17/07/2019
Por Edilson Silva em Política

Eduardo Bolsonaro cita como ‘credencial’ pós-graduação não concluída

O deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) tem citado uma pós-graduação em Economia como uma das credenciais que o qualificariam para assumir a embaixada brasileira em Washington. O filho “03” de Jair Bolsonaro, no entanto, ainda não se formou. Falta entregar o trabalho de conclusão de curso, iniciado em março de 2016.

Em um vídeo que divulgou na sexta-feira passada, em seguida à manifestação do presidente da República de que poderia indicá-lo ao posto nos EUA, Eduardo fez a menção em seu currículo. “Sou formado em direito pela UFRJ, advogado concursado, passei na prova da OAB, escrivão de Polícia Federal, uma pós-graduação em Economia, falo inglês, português e espanhol”, disse.

A especialização é em Escola Austríaca de Economia, uma vertente do pensamento econômico liberal cujo maior expoente é o austríaco Ludwig von Mises. A pós-graduação lato sensu, que confere o título de especialista, é uma iniciativa do Instituto Mises Brasil em parceria com o Centro Universitário Ítalo Brasileiro, sediado em São Paulo. Eduardo fez parte da primeira turma. Seus colegas de turma se formaram em agosto de 2017, mas ele não.

O parlamentar, no entanto, ainda pode concluir a pós-graduação. Ele recebeu mais tempo para apresentar uma monografia ou um artigo científico. Quem se forma obtém um título de especialista na Escola Austríaca de Economia.

A reportagem enviou perguntas ao Instituto Mises Brasil sobre a situação de Eduardo no curso. A instituição confirmou que ele ainda não concluiu a pós. Procurado por meio de sua assessoria, o deputado não se manifestou.

De acordo com um de seus professores, que preferiu não se identificar, o deputado era calado e tentava absorver e entender os liberais.

O curso procurado por Eduardo tem atraído diversos deputados federais. Na turma que iniciou as aulas em 2019, há quatro: Tiago Mitraud (PSL-MG), Paula Belmonte (Cidadania-DF), Felipe Barros (PSL-PR) e Carlos Jordy (PSL-RJ).

MSN


17/07/2019
Por Edilson Silva em Política

O fast food onde Eduardo Bolsonaro trabalhou nos EUA não tem hambúrguer

MSN – A rede de fast food norte-americana Popeyes tem 3.100 restaurantes pelo mundo e milhares de funcionários. Há 14 anos, um desses funcionários foi Eduardo Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro.

O deputado pode ser indicado pelo presidente para assumir a embaixada do Brasil nos Estados Unidos. Um dos argumentos para a qualificação do político para o cargo, segundo ele, seria sua experiência no país, além da atuação na Comissão de Relações Exteriores da Câmara. “Tenho vivência pelo mundo, já fiz intercâmbio, já fritei hambúrguer lá nos Estados Unidos”, disse o parlamentar na semana passada.

Hoje, o político reforçou a importância de sua atuação no país. Em sua conta no Twitter, postou um vídeo gravado em 2017 em que mostra a lanchonete em que trabalhou durante seu intercâmbio em 2005, durante a faculdade. Ele afirma que foi caixa e atendente.

No entanto, a Popeyes é especializada em frango frito e não tem hambúrguer de carne bovina no menu. Concorrente do KFC, é a segunda maior rede de fast food baseada em frango do mundo. Em algumas regiões, há até frutos do mar empanados e fritos, mas o foco é a carne de frango com tempero típico de Louisiana, estado no sul dos Estados Unidos.


17/07/2019
Por Edilson Silva em Política, Saúde

Projeto obriga político a usar serviço público de saúde enquanto durar o mandato

O Projeto de Lei 2142/19 obriga os agentes políticos eleitos para os poderes Executivo e Legislativo federais e seus parentes consanguíneos ou afins em 1º grau a utilizarem o Sistema Único de Saúde (SUS) enquanto durar o mandato eletivo. A proposta também proíbe o ressarcimento de gastos hospitalares bem como o auxílio-saúde.

Dos R$ 47,3 bilhões gastos com investimentos pelo governo federal em 2013, apenas 8,2% dessa quantia foi relativa ao Ministério da Saúde. Ele também afirma que o SUS perdeu 23 mil leitos nos últimos cinco anos.


16/07/2019
Por Edilson Silva em Política

URGENTE: Bolsonaro não recorre de absolvição de esfaqueador e o processo foi encerrado

DW BRASIL – A Justiça Federal em Juiz de Fora (MG) divulgou nesta terça-feira (16/07) que não foram apresentados recursos à sentença que em junho absolveu Adélio Bispo de Oliveira, o homem que esfaqueou o presidente Jair Bolsonaro em 2018. O agressor foi considerado inimputável e o juiz do caso determinou sua internação por tempo indeterminado.

Sem recursos, a sentença transitou em julgado e o processo foi encerrado. Adélio não pode mais ser condenado pelo crime. Tanto Bolsonaro quanto o Ministério Público Federal não contestaram a sentença.

À época da divulgação da decisão, Bolsonaro reagiu com indignação. disse que pretendia recorrer e iria até “as últimas consequências” para rever sentença.

“Estou tomando as providências jurídicas, vou recorrer”, disse na ocasião. Ele também afirmou que seria importante evitar que o caso transitasse em julgado para que Adélio tivesse “oportunidade de falar” quem supostamente encomendou o crime.

“Se não houver recurso e for transitado em julgado, caso Adélio queira falar que quem pagou a ele para tentar me assassinar, não tem mais valor jurídico, ele é maluco”, disse Bolsonaro. “É um crime contra um candidato à Presidência da República que atualmente tem mandato e devemos ir até as últimas consequências nessa situação.”

Desde o episódio da facada, o presidente vem afirmando acreditar que Adélio fazia parte de uma conspiração, contestando as conclusões da Polícia Federal de que o agressor agiu sozinho. No entanto, segundo site G1, os advogados de Bolsonaro não apresentaram recurso após serem intimados pela Justiça para responder se desejavam recorrer da sentença. O mesmo ocorreu com o Ministério Público no dia 17 de junho.

No dia 14 de junho, o juiz Bruno Savino, da 3ª Vara da Justiça Federal em Juiz de Fora, decidiu que Adélio era inimputável por apresentar problemas psicológicos. Na sentença, o juiz aplicou o mecanismo da “absolvição imprópria”, previsto quando uma pessoa não pode ser condenada por ser inimputável, e determinou a internação de Adélio por tempo indeterminado na Penitenciária Federal de Segurança Máxima de Campo Grande (MS).

O juiz determinou ainda que um novo exame para averiguar a periculosidade de Adélio seja realizado em três anos. A penitenciária possui instalações para o tratamento.

Adélio foi acusado pelo Ministério Público Federal pelo crime de “atentado pessoal por inconformismo político”, com base na Lei de Segurança Nacional. Caso não fosse considerado inimputável, a pena de Adélio poderia alcançar até 20 anos.

Em maio, o juiz Bruno Savino já havia determinado, com base em avaliações psiquiátricas – inclusive com uma entrevista feita por um médico indicado pela defesa de Bolsonaro, que Adélio, de 40 anos, é “portador de Transtorno Delirante Persistente” e que não poderia ser punido criminalmente.

“A conduta criminosa foi consequência direta da doença mental ativa e a presença dos sintomas psicóticos o impediram de compreender a antijuridicidade de sua conduta e de se autodeterminar de acordo com aquele conhecimento.”

Na sentença, o juiz escreveu ainda que o laudo psiquiátrico apontou que Adélio acreditava que a Bolsonaro “participaria de uma conspiração maçônica, que incluía o extermínio dos militantes dos partidos de esquerda e minorias, e que ele (Adélio) era o escolhido de Deus para salvar o Brasil”.

Ainda segundo a sentença, quando já estava preso pelo atentado, Adélio escreveu e enviou uma carta ao juiz solicitando sua transferência para estabelecimento prisional em Montes Claros (MG), “em razão de o prédio da Penitenciária Federal de Campo Grande ter sido construído com características da arquitetura maçónica, além de o local estar impregnado de energia satânica”.

O juiz ainda escreveu que, se solto, Adélio poderia novamente tentar matar Bolsonaro ou até mesmo o ex-presidente Michel Temer.

Bolsonaro foi alvo de um ataque com faca em 6 de setembro, quando participava de um ato de campanha em Juiz de Fora (MG).  Após o atentado, ele fez uma cirurgia inicial na Santa Casa de Juiz de Fora e depois uma segunda, em São Paulo. Ele permaneceu três semanas internado e recebeu alta no final de setembro.

Em janeiro, já ocupando a Presidência, ele foi novamente submetido a uma cirurgia  para a retirada de uma bolsa de colostomia e reconstrução do trânsito intestinal.

JPS/ots


16/07/2019
Por Edilson Silva em Política, Saúde

Governo suspende fabricação de 19 remédios gratuitos

Do Estadão – O Ministério da Saúde suspendeu, nas últimas 3 semanas, contratos com 7 laboratórios públicos nacionais para a produção de 19 medicamentos distribuídos gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Documentos obtidos pelo Estado apontam suspensão de projetos de Parcerias para o Desenvolvimento Produtivo (PDPs) destinados à fabricação de remédios para pacientes que sofrem de câncer e diabete e transplantados. Os laboratórios que fabricam por PDPs fornecem a preços 30% menores do que os de mercado. E já estudam ações na Justiça. Veja aqui a lista.

Associações que representam os laboratórios públicos falam em perda anual de ao menos R$ 1 bilhão para o setor e risco de desabastecimento – mais de 30 milhões de pacientes dependem dos 19 remédios. (…)

Além disso, devem ser encerrados contratos com oito laboratórios internacionais detentores de tecnologia, além de laboratórios particulares nacionais. Isso porque cada laboratório público, para desenvolver um produto, conta com dois ou três parceiros. Depois, esses laboratórios públicos têm o compromisso de transferir a tecnologia de produção do medicamento ao governo brasileiro. (…)

(…) representante de um laboratório de São Paulo, que falou com o Estado sob a condição de não ter o nome divulgado, disse que a suspensão das parcerias vai criar um problema de saúde e afetar uma cadeia econômica “imensa”, expondo o Brasil à insegurança jurídica.

Ele cita como exemplo uma planta industrial no valor de R$ 500 milhões, construída em uma parceria de um laboratório privado com o Instituto Butantã e financiada pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). “Essa planta toda fica obsoleta. Toda cadeia econômica está severamente afetada”, disse.

(…)


16/07/2019
Por Edilson Silva em Política, RN

Derrotado pelo povo do RN, Rogério Marinho está de malas prontas para ir morar em São Paulo

Rogério Marinho busca uma saída para mitigar as consequências do nascimento da filha que ajudou a gestar: a reforma da Previdência.

Marinho estuda mudar seu título de eleitor para São Paulo, onde há mais chances de capitalizar em votos seu papel à frente das negociações para a aprovação da reforma.

No Rio Grande do Norte, estado pelo qual foi deputado federal e já não foi reeleito em 2018, o selo de entusiasta das mudanças na Previdência tende a tirar-lhe eleitores em 2022.


15/07/2019
Por Edilson Silva em Política

Senadora Zenaide Maia prestigiou Festival Gastronômico de Martins

O Festival Gastronômico de Martins que já é tradição na cidade e região do Alto Oeste a senadora Zenaide Maia esteve presente neste sábado (13) no município, para participar da 13ª edição.

Na edição 2019, o evento teve início dia 12 e segue até este domingo, 14 de julho, e contou com diversos polos de animação, que incluíam diversas atividades gratuitas, entre shows musicais e apresentações culturais, concurso gastronômico.

A parlamentar esteve acompanhada da governadora Fátima Bezerra, do secretário do desenvolvimento econômico, Jaime Calado, filha, netas além de lideranças políticas da região.


13/07/2019
Por Edilson Silva em Jucurutu, Política, Rádio

Ouça aqui a edição do Direto do Gabinete que foi ao ar nesta sexta (12) pela Rádio Comunitária de Jucurutu – 104,9 FM

O Programa Direto do Gabinete é o espaço onde o Governo Municipal de Jucurutu presta contas das ações realizadas pela Gestão Valdir Medeiros e José Pedro. A produção radiofônica vai ao ar todas as sextas no horário das 16he30min. às 17h pela Rádio Comunitária de Jucurutu na frequência 104,9 FM.

No programa desta semana, recebemos Danilo Bezerra da Assistência Social que fala sobre a reunião intermediária do Selo UNICEF que ocorreu com presença da Saúde, Educação, Social, Gabinete, Conselho Tutelar e Conselho dos Direitos da Criança e do Adolescente. Ele fala ainda sobre o andamento do processo para escolha dos novos membros do Conselho Tutelar de Jucurutu.

Ainda na edição que foi ao ar nesta sexta (12), contamos com a participação do Secretário de Obras e Serviços Urbanos, Fylipe Fernandes de Mello que destacou ações de sua pasta: mutirão na Barra de Santana, manutenção de iluminação pública na zona urbana e rural, limpeza de fossas em locais onde não existe esgotamento sanitário, cobertura da quadra de esporte do Sítio Espinheiro, obras de construção da creche do Bairro Abraão Lopes, entre outros assuntos.

O Secretário de Esporte e Turismo, Nilsinho Batista levou ao ar os destaques do esporte local e por último a participação do Prefeito Valdir Medeiros prestando esclarecimentos aos jucurutuenses acerca do trabalho que vem sendo feito na atual administração.

Ouça:

Programa Direto do Gabinete – Edição de numero 14, 12 de Julho de 2019

Publicado por Município de Jucurutu em Sexta-feira, 12 de julho de 2019


13/07/2019
Por Edilson Silva em Política

General critica Eduardo Bolsonaro em Washington: “Suicídio de reputação”

Integrante da Comissão de Anistia, o general Luiz Rocha Paiva criticou hoje a nomeação de Eduardo Bolsonaro para a Embaixada do Brasil em Washington, cogitada por Jair Bolsonaro.

A nomeação do filho para embaixador nos EUA é uma péssima ideia e uma irresponsabilidade política indesculpável para quem prometia um governo pautado, também, pela ética”, afirmou Rocha Paiva.

Segundo Rocha Paiva, a decisão de Bolsonaro seria um “suicídio de reputação”.

Existe um livro chamado Assassinato de Reputações, de Romeu Tuma Júnior. Vejo nessa atitude algo como um “suicídio de reputação“.


12/07/2019
Por Edilson Silva em Política, Rádio

Ouça entrevista da Senadora Zenaide, sobre a votação da Reforma da Previdência na Rádio Difusora de Mossoró

Acompanhe aqui no Blog entrevista da Senadora Zenaide, sobre a votação da Reforma da Previdência na Rádio Difusora de Mossoró, com o radialista Joãozinho GPS.

Entrevista da Senadora Zenaide, sobre a votação da Reforma da Previdência

???? Acompanhe entrevista da Senadora Zenaide, sobre a votação da Reforma da Previdência na Rádio Difusora de Mossoró, com o radialista Joãozinho GPS.

Publicado por Zenaide Senadora em Sexta-feira, 12 de julho de 2019


11/07/2019
Por Edilson Silva em Política

Zenaide cobra do governo medida provisória para evitar fechamento de 43 núcleos de defensorias públicas no país

Em pronunciamento no Plenário nesta quarta-feira (10), a senadora Zenaide Maia cobrou do governo uma solução para garantir a continuidade de 43 núcleos da Defensoria Pública da União, que correm o risco de serem fechadas em todo o país, deixando sem atendimento milhares de cidadãos que não têm dinheiro para pagar um advogado particular.

No mês passado, o Congresso Nacional aprovou a Medida Provisória 872/2019, que ampliou o prazo para o pagamento de gratificações a servidores e empregados cedidos à Advocacia-Geral da União (AGU), garantindo, assim o funcionamento do órgão, que também sofre com a carência de servidores. Na ocasião, diversos senadores tentaram incluir no texto a solução para o problema da Defensoria Pública da União que, por não contar ainda com quadro ou carreira de servidores de apoio, funciona com grande parte de seu pessoal requisitado de outros órgãos e entidades da Administração Pública Federal.

Acontece que, pela legislação vigente, mais de 800 servidores – ou 63% dos funcionários cedidos – serão devolvidos aos órgãos de origem se nenhuma providência idêntica for adotada até o próximo dia 26.

Zenaide lembrou que, na época da aprovação da MP 872, a deputada governista Bia Kicis garantiu, em nome do governo, que seria apresentada, nos próximos dias, uma outra medida provisória, com o mesmo teor, para os defensores públicos da União. No entanto, até hoje essa medida provisória não foi editada pelo governo.

“Se nada fizermos, das 74 unidades da federação distribuídas por todo o país, 43, localizadas no interior, serão fechadas imediatamente, deixando sem atendimento milhares de cidadãos que dependem de defensores públicos para defenderem seus direitos judicialmente. Uma dessas unidades está localizada, inclusive, em Mossoró, no Rio Grande do Norte, onde temos uma grande unidade prisional”, enfatizou a parlamentar.


11/07/2019
Por Edilson Silva em Política

Congresso pode dobrar valor dos recursos públicos destinados ao fundo eleitoral

Congresso pode mais que dobrar o valor do dinheiro do fundo eleitoral, a ser gasto nas eleições municipais do ano que vem. São R$ 2 bilhões a mais, na comparação com as eleições de 2018. A previsão é que R$ 3,7 bilhões sejam destinados ao fundo eleitoral. No ano passado, 35 partidos receberam R$ 1,7 bilhão.

A previsão está no parecer da Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2020 apresentado pelo relator à Comissão Mista de Orçamento do Congresso.

O relator, deputado Cacá Leão (PP-BA), fez mudanças no texto enviado pelo governo. A LDO define metas de economia e limites de despesas dos três poderes.

O fundo eleitoral foi criado em 2017 para financiar as campanhas com recursos públicos. Desde as eleições do ano passado, é proibido o financiamento de empresas nas campanhas – somente pessoas físicas podem fazer doações.

A Lei de Diretrizes Orçamentárias precisa ser votada no Congresso antes do recesso parlamentar, previsto para se iniciar no próximo dia 18. Já o orçamento para o ano que vem só será apresentado pelo governo ao Congresso Nacional em agosto.

O deputado Cacá Leão não quis gravar entrevista. O presidente da Comissão Mista de Orçamento, senador Marcelo Castro (MDB-PI), disse que o relator justificou que nas eleições municipais o número de candidatos é maior e, por isso, é preciso mais dinheiro.

“São 5.700 municípios. São inúmeros candidatos a vereador e municípios grandes, como a Prefeitura de São Paulo, que é maior que muitos estados, do Rio de Janeiro, de Salvador, de Fortaleza. Então, esse é o argumento que ele deu”, afirmou Castro.

O deputado Júlio Delgado (PSB-MG) afirmou que este não é o momento de se dar mais dinheiro para financiar as eleições.

“O momento é inadequado. Estamos discutindo tantas reformas, reformas importantes para o país, alguns favoráveis, outros contrários. Mas ao se discutir reformas é que se demonstra a necessidade de recuperação econômica. Gastar tanto dinheiro com eleições é um prejuízo que vai fazer muita falta a outros setores do país”, declarou.

O cientista político Creomar de Souza, professor de relações internacionais e ciência política na Universidade Católica de Brasília (UCB), disse que, ao se direcionar recursos para as eleições, pode faltar dinheiro em outras áreas.

“Imaginemos que nós temos uma jarra de água e três copos. Toda vez que estamos decidindo colocar água, mais água em algum copo, algum dos outros dois vai ficar vazio. Cabe à sociedade dizer: eu prefiro que tenha menos dinheiro no fundo eleitoral e tenha mais dinheiro em escolas, hospitais e segurança pública”, afirmou.

Em nota, o deputado Cacá Leão afirmou que o aumento do fundo eleitoral foi solicitado pela maioria dos partidos. Segundo ele, o valor de 2018 é insuficiente para custear as eleições municipais. Na nota, também afirmou que isso não reduz o orçamento de áreas como saúde e educação porque o dinheiro será remanejado de bancadas estaduais.

G1


09/07/2019
Por Edilson Silva em Política, Religião

Papa Francisco recebe camiseta pela liberdade de Lula

247 – O Papa Francisco recebeu nesta segunda-feira, 8, uma camiseta em defesa da liberdade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A entrega da camiseta foi diuvulgada pelo perfil do ex-presidente Lula no Twitter, sem muitas informações.

O Papa Francisco já deu várias manifestações contrárias à prisão política do ex-presidente Lula. Em maio deste ano, Francisco escreveu uma carta a Lula em que diz orar por ele e pede que o e-presidente ‘não deixe de rezar por mim’. O Papa Francisco lamenta ainda “as duras provas que o senhor viveu ultimamente” e cita a morte de dona Marisa, do irmão de Lula, Genival Inácio, e do neto dele, Arthur (leia mais no Brasil 247).

Em junho, o Papa Francisco fez uma declaração condenando o lawfare no Judiciário, descrito por ele como “uma nova forma de intervenção exógena nos cenários políticos dos países através do uso indevido de procedimentos legais e tipificações judiciais”.

“O Lawfare, ademais de colocar em sério risco a democracia dos países, geralmente é usado para minar os processos políticos emergentes, e tendem a violação sistemática dos direitos sociais”, disse Francisco durante encontro com juristas e membros do Judiciário da América Latina e dos Estados Unidos.


08/07/2019
Por Edilson Silva em Política

Paulo Guedes fica irritado com vaias a Bolsonaro durante a premiação da Copa América

Paulo Guedes saiu cuspindo fogo do túnel de acesso ao campo do Maracanã na final da Copa América. Assim que a comitiva presidencial entrou no campo, uma vaia tomou conta do estádio. O ministro deu meia volta e saiu pelos corredores do estádio sem despedidas e com ar de pouquíssimos amigos.

Via Anselmo – O Globo


08/07/2019
Por Edilson Silva em Política

Datafalha: Bolsonaro é o pior desde Collor!

Pesquisa do Datafolha indica a consolidação de uma divisão política do país após seis meses do governo de Jair Bolsonaro (PSL). O Brasil está rachado em três.

Para 33%, o presidente faz um trabalho ótimo ou bom. Para 31%, regular, e para outros 33%, ruim ou péssimo. Com variações mínimas, é o mesmo cenário que se desenhou três meses atrás, no mais recente levantamento do instituto.

A pesquisa atual foi feita em 4 e 5 de julho e ouviu 2.860 pessoas com mais de 16 anos, em 130 cidades. Ela tem uma margem de erro de dois pontos percentuais.

Com isso, Bolsonaro se mantém como o presidente em primeiro mandato com a pior avaliação a esta altura do governo desde Fernando Collor de Mello, em 1990.

Aos seis meses na cadeira, Collor tinha uma aprovação igual à de Bolsonaro (34%), mas 20% de rejeição. Todos os outros presidentes em primeiro mandato desde então se deram melhor.


07/07/2019
Por Edilson Silva em Esporte, Política

Tite e Marquinhos se recusam a cumprimentar Bolsonaro em premiação da Copa América

O técnico da seleção brasileira não fez o mínimo esforço para parecer cordial com o presidente da república. Ao se dirigir para receber a premiação pela conquista da Copa América, Tite cumprimentou as autoridades ali presente, mas não estendeu a mão para Jair Bolsonaro. Quem teve a mesma atitude do treinador foi o zagueiro Marquinhos.

Imagens da transmissão mostram os dois integrantes da seleção brasileira passando indiferentes por Bolsonaro. No caso de Tite, o presidente teve que se esforçar para chamar atenção do técnico.

Antes disso o presidente já havia sido recepcionado com vaias pela torcida que estava no Maracanã assim que pisou no gramado do estádio.

A atitude dos integrantes da seleção brasileira gerou uma série de comentários nas redes sociais.

Revista Fórum


05/07/2019
Por Edilson Silva em Política

Novos supostos diálogos revelam que Moro orientou Lava Jato

Uma nova leva de supostas conversas envolvendo o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, foi divulgada pela revista Veja nesta sexta-feira, 5, e sugere que, quando ainda atuava como juiz federal em Curitiba, Moro teria orientado procuradores da Operação Lava Jato a anexar provas para fortalecer a parte acusatória num processo.

Uma troca de mensagens pelo aplicativo Telegram de 28 de abril de 2016, a qual a revista teve acesso em parceria com o site The Intercept Brasil, mostra Deltan Dallagnol, chefe da força-tarefa em Curitiba, avisando à procuradora Laura Tessler que Moro o teria avisado sobre a falta de uma informação na acusação contra um réu acusado de ser um dos principais operadores de propina no esquema de corrupção da Petrobras. O réu era Zwi Skornicki, representante da Keppel Fels, estaleiro que tinha contratos com a estatal.

“No caso do Zwi, Moro disse que tem um depósito em favor do (Eduardo) Musa (ex-funcionário da Petrobras) e, se for por lapso que não foi incluído, ele disse que vai receber amanhã e dá tempo. Só é bom avisar ele”, teria escrito Deltan. “Ih, vou ver”, teria escrito a procuradora em resposta. No dia seguinte, de acordo com a revista, o MPF incluiu um comprovante de depósito de US$ 80 mil feito por Skornicki a Musa e Moro, logo depois, aceita a denúncia e cita o documento que havia pedido na decisão.

Eduardo Cunha

O trecho de conversas divulgado pela Veja também contém mensagens supostamente enviadas na noite do dia 12 de junho de 2017, nas quais o procurador Ronaldo Queiroz cria um grupo no aplicativo de mensagens para avisar que foi procurado pelo advogado de Cunha para iniciar uma negociação de delação premiada.

Queiroz afirma que as revelações poderiam ser de interesse dos procuradores de Curitiba, Rio de Janeiro e Natal, onde corriam ações relacionadas ao político. Queiroz afirma esperar que Cunha entregue no Rio de Janeiro, pelo menos, um terço do Ministério Público estadual, 95% dos juízes do Tribunal da Justiça, 99% do Tribunal de Contas e 100% da Assembleia Legislativa.

Pouco menos de um mês depois, Moro teria enviado uma mensagem a Dallagnol questionando a possível delação. “Rumores de delação do Cunha… Espero que não procedam”, teria dito o agora ministro. Dallagnol responde que são “só rumores que não procedem”, e ainda reforça a Moro que “sempre que quiser, vou te colocando a par”. O ex-juiz responde que é contra a delação de Cunha e que agradece se o procurador o mantiver informado.

“Fachin é nosso”

A reportagem da revista também revela um trecho no qual Dallagnol, em 13 de julho de 2015, comenta com os colegas do MPF que se encontrou com o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin. “Caros, conversei 45 minutos com o Fachin. Aha, uhu, o Fachin é nosso”, teria celebrado o procurador.

Fausto Silva

Em outro trecho das supostas conversas, em 7 de maio de 2016, Moro comenta com Dallagnol que havia sido procurado pelo apresentador de televisão Fausto Silva. De acordo com o então juiz, o apresentador teria cumprimentado Moro pelo trabalho na Lava Jato, mas deu um conselho: “ele disse que vocês nas entrevistas precisam usar uma linguagem mais simples. Para todo mundo entender. Para o povão. Conselho de quem está há 28 anos na TV”. Procurado pela reportagem de Veja, Fausto Silva confirmou o encontro com Moro e o teor da conversa.


04/07/2019
Por Edilson Silva em Política, Religião

Papa lança vídeo mundial por juízes “sem favoritismos” e com integridade

247 –  O Papa Francisco emitiu uma dura mensagem contra violações do Judiciário no momento em que vem sendo revelado um conluio de Sérgio Moro com procuradores. Num vídeo lançado mundialmente nesta quinta-feira, o Papa diz que juízes devem ser “isentos de favoritismos e de pressões que possam contaminar as decisões que devem tomar”; “Os juízes devem seguir o exemplo de Jesus, que nunca negocia a verdade”.

No Brasil, a primeira divulgação do vídeo foi feita na página do Instituto Lula, no final da manhã. Assista ao vídeo logo abaixo.

O “Vídeo do Papa” é uma iniciativa global da Rede Mundial de Oração do Papa para divulgar a intenções mensais de oração de Francisco relacionadas com os desafios da humanidade e a missão da Igreja. Mensalmente, o Papa Francisco lança um víveo mundialmente.

Este vídeo, com o título “Integridade da Justiça” é 44º já lançado pelo Papa desde fevereiro de 2016, quando a iniviativa começou. Já houve vídeos dedicados aos refugiados, aos trabalhadores, aos desempregados e aos jornalistas.

“Dos juízes dependem decisões que influenciem os direitos e os bens das pessoas. Sua independência deve ajudá-los a serem isentos de favoritismos e de pressões que possam contaminar as decisões que devem tomar”, afirma o Pontífice.

“Os juízes devem seguir o exemplo de Jesus, que nunca negocia a verdade. Rezemos para que todos aqueles que administram a justiça operem com integridade e para que a injustiça que atravessa o mundo não tenha a última palavra”, acrescentou o Papa.

Assista ao vídeo:


04/07/2019
Por Edilson Silva em Política

Congresso cria CPI para investigar fake news nas eleições de 2018

Ameaça ao governo e ao mandato de Jair Bolsonaro, a CPI das Fake News está a um passo de ser criada. Os partidos preparam-se para a indicar os deputados e senadores que farão parte dela. Há chance de a comissão ser instalada antes das férias de julho do Congresso, as quais começam dia 18.

O requerimento de criação da CPI foi lido nesta quarta-feira 3 pelo presidente do Congresso, Davi Alcolumbre (DEM-AP), em sessão conjunta da Câmara e do Senado. Alcolumbre em seguida pediu aos partidos que indiquem seus representantes. Se as siglas não o fizerem, o senador pode designá-los por conta própria.

“Há tempo para instalar a CPI antes do recesso. Muitos parlamentares aqui estão incomodados com as redes sociais desde a eleição”, diz o líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE).


03/07/2019
Por Edilson Silva em Política

Deputado que entregou taça a Moro já usou tornozeleira eletrônica

O deputado que entregou uma “taça da Champions League” para o ministro Sergio Moro já usou tornozeleira eletrônica no passado.

Emerson Miguel Petriv, conhecido como Boca Aberta, do PROS do Paraná, usou o aparato de fevereiro a maio de 2018.

A medida foi determinada pela 5ª Vara Criminal de Londrina, após Boca Aberta desrespeitar uma decisão de que manter-se a pelo menos 500 metros de distância de três vereadores de Londrina.

Tudo começou quando o então vereador de Londrina teve o mandato cassado em 2017 por realizar de forma ilegal uma vaquinha virtual a fim de pagar uma multa eleitoral.

Após a cassação, três vereadores da cidade alegaram sofrer perseguição e ameaças de Boca Aberta.

Foi aí que Boca Aberta teve que usar o aparato eletrônico.

O agora deputado já respondeu a outros processos, como calúnia, injúria em propaganda eleitoral e perturbação do sossego de trabalhadores e pacientes de uma UPA.

Nesta terça, na audiência de Sergio Moro à Câmara, o deputado federal falou que o ministro da Justiça é a “maior estrela do combate à corrupção” e entregou uma taça que representava o troféu da Liga dos Campeões.




Facebook


Twitter