho. O foco é debater sobre os entraves e os desafios que envolvem a linha da atenção/atendimento integral às crianças, adolescentes e suas famílias, complementa ela.

 

O objetivo, frisa Larissa Carvalho, é que todos os envolvidos na campanha se debrucem mais sobre as múltiplas necessidades para revisitar as políticas voltadas para o atendimento à crianças e aos adolescentes no Brasil. Também destaca a data para mobilizar, sensibilizar, informar e convocar toda a sociedade a participar da defesa dos direitos de crianças e adolescentes.

 

É o momento de revisitar as práticas e compreensões sobre o atendimento às vítimas e testemunhas de violência sexual e quais são os passos após a realização de uma denúncia, explica a subcoordenadora da PSE.

 

De acordo com Larissa Carvalho este é um ocasião para questionamentos sobre a rede de atendimento, passando pela recepção dos casos, compreensão da legislação vigente e de orçamento público é suficiente para a efetivação das políticas públicas nos estados e municípios do país.

 

É necessário e urgente garantir a todas as crianças e adolescentes o direito ao seu desenvolvimento de forma segura, protegida e livre do abuso e da exploração sexual, sentencia Larissa Carvalho.

 

Segundo ela, a violência sexual praticada contra crianças e adolescentes envolve vários fatores de risco e vulnerabilidade quando são observados os marcadores sociais como as relações de gênero, raça/etnia, orientação sexual, classe social, local de moradia (rural ou urbana), condições econômicas e fatores geracionais.

 

Todos enquanto sociedade civil organizada, órgãos públicos e as pessoas em geral devem ficar atentos que na violação de direito são estabelecidas relações de poder nas quais tanto pessoas adultas e/ou redes de exploração utilizam crianças e adolescentes para satisfazerem seus desejos e fantasias sexuais e/ou obterem vantagens financeiras e lucros, ressalta a subcoordenadora da PSE da SETHAS.

 

Nesse contexto, a criança ou adolescente é tratado como “coisa” e não como sujeito de direitos.  Trata-se da “coisificação”, ou ainda, da desumanização das infâncias e das adolescências que ficam desprovidas de humanidade e de proteção. Para Larissa Carvalho, é importante destacar também que a violência sexual está classificada em duas modalidades: o abuso sexual e a exploração sexual.

 

CHAMADA PARA AÇÃO

 

A Campanha desde que foi criada chama atenção para a necessidade de compreensão da exigência do fortalecimento para ações conjuntas.

 

O Comitê Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes e a Rede ECPAT Brasil convocam toda a sociedade brasileira para participação ativa na construção de ações alusivas ao 18 de maio em 2024. A rede de proteção tem o apoio do Fórum Nacional de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil – FNPETI, a Associação Nacional dos Centros de Defesa de Crianças e Adolescentes – ANCED, Fórum Nacional de Defesa dos Direitos de Criança e Adolescentes – Fórum Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente – Fórum Nacional DCA, suas organizações filiadas e as parceiras nacionais e internacionais.

 

SEMINÁRIO

 

No Rio Grande do Norte, sob a coordenação do CONSEC (Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente do RN), diversos atores do Sistema de garantia de direitos se juntaram para realização de um Seminário Estadual “Atendimento e Atenção Integral às crianças, adolescentes e suas famílias em situação de violência sexual no Rio Grande do Norte”, no próximo dia 23 de maio.

 

Participam a SETHAS, Secretarias de Estado da Educação, da Saúde, de Segurança Pública e Defesa Social, Coordenadoria Estadual da Infância e da Juventude de Tribunal de Justiça do RN, Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Justiça de Defesa da Infância e Juventude do Ministério Público do RN, Observatório da População Infantojuvenil em Contextos de Violência e Centro de Referência em Direitos Humanos Marcos Dionísio, ambos da UFRN e Casa Renascer.

 

Reforçamos o chamado para a construção de uma agenda coletiva de ações que pautem as realidades locais do eixo da atenção e que, de forma mais abrangente, recoloquem a pauta do enfrentamento às violências sexuais como prioridade para promoção, garantia e defesa de direitos de crianças e adolescentes, em rede, de forma intersetorial, articulada e com orçamento público assegurado, finaliza Larissa Carvalho.

 

Compartilhe aqui:

Açude Gargalheiras para de sangrar após 36 dias

 

O açude Marechal Dutra, conhecido como Gargalheiras, não está mais sangrando. O reservatório, que há 36 dias atingiu sua capacidade máxima, não tem mais o cenário que levou milhares de turistas a Acari. Na noite da quarta-feira (8), somente a parte mais baixa da parede tinha a água descendo até o “sangradouro”.

 

O reservatório iniciou a sangria no dia 4 de abril. A informação sobre o fim da sangria foi confirmada pelo Instituto de Gestão das Águas do Estado do Rio Grande do Norte (Igarn) nesta quinta-feira (9).

 

Após o período de sangria, o Gargalheiras teve seu volume reduzido. De acordo com dados do Igarn, nesta quinta, o reservatório estava com 98,94% de sua capacidade total. Dos 44.421.480 m³, o açude contabiliza no momento 43.948.659 m³.

 

O açude Gargalheiras é responsável pelo abastecimento da cidade de Acari e complementa o fornecimento de água em Currais Novos. Até meados de fevereiro, existia o risco iminente de escassez de água tratada nessas duas localidades devido ao baixo volume armazenado nos reservatórios. Em 15 de fevereiro deste ano, Gargalheiras e Dourado juntos possuíam menos de 1 milhão de metros cúbicos de água, levando o governo do Estado, em cooperação com a Codevasf (responsável pelas obras), a adiantar a construção do trecho 4-Norte da Adutora Seridó para garantir o abastecimento de 52 mil habitantes das duas cidades.

 

Tribuna do Norte

 

Compartilhe aqui:

Bombeiros de Currais Novos e outras cidades do RN lançam campanha de doação para o Rio Grande do Sul

 

O Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Norte (CBMRN), em parceria com o Governo do Estado e os Correios, abre as portas dos seus quartéis e lança oficialmente, nesta quarta-feira (8), a Campanha “Mãos que Salvam”, destinada a ajudar às vítimas das enchentes no Rio Grande do Sul.

 

A campanha seguirá até o dia de 7 de junho e a população pode colaborar doando alimentos não perecíveis, materiais de limpeza, água sanitária, sabão em pó, panos de chão, desinfetante, lencóis, tolhas de banho e materiais de higiene pessoal, deixando os itens em qualquer Quartel do Corpo de Bombeiros Militar, na capital e interior do Estado.

 

Para o comandante-geral do CBMRN, coronel Monteiro, o povo potiguar é conhecido pela humanidade e sensibilidade a quem mais precisa, e não temos dúvidas que iremos arrecadar toneladas de doações que irão diminuir o sofrimento da população do Rio Grande do Sul. “Já começamos a campanha com mais de 20 toneladas de doações que haviam sido entregues pelas mães na Caminhada da Mãe Potiguar, realizada no última sábado (4) e iremos acrescentar muito mais com ajuda de todos. É uma corrente do bem e todos estão envolvidos”, disse o coronel.

 

Coordenação Geral da Campanha:

Coronel Denise Figueiredo (84) 98106-7733

 

LOCAIS DE ENTREGA DAS DOAÇÕES NOS QUARTÉIS DO CBMRN

 

CURRAIS NOVOS – Rua Dr. João Dutra de Almeida – Currais Novos.

NATAL – Av. Prudente de Morais, 2410, Barro Vermelho;

PARNAMIRIM – Rua Padre João Maria, 06 – Cohabinal;

SÃO GONÇALO DO AMARANTE – BR – 101 Norte, Distrito Industrial de São Gonçalo do Amarante (próximo a Indústria Textil Guararapes);

MOSSORÓ – Rua Felipe Camarão, Bairro Aeroporto, S/N;

APODÍ – Rodovia BR 405, ao lado do Posto Lajeado;

PAU DOS FERROS – Rodovia BR 405, Km 03, nº 1997, Bairro Arizona;

ASSÚ – Rua Antônio Basílio Quaresma nº 77, Bairro Novo Horizonte;

CAICÓ – Rodovia RN 228, KM 49, Aeródromo Rui Mariz, Bairro Samanau;

 

Compartilhe aqui:

RN: semana deve ser de céu parcialmente nublado e temperaturas de até 37ºC

 

No Rio Grande do Norte, de segunda (6) a sexta-feira (10), os estudos do Portal Clima Tempo a prevalência de Sol com algumas nuvens em todas as regiões e chuvas passageiras. As temperaturas não devem ultrapassar os 37ºC. Os dados foram compilados nesta segunda, e pode sofrer alterações no decorrer dos dias.

 

Natal

 

Na capital, a semana deve iniciar com a segunda em um tempo de Sol com algumas nuvens e chuvas rápidas durante o dia e à noite. Já de terça (7) a quinta-feira (9), os natalenses podem esperar Sol com muitas nuvens durante o dia, períodos de nublado e chuva a qualquer hora. A sexta será de Sol com algumas nuvens, chuva passageira durante o dia, e à noite o tempo fica firme. A chance de precipitações ficam entre 52 e 38%. As temperaturas devem variar entre a mínima de 24ºC e a máxima de 31ºC.

 

Mossoró

 

Para a Região Oeste, a expectativa que de segunda a quarta-feira (8) seja de Sol e aumento de nuvens de manhã, pancadas de chuva à tarde, e à noite o tempo fica aberto. Já de quinta a sexta-feira, será esperado Sol e aumento de nuvens de manhã, com pancadas de chuva à tarde e à noite. As temperaturas variam entre 23ºC e 34ºC.

 

Caicó

 

No Seridó, de segunda a sexta-feira, a previsão não terá alterações. Será uma semana de Sol e aumento de nuvens de manhã, com pancadas de chuva à tarde, e à noite o tempo fica aberto. As chances de precipitações variam entre 8 e 24%. Enquanto isso, as temperaturas devem ficar entre a mínima de 23ºC e máxima de 36ºC.

 

Tribuna do Norte

 

Compartilhe aqui:

Terceiro maior reservatório do RN, Barragem de Umari volta a sangrar

 

A Barragem Senador Jessé Pinto Freire, mais conhecida como Barragem de Umari, localizada em Upanema, no Oeste potiguar, atingiu a capacidade máxima neste sábado (04). A última sangria do reservatório, o terceiro maior do Rio Grande do Norte, aconteceu em 09 de abril do ano passado.

 

O registro do momento de vertedouro da barragem foi capturado em vídeo durante a manhã, com a queda d’água ao longo da parede do reservatório. A estrutura tem capacidade total de 292.813.650 metros cúbicos de armazenamento.

 

No relatório do dia 15 de fevereiro da Instituto de Gestão das Águas (Igarn), o reservatório estava com 219.149.906 m³, percentualmente, 74,84% da sua capacidade total.

 

Quando consideradas todas as reservas hídricas superficiais do RN, que correspondem à somatória dos volumes das barragens e açudes monitorados pelo Igarn, o volume chega a acumulam 3.409.233.773 m³, percentualmente, 75,38% da capacidade total, que é de 4.438.663.499 m³.

.

Compartilhe aqui:

Barragem Armando Ribeiro Gonçalves acumula mais de 80% da sua capacidade total

 

O Governo do Estado do Rio Grande do Norte, por meio do Instituto de Gestão das Águas do RN (Igarn), realiza o monitoramento dos principais reservatórios responsáveis pelo abastecimento e atendimento às diversas necessidades de uso dos municípios potiguares.

 

O Relatório dos Volumes dos Principais Reservatórios do RN, divulgado nesta quinta-feira (02), indica que a barragem Armando Ribeiro Gonçalves acumula 1.907.257.611 m³, percentualmente, 80,37% da sua capacidade total, que é de 2.373.066.000 m³. No dia 15 de fevereiro, o manancial estava com 1.230,56 bilhão de m³, equivalentes a 51,86% da sua capacidade total.

 

A barragem Santa Cruz do Apodi, segundo maior manancial do RN, acumula 482.198.850 m³, correspondentes a 80,41% da sua capacidade total, que é de 599.712.000 m³. Em meados de fevereiro, o reservatório acumulava 344.622.360 m³, equivalentes a 57,46% da sua capacidade total.

 

A barragem Umari, localizada em Upanema, acumula 287.383.458 m³, equivalentes a 98,15% da sua capacidade total, que é de 292.813.650 m³. No relatório do dia 15 de fevereiro, o reservatório estava com 219.149.906 m³, percentualmente, 74,84% da sua capacidade total.

 

As reservas hídricas superficiais totais do RN, que correspondem à somatória dos volumes dos reservatórios monitorados pelo Igarn, acumulam 3.409.233.773 m³, percentualmente, 75,38% da capacidade total, que é de 4.438.663.499 m³.

 

Os mananciais monitorados pelo Igarn, com capacidades superiores a 5 milhões de metros cúbicos,  que permanecem com 100% da sua capacidade, são: Mendubim, em Assu; Marechal Dutra (Gargalheiras), em Acari; Trairi, em Tangará; Campo Grande, em São Paulo do Potengi; Pataxó, em Ipanguaçu; Dourado, Currais Novos; Apanha Peixe, em Caraúbas; o açude público de Riacho da Cruz; Santo Antônio de Caraúbas, em Caraúbas; Passagem, em Rodolfo Fernandes; Beldroega, em Paraú; Malhada Vermelha, em Severiano Melo; e o açude público de Encanto.

 

Outros mananciais monitorados que permanecem sangrando, são: Riachão, em Rodolfo Fernandes; Pinga, em Cerro Corá; Tesoura, em Francisco Dantas; Dinamarca, em Serra Negra do Norte; Sossego, em Rodolfo Fernandes; e Francisco Cardoso (Mulungu), em Currais Novos.

 

Reservatórios que estão com mais de 90% da sua capacidade total, são: o açude público de Cruzeta, que está com 92,49%; Gangorra, em Rafael Fernandes, com 95,80%; e Morcego, em Campo Grande, com 97,48%.

 

Alguns açudes já sangraram nesta quadra chuvosa e permanecem próximos da sua capacidade máxima, casos de Santa Cruz do Trairi, que está com 97,74%; Novo Angicos, com 98,87%; Curraes, em Itaú, com 99,92% e o açude público de Currais Novos, acumula 99,61% da sua capacidade total.

 

O açude Boqueirão de Parelhas acumula 24.592.861 m³, percentualmente, 29% da sua capacidade total, que é de 84.792.119 m³. Em meados de fevereiro o manancial estava com 5,81% da sua capacidade total.

 

A barragem de Poço Branco acumula 103.590.252 m³, correspondentes a 76,17% da sua capacidade total, que é de 136 milhões de metros cúbicos. Em 15 de fevereiro, o manancial estava com 25,55% da sua capacidade total.

 

Compartilhe aqui:

Chuvas acima da média reduzem áreas de seca no RN

 

As chuvas acima da média ao longo do ano de 2023 e nos primeiros meses de 2024 causaram redução das áreas afetadas pelo fenômeno da seca no Rio Grande do Norte. Apenas 8 dos 167 municípios do estado estão classificados na categoria de seca fraca.

 

Isso é o que aponta o levantamento mais recente do Monitor de Secas, coordenado pela Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA), referente ao mês de março de 2024. Todas as cidades listadas estão localizados na região do Alto Oeste Potiguar, perto das divisas do estado com o Ceará e Paraíba.

 

Os municípios que ainda enfrentam seca no RN são:

 

Paraná,

Major Sales,

Luís Gomes,

Riacho de Santana,

Coronel João Pessoa,

Venha-Ver

São Miguel

 

Compartilhe aqui:

Terceiro maior reservatório do RN atinge 98,35% da capacidade

 

A terceira maior barragem do Rio Grande do Norte, a de Umari, localizada em Upanema, alcançou, nesta segunda-feira (29), 98,35% de sua capacidade total, faltando apenas 16 cm para sangrar. O reservatório possui capacidade para acumular cerca de 292.813.650 m³ e, atualmente, acumula o volume de 287.986.813 m³.

 

De acordo com o Instituto de Gestão das Águas do Rio Grande do Norte (Igarn), a barragem Armando Ribeiro Gonçalves, acumula 1.892.922.068 m³, percentualmente, 79,77% da sua capacidade total, que é de 2.373.066.000 m³.

 

Já a barragem Santa Cruz do Apodi, acumula 481.938.200 m³, equivalentes a 80,36% da sua capacidade total, que é de 599.712.000 m³.

 

Tribuna do Norte

 

Compartilhe aqui:

De 63 reservatórios monitorados pelo Igarn, 21 chegam a 100% da capacidade total

 

Dos 63 reservatórios monitorados pelo Instituto de Gestão das Águas do Estado do Rio Grande do Norte (Igarn), 21 apresentam 100% de capacidade, e outros 9 com 80% do volume atingido. O marco foi alcançado após a grande quantidade de chuvas que o RN recebeu no últimos meses.

 

De acordo com o Igarn, em janeiro deste ano a média geral do acúmulo de água nos reservatórios já era a melhor que em 12 anos no RN. Segundo o presidente da Instituto, Paulo Sidney, espera-se que este ano seja alcançado o recorde histórico de volume de água acumulada nos reservatórios, que ocorreu pela última vez em 2011.

 

No começo do mês, o açude Marechal Dutra, conhecido como Gargalheiras, finalmente atingiu sua cota máxima e “sangrou” após 13 anos. Localizado em Acari, o açude comporta 44.421.480,38 m³ de capacidade.

 

O maior reservatório hídrico do Rio Grande do Norte, a barragem Armando Armando Ribeiro Gonçalves, está com 77,51% de sua capacidade total de volume de água, segundo dados da última segunda-feira 22.

De acordo com Departamento Nacional de obras contra as secas (DNOCS), o Açude Engenheiro Armando Ribeiro Gonçalves contribui para o abastecimento de cerca 500 mil pessoas. A barragem está localizada na bacia hidrográfica do rio Piranhas-Açu e abrange os municípios de Itajá, São Rafael e Jucurutu.

 

Os reservatórios que chegaram ao marco de 100% até agora são: Mendubi (Assu), Campo Grande (São Paulo do Potengi), Pataxó (Ipanguaçu), Dourado (Currais Novos), Apanha Peixe (Caraúbas), Apanha Peixes (Caraúbas), Riacho da Cruz II (Riacho da Cruz), Santo Antônio de Carúbas (Caraúbas), Passagem (Rodolfo Fernandes), Beldroega (Paraú), Malhada Vermelha (Severiano Melo), Encanto (Encanto), Marechal Dutra “Gargalheiras” (Acarí), Trairi (Tangará), Dinamarca (Serra Negra do Norte), Novo Angicos (Angicos), Riachão (Rodolfo Fernandes), Curraes (Itaú), Pinga (Cerro Corá), Tesoura (Francisco Dantas), Sossego (Rodolfo Fernandes), Francisco Cardoso (Currais Novos).

 

Os que chegaram a mais de 80% de seu volume são: Cruzeta (Cruzeta), Rodeador (Umarizal), Boqueirão de Angicos (Afonso Bezerra), Gangorra (Rafael Fernandes), Flechas (José da Penhas), Morcego (Campo Grande), Santa Cruz do Trairi (Santa Cruz), Corredor (Antônio Martins), Currais Novos (Currais Novos).

 

Outros reservatórios que estão com um bom volume são o de Pau dos Ferros, com um percentual de 71,82%, e Poço Branco, com 74,87%.

 

Compartilhe aqui:

Globo: Programa de Ana Maria Braga destaca trabalho realizado pelas bordadeiras de Timbaúba dos Batistas nos uniformes da delegação olímpica

 

O programa “Mais Você” da TV Globo, apresentado por Ana Maria Braga, trouxe na edição desta segunda-feira (22) o trabalho realizado pelas bordadeiras de Timbaúba dos Batistas nos uniformes da delegação olímpica dos jogos de Paris.

 

Na oportunidade, a famosa apresentadora recebeu de presente a jaqueta oficial da delegação, e um bastidor exclusivamente bordado com a logo e o mascote do programa televisivo, presente da bordadeira Jailma.

 

A gestão de Timbaúba dos Batistas segue empenhada em fortalecer a arte, fazendo-a reconhecida em todos os lugares do mundo.

 

Compartilhe aqui:

Primeira morte por dengue é registrada no RN em 2024

 

O Rio Grande do Norte registrou a primeira morte por dengue em 2024. A morte ocorreu em março, e a confirmação da causa veio na última semana por meio da Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap).

 

A vítima, uma mulher residente em Itaú, na região do Alto Oeste potiguar, foi internada no hospital de Pau dos Ferros, conforme confirmado pela família.

 

Conforme dados do mais recente boletim epidemiológico, o estado já contabiliza 15.183 casos prováveis de dengue, dos quais 2.281 já foram confirmados. É importante destacar que o número de casos prováveis neste ano já ultrapassa o total registrado durante todo o ano de 2023, quando foram relatadas 12.048 ocorrências.

 

Nesta quinta-feira, o Ministério da Saúde emitiu orientações para a ampliação da faixa etária para a vacinação contra a dengue. A Sesap, por sua vez, recomendou que os municípios sigam essa orientação, visando combater a propagação da doença e proteger a população vulnerável.

 

Compartilhe aqui:

Barragem Umari acumula 95,36% da sua capacidade total

.

O Governo do Estado do Rio Grande do Norte, por meio do Instituto de Gestão das Águas do RN (Igarn), realiza o monitoramento dos principais reservatórios responsáveis pelo abastecimento e atendimento às diversas necessidades de uso dos municípios potiguares. O Relatório dos Volumes dos Principais Reservatórios do RN, divulgado nesta terça-feira (16), indica que a barragem Umari, localizada em Upanema, acumula 279.238.166 m³, percentualmente, a 95,36% da sua capacidade total, que é de 292.813.650 m³. No ano passado, o reservatório completou 100% da sua capacidade no dia 09 de abril.

.

As reservas hídricas superficiais totais do RN acumulam 3.245.295.216 m³, percentualmente, 71,75% da sua capacidade, que é de 4.522.931.699 m³. Este é o maior volume acumulado desde 2012.

.

A barragem Armando Ribeiro Gonçalves, maior reservatório do RN, já acumula 1.785.498.729, correspondentes a 75,24% da sua capacidade total, que é de 2.373.066.000 m³. Esta é o maior volume de águas acumulado no manancial dos últimos 12 anos.

.

A barragem Santa Cruz do Apodi acumula 468.123.750 m³, percentualmente, 78,06% da sua capacidade, total, que é de 599.712.000 m³. Este é o maior volume acumulado no manancial desde 2012.

.

O açude Público de Cruzeta acumula 21.492.127 m³, equivalentes a 91,28% da sua capacidade total, que é de 23.545.745 m³.   Desde 2011 o manancial não acumula esse volume de reservas hídricas.

.

O reservatório Rodeador, localizado em Umarizal, acumula 17.316.794 m³, percentualmente 80,91% da sua capacidade total, que é de 21.403.849 m³.

.

O açude Boqueirão de Angicos, localizado em Afonso Bezerra, é outro manancial que já passa dos 80% da sua capacidade. O reservatório está acumulando 13.011.785 m³, correspondentes a 81,23% da sua capacidade total, que é de 16.018.307 m³.

.

Em José da Penha, o açude Flechas acumula 7.510.075 m³, equivalentes a 83,91% da sua capacidade total, que é de 8.949.675 m³.

.

O açude Corredor, em Antônio Martins, acumula 4.390.270 m³, percentualmente, 94,56% da sua capacidade total, que é de 4.643.000 m³.

.

Atualmente, 23 reservatórios monitorados pelo Igarn, estão com 100% da sua capacidade, 14 deles com mais de 5 milhões de metros cúbicos, são eles: Mendubim, em Assu; com capacidade para 77.600.250 m³; Marechal Dutra (Gargalheiras), em Acari, com 44.421.480 m³; Trairi, em Tangará, com 35.230.000 m³; Campo Grande, em São Paulo do Potengi, com 23.139.587 m³; Pataxó, em Ipanguaçu, com 15.017.379 m³; Dourado, em Currais Novos, com 10.321.600 m³; Apanha Peixe, em Caraúbas, com 10.000.000 m³; o açude público de Riacho da Cruz, com 9.604.200 m³; Santo Antônio de Caraúbas, em Caraúbas, com 8.538.108 m³; Passagem, em Rodolfo Fernandes, com 8.273.877 m³; Beldroega, em Paraú, com 8.057.520 m³; Malhada Vermelha, em Severiano Melo, com 7.537.478 m³; o açude público de Encanto, com 5.192.538 m³; e Santa Cruz do Trairi, em Santa Cruz, com 5.158.750 m³.

.

O açudes monitorados pelo Igarn, que possuem capacidades inferiores a 5 milhões de metros cúbicos e que estão sangrando são: Novo Angicos, em Angicos, com 4.245.061 m³; Riachão, em Rodolfo Fernandes, com 4.136.000 m³; Curraes, em Itaú, com 4.019.400 m³; Pinga, em Cerro Corá, com 3.952.610 m³; Tesoura, em Francisco Dantas, 3.931.000 m³; o açude público de Currais Novos, com 3.815.000 m³; Dinamarca, em Serra Negra do Norte, com 2.724.425 m³; Sossego, em Rodolfo Fernandes, com 2.350.000 m³; e Francisco Cardoso (Mulungu), em Currais Novos, 1.617.649 m³.

.

Compartilhe aqui:

16 reservatórios do RN seguem com 100% da capacidade

 

Atualmente, 16 reservatórios monitorados pelo Instituto de Gestão de Águas do Rio Grande do Norte (Igarn) estão com 100% da sua capacidade, sendo 12 destes com capacidades superiores a 05 milhões de metros cúbicos. Os dados foram divulgados nessa terça-feira (09).

 

Os reservatórios são: o açude público de Encanto; Mendubim, em Assú; Campo Grande, em São Paulo do Potengi; Pataxó, em Ipanguaçu; Dourado, em Currais Novos; o açude público de Riacho da Cruz; Passagem, em Rodolfo Fernandes; Beldroega, em Paraú; Malhada Vermelha, em Severiano Melo; Marechal Dutra (Gargalheiras), em Acari; Apanha Peixe, em Caraúbas; Santa Cruz do Trairi, em Santa Cruz.

 

Os açudes monitorados pelo Igarn, que possuem capacidades inferiores a 5 milhões de metros cúbicos e estão com 100% da sua capacidade são: Novo Angicos, em Angicos; Riachão, em Rodolfo Fernandes; Curraes, em Itaú; Pinga, em Cerro Corá; Tesoura, Francisco Dantas; o açude Currais Novos, em Currais Novos; Dinamarca, em Serra Negra do Norte; e Francisco Cardoso (Mulungu), localizado em Currais Novos.

 

Compartilhe aqui:

Hospital Universitário Onofre Lopes realiza sonho de paciente internada de participar da colação de grau

 

O Hospital Universitário Onofre Lopes (Huol/UFRN), administrado pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), realizou o desejo de uma paciente internada com doença neurológica crônica de ir à solenidade de sua colação de grau. O evento aconteceu na tarde do último sábado, 6, no campus Zona Norte do Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN), em Natal/RN. A ação foi realizada por uma equipe multidisciplinar do hospital para garantir a segurança e o conforto da paciente.

 

Raylly Victoria Fernandes Freitas, de 18 anos, foi diagnosticada entre os seis e oito anos de idade com a Doença de Pompe (DP), enfermidade neurológica crônica. Sua internação ocorreu quando ela estava concluindo o ensino médio e técnico no IFRN. “É um sonho, é tudo muito maravilhoso. Ela sempre sonhou muito, graças a Deus deu tudo certo, e isso é muito satisfatório”, expressou Rayanny Fernandes, mãe da estudante.

 

O pedido dela e da mãe de ir à colação de grau sensibilizou a equipe médica do Huol para viabilizar esse momento especial. “A equipe buscou os meios de viabilizar o sonho da paciente, com respeito aos aspectos de segurança clínica e jurídica. Mediante articulação prévia com o IFRN, o Huol disponibilizou uma equipe de suporte médico avançado para proporcionar o transporte seguro da paciente até o evento, mantendo-se a postos para atuação diante de intercorrências”, explicou o chefe da Divisão de Gestão do Cuidado, Raphael Nepomuceno Galvão.

 

Paulo Brito, neurologista do Hospital Universitário, conta que inicialmente temeu a ida da paciente à cerimônia por achar que a medida seria perigosa, porém, viu a necessidade de Raylly vivenciar esse momento. “Quando ela fez esse pedido de sair do hospital para ir para a formatura dela, o primeiro movimento institucional que fizemos foi mais conservador; de evitar o risco. Mas ela foi tão insistente e já enfrentou tantos obstáculos na vida, que chegamos à conclusão que não poderíamos ser mais um obstáculo na vida dela”, comenta.

 

A paciente foi acompanhada por uma equipe composta por médico neurologista, enfermeiro assistencial e um fisioterapeuta. O IFRN disponibilizou um espaço adequado para dar suporte aos equipamentos e conforto à paciente antes da entrada para colação de grau. Na ocasião, foi dada a priorização da formanda no ato simbólico da entrega do diploma.

 

 

História com o Huol

 

De acordo com Raphael Nepomuceno, a paciente é acompanhada no hospital desde os quatro anos de idade. Com isso, naturalmente foi desenvolvida uma forte relação de afeto e confiança entre Raylly, a família e a equipe médica. “Ela possui uma doença rara, incurável. Deu entrada em novembro de 2023 por insuficiência respiratória e atualmente encontra-se acamada. Tem necessidade de suporte ventilatório por traqueostomia e dieta por gastrostomia. Possui condições de alta hospitalar, mas aguarda judicialização para estruturação de home care”, disse.

 

A superintendente do Huol, Eliane Pereira, relata que o hospital tem o propósito de cuidar, com qualidade e atendimento humanizado. “Esses sonhos precisam ser realizados. Nós sempre nos empenhamos para realizar o sonho do paciente. Consideramos que esse desejo, que ela guarda no coração, é muito importante até para a recuperação, para a integração com a família e também para a realização pessoal.  É nosso propósito e está na nossa visão enquanto hospital universitário e de referência em alta complexidade aqui no Rio Grande do Norte”, declara.

 

Compartilhe aqui:

Barragem Armando Ribeiro Gonçalves chega a 70% da capacidade

 

No vale do Açu, a barragem Armando Ribeiro Gonçalves atingiu 70,46% de sua capacidade de armazenamento nesta segunda-feira 8, conforme indicado pelo Sistema de Acompanhamento de Reservatórios (SAR).

 

Este é o maior reservatório do Rio Grande do Norte, com um acumulado de 1,672 bilhão de metros cúbicos de água, de uma capacidade total de cerca de 2,4 bilhões de metros cúbicos. Desde 2011, a barragem não alcançava sua capacidade máxima.

 

Nos últimos três dias, a barragem registrou um acréscimo de aproximadamente 44 milhões de metros cúbicos de água, equivalente à capacidade total do açude Marechal Dutra, popularmente conhecido como Gargalheiras, em Acari, que começou a sangrar pela primeira vez em 13 anos na semana passada.

 

A segunda maior barragem do estado, a de Santa Cruz do Apodi, também viu um aumento em sua capacidade, atingindo 74,01%. O volume atual supera os 443 milhões de metros cúbicos.

 

No geral, os reservatórios do Rio Grande do Norte agora possuem um volume equivalente a 66,6% de sua capacidade total, conforme apontado pelo levantamento do SAR, que é administrado pela Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA).

 

Situação dos três maiores reservatórios do RN

 

Armando Ribeiro Gonçalves
Capacidade: 2.373.066.000 m³
Volume Atual: 1.672.084.667 m³
Percentual: 70,46%

 

Santa Cruz do Apodi
Capacidade: 599.712.000 m³
Volume Atual: 443.883.300 m³
Percentual:74,01%

 

Umari
Capacidade: 292.813.650 m³
Volume Atual: 266.869.390 m³
Percentual: 91,13%

 

Com informações da Tribuna do Norte

 

Compartilhe aqui:

Gravuras de povos sertanejos com 9 mil anos retratam pegadas de dinossauros

 

Pesquisadores brasileiros apresentaram um estudo em que descrevem gravuras rupestres de até 9 mil anos, associadas a pegadas de dinossauros de milhões de anos. As gravuras foram feitas por povos pré-coloniais no sertão da Paraíba e algumas delas imitam as pegadas desse animais.

 

A pesquisa avaliou os achados de três áreas do sítio Serrote do Letreiro, localizado em Sousa (PB), que compreende uma área de 15 mil m².

 

É em Sousa, por sinal, que está o Vale dos Dinossauros e suas famosas pegadas fossilizadas do período Cretáceo Inferior, entre 130 e 145 milhões de anos.

 

Mundo visto pelos ancestrais

 

As gravuras do sítio revelam um mundo visto pelos povos ancestrais, que usaram as rochas ao lado das pegadas para fazer arte. Para os pesquisadores, trata-se de um indício da relação que essas etnias pré-coloniais tinham com esses vestígios fósseis.

 

“A identificação de gravuras como tridígitos [três dedos], que reproduzem iconicamente as pegadas de dinossauros, fornece evidência adicional da possível assimilação cultural do registro fóssil”, Trecho do estudo.

 

Em alguns casos, os pesquisadores descrevem uma “proximidade extrema” entre as artes rupestres e as pegadas no sítio, algumas a uma distância de 10 cm.

 

As pinturas são atribuídas a “vários indivíduos”, já que há uma “variação razoável de estilo observada.” Os achados foram publicados no período “Science Reports”, da Nature.

 

Com informações do UOL

 

Compartilhe aqui: