26/05/2020
Por Edilson Silva em Caicó, Economia

INSCRIÇÃO: SEBRAE/Caicó busca crédito para MEI’s, pequenos e médios negócios junto ao Banco do Nordeste

Vamos falar sobre Crédito com o BNB? O SEBRAE/RN e o BNB irão se reunir para sanar todas as suas dúvidas. Conheça as principais linhas de crédito do BNB.

Data: 26.05.2020 (terça-feira)
Horário: 19h
Transmissão: Pela ferramenta Cisco Webex

Ficou interessado?
Faça sua inscrição gratuita!
Inscreva-se no link: https://forms.gle/snyDXnbVFi6LCg8v7

2h antes do evento encaminharemos o link de transmissão por email e/ou WhatsApp.

Vagas limitadas!


25/05/2020
Por Edilson Silva em Economia

Sebrae debate Pronampe e ampliação do crédito para os pequenos negócios

O Sebrae realizou nesta quinta-feira (21) um debate sobre a Lei 13.999 (que criou o Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte – Pronampe) e a questão do crédito para os pequenos negócios no Brasil durante a crise. O encontro, realizado por meio do canal do Sebrae no YouTube, teve as participações do presidente do Sebrae, Carlos Melles; do secretário Especial de Produtividade Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, Carlos Da Costa; dos senadores Kátia Abreu e Jorginho Mello; do presidente da Associação Brasileira dos Sebrae/Estaduais (Abase), Cláudio Mendonça, e do presidente da Confederação das Associações Comerciais do Brasil (CACB), George Pinheiro.

Na ocasião, o senador Jorginho Mello, autor do projeto que deu origem à Lei, comentou que a ideia vinha sendo gestada há anos, muito antes da crise do coronavírus. Nunca teve dinheiro para o pequeno empresário em banco. Não passa do cadastro”, afirmou o senador. Ele ressaltou que os donos desses negócios vivem “vendendo almoço para comprar o jantar”, sempre em uma situação limite e se – diante dessa pandemia – eles não tiverem ajuda rapidamente, vão desaparecer. O senador questionou a dificuldade dos bancos em efetivamente liberarem recursos para os empreendedores: “A caixa d’água está cheia, mas a torneira está entupida”. E complementou: “Será que os bancos não vão se interessar por uma operação onde o governo vai bancar 85% do valor do crédito?”.

A senador Kátia Abreu, relatora do projeto de Lei no Senado, destacou a importância das micro e pequenas empresas para a economia do país, na geração de emprego formal e renda, mas registrou que grande parte delas têm pouca sobrevida em razão da falta de competitividade, da falta de capacitação em gestão e da dificuldade de acesso a crédito. “Entre 2014 e 2020, a carteira de crédito ativo dos bancos para as pequenas empresas encolheu 46%”, comentou a senadora, a respeito da redução do volume de empréstimos bancários para pequenos negócios.

“A grande diferença agora é que a União entra como fundo garantidor e assegura a operação de crédito”, destacou Kátia Abreu. Com isso, segundo a senadora, o fundo de R$ 15,9 bilhões tem condições de gerar R$ 100 bilhões em crédito, onde os empresários vão poder obter até 30% do seu faturamento em 2019, com juros em torno de 3,75%, carência de oito meses e 36 meses de prazo para pagamento. A senadora destacou ainda a iniciativa do Congresso, Banco Central e Sepec de criar um instrumento de monitoramento – que apelidou de “Emprestômetro” – para medir o real volume de crédito disponibilizado às pequenas empresas.

Por sua vez, o secretário Especial de Produtividade Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, Carlos Da Costa, saudou a aprovação do Pronampe como a inauguração de uma nova era para a pequena empresa. “Nós já havíamos feito as mudanças trabalhistas e de simplificação dos impostos, mas faltava facilitar o acesso ao crédito. E o Pronampe atende à necessidade do empreendedor, com tudo o que é necessário para que o crédito chegue até ele, efetivamente”, destaca o secretário. “Assim como o Pronaf funciona bem e já é um instrumento reconhecido pelo produtor da agricultura familiar, o Pronampe vai resolver o maior problema do dono do pequeno negócio”, ressaltou Carlos Da Costa. Segundo ele, os próximos passos para a conclusão do processo e início da operação já foram dados. A conclusão da MP do Crédito Extraordinário, que deve reduzir em três semanas o tempo de regulamentação do Fundo de Garantia de Operações (FGO); e os testes que já estão sendo realizados pelo Banco do Brasil e Caixa Econômica para colocar o sistema de operação do crédito em funcionamento.

A importância da criação do Pronampe, que se junta ao Fundo de Aval às Micro e Pequenas Empresas (Fampe), gerido pelo Sebrae, no esforço de ampliação do volume de crédito disponível para os pequenos negócios, foi ressaltada pelo presidente do Sebrae, Carlos Melles. “A crise tornou mais agudo o acesso a crédito pelas pequenas empresas no Brasil. No momento em que os empresários enfrentam queda de 60% das suas receitas, nós nos preocupamos porque o Fampe, com quase R$ 1 bilhão, ainda não consegue cumprir o propósito para o qual foi criado”, observou Melles. Segundo o presidente do Sebrae, a ideia é que o Fampe, articulado com o Pronampe, possa – de fato – alavancar o crescimento do volume de operações de crédito para as micro e pequenas empresas no país.

Descentralização

O presidente da Confederação das Associações Comerciais do Brasil (CACB), George Pinheiro, destacou a dificuldade que as pequenas empresas enfrentam para conseguir acessar os recursos disponibilizados pelo governo e disse que as associações comerciais podem ser uma ponte para os empreendedores. George Pinheiro ressaltou a importância de descentralizar a operação do Pronampe, incluindo além das instituições bancárias, as fintechs e as operadoras de cartões de crédito que, segundo o presidente da CACB, conseguem fazer com que os empréstimos cheguem onde são necessários.

Cláudio Mendonça, presidente da Associação Brasileira dos Sebrae/Estaduais (Abase), abordou o papel dos Sebrae estaduais na orientação e apoio aos pequenos negócios, para assegurar que as empresas consigam acessar os recursos disponíveis. “No momento em que as pesquisas do Sebrae mostram que 89% dos pequenos negócios tiveram queda nas receitas e que – na contramão – 86% deles tentaram crédito e não conseguiram, esse novo fundo de R$ 15,9 bilhões, previsto pelo Pronampe, chega na hora certa. O crédito é a única alternativa para os pequenos negócios enfrentarem a crise”, comenta Cláudio Mendonça.

O que é o Pronampe?

O Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe) é um programa de governo destinado ao desenvolvimento e ao fortalecimento dos pequenos negócios. Foi instituído pela Lei nº 13.999, de 18 de maio de 2020.

O Programa é destinado aos microempreendedores individuais, microempresas e empresas de pequeno porte. Os interessados devem primeiro procurar a instituição financeira com a qual mantêm relacionamento bancário para saber se estão operando linha de crédito do Pronampe. Caso não esteja, recomenda-se pesquisar quais instituições estão atuando com o programa. O Sebrae está mapeando as instituições operadoras para disponibilizar em breve. A fonte de recursos para operar o Programa, que prevê a liberação de até R$ 15,9 bilhões para garantir as operações, é das próprias instituições financeiras. A normatização do Pronampe deve ocorrer na próxima semana.

https://www.facebook.com/sebrae/videos/234571497836671/


21/05/2020
Por Edilson Silva em Brasil, Economia

Auxílio emergencial: Além de militares, jovens de classe média e servidores receberam indevidamente

Enquanto dez milhões de brasileiros ainda aguardam o processamento de seus pedidos para ter acesso à primeira parcela do auxílio emergencial de R$ 600, o governo identificou que filhos de famílias de classe média (maiores de 18 anos), estudantes universitários, mulheres de empresários e servidores públicos aposentados e seus dependentes receberam o benefício sem ter direito. De acordo com o jornal O Globo desta quinta-feira (21).

O grupo se soma a militares que obtiveram indevidamente o benefício. A irregularidade foi possibilitada pela falta de checagem mais rigorosa dos dados sobre a renda familiar, um dos critérios para ter acesso à ajuda federal. Segundo integrantes do governo, fraudadores omitiram a renda do domicílio no cadastro feito na Caixa Econômica Federal.

A informação não foi checada porque a Dataprev, responsável pelo cruzamento de dados e autorização do pagamento, não utilizou a base de dependentes dos contribuintes que declaram Imposto de Renda (IR) para saber, por exemplo, se o requerente é filho de um servidor público.

Foi analisado apenas o CPF da pessoa e se ela não tinha declarado renda superior a R$ 28,5 mil em 2018, um dos requisitos definidos na lei que criou o benefício.


21/05/2020
Por Edilson Silva em Economia, Jucurutu

Quinta Verde – Frutas & Verduras é no Supermercado Floraci – Rede Seridó

Quinta Verde – Frutas & Verduras é no Supermercado Floraci – Rede Seridó. Ofertas válidas somente hoje, 21/05/2020. #SupermercadoFloraci #RedeSeridó #Jucurutu


20/05/2020
Por Edilson Silva em Economia, Jucurutu

SEBRAE realiza Semana do MEI – Micro Empreendedor – Edição Virtual

Sebrae oferece palestras gratuitas com conteúdos voltados para pequeno negócio dentro do Webnars que faz parte da Semana do MEI – Micro Empreendedor Individual.

Dando continuidade a #SemanaDoMei iniciada na segunda-feira (18) pelo Sebrae em todo o país, a partir desta quarta-feira (20) até sexta-feira (22) acontece o Webinars com palestras online gratuitas imperdíveis e conteúdos voltados para os pequenos negócios.

Para fazer a sua inscrição, acesse o site: https://material.rn.sebrae.com.br/webinars-semana-mei


20/05/2020
Por Edilson Silva em Economia

Sebrae seleciona dicas para requerer empréstimos

Em tempos do novo coronavirus, que gerou uma séria crise em milhares de empresas pelo país, muitos empreendedores estão buscando socorro nas instituições financeiras e cooperativas para evitar a falência. Entretanto, antes de buscar um empréstimo, são necessários alguns cuidados para evitar a inadimplência ou o aumento das dívidas futuras. Para lidar com os credores, uma das medidas mais importantes é fazer um plano de pagamento. O Sebrae preparou algumas dicas para que o empresário tenha sucesso na obtenção de crédito sem se complicar.

Um primeiro passo para a obtenção de empréstimos é fazer um plano de fluxo de caixa, o que obriga o empreendedor a colocar no papel todos os gastos com a devida justificativa. Depois, o empresário deve verificar se há outros recursos que podem ajudar no pagamento das dívidas. Para quitar seus débitos ele pode vender veículos, queimar estoques ou se desfazer de maquinários.

Conheça as principais dicas para evitar dor de cabeça ao adquirir um empréstimo:

*Recalcule as parcelas da dívida, alterando datas e valores de multas para que tudo possa caber no orçamento.
*Se o empreendedor tiver mais de uma dívida ele deve organizá-las por ordem de prioridades, tendo como base a situação geral da empresa.
*Na hora de negociar não trate quem está do outro lado como adversário já que, assim como você, o credor está em busca de solução.
*Seja verdadeiro e não leve a discussão para o lado pessoal, pois isso pode fazer a diferença.
*Ao fazer o empréstimo tenha em mente duas perguntas: o valor total das parcelas vai ser menor que a dívida atual e o valor é maior e dará para refazer seu caixa?
*Pesquise linhas de crédito que mais atendem suas necessidades e procure as instituições financeiras certas, pois elas possuem taxas diferenciadas.
*O empreendedor deve ter um bom score, manter os impostos e as certidões negativas em dia.
*Dependendo da finalidade do crédito, os bancos podem pedir um plano de negócios, por isso o empreendedor vai precisar dele para mostrar que seu projeto é viável.
*É bom mapear quais as garantias que você pode apresentar, se o projeto for aprovado pela instituição financeira.
*O empreendedor não deve esquecer do Fampe, o Fundo de Aval às Micro e Pequenas Empresas do Sebrae, que pode garantir até 80% do empréstimo, nas instituições financeiras conveniadas.


20/05/2020
Por Edilson Silva em Economia

Sebrae realiza Semana do MEI totalmente digital, devido a pandemia

Brasília – De 18 a 22 de maio o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) realiza a Semana do Micro Empreendedor Individual (MEI), um período de grande representatividade para a instituição, por ser este um público prioritário, especialmente, por se tratar do primeiro degrau do empreendedorismo. O faturamento anual não pode ser superior a R$ 81 mil, o que dá uma média mensal de R$ 6.750.

O Sebrae vai oferecer, gratuitamente, dezenas de atividades voltadas ao universo digital, com o objetivo de auxiliar os micro empreendedores neste momento de pandemia do coronavirus, onde a economia sofre um forte impacto em função do fechamento provisório de milhares de empresas, por não estarem classificadas como essenciais, segundo os decretos de calamidade pública do Estado e da Prefeitura de Manaus.

No Amazonas, há aproximadamente 194 mil empresas de micro e pequenos empreendedores. Deste universo regional, mais de 25 mil foram atendidas de forma online pela instituição que, desde o dia 23 de março, está operando em sistema de home office, para salvaguardar a segurança/saúde de seus funcionários e clientes. Tudo isso em decorrência da gravidade da pandemia, que registra mais de 1.413 óbitos e acima de 20.328 contágios no Amazonas (dados de 17/05).

A programação digital da Semana do MEI do Sebrae é diversificada, mas focada em ajudar os empresários a superarem a crise reiventando-se, repensando processos empresariais e recriando uma nova realidade de empreendedorismo. Isso está sendo feito, a partir das lições da pandemia, sobretudo quanto à utilização das mídias digitais, para conseguir atravessar as dificuldades com imaginação, criativodade e conhecimento específico da realidade virtual à disposição na internet.

A programação aponta o caminho da inovação digital e no dia 18 de maio começa com: Live Quero ser MEI e Webinar Estratégias de gestão financeira para o MEI.


17/05/2020
Por Edilson Silva em Economia

Em crise, pequenas empresas têm dificuldade de acessar linhas de crédito

Com produção e vendas paradas por conta da necessária quarentena para conter a pandemia do coronavírus, pequenas empresas têm enfrentado dificuldades para acessar linhas de crédito e evitar que as portas não voltem a abrir. Governo e BNDES anunciaram programas de crédito para pequenas empresas, incluindo capital de giro e para financiamento de folha de pagamentos – mas muita coisa não tem chegado às pequenas empresas.

Com isso, pequenos empresários, como Danny Braz, Humberto Gonçalves e Marcos Berredo, enfrentam a incerteza de saber como – e se – suas empresas vão sobreviver à pandemia. Levantamento feito no final de abril pelo Sindicato de Micro e Pequenas Indústrias do Estado de São Paulo (Simpi) mostrou que 87% das micro e pequenas indústrias não tiveram acesso à crédito e que 75% acreditam que as medidas anunciadas não estão chegando a seus negócios.


16/05/2020
Por Edilson Silva em Economia

Caixa paga 1ª parcela do Auxílio Emergencial para mais de 405 mil pessoas

A Caixa Econômica disponibilizou R$ 246 milhões do Auxílio Emergencial para 405.163 mil pessoas neste sábado (16). O banco recebeu da Dataprev o novo lote de beneficiários na quinta-feira (14). No total, serão realizados 311.637 créditos em contas da CAIXA e 93.526 em contas de outros bancos.

Desde o dia 9 de abril, quando teve início o pagamento do auxílio, a quantidade de pessoas que tiveram o benefício creditado pela CAIXA já ultrapassa os 50 milhões, num total de R$ 35,7 bilhões, já considerando os créditos deste sábado.

Até o início da tarde de quinta-feira (14), um total de 52,6 milhões de cidadãos se cadastraram para solicitar o benefício. O site auxilio.caixa.gov.br superou a marca de 862,5 milhões de visitas e a central exclusiva 111 registra mais de 159 milhões de ligações. O aplicativo CAIXA | Auxílio Emergencial conta com 82,2 milhões de downloads e o aplicativo CAIXA Tem, para movimentação da poupança digital, ultrapassa 88 milhões de downloads.

De acordo com dados divulgados pela Dataprev em 5 de maio, somando o público dos que se inscreveram pelo app/site com os do Bolsa Família e do CadÚnico, 97 milhões de cadastros passaram por análise de elegibilidade e foram homologados pelo Ministério da Cidadania.

CAIXA Tem

Para os beneficiários que recebem o auxílio emergencial pela Poupança Social Digital, a CAIXA orienta que seja realizada atualização do CAIXA Tem na loja de aplicativos. Além da alternativa para saque sem cartão, a nova versão possibilita maior número de acessos simultâneos.

Essa ampliação da capacidade prevê atendimento aos usuários que não conseguem acesso imediato nos horários de maior utilização. O gerenciador de acessos (espera virtual) foi configurado para 5 mil usuários por minuto para garantir uma ótima experiência para a utilização do aplicativo. Essa configuração está garantindo a estabilidade do serviço com uma espera média máxima de apenas 1 minuto.

Saque em espécie

Os beneficiários que receberam o crédito do Auxílio Emergencial na Poupança Social Digital já podem efetuar o saque do benefício em espécie. A operação é realizada nos caixas eletrônicos da CAIXA, nas unidades lotéricas e nos correspondentes CAIXA Aqui, de forma escalonada, de acordo com o mês de nascimento.


15/05/2020
Por Edilson Silva em Economia

Caixa ampliará o tempo de interrupção para pagamento da prestação de imóveis

No Brasil, mais de 2 milhões de pessoas, que compraram imóveis pela Caixa Econômica e ainda estão quitando, poderão ser beneficiadas com a suspensão de quatro meses da cobrança do pagamento de financiamento desses bens.

É que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou, nesta quinta-feira (14), que a Caixa vai ampliar o tempo de pagamento do financiamento, que antes era de três meses para quatro. Segundo ele, essa medida vai ajudar aquelas pessoas afetadas pela crise do novo coronavírus, que perderam seus empregos ou tiveram seus salários reduzidos.

Na saída do Palácio da Alvorada, Bolsonaro comentou que até agora o número de clientes da CEF, com imóveis financiados, que pediram uma interrupção no pagamento das parcelas chega a 2,3 milhões.

O presidente entrou em contato com o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, para conversar sobre o assunto. Bolsonaro lembrou que a Caixa já havia adotado regra permitindo o atraso até dois meses e depois decidiu prorrogar esse período por mais um mês, somando um total de três meses. Para Bolsonaro, “o pessoal não tem dinheiro para pagar a prestação da casa própria”.

Na conversa, Bolsonaro e Guimarães chegaram a um acordo para que esse prazo seja aumentado para quatro meses.


14/05/2020
Por Edilson Silva em Economia, Jucurutu

CDL Jucurutu realiza ações preventivas e de solidariedade junto ao comércio durante pandemia

CDL Jucurutu realiza ações preventivas e de solidariedade junto ao comércio e população durante pandemia

CDL Jucurutu realiza ações preventivas e de solidariedade junto ao comércio e população durante pandemiaA Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Jucurutu realiza uma série de ações preventivas junto a população local neste período de pandemia. A ação visa orientar empresários a trabalhar de forma segura com EPI´s, distribuir máscaras de proteção, cestas básicas para a população da cidade durante a pandemia do coronavírus, entre outras iniciativas.Beth Galvão, Presidente da CDL enumera algumas ações que já foram realizadas:1. Fizemos campanha “Quem Tem Fome Tem Pressa” e arrecadamos 1 tonelada e meia de alimentos, os lojistas ajudaram muito. E tudo foi doado com a ajuda da Igreja Católica.2. Na ocasião doamos máscaras para todos que estavam presente lá.3. Convidamos os filhos da terra para fazer Live Solidária, contamos com colaboração de Alex, Pedrinho Pegação, Rubinho, Janaína, Cassinho, Deninho, entre outros e a maioria fizeram sua parte.4. Fizemos uma campanha com as queijeiras que estavam fechadas ou com fluxo de queijo e leite parado e todas se levantaram.5. Baixamos o preço do queijo para população.6. Trouxemos empréstimo a juro zero para população Jucurutuense.7. Promovemos reunião com o Ministério Público, Vigilância Sanitárias, Prefeito, Polícia para que a feira livre acontecesse de forma responsável e consciente.8. Orientamos o comércio para trabalhar de forma segura com os EPIs de segurança.9. Requeremos ao prefeito decreto municipal onde os comerciantes pudesse trabalhar diante de nossa realidade.10. Entregamos através da Igreja Católica máscaras doada pela nossa diretora Fátima Meneses.

Publicado por Blog do Edilson Silva em Quinta-feira, 14 de maio de 2020

A Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Jucurutu realiza uma série de ações preventivas junto a população local neste período de pandemia.

A ação visa orientar empresários a trabalhar de forma segura com EPI´s, distribuir máscaras de proteção, cestas básicas para a população da cidade durante a pandemia do coronavírus, entre outras iniciativas.

Beth Galvão, Presidente da CDL enumera algumas ações que já foram realizadas:

1. Fizemos campanha “Quem Tem Fome Tem Pressa” e arrecadamos 1 tonelada e meia de alimentos, os lojistas ajudaram muito. E tudo foi doado com a ajuda da Igreja Católica.

2. Na ocasião doamos máscaras para todos que estavam presente lá.

3. Convidamos os filhos da terra para fazer Live Solidária, contamos com colaboração de Alex, Pedrinho Pegação, Rubinho, Janaína, Cassinho, Deninho, entre outros e a maioria fizeram sua parte.

4. Fizemos uma campanha com as queijeiras que estavam fechadas ou com fluxo de queijo e leite parado e todas se levantaram.

5. Baixamos o preço do queijo para população.

6. Trouxemos empréstimo a juro zero para população Jucurutuense.

7. Promovemos reunião com o Ministério Público, Vigilância Sanitárias, Prefeito, Polícia para que a feira livre acontecesse de forma responsável e consciente.

8. Orientamos o comércio para trabalhar de forma segura com os EPIs de segurança.

9. Requeremos ao prefeito decreto municipal onde os comerciantes pudesse trabalhar diante de nossa realidade.

10. Entregamos através da Igreja Católica máscaras doada pela nossa diretora Fátima Meneses.

 


14/05/2020
Por Edilson Silva em Economia

Estudo aponta crescimento de 233% na compra online de produtos para alimentação

As primeiras semanas de abril registraram crescimento de 233% na compra de alimentos online. No topo da demanda dos consumidores, a busca por snacks aumentou 722%, superando outras categorias como chocolates e balas, pães e doces que estavam em alta nas semanas anteriores. Os dados são resultado de um levantamento realizado pela Criteo, com base em um banco de dados com informações de mais de 80 países e dois bilhões de compradores mensais ativos.

Segundo análise dos organizadores da pesquisa, os números são uma reação às mudanças de hábito trazidas pela quarentena. Com restaurantes fechados e mais tempo em casa, as pessoas estão cozinhando suas próprias refeições e investindo em mantimentos e lanches para o dia a dia.

Casa e conforto
Para tornar a dinâmica do isolamento mais confortável, o público está em busca de itens para serem usados em casa, aponta o estudo. No início de abril, houve um aumento de 126% nas vendas de vestuário, roupas de dormir e de cama. A demanda online por móveis também cresceu. Mesas e bancadas puxam a alta, com procura 120% maior, seguidas por itens como camas, mesas e móveis de cozinha.

Os setores de limpeza e autocuidado também tiveram destaque no período. A venda de hastes flexíveis com algodão, por exemplo, cresceu 389% no e-commerce. Outros artigos de cuidados respiratórios, cosméticos e maquiagem aparecerem na sequência.  Com o fechamento das academias, acessórios para exercícios entraram na lista de desejo dos consumidores.

Tecnologia para o home office

A adaptação à rotina de trabalho e estudo em casa também impactou no comportamento de consumo. Em todo o mundo, a busca por produtos de tecnologia cresceu. No Brasil, o topo do ranking de busca ficou com as webcams para o uso em videochamadas e aulas online. Tripés e acessórios para câmeras também se destacaram. Ainda no setor de tecnologia, os games chamam a atenção. A categoria teve um crescimento de 282% nas vendas entre os brasileiros, no período.

Portal Meio e Mensagem


12/05/2020
Por Edilson Silva em Economia

Com covid-19, e-commerce já é 48% maior que no mesmo período de 2019

O Correio Braziliense destaca que com a pandemia de covid-19 fez os números do e-commerce brasileiro explodirem. Uma pesquisa que traz os dados consolidados de 2019 no comércio eletrônico mostrou o quanto a quarentena já influenciou nos números dos primeiros meses de 2020.

Em relação ao mesmo período do ano anterior (da segunda quinzena de março até o fim de abril), houve crescimento de 48,3%. Comparado ao período pré-covid (do início de fevereiro à primeira quinzena de março), o crescimento foi de 14,4%.

No consolidado de 2019, o e-commerce ultrapassou a marca de R$ 60 bilhões em faturamento e atingiu 148 milhões de pedidos. E de 1º de janeiro até 30 de abril de 2020, já foi atingido 32% do resultado de todo o ano anterior. Os dados integram a 41ª edição do Webshoppers, o mais amplo relatório sobre e-commerce do País elaborado semestralmente pela EbitNielsen – em parceria com a Elo.


10/05/2020
Por Edilson Silva em Economia

Vendas on-line crescem 47% no país em abril

A disseminação do novo coronavírus mudou drasticamente a rotina de consumo dos brasileiros e intensificou as compras on-line por causa da imposição do isolamento social para conter o avanço da doença.

Passado o susto inicial com a situação, depois de queda de 20% no início da pandemia, o e-commerce brasileiro registrou crescimento de 47% no faturamento no mês de abril. O levantamento – feito pela Associação Brasileira de E-Commerce (ABComm) e pela Konduto – teve como base 25 milhões de pedidos de produtos físicos feitos em quatro mil lojas virtuais entre 1º de março e 25 de abril.

Os dados mostram que, no início da quarentena – entre 15 e 28 de março –, três setores se destacaram positivamente. Com as escolas fechadas e as crianças dentro de casa, o segmento de brinquedos teve alta de 434,7% nos pedidos. Supermercados também registraram aumento de 270,16%, tendo em vista que os vendas virtuais se tornaram excelente opção para quem não quer sair de casa.


07/05/2020
Por Edilson Silva em Economia

RN aprova Plano de Reabertura Gradual da economia apresentado pela Fiern

O Plano de Retomada Gradual da Economia Potiguar, apresentado na terça-feira (5) pela Federação das Indústrias do RN (Fiern) ao Governo do Estado, foi analisado com otimismo pela área econômica do Executivo. O estudo propõe um planejamento estratégico para a reabertura gradual, progressiva e segura das atividades econômicas no Rio Grande do Norte, com escalonamento da flexibilização do isolamento social e também para o período pós-isolamento, à medida que a pandemia da Covid-19 for cessando.

“O plano é muito bom. De forma responsável, veio sem data para iniciar, mas com estratégia bem clara de abertura gradual e dando tempo para se avaliar os impactos dessa abertura nos números da pandemia”, avalia o titular da pasta de Planejamento e Finanças do Governo, Aldemir Freire. Ele ressaltou ainda que, dada a aprovação do comitê científico ao plano apresentado, essa reabertura gradual seja o melhor caminho a ser adotado no pós-pandemia provocada pela Covid-19.

De acordo com a Fiern, o plano foi elaborado por um grupo multidisciplinar com participação de representantes do próprio Governo do Estado, do Mais RN, de outras federações, além do Sebrae, da AGN e de professores da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Conforme explicou o presidente da Fiern, Amaro Sales, mais de 20 pessoas envolvidas debateram várias possibilidades, campos e direções. “Precisamos planejar essa recuperação de forma responsável para quando o retorno for possível, minimizando os efeitos da crise instalada”, disse.


07/05/2020
Por Edilson Silva em Economia, RN

Campanha incentiva digitalização do comércio potiguar para minimizar crise e estimular vendas do Dia das Mães

Com o objetivo de contribuir com o comércio potiguar durante o período de isolamento social, o Conselho Regional de Economia (Corecon/RN) e o Instituto Metrópole Digital (IMD/UFRN) firmaram uma parceria que visa aquecer as vendas para o Dia das Mães.

A iniciativa se constitui na disponibilização gratuita e na divulgação de uma plataforma de vendas online, desenvolvida por uma startup da incubadora de empresas Inova Metrópole, do IMD. Essa plataforma também funciona como vitrine virtual para que pequenos e médios empreendedores exponham e vendam seus produtos, mesmo à distância.

“Nossa ideia é fazer com que, nesse Dia das Mães, muitos pequenos negócios sejam beneficiados pela tecnologia, para que continuem firmes nesse tempo de quarentena”, comenta o CEO Pedro Vasconcelos, da VondME, empresa responsável por desenvolver a plataforma.

A ação visa conscientizar e encorajar os empreendedores a aderirem a canais de vendas online, de maneira que a produção e a comercialização de presentes sejam otimizadas até o dia 10 de maio, data comemorativa em que o consumo é expressivo e fundamental para muitos estabelecimentos.

Digitalizar

Se antes a tecnologia era vista como fator importante para uma revolução no setor do comércio, hoje ela já se tornou essencial. Segundo Vasconcelos, digitalizar um negócio transformou-se em critério para a sobrevivência de lojas e prestadores de serviço.

“É uma alternativa para esse período difícil. Em uma pesquisa recente, constatou-se que mais de 50% dos estabelecimentos do bairro do Alecrim não possuíam canal de vendas online, o que é preocupante, pois sabemos que essas restrições são uma ameaça até para a sobrevivência desses comércios”, comenta Vasconcelos.

Segundo dados levantados pelo Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), empresários de todo o Brasil já declararam uma queda de 69% em seu faturamento semanal. Em contrapartida, segundo o relatório da Ebit/Nielsen, no início de abril deste ano, as vendas online apresentaram crescimento de 3,6% no país.

O CEO da VondME também relatou uma crescente procura por sua plataforma no período de quarentena. “Naturalmente, aplicativos de todo o tipo têm sido bastante demandados. Por isso, ainda que haja o lucro, é preciso que o mercado se una, um ajudando o outro, priorizando sempre o produtor e o pequeno empreendedor local”, enfatiza o CEO.

Durante a quarentena, a VondME diminuiu o preço de suas taxas de comissão, de maneira a facilitar o acesso dessa tecnologia aos empreendedores que sofrem com a crise econômica.


07/05/2020
Por Edilson Silva em Brasil, Economia

Petrobras eleva gasolina em 12% nas refinarias nesta quinta-feira (7)

A Petrobras elevará o preço médio da gasolina nas refinarias em 12% a partir de quinta-feira (7) e manterá o valor do diesel, confirmou a petroleira nesta quarta-feira (6) após ser consultada.

O avanço ocorre após uma recuperação recente dos preços do barril do petróleo no mercado internacional, à medida que alguns países da Europa e da Ásia, assim como diversos Estados norte-americanos, começaram a flexibilizar medidas de isolamento tomadas em função da pandemia de coronavírus.

O repasse de ajustes em valores da gasolina cobrados nas refinarias aos consumidores finais, nos postos, não é imediato e depende de uma série de questões, como margem da distribuição e revenda, impostos e adição obrigatória de etanol anidro.


04/05/2020
Por Edilson Silva em Economia

Agências da Caixa abrem duas horas mais cedo a partir desta segunda, dia 4

A partir desta segunda-feira (4) a Caixa vai antecipar em duas horas a abertura de todas as agências do país. Com a mudança – pensada para agilizar o atendimento e evitar grandes filas e aglomeração de pessoas aptas a receber o auxílio emergencial de R$ 600 – as unidades passarão a funcionar de 8h às 14h. Desde 22 de abril, 1.102 agências já vinham funcionando nesse horário.

O banco também anunciou, a partir desta segunda-feira, um reforço no número de vigilantes nas agências. Serão mais 2.800 que vão se juntar aos 2 mil que já estavam atuando. Além deles, outras 389 recepcionistas vão reforçar orientação e atendimento ao público.

O presidente da Caixa, Pedreo Guimarães, participou dos atendimentos no sábado, dia 2, e falou em vídeo sobre a abertura das agências aos sábados e sobre o empenho do banco em pagar o #AuxilioEmergencial para os brasileiros.


04/05/2020
Por Edilson Silva em Economia

Com desemprego, número de microempreendedores sobe 12,6% no 1tri

Com o desemprego elevado no Brasil – considerando dados antes do impacto da crise do novo coronavírus – o número de microempreendedores seguiu crescendo no primeiro trimestre.

O número de MEIs (Microempreendedores Individuais) subiu 12,6% em relação ao mesmo período do ano anterior, de acordo com dados da Boa Vista, que serão divulgados nesta segunda, dia 04.

Nas demais categorias houve recuo de 5,8%. Os MEIs representaram 81,7% dos casos de aberturas de empresas no primeiro trimestre. O levantamento mostra que o setor de Serviços representou 62,5% das aberturas no período.


29/04/2020
Por Edilson Silva em Economia, RN

Sebrae oferece orientação gratuita a empresários do RN que querem fazer empréstimo durante a crise financeira

O Sebrae está orientando gratuitamente os empresários que pensam em conseguir empréstimos para o momento vivenciado diante da crise do novo coronavírus. Toda a consultoria é feita de maneira remota e agendada, após o preenchimento de um formulário no site.

Antes de solicitar o empréstimo, o Sebrae sugere que o empresário faça uma análise cuidadosa da empresa, verificando custos fixos como aluguel, e os variáveis, que dependem do faturamento atual. Também é preciso, segundo o Sebrae, se atentar ao momento pós-coronavírus, já que, dependendo do ramo de atividade, será preciso mais tempo para retomar o negócio.

Assim, é fundamental analisar prazos de carência.“Essa orientação é fundamental antes de contratar o financiamento. A consultoria, mesmo que remota, verifica a situação da empresa e sensibiliza o empresário sobre a importância de se fazer uma previsão do fluxo de caixa, para entender qual a sua real necessidade de capital de giro nesse momento”, explica Ruth Suzana Maia, que é analista do Escritório Metropolitano do Sebrae e especialista em crédito. 

Veja mais AQUI.

G1 RN




Facebook


Twitter