04/06/2020
Por Edilson Silva em Religião, Saúde

Cantora gospel Fabiana Anastácio morre aos 45 anos por complicações de Covid-19

A cantora gospel Fabiana Anastácio morreu na manhã desta quinta-feira, 4 de junho, após lutar contra a covi-19. A notícia foi confirmada na página oficial da artista, que era conhecida por suas obras no gênero gospel.

Fabiana estava internada há uma semana na UTI de um hospital de São Paulo. Uma vaquinha online criada pela família chegou a arrecadar R$ 15 mil para ajudar no tratamento.

Anastácio nasceu em uma família religiosa em Santo André, região do ABC Paulista. Após passar a infância e adolescência cantando em corais nas igrejas onde o pai ministrava, ela foi filmada durante um culto e o vídeo ganhou projeção no YouTube.

Anastácio lançou o primeiro disco em 2012, intitulado “Adorador”. “Adorador – Alem da Canção” (2015) e “Adorador 3 – Além das Circunstâncias” (2017) se seguiram. No final de maio, antes de ser internada por causa do coronavírus, a cantora chegou a realizar uma transmissão ao vivo para os fãs. Anastácio era casada com o pastor Rubens Nascimento e tinha três filhos.


04/06/2020
Por Edilson Silva em Jucurutu, Religião

Pároco de Jucurutu, orienta fiéis católicos à não fazerem às tradicionais fogueiras de São João e São Pedro

Pe. Hipólito, pároco de Jucurutu, orienta fiéis católicos à não fazerem às tradicionais fogueiras de São João e São Pedro neste tempo de Covid-19. Fogueiras podem abrir portas para diversas infecções respiratórias, além de incomodar os pacientes que estão infectados pelo Coronavírus.

Pe. Hipólito, pároco de Jucurutu orienta fiéis católicos à não fazerem às tradicionais fogueiras de São João e São Pedro neste tempo de Covid-19. Fogueiras podem abrir portas para diversas infecções respiratórias, além de incomodar os pacientes que estão infectados pelo Coronavírus.

Publicado por Blog do Edilson Silva em Quarta-feira, 3 de junho de 2020


26/05/2020
Por Edilson Silva em Religião, RN

Nota dos Bispos da Província Eclesiástica de Natal

Nós, Bispos da Província Eclesiástica de Natal (Arquidiocese de Natal, Diocese de Mossoró e Diocese de Caicó), reunidos remotamente, nesta segunda-feira, dia 25 de maio de 2020, em espírito de comunhão fraterna e eclesial; atentos à realidade e a dureza dos fatos e dos números, no que se refere à pandemia do coronavírus; sensíveis aos apelos do Povo fiel católico; e movidos pelo dever de zelar e promover a vida humana, exortamos mais uma vez ao povo potiguar para que permaneça empenhado no cumprimento da recomendação de isolamento social.

Deste modo, reafirmamos a determinação para que nossas igrejas (catedrais, matrizes e capelas) permaneçam fechadas, até que tenhamos condições de dispor em contrário.

O penoso tempo que atravessamos e as restrições que nos impõem distanciamento físico trazem sofrimento ao nosso coração de Pastor e isto nos ajuda a compreendermos ainda melhor a dor da nossa gente.

Exortamos, pois, aos nossos colaboradores padres, aos fiéis católicos e a todas as pessoas de boa vontade a permanecerem firmes na esperança.

Rogamos a Nossa Senhora da Apresentação, Santa Luzia e a Senhora Sant’Ana, padroeiras destas nossas igrejas particulares, para que intercedam por nós, neste momento de maior dificuldade, junto a Jesus, nosso Senhor e Salvador.

Natal (RN), 25 de maio de 2020.

Dom Jaime Vieira Rocha
Arcebispo Metropolitano de Natal

Dom Mariano Manzana
Bispo Diocesano de Mossoró

Dom Antônio Carlos Cruz Santos
Bispo Diocesano de Caicó


25/05/2020
Por Edilson Silva em Jucurutu, Religião

Paróquia de São Sebastião em Jucurutu realizará Live Mariana

Em alusão ao encerramento do Mês Mariano, a Paróquia de São Sebastião de Jucurutu irá presentear os devotos e devotas de Nossa Senhora com um musical em honra a Mãe de Jesus.

A iniciativa acontece por ocasião das Igrejas estarem fechadas seguindo os decretos neste período de Covid-19. Dessa forma a mensagem musical será transmitida via internet por meio das mídias sociais da Paróquia no Facebook e YouTube e pela Rádio Comunitária de Jucurutu.

Acompanhe neste sábado, 30 de Maio às 19h.


25/05/2020
Por Edilson Silva em Cursos, Religião

PASCOM do Regional NE2 anuncia programação para Semana da Comunicação

A Pastoral da Comunicação do Regional NE2 da CNBB tem a alegria de anunciar a programação para a sua Semana da Comunicação. O Dia Mundial das Comunicações Sociais, celebrado no domingo da Ascenção do Senhor é um convite da Igreja para todos nós fazermos uma reflexão sobre o que ela pensa, como se movimenta e como faz uso da comunicação e de seus meios para anunciar Jesus Cristo.

A formação que pensamos para o Regional é um verdadeiro presente para todos os agentes da Pascom: aqueles que caminham conosco há mais tempo e os que se juntaram a nós nos últimos tempos. Que Maria Santíssima nos abençoe e nos ajude a tecer a História da Salvação em nossa ação pastoral. Esperamos vocês!

#54DMCS #RegionalCNBBNE2 #comunicação #pascom #pascomNE2 #pandemia


25/05/2020
Por Edilson Silva em Brasil, Política, Religião

Assassino de Daniela Perez, Guilherme de Pádua vai à manifestação pró-Bolsonaro

UOL – O atual pastor postou um vídeo no Instagram ao lado da mulher. Os dois usavam máscaras com a bandeira do Brasil no rosto. “Estamos aqui no Congresso Nacional, indo ali para a manifestação em prol do Brasil. Brasil precisa mudar, esses políticos corruptos. Se Deus quiser o Brasil vai mudar”, falou.


24/05/2020
Por Edilson Silva em Religião

Mensagem para o 54º Dia Mundial das Comunicações Sociais

Propomos na íntegra a Mensagem do Papa Francisco para o 54º Dia Mundial das Comunicações Sociais.

« “Para que possas contar e fixar na memória” (Ex 10, 2).
A vida faz-se história 
»

Desejo dedicar a Mensagem deste ano ao tema da narração, pois, para não nos perdermos, penso que precisamos de respirar a verdade das histórias boas: histórias que edifiquem, e não as que destruam; histórias que ajudem a reencontrar as raízes e a força para prosseguirmos juntos. Na confusão das vozes e mensagens que nos rodeiam, temos necessidade duma narração humana, que nos fale de nós mesmos e da beleza que nos habita; uma narração que saiba olhar o mundo e os acontecimentos com ternura, conte a nossa participação num tecido vivo, revele o entrançado dos fios pelos quais estamos ligados uns aos outros.

1. Tecer histórias

O homem é um ente narrador. Desde pequenos, temos fome de histórias, como a temos de alimento. Sejam elas em forma de fábula, romance, filme, canção, ou simples notícia, influenciam a nossa vida, mesmo sem termos consciência disso. Muitas vezes, decidimos aquilo que é justo ou errado com base nos personagens e histórias assimiladas. As narrativas marcam-nos, plasmam as nossas convicções e comportamentos, podem ajudar-nos a compreender e dizer quem somos.

O homem não só é o único ser que precisa de vestuário para cobrir a própria vulnerabilidade (cf. Gn 3, 21), mas também o único que tem necessidade de narrar-se a si mesmo, «revestir-se» de histórias para guardar a própria vida. Não tecemos apenas roupa, mas também histórias: de facto, servimo-nos da capacidade humana de «tecer» quer para os tecidos, quer para os textos. As histórias de todos os tempos têm um «tear» comum: a estrutura prevê «heróis» – mesmo do dia-a-dia – que, para encalçar um sonho, enfrentam situações difíceis, combatem o mal movidos por uma força que os torna corajosos, a força do amor. Mergulhando dentro das histórias, podemos voltar a encontrar razões heroicas para enfrentar os desafios da vida.

O homem é um ente narrador, porque em devir: descobre-se e enriquece-se com as tramas dos seus dias. Mas, desde o início, a nossa narração está ameaçada: na história, serpeja o mal.

2. Nem todas as histórias são boas

«Se comeres, tornar-te-ás como Deus» (cf. Gn 3, 4): esta tentação da serpente introduz, na trama da história, um nó difícil de desfazer. «Se possuíres…, tornar-te-ás…, conseguirás…»: sussurra ainda hoje a quem se utiliza do chamado storytelling para fins instrumentais. Quantas histórias nos narcotizam, convencendo-nos de que, para ser felizes, precisamos continuamente de ter, possuir, consumir. Quase não nos damos conta de quão ávidos nos tornamos de bisbilhotices e intrigas, de quanta violência e falsidade consumimos. Frequentemente, nos «teares» da comunicação, em vez de narrações construtivas, que solidificam os laços sociais e o tecido cultural, produzem-se histórias devastadoras e provocatórias, que corroem e rompem os fios frágeis da convivência. Quando se misturam informações não verificadas, repetem discursos banais e falsamentepersuasivos, percutem com proclamações de ódio, está-se, não a tecer a história humana, mas a despojar o homem da sua dignidade.

Mas, enquanto as histórias utilizadas para proveito próprio ou ao serviço do poder têm vida curta, uma história boa é capaz de transpor os confins do espaço e do tempo: à distância de séculos, permanece atual, porque nutre a vida.

Numa época em que se revela cada vez mais sofisticada a falsificação, atingindo níveis exponenciais (o deepfake), precisamos de sapiência para patrocinar e criar narrações belas, verdadeiras e boas. Necessitamos de coragem para rejeitar as falsas e depravadas. Precisamos de paciência e discernimento para descobrirmos histórias que nos ajudem a não perder o fio, no meio das inúmeras lacerações de hoje; histórias que tragam à luz a verdade daquilo que somos, mesmo na heroicidade oculta do dia a dia.

3. A História das histórias

A Sagrada Escritura é uma História de histórias. Quantas vicissitudes, povos, pessoas nos apresenta! Desde o início, mostra-nos um Deus que é simultaneamente criador e narrador: de facto, pronuncia a sua Palavra e as coisas existem (cf. Gn 1). Deus, através deste seu narrar, chama à vida as coisas e, no apogeu, cria o homem e a mulher como seus livres interlocutores, geradores de história juntamente com Ele. Temos um Salmo onde a criatura se conta ao Criador: «Tu modelaste as entranhas do meu ser e teceste-me no seio de minha mãe. Dou-Te graças por me teres feito uma maravilha estupenda (…). Quando os meus ossos estavam a ser formados, e eu, em segredo, me desenvolvia, recamado nas profundezas da terra, nada disso Te era oculto» (Sal 139/138, 13-15). Não nascemos perfeitos, mas necessitamos de ser constantemente «tecidos» e «recamados». A vida foi-nos dada como convite a continuar a tecer a «maravilha estupenda» que somos.

Neste sentido, a Bíblia é a grande história de amor entre Deus e a humanidade. No centro, está Jesus: a sua história leva à perfeição o amor de Deus pelo homem e, ao mesmo tempo, a história de amor do homem por Deus. Assim, o homem será chamado, de geração em geração, a contar e fixar na memória os episódios mais significativos desta História de histórias: os episódios capazes de comunicar o sentido daquilo que aconteceu.

O título desta Mensagem é tirado do livro do Êxodo, narrativa bíblica fundamental que nos faz ver Deus a intervir na história do seu povo. Com efeito, quando os filhos de Israel, escravizados, clamam por Ele, Deus ouve e recorda-Se: «Deus recordou-Se da sua aliança com Abraão, Isaac e Jacob. Deus viu os filhos de Israel e reconheceu-os» (Ex 2, 24-25). Da memória de Deus brota a libertação da opressão, que se verifica através de sinais e prodígios. E aqui o Senhor dá a Moisés o sentido de todos estes sinais: «Para que possas contar e fixar na memória do teu filho e do filho do teu filho (…) os meus sinais que Eu realizei no meio deles. E vós conhecereis que Eu sou o Senhor» (Ex 10, 2). A experiência do Êxodo ensina-nos que o conhecimento de Deus se transmite sobretudo contando, de geração em geração, como Ele continua a tornar-Se presente. O Deus da vida comunica-Se, narrando a vida.

O próprio Jesus falava de Deus, não com discursos abstratos, mas com as parábolas, breves narrativas tiradas da vida de todos os dias. Aqui a vida faz-se história e depois, para o ouvinte, a história faz-se vida: tal narração entra na vida de quem a escuta e transforma-a.

Também os Evangelhos – não por acaso – são narrações. Enquanto nos informam acerca de Jesus, «performam-nos»[1] à imagem de Jesus, configuram-nos a Ele: o Evangelho pede ao leitor que participe da mesma fé para partilhar da mesma vida. O Evangelho de João diz-nos que o Narrador por excelência – o Verbo, a Palavra – fez-Se narração: «O Filho unigénito, que é Deus e está no seio do Pai, foi Ele quem O contou» (1, 18). Usei o termo «contou», porque o original exeghésato tanto se pode traduzir «revelou» como «contou». Deus teceu-Se pessoalmente com a nossa humanidade, dando-nos assim uma nova maneira de tecer as nossas histórias.

4. Uma história que se renova

A história de Cristo não é um património do passado; é a nossa história, sempre atual. Mostra-nos que Deus tomou a peito o homem, a nossa carne, a nossa história, a ponto de Se fazer homem, carne e história. E diz-nos também que não existem histórias humanas insignificantes ou pequenas. Depois que Deus Se fez história, toda a história humana é, de certo modo, história divina. Na história de cada homem, o Pai revê a história do seu Filho descido à terra. Cada história humana tem uma dignidade incancelável. Por isso, a humanidade merece narrações que estejam à sua altura, àquela altura vertiginosa e fascinante a que Jesus a elevou.

Vós «sois uma carta de Cristo – escrevia São Paulo aos Coríntios –, confiada ao nosso ministério, escrita, não com tinta, mas com o Espírito do Deus vivo; não em tábuas de pedra, mas em tábuas de carne que são os vossos corações» (2 Cor 3, 3). O Espírito Santo, o amor de Deus, escreve em nós. E, escrevendo dentro de nós, fixa em nós o bem, recorda-no-lo. De facto, re-cordar significa levar ao coração, «escrever» no coração. Por obra do Espírito Santo, cada história, mesmo a mais esquecida, mesmo aquela que parece escrita em linhas mais tortas, pode tornar-se inspirada, pode renascer como obra-prima, tornando-se um apêndice de Evangelho. Assim as Confissões de Agostinho, o Relato do Peregrino de Inácio, a História de uma alma de Teresinha do Menino Jesus, os Noivos prometidos (Promessi sposi) de Alexandre Manzoni, os Irmãos Karamazov de Fiódor Dostoevskij… e inumeráveis outras histórias, que têm representado admiravelmente o encontro entre a liberdade de Deus e a do homem. Cada um de nós conhece várias histórias que perfumam de Evangelho: testemunham o Amor que transforma a vida. Estas histórias pedem para ser partilhadas, contadas, feitas viver em todos os tempos, com todas as linguagens, por todos os meios.

5. Uma história que nos renova

Em cada grande história, entra em jogo a nossa história. Ao mesmo tempo que lemos a Escritura, as histórias dos Santos e outros textos que souberam ler a alma do homem e trazer à luz a sua beleza, o Espírito Santo fica livre para escrever no nosso coração, renovando em nós a memória daquilo que somos aos olhos de Deus. Quando fazemos memória do amor que nos criou e salvou, quando metemos amor nas nossas histórias diárias, quando tecemos de misericórdia as tramas dos nossos dias, nesse momento estamos a mudar de página. Já não ficamos atados a lamentos e tristezas, ligados a uma memória doente que nos aprisiona o coração, mas, abrindo-nos aos outros, abrimo-nos à própria visão do Narrador. Nunca é inútil narrar a Deus a nossa história: ainda que permaneça inalterada a crónica dos factos, mudam o sentido e a perspetiva. Narrarmo-nos ao Senhor é entrar no seu olhar de amor compassivo por nós e pelos outros. A Ele podemos narrar as histórias que vivemos, levar as pessoas, confiar situações. Com Ele, podemos recompor o tecido da vida, cosendo as ruturas e os rasgões. Quanto nós, todos, precisamos disso!

Com o olhar do Narrador – o único que tem o ponto de vista final –, aproximamo-nos depois dos protagonistas, dos nossos irmãos e irmãs, atores juntamente connosco da história de hoje. Sim, porque ninguém é mero figurante no palco do mundo; a história de cada um está aberta a possibilidades de mudança. Mesmo quando narramos o mal, podemos aprender a deixar o espaço à redenção; podemos reconhecer, no meio do mal, também o dinamismo do bem e dar-lhe espaço.

Por isso, não se trata de seguir as lógicas do storytelling, nem de fazer ou fazer-se publicidade, mas de fazer memória daquilo que somos aos olhos de Deus, testemunhar aquilo que o Espírito escreve nos corações, revelar a cada um que a sua história contém maravilhas estupendas. Para o conseguirmos fazer, confiemo-nos a uma Mulher que teceu a humanidade de Deus no seio e – diz o Evangelho – teceu conjuntamente tudo o que Lhe acontecia. De facto, a Virgem Maria tudo guardou, meditando-o no seu coração (cf. Lc 2, 19). Peçamos-Lhe ajuda a Ela, que soube desatar os nós da vida com a força suave do amor:

Ó Maria, mulher e mãe, Vós tecestes no seio a Palavra divina, Vós narrastes com a vossa vida as magníficas obras de Deus. Ouvi as nossas histórias, guardai-as no vosso coração e fazei vossas também as histórias que ninguém quer escutar. Ensinai-nos a reconhecer o fio bom que guia a história. Olhai o cúmulo de nós em que se emaranhou a nossa vida, paralisando a nossa memória. Pelas vossas mãos delicadas, todos os nós podem ser desatados. Mulher do Espírito, Mãe da confiança, inspirai-nos também a nós. Ajudai-nos a construir histórias de paz, histórias de futuro. E indicai-nos o caminho para as percorrermos juntos.

Roma, em São João de Latrão, na Memória de São Francisco de Sales, 24 de janeiro de 2020.

[Franciscus]

[1] Cf. Bento XVI, Carta enc. Spe salvi (30/XI/2007), 2: «A mensagem cristã não era só “informativa”, mas “performativa”. Significa isto que o Evangelho não é apenas uma comunicação de realidades que se podem saber, mas uma comunicação que gera factos e muda a vida».


23/05/2020
Por Edilson Silva em Caicó, Religião, Saúde

Bispos da Igreja Católica em Caicó, Mossoró e Natal decidem na segunda (25) se reabrem Igrejas

Os bispos católicos, Dom Jaime Vieira Rocha (Arquidiocese de Natal), Dom Mariano Manzana (Diocese de Mossoró) e Dom Antônio Carlos Cruz Santos (Diocese de Caicó), que representam a Província Eclesiástica do Rio Grande do Norte, se reunirão de forma virtual na próxima segunda-feira (25), para tratar sobre a Portaria do Governo do Estado que flexibilizou a abertura dos templos religiosos.

A orientação do Governo, é que as reuniões religiosas devem ter limitação da quantidade de pessoas, distanciamento entre elas, uso de máscaras, álcool em gel e álcool líquido a 70%, entre outras medidas.

Na manhã deste sábado, Dom Jaime enviou o seguinte comunicado ao clero da Arquidiocese de Natal:

“No Diário Oficial do Estado do RN deste sábado, 23 de maio de 2020, foi publicada a Portaria Nº 004/2020-GAC/SESAP, que estabelece as recomendações sanitárias em vista da reabertura dos templos religiosos. O referido documento será analisado pelos bispos da Província Eclesiástica de Natal (Natal, Mossoró e Caicó), nesta próxima segunda-feira (25), por meio de reunião virtual. Até lá, permanecem inalteradas as disposições e entendimentos emanados para todo o território da Arquidiocese de Natal. O Senhor Arcebispo, Dom Jaime Vieira Rocha, pede que todos se mantenham atentos e no aguardo das novas orientações”.


22/05/2020
Por Edilson Silva em Caicó, Jucurutu, Religião

Pastoral da Comunicação (PASCOM) realiza Reunião Diocesana pela plataforma Google Meeting

A PASCOM – Pastoral da Comunicação Diocesana realizou nesta sexta (22), uma reunião on-line pela plataforma Google Meeting. O objetivo foi a troca de experiências sobre a comunicação neste período de pandemia e divulgação da Live do Rural Debate que irá ao ar hoje, 22/05 pelo Sistema Rural de Comunicação (Caicó, Parelhas e Currais Novos) onde abordará o Dia Mundial das Comunicações Sociais. Estarão presentes Dom Antônio Carlos Cruz, Bispo da Diocese de Caicó/RN, Pe. Marcos (Coordenador Diocesano da Pascom/Caicó), Padre Jerffeson (Diocese de Caruaru) e Ir. Joelma (Regional Nordeste 2).


17/05/2020
Por Edilson Silva em Mundo, Religião

Basílica de São Pedro em Roma será reaberta, mas com limitações e protocolo sanitário de alta segurança

A Basílica de São Pedro, em Roma, vai reabrir para os turistas a partir desta segunda-feira(18), anunciou nesta sexta-feira (15) a assessoria de imprensa do Vaticano. Um protocolo sanitário de alta segurança foi instaurado para receber os visitantes.

A famosa praça de São Pedro foi fechada para os turistas há dois meses por conta do confinamento decretado pelo governo italiano para lutar contra o coronavírus. O país foi o mais afetado pela epidemia na Europa, com mais de 31.300 mortos.Desde o início da pandemia, o Vaticano decidiu aplicar as mesmas sanitárias do que a Itália.

A partir desta segunda-feira (18), a polícia também vai fiscalizar as entradas na basílica de São Pedro, com a juda de voluntários da Ordem de Malta. O uso de câmeras térmicas para medir a temperatura dos visitantes será discutido, mas quando houver grandes festas religiosas.


13/05/2020
Por Edilson Silva em Jucurutu, Religião

Jucurutu: Paróquia cria painel com fotos de fiéis para momentos de oração à distância

Unindo força, fé e devoção, a Paróquia de São Sebastião de Jucurutu encontrou uma maneira de aproximar os fiéis católicos neste tempo de Covid-19. Além das transmissões via Facebook e YouTube, o Pe. Josenilton Hipólito criou um espaço para que os cristãos pudessem enviar fotos das famílias para oração à distância neste momento de isolamento social.

A iniciativa acontece por ocasião dos decretos do estado e recomendações da Organização Mundial da Saúde que orienta o fechamento das igrejas para evitar aglomerações e assim a propagação do coronavírus.

As igrejas de todo o Brasil continuam fechadas para proteger a saúde dos padres, dos membros das equipes litúrgicas e da comunidade.

 


13/05/2020
Por Edilson Silva em Mundo, Religião

Portugal: Fátima reza pelas vitimas da pandemia do COVID-19

Numa celebração inédita, devido à pandemia de Covid-19, e com o recinto fechado e sem peregrinos, o Santuário de Fátima acolheu na última noite a abertura da peregrinação do 13 de maio, presidida pelo Cardeal D. António Marto, bispo de Leiria e Fátima.

A celebração começou junto à Capelinha das Aparições, com a presença dos responsáveis pelas três províncias eclesiásticas de Portugal, em representação das 21 dioceses católicas do país – D. Jorge Ortiga, arcebispo de Braga; D. Manuel Clemente, cardeal-patriarca de Lisboa; D. Francisco Senra Coelho, arcebispo de Évora – juntamente com os capelães do Santuário de Fátima e um coro de 10 elementos, acompanhado por dois organistas.

Vigilantes do Santuário transportaram o andor e a cruz luminosa através do recinto iluminado por mil velas evocando os peregrinos e as vitimas da pandemia. Também de forma simbólica, 21 leigos levaram uma vela na mão, em representação das dioceses de Portugal, durante a procissão para o altar do Recinto, onde foi colocado o andor com a Imagem de Nossa Senhora de Fátima.

“Fica connosco, Senhor, porque se faz noite! É talvez a primeira invocação espontânea de quem aqui sente a noite escura que pesa sobre o mundo abatido por uma pandemia global; a invocação de quem vive uma noite escura da fé perante o aparente silêncio e ausência de Deus; a invocação de quem estremece e estranha esta noite tão diferente daquelas noites inigualáveis de 12 de maio – autênticos mares de luz – e que hoje mais parece um deserto semiescuro”, assinalou D. António Marto na homilia da celebração da Palavra que decorreu no altar do Recinto de Oração.

O prelado lembrou “os defuntos e seus familiares; os doentes; todos os profissionais de saúde, com a sua abnegação e dedicação, até pôr em risco a própria vida; todos os cuidadores; os idosos, os pobres, as famílias que cuidam ou que choram; os sacerdotes; os trabalhadores da proteção civil, dos transportes, da limpeza, da alimentação; os bombeiros e tantos outros que não se pouparam a sacrifícios, como bons samaritanos”.

“Particularmente unido a nós está também um peregrino especial, o Santo Padre Papa Francisco, por cujas intenções queremos orar a Nossa Senhora”, sublinhou ainda o cardeal português que desceu as escadarias para um lava-pés simbólico a três peregrinos convidados para representar todos aqueles que peregrinam à Cova da Iria.

Antes desta celebração, D. António Marto explicou em conferência de imprensa a decisão de celebrar com o recinto fechado, anunciada a 6 de abril e confirmada a 3 de maio, para evitar “o risco de contágio era muito elevado”, numa manifestação onde era “imprevisível” determinar a dimensão da multidão que gostaria de participar.

O cardeal português sustentou que a fé “não se mede pelas multidões” e mostrou-se chocado com emails “agressivos e até ofensivos, ofensivos até da pessoa do próprio Papa” que contestaram a decisão, acrescentando que também recebeu felicitações, de vários quadrantes.

“Eu não queria ficar na história, como bispo, não queria ficar na história como responsável por um agravamento da pandemia, a nível nacional. Nem eu nem queria que ficasse o Santuário. Foi essa a razão, simples”, disse D. António Marto.

Domingos Pinto – Lisboa


13/05/2020
Por Edilson Silva em Mundo, Religião

Com o coração em Fátima, Papa recorda que sob a proteção da Virgem, os sofrimentos e aflições farão menos mal

Vatican News – Neste 13 de maio, Festa litúrgica de Nossa Senhora de Fátima, o Papa Francisco quis “aproximar-se com o coração da Diocese de Fátima, ao Santuário”. Dirigindo-se aos peregrinos de língua portuguesa na Audiência Geral, assim falou:

Saúdo os ouvintes de língua portuguesa e, neste dia treze de maio, a todos encorajo a conhecer e seguir o exemplo da Virgem Maria. Para isso procuremos viver este mês com uma oração diária mais intensa e fiel, em particular rezando o terço, como recomenda a Igreja, obedecendo a um desejo repetidamente expresso em Fátima por Nossa Senhora. Sob a sua proteção, vereis que os sofrimentos e as aflições da vida vos farão menos mal.  Gostaria de aproximar-me com o coração à Diocese de Fátima, ao Santuário de Nossa Senhora, hoje. Saúdo todos os peregrinos que rezam diariamente, saúdo o cardeal bispo, saúdo todos. Todos unidos com Nossa Senhora, que nos acompanhe neste caminho de conversão diária a Jesus. Que Deus vos abençoe!

Também ao saudar os poloneses, Francisco convidou a recordar das mensagens da Virgem de Fátima dirigidas ao mundo:

“Hoje celebramos a memória litúrgica da Nossa Senhora de Fátima. Voltemos com o pensamento às suas aparições e sua mensagem transmitida ao mundo, bem como ao atentado contra São João Paulo II, que na salvação de sua vida viu a intervenção materna da Santa Virgem. Em nossas orações, peçamos a Deus, pela intercessão do Imaculado Coração de Maria, pela paz para o mundo, o fim da pandemia, o espírito de penitência e nossa conversão”.

São João Paulo II ajude a conversão da Igreja de Roma

O Pontífice recordou ainda, que na próxima segunda-feira será celebrado o centésimo aniversário de nascimento de São João Paulo II:

Celebrarei a Missa às 7 horas da manhã, em frente ao altar do túmulo, e será transmitida em Mundovisão para todos. Agradeçamos a Deus por nos ter dado esse bispo para Roma, Santo bispo, e peçamos que ele nos ajude: que ajude esta Igreja de Roma a se converter e seguir em frente.


13/05/2020
Por Edilson Silva em Caicó, Religião

Festa de Santana de Caicó/2020 será com a Catedral vazia, diz Padre. É a primeira vez em 260 anos

A jornalista Gláucia Lima conversou com o pároco da Catedral de Santana, Padre Alcivan Tadeus, que informou aos religiosos e turistas que este ano o novenário da Festa de Santana de Caicó será apenas virtual, transmitido pela internet.

Em mais de 260 anos que a festa é realizada, será a primeira vez que os fiéis não vão poder ir à Catedral de Santana cultuá-la e/ou participar (fisicamente) dos festejos e rituais católicos do maior evento sócio-religioso do Rio Grande do Norte.

A tradicional Festa de Santana ocorre normalmente em 11 dias seguidos do mês de julho, e termina com uma grande procissão, onde milhares de fiéis provam sua devoção à padroeira da cidade.

ECONOMIA

O evento potencializa o comércio nesta época, sendo o maior impulsionador da economia durante todo o ano, se assemelhando apenas ao carnaval.


10/05/2020
Por Edilson Silva em Religião, Saúde

Papa liga para arcebispo de São Paulo manifestando grande preocupação sobre a gravidade da pandemia na cidade

Preocupado com o agravamento da situação da pandemia de coronavirus em São Paulo, o Papa Francisco ligou por volta das 11h40 da manhã deste sábado (9) para o arcebispo de São Paulo, o cardeal Dom Odilo Scherer. Segundo relato escrito pelo cardeal a integrantes da diocese, o papa “perguntou como estamos em São Paulo, pois teve informações sobre a situação grave da pandemia” na capital.

Segundo Dom Odilo, o papa também quis saber como estão os pobres, e expressou sua preocupação pela situação deles, sabendo que nem sempre eles têm casa nem condições adequadas para seguir medidas preventivas contra o contágio. No telefonema ao cardeal, o pontífice também expressou sua proximidade e solidariedade para com toda a população de São Paulo e “disse que estava orando por nós”.


09/05/2020
Por Edilson Silva em Brasil, Religião

MP investiga pastor que vende “semente mágica que cura coronavírus” por R$ 1 mil

Famoso por atitudes controversas, o pastor Valdemiro Santiago, líder da Igreja Mundial do Reino de Deus, está vendendo uma semente mágica como a cura da Covid-19. O “grão ungido” pode ser comprado pelos fiéis pela bagatela de R$ 1 mil. O vídeo já está sendo investigado pelo Ministério Público (MP), informa o jornal O Dia. A venda do produto pode ser classificada como o crime de estelionato.

De acordo com a Procuradoria da República de São Paulo “o vídeo está sob análise”. Ainda de acordo com o órgão, cabe à esfera estadual apurar a responsabilidade civil do pastor no caso. Já o MP paulistano afirmou que as imagens já estão sob análise de um promotor.

O POVO optou por não disponibilizar as imagens do vídeo por considerar o risco de má fé entre os envolvidos no caso. Até o momento, segundo todos os órgãos de saúde do mundo, não existe cura para o coronavírus, que é combatido pelo próprio corpo até o vírus se tornar indetectável.

Valdemiro diz que o fiel irá investir no “propósito da semente ser tua benção”. No vídeo, o pastor apresenta um suposto laudo médico de um paciente curado da Covid-19 após plantar a o grão. “Vou fazer o propósito de R$ 1 mil para cada um. E muitos que estão me assistindo também vão fazer de R$ 1 mil. Outros vão fazer de R$ 500. De acordo com sua semeadeira”, diz o pastor.

Não é divulgado de qual planta específica é a semente, mas o líder da Igreja Mundial afirma que o slogan do propósito estará estampado na planta ao florescer.

Valdemiro fala do potencial da semente:”gente curada de estado terminal, gravíssimo. E tá ali o exame, para quem quiser. (…) Você vê como a semente é semeadora. E aí sim conseguiu vencer a crise e a epidemia. Só tem um jeito de se vencer essas fases difíceis. É semeando, e semeando na obra de Deus. Essa semente é interessante, você planta… É a semente ‘sê tu uma bênção’. Você vai semear essa semente e na planta que nascer vai estar escrito ‘Sê tu uma benção’.”

O pastor rebate no vídeo a possibilidade de fraude ao anunciar o preço da semente “Mas isso é enganar? Você que tá enganado”. A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirma que ainda não há vacina, cura ou medicamentos que protejam ou possam ser utilizados no tratamento de Covid-19.

Com informações do Correio via Rede Nordeste


07/05/2020
Por Edilson Silva em Caicó, Religião

Plantão Psicológico, em tempos de pandemia realizado pela Cáritas Diocesana de Caicó, é destaque em matéria da CNBB Nacional

A Cáritas Diocesana de Caicó, no Rio Grande do Norte, está oferecendo atendimento psicológico gratuito por meio de ligações telefônicas e videochamadas. A iniciativa, que faz parte da campanha “É tempo de cuidar” promovida pela CNBB e Cáritas Brasileira, completa um mês nesta quarta (6) com a marca de mais de 70 pessoas beneficiadas, inclusive de outros Estados como Paraíba e Minas Gerais.

O plantão psicológico funciona de segunda a sexta das 14h às 17h e nos sábados das 8h às 11h. Por meio do número (84) 99687.0022, os interessados são acolhidos por psicólogos voluntários. Ao todo são oito profissionais disponíveis para atendimento.

“Toda a estrutura física, incluindo telefone e internet, é oferecida pela Cáritas e pela Diocese de Caicó. Como Igreja estamos muito preocupados com a saúde mental das pessoas neste tempo de pandemia que nos obriga a viver em isolamento social”, afirma o coordenador da Cáritas Diocesana de Caicó, Carlos Martins.

“As pessoas chegam a esperar dois anos para serem atendidas por um psicólogo. É por isso que a Cáritas junto com a diocese vem atuando forte nessa área e não poderia deixar de dar uma atenção especial neste momento em que percebemos o aumento de casos de pânico gerados pela ansiedade”, conta Martins.


07/05/2020
Por Edilson Silva em Jucurutu, Religião

Jucurutu: Paróquia de São Sebastião fará transmissões via YouTube e Facebook

A Paróquia de São Sebastião do município de Jucurutu/RN, fará transmissões via YouTube e Facebook. As novenas do mês de maio, em virtude do isolamento social, serão transmitidas através das mídias sociais incluindo YouTube.

Com isso os paroquianos e devotos de Nossa Senhora poderão acompanhar de casa ou de qualquer lugar, desde que esteja conectado a celulares, tablets, ou mesmo via televisão (smart tv). Para isso é necessário que o aparelho possua uma conexão com a internet.

Link do Youtube

https://www.youtube.com/channel/UCgRCLKm1G4E67A9bt_ZKd9Q/featured?view_as=subscriber

Link do Facebook

https://www.facebook.com/paroquiadejucurutu/


07/05/2020
Por Edilson Silva em Brasil, Religião, Saúde

Pastor Valdemiro Santiago vende semente a R$ 1 mil prometendo curar a covid-19

UOL – O pastor Valdemiro Santiago, líder da Igreja Mundial do Poder de Deus, promete a cura ao coronavírus em um vídeo em que vende sementes aos seus seguidores. No vídeo, publicado no YouTube, ele fala do suposto benefício de uma planta e pede o “propósito de R$ 1 mil” por ela. Segundo a Organização Mundial da Saúde, ainda não existe nenhuma cura ou vacina que protejam ou possam ser utilizados como remédios para a covid-19.

No vídeo, ele mostra suposto exame que comprovaria que uma pessoa teria se curado da covid-19 após utilizar a semente – ele não diz de que planta específica é. Segundo ele, após o plantio, aparece escrito na semente “sê tu uma bênção”.

No vídeo ele fala de “gente curada de estado terminal, gravíssimo. E tá ali o exame, para quem quiser. (…) Você vê como a semente é semeadora. E aí sim conseguiu vencer a crise e a epidemia. Só tem um jeito de se vencer essas fases difíceis. É semeando, e semeando na obra de Deus. Essa semente é interessante, você planta… É a semente ‘sê tu uma bênção’. Você vai semear essa semente e na planta que nascer vai estar escrito ‘Sê tu uma benção’.”.

No próprio vídeo ele fala sobre críticas ao método. “Mas isso é enganar? Você que tá enganado”, diz ele, antes de anunciar o preço das sementes – elas estão à venda no site oficial da Igreja Mundial. “Vou fazer o propósito de R$ 1 mil para cada um. E muitos que estão me assistindo também vão fazer de R$ mil. Outros vão fazer de R$ 500. De acordo com sua semeadeira”, afirma ele. O UOL procurou o pastor para pedir provas da eficácia da solução proposta por ele, mas não conseguiu contato.

No último dia 24 de abril, indo na contramão das recomendações da OMS, a igreja anunciou a reabertura aos fiéis, por meio de reserva de horários online. “Por conta do COVID-19, exigimos algumas normas para os fiéis, evitando o máximo para que não ocorra a transmissão. O uso de máscaras é obrigatório e uso álcool em gel. Pedimos que mantenha distância de 1,5m”, diz comunicado no site da Mundial.

Veja:


26/04/2020
Por Edilson Silva em Religião

Refletindo com o cantor e compositor, Padre Zezinho – SCJ

Em política e em religião não canonize ninguém em vida. Esperem muitos anos depois que morrerem. Há memórias e histórias que nunca se apagam. Outras acabam com o último adeus da família.

Heróis, mitos e santos, enquanto vivos, continuam humanos e imprevisíveis.

No Calvário havia três cruzes. Um morreu perdoando, outro morreu pedindo perdão e o terceiro morreu esperneando e blasfemando!




Facebook


Twitter