18/10/2017
Por Edilson Silva em Economia, Parelhas

Com o tema “Carregando o Progresso”, Feira de Negócios de Parelhas será realizada de 14 a 16 de novembro

A FENEPAR – Feira de Negócios de Parelhas chega a sua 6ª edição abordando o tema “Carregando o Progresso”. O evento, que é organizado pela ACAMPAR – Associação dos Caminhoneiros Parelhenses será realizada  entre os dias 14 e 16 de novembro, abrindo as festividades da 37ª Festa dos Caminhoneiros de Parelhas, que acontece de 17 a 19 de novembro.

Em suas edições anteriores, a FENEPAR superou todas as expectativas de públicos, de resultados e de prospecção de negócios. “As empresas expositoras que realizaram um trabalho interativo e impactante obtiveram um retorno significativo em seus investimentos”, afirmou Rejane Assis, coordenadora do evento.

A coordenação do evento aguarda a visita de mais de 30 mil visitantes, que terão a oportunidade de conhecer lançamentos e tendências dos segmentos que estão expostos, entre os quais: transporte de cargas, mineração, cerâmica, turismo, moda e varejo competitivo.

Para este ano, a FENEPAR seguirá uma tendência de mercado chamada de “coworking”, onde empresas compartilham recursos e interesses semelhantes, como a mesma estrutura e o mesmo público, mas atuam em segmentos diferentes.

Nesta empreitada, formam-se as Ilhas Temáticas, sendo elas: Ilha do Caminhoneiro, do Varejo, do Turismo, da Mineração e Cerâmica, da Moda e Eventos, dentre outras que possam surgir de acordo com a procura de novos segmentos. Os interessados em estandes podem entrar em contato com o Clube Acampar pelo telefone: (84) 99905-7700.


18/10/2017
Por Edilson Silva em Economia

Boletim Focus prevê inflação de 3% para este ano, segundo Banco Central

O mercado financeiro aumentou a projeção para inflação pela segunda vez seguida. A estimativa para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), desta vez, passou de 2,98% para 3%, este ano. A estimativa é do Boletim Focus, uma publicação divulgada toda segunda-feira no site do Banco Central (BC), com projeções para os principais indicadores econômicos.

Para 2018, a estimativa para o IPCA permanece em 4,02%. As estimativas para os dois anos permanecem abaixo do centro da meta de 4,5%, que deve ser perseguida pelo BC. Essa meta tem ainda um intervalo de tolerância entre 3% e 6%.


14/09/2017
Por Edilson Silva em Economia, Jucurutu

Pagamento do PIS começa nesta 5ª para nascidos em setembro

O pagamento do abono salarial do PIS começa nesta quinta-feira para os trabalhadores nascidos em setembro. O abono pode chegar a um salário mínimo (937 reais), dependendo do período trabalhado em 2016 – ano-base do calendário de pagamento. Aqueles que não sacaram o benefício do PIS/Pasep do ano-base 2015 podem retirar o dinheiro desde 27 de julho.

Para ter direito ao benefício é necessário ter trabalhado com carteira assinada ao menos 30 dias durante 2016, sendo eles consecutivos ou não, e ter recebido remuneração mensal média de até dois salários mínimos (1.760 reais). Também é preciso estar cadastrado no PIS há pelo menos cinco anos e o empregador deve ter informado seus dados corretamente na Relação Anual de Informações Sociais (RAIS).

Ao todo, 24,34 milhões de brasileiros têm direito ao PIS/Pasep do ano-base 2016. Até o final de agosto 3,6 milhões de trabalhadores tinham sacado o benefício, o que corresponde a 14,85% do total. Os recursos ficam disponíveis para saque até o dia 30 de junho de 2018. O último lote do abono será liberado em março do próximo ano.


11/09/2017
Por Edilson Silva em Economia

Conheça os cinco passos para economizar dinheiro

A todo instante, somos surpreendidos por novas contas a pagar, e precisamos organizar nosso dinheiro. Há poucos dias, vimos o aumento dos combustíveis e da tarifa da conta de luz, além dos normais imprevistos que todos nós vivemos. No entanto, existe saída para equilibrar o orçamento diante de tantos desafios. Problemas difíceis requerem soluções difíceis, e alguns passos concretos e práticos podem nos ajudar a economizar em tempos de crise econômica. Afinal, quando a crise vai passar? Enquanto não há resposta, vamos economizar em cinco passos.

Entenda os ciclos econômicos

Economia, dentre outras definições, é a ciência da escassez, ou seja, os recursos sempre serão escassos e nossas necessidades sempre maiores. Sempre teremos mais necessidades do que recursos (exceto para os super-ricos). Bem, diante disso, entenda que, quando algo sobra no mercado, quando está em abundância, o preço desse produto ou serviço cai. De forma simples: se há muita banana na feira, o preço dela poderá cair bastante. Se faltar banana, o preço dela pode subir. Logo, procure comprar produtos que estejam sobrando, em grande quantidade. Conheço pessoas que só compram roupas de inverno no verão ou roupas de verão no inverno, ou seja, no contrafluxo do ciclo econômico. Entendeu? Comprar ovos de páscoa depois da páscoa? Talvez. Ou presentes nas promoções de janeiro? Depende de cada um.

Quem anda no fluxo normal da multidão paga mais caro. Quem anda no contrafluxo consegue descontos. Nas frutas, isso é bem visível. Imagine comprar abacates fora de época… Muito mais caro! Ou esperar a safra de abacates para matar a vontade? Ou até mesmo o ciclo do preço da carne bovina? Não dá para receitar como regra, depende cada um, de cada família. Entenda qual ciclo econômico dos produtos e serviços você utiliza. Isso poderá ajudar muito a comprar barato ou deixar de pagar caro.

Planejamento tributário

O tema pode soar estranho para alguns, mas é importante fazer o planejamento tributário, uma vez que moramos no país dos altos impostos, um dos mais caros do mundo. Onde se pode pagar menos imposto dentro da lei? Reforço que sonegação de imposto é crime e está totalmente fora de questão. Planejamento tributário, de forma simples e direta, é procurar alternativas, dentro da lei, que possam contribuir para uma menor incidência de imposto. Vamos a alguns exemplos. Alguns Estados favorecem menor alíquota do IPVA para quem converte o carro para combustível GNV – Gás Natural Veicular. Outro exemplo é cadastrar-se no programa de nota fiscal eletrônica com CPF do seu Estado. Essa é uma forma de renda indireta. Parte dos impostos pagos vai retornar ao longo do tempo. Ainda que o retorno seja pequeno, não custa fazer a experiência.

Conheço pessoas que receberam R$ 100,00 de volta do Governo Estadual, pois tinham acumulado o valor por determinado tempo. Em tempos de crise, 100 reais podem ajudar com alguma conta a ser paga. E a declaração de imposto de renda? A qual o modelo você se adapta melhor?

Multas de trânsito

Poucos conhecem, mas, em alguns Estados do país (consultar Departamento de Trânsito do seu Estado), as pessoas que não tiveram multas leves nem médias, nos últimos 12 meses, podem optar pelo não pagamento da multa recebida. A legislação, em alguns casos, permite apenas uma advertência no lugar da multa. Vale a pena informar-se, dependendo do caso.

Compras em conjuntos

Você possui amigos, parentes ou colegas que costumam comprar os mesmos produtos ou serviços? Vale a pena unir-se a eles e tentar comprar de forma agregada. Explico-me: quando você compra apenas uma unidade de um produto, o vendedor não consegue dar muitos descontos. Mas se você comprar 10 unidades, 20 unidades, o seu ganho de escala sobe, e eles conseguem dar mais descontos. Pode dar um pouco de trabalho, no entanto, compras em atacado, ou seja, em grande quantidade, costumam sair mais baratas do que no varejo, em pequena quantidade. Um exemplo é juntar uma lista de produtos que seu grupo costuma consumir e comprar diretamente, em grande quantidade, no atacadista da sua cidade. O desconto pode chegar a $0,50 por produto ou até mais. No fim de um ano, pode-se economizar bastante.

Pagar no dinheiro ou débito

Pode parecer impossível para muitos, pois educação financeira é baseada em metas. Essa pode ser a sua próxima meta, procurar, aos poucos, deixar os cartões de crédito de lado, pouco a pouco, e utilizar cartões de débito e dinheiro em espécie. É fato que, em alguns casos, vale a pena dividir no cartão, e não faz diferença à vista ou a prazo. Em muitos casos, o lojista pode dar descontos no dinheiro, uma vez que seus custos são menores à vista. Com a mudança da legislação, tendem a crescer os descontos por pagamentos em dinheiro. Um exemplo são postos de gasolinas, que só aceitam dinheiro, por isso cobram mais barato (observe a qualidade da gasolina!).

São cinco dicas muito simples! Espero ter ajudado você e sua família nessa luta, que é todo brasileiro contra a crise econômica. Deus está conosco.

Fonte: Bruno Cunha – Mestrando em Desenvolvimento Regional pela Universidade de Taubaté (UNITAU), Bruno Cunha possui Pós-graduação em Administração (MBA) pela Fundação Getúlio Vargas e graduação em Ciências Econômicas pela Universidade Federal de Pernambuco. Atualmente, é diretor administrativo e financeiro da Faculdade Canção Nova, onde também atua como professor. Cunha tem experiência na área de Finanças, Economia, Educação Financeira, Finanças pessoais e Administração Financeira e Orçamentária.


28/08/2017
Por Edilson Silva em Economia, Jucurutu

Jucurutu: Prefeito Valdir Medeiros irá antecipar 1ª parcela do décimo terceiro salário

O Governo Municipal de Jucurutu irá antecipar a primeira parcela do 13° salário dos servidores do município para terça-feira, 05 de Setembro/2017.

De acordo com a Secretaria de Administração, a iniciativa irá aquecer a economia local, injetando um valor considerável. A primeira parcela do 13° salário, equivalente a 50% do valor total do salário, é direcionada aos servidores em geral.

A folha de pagamento referente ao mês de agosto seguirá seu calendário normal.


25/08/2017
Por Edilson Silva em Economia

1ª parcela do 13º salário para aposentados e pensionista começa hoje (25)

Os aposentados e pensionistas em todo o país começam a receber a antecipação da primeira parcela do 13º salário a partir desta sexta-feira (25).

O depósito da gratificação será realizado junto com a folha de pagamentos mensal do INSS, que começa a ser depositada nesta sexta e vai até o dia 8 de setembro, conforme tabela de pagamentos de benefícios abaixo.

O abono anual, que corresponde a 50% do valor do 13º e representa uma injeção extra na economia de pelo menos R$ 19,8 bilhões nos meses de agosto e setembro – veja os valores por estados.

Para quem ganha um salário mínimo (R$ 937), os pagamentos serão realizados entre os dias 25 de agosto e 8 de setembro. Já os segurados que ganham acima do valor receberão entre os dias 1º e 8 de setembro.

Não haverá desconto de Imposto de Renda nesta primeira parcela. De acordo com a legislação, o IR sobre o 13º somente é cobrado em novembro e dezembro, quando será paga a segunda parcela da gratificação natalina.

Aposentados e pensionistas, em sua maioria, receberão 50% do valor do benefício. A exceção é para quem passou a receber o benefício depois de janeiro. Neste caso, o valor será calculado proporcionalmente.

Os segurados que estão em auxílio-doença também recebem uma parcela menor que os 50%. Como esse benefício é temporário, o INSS calcula a antecipação proporcional ao período. Por exemplo, um benefício iniciado em janeiro e ainda em vigor em agosto terá o 13º terceiro salário calculado sobre oito meses. O segurado receberá, portanto, metade desse valor. Em dezembro, caso ainda esteja afastado, o segurado irá receber o restante. Se tiver alta antes, o valor será calculado até o mês em que o benefício vigorar e acrescido ao último pagamento do benefício.

G1


10/08/2017
Por Edilson Silva em Economia

Em 2018, salário mínimo será de R$ 979

A Lei das Diretrizes Orçamentárias (LDO), publicada nesta quarta-feira no Diário Oficial, estabeleceu aumento para salário mínimo, que sairá dos atuais R$ 937 para R$ 979 a partir de 1º de janeiro do ano que vem. Com a publicação, os benefícios trabalhistas também foram ajustados seguindo o novo valor do mínimo. O Ministério da Fazenda projeta que o valor passe para R$ 1.029 em 2019 e R$ 1.103 em 2020.


09/05/2017
Por Edilson Silva em Economia

Salário mínimo em abril deveria ser de R$ 3.899,66, segundo Dieese

Em abril, o salário mínimo ideal para sustentar uma família de quatro pessoas deveria ser de R$ 3.899,66. O valor é 4,16 vezes o salário em vigor no mês passado, de R$ 937. A estimativa é do Dieese (Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos) e foi divulgada nesta segunda-feira (8).

O departamento divulga mensalmente uma estimativa de quanto deveria ser o salário mínimo para atender as necessidades básicas do trabalhador e de sua família, como estabelecido na Constituição: moradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte e Previdência Social.


10/04/2017
Por Edilson Silva em Economia

Governo do Estado pagará amanhã servidores que ganham entre R$ 2 mil e R$ 3 mil

O Governo do RN confirmou que depositará amanhã o salário dos 17.785 servidores ativos, aposentados e pensionistas que recebem entre R$ 2.001 e R$ 3 mil, uma soma equivalente a R$ 44,3 milhões.

Com o pagamento desta faixa salarial somado aos vencimentos já depositados dos servidores ativos da Educação, da Administração Indireta que possuem recursos próprios e do grupo que recebe até R$ 2 mil, 67% do funcionalismo já terá recebido integralmente seus salários, num total de 74.591 servidores, o que corresponde a uma soma de R$ 132.253.537,67.

O Governo segue acompanhando as receitas para anunciar o pagamento dos salários dos demais servidores o mais breve possível, a partir da disponibilidade de recursos.


08/04/2017
Por Edilson Silva em Economia

Governo propõe salário mínimo de R$ 979 para 2018

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, anunciou nesta sexta-feira (7) que o governo deve propor um salário mínimo R$ 979 para 2018. Hoje, o mínimo está em R$ 937.

O novo valor do mínimo será incluído na proposta da Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO) para 2018, base para o orçamento do ano que vem. De acordo com a lei, o PLDO tem que ser enviado ao Congresso Nacional até 15 de abril.

Para chegar ao percentual de correção do salário mínimo, que serve de referência para mais de 45 milhões de pessoas no Brasil, soma-se a variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) do ano ano anterior, calculado pelo IBGE, e o resultado do PIB de dois anos antes.


06/02/2017
Por Edilson Silva em Economia

Inflação dispara

A inflação para famílias com renda até 2,5 salários mínimos, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor – Classe 1 (IPC-C1), ficou em 0,54% em janeiro deste ano. A taxa é maior que a de dezembro (0,19%) do ano passado, segundo dados da Fundação Getulio Vargas (FGV). Em 12 meses, o IPC-C1 acumula taxa de 4,80%.

O indicador ficou abaixo das taxas apresentadas pelo Índice de Preços ao Consumidor – Brasil (IPC-BR), que mede a inflação para todas as faixas de renda e que apresentou variações de 0,69% em janeiro deste ano e de 5,04% em 12 meses.


14/01/2017
Por Edilson Silva em Economia

Preço da cesta básica do Nordeste cresce acima da inflação em 2016

A mesa do nordestino esteve mais cara em 2016. O valor da cesta básica, calculado a partir da pesquisa do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) em todas as capitais brasileiras, ficou acima da variação do apontador oficial de inflação, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Enquanto o grupo “alimentos e bebidas” do IPCA apresentou crescimento médio de 10,0% no Nordeste, a variação acumulada do custo da cesta básica na Região foi de  20,3%.

Em comparação à média regional de 2015 (+12,6%), o aumento na cesta básica nordestina deve-se principalmente ao crescimento nos preços do feijão (+88,2%), do leite (+33,5%), da banana (+22,5%), do açúcar (+58,4%), da farinha (+32,1%) e da manteiga (+44,0%).


13/01/2017
Por Edilson Silva em Economia

Preço dos combustíveis sobe 3,25% em 2016 no IPCA, revela IBGE

As famílias brasileiras pagaram 3,25% a mais em combustíveis em 2016, segundo os dados do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). As despesas com o grupo Transportes, que detêm 18% de peso no cálculo do IPCA, subiram 4,22% no ano.

A gasolina ficou 2,54% mais cara em 2016, enquanto o diesel aumentou 2,21%. A partir de outubro, o preço dos combustíveis praticados nas refinarias passou a ser definido, mensalmente, pelo Grupo Executivo de Mercado e Preços (GEMP), que determinou uma redução de 3,20% na gasolina e de 2,70% no diesel em 15 de outubro. No dia 8 de novembro, houve novo corte, de 3,10% na gasolina e de 10,40% no diesel. Em 6 de dezembro, entretanto, a petroleira aumentou em 8,10% a gasolina e 9,50% o diesel.


06/01/2017
Por Edilson Silva em Economia

Preço do material escolar pode variar até 538%, aponta Procon Natal

Uma pesquisa do Procon Natal constatou que o preço do material escolar pode variar até 538% de uma papelaria para outra. A pesquisa foi realizada entre os dias 26 e 30 de dezembro de 2016 em quinze estabelecimentos comerciais da capital potiguar, em todas as regiões administrativas de Natal. As tabelas completas com preços por produto e estabelecimento podem ser consultadas no site do Procon.

Um dos exemplos de variação de preços é um apontador de lápis de uma mesma marca e com as mesmas características que foi encontrado de R$ 1,15 (maior preço) a até R$ 0,18 (menor preço).

A pesquisa constatou ainda que o material escolar teve aumento médio de 16% em relação ao ano passado. Para este ano o preço médio da aquisição do material necessário é de R$ 503,02, enquanto que no período comparado, foi de R$ 422,37.

G1/RN


05/01/2017
Por Edilson Silva em Economia

Inflação para famílias com renda mais baixa fecha 2016 em 6,22%

O Índice de Preços ao Consumidor – Classe 1 (IPC-C1), que mede a inflação para famílias com renda até 2,5 salários mínimos, fechou 2016 com uma taxa de 6,22%. A taxa é inferior aos 11,52% de 2015, segundo dados divulgados hoje (5) pela Fundação Getulio Vargas (FGV).

O IPC-C1 ficou, no entanto, acima dos 6,18% registrados pelo Índice de Preços ao Consumidor – Brasil (IPC-BR), que mede a inflação para todas as faixas de renda.

Entre os grupos de despesas analisados pelo IPC-C1, as maiores taxas de inflação de 2016 vieram de despesas diversas (11,21%), saúde e cuidados pessoais (9,73%) e educação, leitura e recreação (8,88%).

Os alimentos tiveram inflação de 7,1% e os transportes, de 7,8%. As menores taxas foram observadas em habitação (2,9%), comunicação (3,1%) e vestuário (3,59%).


05/01/2017
Por Edilson Silva em Economia

Custo da cesta básica cresce em todas as capitais em 2016

O custo da cesta básica aumentou nas 27 capitais brasileiras no acumulado de 2016, segundo pesquisa do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). As maiores altas ocorreram em Rio Branco (23,63%), Maceió (20,69%) e Belém (16,70%). As menores variações foram em Recife (4,23%), Curitiba (4,61%) e São Paulo (4,96%).

Na comparação entre novembro e dezembro, o valor da cesta diminuiu em 25 cidades. As quedas mais expressivas foram em Aracaju (-5,11%), Campo Grande (-4,16%) e São Luís (-4,13%). Apenas Manaus (0,22%) e Rio Branco (0,97%) registraram alta.

O maior custo do conjunto de bens alimentícios básicos foi apurado em Porto Alegre (R$ 459,02), seguido de Florianópolis (R$ 453,80), Rio de Janeiro (443,75) e São Paulo (R$ 438,89). Os menores valores médios foram observados em Recife (R$ 347,96), Aracaju (R$ 349,68) e Natal (R$ 351,96).


30/12/2016
Por Edilson Silva em Economia, Política

Michel Temer (Lava Jato) reduz reajuste do salário mínimo que ficará em R$ 937

Temer (Ficha Suja) assinou hoje decreto fixando em R$ 937 o valor do salário mínimo para 2017, aumento de 6,47% em relação ao piso atual, de R$ 880. A medida será publicada nesta sexta em edição do Diário Oficial da União (DOU). Pela regra em vigor, o reajuste do salário mínimo é feito com base no crescimento econômico de dois anos antes,

Pela regra em vigor, o reajuste do salário mínimo é feito com base no crescimento econômico de dois anos antes, mais inflação acumulada do ano anterior.

A proposta de Orçamento Geral da União para 2017, encaminhada em agosto ao Congresso Nacional, o governo previa um salário mínimo de R$ 945,80 no próximo ano. Mas o valor acaba variando devido ao comportamento da inflação.


26/12/2016
Por Edilson Silva em Economia

Contas de telefone podem ter alta

Em 2017, o brasileiro terá uma surpresa quando chegar a conta de telefone. O preço vai subir em todo o país para grande parte dos usuários de celular com planos de conta, os chamados pós-pago e controle. Esse grupo soma mais de 77,3 milhões de linhas, de acordo com a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Em alguns casos, a alta pode chegar a quase 20%. Para o telefone fixo — com 42 milhões de linhas em funcionamento —, o aumento deve ser de até 13%, indica estimativa feita por fontes do setor.

O aumento é fruto de uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), de outubro, que obriga as empresas de telefonia a recolherem o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre o valor da assinatura básica (ou pacote de assinatura) que é cobrada ao consumidor todo mês. Para o STF, a assinatura mensal pode ser considerada um serviço, já que representa “a efetiva prestação do serviço de comunicação”. A decisão vale tanto para a telefonia fixa quanto para a móvel.


26/12/2016
Por Edilson Silva em Economia

Brasil tem a maior carga tributária da América Latina e uma das maiores do mundo

Nestes últimos dias do ano atingiremos a marca recorde de R$ 2 trilhões pagos em impostos no Brasil – valor que nos foi roubado, assim o consideramos, porque nada dessa gigantesca cifra se reverteu em serviços de qualidade para a população brasileira.

Um detalhe de suma importância: o Brasil tem a maior carga tributária da América Latina e uma das maiores do mundo.

Basta ver a situação caótica e falimentar em que se encontra a saúde pública; mal e porcamente temos uma educação primária adequada – quando ela existe; não há segurança que nos permita ir e vir livremente sem correr riscos; e o transporte público, totalmente deficitário, é sujo e sucateado.

Portanto, qual foi o destino destes R$ 2 trilhões, além de encher os bolsos de políticos em geral e sustentar esta máquina pública governamental imprestável?


21/11/2016
Por Edilson Silva em Economia

Abono salarial ano-base 2015 começa a ser pago nesta segunda

A partir desta segunda-feira (21), o Ministério do Trabalho libera o pagamento do Abono Salarial do PIS/ Pasep ano-base 2015 para os trabalhadores nascidos no mês de novembro. Também a partir desta data, o benefício estará disponível para os servidores públicos com final da inscrição 4.

Os trabalhadores da iniciativa privada poderão retirar o dinheiro em qualquer agência da Caixa Econômica do País. Já os servidores públicos devem sacar o valor no Banco do Brasil. O recurso fica disponível para saque até 30 de junho de 2017. Entretanto, os beneficiários devem seguir o calendário de saques programado para o PIS/Pasep para evitar tumultos nas agências bancárias.


Página 1 de 612345...Última »


Facebook


Twitter