Brasil

Morre Erasmo Carlos, após ser intubado às pressas

 

Morreu no início da tarde desta terça-feira, 22 de novembro, o cantor Erasmo Carlos, aos 81 anos de idade. Tremendão passou mal na manhã de hoje e precisou ser intubado às pressas no hospital Barra D’Or’, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio. A causa da morte e quando houve a internação não foram reveladas.

 

No dia 30 de outubro, a morte de Erasmo chegou a ser anunciada, mas a informação não procedia. Ele recebeu alta no dia 2 de novembro e estava há 20 dias em casa se recuperando.

 

Pelas redes sociais, amigos começam a se despedir de Erasmo Carlos: “Meu adeus ao querido Tremendão. Erasmo leva seu sorriso e o rock para o céu! Saudades”, escreveu Boninho, diretor da Globo.

 

Ao todo, Erasmo Carlos ostenta mais de 50 anos de carreira e a produção de 500 sucessos, que marcaram época. Destaque para “Além do Horizonte”, “É Preciso Saber Viver”, “O Bom”, sucessos no período da Jovem Guarda.

 

Erasmo Carlos é natural do Rio de Janeiro e foi criado na Tijuca. Ao lado de Wanderléa e Roberto Carlos, foi um dos pilares da Jovem Guarda, durante os anos 60 e 70.

 

Compartilhe aqui:

Pastora Flordelis é condenada a 50 anos e 28 dias de prisão pelo assassinato do marido

 

O Conselho de Sentença do Tribunal do Júri de Niterói condenou a ex-deputada Flordelis dos Santos pelo assassinato do seu marido, o pastor Anderson do Carmo, morto em 2019, a 50 anos e 28 dias de prisão.

 

pastora foi condenada por homicídio triplamente qualificado, tentativa de homicídio duplamente qualificado, além uso de documento falso e associação criminosa armada.

 

Já a filha biológica de Flordelis, Simone dos Santos Rodrigues, foi condenada a 31 anos e 4 meses de prisão por homicídio triplamente qualificado, tentativa de homicídio duplamente qualificado e associação criminosa armada.

Rayane dos Santos, neta biológica da ex-deputada e Marzy Teixeira e André Luiz de Oliveira, filhos adotivos de Flordelis, foram inocentados.

 

Ao todo, o julgamento levou sete dias, um dos mais longos da história fluminense, e a última sessão durou quase 24 horas.

 

Namorado chorou após sentença

 

O produtor musical Allan Soares, namorado de Flordelis, chorou muito após a leitura da sentença. Já o advogado Rodrigo Faucz, que defende a ex-deputada, afirmou que “o placar foi bem apertado, não foi unânime a condenação dela”.

“Entendemos que foi esse processo que formou uma pressão que levou a este fato dado”, avaliou Janira Rocha, que faz parte da defesa de Flordelis.

 

O advogado assistente de acusação dedicou a condenação de Flordelis à família de Anderson do Carmo, e disse que está satisfeito com a condenação e ainda chamou a ex-deputada de “chefe da organização criminosa”. Ele ainda afirmou ainda que não vai recorrer da absolvição de André Luiz, Marzy e Rayane.

 

Com informações do G1.

 

Compartilhe aqui:

Mega de Virada sorteia R$ 450 milhões, maior prêmio da história do concurso

 

A edição deste ano da Mega da Virada, realizada pela Caixa Econômica Federal, tem prêmio estimado de R$ 450 milhões, o maior da história do concurso.

 

O sorteio será realizado no dia 31 de dezembro e as apostas podem ser feitas a partir de quarta-feira (16).

 

Como nos demais concursos especiais, o prêmio da Mega da Virada não acumula, ou seja, não havendo apostas premiadas com seis números, o prêmio será rateado entre os acertadores de cinco números e assim sucessivamente, conforme as faixas de premiação.

 

CNN Brasil

 

Compartilhe aqui:

Morre Gal Costa, ícone da música popular brasileira, aos 77 anos

 

A cantora Gal Costa, um dos maiores nomes da música popular brasileira, morreu nesta quarta-feira (9), aos 77 anos.

 

A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa da artista à CNN. A causa da morte não foi informada.

 

Gal Costa faria apresentação no festival Primavera Sound, em São Paulo, no último fim de semana. A participação foi cancelada às vésperas do evento. Sua última participação em festivais foi no Coalla Festival, em setembro deste ano em São Paulo.

 

De acordo com a assessoria, a cantora se recuperava nas últimas três semanas de um procedimento cirúrgico nasal.

 

Gilberto Gil, um de seus companheiros de os “Doces Bárbaros”, postou em seu perfil no Twitter sobre a morte da amiga.

 

Gal Costa é considerada uma das principais referências vocais femininas de sua geração e influência para cantoras posteriores. Com postura irreverente e desafiadora, sua trajetória é marcada por reinvenções, rupturas e a particular junção do grito do rock ao canto popular.

História de Gal Costa

 

Maria da Graça Costa Penna Burgos, a Gal, nasceu em Salvador, na Bahia e começou a cantar na adolescência em festas escolares e trabalha em uma loja de discos, onde conheceu a bossa nova.

 

Em 1964 ela se junta aos artistas cantores Caetano Veloso, Gilberto Gil, Tom Zé e Maria Bethânia em “Nós, Por Exemplo”, show de inauguração do Teatro Vila Velha, em Salvador. No mesmo ano, ainda como Maria da Graça, gravou um disco com as faixas “Eu Vim da Bahia” e “Sim, Foi Você”.

 

De acordo com a Enciclopédia da Música Brasileira, projeto do Itaú Cultural, depois de 1967 ela gravou duas músicas do álbum “Tropicália” ou “Panis et Circencis”, de Caetano.

 

A capacidade de se reinventar foi uma característica marcante da cantora e sua carreira foi marcada por mudanças. A primeira delas acontece em 1968: com colar de espelhos, penteado black power e o canto agudo e provocador, Gal defende a canção “Divino Maravilhoso” no 4º Festival de Música Popular Brasileira da TV Record e fica em terceiro lugar.

 

Em 1969, lançou dois álbuns, “Gal Costa” e “Gal”, com canções de Roberto Carlos e Erasmo Carlos, ícones da jovem guarda. Na voz da cantora, as composições de apelo pop ganham interpretação enérgica.

 

Ao longo do exílio de Caetano e Gil, iGal torna-se representante do tropicalismo. Em 1970, a cantora vai para Londres para visitar os dois músicos e, de volta ao Brasil, lança “LeGal”.

 

O disco ao vivo “Fa-tal – Gal a Todo Vapor”, de 1971, traz músicas de Luiz Melodia (1951-2017), Roberto Carlos e Erasmo Carlos.

 

Também tocando na questão política, a capa do álbum “Índia” traz um close da virilha da cantora, vestida com um biquíni e, na contracapa, ela aparece de seios nus. O LP foi vendido nas lojas dentro de um plástico escuro por causa da censura.

 

Com o disco “Cantar”, Gal se reaproxima da MPB e muda a postura vocal, amenizando a agressividade e priorizando a voz límpida, um retorno à referência de João Gilberto.

 

Em 1975, Gal, Gil, Caetano e Bethânia se reúnem para o espetáculo “Os Doces Bárbaros”, que dá origem ao disco homônimo. No mesmo ano, interpreta “Modinha para Gabriela”, do compositor Dorival Caymmi (1914-2008) e tema de abertura da adaptação do romance Gabriela, Cravo e Canela, de Jorge Amado (1912-2001). Menos experimentais, Gal Canta Caymmi (1975) e os dois álbuns seguintes, Caras e Bocas (1977) e Água Viva (1978), são sucessos de público.

 

Em 1980, ela revisita a obra do compositor Ary Barroso (1903-1964) com o álbum “Aquarela do Brasil”. Com “Fantasia” (1981), alcança sucesso nas rádios com a faixa “Festa no Interior”, de Moraes Moreira (1947- 2020) e Abel Silva.

 

Em 1988, recebeu o Prêmio Sharp de melhor cantora. Na década de 1990, retoma a parceria com Salomão no disco “Plural”,  e em 1993, lança “O Sorriso do Gato de Alice”.

 

No álbum “Recanto”, de 2011, Gal se reinventou novamente. O trabalho, composto e produzido por Caetano, traz um repertório com música eletrônica e o funk carioca.

 

Em atualização

 

(Publicado por Lucas Rocha)

 

Compartilhe aqui:

Começa hoje, em todo Brasil, campanha Papai Noel dos Correios

 

A campanha Papai Noel dos Correios começa hoje (9) em todo o Brasil. Até 16 de dezembro, pessoas, empresas e órgãos públicos podem adotar as cartas disponíveis e deixar os presentes nas agências dos Correios participantes, para serem entregues pela instituição.

 

O envio e a adoção de cartas podem ser feitos em formato híbrido, tanto presencial, nas agências participantes, quanto online, por meio do site dos Correios.

 

A campanha contempla cartas enviadas por crianças de até 10 anos e por pessoas com deficiência, nesse caso sem limite de idade. Os Correios também fazem parceria com escolas públicas, por intermédio das secretarias estaduais ou municipais de Educação. Portanto, as escolas participantes são selecionadas por essas secretarias para enviarem cartas de crianças que estão na Educação Infantil e no Ensino Fundamental até o 5º ano, independentemente da idade, e de crianças de creches, abrigos e núcleos socioeducativos.

 

Para envio das cartas pelo site, a pessoa deve fazer a cartinha de maneira manuscrita, em uma folha de papel, contando sua história e fazendo o pedido. É preciso fotografar a carta e preencher o formulário disponível.

 

Compartilhe aqui:

Morre Guilherme de Pádua, aos 53 anos, assassino de filha de Gloria Perez

 

Morreu neste domingo (6/11), aos 53 anos, Guilherme de Pádua. A morte dele foi confirmada pelo pastor Márcio Valadão, da Igreja Batista da Lagoinha, em uma live no Instagram. O ex-ator teve um infarto em casa, em Belo Horizonte, e não resistiu.

 

Guilherme de Pádua foi condenado pelo assassinato da atriz Daniela Perez, filha da autora Gloria Perez, a 19 anos e 6 meses de prisão. Daniela foi brutalmente assassinada em 1992. Os dois eram colegas de profissão na novela De Corpo e Alma, da TV Globo. Pádua foi solto em 1999 após cumprir um terço da pena. Desde 2017,ele era pastor na Igreja Batista da Lagoinha, em Belo Horizonte.

 

“Pouco antes das 22h recebi o telefonema de uma irmã falando de um dos nossos pastores que acabou de falecer. Para mim foi um impacto muito grande, porque hoje de manhã eu dirigi um culto e ele estava com a esposa no primeiro banco”, disse o pastor Márcio Valadão. “Ele praticou aquele crime tão terrível com a Daniela Perez, foi preso, cumpriu pena e se converteu”, continuou.

 

Compartilhe aqui:

Governo Bolsonaro corta 87% de doação de leite a famílias na miséria no Nordeste e Minas

 

247 – “Uma das principais ações do governo federal no combate à fome no interior nordestino e de Minas Gerais, a distribuição de leite às famílias em extrema pobreza pelo programa Alimenta Brasil (antigo PAA, Programa de Aquisição de Alimentos) foi drasticamente reduzida em 2022. Entre janeiro e agosto, o total de litros distribuídos caiu 87% em comparação ao mesmo período do ano passado”, informa o jornalista Carlos Madeiro em reportagem publicada no portal UOL.

 

“A escolha dessa área ocorre pelo maior grau de insegurança alimentar. É na região da Sudene que estão 11 milhões —ou seja, mais da metade— dos 20 milhões de famílias que recebem o Auxílio Brasil”, esclarece.

 

“O programa do leite, como é conhecido, é tradicional no Nordeste há pelo menos duas décadas e, segundo gestores, enfrenta hoje o seu maior desfinanciamento federal e a menor quantidade distribuída”, acrescenta.

 

 

Compartilhe aqui:

“Falta rigor nas penas de quem espalha notícias falsas”, diz Spinelli

 

 

Faltando duas semanas para o segundo turno das eleições presidenciais entre os candidatos Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Jair Bolsonaro (PL), as fake news ganham forças na batalha travada nas redes sociais. E, nesse contexto, o uso das deepfakes – técnica onde é possível elaborar vídeos realistas em que pessoas aparecem fazendo e falando fatos que nunca fizeram ou disseram -, vem sendo aplicadas no pleito, com o objetivo de manipular conteúdo, distorcer informações e ameaçar a credibilidade do processo eleitoral.

 

Em entrevista ao AGORA RN, nesta segunda-feira 17, o professor da UFRN e cientista político Antônio Spinelli afirmou que as deepfakes são perversas e ferem a democracia. Ele ressaltou ainda que no caso da política, embora a Justiça Eleitoral tenha se empenhado em combater a prática, falta rigor nas penas e sanções aplicadas aos responsáveis por disseminar esse tipo de conteúdo.

 

“É preciso pensar em mecanismos novos de detecção dessas deepfakes, é preciso pensar também em condições mais severas para os que propagam isso” Antônio Spinelli Cientista político.

 

“Porque quando você impõe pena mais severa, você inibe. Lembre-se da questão do uso do cinto de segurança. Quando a lei saiu as pessoas se recusavam, mas quando se viu que a punição era para valer (começou-se a respeitar). Então, veja que a punição é um elemento que pode contribuir bastante, nós precisamos adotar a punição e penas mais severas. Da mesma forma que as tecnologias digitais permitem a produção e difusão dessas deepfakes, elas permitem também isso seja rastreado, seja detectado e, portanto, os autores podem ser identificados. Então é preciso pensar em mecanismos novos de detecção dessas deepfakes, é preciso pensar também em condições mais severas para os que propagam isso”, defendeu.

 

De acordo com Antônio Spinelli, a manipulação de imagens e vozes de políticos para espalhar notícias falsas representa um perigo para a democracia, pois para “que os fatos chegam até a nós como eles realmente são, é absolutamente necessário, que o regime democrático se sustente, persista. Então, se você conta com essas informações falsas e, hoje elas estão disseminadas, a velocidade de circulação dessas informações é muito grande, elas replicam imediatamente pela internet e muita gente tem acesso”, enfatizou.

 

Segundo o cientista político, “o grande problema dessas deepfakes é que elas utilizam tecnologias digitais avançadas, falsificam a voz das pessoas e com isso passa para um público muito amplo como se fosse verdade. Agora, a grade eficácia não está apenas na nesta questão do uso de tecnologia, claro que sem as tecnologias digitais esse tipo de fake não existiria, mas o problema é que há um público que é previamente receptivo, há uma atitude de recepção e crença. Então, você é militante de um determinado partido ou é adepto de um determinado candidato e se você não tem uma consciência crítica bem definida, você ingere essas coisas, né? Mais do que ingere, você engole e acredita. Então, o efeito que isso tem é um efeito com um potencial ofensivo muito grande, porque distorce a realidade e isso está acontecendo em larga escala em nosso país”, disse.

 

“Então, o efeito que isso tem é um efeito com um potencial ofensivo muito grande, porque distorce a realidade e isso está acontecendo em larga escala em nosso País” Antônio Spinelli, Cientista político.

 

De acordo com Antônio Spinelli, o fenômeno das deepfakes podem impactar as mais diversas classes sociais, desde trabalhadores, com nível de renda relativamente baixa e nível de instrução formal baixos a setores da população que são “supostamente mais formados também são vulneráveis a esse tipo de manipulação e, o senso crítico não depende necessariamente nem exclusivamente de instrução formal, pois mesmo pessoas com nível de instrução formal relativamente baixo, digamos assim, conseguem formar o senso crítico”.

 

E CONTINUOU: “Eu diria que está nas pessoas a possibilidade das deepfakes exercer influência, ser eficaz ou não. Mas é claro que as pessoas estão sujeitas a influência de lideranças, as lideranças todo mundo tem, tem admiração por alguma pessoa, político, religioso, líder empresarial ou comunicador de marcas e entre outros. Então, há toda uma interação com as outras instâncias também. A recepção das deepfakes é muito complexa, não podemos imaginar que essas pessoas não tenham repertório cultural. Elas têm também uma cultura e um repertório. É preciso apostar essa possibilidade de que as famílias hoje resistam criticamente”, pontuou.

 

Agora RN

 

Compartilhe aqui:

FOTO: Alta vazão destrói parcialmente passarela das Cataratas do Iguaçu

 

Foram divulgadas imagens que mostram a destruição na passarela do lado argentino das Cataratas do Iguaçu. A ponte, que dá acesso à “Garganta do Diabo”, ficou parcialmente danificada no sábado (15) após a segunda maior vazão registrada nas quedas, com mais de 16,5 milhões de litros por segundo.

 

As fotos, feitas pela equipe da concessionária responsável pelo Parque Nacional do Iguaçu, mostram como ficou o trecho. O local estava interditado desde a última quarta-feira (12/10), quando a vazão por segundo passou de mais de 11,5 milhões de litros por segundo.

 

No lado brasileiro, em Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, a passarela próxima às quedas que também estava fechada e foi liberada após vistoria de equipe técnica. A passarela foi reaberta por volta das 10h desse sábado (15/10).

 

Volume de água segue alto

 

Informações divulgadas pela Companhia Paranaense de Energia (Copel) mostram que a vazão ainda está acima da média, com 8,7 milhões de litros por segundo. O volume considerado normal pela empresa responsável pelo monitoramento hidrológico da região é de 1,5 milhão de litros por segundo.

 

Medição

 

Em entrevista ao G1, a engenheira de Recursos Hídricos Cassia Silmara Aver Paranhos, da Copel, explicou que os valores de vazão são estimados de acordo com monitores instalados ao longo do leito do Rio Iguaçu, que nasce em Curitiba e segue no sentido leste/oeste do Paraná.

 

Ela explicou que, para a medição nas Cataratas, há um sensor instalado próximo às quedas que monitora a vazão 24 horas por dia e está disponível para a população na internet. A partir dos dados obtidos, é possível estimar a vazão por meio de cálculos comparativos.

 

Metrópoles

 

Compartilhe aqui:

Fortes chuvas interditam passarela nas Cataratas do Iguaçu

 

O Parque Nacional do Iguaçu, que abriga as Cataratas do Iguaçu, no Oeste do Paraná, fronteira com a Argentina, registrou vazão de 16 milhões e 500 mil litros d’água por segundo nesta quinta-feira (13), devido às fortes chuvas que atingem a região. Este volume de água está 11 vezes acima da média, que é de 1,5 milhão de litros.

 

Por medida de segurança, a administração do parque interditou a passarela que dá acesso ao mirante conhecido como Garganta do Diabo. Os demais mirantes seguem liberados aos visitantes, que podem apreciar o espetáculo das águas nas Cataratas, que é o maior conjunto de quedas d’água do mundo.

 

A partir desta quinta-feira (14), a expectativa é de diminuição do fluxo de água no Rio Iguaçu, mas a vazão deverá permanecer alta nos próximos dias.

Retomada de visitação

 

Além da alta vazão de água, as Cataratas do Iguaçu registraram visitação de mais de 1 milhão de turistas até esta quinta-feira. Segundo a administração do parque, são visitantes oriundos de 142 países e que representam uma recuperação na média 70% no comparativo com 2019, antes da pandemia, quando o atrativo chegou a receber mais de 2 milhões de turistas.

 

Para visitar o Parque Nacional do Iguaçu é necessário adquirir o ingresso pelo site oficial, exclusivamente online [www.cataratasdoiguacu.com.br/ingressos], com escolha do dia e horário para o passeio. Como os ingressos são limitados, a recomendação é fazer a reserva com antecedência.

 

Agência Brasil

 

Compartilhe aqui:

Bolsonaro corta verba de combate ao câncer para orçamento secreto, diz veículo

 

De acordo com matéria publicada pelo Estadão, na semana passada, os cortes promovidos pelo governo do atual Presidente Jair Bolsonaro irão impactar diretamente os investimentos na prevenção e controle do câncer. O assunto voltou à tona nesta terça-feira (4), muito pelo início do Outubro Rosa, mês reservado para debates e medidas de conscientização sobre o câncer de mama.

 

Ainda segundo o jornalista Felipe Frazão, responsável pelo artigo, o objetivo é acomodar dinheiro no orçamento secreto, que é “usado para acordos políticos”. A atitude polêmica chama atenção na mídia, enquanto o país caminha para um 2º turno das eleições, em que Bolsonaro disputa um 2º mandato contra o ex-Presidente Lula, do PT.

Governo Bolsonaro corta verba para prevenção de câncer

A investigação do Estadão aponta que a verba de combate à doença passará de R$ 175 milhões para R$ 97 em 2023, representando um corte de 45%. Outros programas, destinos a repasse de dinheiro para compra de materiais, ferramentas e reformas de unidades hospitalares e ambulatórios, também foram afetadas.

 

Atualmente, o câncer é uma das doenças que mais mata brasileiros e, no Outubro Rosa e Novembro Azul, especialistas destacam a importância de reconhecer os sintomas precoces da doença. Os meses em questão têm foco no câncer de mama e de próstata, respectivamente. Não é o primeiro sinal de descaso de Bolsonaro, que já vetou temporariamente a distribuição de absorventes e outras medidas de interesse público.

 

Por fim, o veículo jornalístico confirma que redes com foco em gestantes, dependentes químicos e pessoas com transtornos mentais também tiveram redução no investimento público – a fim de alimentar o orçamento secreto.

 

Compartilhe aqui:

IBGE prorrogará a coleta em campo do Censo Demográfico até início de dezembro

 

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que prorrogará a coleta em campo do Censo Demográfico até o início de dezembro. O trabalho de levantamento de informações em campo, que teve início em 1º de agosto, estava previsto para se estender apenas até o fim de outubro.

 

O instituto comunicou que está enfrentando dificuldades para contratar trabalhadores em determinados locais. Em todo o País, o IBGE conta com 95.448 recenseadores em ação no momento, apenas 52,2% do total de vagas disponíveis. O Estado com maior déficit de recenseadores é o Mato Grosso, com 36,8% do número de vagas ocupadas.

 

“Praticamente metade do Censo feito nestes dois meses. Ou seja, a operação está atrasada. A gente estava esperando que fosse encerrar a operação agora na primeira semana de outubro”, contou Cimar Azeredo, diretor de Pesquisas do IBGE.

 

Ele acredita que o IBGE possa precisar de mais recursos para que o processo termine no prazo estimado.

 

“É bem provável que sim, que a gente precise de mais recursos”, contou Azeredo.

 

Segundo o diretor do instituto, a decisão de prorrogar a coleta até início de dezembro é acompanhada de um compromisso de entregar os dados da contagem da população ainda no fim de dezembro ao Tribunal de Contas da União, para subsidiar a repartição do Fundo de Participação de Estados e Municípios.

 

“Onde o mercado de trabalho está mais aquecido temos mais dificuldade de contratar recenseadores”, justificou Cimar Azeredo.

 

O IBGE está trabalhando na preparação de uma Medida Provisória para permitir a contratação emergencial de recenseadores em condições extraordinárias.

 

“Estamos trabalhando também na melhora na remuneração desses recenseadores de forma a tornar essa remuneração mais atrativa”, disse ele, acrescentando que também estão buscando aprimorar a comunicação sobre o levantamento censitário, de forma a convencer a população a fornecer informações para os recenseadores.

 

Até 2 de outubro, foram recenseadas 104.445.750 pessoas, em 36.567.808 domicílios, o equivalente a 49% da população estimada no País. No Censo Demográfico de 2010, já tinham sido recenseados à essa altura da coleta 86,9% da população.

 

O gerente técnico do Censo, Luciano Duarte, reconhece que o ritmo de coleta está “muito abaixo” do registrado no censo anterior, mas diz que o órgão está buscando melhorar a contratação e a remuneração de recenseadores nos locais onde a curva de recenseamento está muito abaixo do esperado.

 

Entre os já recenseados em 2022, 42,0% estavam no Sudeste; 27,0% no Nordeste; 14,3%, no Sul; 8,9%, no Norte e 7,8%, no Centro-Oeste. Até o momento, 48% dos recenseados eram homens e 52% eram mulheres.

 

“Não tem condições de ter Pnad Contínua no ano que vem se a gente não tem Censo”, apontou Azeredo. “E outras ações aí que são importantíssimas e que estão dependendo do Censo ficar pronto.”

 

Os trabalhadores estão atuando em 282.838 dos 452.246 setores censitários do País, 62,54% do total. Sergipe é o Estado mais adiantado em termos de setores trabalhados, 80,78%, seguido por Rio Grande do Norte (79,69%) e Piauí (79,06%). Os Estados mais atrasados são Mato Grosso (apenas 38,49% dos setores trabalhados), Roraima (45,18%) e Acre (48,79%).

 

Cerca de 2,27% dos domicílios visitados até o momento se recusaram a responder. Em relação ao tipo de questionário, 88,2% dos domicílios responderam ao questionário básico e 11,8% ao ampliado.

 

A maior parte dos questionários (99,5%) foi respondida de forma presencial, enquanto 81.620 domicílios optaram por responder pela internet e 85.309, pelo telefone.

 

Estadão Conteúdo

 

Compartilhe aqui:

Mapa da fome: pesquisa mostra onde estão as pessoas em insegurança alimentar no Brasil

.

O 2º Inquérito Nacional sobre Insegurança Alimentar no Contexto da Pandemia da Covid-19 no Brasil (Vigisan) mostra o quadro da fome nos estados brasileiros. A pesquisa foi realizada pela Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional (Rede PENSSAN) entre novembro de 2021 e abril de 2022.

.

Os dados mostram que os estados do Norte e do Nordeste são os que mais sofrem, em termos proporcionais, com a insegurança alimentar grave. Em Alagoas, 36,7% da população passa fome. No Piauí são 34,3% e no Amapá, 32%.

.

Em números absolutos, a região Sudeste – a mais populosa do país – tem mais famintos: são 6,8 milhões de pessoas no estado de São Paulo e 2,7 milhões no estado do Rio de Janeiro.

.

“Os resultados refletem as desigualdades regionais registradas no relatório do II VIGISAN, e evidenciam diferenças substanciais entre os estados de cada macrorregião do país. Não são espaços homogêneos do ponto de vista das condições de vida. Há diferenças socioeconômicas nas regiões que pedem políticas públicas direcionadas para cada estado que as compõem”, aponta Renato Maluf, coordenador da Rede Penssan.

.

.

Renda insuficiente e endividamento

.

As famílias com renda inferior a meio salário-mínimo por pessoa estão mais sujeitas à insegurança alimentar moderada e grave. Essa é a situação de 76,5% dos domicílios desse perfil de renda em Sergipe e em 72% dessas casas no Maranhão. O índice é alto em diversos estados: 67,6% no Pará, 66,1% no Piauí e 65,7% em Santa Catarina.

.

Além da renda, o endividamento das famílias contribuir para piorar o cenário da fome. Na maioria dos estados do Nordeste, pelo menos 45% das famílias estão endividadas – em Alagoas este índice chega a 57,5%. Os números também são altos no Amazonas (52,6%) e no Distrito Federal (55,6%).

.

“Mesmo as famílias que recebem o Auxílio Brasil, por estarem endividadas, não conseguem utilizá-lo somente para a compra de alimentos. O recurso precisa ser utilizado para pagar outras necessidades básicas, como aluguel, transporte, luz e água”, afirma Ana Maria Segall, pesquisadora da Rede Penssan e da Fiocruz.

.

A fome afeta a infância

.

A insegurança alimentar apresenta, ainda, outra face cruel no Brasil. Nas casas em que há crianças com menos de 10 anos, a fome é maior. Em domicílios com moradores nesta faixa de idade, a proporção de insegurança alimentar moderada ou grave está acima de 40% em todos os estados da região Norte e a sete dos nove estados do Nordeste.

.

A pesquisa foi apresentada ao público em junho, com a divulgação de dados nacionais e das macrorregiões do Brasil. Naquele momento, foi revelado que 33,1 milhões de brasileiros não têm o que comer, e apenas 4 entre 10 famílias conseguem acesso pleno a alimentos. Em números absolutos, são 125,2 milhões em insegurança alimentar – leve, moderada ou grave.

.

Edição: Vivian Virissimo

.

 

Compartilhe aqui:

Em única visita ao Brasil, em 1968, rainha Elizabeth II ganhou de presente um casal de onças

 

A rainha Elizabeth II, que teve a morte confirmada nesta quinta-feira 08, veio ao Brasil uma única vez, no ano de 1968. Na visita, ela percorreu seis cidades durante 11 dias e ganhou um presente inusitado: um casal de onças. A reportagem é da BBC News.

 

“Foi uma visita que teve vários aspectos. Além dos encontros governamentais, houve vertentes de ciência e tecnologia, de cultura e até mesmo de infraestrutura. Mas, sobretudo, eu diria que a viagem foi desenhada para aproximar os brasileiros do Reino Unido, usando o magnetismo do casal real. E isso funcionou muito bem: a rainha e o duque de Edimburgo arrastaram multidões por onde passaram”, disse ao site o embaixador do Brasil em Londres, Fred Arruda.

 

Em plena ditadura militar brasileira, Elizabeth II, na época com 42 anos e 16 de reinado, desembarcou no País no dia 1º de novembro, na cidade do Recife. A monarca e o Príncipe Philip foram recepcionados pelo governador Nilo Coelho no Palácio do Campos das Princesas.

 

Da recepção, um cortejo real seguiu pelas ruas da cidade a caminho do cais do porto, onde, por volta das 18h30, Elizabeth e Philip embarcaram no Britannia, o iate real da Marinha Inglesa, e seguiram para Salvador, onde chegaram às 7h do dia 3 de novembro.

 

Na capital baiana, foram recebidos pelo governador Luís Viana Filho (1908-1990), no Palácio da Aclamação. O casal visitou a Igreja de São Francisco, o Museu de Arte Sacra e o Mercado Modelo. Às 12h35, retornou ao Britannia e seguiu até o Rio de Janeiro, quando uma procissão de 40 embarcações acompanhou o iate real até quase a saída da Baía de Todos os Santos.

 

O Britannia entrou na Baía de Guanabara na manhã do dia 5 de novembro. Por volta das 10h30, a Rainha e o Duque de Edimburgo seguiram para Brasília.

 

Na capital federal, o casal foi recebido pelo presidente da República, general Artur da Costa e Silva (1899-1969). A programação incluiu recepção no Palácio da Alvorada, sessão solene no Supremo Tribunal Federal (STF), pronunciamento no Congresso Nacional e banquete no Palácio Itamaraty.

 

Casal de onças

 

Entre os compromissos do dia seguinte, o casal visitou um jardim de infância, a Catedral Metropolitana e a Embaixada do Reino Unido.

 

Ainda em Brasília, a rainha ganhou um presente inusitado do prefeito Wadjô Gomide (1932-2003): um casal de onças. Os animais foram dados em retribuição aos cisnes reais que Elizabeth doou ao zoológico da cidade. Os felinos seguiram para Londres em um voo da British United Airways.

 

Após deixar Brasília, a Rainha Elizabeth desembarcou em São Paulo às 14h45. Entre outras atividades, conheceu o Monumento do Ipiranga e visitou o Edifício Itália. Na capital paulistana, a programação incluiu shows de Wilson Simonal, Jair Rodrigues e Elza Soares. Já no dia 7, a rainha esteve presente na inauguração do Museu de Arte de São Paulo (Masp).

 

Da capital, a Rainha e o Duque de Edimburgo partiram para Campinas. Na cidade, conheceram o Instituto Agronômico e a Fazenda Santa Elisa. Às 14h45, decolaram rumo ao Rio de Janeiro, a última etapa da viagem, onde pousaram às 16h.

 

No sábado, dia 9, o Duque de Edimburgo visitou o Estaleiro Mauá, em Niterói, e a rainha alguns pontos turísticos do Rio de Janeiro, como a Praia de Botafogo, o Mirante Dona Marta e o Outeiro da Glória. O governador Negrão de Lima homenageou os visitantes com um almoço para 200 convidados no Museu de Arte Moderna (MAM).

 

Jogo no Maracanã

 

No domingo, dia 10, o casal depositou flores no Monumento aos Mortos da Segunda Guerra Mundial, no Aterro do Flamengo. Às 17h, seguiram para o Maracanã, onde assistiram ao jogo entre paulistas e cariocas.

 

No estádio, a rainha foi apresentada ao Pelé, na época com apenas 28 anos, e já bicampeão do mundo. A partida, vista por 105,7 mil espectadores, foi o último compromisso oficial no Brasil. Na segunda pela manhã, embarcaram no Galeão, rumo ao Chile.

 

Charles no Brasil

 

O Príncipe Philip veio ao Brasil bem antes da rainha Elizabeth II, em março de 1962. Ao retornar para o Reino Unido precisou pousar na Base Aérea de Fortaleza para abastecer a aeronave.

 

Na rápida visita, em 1º de abril de 1962, o membro da família real fez revista das tropas e conversou com militares.

 

Compartilhe aqui:

BRASIL: Sem dinheiro para comprar botijão de gás, famílias passam a usar carvão e lenha para cozinhar no interior do RN

 

Sem dinheiro para comprar o gás de cozinha, famílias do interior do Rio Grande do Norte estão recorrendo ao uso de carvão e lenha para cozinhar.

 

Na comunidade de São Pedro, em Pedra Preta, a dona de casa Maria Nilda dos Santos, de 35 anos, começou a usar fogão a carvão há três meses.

 

Ela disse que a técnica já era usada pela família em algumas ocasiões, para economizar no uso do gás, mas passou a fazer parte do dia-a-dia quando comprar o botijão se tornou inviável para a família.

 

Em casa, só o marido dela trabalha, em uma fazenda de melão – emprego que conseguiu há dois meses.

 

“Não estou em condições financeiras de comprar um bujão. Tudo subiu. Ai a gente usa o dinheiro pra comprar comida”, afirma.

 

Maria compra o saco de carvão a uma vizinha, por R$ 30. O insumo dura pouco mais de 20 dias. O botijão de 13 kg atendia a demanda da família por cerca de dois meses, porém custa mais caro.

 

Na última terça-feira (6), o sindicato de revendedores de gás estimou que o botijão passaria a custar, em média, R$ 120, a partir desta quarta-feira (7). O aumento acontece, segundo a categoria, por conta do dissídio coletivo dos trabalhadores do setor, que tradicionalmente ocorre no mês de setembro.

 

No entanto, moradores do interior do RN relatam que o produto já estava sendo comercializado a preços maiores em algumas cidades. Maria Nilda relata que vários vizinhos também têm usado lenha.

 

“Como a gente mora numa comunidade rural, a fumaça não incomoda tanto, mas minha irmã mora na cidade e também está usando carvão, porque é o jeito”, relatou.

 

Nilda tem três filhos e diz que também orienta as crianças, a fim de evitar acidentes como queimaduras.

 

No mês de julho, o pedreiro Severino Francisco Filho, conhecido como Raminho, também passou a usar lenha para cozinhar em casa, em Natal.

 

Dois meses depois, a situação melhorou um pouco e ele conseguiu comprar um botijão. A família agora tenta economizar o gás, cozinhando menos vezes ao longo da semana e guardando a comida na geladeira.

 

“Eu faço o saco de feijão todo de uma vez. Porque se for fazer todo dia, o gás vai embora”, conta a dona de casa Thayse Jessica Souza.

 

A dona de casa, Maria Alzenira de Oliveira, que mora em Mossoró, e é mais conhecida como Nirinha, diz que já achou o botijão a R$ 150.

 

“Um bujão por R$ 150 não dá certo. A gente tem que cozinhar a carvão, porque não tem quem aguente mais. Vamos passar forme. O dinheiro não vai dar nem para comprar o comer. Já vivo com ajuda dos outros”, lamentou.

 

g1 RN

 

Compartilhe aqui:

Fumaça de queimadas na Amazônia afeta seis países da América Latina

 

Após queimadas na região da Floresta Amazônica, corredor de fumaça foi registrado em pelo menos seis países da América Latina. Além do Brasil, chegou a Paraguai, Colômbia, Equador, Peru e Bolívia, conforme análise do portal MetSul, publicada nesta quarta-feira (7).

 

A fumaça que teve origem no norte do Brasil ficou concentrada em estados brasileiros das regiões Sul e Sudeste, como São Paulo e Paraná. A previsão já existia desde a última segunda-feira (5), mas a fumaça só chegou neste Dia da Independência.

 

“O que sobressai na imagem de satélite do dia do bicentenário da independência é a grande quantidade de fumaça resultante de queimadas na Amazônia sobre uma extensa área do País“, detalhou o portal meteorológico.

 

FOCOS DE INCÊNDIO

 

Conforme o Programa Queimadas, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), o Brasil já registrou 105,9 mil focos de incêndio, considerando dados entre 1º de janeiro até esta quarta-feira. Houve um aumento de 10% em comparação ao mesmo período de 2021, que registrou 96 mil ocorrências.

 

Neste ano, a maior parte se concentra na Amazônia, com 62.720 registros, seguido pelo Cerrado, com 32.107 ocorrências de focos detectados pelo satélite de referência.

 

O Inep ainda detalhou que os seis primeiros dias de setembro superam a quantidade de focos de incêndio na Amazônia contabilizados em todo o mês em 2021. Nesta primeira semana, já foram 16.698 queimadas, enquanto os 30 dias de setembro de 2021 tiveram 16.742.

 

Diário do Nordeste

 

Compartilhe aqui:

Pesquisa Ipec para presidente: Lula tem 44%; Bolsonaro, 31%

 

CNN – Pesquisa Globo/Ipec sobre a disputa presidencial divulgada nesta segunda-feira (5) mostra Luiz Inácio Lula da Silva (PT) à frente, com 44% das intenções de voto, seguido por Jair Bolsonaro (PL), com 31%. O primeiro turno das eleições está marcado para 2 de outubro.

 

Na sequência, aparecem Ciro Gomes (PDT), com 8%, e Simone Tebet (MDB), com 4%. Felipe D’Avila (Novo) e Soraya Thronicke (União Brasil) têm 1%.

 

Eymael (DC), Léo Péricles (UP), Pablo Marçal (Pros), Sofia Manzano (PCB) e Vera Lúcia (PSTU) não pontuaram.

 

Roberto Jefferson (PTB) apareceu na pesquisa e também não pontuou. Ele teve a candidatura indeferida pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por conta de condenações. Em razão disso, o partido escolheu Padre Kelmon como substituto na corrida pelo Palácio do Planalto. No entanto, não houve tempo de ele ser incluído nesta pesquisa.

 

Brancos e nulos representam 6% dos entrevistados. A proporção do que não souberam ou não quiseram responder é de 5%.

 

O levantamento ouviu 2.512 pessoas presencialmente entre os dias 2 e 4 de setembro. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

 

A pesquisa foi registrada na Justiça Eleitoral sob o protocolo BR-00922/2022.

 

Veja os números do levantamento abaixo.

Primeiro turno

 

Intenção de voto estimulada para o primeiro turno:

 

  • Luiz Inácio Lula da Silva (PT) – 44%
  • Jair Bolsonaro (PL) — 31%
  • Ciro Gomes (PDT) — 8%
  • Simone Tebet (MDB) — 4%
  • Felipe D’Avila (Novo) – 1%
  • Soraya Thronicke (União Brasil) – 1%
  • Eymael (DC) – 0
  • Léo Péricles (UP) – 0
  • Pablo Marçal (Pros) – 0
  • Sofia Manzano (PCB) – 0
  • Vera Lúcia (PSTU) — 0
  • Roberto Jefferson (PTB)* – 0
  • Brancos/Nulos — 6%
  • Indecisos — 5%

 

*candidatura indeferida pelo TSE

 

A pesquisa Ipec também ouviu os entrevistados sobre um cenário de segundo turno entre os candidatos que lideram, Lula e Bolsonaro.

Segundo turno

 

Intenção de voto estimulada para o segundo turno:

 

  • Luiz Inácio Lula da Silva (PT) – 52%
  • Jair Bolsonaro (PL) — 36%
  • Brancos/Nulos — 9%
  • Indecisos — 3%

Debate

 

As emissoras CNN e SBT, o jornal O Estado de S. Paulo, a revista Veja, o portal Terra e a rádio NovaBrasilFM formaram um pool para realizar o debate entre os candidatos à Presidência da República, que acontecerá no dia 24 de setembro.

 

O debate será transmitido ao vivo pela CNN na TV e por nossas plataformas digitais.

 

*Publicado por Marcello Sapio

 

Compartilhe aqui:

Ator de ‘Pantanal’ é atropelado e passa por cirurgia; amigo morre

 

O ator Gustavo Corasini, de 12 anos, foi atropelado na tarde de terça-feira (23) e está internado em São Paulo após passar por cirurgia.

 

Corasini interpretou o personagem Tadeu na primeira fase da novela ‘Pantanal’. Gustavo teve fraturas no braço, na perna e na bacia.

 

Segundo um comunicado divulgado pelas redes sociais do ator, ele estava com um amigo em frente ao condomínio em que mora, em São Paulo, quando foi atropelado.

 

Eles estavam decorando a rua para a Copa do Mundo de 2022. “Uma moradora foi tirar o carro do lugar para dar passagem e se perdeu no câmbio automático e atropelou os meninos”.

 

O amigo do ator, que estava com ele, não resistiu aos ferimentos e morreu no local.

 

Pelas redes sociais, a família do ator agradeceu ao apoio. “Obrigado a todos pelas palavras e compreensão. Infelizmente não estou conseguindo responder todo mundo. Com fé em Deus, logo nosso menino estará de volta por aqui”.

 

Fonte: g1

 

Compartilhe aqui:

Pesquisa Quaest para presidente: Lula tem 45% e Bolsonaro, 33%

 

Pesquisa Genial/Quaest para as eleições presidenciais de 2022, divulgada nesta quarta-feira (17), traz o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) à frente, com 45% das intenções de voto no primeiro turno, seguido pelo presidente Jair Bolsonaro (PL), com 33%. O primeiro turno das eleições está marcado para 2 de outubro.

 

Depois aparecem Ciro Gomes (PDT), com 6% e Simone Tebet (MDB), com 3%. Outros seis candidatos incluídos na pesquisa não pontuaram: Felipe d’Avila (Novo), José Maria Eymael (DC), Leonardo Péricles (UP), Sofia Manzano (PCB), Soraya Thronicke (União Brasil) e Vera Lúcia (PSTU).

 

Os que dizem que irão votar em branco, anular ou deixar de votar somam 6%. A proporção dos indecisos também é de 6%.

 

Duas mil pessoas foram entrevistadas face a face entre os dias 11 e 14 de agosto. O levantamento tem 95% de confiança. Ou seja, se 100 pesquisas fossem realizadas, ao menos 95 apresentariam os mesmos resultados dentro desta margem.

 

CNN Brasil

 

Compartilhe aqui:

Em discurso de posse no TSE, Moraes defende urnas eletrônicas, diz que eleição é ‘orgulho nacional’ e é aplaudido de pé

 

Em discurso durante sua posse como presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), na noite desta terça-feira (16), o ministro Alexandre de Moraes fez uma defesa da urna eletrônica e do sistema eleitoral e foi aplaudido de pé pelos mais de 2 mil convidados no plenário da Corte.

 

Ele foi aplaudido também em outros momentos, como quando criticou a disseminação de informações falsas (fake news) e afirmou que liberdade de expressão não é “liberdade de destruição da democracia”.

 

Moraes fez o discurso diante do presidente Jair Bolsonaro e dos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva, Dilma Rousseff, Michel Temer e José Sarney. Entre os principais pontos da fala do novo presidente do TSE estiveram:

 

– defesa da urna eletrônica e do sistema eleitoral

– defesa da democracia como único regime político em que o poder emana do povo

– diferenciação entre liberdade de expressão e “liberdade de destruição da democracia”

– crítica às fake news e à desinformação

– críticas ao discurso de ódio

 

Logo no início de sua fala, Moraes citou a agilidade do sistema eletrônico e a confiança da população no processo eleitoral. Ele afirmou que, com segurança e transparência, o resultado das eleições é conhecido no mesmo dia da votação.

 

Somos uma das maiores democracias do mundo em termos de voto popular, estando entre as quatro maiores democracias do mundo. Mas somos a única democracia do mundo que apura e divulga os resultados eleitorais no mesmo dia. Com agilidade, segurança, competência e transparência. Isso é motivo de orgulho nacional”, disse o novo presidente do TSE. Nesse momento, os convidados se levantaram para aplaudi-lo.

 

G1

 

Compartilhe aqui: