10/11/2018
Por Edilson Silva em Brasil, Policial, Política

Política: Preso na Operação Capitu tentou jogar dinheiro na privada quando a PF chegou

O advogado Mateus de Moura Lima Gomes, que foi diretor vice-presidente da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) e é um dos presos na Operação Capitu, deflagrada pela Polícia Federal (PF) nesta sexta-feira (9), jogou cerca de R$ 3 mil na privada quando os agentes chegaram em sua casa no condomínio Vale do Sereno, em Nova Lima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

A Polícia Federal prendeu na manhã desta sexta, o vice-governador de Minas Gerais, Antonio Andrade (MDB), e os executivos da JBS Joesley Batista e Demilton de Castro em uma operação que investiga suposto esquema de corrupção no Ministério da Agricultura. As informações são da Folha de S.Paulo e portal Globo.

A PF também faz buscas no gabinete de Andrade. No total, são 62 mandados de busca e apreensão em Minas, São Paulo, Rio de Janeiro, Paraíba e Mato Grosso do Sul.

A operação, um desdobramento da Lava Jato, foi batizada de Capitu e é baseada na delação do doleiro Lúcio Funaro, apontado como operador do MDB, sobre supostos pagamentos de propina a servidores públicos e políticos no Ministério da Agricultura nos anos de 2014 e 2015. À época, Andrade era ministro da Agricultura.

Segundo as investigações, havia um esquema de arrecadação de propina dentro do Ministério da Agricultura para beneficiar políticos do MDB, que recebiam dinheiro da JBS, que pertencem aos irmãos Joesley e Wesley Batista, em troca de medidas para beneficiar as empresas do grupo.

Com informações do G1


16/10/2018
Por Edilson Silva em Policial

Ibope: Para eleitores, Bolsonaro é quem mais defende os ricos e Haddad, os pobres

pesquisa Ibope/Estado/TV Globo mostra que a maioria do eleitorado do País identifica o candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, como o principal representante dos interesses dos ricos, dos bancos, agricultores e dos empresários no segundo turno, enquanto Fernando Haddad (PT) é o mais associado à defesa dos pobres, dos trabalhadores e das mulheres.

O Ibope perguntou aos entrevistados “quem representa melhor os interesses” de uma série de setores. Em relação aos ricos, 65% responderam Bolsonaro, ante 22% de Haddad. Entre os eleitores que ganham mais de cinco salários mínimos, o presidenciável do PSL é visto por 70% como representante da elite.

Já o candidato do PT lidera como defensor dos interesses dos eleitores de menor poder aquisitivo, com 48% a 37% de Bolsonaro. No segmento com até um salário mínimo de renda, o porcentual atribuído a Haddad chega a 62%.

O Ibope avaliou a imagem dos candidatos como defensores dos seguintes temas: agricultura (42% Bolsonaro ante 40% de Haddad), defesa do meio ambiente (40% Bolsonaro e 39% para Haddad), aposentados (39% para Bolsonaro, 44% para Haddad) e jovens (46% Bolsonaro, ante 39% de Haddad).

Essas diferenças de imagem também se manifestam em relação à defesa dos empresários, dos bancos e dos trabalhadores. De acordo com o Ibope, Bolsonaro é considerado pela maioria um defensor dos interesses do empresariado (65%) e dos bancos (54%), enquanto seu rival é mais relacionado a pautas dos trabalhadores (47%).

Perfil. O perfil de cada candidato indicado pela pesquisa vai ao encontro do resultado da votação do primeiro turno. Enquanto o capitão reformado liderou em cidades com índice de desenvolvimento mais alto, ou seja, mais ricas, o petista teve o eleitorado concentrado em municípios com IDH menor. Historicamente, o voto antipetista se concentra mais entre eleitores brancos, mais escolarizados e de renda mais alta.

Com a rejeição maior a Bolsonaro entre o eleitorado feminino, Haddad é visto pela maior parte como o principal representante dos interesses das mulheres: 48% têm essa imagem do petista, ante 37% do PSL.

O Ibope ouviu 2.506 eleitores nos dias 13 e 14 de outubro. A margem de erro é de dois pontos porcentuais para mais ou para menos, e o intervalo de confiança é de 95%. Isso significa que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral, considerando a margem de erro. O registro na Justiça Eleitoral foi feito sob o protocolo BR-01112/2018. Os contratantes foram o Estado e a TV Globo.

Repercussão. Para o cientista político Jairo Pimentel, pesquisador do Centro de Política e Economia do Setor Público (Cepesp) da Fundação Getulio Vargas (FGV), os números do Ibope mostram que Haddad só conseguiria vencer a eleição se retirasse votos de Bolsonaro. “Mesmo se Haddad conseguisse reverter a totalidade de brancos, nulos e indecisos, Bolsonaro venceria. O mercado eleitoral disponível para Haddad parece ser bem pequeno. Ele tem de ir atrás mesmo é do eleitorado de Bolsonaro”, disse Pimentel.

De acordo com o Ibope, votos em branco e nulos somaram 9%, enquanto 2% dos consultados se mostraram indecisos.

Já o professor Antonio Alkmim, da PUC-RJ, disse ver um quadro praticamente definido a favor de Bolsonaro. Em sua avaliação, apenas um fato novo e de forte impacto poderia tirar a diferença entre os dois candidatos a 13 dias da votação.

“O que podemos ver é que existe aí um teto do Bolsonaro, se compararmos com as pesquisas da semana passada. Ao mesmo tempo, a rejeição dele cai, enquanto a de Haddad aumenta. Faltando 13 dias para a eleição, existe um quadro quase que consolidado, a não ser que ocorra algo de forte impacto na campanha”, afirmou.

Para ele, a possível migração de votos de outros concorrentes, como Ciro Gomes (PDT) e Marina Silva (Rede), já ocorreu em direção ao petista e é raro que as intenções de voto mudem de trajetória no segundo turno.


12/09/2018
Por Edilson Silva em Policial

Advogada negra é algemada durante confusão em audiência no RJ

Policiais militares algemaram e prenderam uma advogada negra durante audiência no 3º Juizado Especial Cível de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, na terça-feira (11/9).

A confusão teve início depois que uma juíza leiga identificada como Ethel de Vasconcelos e a advogada Valéria dos Santos se desentenderam sobre incluir ou não uma contestação no processo em análise. A discussão foi gravada em vídeos e revelada pela TV Globo.

Imagens mostraram a advogada Valéria dos Santos discutindo com a juíza leiga, que afirmava querer encerrar a sessão, enquanto a advogada alegava ainda não ter terminado o trabalho dela e feito as contestações do caso.

A discussão prosseguiu, e a juíza pediu que a advogada se retirasse da sala. Ela afirmou que não sairia antes da chegada do representante da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), responsável por atuar em casos de suspeita de desrespeito ao trabalho dos profissionais da classe. A juíza afirmou que ela tinha que esperar o delegado da OAB fora da sala. Diante do impasse, a juíza resolveu chamar a polícia.

Algemada, a advogada foi levada para o corredor. Ela chegou a ser levada para a delegacia de Duque de Caxias e só foi libertada quando o delegado da OAB mandou retirar as algemas. A Ordem afirmou que vai pedir o afastamento da juíza e dos dois policiais que aparecem nas imagens.

Racismo
Ao comentar após o ocorrido, Valéria dos Santos afirmou ter sentido um “certo desdém” da profissional que conduzia a audiência. “Não quero colocar a questão do racismo. Quando falamos em racismo, as pessoas falam que é “mimimi”. Não quero isso. Sou mulher e preciso trabalhar. Não tem ninguém que me sustenta”, disse, conforme divulgado pela plataforma Universa.

Em entrevista ao portal jurídico Jota, Valéria afirmou que, antes mesmo do início da audiência, já havia percebido que estava sendo vítima de racismo. “A juíza leiga perguntou se [eu e a cliente] éramos irmãs, talvez pelo fato de nós duas sermos negras. Minha cliente teve de falar: olha, ela é minha advogada”, relatou.

OAB-RJ

Em entrevista, o presidente da Comissão de Prerrogativas da OAB-RJ, Luciano Bandeira, afirmou que a detenção da advogada gerou “perplexidade e indignação”.

“É algo que não ocorria nem na ditadura militar: uma advogada no exercício da profissão presa e algemada dentro de uma sala de audiência. Isso é inconcebível, é uma afronta ao Estado de Direito, à advocacia brasileira e ao direito de defesa”, disse. “Nada justifica o que ocorreu. Mesmo que a advogada estivesse errada em algo, caberia à magistrada registrar essas eventuais falhas em ata, jamais fazer o que fez”, completou.

Veja a íntegra da reação da OAB-RJ:


10/06/2018
Por Edilson Silva em Policial, Política, RN

Dama de Espadas: Delação de Ritinha homologada por Fachin envolve 52 políticos e desembargadores

Dez desembargadores (sendo dois aposentados), quatro ex-governadores, o atual governador Robinson Faria, dois senadores, cinco deputados federais, um ex-deputado federal, dois senadores, um ex-senador, deputados estaduais, oito Conselheiros do Tribunal de Contas do Estado (sendo três já aposentados) e outros políticos são citados nas Colaborações Premiadas da ex-procuradora-geral da Assembleia Legislativa, Rita das Mercês, e cinco familiares.

Os agentes políticos e membros do judiciário são apontados como supostos beneficiados e mandantes do esquema de inclusão de servidores fantasmas no quadro da Assembleia Legislativa.

A delação de Ritinha e familiares foi firmada com o Ministério Público Federal e homologada pelo Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin.

Os depoimentos das testemunhas de acusação da Operação Dama de Espadas começam em 28 de junho.

A advogada de Ritinha já confirmou à Tribuna do Norte que as provas serão confirmadas em juízo.

Todos os detalhes da delação de Rita estão na edição impressa da Tribuna do Norte.


10/06/2018
Por Edilson Silva em Policial, Política

Corrupção no RN – Rita das Mercês aponta Robinson Faria como principal beneficiário dos desvios na Assembleia Legislativa

O desvio de dinheiro da Assembleia Legislativa, segundo o relato da ex-Procuradoria-Geral Rita das Mercês, em delação firmada com o MPF e homologada pelo Ministro do STF, Edson Fachin, teve início em 2006 com o objetivo de arrecadar dinheiro para o então presidente da AL e atual governador Robinson Faria (PSD).

Rita disse que o esquema teria seguido na gestão dos ex-presidentes da Casa, Ricardo Motta e Ezequiel Ferreira.

Outro lado

Robinson Faria: a defesa representada pelo advogado José Luís Oliveira Lima não se pronunciou ainda e a assessoria do Governo do Estado disse que não irá se pronunciar sobre a Operação Dama de Espadas, “por se tratar de assunto de âmbito pessoal e anterior ao cargo de governador”.

Ricardo Motta: a defesa representada pelo advogado Thiago Cortez disse que vai se manifestar nos autos do processo, “entendendo que a delação não trouxe nenhum elemento novo de prova é que será comprovado que não houve nenhum dos fatos ali narrados. Que a simples palavra do colaborador deve ser provada de forma cabal e não apenas por presunção”.

Ezequiel Ferreira: sua assessoria jurídica informou que não teve acesso aos termos da colaboração de Rita das Mercês: “O deputado rechaça a existência de irregularidade no exercício de seu mandato e se coloca à disposição da Justiça ou de qualquer órgão de investigação para esclarecimentos, caso sejam necessários”.

Todos os detalhes da delação de Rita estão na edição impressa da Tribuna do Norte.


07/06/2018
Por Edilson Silva em Policial, Política

CORRUPÇÃO: Lava Jato identifica repasse de R$50 mil a Gilmar

O pagamento foi feito, em 2016, a um instituto ligado ao ministro Gilmar Mendes (Instituto Brasiliense de Direito Público).

A força-tarefa da Lava Jato identificou o valor após a quebra do sigilo fiscal da Federação do Comércio do Rio de Janeiro, cujo ex-presidente era Orlando Diniz, solto por Gilmar na última sexta-feira.

O empresário presidiu a Fecomércio-RJ por quase 20 anos até ser preso em fevereiro.

Orlando Diniz é réu acusado por corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa. O Ministério Público pede impedimento de Gilmar Mendes, além do impeachment do ministro.


04/06/2018
Por Edilson Silva em Policial

Dentista caicoense morre em acidente automobilístico próximo a Santa Cruz

Um gravíssimo acidente entre dois veículos deixou duas pessoas mortas na BR 226 no município de Santa Cruz. Uma das vítimas e o dentista caicoense Danilo Gonzaga, que trafegava na referida estrada guiando um Corola.

A outra vítima fatal guiava um veículo Fiat Uno. Outras pessoas que estavam a bordo do Fiat foram socorridas pelo SAMU.


28/05/2018
Por Edilson Silva em Policial, Política

CORRUPÇÃO: MPF apresenta ação contra José Agripino (DEM) por propina

O Ministério Público Federal (MPF) ingressou na Justiça Federal no Rio Grande do Norte com uma ação de improbidade administrativa contra o senador José Agripino Maia (DEM) e o empresário José Adelmário Pinheiro Filho, o “Léo Pinheiro”, ex-presidente da OAS. O processo trata do recebimento de quase R$ 1 milhão em propina, pelo parlamentar, em troca de auxílio à empreiteira, responsável pela construção do estádio Arena das Dunas. A obra foi erguida em Natal para a Copa de 2014 por um preço superfaturado em R$ 77 milhões.

Em razão do foro por prerrogativa de função, a denúncia contra o senador sobre o mesmo esquema teve de ser apresentada pela Procuradoria-Geral da República ao Supremo Tribunal Federal (STF), que em dezembro decidiu pelo seu recebimento (tornando-o réu sob acusação de corrupção passiva e lavagem de dinheiro). Somente então os autos foram remetidos à Procuradoria da República no RN para as providências no âmbito civil da improbidade administrativa em primeira instância.

A ação de improbidade impetrada no Rio Grande do Norte pede a condenação dos dois réus por enriquecimento ilícito (artigo 9º, caput e inciso I, da Lei 8.429/1992), com a perda dos bens ou valores envolvidos (no total de R$ 904.224); perda da função pública; suspensão dos direitos políticos de oito a dez anos; pagamento de multa de até três vezes o valor do acréscimo patrimonial; e proibição de contratar com o Poder Público, pelo prazo de dez anos.

Entre 2012 e 2014, José Agripino recebeu no mínimo R$ 654.224 por meio de depósitos fracionados em sua conta e, pelo menos, outros R$ 250 mil disfarçados em “doações eleitorais” ao Diretório Nacional do DEM, presidido por ele. Em sua delação, o doleiro Alberto Youssef confirmou ter enviado quantias em dinheiro a Natal (R$ 3 milhões entre 2011 e 2014), para atender a “interesses” da OAS, que na época só possuía o estádio como obra de grande porte no estado. Os depósitos para o senador foram exatamente em datas próximas à vinda dos emissários do doleiro.


20/05/2018
Por Edilson Silva em Policial, Política

Joesley: Temer (MDB) pedia propina sem cerimônia

Reportagem de VEJA desta semana mostra que Joesley Batista, em depoimento à Polícia Federal, declarou ter recorrido a dois homens da confiança do presidente Michel Temer em tentativa de destravar um projeto de seu interesse no Porto de Santos. Os dois nomes citados pelo empresário — Wagner Rossi e Milton Ortolan — receberiam mesadas da JBS e acabaram presos na Operação Skala, da PF.

Segundo Joesley, Temer falava sem pudor em dinheiro, em rolo, em esquema. A dez dias da votação do impeachment de Dilma, Temer teria lhe pedido 300 000 reais. Em nota, a Presidência da República protestou contra as “mentiras” de Joesley e assegurou que “jamais o presidente pediu qualquer espécie de contribuição, em dinheiro, para quem quer que seja”.


20/05/2018
Por Edilson Silva em Policial, Política

CORRUPÇÃO: Depoimento da filha de Temer (MDB) à PF é gelatinoso

Intimada pela Polícia Federal para explicar a origem do dinheiro que financiou uma reforma em sua casa, a psicóloga Maristela Temer, filha de Michel Temer, prestou um depoimento que tem a consistência de uma gelatina. Antes do interrogatório, os investigadores suspeitavam que a reforma foi paga com dinheiro de propina. Depois, as suspeitas aumentaram.

Maristela foi inquirida em 3 de maio. Mas só agora a coisa veio à luz. Ela contou que Temer indicou para auxiliá-la na reforma o amigo e faz-tudo João Baptista Lima, coronel aposentado da PM paulista. É o mesmo personagem a quem os delatores da JBS afirmam ter repassado, a pedido de Temer, propina de R$ 1 milhão.


14/05/2018
Por Edilson Silva em Policial

Mortes no trânsito têm alta de 23% em 2017

O Brasil voltou a registrar aumento no número de mortes relacionadas ao trânsito. Em 2017, foram 41.151 vítimas de acidentes envolvendo veículos automotores, ante 33.547 em 2016, uma alta de 23%. O dado, obtido com exclusividade pelo Estado via DPVAT (seguro obrigatório de automóveis), interrompe uma sequência de cinco anos na queda da letalidade nas ruas, avenidas e estradas do País. A última alta, observada em 2012, havia sido de 5% – um salto para 60.752 óbitos na ocasião.

Com isso, a violência do trânsito provocou um impacto econômico de R$ 199 bilhões no ano passado, ou 3,04% do Produto Interno Bruto (PIB) do País. O valor corresponde ao que seria gerado pelo trabalho das vítimas, caso não tivessem se acidentado, segundo dados do Centro de Pesquisa e Economia do Seguro (Cpes), órgão da Escola Nacional de Seguros. O fator que mede a perda da capacidade produtiva é chamado de Valor Estatístico da Vida (VEV), ou seja, o quanto cada brasileiro é capaz de produzir em vida.

De acordo com os dados do DPVAT, o número de mortes em 2017 seguiu na contramão das estatísticas totais com cobertura do seguro, que registra apenas os casos com óbitos e sequelas permanentes. Nos últimos três anos, o volume de acidentes caiu pela metade, saindo de 763,4 mil em 2014 para 384 mil no ano passado.

A explicação, para especialistas, é que a última recessão econômica afetou as vendas e reduziu o fluxo de automóveis nas ruas – o que colaborou para a redução dos acidentes. Com menos dinheiro no bolso, o brasileiro inflou a frota de motocicletas, mais baratas e, ao mesmo tempo, mais vulneráveis.

Assim, ao longo do ano passado, 90,5% das vítimas do trânsito estavam na fase economicamente ativa e mais de 74% dos acidentes envolveram motocicletas, fazendo com que 59% dos acidentados fossem os próprios condutores. “Nossa experiência nesse ramo aponta que a moto, quando envolvida em um acidente, tem potencial de gravidade maior e, algumas vezes, as cidades não estão preparadas para lidar com a expansão desse modal”, aponta o superintendente de Sinistros da Seguradora Líder, Arthur Fróes, responsável pelo DPVAT.

O professor Carlos Alberto Bandeira Guimarães, do Departamento de Transportes da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), concorda. Para ele, a questão também envolve a falta de fiscalização. “Nas cidades do interior, nos Estados do Norte e Nordeste, é comum ver cenas de pessoas dirigindo motocicleta de chinelos, sem capacete, às vezes até sem documento de habilitação”, afirma.

O especialista aponta que as maiores variações observadas nos acidentes de 2017, em comparação com o ano anterior, foram no Nordeste e no Centro-Oeste, com alta de 30% no número de casos fatais ou com invalidez permanente. A Região Sudeste apresentou um crescimento de 23%, com destaque para dois Estados – Rio de Janeiro (34%) e São Paulo (20%).

“A motocicleta, apesar de passar a imagem de ser um veículo mais simples, exige a carteira A e, na realidade, demanda muito mais técnica para ser conduzida. Mas é comum ver moto passando entre os corredores de carros, cruzando passarelas de pedestre, na contramão. E um acidente leve de motocicleta pode ter consequências graves. Não tem medidas (obras viárias) que resolvam isso.”

Diretor da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego, Dirceu Rodrigues Alves destaca que essa falta de fiscalização acontece em áreas com uma alta densidade de motos. “Temos aí a facilidade da aquisição dessas motocicletas. É um veículo mais barato, de grande mobilidade e muita utilidade em várias áreas: de tocar o gado a fazer comércio. E há oferta muito grande nessas regiões (Norte, Nordeste e Centro-Oeste).”

Garupa

No Recife, a técnica em enfermagem Maria Augusta Bezerros, de 26 anos, conhece bem a história. Em junho do ano passado, ela saía de uma festa na garupa do então marido quando passaram em um cruzamento com o semáforo amarelo. Um carro em alta velocidade bateu na lateral da moto.

Maria Augusta passou três meses no hospital e ainda hoje sofre com as consequências do acidente. “Quebrei a tíbia, a fíbula e fiquei com sequelas: tendinite, artrite, artrose, derrame na circulação e um pequeno cisto no tornozelo esquerdo”, conta. A pernambucana recebeu R$ 4,5 mil do seguro DPVAT. Atualmente, impossibilitada de trabalhar, recebe auxílio-doença e, segundo ela, o laudo médico pede aposentadoria por invalidez.

“A motocicleta, que é a solução de muitos transtornos no trânsito, está tirando de circulação uma boa parte da população economicamente ativa”, afirma a economista do Centro de Pesquisa e Economia do Seguro (Cpes) Natália Oliveira. “Ainda não temos uma consciência para a utilização desse veículo. Faltam educação, fiscalização e respeito”, diz.

Segundo estudo do Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores (Sindipeças), o País tinha 13,2 milhões de motos em circulação no ano passado, 39% mais que há oito anos, em 2009.

Procurado, o Ministério da Cidades não se pronunciou sobre o estudo. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.


11/05/2018
Por Edilson Silva em Brasil, Policial

Impudico: Suzane Richthofen e Anna Jatobá deixam prisão para o Dia das Mães

Beneficiadas pela saída temporária de Dia das Mães, as detentas Suzane Von Richthofen e Anna Carolina Jatobá deixaram a Penitenciária Santa Maria Eufrásia Pelletier, em Tremembé (SP), na manhã desta quinta-feira (10). O retorno está marcado para a próxima terça-feira (15).

A saída temporária é concedida a detentos em regime semi-aberto e com bom comportamento. No Vale do Paraíba, região do estado de São Paulo onde ambas estão presas, cerca de 3 mil presidiários serão beneficiados.

Suzane foi condenada a 39 anos de prisão pelo assassinato dos pais. Anna Carolina cumpre pena pela morte da enteada, Isabela Nardoni.


27/04/2018
Por Edilson Silva em Natal, Policial

Pedreiro confessa morte de Iasmin e diz que agiu sozinho

O suspeito do desaparecimento da menina Iasmin Lorena de Araújo, de 12 anos, confessou que matou a menina. Iasmin voi vista pela última vez com vida no dia 28 de março, no bairro da Redinha, na Zona Norte de Natal. Marcondes Gomes da Silva, de 45 anos, foi preso pela PM nesta quinta-feira (26) em uma praia no município de Touros, no Litoral Norte potiguar. Na versão contada aos investigadores, o pedreiro afirma que agiu sozinho.

A motivação do crime e se houve abuso sexual devem ser esclarecidos em coletiva de imprensa ainda na manhã desta sexta-feira (27).

Um corpo que pode ser o da menina foi encontrado na terça-feira (24) em uma casa onde o pedreiro trabalhava, na mesma rua em que Iasmin morava, na Redinha, Zona Norte de Natal. Marcondes também era vizinho e amigo da família há vários anos. A identificação do corpo ainda depende de exames de DNA, realizados pelo Instituto Técnico-Científico de Perícia (Itep). Encontrado com ajuda de cães farejadores do Batalhão de Choque da Polícia Militar, o corpo estava em avançado estado de decomposição.

G1


19/04/2018
Por Edilson Silva em Policial

Dentista é presa por injúria racial: “eu não misturo o meu sangue com merda”

A Polícia Civil do Piauí investiga o caso desde o último dia 9, quando a vítima, Thaiane Ribeiro Neves, de 30 anos, procurou a delegacia de São Raimundo Nonato. Segundo o delegado Emir Maia, responsável pela coordenação das delegacias do interior do estado, foi aberto inquérito policial para investigar as publicações da dentista, que também teria compartilhado “notícias de cunho preconceituoso contra a filha de uma ex-amiga”. A delegada titular do Distrito Policial da cidade está à frente das investigações.

— Ela incita o ódio, o preconceito à raça negra, de forma que venha a atingir a honra e a dignidade de toda a raça negra — disse Maia.

Ainda de acordo com ele, Delzuite foi encontrada por volta das 6h desta terça-feira na Casa de Hospedagem do Professor, no centro de Teresina, já com passagem comprada para a cidade de São Paulo.

— Ela confirmou que foi ela mesmo quem divulgou aquelas notícias preconceituosas e odiosas. A prisão foi decretada porque ela estava foragida, não atendia a nenhum chamamento da polícia. Diligenciamos aqui na capital onde ela tinha uns endereços. Antes de ela ser odontóloga, era cabeleireira. Não foi muito difícil encontrá-la — disse o delegado.

Em entrevista ao EXTRA na última semana, a família da suspeita alegou que Delzuite sofre de transtornos mentais e afirmou que vai pedir na Justiça a internação da parente.

— É por causa do descontrole mental que ela está assim. Quanto mais está sob pressão, mais se descontrola — explicou a mãe dela, de 73 anos, por telefone.

Thaiane, que também é dentista, contou estar indignada com o que está acontecendo. Ela frisou que nunca chegou a ser amiga da investigada.

— Nos conhecemos na faculdade e ela foi morar comigo — disse ao EXTRA. — Ela é desequilibrada, não dava para continuar com ela, ela não dividia as contas do apartamento, houve uma briga feia. Tem quase dois anos isso. São várias ameaças que sofro. Ela aprontou no meu casamento, na inauguração do meu consultório, me difamou nas redes sociais, disse coisas sobre minha filha de apenas um mês.

A dentista responde por três processos, todos abertos no ano passado. O primeiro, de março, é por difamação, injúria e ameaça; o segundo, de agosto, é apenas por difamação; enquanto o último, de outubro, é por dano, sem especificar, porém, de que tipo.

Extra Online


21/02/2018
Por Edilson Silva em Policial, Política

STJ nega mais uma tentativa de soltura de Henrique Eduardo Alves (PMDB)

Com um placar de 4 a 1, a 6ª Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) rejeitou, na tarde desta terça-feira, o pedido de liberdade impetrado pela defesa do ex-ministro Henrique Eduardo Alves. O único voto pela liberdade do peemedebista potiguar foi do ministro Sebastião Reis Júnior.

A decisão frustra mais uma tentativa de soltura, através do advogado do ex-ministro investigado na Operação Lava Jato, que deverá continuar preso na Academia de Polícia Militar, Coronel Milton Freire, em Barro Vermelho. Enquanto isso, a defesa pretende recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF).

O ex-ministro foi preso preventivamente na Operação Sepsis, que apura o pagamento de propina para suposta liberação de dinheiro do FIFGTS beneficiando a empresa Carioca Engenharia. O dinheiro seria usado nas obras do Porto Maravilha, no Rio de Janeiro.

O Ministério Público apontou que Alves teria feito várias movimentações em contas na Suíça durante as investigações do caso, o que traria um risco para o resultado das apurações. A maioria da turma acatou os argumentos, vencendo o ministro Sebastião Reis Júnior.


24/01/2018
Por Edilson Silva em Caicó, Policial

Gabinete de Gestão Integrada elabora plano de segurança para o Carnaval de Caicó 2018

O GGI-M (Gabinete de Gestão Integrada do Município) esteve reunido nesta quarta-feira (24), no auditório do Centro Administrativo, onde foi definido o plano de segurança do Carnaval de Caicó 2018. A reunião contou com a presença de secretários municipais e representantes da Polícia Militar, Câmara Municipal de Vereadores, PRF, Polícia Civil, Polícia Ambiental, ITEP, Corpo de Bombeiros, entre outros membros do GGI.

“Cada instituição apresentou seu plano individualmente e vamos juntar ao plano geral do carnaval que será objeto de um decreto municipal para normatizar essas regras que são ligadas à segurança”, disse o secretário municipal de Planejamento e Articulação Institucional e Coordenador do GGI, Subtenente Marcelo Coelho.

Entre os principais pontos da estratégia de segurança estão a fiscalização da venda e uso de entorpecentes, coibir pequenos furtos, policiamento ostensivo na área central do carnaval e em outros pontos estratégicos, fiscalização do trânsito, delegacia móvel que ficará posicionada no centro, policiamento nas BRs através da Polícia Rodoviária Federal, a Polícia Civil terá uma equipe de plantão extra, estrutura com ambulâncias em locais fixos (incluindo a Ilha de Sant’Ana), além do funcionamento de um posto de saúde na Av. Coronel Martiniano.


24/01/2018
Por Edilson Silva em Policial

Discussão em grupo de WhatsApp acaba em indenização de R$ 2 mil

O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) determinou que uma mulher pague R$ 2 mil a um homem por tê-lo chamado de “advogado de porta de cadeia” e “advogado de meia tigela” em um grupo de WhatsApp.

A decisão da juíza Lucélia Alves Caetano Marçal, do Juizado Especial de Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, foi publicada nesta quarta-feira, dia 24 de janeiro.

“A gente tinha esse grupo para manter contato. A gente falava sobre política, o contexto social do país. Mas ela ultrapassou o limite da discussão e passou para falta de respeito. Eu fui agredido moralmente”, disse o advogado e historiador Leopoldo Rocha Ferreira da Silva que processou a mulher.


24/01/2018
Por Edilson Silva em Policial, Política, RN

Comandante do Exército crítica Governo do RN

O comandante do Exército, Eduardo Villas Boas, criticou a política de Segurança do RN, em palestra no Rio de Janeiro. Ele lembrou que as forças armadas foram convocadas três vezes em um ano e meio, para socorrer o Estado, mas a gestão não mudou em nada, nesse período, a política de Segurança.


23/01/2018
Por Edilson Silva em Policial, Política

Ex-secretário de Obras do Rio é preso em operação da PF e do Ministério Público

O ex-secretário de Obras da Prefeitura do Rio de Janeiro Alexandre Pinto, o ex-subsecretário Vagner de Castro Pereira e o doleiro Juan Bertran foram presos na manhã de hoje (23) pela Polícia Federal, no âmbito da Operação Mãos à Obra. A ação, em conjunto com o Ministério Público Federal, mobiliza aproximadamente 80 agentes em três unidades da federação: Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília.

A ação é um desdobramento da Operação Rio 40 Graus. O objetivo é apurar a existência de esquemas de recebimento de vantagens indevidas e desvio de recursos públicos em obras contratadas pela Secretaria de Obras do Município do Rio de Janeiro (SMO).

A operação cumpre nove e não seis mandados de prisão, como informou inicialmente o Ministério Público. São seis mandados de prisão preventiva e três de prisão temporária; além de 18 mandados de busca e apreensão expedidos pela 7ª Vara Federal Criminal/RJ.

A Polícia Federal concederá entrevista coletiva às 10h30 para detalhar a operação e oficializar o número de prisões.

Edição: Talita Cavalcante


23/01/2018
Por Edilson Silva em Policial, Tempo

Globocop cai na praia do Pina, em Recife, deixando dois mortos

Um helicóptero da TV Globo caiu na praia do Pina, em Recife, por volta das 6h desta terça-feira, deixando dois mortos. O socorro foi realizado pelo Serviço Móvel de Urgência (Samu). Uma terceira pessoa a bordo ficou ferida, segundo informações do portal G1.

O incidente ocorreu na altura do bairro de Vila Teimosa, na Zona Sul da capital de Pernambuco, durante a estreia do novo programa jornalístico “Bom dia Pernambuco”.




Facebook


Twitter