27/04/2017
Por Edilson Silva em Política, Religião

A posição da CNBB sobre a greve geral convocada para o dia 28

Brasília (RV) – “Consideramos fundamental que se escute a população”, afirma o Secretário Geral da CNBB,  Dom Leonardo Steiner, ao comentar a convocação de uma greve geral para o dia 28 de abril, contra as reformas da Previdência e trabalhista apresentadas pelo Poder Executivo e em tramitação no Congresso Nacional.

Às vésperas da 55ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), que tem início neste dia 26 em Aparecida (SP), o Bispo auxiliar de Brasília (DF) concedeu uma entrevista tratando da posição da entidade sobre as manifestações. Dom Leonardo considera “fundamental que se escute a população em suas manifestações coletivas”.

Qual é a posição da CNBB sobre a anunciada greve geral do dia 28 de abril?

A partir de 26 de abril, os bispos estarão reunidos em assembleia geral, em Aparecida (SP). A assembleia é a instância suprema da Conferência e dela pode sair novo posicionamento. Posso agora, reafirmar o que o Conselho Permanente da CNBB já declarou em Nota: “Convocamos os cristãos e pessoas de boa vontade, particularmente nossas comunidades, a se mobilizarem ao redor da atual Reforma da Previdência, a fim de buscar o melhor para o nosso povo, principalmente os mais fragilizados”.

Nesse sentido, consideramos fundamental que se escute a população em suas manifestações coletivas. Claro que nosso olhar se dá na perspectiva da evangelização e nossa posição brota das exigências do Evangelho. E isso significa reafirmar a busca do diálogo, da paz e do entendimento. Na afirmação dos bispos está a orientação de que esses momentos sejam marcados pelo respeito à vida, ao patrimônio público e privado, fortalecendo a democracia.

Qual o impacto de uma greve geral neste momento? 

Certamente o conteúdo das manifestações se dará no sentido de defesa dos direitos dos trabalhadores do campo e da cidade, de modo muito particular dos mais pobres. O movimento sinaliza que a sociedade quer o diálogo, quer participar, quer dar sua contribuição. Reformas de tamanha importância não podem ser conduzidas sem esse amplo debate.

O Congresso Nacional e o Poder Executivo, infelizmente, têm se mostrado pouco sensível ao que a sociedade tem manifestado em relação às reformas. Os brasileiros e brasileiras desejam o bem do Brasil e para construir uma nação justa e fraterna querem participar das discussões e encaminhamentos.

É oportuno apresentar propostas de reformas na atual conjuntura?

O Brasil vive um momento particular de sua história, uma crise ética. Há situações de enorme complexidade nos quais estão envolvidos personagens do cenário político, sem falar da crise econômica que atinge a todos. Como encaminhar mudanças sem o respaldo da sociedade? Propostas de reformas que tocam na Constituição Federal, no sistema previdenciário, na CLT merecem estudo, pesquisa e aprofundamento. Sem diálogo não é possível criar um clima favorável que vise o bem do povo brasileiro.

(CNBB)


25/04/2017
Por Edilson Silva em Política, Religião

Dom Jaime convoca fiéis cristãos para se posicionarem contra as reformas

O Arcebispo Metropolitano, Dom Jaime Vieira Rocha, convoca os fiéis em geral para se posicionarem contra as reformas que tramitam no Congresso Nacional, como a trabalhista e a da Previdência. Ele também convoca os fiéis para participarem das manifestações contra tais reformas, que acontecerão, em todo o País, na próxima sexta-feira, dia 28.


23/04/2017
Por Edilson Silva em Política, Religião

Arcebispos convocam cristãos para greve geral em 28 de Abril

Arcebispos em diversos estados têm convocado os brasileiros para a greve geral do dia 28 de abril. O movimento é organizado por centrais sindicais e movimentos sociais em todo o País em protesto contra as reformas impostas pelo governo Temer, que retiram direitos dos trabalhadores, especialmente os mais pobres.

Uma publicação do Comitê das Igrejas de Belo Horizonte convoca a população para a paralisação. “A Igreja se posiciona firme e profeticamente contra as reformas que vão contra o nosso povo”, diz o título da mensagem.

O texto destaca ainda que as reformas da Previdência e Trabalhista, além da Lei da Terceirização, já aprovada, “desmontam direito sociais conquistados com muita luta pelo povo brasileiro”, mas que “infelizmente, a maioria dos nossos governantes não escuta e não enxerga a realidade do nosso povo, e sem qualquer diálogo com a sociedade impõe um conjunto de mudanças que afetarão a todos, especialmente os mais pobres”.

“É preciso reagir”, convocam ainda. Os arcebispos da Paraíba e de Maringá (PR) também aderiram à greve. O folheto de BH traz uma imagem do papa Francisco, com a mensagem: “Nenhuma família sem casa, nenhum camponês sem terra, nenhum trabalhador sem direitos”.

Nessa semana, o papa negou, por meio de carta a Temer, um convite do governo brasileiro para visitar o País, e cobrou o presidente para evitar medidas que agravem a situação da população carente. “Sei bem que a crise que o país enfrenta não é de simples solução, uma vez que tem raízes sócio-político-econômicas, e não corresponde à Igreja nem ao Papa dar uma receita concreta para resolver algo tão complexo”, disse.

Francisco acrescentou que não pode, porém, “deixar de pensar em tantas pessoas, sobretudo nos mais pobres”. O papa também lembrou a Temer que não se pode “confiar nas forças cegas e na mão invisível do mercado”.

Na Paraíba, o arcebispo dom Manoel Delson Pedreira da Cruz, que foi anunciado pelo Vaticano no início do mês passado como novo arcebispo do estado, gravou uma mensagem convocando a população para participar das manifestações contra a reforma da Previdência. “Sabemos que esta reforma implica em tirar direitos adquiridos dos trabalhadores e assegurados na Constituição de 1988”, diz com Manoel. “Convocamos todos os trabalhadores a participarem desta grande manifestação, dizendo a palavra que o povo não aceita a reforma da Previdência nos termos que estão anunciando”, afirmou o arcebispo.


23/04/2017
Por Edilson Silva em Religião, RN

CREA-PB se junta a OAB e CNBB no repúdio à reforma da Previdência

A presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia da Paraíba (CREA-PB), Giucélia Figueiredo elogiou neste domingo, 23, as atitudes da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e da Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) que se manifestaram publicamente em nota contra a Reforma da Previdência na última quarta-feira, 19.

As entidades criticaram a falta de debate com a sociedade na tramitação das mudanças. “Nenhuma reforma que afete direitos básicos da população pode ser formulada, sem a devida discussão com o conjunto da sociedade e suas organizações”, afirma o texto assinado ainda pelo Conselho Federal de Economia (Cofecon).


22/04/2017
Por Edilson Silva em Política, Religião

Urgente! Dom Delson grava mensagem convocando população para greve geral do dia 28 de Abril

O movimento “Vamos parar o Brasil”, programado para acontecer na próxima sexta-feira (28) em todo o País, ganhou um reforço de peso na Paraíba. Dom Manoel Delson Pedreira da Cruz, que foi anunciado pelo Vaticano no início do mês passado como novo arcebispo da Paraíba, gravou uma mensagem convocando a população para participar das manifestações contra a reforma da Previdência.

Além de Dom Delson, quem também está engajado nos preparativos do “Vamos parar o Brasil”, é Dom Genival Saraiva de França, atual administrador apostólico da Arquidiocese da Paraíba. Na última quarta-feira (20), ele esteve reunido com integrantes da Frente Brasil Popular na Paraíba, discutindo detalhes do protesto.

Em março, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), chegou a emitir uma nota (clique aqui e leia na íntegra) aprovada em seu Conselho Permanente sobre a reforma da Previdência. O documento afirma que a seguridade não é uma concessão governamental, mas sim direitos sociais conquistados com intensa participação democrática.

A posse de Dom Manoel Delson como novo arcebispo da Paraíba ocorrerá em maio. A cerimônia vai durar dois dias seguidos, com início no dia 19 e término no dia 20.

Saiba mais sobre o ato do dia 28

De acordo com os organizadores, o objetivo do protesto “Vamos parar o Brasil” é alertar o Governo Federal de que a sociedade e a classe trabalhadora não aceitarão os retrocessos representados pelas reformas da Previdência e trabalhista que estão sendo gestadas pelo presidente Michel Temer (PMDB).

“Em nossa opinião, trata-se do desmonte da Previdência Pública e da retirada dos direitos trabalhistas garantidos pela CLT. Por isso, conclamamos todos, neste dia, a demonstrarem o seu descontentamento, ajudando a paralisar o Brasil”, diz trecho de nota conjunta divulgada por entidades.

Ouça:


18/04/2017
Por Edilson Silva em Política, Religião

Papa envia carta a Temer e recusa visita ao Brasil

Em uma carta na qual recusa um convite para visitar o Brasil, o papa Francisco cobrou o presidente Michel Temer para evitar medidas que agravem a situação da população carente no país.

A correspondência foi uma resposta a outra enviada pelo mandatário no fim de 2016, na qual o líder da Igreja Católica era convidado formalmente para as celebrações dos 300 anos da aparição de Nossa Senhora Aparecida, comemorados em 2017.

“Sei bem que a crise que o país enfrenta não é de simples solução, uma vez que tem raízes sócio-político-econômicas, e não corresponde à Igreja nem ao Papa dar uma receita concreta para resolver algo tão complexo”, escreveu o Pontífice, segundo trecho publicado pelo jornalista Gerson Camarotti, da Globo News.

“Porém não posso deixar de pensar em tantas pessoas, sobretudo nos mais pobres, que muitas vezes se veem completamente abandonados e costumam ser aqueles que pagam o preço mais amargo e dilacerante de algumas soluções fáceis e superficiais para crises que vão muito além da esfera meramente financeira”, acrescentou.

Em resposta ao convite para as celebrações da aparição de Nossa Senhora Aparecida, o Papa disse que, devido a sua intensa agenda, não poderia vir ao país neste ano. Ainda de acordo com Camarotti, Jorge Bergoglio, nome de batismo do papa, afirmou rezar pelo país e que acompanha “com atenção” os acontecimentos na maior nação da América Latina.

Citando sua exortação apostólica “A Alegria do Evangelho”, Francisco também lembrou que não se pode “confiar nas forças cegas e na mão invisível do mercado”, em um momento em que o governo Temer tenta aprovar reformas econômicas para garantir a confiança dos investidores.

Em setembro passado, na inauguração de uma imagem de Nossa Senhora Aparecida no Vaticano, o Pontífice já havia dito que o Brasil passava por um “momento triste”. Um mês antes, Francisco enviou uma carta não oficial em apoio a Dilma Rousseff, que na época ainda não tinha sofrido o impeachment.

Contudo, Bergoglio sempre evitou se posicionar publicamente sobre a crise política enfrentada pelo país.


11/04/2017
Por Edilson Silva em Religião

Estado Islâmico tentará matar o Papa Francisco no Egito, afirma especialista

Gustavo Chacra, jornalista judeu que escreve sobre política internacional no Estadão e comenta o assunto em programas da Globo News, acredita que os jihadistas do Estado Islâmico tentarão matar o Papa Francisco este mês.

O possível atentado seria no Egito, onde o pontífice estará em viagem oficial em 28 e 29 de abril, a primeira dele ao país.

Guga, como prefere ser chamado, disse nesta segunda-feira (10) que Francisco deveria cancelar a viagem pois o “Estado Islâmico ou Daesh, e outras organizações radicais presentes no território egípcio certamente já têm planos para o ataque”

O motivo para essa conclusão é que os atentados a bomba ocorridos neste domingo, que mataram mais de 40 cristãos e feriram outras dezenas, deram uma prova de como os jihadistas estão confiantes em seu poder de fogo diante de um governo egípcio que se mostra incapaz de defender sua população das ameaças que vêm se repetindo a meses no país.

Ontem, o presidente Sissi decretou estado de emergência por três meses.

O Vaticano anunciou que, apesar do risco, a viagem de Francisco está confirmada. Ele deve se encontrar com o Papa Copta Teodoro II, que quase foi morto em um dos ataques, para mostrar solidariedade aos cristãos e também “tentar o diálogo” com autoridades islâmicas.

Está programado um encontro com o grande imã Sheikh Ahmed Mohamed el-Tayeb, uma das principais lideranças muçulmanas do país.

Ainda segundo Chacra, Francisco tem “o agravante de se recusar a adotar algumas medidas de segurança, como observamos na viagem dele ao Rio”. Para o especialista, “Caso matem o Papa no Egito, será o golpe final em qualquer esperança de tolerância religiosa ao redor do mundo”.

Papa já foi ameaçado pelo EI

Em diversas oportunidades o Estado Islâmico divulgou que pretendia matar o papa, considerado por eles o maior líder cristão do mundo.

No ano passado, após Francisco ter afirmado que o Islamismo não ensinava a violência, os jihadistas responderam em um artigo de sua revista digital. Para o Estado Islâmico, todos os papas foram seus inimigos e que “Francisco continua a esconder-se atrás de um véu enganador de ‘boa vontade’, escondendo suas intenções reais de subjugar o povo muçulmano”.

Defenderam que todo os muçulmanos precisam pegar a espada para a jihad, pois essa é sua “maior obrigação”. A revista faz questão de asseverar: “De fato, a jihad – espalhar a lei de Alá pela espada – é uma obrigação encontrada no Alcorão, a palavra de nosso Senhor”.

“O sangue dos descrentes deve ser derramado obrigatoriamente. A ordem é clara. Matem os descrentes, como disse Alá: “Matai os idólatras, onde quer que os acheis” [Sura 9:5]”, ressalta outra parte do texto.


09/04/2017
Por Edilson Silva em Jucurutu, Religião

Pe. Luiz Carlos celebra Domingo de Ramos na Paróquia de São Sebastião em Jucurutu

Na manhã deste domingo, 09/04 o Pe. Luiz Carlos celebrou ao lado da comunidade católica jucurutuense o tradicional Domingo de Ramos que abre oficialmente programação da Semana Santa no município de Jucurutu/RN.

A concentração dos fiéis teve início por volta das 06h e 30min. em frente ao Recanto da Saudade, onde aconteceu a Benção dos Ramos e logo após procissão em direção a Matriz de São Sebastião. Ao som de cânticos, preces e orações dezenas de pessoas acompanharam o momento imitando os passos de Jesus Cristo em sua entrada em Jerusalém e em seu percurso rumo à cruz.

Ao longo do dia, várias outras celebrações acontecerão nas igrejas e capelas da cidade.

Confira Programação:

9h – Missa e Benção de Ramos em Barra de Santana

17h – Celebração da Palavra e Benção dos Ramos no Bairro Novo Horizonte

17h – Celebração e Benção de Ramos no Bairro Freitas

17h – Celebração e Benção de Ramos na Pedra do Navio

17h – Celebração da Palavra e Benção dos Ramos em Boi Selado

18h e 30min. – Benção dos Ramos e logo após procissão saindo do Recanto da Saudade em direção a Matriz de São Sebastião.

Domingo de Ramos:

O Domingo de Ramos abre por excelência a Semana Santa. Relembramos e celebramos a entrada triunfal de Jesus Cristo em Jerusalém, poucos dias antes de sofrer a Paixão, Morte e Ressurreição. Este domingo é chamado assim porque o povo cortou ramos de árvores, ramagens e folhas de palmeiras para cobrir o chão onde Jesus passava montado num jumento. Com folhas de palmeiras nas mãos, o povo o aclamava “Rei dos Judeus”, “Hosana ao Filho de Davi”, “Salve o Messias”… E assim, Jesus entra triunfante em Jerusalém despertando nos sacerdotes e mestres da lei muita inveja, desconfiança, medo de perder o poder. Começa então uma trama para condenar Jesus à morte e morte de cruz.

O povo o aclama cheio de alegria e esperança, pois Jesus como o profeta de Nazaré da Galiléia, o Messias, o Libertador, certamente para eles, iria libertá-los da escravidão política e econômica imposta cruelmente pelos romanos naquela época e, religiosa que massacrava a todos com rigores excessivos e absurdos.

Mas, essa mesma multidão, poucos dias depois, manipulada pelas autoridades religiosas, o acusaria de impostor, de blasfemador, de falso messias. E incitada pelos sacerdotes e mestres da lei, exigiria de Pôncio Pilatos, governador romano da província, que o condenasse à morte.

O Domingo de Ramos pode ser chamado também de “Domingo de Ramos e da Paixão do Senhor”, nele, a liturgia nos relembra e nos convida a celebrar esses acontecimentos da vida de Jesus que se entregou ao Pai como Vítima Perfeita e sem mancha para nos salvar da escravidão do pecado e da morte. Crer nos acontecimentos da Paixão, Morte e Ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo, é crer no mistério central da nossa fé, é crer na vida que vence a morte, é vencer o mal, é também ressuscitar com Cristo e, com Ele Vivo e Vitorioso viver eternamente. É proclamar, como nos diz São Paulo: ‘”Jesus Cristo é o Senhor”, para a glória de Deus Pai’ (Fl 2, 11).


07/04/2017
Por Edilson Silva em Jucurutu, Religião

Paróquia de São Sebastião de Jucurutu divulga programação da Semana Santa 2017

A Paróquia de São Sebastião divulgou programação da Semana Santa no município de Jucurutu/RN. No folder que já está sendo distribuído no final de cada celebração consta tudo o que vai acontecer neste período em nossa comunidade.

De acordo com o Pe. Luiz Carlos a programação terá início neste sábado, 08/04, e irá se estender até o domingo de páscoa, onde a Igreja celebra a ressurreição de Jesus.

Confira:


06/04/2017
Por Edilson Silva em Política, Religião

Bispos do Brasil emitem nota contrários à reforma da previdência

O Arcebispo de Natal, Dom Jaime Vieira Rocha; o bispo de Caicó, Dom Antônio Carlos Cruz, e o bispo de Mossoró, Dom Mariano Manzana, se encontraram com deputadores federais e senadores do Rio Grande do Norte, em Brasília, no final da manhã desta quarta-feira, 5.

Na ocasião, foi entregue à bancada potiguar uma nota, em nome dos bispos, contando, também com a assinatura dos padres das três dioceses potiguares. A mesma nota, que incentiva os cristãos a se mobilizarem contra à proposta da Reforma da Previdência, será lida nas missas do Domingo de Ramos, dia 9 de abril, em todas as paróquias do Estado.

Veja:


06/04/2017
Por Edilson Silva em Caicó, Religião

Estudo sobre Festa de Sant’Ana de Caicó é publicado em livro por professor da Ufersa

Um dos mais importantes eventos religiosos do calendário comemorativo do Rio Grande do Norte está na cidade de Caicó com as celebrações da Festa de Sant‘Ana, padroeira da cidade. O professor da UFERSA Thadeu de Souza Brandão dedicou sua pesquisa de Mestrado na UFRN a um olhar atento sobre a festividade e, fruto da sua dissertação, lança pela editora Novas Edições Acadêmicas o livro “A Senhora do Sertão: a Festa de Sant’Ana de Caicó”.

Esta é a quarta obra assinada pelo professor, na qual a apresenta um fecundo exercício teórico-metodológico para refletir sobre problemáticas como identidade, representações sociais, religião, sociabilidade(s), tradição e modernidade. O professor Jean Henrique Costa, da UERN, assina o prefácio do livro e destaca a imersão do pesquisador. “Para além da festa e sua construção enquanto objeto de estudo, a etnografia da festa de Sant’Ana de Caicó, realizada por Thadeu Brandão, ilustra não apenas os caminhos objetivos de uma pesquisa antropológica, mas, fundamentalmente, mergulha no universo simbólico investigado, destacando uma profunda e cativante inserção do pesquisador na teia de significados que envolve a historicidade de seu objeto”.

A obra está sendo lançada nesta terça-feira, dia 4 de abril, exatos 15 anos depois de apresentado como dissertação. Está em formato digital (e-book) e pode ser baixada gratuitamente. O Professor Thadeu de Sousa Brandão é vinculado ao Centro de Ciências Sociais Aplicadas e Humanas – CCSAH, membro permanente do Mestrado em Cognição, Tecnologias e Instituições – PPGCTI e coordenador do Observatório da Violência Letal Intencional do RN – OBVIO/RN.


06/04/2017
Por Edilson Silva em Política, Religião

Zenaide Maia participa de audiência com bancada e representantes da Igreja Católica

A deputada federal Zenaide Maia participou nesta quarta-feira (05) de Audiência Pública no Senado Federal para discutir estratégias para chegada das águas do Rio São Francisco ao Rio Grande do Norte. A audiência contou com a presença do Arcebispo de Natal, Dom Jaime Vieira Rocha; o bispo de Caicó, Dom Antônio Carlos Cruz, e o bispo de Mossoró, Dom Mariano Manzana, além dos reitores da UFRN e IFRN.

Logo após a audiência, a deputada Zenaide Maia participou de um almoço da bancada com os representantes da igreja católica. Na ocasião, foi entregue à bancada potiguar uma nota, em nome dos bispos, contando, também com a assinatura dos padres das três dioceses potiguares. A mesma nota, que incentiva os cristãos a se mobilizarem contra à proposta da Reforma da Previdência, será lida nas missas do Domingo de Ramos, dia 9 de abril, em todas as paróquias do Estado.


04/04/2017
Por Edilson Silva em Religião

Bispos do RN em Brasília (DF)

O Arcebispo de Natal, Dom Jaime Vieira Rocha; o bispo de Caicó, Dom Antônio Carlos Cruz, e o bispo de Mossoró, Dom Mariano Manzana, viajam a Brasília, nesta semana, onde vão ter encontros com deputados, senadores, ministros e com a presidência da CNBB.

Na quarta-feira, 5, pela manhã, os três bispos vão participar de uma audiência com o ministro da Integração Nacional, Hélder Barbalho, e com deputados federais e senadores dos estados do Rio Grande do Norte e da Paraíba. A pauta da audiência será o projeto de integração do Rio São Francisco.

Esse encontro é fruto de uma reunião, envolvendo representantes de várias instituições, realizada na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, no último dia 23 de março, que discutiu formas de mobilização reivindicando que as bacias dos rios Apodi e Piranhas-Açu também recebam águas do São Francisco.


31/03/2017
Por Edilson Silva em Política, Religião

Senado celebra Campanha da Fraternidade em prol dos biomas brasileiros

O Senado promoverá sessão especial na quinta-feira (6) para celebrar o lançamento da Campanha da Fraternidade de 2017. O tema da campanha deste ano é Fraternidade: biomas brasileiros e defesa da vida. O lema é Cultivar e guardar a criação.

A iniciativa da sessão é da senadora Regina Sousa (PT-PI). Ela afirmou que, com a campanha, promovida pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), a Igreja Católica chama a sociedade a tratar com respeito a natureza e dar atenção aos diferentes biomas brasileiros.


26/03/2017
Por Edilson Silva em Jucurutu, Religião

Paróquia de São Sebastião realizará mutirão de confissões em preparação para Páscoa

A Paróquia de São Sebastião de Jucurutu, que tem a frente o Pe. Luiz Carlos realiza na próxima quinta – feira, 30 de março mutirões de confissões, proporcionando aos fiéis e jucurutuenses uma preparação especial para a celebração da Páscoa.

Horários:

Tarde das 15h às 18h

Noite das 19h às 22h

Locais:

Igreja Matriz – Centro

Igreja de Stª. Izabel – Ao lado do hospital


25/03/2017
Por Edilson Silva em Caicó, Jucurutu, Religião

Jucurutu participa de encontro da PASCOM – Pastoral da Comunicação

A PASCOM – Pastoral da Comunicação da Diocese de Caicó realizou na manhã deste sábado, 25/03 mais um encontro presencial com membros de várias cidades do seridó. O evento que teve início por volta das 8h aconteceu na Centro Pastoral Dom Wagner e contou com participação de representantes da Paróquia de São Sebastião de Jucurutu/RN.

Estiveram presentes o Pe. Givanildo Medeiros de Araújo (Coordenador Diocesano) e Lucinete Araújo Dantas (Articuladora) que na ocasião ouviram cada representação.

O objetivo é formar e capacitar novos comunicadores para fortalecer a pastoral na Diocese (paróquias, pastorais e movimento). O momento também foi oportuno para rearticular e melhorar os instrumentos de comunicação diocesana: programas de rádio, boletim informativo, folha, web rádio, sites, redes sociais entre outros.

A meta da Pascom é promover esse tipo de encontro com frequência para as equipes de comunicação diocesana, paroquiais e de cada pastoral e movimento, articulando todos os agentes em um trabalho conjunto.

Por Edilson Silva


25/03/2017
Por Edilson Silva em Política, Religião

Para CNBB, Reforma da Previdência “escolhe o caminho da exclusão social”

A Presidência da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) divulgou, nesta quinta-feira, dia 23 de março, uma nota sobre a Reforma da Previdência. No texto, aprovado pelo Conselho Permanente da entidade, os bispos elencam alguns pontos da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287/2016, considerando que a mesma “escolhe o caminho da exclusão social” e convocam os cristãos e pessoas de boa vontade “a se mobilizarem para buscar o melhor para o povo brasileiro, principalmente os mais fragilizados”.

Em entrevista coletiva à imprensa, também foram apresentadas outras duas notas. Uma sobre o foro privilegiado e outra em defesa da isenção das instituições filantrópicas. Na ocasião, a Presidência da CNBB falou das atividades e temas de discussão durante a reunião do Conselho Permanente, que teve início na terça-feira, dia 21 e terminou no fim da manhã desta quinta, 23.

Apreensão

Na nota sobre a PEC 287, a CNBB manifesta apreensão com relação ao projeto do Poder Executivo em tramitação no Congresso Nacional. “A previdência não é uma concessão governamental ou um privilégio. Os direitos Sociais no Brasil foram conquistados com intensa participação democrática; qualquer ameaça a eles merece imediato repúdio”, salientam os bispos.

O Governo Federal argumenta que há um déficit previdenciário, justificativa questionada por entidades, parlamentares e até contestadas levando em consideração informações divulgadas por outros governamentais. Neste sentido, os bispos afirmam não ser possível “encaminhar solução de assunto tão complexo com informações inseguras, desencontradas e contraditórias”.

A entidade valorizou iniciativas que visam conhecer a real situação do sistema previdenciário brasileiro com envolvimento da sociedade.

Leia na íntegra:

NOTA DA CNBB SOBRE A PEC 287/16 – “REFORMA DA PREVIDÊNCIA”

“Ai dos que fazem do direito uma amargura e a justiça jogam no chão”

(Amós 5,7)

O Conselho Permanente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil-CNBB, reunido em Brasília-DF, dos dias 21 a 23 de março de 2017, em comunhão e solidariedade pastoral com o povo brasileiro, manifesta apreensão com relação à Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287/2016, de iniciativa do Poder Executivo, que tramita no Congresso Nacional.

O Art. 6º. da Constituição Federal de 1988 estabeleceu que a Previdência seja um Direito Social dos brasileiros e brasileiras. Não é uma concessão governamental ou um privilégio. Os Direitos Sociais no Brasil foram conquistados com intensa participação democrática; qualquer ameaça a eles merece imediato repúdio.

Abrangendo atualmente mais de 2/3 da população economicamente ativa, diante de um aumento da sua faixa etária e da diminuição do ingresso no mercado de trabalho, pode-se dizer que o sistema da Previdência precisa ser avaliado e, se necessário, posteriormente adequado à Seguridade Social.

Os números do Governo Federal que apresentam um déficit previdenciário são diversos dos números apresentados por outras instituições, inclusive ligadas ao próprio governo. Não é possível encaminhar solução de assunto tão complexo com informações inseguras, desencontradas e contraditórias. É preciso conhecer a real situação da Previdência Social no Brasil. Iniciativas que visem ao conhecimento dessa realidade devem ser valorizadas e adotadas, particularmente pelo Congresso Nacional, com o total envolvimento da sociedade.

O sistema da Previdência Social possui uma intrínseca matriz ética. Ele é criado para a proteção social de pessoas que, por vários motivos, ficam expostas à vulnerabilidade social (idade, enfermidades, acidentes, maternidade…), particularmente as mais pobres. Nenhuma solução para equilibrar um possível déficit pode prescindir de valores éticos-sociais e solidários. Na justificativa da PEC 287/2016 não existe nenhuma referência a esses valores, reduzindo a Previdência a uma questão econômica.

Buscando diminuir gastos previdenciários, a PEC 287/2016 “soluciona o problema”, excluindo da proteção social os que têm direito a benefícios. Ao propor uma idade única de 65 anos para homens e mulheres, do campo ou da cidade; ao acabar com a aposentadoria especial para trabalhadores rurais; ao comprometer a assistência aos segurados especiais (indígenas, quilombolas, pescadores…); ao reduzir o valor da pensão para viúvas ou viúvos; ao desvincular o salário mínimo como referência para o pagamento do Benefício de Prestação Continuada (BPC), a PEC 287/2016 escolhe o caminho da exclusão social.

A opção inclusiva que preserva direitos não é considerada na PEC. Faz-se necessário auditar a dívida pública, taxar rendimentos das instituições financeiras, rever a desoneração de exportação de commodities, identificar e cobrar os devedores da Previdência. Essas opções ajudariam a tornar realidade o Fundo de Reserva do Regime da Previdência Social – Emenda Constitucional 20/1998, que poderia provisionar recursos exclusivos para a Previdência.

O debate sobre a Previdência não pode ficar restrito a uma disputa ideológico-partidária, sujeito a influências de grupos dos mais diversos interesses. Quando isso acontece, quem perde sempre é a verdade. O diálogo sincero e fundamentado entre governo e sociedade deve ser buscado até à exaustão.

Às senhoras e aos senhores parlamentares, fazemos nossas as palavras do Papa Francisco: “A vossa difícil tarefa é contribuir a fim de que não faltem as subvenções indispensáveis para a subsistência dos trabalhadores desempregados e das suas famílias. Não falte entre as vossas prioridades uma atenção privilegiada para com o trabalho feminino, assim como a assistência à maternidade que sempre deve tutelar a vida que nasce e quem a serve quotidianamente. Tutelai as mulheres, o trabalho das mulheres! Nunca falte a garantia para a velhice, a enfermidade, os acidentes relacionados com o trabalho. Não falte o direito à aposentadoria, e sublinho: o direito — a aposentadoria é um direito! — porque disto é que se trata.”

Convocamos os cristãos e pessoas de boa vontade, particularmente nossas comunidades, a se mobilizarem ao redor da atual Reforma da Previdência, a fim de buscar o melhor para o nosso povo, principalmente os mais fragilizados.

Na celebração do Ano Mariano Nacional, confiamos o povo brasileiro à intercessão de Nossa Senhora Aparecida. Deus nos abençoe!

Brasília, 23 de março de 2017.

Cardeal Sergio da Rocha

Arcebispo de Brasília

Presidente da CNBB

Dom Murilo S. R. Krieger, SCJ

Arcebispo de São Salvador da Bahia

Vice-Presidente da CNBB

Dom Leonardo Ulrich Steiner, OFM

Bispo Auxiliar de Brasília

Secretário-Geral da CNBB

Fonte: CNBB


24/03/2017
Por Edilson Silva em Religião, RN

Papa autoriza canonização de Mártires do Rio Grande do Norte

O Papa Francisco autorizou nesta quinta-feira,23, a canonização de um grupo de protomártires do Rio Grande do Norte. Eles são os primeiros brasileiros mortos no País por sua fé.

Veja:


Página 1 de 2612345...1020...Última »


Facebook


Twitter