Religião

Dia da Terra: “Estamos no limite. É hora de agir”, afirma o Papa

 

Para o Pontífice, a adversidade que estamos vivendo com a pandemia, e que já sentimos com as mudanças climáticas, deve nos impulsionar a inovar, a inventar, a buscar novos caminhos. A videomensagem do Papa foi transmitida no Encontro organizado por ocasião do Dia Internacional da Terra.

 

Vatican News

 

Não temos mais tempo para perder, como demonstram duas catástrofes globais: o clima e a Covid. Na videomensagem em espanhol para o Dia Internacional da Terra, o Papa Francisco renova seu convite a agir para preservar o meio ambiente.

 

A mensagem tem início com um apelo para não deixar cair no esquecimento as já conhecidas recomendações para tutelar o planeta. “Há tempos estamos nos conscientizando sempre mais de que a natureza merece ser protegida, também pelo simples fato de que as interações humanas com a biodiversidade de Deus devem ocorrer com a máxima atenção e com respeito. Aspectos estes que se tornaram ainda mais evidentes com a pandemia.”

O alerta da Covid-19

 

Francisco menciona o que aconteceu quando, por causa das excepcionais restrições impostas por governos nacionais para controlar a crise, o mundo mudou de ritmo. Para o Santo Padre, tratou-se de um modo “tristemente positivo” de perceber o impacto da desaceleração na natureza e nas mudanças climáticas, mesmo que por poucos meses. Em outras palavras, a mudança exige o comprometimento de todos, de formas múltiplas, mas inequivocáveis.

 

“É o momento de agir, estamos no limite.”

 

O Papa cita um antigo ditado espanhol: “Deus perdoa sempre, os homens perdoam de vez em quando, a natureza jamais perdoa”. E quando tem início esta destruição da natureza, é muito difícil parar.

 

“Mas ainda estamos em tempo”, afirma confiante Francisco. E seremos mais resilientes se trabalharmos juntos ao invés de fazê-lo sozinhos.

 

Para o Pontífice, a adversidade que estamos vivendo com a pandemia, e que já sentimos na mudança climática, deve nos impulsionar a inovar, a inventar, a buscar novos caminhos. De uma crise não se sai iguais, repetiu. Saímos melhores ou piores. “Este é o desafio. E se não sairmos melhores, percorreremos um caminho de autodestruição”, adverte.

Mas ainda há tempo

 

A humanidade, portanto, pode mudar o decurso dos eventos para proteger a Criação. Francisco renova seu apelo a todos os líderes do mundo para que atuem com coragem, com justiça e digam sempre a verdade às pessoas, para que saibam como se proteger da destruição do planeta e como proteger o planeta da destruição.

 

Compartilhe aqui:

EUA confirmam discurso do Papa em cúpula climática

 

papa Francisco também vai participar da Cúpula Climática de Líderes convocada pelo presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, para discutir a crise ambiental no planeta.

 

O evento acontece em 22 e 23 de abril, de forma virtual, e deve ter o desmatamento na Amazônia como um dos principais temas em pauta. Jorge Bergoglio, que já dedicou uma encíclica a questões ambientais e um Sínodo à Floresta Amazônica, vai falar na segunda sessão do dia de abertura da cúpula, assim como representantes do setor privado e da sociedade civil.

 

A programação do evento foi divulgada nesta quarta-feira (21) pelo Departamento de Estado dos EUA, e a sessão de inauguração será conduzida pelo presidente Joe Biden e por sua vice, Kamala Harris. “Essa sessão vai enfatizar a necessidade urgente de as principais economias do mundo fortalecerem suas ambições climáticas até a COP26 [em novembro] para manter sob seu alcance a meta de limitar o aquecimento a 1,5ºC”, diz o governo americano.

 

Segundo a programação, essa sessão dará a oportunidade de os “líderes destacarem os desafios climáticos enfrentados por seus países” e para “anunciarem novos passos para fortalecer sua ambição” nas metas ambientais.

 

27 líderes estão escalados para falar na primeira sessão, incluindo o presidente Jair Bolsonaro, que enviou uma carta a Biden na semana passada prometendo eliminar o desmatamento ilegal até 2030.

 

Também vão participar o secretário-geral da ONU, António Guterres, os presidentes da China, Xi Jinping, da Rússia, Vladimir Putin, e da França, Emmanuel Macron, a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, e os primeiros-ministros da Itália, Mario Draghi, da Índia, Narendra Modi, e do Japão, Yoshihide Suga, entre outros líderes.

 

O Brasil ainda será representado em outra sessão da cúpula por Sineia Bezerra do Vale, integrante do Conselho Indígena de Roraima. O evento acontece em um momento de crescente pressão sobre o governo Bolsonaro para coibir a devastação da Amazônia, já que combater a crise climática é uma das principais promessas de Biden.

 

Comunidades indígenas e representantes da sociedade civil já lançaram manifestos pedindo que o presidente dos EUA não assine acordos ambientais com Bolsonaro. Além disso, o Twitter é palco nesta quarta-feira de um movimento pedindo a demissão do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, acusado de fazer vista grossa para a destruição da Amazônia.

 

Compartilhe aqui:

CNBB divulga mensagem ao povo brasileiro aprovada pelos bispos reunidos em Assembleia

 

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) divulga nesta sexta-feira, 16 de abril, a mensagem do episcopado brasileiro que reunido, de modo online, na 58ª Assembleia Geral da CNBB, se dirigiu ao povo neste grave momento.

 

No texto, os bispos afirmam que diante da atual situação pela qual passa o Brasil, sobretudo em tempos de pandemia, não podem se calar quando a vida é “ameaçada, os direitos desrespeitados, a justiça corrompida e a violência instaurada”. Os bispos asseguram que são pastores e que têm a missão de cuidar. “Nosso coração sofre com a restrita participação do Povo de Deus nos templos. Contudo, a sacralidade da vida humana exige de nós sensatez e responsabilidade”, dizem.

 

Na mensagem, os bispos reiteram que no atual momento precisam continuar a observar as medidas sanitárias que dizem respeito às celebrações presenciais. Reconhecem agradecidos que as famílias têm sido espaço privilegiado da vivência da fé e da solidariedade. “Elas têm encontrado nas iniciativas de nossas comunidades, através de subsídios e celebrações online, a possibilidade de vivenciarem intensamente a Igreja doméstica. Unidos na oração e no cuidado pela vida, superaremos esse momento”.

 

Os bispos afirmam que os três poderes da República têm, cada um na sua especificidade, a missão de conduzir o Brasil nos ditames da Constituição Federal, que preconiza a saúde como “direito de todos e dever do Estado” e que o momento exige competência e lucidez. “São inaceitáveis discursos e atitudes que negam a realidade da pandemia, desprezam as medidas sanitárias e ameaçam o Estado Democrático de Direito”, afirmam.

 

Fazem, ainda, um forte apelo à unidade das Igrejas, entidades, movimentos sociais e todas as pessoas de boa vontade, em torno do Pacto pela Vida e pelo Brasil: “Assumamos, com renovado compromisso, iniciativas concretas para a promoção da solidariedade e da partilha. A travessia rumo a um novo tempo é desafiadora, contudo, temos a oportunidade privilegiada de reconstrução da sociedade brasileira sobre os alicerces da justiça e da paz, trilhando o caminho da fraternidade e do diálogo. Como nos animou o Papa Francisco: “o anúncio Pascal é um anúncio que renova a esperança nos nossos corações: não podemos dar-nos por vencidos!”.

 

Confira o texto na íntegra:

 

MENSAGEM DA 58ª ASSEMBLEIA GERAL DA CNBB AO POVO BRASILEIRO

 

Esperamos novos céus e uma nova terra, onde habitará a justiça. (2Pd 3,13)

 

Movidos pela esperança que brota do Evangelho, nós, Bispos do Brasil, reunidos, de modo online, na 58ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil-CNBB, de 12 a 16 de abril de 2021, neste grave momento, dirigimos nossa mensagem ao povo brasileiro.

 

Expressamos a nossa oração e a nossa solidariedade aos enfermos, às famílias que perderam seus entes queridos e a todos os que mais sofrem as consequências da Covid-19. Na certeza da Ressurreição, trazemos em nossas preces, particularmente, os falecidos. Ao mesmo tempo, manifestamos a nossa profunda gratidão aos profissionais de saúde e a todas as pessoas que têm doado a sua vida em favor dos doentes, prestado serviços essenciais e contribuído para enfrentar a pandemia.

 

O Brasil experimenta o aprofundamento de uma grave crise sanitária, econômica, ética, social e política, intensificada pela pandemia, que nos desafia, expondo a desigualdade estrutural enraizada na sociedade brasileira. Embora todos sofram com a pandemia, suas consequências são mais devastadoras na vida dos pobres e fragilizados.

 

Essa realidade de sofrimento deve encontrar eco no coração dos discípulos de Cristo[1]. Tudo o que promove ou ameaça a vida diz respeito à nossa missão de cristãos. Sempre que assumimos posicionamentos em questões sociais, econômicas e políticas, nós o fazemos por exigência do Evangelho. Não podemos nos calar quando a vida é ameaçada, os direitos desrespeitados, a justiça corrompida e a violência instaurada[2].

 

Louvamos o testemunho de nossas comunidades na incansável e anônima busca por amenizar as consequências da pandemia. Muitos irmãos e irmãs, bispos, padres, diáconos, religiosos, religiosas, cristãos leigos e leigas, movidos pelo autêntico espírito cristão, expõem suas vidas no socorro aos mais vulneráveis. Com o Papa Francisco, afirmamos que “são inseparáveis a oração a Deus e a solidariedade com os pobres e os enfermos”[3]. As iniciativas comunitárias de partilha e solidariedade devem ser sempre mais incentivadas. É Tempo de Cuidar!

 

Somos pastores e nossa missão é cuidar. Nosso coração sofre com a restrita participação do Povo de Deus nos templos. Contudo, a sacralidade da vida humana exige de nós sensatez e responsabilidade. Por isso, nesse momento, precisamos continuar a observar as medidas sanitárias que dizem respeito às celebrações presenciais. Reconhecemos agradecidos que nossas famílias têm sido espaço privilegiado da vivência da fé e da solidariedade. Elas têm encontrado nas iniciativas de nossas comunidades, através de subsídios e celebrações online, a possibilidade de vivenciarem intensamente a Igreja doméstica. Unidos na oração e no cuidado pela vida, superaremos esse momento.

 

Na sociedade civil, os três poderes da República têm, cada um na sua especificidade, a missão de conduzir o Brasil nos ditames da Constituição Federal, que preconiza a saúde como “direito de todos e dever do Estado”[4]. Isso exige competência e lucidez. São inaceitáveis discursos e atitudes que negam a realidade da pandemia, desprezam as medidas sanitárias e ameaçam o Estado Democrático de Direito. É necessária atenção à ciência, incentivar o uso de máscara, o distanciamento social e garantir a vacinação para todos, o mais breve possível. O auxílio emergencial, digno e pelo tempo que for necessário, é imprescindível para salvar vidas e dinamizar a economia[5], com especial atenção aos pobres e desempregados.

 

É preciso assegurar maiores investimentos em saúde pública e a devida assistência aos enfermos, preservando e fortalecendo o Sistema Único de Saúde – SUS. São inadmissíveis as tentativas sistemáticas de desmonte da estrutura de proteção social no país. Rejeitamos energicamente qualquer iniciativa que intente desobrigar os governantes da aplicação do mínimo constitucional do orçamento na saúde e na educação.

 

A educação, fragilizada há anos pela ausência de um eficiente projeto educativo nacional, sofre ainda mais no contexto da pandemia, com sérias consequências para o futuro do país. Além de eficazes políticas públicas de Estado, é fundamental o engajamento no Pacto Educativo Global, proposto pelo Papa Francisco[6].

 

Preocupa-nos também o grave problema das múltiplas formas de violência disseminada na sociedade, favorecida pelo fácil acesso às armas. A desinformação e o discurso de ódio, principalmente nas redes sociais, geram uma agressividade sem limites. Constatamos, com pesar, o uso da religião como instrumento de disputa política, justificando a violência e gerando confusão entres os fiéis e na sociedade.

 

Merece atenção constante o cuidado com a casa comum, submetida à lógica voraz da “exploração e degradação”[7]. É urgente compreender que um bioma preservado cumpre sua função produtiva de manutenção e geração da vida no planeta, respeitando-se o justo equilíbrio entre produção e preservação. A desertificação da terra nasce da desertificação do coração humano. Acreditamos que “a liberdade humana é capaz de limitar a técnica, orientá-la e colocá-la ao serviço de outro tipo de progresso, mais saudável, mais humano, mais social, mais integral”[8].

 

É cada vez mais necessário superar a desigualdade social no país. Para tanto, devemos promover a melhor política[9], que não se submete aos interesses econômicos, e seja pautada pela fraternidade e pela amizade social, que implica não só a aproximação entre grupos sociais distantes, mas também a busca de um renovado encontro com os setores mais pobres e vulneráveis[10].

 

Fazemos um forte apelo à unidade da sociedade civil, Igrejas, entidades, movimentos sociais e todas as pessoas de boa vontade, em torno do Pacto pela Vida e pelo Brasil. Assumamos, com renovado compromisso, iniciativas concretas para a promoção da solidariedade e da partilha. A travessia rumo a um novo tempo é desafiadora, contudo, temos a oportunidade privilegiada de reconstrução da sociedade brasileira sobre os alicerces da justiça e da paz, trilhando o caminho da fraternidade e do diálogo. Como nos animou o Papa Francisco: “o anúncio Pascal é um anúncio que renova a esperança nos nossos corações: não podemos dar-nos por vencidos!”[11]

 

Com a fé em Cristo Ressuscitado, fonte de nossa esperança, invocamos a benção de Deus sobre o povo brasileiro, pela intercessão de São José e de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil.

 

Brasília, 16 de abril de 2021.

 

Dom Walmor Oliveira de Azevedo
Arcebispo de Belo Horizonte – MG
Presidente da CNBB

 

Dom Jaime Spengler, OFM
Arcebispo de Porto Alegre – RS
1º Vice-Presidente  

 

Dom Mário Antônio da Silva
Bispo de Roraima – RR
2º Vice-Presidente

 

Dom Joel Portella Amado
Bispo Auxiliar do Rio de Janeiro – RJ
Secretário-Geral da CNBB

 

Compartilhe aqui:

AÇÃO EMERGENCIAL DA DIOCESE DE CAICÓ – “O SERIDÓ TEM SEDE DE SOLIDARIEDADE II”

 

A Diocese de Caicó, através da Cáritas Diocesana, realiza ações permanentes de formação, mobilização, organização e acompanhamento às pessoas e grupos em situação de vulnerabilidade social e econômica. Contudo, o momento exige uma ação emergencial para atender às famílias que, devido à pandemia do Corona vírus, se encontram em situação de extrema necessidade.

 

Portanto, estamos realizando a segunda Ação Emergencial da Diocese De Caicó: “O Seridó tem sede de solidariedade II”. Uma campanha juntamente com as Paróquias, Pastorais e Serviços Sociais da Diocese de Caicó, para doação de cestas básicas e kits de higiene pessoal.

 

Você pode ajudar! Escolha a melhor forma para você.

 

Doação em alimentos, no Centro Pastoral Dom Wagner ou doação financeira:

 

Caixa Econômica Federal: Agência 0758 / Conta: 585-8 / Operação 003.

Banco do Brasil: Agência 128-7 / Conta corrente 60552-2

PIX: 08066854000182

 

Compartilhe aqui:

Diocese de Caicó inicia 1º Módulo da Escola de Fé & Política – Zilda Arns

 

A Diocese de Caicó iniciou neste fim de semana o 1º Módulo da Escola de Fé & Política – Edição 2021. O encontro ocorreu de forma virtual neste sábado, 10 de Abril das 14h às 17h.

 

Tema: Relação Fé e Política a partir das Doutrinas Sociais das Igrejas

Assessores: Dom Antônio Carlos e Pastor Divino.

 

As aulas estão divididas em seis módulos com início previsto para o dia 10 de abril e término no dia 13 de novembro de 2021. A formação será totalmente em formato virtual porém há uma proposta de que aconteça um encontro presencial, no fim do curso, com todos da turma, mas só deverá acontecer se a pandemia permitir. A carga horária total do curso será de 30 horas com certificado emitido pela Cáritas Diocesana de Caicó.

 

A Escola Diocesana de Fé e Política Zilda Arns é um instrumento de formação teológica, pastoral e política, visando contribuir com a formação no campo da Fé e da Política a partir de uma reflexão teológica, bíblica e ética, fomentando uma consciência crítica e transformadora, para a construção de uma sociedade pluriétnica, pluricultural, justa, humana, democrática, solidária e promotora de uma cultura de paz, que possui atuação desde 2012 na Diocese de Caicó, destinada aos agentes de pastorais, movimentos e lideranças sociais da região do Seridó.

 

Compartilhe aqui:

Band joga 15 milhões pro alto e expulsa bispo R.R Soares do horário nobre após 18 anos

 

O “Show da Fé”, comandado por bispo R.R Soares, ficou no ar na Band por quase duas décadas no horário nobre. No entanto, após o longos anos juntos, tanto a emissora quanto o religioso não demonstraram interesse em uma renovação de parceria.

 

A informação foi divulgada por Flávio Ricco no R7, onde contou que a alta cúpula do canal do Morumbi optou por não renovar o contrato com o bispo. Inclusive, a última renovação da parceria foi feita há três anos, quando o dono da Igreja da Graça exigiu uma exibição de cinco minutos nos intervalos do Brasil Urgente, de Datena.

 

O religioso, que não é bobo e nem nada, sabe que o telejornal do polêmico Datena traz audiência ao canal e dessa forma, quis atrair os espectadores do jornalista para conhecer o Show da Fé. No entanto, o comandante do Brasil Urgente reclamou e a estratégia do bispo durou pouco tempo.

 

Milhões ao alto

 

Acontece que o fim da parceria acarretará em menos 15 milhões de reais no faturamento da Band mensalmente, que é o que o bispo R.R Soares paga à emissora para ter suas exibições aos fiéis em rede nacional.

 

Não dá audiência

 

Em contrapartida, quando se trata de audiência, a Band não fatura quase nada com programas religiosos. Muito pelo contrário, durante sua exibição, a emissora costuma cair para 0 pontos no Ibope, competindo com canais de pouquíssima relevância.

 

Agora RN

 

Compartilhe aqui:

Diácono da Arquidiocese de Natal morre após complicações da Covid-19

 

Morreu na noite deste domingo (4), na Casa de Saúde São Lucas, em Natal, o Diácono Hélio Moreira, vítima da Covid-19. O diácono estava internado há 14 dias para tratar da doença.

 

A Arquidiocese de Natal emitiu nota de pesar pelo falecimento do religioso que atuava nas paróquias de Nossa Senhora da Conceição, em Macaíba, e de Santo Afonso Maria de Ligório, no Conjunto Mirassol, em Natal.

 

Confira a nota.

 

NOTA DE FALECIMENTO

 

A Arquidiocese de Natal, com pesar, comunica o falecimento do Diácono Hélio Moreira, ocorrido às 18h30 deste domingo, 4 de abril, na Casa de Saúde São Lucas, em Natal, onde estava hospitalizado há 14 dias, para tratar da Covid-19.

 

O Diácono Hélio nasceu em 30 de setembro de 1941 e foi ordenado diácono permanente em 09 de novembro de 2001. Atuava nas Paróquias de Nossa Senhora da Conceição, em Macaíba, e de Santo Afonso Maria de Ligório, no Conjunto Mirassol, em Natal. Era casado com Francisca Bezerra Moreira, com quem teve dois filhos.

 

Que o Senhor Ressuscitado, Aquele que venceu a morte, o receba no céu e conforte o coração dos familiares.

 

Compartilhe aqui:

Feliz Páscoa – Não tenham medo! Ele não está aqui. Ressuscitou, como havia dito!

 

As mulheres tinham ido ao túmulo de Jesus, com a intenção de colocar mais perfumes no corpo inerte Dele. Mas, qual foi sua maravilha ao notarem que o sepulcro estava aberto e vazio. O Anjo do Senhor lhes apareceu e disse : ‘Não tenham medo! Eu sei que estão procurando Jesus, que foi crucificado. Ele não está aqui. Ressuscitou, como havia dito!’

 

É este o anúncio jubiloso que a Igreja repete com entusiasmo e convicção: ‘É Páscoa! O Senhor, que havia sido morte por nossos pecados, ressuscitou, está vivo para sempre, e é o Senhor da história, o Salvador da Humanidade inteira, o caminho que leva ao Pai, a garantia e a esperança para o universo’.

 

A Páscoa da Ressurreição, portanto, não é somente a festa mais importante dos cristãos. É sobretudo a chave da estrutura de nossa fé e vida cristã, pois como afirmava São Paulo: ‘ Se Cristo não tivesse ressuscitado, vã seria nossa fé’. A expressão ‘Páscoa da Ressurreição‘ propriamente significa: ‘Passagem da morte para a vida nova e definitiva’. É memória, celebração, libertação e renovação. Memória da vitória de Jesus sobre o pecado e a morte. Com Ele, nós também podemos vencer o mal e entrarmos, após a experiência da morte física, na vida definitiva.

 

Celebração da liberdade cristã, da esperança, dos anseios mais vivos que se encontram na gente e que se resumem na vida e no amor. Podemos afirmar que a Páscoa da Ressurreição se renova todos os domingos e em todas as Missas: ‘Anunciamos tua morte, Senhor, e proclamamos a tua ressurreição. Vinde, Senhor Jesus!’.

 

Libertação do pecado e da morte, das situações que escravizam e matam, em busca de um mundo diferente, em que cada um alcança a felicidade que tanto sonha. Renovação, pois o Espírito Santo que soprou sobre o corpo de Cristo e o chamou à vida definitiva e gloriosa, quer revitalizar constantemente nossas existências e estruturas. A Ressurreição de Cristo é comprovação de sua obra junto aos homens, assim como do beneplácito de Deus Pai em relação a seu Filho, aceitando seu sacrifício de amor infinito em favor da humanidade.

 

O Senhor Jesus inaugurou um tempo novo, em que o egoísmo é substituído pelo amor, a paz cessa de ser uma utopia inacessível e se torna uma realidade possível e concreta, a esperança prevalece sobre o desânimo, e a certeza de dias melhores ilumina o horizonte. Então, o que Jesus Cristo espera de nós nesta Páscoa? O que Ele deseja de sua Igreja no começo do terceiro milênio?

 

Que sejamos testemunhas fervorosas e arautos alegres da vitória de Cristo, vitória que iniciou há dois mil anos e que se atualiza no dia de hoje em cada pessoas que sabe amar e em cada gesto, pessoal, comunitário e social, cpaza de trazer vida para todos! Finalmente, Ter uma Páscoa bem cristã significa construir ao próprio redor um ambiente de paz, fazendo vibrar a saudação do próprio Jesus ressuscitado: Shalom! Chega de ódio, de violência, de injustiça, de guerra, de medos, de privilégios… Vamos plantar uma ‘terra sem males‘, florida de bem, vida, solidariedade, justiça e serenidade em prol de cada ser humano. Que todos tenhamos uma feliz e santa Páscoa da Ressurreição!

 

Dom Luciano Bergamim
Bispo Auxiliar da Diocese de Santo Amaro

 

Compartilhe aqui:

Bispos do RN autorizam celebrações com 20% de fiéis

 

AUTORIZAÇÃO DAS CELEBRAÇÕES COM PARTICIPAÇÃO PRESENCIAL DOS FIÉIS (20%) NA PROVÍNCIA ECLESIÁSTICA DE NATAL

 

Em consonância com o decreto do Governo do Estado n° 30.458, de 1º de abril de 2021, autorizamos, em todo o território da Província Eclesiástica de Natal (Arquidiocese de Natal, Diocese de Mossoró e Diocese de Caicó), a partir desta segunda-feira (05), a realização de celebrações com a participação presencial de fiéis (20% da capacidade total), de segunda a sábado, respeitando o “toque de recolher” (das 20h às 6h e aos domingos e feriados em tempo integral), observando criteriosamente as regras de distanciamento social e as medidas de biossegurança.

 

Esta autorização permanece válida durante todo o período de vigência do decreto estadual ou enquanto não mandarmos o contrário.

 

Natal (RN), 03 de abril de 2021, Sábado Santo.

 

Dom Jaime Vieira Rocha
Arcebispo Metropolitano de Natal

 

Dom Mariano Manzana
Bispo de Mossoró

 

Dom Antônio Carlos Cruz Santos, MSC
Bispo de Caicó

 

Compartilhe aqui:

Campanha de arrecadação de cestas básicas da Pastoral Familiar da Paróquia de Sant’Ana e Cáritas beneficia 320 famílias em Caicó

 

“Todos os fiéis viviam unidos e tinham tudo em comum.” (Atos dos Apóstolos 2:44)

 

A Paróquia de Sant’Ana de Caicó, através da Pastoral Familiar, do Encontro de Casais com Cristo (ECC), Equipes de Nossa Senhora (ENS) e outras pastorais, realizaram a campanha de Cestas Básicas, para serem doadas às famílias em situação de vulnerabilidade social da cidade de Caicó.

 

A Cáritas Diocesana de Caicó ficou responsável, juntamente com casais da Paróquia, para fazerem a triagem e as entregas das cestas básicas às famílias.

 

Foram atendidas 320 famílias dos bairros: João Paulo II, Frei Damião, Paulo VI, João XXIII, bairro Paraíba, Nova Caicó, Itans/Vila Carlindo Dantas, além de algumas famílias da Zona Rural e Associação de Catadores e Catadoras de Materiais Recicláveis.

 

“Felizes os que têm misericórdia. Felizes os que sabem colocar-se no lugar de outro, os que têm a capacidade de partilhar. Por isso, nossa gratidão a todos e todas que fizeram e ainda fazem sua partilha com os mais vulneráveis. Os rostos de gratidão das famílias e das crianças e o alívio de suas mães não têm preço. Assim, gostaríamos de agradecer a todos que nos ajudaram com doações, em especial, à Paróquia de Santana e a todos os casais e jovens envolvidos”.

 

Compartilhe aqui:

Jerusalém: Após vacinação em massa, centenas participam da procissão da Sexta-Feira Santa

 

Centenas de cristãos participaram da procissão da Sexta-Feira Santa, celebrada em 02 de Abril, em Jerusalém. Como parte das comemorações que antecedem a Páscoa, os fiéis percorrem a Via Crucis para refazer o caminho que Jesus realizou carregando a cruz até o local de crucificação, segundo a tradição cristã.

 

A Via Crucis inclui 14 estações, onde Jesus, segundo os evangelhos, encontrou a mãe, caiu, recebeu ajuda para carregar a cruz, e encontrou mulheres em lágrimas. A procissão termina na Igreja do Santo Sepulcro, construída sobre o suposto túmulo de Cristo.

 

Por causa da pandemia, os peregrinos são vistos em menor número do que de costume nas ruelas estreitas da cidade velha de Jerusalém.

 

CNN

 

Compartilhe aqui:

Paróquia de São Sebastião de Jucurutu divulga programação on-line da Semana Santa – 2021

 

Blog Edilson Silva – A Paróquia São Sebastião, de Jucurutu/RN, está realizando uma programação extensa para celebrar a Semana Santa na cidade. Várias atividades religiosas acontecerão no período de 28 de Março à 04 de Abril de 2021.

 

O momento é para lembrar os últimos dias de vida de Jesus Cristo: condenação, sofrimento, crucificação, morte e ressurreição.

 

Confira:

 

DIOCESE DE CAICO/RN
PAROQUIA DE SÃO SEBASTIAO DE JUCURUTU/RN

 

PROGRAMAÇÃO DA SEMANA SANTA 2021

 

Domingos de Ramos Dia 28/03/2021
07h – Missa do pós EACRE e Benção dos Ramos (Transmitido Pelo Rádio Cidade e Pascom da nossa paróquia)
Celebrante: Pe. Hipolito
19h – Missa com Benção dos Ramos (Transmitido Pelo Rádio Cidade e Pascom da nossa paróquia)
Obs: Cada Igreja domestica preparar seu Ramo e depois colocar na porta de sua casa.
Celebrante: Pe. Jaime

 

Segunda- Feira Santa Dia 29/03/2021
5h30 – Programa Mensagem de vida pelos doentes da COVID-19
19h – Missa por todos os doentes do COVID19
Responsáveis: Pe. Jaime

 

Terça-Feira Santa Dia 30/03/2021
5h30 – Programa Mensagem de vida por todas as famílias que perderam entes queridos
19h – Missa pela Igreja Doméstica
Responsáveis: Pe. Jaime

 

Quarta-Feira Santa Dia 31/03/2021
5h30 – Programa Mensagem de vida por todos os profissionais da saúde
19h – Via Sacra
Responsáveis: Pe. Hipolito

 

Quinta-Feira Santa Dia 01/04/2021
5h30 – Programa Mensagem de vida pela nossas pastorais e movimentos
8h – Missa do Lava-Pés no Lar do Idoso
19h – Missa do Lava Pés (transmitida pela Rádio Cidade e Pascom da nossa Paróquia)
Responsáveis: Pe. Hipolito

 

Sexta-Feira Santa Dia 02/04/2021
5h30 – Programa Mensagem de vida pelo Papa, Bispos e Padres
15h – Celebração da Paixão do Senhor e Adoração da Santa Cruz (transmitida pela Rádio Cidade e Pascom da nossa Paróquia)
Responsáveis: Pe. Hipolito

 

Sábado Santo Dia 03/04/2021
19h – Vigília Pascal (transmitida pela Rádio Cidade e Pascom da Nossa Paróquia)
Responsáveis: Pe. Hipolito

 

Obs: Lembrar que cada família na sua Igreja domestica prepare vela e água para renovação das promessas batismais.

 

Domingo de Pascoa Dia 04/04/2021
19h – Missa da Ressurreição do Senhor (Transmitido Pelo Radio Cidade e Pascom da Nossa Paróquia)
Responsáveis: Pe. Jaime

 

Compartilhe aqui:

Crianças afirmam ter visto imagem de Nossa Senhora de Fátima em telhado de capela de Cristina, MG

 

Isto É – Moradores de Cristina, em Minas Gerais, se depararam com um mistério. Crianças que brincavam em uma rua da cidade mineira afirmam ter visto a imagem de Nossa Senhora de Fátima em uma capela.

 

Imagens que circulam pelas redes sociais registraram a possível aparição.

 

“No momento que eu olhei a foto, eu senti uma emoção profunda e comecei a chorar”, afirmou Mônica Aparecida de Oliveira ao G1.

 

Uma das meninas que presenciou o suposto fenômeno disse ter ouvido uma mensagem da santa.

 

“Ela a todo tempo falava pra gente rezar, todo tempo. A voz dela era baixinha e ela falava assim: reza, reza. Falava bem baixinho no nosso ouvido”, relembrou a menina.

 

A mãe de duas das meninas contou que no dia seguinte a imagem também foi vista na casa delas.

 

“A minha mais velha sentou no sofá e eu fui até a porta pegar a outra menina que estava chorando demais. Quando eu pus a mão nela, ela estava inteira gelada. Eu comecei a rezar ‘Ave Maria’ com ela e vim pra sala com ela. Quando cheguei na sala minha filha mais velha relatou de novo: mãe, ela está do seu lado. No começo eu não tinha acreditado”, relatou a mãe de uma das meninas.

 

O caso chegou ao pároco de Cristina que encaminhou as imagens para um bispo.

 

“A primeira coisa eu comuniquei o bispo sobre esta aparição e ele pediu pra aguardar um pouco. Quando a gente fala de aparição é uma coisa muito delicada, é estudado e analisado”, explicou o padre Antônio Carlos Oliveira.

 

“Comuniquei ao bispo e achamos melhor retirar a corneta para averiguar de forma mais clara”, completou.

 

O padre ainda ressaltou que a imagem pode ser efeito ótico, mas questionou o fato de só ser percebido agora.

 

“Esta corneta sempre esteve aqui. Por que só agora esta imagem veio aparecer? O que eu guardo no coração é que aprendamos com esta mensagem. Neste momento é preciso que nós rezemos em casa em família, ainda mais durante esta pandemia”, finalizou.

 

Compartilhe aqui:

Papa doa vacinas para imunizar 1,2 mil pobres na Itália

 

CIDADE DO VATICANO, 26 MAR (ANSA) – A Esmolaria do Vaticano doou nesta sexta-feira (26), a pedido do papa Francisco, doses de vacina anti-Covid da Pfizer/BioNTech para o Instituto Lazzaro Spallanzi, hospital referência do combate à doença, com o objetivo de imunizar 1,2 mil pessoas pobres e marginalizadas da Itália.

 

Conforme comunicado, a doação tem como objetivo imunizar pessoas “que, por conta de sua condição, são as mais expostas” ao coronavírus Sars-CoV-2. Além disso, o órgão que cuida dos pobres ainda lançou uma campanha para arrecadar doações de fiéis para arrecadar imunizantes.

 

Através do site da Esmolaria (www.elemosineria.va), será possível doar dinheiro para a compra de mais doses da vacina para os mais necessitados de duas formas: através de depósito bancário ou por doação através de cartão de crédito – em valores que variam entre 10 euros e 2 mil euros.

 

O Vaticano iniciou sua campanha de vacinação contra a Covid-19 em janeiro e, após imunizar os Papas – Francisco e o emérito Bento XVI -, a Cúria e demais funcionários da Santa Sé, a Igreja começou também a vacinar os sem-teto ajudados pela Esmolaria e que ficam na área próxima à Praça São Pedro.

 

Jorge Mario Bergoglio é uma das maiores vozes para uma distribuição justa e igual das vacinas no mundo, especialmente para os mais pobres. (ANSA).

 

Compartilhe aqui: