Saúde

Dedim Gouveia, forrozeiro cearense, morre de Covid-19 nesta segunda-feira (19)

 

O forrozeiro Dedim Gouveia, de 61 anos, morreu por complicações da Covid-19 nesta segunda-feira (19). Ele estava internado no Hospital de Messejana, em Fortaleza, desde o dia 11 de abril.

 

Amigos forrozeiros do artista, como Taty Girl, comentaram a morte e prestaram homenagem nas redes sociais.

 

Última atualização da equipe do cantor, na sexta-feira (16), apontava chances de recuperação. Ele chegou a utilizar oxigênio no tratamento e também a ser transferido para um leito semi-intensivo.

 

O cantor Batista Lima, ex-Limão com Mel, informou ao Diário do Nordeste que recebeu a informação da morte de Dedim por meio do filho do forrozeiro, Iago Gouveia. “Infelizmente nosso amigo Dedim Gouveia se foi. Uma pena. Uma tristeza”, disse Batista Lima.

 

Diário do Nordeste

 

Compartilhe aqui:

Segurança Pública: Governo do RN chega à marca de 1.000 vidas salvas

 

O Governo do Rio Grande do Norte atingiu neste domingo (18) a expressiva marca de 1.000 vidas salvas na área da segurança pública. O número é referente à diferença do total de pessoas que foram assassinadas ao longo da administração anterior, comparando com o mesmo período da gestão da professora Fátima Bezerra.

 

No período de 1º de janeiro de 2015 a 18 de abril de 2017, a diferença das Condutas Violentas Letais Intencionais, os chamados CVLIs, atingiu e ultrapassou a marca de 1.000 vidas salvas. Naquele momento, a administração passada somava 4.407 mortes violentas, contra 3.402 mortes ocorridas entre 1º de janeiro de 2019 a 18 de abril deste ano – totalizando, assim, uma diferença de 1.005 mortes a menos.

 

“É resultado de muito trabalho, de todas as forças de segurança, no Estado, e com contribuições da sociedade. Evitamos, com esse brilhante trabalho, a dor de muitas centenas de famílias. Esses números, devemos ver exatamente como vidas que não foram interrompidas e, portanto, sofrimento que não chegou aos lares de muitas famílias. Há muito trabalho a ser feito, e esse resultado mostra que estamos no caminho correto — a busca pela preservação de vidas, pois cada vida que salvamos justifica o esforço”, disse a governadora, professora Fátima Bezerra.

 

Já nesta segunda-feira (19), ao se fazer a mesma comparação de dias de administração entre as duas gestões (840 dias de trabalho), o total já é de 1.009 vidas salvas.

 

“É uma marca histórica. Não é todo dia que alcançamos 1.000 vidas salvas. E isto, em menos de dois anos e meio de gestão da professora Fátima Bezerra”, enfatizou o titular da Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (SESED), coronel Francisco Araújo Silva.

 

“É importante também enaltecer a abnegação de todos os agentes de segurança pública que laboram diuturnamente no território potiguar. Graças ao empenho e compromisso de homens e mulheres que compõem a Polícia Militar, a Polícia Civil, Corpo de Bombeiros e Instituto Técnico-Científico de Perícia, estamos podendo melhorar a segurança pública em nosso estado, sem esquecer, também, de exaltar o apoio da Secretaria Estadual da Administração Penitenciária (SEAP), as Guardas Municipais, a Polícia Federal, a Polícia Rodoviária Federal, a Polícia Penal Federal, as Forças Armadas e o Ministério Público Estadual (GAECO). Juntas, todas as forças de segurança pública que atuam no Estado colaboram para a segurança de todos os potiguares”, acrescentou.

 

Como fatores estratégicos e de atuação que ajudaram o atual governo a atingir a marca de 1.000 vidas salvas, o coronel Araújo listou várias ações, como a integração entre as forças de segurança, mais investimento na área de inteligência (com atuação mais forte na repressão qualificada de delitos), maior resolutividade dos crimes de homicídio, melhor análise das áreas mais críticas de violência e melhor distribuição do efetivo, recomposição dos efetivos com a realização de concursos públicos, melhor planejamento e emprego destas forças, reaparelhamento das frotas e de unidades de enfrentamento da criminalidade, aquisição (por meio de convênios e emendas parlamentares individuais e coletivas) de equipamentos de proteção e armas de fogo e munições e a inclusão do RN em convênios firmados com o Ministério da Justiça e da Segurança Pública (MJSP) que possibilitam ações integradas de enfrentamento da criminalidade e violência.

 

Compartilhe aqui:

Moto-taxista caicoense morre com Covid-19 neste domingo (18)

 

O moto-taxista e motorista de carro de som, José Roberto Guedes da Silva, de 57 anos, morreu na manhã deste domingo (18), no Hospital Regional do Seridó, em Caicó/RN, por complicações da Covid-19.

 

O caicoense, estava internado há algumas semanas na Unidade de Terapia Intensiva – UTI do referido hospital.

 

José Roberto, residia na Rua Alberto Mário, no Bairro Acampamento, em Caicó.

 

Sidney Silva

 

Compartilhe aqui:

Cantor Vicente Neri é extubado e deixa UTI. “Nasci de novo”

 

O irmão do cantor Vicente Nery, Gildo Nery, divulgou na manhã deste domingo (18), a notícia de que o cantor foi extubado e seu estado de saúde é estável.

 

De acordo com Gildo Nery, o cantor falou, com a voz baixa e fraca, que está feliz, que nasceu de novo e que sabia que Deus não iria o abandonar. Gildo disse ainda, que o cantor vai permanecer com cateter e recebendo oxigênio para o processo de desmame.

 

Vicente Nery testou positivo para a Covid-19 e precisou ser internado para dar continuidade ao tratamento da doença. Sua esposa, Carol Rabelo, usou as redes sociais no último dia 12 de março, para comunicar o estado de saúde de seu esposo e pedir orações aos fãs e amigos pela sua recuperação.

 

Compartilhe aqui:

Covid-19 deixa a imprensa de luto: morre o repórter Francileno Góis

 

Morreu o jornalista/radialista Francileno Góis, vítima da Covid-19. A notícia foi confirmada pela família na manhã desta quinta-feira (15).

 

Francileno lutava pela vida desde que testou positivo para a doença. Recebeu a primeira assistência no Hospital Regional Dr. Agnaldo Pereira, de Caraúbas, e depois foi transferido para o Hospital Regional Dr. Cleodon Carlos de Andrade, em Pau dos Ferros, no Alto Oeste potiguar.

 

Havia esperança de que ele sairia da luta com vida, mas o seu quadro clínico se agravou nesta quarta-feira (14), quando precisou ser intubado com urgência. A equipe médica utilizou todos os recursos e esforços possíveis, mas o inimigo invisível foi letal.

 

Natural de Caraúbas, Francileno Góis era um apaixonado pelo ofício da comunicação, que ele expressa diariamente como repórter policial do Canal 10/TCM.

 

Francileno Góis era casado com a assistente social Licinha Guerra e tinha duas filhas: Fernanda (odontóloga) e Geovana.

 

Via defato.com

 

Compartilhe aqui:

46 pessoas estão com a 2ª dose da vacina contra Covid atrasada em Jucurutu

 

Pelo menos 4.422 pessoas estão com a segunda dose da vacina contra a Covid-19 em atraso na capital potiguar. Os dados são da plataforma RN + Vacina. O número representa quase 50% do total de “atrasados” para a segunda dose no estado.

 

De acordo com o Laboratório de Inovação em Saúde (Lais) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), que desenvolveu o sistema RN + Vacina, ao todo, 8.967 pessoas estão com a segunda dose da vacina contra a Covid-19 em atraso no RN.

 

Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde de Natal informou que os números do sistema RN+Vacina têm atraso no cadastramento dos usuários e “não representa um dado atualizado em tempo real, podendo haver atraso médio de até 10 dias de atualização”.

 

Pessoas com a 2ª dose em atraso por município do Seridó

 

Parelhas 124

Jardim de Piranhas 95

Currais Novos 91

Caicó 83

Lagoa Nova 65

Cerro Corá 59

Carnaúba dos Dantas 50

Cruzeta 47

Jucurutu 46

Serra Negra do Norte 20

Jardim do Seridó 12

Acari 11

Santana do Seridó 10

São João do Sabugi 9

Tenente Laurentino Cruz 9

Equador 4

Florânia 4

São Vicente 4

Ouro Branco 3

São Fernando 3

Ipueira 2

Timbaúba dos Batistas 2

São José do Seridó 1

 

Compartilhe aqui:

Caicó perde o empresário Fernando da Loja Três Rios; ‘cearense com 50 anos de bons serviços prestados à cidade’

 

A Covid-19 tem levado muitas vidas importantes para muita gente, tanto quanto abalado a economia mundial, especialmente quando ela ataca os grandes fomentadores privados que marcam a história de uma cidade, como é o caso do empresário João Evangelista de Araújo, conhecido como Fernando da Loja Três Rios, grande precursor do setor terciário em Caicó.

 

Fernando da Loja Três Rios era natural de Açaré-CE, mas chegou em Caicó na década de 70, quando conheceu sua esposa, Dona Aldenira da Cunha, com quem teve dois filhos. Com habilidade para o comércio, optou inicialmente pela venda de porta em porta, o que lhe projetara para o comércio formal. Em 1985 abriu a Loja Três Rios, e de lá para cá se foram mais 35 anos.

 

Há 16 dias intubado, Fernando teve poucas chances para se recuperar, e na última sexta feira faleceu por complicações da maldita doença, a Covid-19. Contra o ex-crediarista pesavam as comorbidades, entre as quais o Diabetes, doença que mata milhões de pessoas mundo afora. Fernando da Loja Três Rios deixou um legado como empresário bem sucedido em Caicó.

 

MENSAGEM DE DONA ALDENIRA – ESPOSA

 

“A família de João Evangelista de Araújo ( conhecido por Fernando das loja três rios ), lamenta profundamente o seu falecimento, ocorrido nesta sexta feira, dia 09/04/2021. O sepultamento será hoje saindo do Centro de Velório Sempre às 17:00 horas passando em frente a sua loja e seguindo em cortejo para o Cemitério Morada da Paz. A família enlutada agradece as orações dos familiares, amigos e clientes nesse momento de dor.”

 

Jair Sampaio

 

Compartilhe aqui:

Professor de química morre aos 36 anos por Covid-19, na PB

 

O professor de química Vinícius de Sousa Lins morreu neste domingo (11) por Covid-19. Ele tinha 36 anos e estava tratando a doença em casa, quando se sentiu mal e foi levado para a UPA Oceania, no bairro de Manaíra, em João Pessoa.

 

Na unidade de saúde, o professor recebeu os primeiros socorros e quando estava sendo estabilizado pela equipe do Samu para ser transferido para o Hospital Santa Isabel, não resistiu e morreu.

 

Vinícius também cursava um doutorado em ciências de materiais e se preparava para casar. Ela deixa a noiva e uma filha.

 

G1PB

 

Compartilhe aqui:

Pesquisa constata reinfecções de covid-19 com sintomas mais fortes

 

Um estudo coordenado pelo Centro de Desenvolvimento Tecnológico em Saúde da Fundação Oswaldo Cruz (CDTS/Fiocruz) constatou quatro casos de reinfecção por covid-19 em que os pacientes tiveram sintomas mais fortes da doença na segunda contaminação, apesar de os dois episódios terem sido considerados leves, sem hospitalização. Em ao menos um desses casos, a reinfecção foi provocada pela mesma variante do primeiro episódio.

 

A pesquisa será publicada na forma de artigo científico na revista Emerging Infectious Disease (EID), do Centro de Controle e Prevenção de Doença dos Estados Unidos (CDC). Além da Fiocruz, participaram pesquisadores da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), do Instituto D’Or de Ensino e Pesquisa (Idor) e da empresa chinesa MGI Tech Co. Segundo o coordenador do estudo, o virologista do CDTS/Fiocruz Thiago Moreno, a constatação reforça que uma parcela da população que tem a doença na forma branda não desenvolve memória imunológica.

 

“Demonstramos que um grupo de pessoas com sintomatologia leve para covid-19 teve um segundo episódio de covid um pouco mais forte, porque não foi capaz de gerar uma imunidade de memória depois do primeiro episódio. Assim como vários casos brandos de covid-19, esses indivíduos tiveram o controle dessa primeira infecção pela resposta imune inata, aquela que não forma uma memória consistente e de longo prazo”.

 

Os testes realizados mostraram que a defesa do organismo com base em anticorpos só foi formada nesses indivíduos após a segunda infecção. “Isso mostra também pra gente que uma parcela da população que teve a doença branda no primeiro episódio pode voltar a ter covid-19 depois de algum tempo, e não necessariamente ela será branda de novo”.

 

Moreno explica que a possibilidade de reinfecção com sintomas mais contundentes se dá independentemente de o indivíduo contrair a mesma variante do novo coronavírus ou uma nova. “A reinfecção pelo novo coronavírus é possível, e isso é algo similar com o que acontece com coronavírus sazonais humanos e até alguns coronavírus veterinários”, diz o pesquisador.

 

Os pesquisadores envolvidos no estudo acompanharam um grupo de 30 pessoas de março a dezembro de 2020 com testagens semanais. O objetivo do estudo não era investigar a reincidência da covid-19, e sim monitorar a segurança do grupo em seu local de trabalho. Diante das suspeitas de reinfecção constatadas, os cientistas se debruçaram sobre esses casos e comprovaram, por meio de sequenciamento, duas reinfecções. Nas outras duas, não havia material genético suficiente para o sequenciamento, mas os episódios da doença tiveram meses de intervalo com testes negativos.

 

Thiago Moreno ressalta que o estudo não foi desenhado para ter representatividade estatística, o que significa que não é possível extrapolar a proporção de pessoas reinfectadas para toda a população. Além disso, ele acrescenta que, apesar de o estudo ter constatado sintomas mais contundentes no segundo episódio de covid-19 entre os quatro pesquisados, isso não permite interpretar um padrão para os casos de reinfecção.

 

As quatro pessoas que se reinfectaram com a doença não precisaram ser internadas em nenhum dos dois episódios e tiveram casos considerados brandos em ambos. Para o pesquisador, quanto mais brando for o quadro de covid-19, maiores são as chances de a memória imunológica não ser capaz de neutralizar o vírus em um segundo contato.

 

Moreno recomenda que pessoas já infectadas mantenham os cuidados para a prevenção da covid-19 e explica que mesmo os exames laboratoriais comuns que permitem a detecção de anticorpos não são capazes de determinar se o corpo formou defesas neutralizantes.

 

“O que esses testes, em geral, não medem é se essa memória vai servir para a gente só como um traço para saber se foi exposto ao vírus ou se é uma memória neutralizante, capaz de bloquear a infecção viral. Tem uma diferença de magnitude muito grande entre ter detecção de anticorpos e esses anticorpos de fato te protegerem contra a infecção”, explica ele, que acrescenta que não se surpreenderia se os casos de reinfecção relatados no estudo tivessem um terceiro episódio de covid-19. “Não agora por não ter feito essa memória, mas porque a sustentação dessa memória pode ser curta”.

 

Com informações da Agência Brasil

 

Compartilhe aqui:

RN recebe nova leva de vacinas contra Covid-19

 

O Governo do Rio Grande do Norte e a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) receberam nesta quinta-feira (8) uma carga de 69 mil vacinas contra a Covid-19. As doses que serão distribuídas aos municípios amanhã (9) estão divididas entre 32 mil da CoronaVac/Butantan e 37 mil da AstraZeneca/Fiocruz.

 

Seguindo a orientação do Ministério da Saúde, as vacinas serão direcionadas para a 1ª dose em idosos e trabalhadores das forças de segurança, que tiveram a vacinação iniciada nesta quinta-feira, e a 2ª dose para completar o esquema vacinal de trabalhadores de saúde e idosos de 74 a 70 anos.

 

As doses da AstraZeneca/Fiocruz serão divididas, de acordo com a nota técnica do ministério, entre a segunda dose para trabalhadores da saúde e a ampliação da primeira dose para idosos acima dos 65 anos. Já as CoronaVac/Butantan têm a destinação a completar o esquema vacinal de profissionais da saúde e idosos entre 70 e 74 anos, além de aplicação da primeira dose entre membros da segurança pública e pessoas entre 65 e 69 anos.

 

Com essa nova carga entregue no Aeroporto Internacional de São Gonçalo do Amarante, o RN completa 754.690 doses recebidas. Até a tarde de hoje, foram aplicadas 458.910 vacinas, em mais de 370 mil potiguares, que receberam pelo menos a primeira dose.

 

De acordo com a plataforma RN+ Vacina, 48% da população prevista para a 2ª meta do plano de vacinação potiguar já foi atingida com pelo menos uma vacina tomada. A meta de cobertura estimada pela Sesap é de 90% do público, representando 681.363 potiguares.

 

Compartilhe aqui:

Campanha de vacinação contra a gripe começa na segunda

 

O Ministério da Saúde e as secretarias estaduais e municipais de saúde começam na segunda-feira (12) a campanha de vacinação contra a gripe. Além de evitar complicações decorrentes da gripe causada pelo vírus, a vacinação ganha uma outra importância no momento.

 

Com diversos estados com leitos de unidades de terapia intensiva (UTI) lotados e filas de espera em função da pandemia do novo coronavírus, a iniciativa também é importante para evitar uma sobrecarga nos sistemas de saúde.

 

O público estimado pelo ministério é de 79,7 milhões de pessoas e o objetivo é vacinar pelo menos nove em cada dez pessoas dos grupos prioritários.

 

Os grupos serão organizados para vacinação em três etapas. Os dias de mobilização, chamados de dias D, serão definidos em cada município pela Secretaria de Saúde local.

 

Os grupos prioritários são:

 

– Crianças de 6 meses a menores de 6 anos;

– Gestantes;

– Puérperas;

– Povos indígenas;

– Trabalhadores de saúde;

– Pessoas com 60 anos ou mais;

– Professores;

– Portadores de doenças crônicas não transmissíveis;

– Pessoas com deficiência permanente;

– Forças de segurança, de salvamento e armadas;

– Caminhoneiros;

– Trabalhadores do transporte coletivo de passageiros;

– Funcionários trabalhando em prisões e unidades de internação;

– Adolescentes cumprindo medidas socioeducativas em unidades de internação;

– População privada de liberdade.

Covid-19

 

O Ministério da Saúde não recomenda que seja feita a aplicação das vacinas contra a covid-19 e contra a influenza conjuntamente. A pasta recomenda que as pessoas que estiverem nos grupos prioritários procurem se vacinar antes contra a covid-19. Especialistas recomendam pelo menos uma diferença de 14 dias entre uma e outra.

 

Compartilhe aqui:

Brasil bate recorde e registra 4.249 mortes por Covid-19 em 24 h

 

O Brasil bateu recorde no número de mortes por Covid-19, nesta quinta-feira (8), chegando a 4.249 óbitos registrados em 24 horas. Com este dado, o país soma 345.025 mortes e 13.279. 857 casos de Covid-19 desde o início da pandemia, de acordo com dados consolidados pelo Conselho Nacional de Secretários da Saúde (Conass).

 

O estado brasileiro com maior número de casos e de vítimas da doença é São Paulo, com mais de 79 mil mortes e mais de 2 milhões de contaminados.

 

Depois de São Paulo, os estados de Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina lideram, respectivamente, o número de casos e mortes gerados pela Covid-19 no Brasil.

Nova vacina contra Covid-19

 

Nesta quinta-feira (8), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou a realização de ensaio clínico com voluntários brasileiros para o desenvolvimento de uma nova vacina contra a Covid-19. Este é o quinto estudo de imunizante autorizado pela Anvisa.

 

O imunizante, desenvolvido pelos laboratórios Medicago R&D Inc (Canadá) e GlaxoSmithKline (GSK – Reino Unido), utiliza a proteína S e tecnologia de partícula semelhante ao coronavírus (CoVLP).

 

A vacina é desenvolvida para ser administrada em duas doses, com intervalo de 21 dias entre a primeira e a segunda aplicação.

Importação da Sputnik V

 

Representante Consórcio de Governadores do Nordeste, o governador do Piauí, Wellington Dias (PT), pretende importar 66 milhões de doses da vacina Sputnik V e quer aproveitar dados divulgados pela Argentina para acelerar a aprovação do imunizante no Brasil.

 

“Tivemos uma vitória importante com a Anvisa, que é separar os processos de importação pelo Ministério da Saúde, pela União Química e pelo Consórcio do Nordeste,” disse o governador.

 

CNN Brasil

 

Compartilhe aqui:

STF obriga Senado a abrir CPI da Covid

 

O ministro do Supremo Tribunal Federal Luis Roberto Barroso determinou que o Senado Federal abra a CPI da Covid-19 com o objetivo de investigar a responsabilidade do governo federal na pandemia.

 

Barroso concedeu liminar em mandado de segurança apresentado no mês passado pelos senadores Alessandro Vieira (Cidadania – SE) e Jorge Kajuru (Cidadania – GO) e liberou o tema para julgamento colegiado imediatamente no plenário virtual do STF.

 

Ele acatou o pedido dos senadores da oposição para obrigar o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), a instalar a comissão.

 

No início da noite, Pacheco disse que vai acatar a decisão.

 

Segundo Luís Roberto Barroso, não se pode negar o direito à instalação da comissão sob pena de se ferir o direito da minoria parlamentar. “Trata-se de garantia que decorre da cláusula do Estado Democrático de Direito e que viabiliza às minorias parlamentares o exercício da oposição democrática. Tanto é assim que o quórum é de um terço dos membros da casa legislativa, e não de maioria. Por esse motivo, a sua efetividade não pode estar condicionada à vontade parlamentar predominante”, diz o ministro na decisão.

 

O ministro justificou a concessão da liminar com urgência em razão do agravamento da crise sanitária no país que está “em seu pior momento, batendo lamentáveis recordes de mortes diárias e de casos de infecção”. O Brasil teve, nesta quinta-feira (8), recorde de mortes pela doença.

 

O presidente do Senado afirmou que aguarda “que seja notificada oficialmente a presidência do Senado para se manifestar sobre esse tema”.

 

Ao conceder a liminar, Barroso afirma que a decisão monocrática ocorreu porque, nesta quinta-feira, o plenário analisou a abertura de cultos e missas durante a pandemia.

 

“Coerente com a minha visão de institucionalidade da Corte, tinha a intenção de submetê-la em mesa ao Plenário, na data de hoje. Infelizmente, a relevância e a extensão do julgamento relativo ao decreto restritivo de cultos religiosos durante a pandemia impediram que o fizesse. Observo, porém, que se trata, como demonstrado adiante, de mera reiteração de jurisprudência antiga e pacífica do Tribunal.”

 

A decisão de Barroso vai ser levada para o plenário virtual da corte no dia 16 de abril.

Pacheco defendeu que CPI não fosse instalada

 

A decisão ocorre após Pacheco defender oficialmente à corte que a CPI não fosse instalada. Em uma manifestação de 11 páginas assinada por seu advogado do senador, Pacheco diz ao STF que não é o momento para uma CPI.

 

“O que discute, de forma serena e republicana – porque é inerente à elevada responsabilidade que o Plenário do Senado lhe cometeu, ao elegê-lo Presidente da Casa – é o momento adequado para instalar investigação parlamentar que eventualmente preencha os requisitos constitucionais nas atuais circunstâncias”, diz o advogado de Pacheco.

 

Segundo ele, uma comissão parlamentar de inquérito pode ser pior para o combate à pandemia. “O funcionamento de uma CPI que eventualmente preencha os requisitos constitucionais, neste momento, poderá ter o efeito inverso ao desejado, como o de eventualmente gerar desconfiança da população em face das autoridades públicas em todos os níveis, promover reações sociais inesperadas, além de eventualmente ocasionar o já conhecido fenômeno do “apagão das canetas” (nefasta reação de inércia e omissão de administradores públicos diante do receio de punição por eventual excesso dos órgãos de controle)”

 

Pacheco também declara que “os resultados da CPI pretendida não terão a aptidão de contribuir com o imediato combate à pandemia da Covi-19, objetivo que deve unir os parlamentares em ações e recursos para construir soluções eficazes e urgentes que salvem vidas e que tragam vacinas para o Brasil”.

 

O pedido de CPI foi assinado em fevereiro por 32 senadores, 5 a mais que o necessário. O Palácio do Planalto, porém, sempre se posicionou contrário desde o início à CPI e conseguiu o apoio de Pacheco para barrar a a instalação da investigação.

 

CNN

 

Compartilhe aqui:

Médicos acreditam que Agnaldo Timóteo contraiu Covid no intervalo entre a primeira e a segunda dose da vacina

 

O cantor Agnaldo Timóteo, uma das vozes mais conhecidas da música romântica brasileira, morreu de Covid, após 18 dias de internação, neste sábado (3) no Rio. Ele tinha 84 anos.

 

O cantor iniciou a carreira na década de 1960 e se consolidou com canções românticas. Na política, teve mandatos como deputado federal e vereador em São Paulo e no Rio de Janeiro.

 

Agnaldo estava internado desde o dia 17 de março na UTI do Hospital Casa São Bernardo, na Zona Oeste do Rio.

 

Médicos acreditam que o artista de 84 anos contraiu o coronavírus no intervalo entre a primeira e a segunda dose da vacina. Ele chegou a tomar a segunda dose, no dia 15, dois dias antes da internação.

 

Fonte G1

 

Compartilhe aqui:

Tratamento de Paulo Gustavo custa R$ 30 mil por dia e não é mais ofertado pelo SUS

 

O tratamento por oxigenação por membrana extracorpórea (Ecmo), que está sendo feito pelo ator Paulo Gustavo para combater complicações da covid-19, custa, em média, R$ 30 mil por dia e foi barrado de ser disponibilizado na rede pública, pelo Sistema Único de Saúde (SUS). O humorista está internado desde o dia 13 de março e precisou da espécie de “pulmão artificial” após piora do quadro de saúde, na sexta-feira (2/4).

 

No Brasil, o SUS oferece o tratamento, principalmente, em cirurgias cardíacas, como ponte de safena ou troca de válvula, em unidades especializadas, como o Instituto do Coração e o Instituto do Câncer. Porém, a máquina também é utilizada para o tratamento de pneumonias graves. No entanto, ele foi barrado em 2015 pela Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS (Conitec) para esta finalidade. O Conitec levou em conta que as pesquisas existentes sobre o tratamento mostram a eficácia dele, porém, para seu uso, são necessários centros especializados e um gasto bastante elevado. Por isso, a comissão solicitou a elaboração de um protocolo de pesquisa. “Não é um tratamento habitual, porque é preciso dominar a técnica e ter experiência. Existe muito risco de trombose e de sangramento. Então acaba por sendo segunda e terceira linha de tratamento. O custo acaba sendo alto e muitos planos de saúde não fazem a cobertura. O SUS não fornece por não ter estrutura para isso. Precisa de uma equipe, alguém que monitore o equipamento 24 horas”, explica o infectologista e chefe da Comissão de Controle de Infecção do Hospital Santa Lúcia, Werciley Júnior.

 

Segundo ele, a taxa de sobrevivência para quem usa o tratamento é de 60% nos melhores serviços do mundo, ou seja, onde a terapia já é usada rotineiramente. Em centros não especializados, a taxa cai para 20% a 30% de chance de sobrevivência. Além disso, o médico destaca que o Brasil enfrenta outro problema para usar o tratamento: a falta de materiais. “Está faltando material de base, que são os descartáveis, como tubos. Tem semana que tem e tem que semana que não”, explica.

 

No Brasil, o uso do Ecmo ainda é muito restrito. Por aqui, só existem 21 centros registrados na sociedade internacional Extracorporeal Life Support Organization (Elso), que reúne os locais que fazem uso da terapia. É um tratamento também novo, que só existe há 10 anos. Só em 2018, o Conselho Federal de Medicina (CFM) passou a reconhecê-lo. Segundo a médica cardiologista Ludhmila Hajjar, o preço para usar a terapia gira em torno de R$ 30 mil por dia e muitos planos de saúde não liberam sua utilização. “Muita gente não tem a chance de ser tratado numa ótima estrutura, como Paulo Gustavo, nem tem chance de ter a ECMO, dispositivo relativamente caro. Não se consegue fazer Ecmo em alta escala no SUS”, disse à CNN.

Entenda a tecnologia

 

A técnica é muito mais complexa do que um respirador. O Ecmo é uma máquina que fica ligada ao paciente e que substitui a função do pulmão e do coração. Ele é utilizado em pacientes graves que poderiam morrer sem o equipamento. No procedimento, o sangue é tirado do corpo do paciente, levado à máquina que tira o gás caebônico do sangue, coloca oxigênio e e devolve para a veia. Paulo Gustavo, que tem 42 anos, é bom candidato para o tratamento, já que, segundo recomendações da Elso, a terapia é mais indicada para pacientes jovens e sem comorbidades. “Não é todo mundo que tem ser colocado em Ecma. Só aquele que tem condições de recuperar. Por exemplo, idade acima de 70 anos é contraindicado porque o risco de causar dano é tão grande que não recomenda”, afirma Werciley.

 

De acordo com Matheus Mourão, cardiologista, chefe das UTIs do Sírio-Libanês Brasília, o tratamento é muito bom, mas tem uma indicação muito especifica. “Ele tem uma indicação muito restrita. É uma terapia muito invasiva, por isso é indicada somente para casos muito graves, refratária a outros tratamentos. Como ele não trata o pulmão, nem a infecção, o que a gente faz é ganhar tempo para que a inflamação passe. Então tem que ter uma perspectiva de que o pulmão é recuperável. Infelizmente em casos mais dramáticos, a própria infecção pode causar lesões irreversíveis”, destaca.

Paulo Gustavo

 

O ator está internado desde 13 de março em um hospital particular no Rio de Janeiro. No dia 21, ele foi intubado. Neste fim de semana, o quadro de Paulo Gustavo se agravou e ele entrou em tratamento por Ecmo. Neste sábado (3/4), o marido do ator, o dermatologista Thales Bretas, fez uma longa declaração ao amado, pediu para as pessoas não acreditarem em fake news e se disse confiante na melhora de Paulo Gustavo.

 

Ao Fantástico, Thales Bretas agradeceu o apoio que tem recebido de todos. Nas redes sociais têm se formado uma grande corrente de oração pela melhora do ator. “Queria encher o coração de vocês de esperança, agradecer todas as orações e dizer que, em breve, nosso amado Paulo vai estar de volta na minha família, na telinha de vocês e no coração e na alegria de todo mundo que está torcendo para ele”, disse.

 

Compartilhe aqui:

Morre de Covid-19 o radialista cearense Will Nogueira

 

Morreu de Covid-19, nesta segunda-feira, 5, o radialista Will Nogueira. Segundo informação de familiares, ele estava internado e precisou ser intubado pelo agravamento da doença. Por muitos anos, ele foi diretor FM 93 e fazia bastante sucesso em Fortaleza.

 

Formado em Ciências Econômicas pela Universidade Federal do Ceará (UFC), Will Nogueira começou no rádio na década de 1970. Trabalhou durante 36 anos no Sistema Verdes Mares, dirigindo a FM 93.

 

Compartilhe aqui:

Enfermeira conforta bebê com Covid-19 que não podia receber visitas

 

Uma foto ganhou a atenção das pessoas nesta sexta-feira (2) de forma positiva em meio à pandemia do novo coronavírus.

 

Nela, uma enfermeira usando um equipamento de proteção se deita ao lado de um bebê infectado com a Covid-19, impossibilitado de receber visitas de seus familiares.

 

Segundo a agência Ansa, a foto do pequeno de sete meses foi tirada no dia 3 de março de 2021. À época, ele havia sido internado para uma operação delicada, que não pode ser realizada quando tanto ele quanto sua mãe tiveram testes positivos para o vírus.

 

A Itália é o sétimo país mais afetado pelo SARS-CoV-2 no mundo, com mais de 3,6 milhões de infectados e cerca de 110 mil mortos, sendo a terceira nação europeia que mais sofreu com a pandemia, atrás da França e do Reino Unido.

 

Em tempos difíceis, a foto se tornou um símbolo de perseverança e humanidade.

 

“Tanto meu filho quanto eu estávamos doentes, então não pude visitá-lo. Por isso, me mandaram essa imagem de humanidade e profissionalismo”, disse a mãe da criança.

 

Compartilhe aqui:

Agnaldo Timóteo morre aos 84 anos vítima da Covid-19

 

O cantor Agnaldo Timóteo morreu neste sábado (3) aos 84 anos, em decorrência de complicações causadas pela Covid-19. O artista deu entrada no Hospital São Bernardo, no Rio de Janeiro, dia 17 de março e dez dias depois precisou ser intubado.

 

Os familiares do artista relataram sucessivas pioras no quadro do artista e pediram correntes de oração, no que foram atendidos pelos fãs do cantor.

 

A morte aconteceu às 10h45 e foi confirmada pela assessoria do cantor.

 

“É com imenso pesar que comunicamos o FALECIMENTO do nosso querido e amado Agnaldo Timóteo. Agnaldo Timóteo não resistiu as complicações decorrentes do COVID-19 e faleceu hoje às 10:45 horas.Temos a convicção que Timóteo deu o seu Melhor para vencer essa batalha e a venceu! Agnaldo Timóteo viverá eternamente em nossos corações!”, diz o texto.

 

Timóteo já havia recebido as duas doses do imunizante contra o coronavírus. No entanto, os médicos acreditam que o cantor foi infectado no intervalo entre a primeira e a segunda dose da vacina.

 

Natural de Caratinga, em Minas Gerais, Timóteo se mudou para Governador Valadares aos 16 anos, onde se tornou torneiro mecânico. Na década de 1950, em busca do sonho de ser cantor, foi para Belo Horizonte. Embora fosse conhecido como “Cauby mineiro” na cidade, Timóteo não obteve muito sucesso.

 

Já na década de 1960 mudou-se para o Rio de Janeiro e passou a trabalhar como motorista particular para o empresário e produtor Kléber Lisboa. Conquistou a admiração da esposa de Kléber, a cantora Angela Maria, consagrada, na época, como a “Rainha do Rádio”, que passou a apoiar sua aspiração pela carreira artística.

 

Ao longo dos mais de 50 anos de carreira musical, Agnaldo Timóteo lançou mais de 30 LPs, mais de 20 CDs e três DVDs. Mesmo tantas décadas depois, o cantor seguia com mais de 100 mil ouvintes mensais segundo o Spotify.

 

Em 2019, o artista sofreu um acidente vascular cerebral (AVC) e precisou ser colocado em coma induzido.

Carreira Política

 

Agnaldo Timóteo se candidatou ao cargo de deputado federal pelo PDT do Rio de Janeiro nas eleições de 1982 e obteve a maior votação daquele pleito: mais de 500 mil votos. Deixou a Câmara no fim da legislatura, em janeiro de 1987, retornando à vida artística.

 

Em 1990, já no PDS, voltou ao cenário político e disputou o governo do Rio de Janeiro contra seu ex-aliado Leonel Brizola, que venceu o pleito ainda no primeiro turno.

 

O cantor voltou a se candidatar a deputado federal em 1994. Concorrendo pelo Partido Progressista Reformador (PPR) – resultado da fusão do PDS com o Partido Democrata Cristão (PDC) – obteve votação inexpressiva. O Tribunal Regional Eleitoral (TRE), diante de uma suspeita de fraude, impugnou as eleições e convocou novo pleito. O desempenho de Timóteo foi o suficiente para conquistar a primeira suplência e o levar à Câmara novamente, em maio de 1995.

 

Timóteo substituiu o deputado Amaral Neto, que precisou se afastar por motivos de saúde, e atuou como titular nas comissões de Defesa do Consumidor, de Meio Ambiente e das Minorias. Ele atuou também junto à comissão especial criada para analisar a proposta de abertura de cassinos no país.

 

Com a fusão do PPR com o Partido Progressista (PP) em 1995, o cantor filiou-se ao Partido Progressista Brasileiro (PPB). Com a morte do deputado Amaral Neto, em outubro do mesmo ano, Timóteo foi efetivado na Câmara. Em julho de 1996 tornou-se membro das comissões de Viação e Transportes e de Direitos Humanos.

 

Nas eleições de 1996, em outubro, concorreu ao cargo de vereador Rio de Janeiro pelo PPB e conquistou 29.383 votos, alcançando a maior votação do partido. Renunciou ao cargo de deputado federal e assumiu o mantado na Câmara Municipal do Rio em janeiro de 1997. Na Câmara dos Deputados, foi substituído pelo suplente Osmar Leitão.

 

Tentou se reeleger em 2000, mas não obteve sucesso e deixou o cargo em janeiro de 2001. Mudou-se para São Paulo e pelo Partido Progressista (PP) – legenda oriunda da refundação do PPB – voltou a se candidatar como vereador e foi eleito em 2004.

 

Começou o mandato na Câmara Municipal de São Paulo em janeiro de 2005 e logo em julho do ano seguinte migrou para o Partido Liberal (PL). Seis meses mais tarde, a sigla anunciou a fusão com o Partido de Reedificação da Ordem Nacional (PRONA), originando o Partido da República (PR).

 

Em 2008, foi reeleito para um novo mandato como vereador por São Paulo. Dois anos depois, no mês de outubro, se licenciou do cargo para disputar uma vaga na Câmara dos Deputados. No entanto, conseguiu apenas uma suplência.

 

De volta ao mandato de vereador, destacou-se na Comissão da Verdade, criada em abril de 2012 para investigar violações de direitos humanos no período do Regime Militar. Apesar de crítico à criação da Comissão, integrou o grupo até agosto.

 

Nas eleições de outubro de 2012, Timóteo tentou se reeleger, mas não obteve sucesso. Após a derrota, o cantor declarou estar decepcionado com os números e anunciou que iria se retirar das atividades políticas para retomar a carreira artística.

 

CNN

 

Compartilhe aqui:

Comandante da Polícia Militar do DF é exonerado por furar fila da vacina

 

O comandante-geral da Polícia Militar do Distrito Federal, Julian Rocha Pontes, foi exonerado do cargo após furar a fila da vacina. A demissão dele será publicada, ainda nesta sexta-feira (2/4), em edição extra do Diário Oficial. A decisão foi confirmada ao Correio por fontes do Palácio do Buriti.

 

Na manhã de hoje, houve uma reviravolta no calendário de vacinação das forças de segurança pública da capital. Após anunciar o início da imunização da categoria neste sábado (3/4), a Secretaria de Saúde voltou atrás, e adiou para a próxima segunda-feira (5/4).

 

Revolta

 

A informação de que militares de alta patente furaram a fila da vacina gerou revolta na caserna. Além do comandante da corporação, também furaram a fila o subcomandante-geral da PM, coronel Cláudio Fernando Condi; o chefe do Departamento Operacional (DOP), coronel Hemerson Rodrigues Silva; e o subcomandante operacional do 2º Comando de Policiamento Regional, tenente-coronel Eduardo Condi. Os nomes foram confirmados ao Correio por fontes militares.

 

Fontes policiais com quem a reportagem conversou informaram que o comandante-geral da PM, Julian Pontes, se vacinou na Unidade Básica de Saúde I (UBS I) da Asa Sul, na quarta-feira (31/3). A imunização dos coronéis e comandantes ocorre devido à circular vigente da Secretaria de Saúde do DF, que prevê a a destinação das sobras da vacina, chamadas de “xepas” para os policiais militares que fazem a segurança das vacinas, do transporte e dos locais de vacinação.

 

Em nota oficial divulgada na quinta-feira (1º/4), a SES-DF informou que “esses profissionais (citados na lista da circular) também fazem parte do grupo de prioritários e já estarão nos locais trabalhando justamente para que a população tenha tranquilidade e segurança durante a aplicação das vacinas”.

 

Um dos vacinados antes dos praças é o tenente-coronel Eduardo Condi, irmão do subcomandante-geral, coronel Cláudio Fernando Condi. Condi passou a atuar na área administrativa da corporação após ser indiciado no caso Naja.

 

O policial militar é padrasto de Pedro Henrique, o estudante de medicina veterinária picado pela serpente Naja, e, no esquema criminoso, teria dado suporte financeiro e material para que a residência servisse de cativeiro para as cobras. O tenente-coronel responde 23 vezes por tráfico de animais silvestres, fraude processual, maus-tratos e associação criminosa.

 

Queixa-crime

 

O deputado e bombeiro militar Roosevelt Vilela (PSB) gravou um vídeo classificando a atitude dos militares como “inacreditável e inadmissível”. “Isso (vacinação antecipada) é um desrespeito aos mais de 20 policiais militares que perderam a vida para a covid-19. Enquanto você, policial da ativa, está no enfrentamento e na defesa da sociedade, o comandante-geral de gabinete fura fila da vacina”, disse.

 

O parlamentar afirmou que acionará o Artigo 101 da Lei Orgânica, que prevê, por meio da Câmara Legislativa do DF, o afastamento imediato dos gestores. Afirmou, ainda, que estará representando uma queixa-crime, exigindo que a Corregedoria da PM abra um conselho de justificação contra os oficiais. “Essas são ações efetivas e enérgicas no sentido de manter a moral e respeito de cada um desses PMs, que diuturnamente defendem a sociedade”, frisou.

 

As informações são do Correio Braziliense

 

Compartilhe aqui:

Ex-vereador Renato Dantas, morre de complicações do Covid-19

 

O ex-vereador de Natal e ex-presidente da Câmara Municipal Renato Dantas faleceu na madrugada desta sexta-feira (2), aos 60 anos de idade. O político estava internado na UTI da Policlínica, em Natal, acometido pela covid-19. O óbito foi confirmado às 5h42.

 

Internado desde o dia 10 de março, Renato Dantas estava sedado e intubado, e apresentava febre constante. Apesar da utilização de ventilação mecânica, o nível de oxigênio no sangue continuava oscilando, com saturação entre 82 até 90, mesmo com a máxima potência do respirador.

 

Em boletim publicado na quarta-feira, a possibilidade de traqueostomia que estava prevista no início da semana também foi suspensa em razão da gravidade na saúde dp ex-vereador, já que não era viável suspender a respiração no momento da retirada do tubo e realizar o procedimento da traqueostomia.

 

Renato Dantas foi eleito vereador nos períodos de 1996 a 2000, 2001 a 2004 e 2005 a 2008. Reeleito em 2000 como o vereador mais votado de cidade. Entre 2003 e 2004 foi presidente do Legislativo Municipal, sendo o responsável pela instalação e inauguração da TV Câmara Natal, o primeiro canal legislativo do Nordeste. Firmou convênio com o Senado Federal, transformando a TV Câmara na primeira emissora legislativa do Brasil afiliada da TV Senado.

 

Tribuna do Norte

 

Compartilhe aqui: