20/05/2017
Por Edilson Silva em Policial, Política

Corrupção: Filha de Silvio Santos participou de jantar para negociar propina, diz delator

UOL – Patrícia Abravanel, filha de Silvio Santos, teria participado de jantar na casa de Joesley Batista, sócio da JBS, para negociar propina em favor de Robinson Faria (PSD-RN), atual governador do Rio Grande do Norte.

O relato foi feito por Ricardo Saud, diretor do grupo empresarial, e está em um dos vídeos da deleção premiada divulgados nesta sexta-feira (19). Segundo conta Saud no depoimento, Abravanel teria ido ao encontro para acompanhar o noivo Fábio Faria, deputado federal pelo PSD-RN e filho de Robinson.

O propósito da reunião seria arrecadar fundos para a campanha de Robinson, que terminou eleito em 2014. Não fica claro, no registro, se Fábio também estaria recolhendo propina para a própria campanha.

“Foi um jantar muito elegante. Foi o Fábio Faria com a noiva dele, Patrícia Abravanel, filha do Silvio Santos, o Robinson faria com a esposa dele, nós todos com as nossas esposas para tratarmos de propina”, disse. “Até bacana, né? Todo mundo com as esposas junto”, acrescentou, ironicamente.

À época noivos, Patrícia e Fábio se casaram em abril de 2017. Patrícia Abravanel é apresentadora do SBT. Procurada, a emissora disse que “não comenta sobre vida pessoal de seus funcionários”.

O UOL também tentou contato com Patrícia Abravanel, Robinson Faria e Fábio Faria, mas ainda não obteve respostas. JBS queria concessão de água e esgoto O diretor da JBS afirma que o grupo tinha interesse, como contrapartida, em assumir a concessão de água e esgoto do estado.


20/05/2017
Por Edilson Silva em Policial, Política

TELEFONE GRAVADO: Aécio pede ajuda a Gilmar em votação no Senado sobre abuso de autoridade

Estadão Conteúdo – Interceptação telefônica feita pela Polícia Federal aponta que o senador e presidente nacional do PSDB, Aécio Neves, pediu ajuda a Gilmar Mendes, ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), para convencer o senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA) a seguir a posição dele próprio, Aécio, na votação do projeto que trata da lei de abuso de autoridade. Gilmar Mendes concorda e diz que vai ajudar ao senador. A conversa foi gravada na manhã de 26 de abril, data em que o Senado aprovou, tanto na Comissão de Constituição de Justiça, quanto no plenário, o projeto que modifica a lei dos crimes de abuso de autoridade.

A autorização para a gravação dos telefones de Aécio Neves partiu do ministro Edson Fachin, do STF, a pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR), como uma das ações ligadas à Operação Patmos, deflagrada nesta quinta-feira, com base nas delações da JBS. Dezesseis números telefônicos foram grampeados.

Diz trecho relatório da PF após 15 dias de interceptação de um celular do senador: “Aécio Neves diz a seu interlocutor para ligar para o senador Flexa e dizer que acompanhe sua posição (‘acompanha a posição do Aécio lá…’). Gilmar concorda e diz que já havia falado com Anastasia e Tasso, provavelmente os senadores. Observa-se que na referida data ocorria procedimento legislativo referente ao projeto de Abuso de Autoridade no Senado Federal”. Segundo a PF, os dois outros senadores citados por Gilmar Mendes na conversa seriam Tasso Jeireissati, Antonio Anastasia, ambos tucanos.

“Você sabe um telefone que você poderia dar que me ajudaria na condução lá. Não sei como é sua relação com ele, mas ponderando… enfim, ao final dizendo que me acompanhe lá, que era importante… era o Flexa, viu?”, disse Aécio Neves a Gilmar Mendes.

O ministro Gilmar Mendes, por meio de assessoria de imprensa, enviou resposta na qual diz sempre ter defendido o projeto de lei de abuso de autoridade.

“Desde de 2009 o ministro Gilmar Mendes sempre defendeu publicamente o projeto de lei de abuso de autoridade, em palestras, seminários, artigos, entrevistas e evento no Senado Federal não havendo, no áudio revelado, nada de diferente de sua atuação pública. Os diálogos mantidos pelo ministro Gilmar Mendes são públicos e institucionais”.


20/05/2017
Por Edilson Silva em Educação

UERN publica nomeação de docentes e técnicos aprovados no Concurso Público

A Fundação Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (FUERN) publicou novas portarias de nomeação dos candidatos aprovados no Concurso Público para os cargos de docente, técnico administrativo e técnico de nível superior da UERN.

Os nomeados deverão apresentar-se à Diretoria de Pessoal da Pró-Reitoria de Recursos Humanos e Assuntos Estudantis (PRORHAE/UERN) no período de 30 dias contados da publicação das portarias, no horário das 8h às 11h30 e das 14h às 17h30, munidos dos documentos constantes nos Anexos II e III.

A posse dos aprovados e nomeados ocorrerá na Diretoria de Pessoal da PRORHAE em até cinco dias úteis após a entrega da documentação, devendo ser apresentada previamente a documentação necessária e cumpridas todas as formalidades legais.

Os empossados entrarão em exercício a partir do dia 26 de junho de 2017, início do semestre letivo 2017.1, de acordo com o calendário letivo contido na Resolução nº 16/2017 – CONSEPE, respeitando a data de entrega e validação da documentação exigida para a posse.


20/05/2017
Por Edilson Silva em Concursos

Marinha abre novos concursos públicos para nível superior

Foram publicados dois novos editais de concursos públicos da Marinha para nível superior, com oferta  de 18 vagas, sendo 14 para o Quadro Complementar do Corpo da Armada e do Corpo de Fuzileiros Navais (QC-CA/FN) e quatro para o Quadro de Capelães Navais (CapNav).

Além desses, a Marinha continua aceitando inscrições para outros dois certames: Quadro Técnico (QT), com 29 vagas para diversas áreas e Quadro Complementar de Intendentes (QC-IM), com 12 oportunidades.

Podem concorrer ao Quadro Complementar do Corpo da Armada e do Corpo de Fuzileiros Navais candidatos do sexo masculino, graduados em Educação Física, Engenharia (diversas especialidades) ou Ciências Náuticas e com menos de 29 anos de idade no dia 1º de janeiro de 2018.

Para Capelães Navais, o concurso é para ambos os sexos (quando a religião permitir), para candidatos com mais de 30 e menos de 41 anos de idade no dia 1º de janeiro de 2018 e ainda é preciso ter exercido três anos, pelo menos, de atividades pastorais na igreja para a qual se candidatou.

Os interessados podem se inscrever no site www.ingressonamarinha.mar.mil.br ou em uma das Organizações Militares da Marinha, nos dias úteis, das 8h30 às 16h. A taxa é de R$100 para o QC-CA/FN e R$110 para Capelão Naval e o prazo de inscrição é de 23 de maio a 26 de junho para o primeiro e 22 de maio a 19 de junho para o segundo concurso. Para o QT, o prazo encerra-se no próximo dia 29 e para o QC-IM, 19 de junho.


20/05/2017
Por Edilson Silva em Policial

Adolescentes, de 17 anos, são apreendidos com maconha e cocaína em Caicó

Polícia militar apreendeu três adolescentes com trouxinhas de maconha e cocaína no bairro Boa passagem, zona norte de Caicó. Um outro menor, supostamente armado, conseguiu se evadir antes da chegada dos policiais.

Policiais da Rádio Patrulha (RP) do 6° BPM de Caicó comandados pelo TEN Cel. Costa, faziam rondas de rotina, por volta das 15:20 da tarde de ontem, quinta-feira (18), quando foram comunicados por populares sobre jovens em atitude suspeita que estariam nas proximidades da fábrica de gesso.

Ao serem abordados foi encontrado com os adolescentes; 9 trouxinhas de substância análoga a maconha e uma toquinha de cocaína. Dois dos menores apreendidos moram no bairro Alto da Boa Vista, o outro no bairro Samanaú, zona norte da cidade. Um quarto adolescente, que supostamente estaria armado, conseguiu se evadir do local antes da abordagem policial.


19/05/2017
Por Edilson Silva em Educação, Jucurutu

Aluno da Escola Municipal Santo Alexandre vence “Concurso de Desenho”

O aluno Gerneson Matheus Alves da Silva, do 3º. ano da Escola Municipal Santo Alexandre, foi o vencedor do “Concurso de Desenho” promovido pela Secretaria de Assistência Social de Jucurutu/RN. O tema foi “Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes”.

O objetivo dessa edição foi despertar nos estudantes o interesse por discussões relacionados ao tema específico, por meio do incentivo à reflexão e ao debate desse assunto nos ambientes educacionais.

O Blog Edilson Silva parabeniza o jovem estudante pela conquista.


19/05/2017
Por Edilson Silva em Policial, Política

Gravação de Temer é audível e apresenta sequência lógica, diz MPF

O Ministério Público Federal produziu quatro laudos de “verificação de gravação do arquivo de áudio” nas gravações entregues pelo empresário Joesley Batista no acordo de colaboração premiada assinado com a Procuradoria-geral da República e homologado pelo ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF). A análise é inicial e ainda devem ser realizadas outras perícias com a instauração da investigação contra o presidente Michel Temer.

Para a analista Elaine Sobral e para o técnico Eder Gabriel, ambos do Ministério Público da União, o diálogo do arquivo PR1 14032017.wav, que contêm a gravação da conversa entre Temer e Joesley, “encontra-se audível, apresentando sequência lógica”.

Os analistas ponderaram que o arquivo possui “alguns ruídos e a voz de um dos interlocutores apresenta-se com maior intensidade em relação à voz do segundo interlocutor” – no caso o presidente Michel Temer. O laudo aponta também que em alguns momentos o áudio fica incompreensível “sem a utilização de equipamentos especializados”.

A questão sobre a qualidade e possível veracidade da gravação foi levantada pelo Palácio do Planalto. O Palácio decidiu fazer perícia no material para descobrir se houve algum tipo de edição no conteúdo no material.

Fausto Macedo, Estadão


19/05/2017
Por Edilson Silva em Policial, Santana dos Matos

Santana do Matos tem grave acidente com caminhão na RN-203

Um acidente envolvendo um caminhão de pequeno porte foi registrado na RN-203, entrada da cidade de Santana do Matos, nessa manhã, 19 de maio. De acordo com um motorista de Caicó que passou no local, não se sabe se há vítimas em estado grave, mas que havia muito sangue na cabine do veículo.

Veja:


19/05/2017
Por Edilson Silva em Policial, Política

Investigada por desvio de R$ 45 milhões, ex-prefeita de Ribeirão Preto é presa

SÃO PAULO — Ex-prefeita de Ribeirão Preto, Dárcy Vera (PSD), foi presa na manhã desta sexta-feira após o Superior Tribunal de Justiça (STJ) suspender uma liminar que garantia sua liberdade provisória. Dárcy é acusada de participar de um esquema que desviou R$ 45 milhões dos cofres públicos do município. Por quatro votos a um, a 6ª turma do STJ decidiu revogar a liberdade provisória, concedida ao fim do ano passado. O mérito do habeas corpus foi julgado em sessão realizada na quinta-feira.

Detida em sua própria residência por volta das 6h, Dárcy foi levada para a sede da Polícia Federal por agentes do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco).

A ex-prefeita foi presa em dezembro de 2016 em ação da Operação Operação Sevandija, que investigou fraudes e desvios de dinheiro em contratos de licitações de R$ 203 milhões na Prefeitura de Ribeirão Preto. Onze dias após a prisão, a defesa de Dárcy conseguiu, por meio de um pedido de habeas corpus, que ela respondesse pelo caso em liberdade. Na ocasião, o ministro do STJ Sebastião Reis entendeu que o afastamento do cargo seria o suficiente para interromper a atuação da ex-prefeita durante as investigações.

Outros quatro investigados pelo mesmo caso também retornaram à prisão por decisão da 6ª turma do STJ: Ângelo Invernizzi, ex-secretário de Educação; Davi Mansur Cury, ex-superintendente da Companhia de Desenvolvimento de Ribeirão Preto (Coderp); Layr Luchesi Júnior, ex-secretário da Casa Civil; e Maria Lúcia Pandolfo, ex-funcionária da Coderp.

Segundo o voto do ministro Rogério Schietti Cruz, relator do caso, as medidas alternativas não seriam o suficiente para evitar novas ações do grupo. Schietti também lembrou que parte do dinheiro envolvido nas operações não foi encontrado, o que, em sua visão, permitiria que Dárcy ainda pudesse movimentá-lo de alguma forma se continuasse a responder pelo processo em liberdade.

Outra questão apontada no voto do ministro foi a apresentação de documentos alegando fragilidade do quadro de saúde de Dárcy, que “evidenciam a inexistência de qualquer doença crônica, grave ou que requisite cuidados especiais ou específicos, inviáveis de serem atendidos dentro do sistema penitenciário”. O texto afirma ainda que esse é o maior caso de corrupção e desvio de recursos públicos da história da cidade.


19/05/2017
Por Edilson Silva em Policial

O motivo da convocação dos militares do 1º BEC de Caicó ontem

Por Robson Pires: Qual foi o motivo da convocação urgente ontem à noite dos militares do 1º Batalhão de Engenharia e Construção (BEC), sediado do em Caicó, conforme divulgamos em primeira mão?

Pois bem!

O chamado urgente – informou uma fonte de Coturno Alto ao blogue do Xerife – teve como objetivo testar a eficácia de um possível CHAMADO que poderia acontecer a qualquer momento por parte do Comando Geral do Ministério da Defesa.

Foi avisado ontem a todos os militares do BEC que:

– Esse foi apenas um teste para saber a disponibilidade e a rapidez de vocês em chegarem ao Batalhão. Um possível novo chamado será para vocês virem o mais rápido que puderem e fardados, além de prontos para partir para qualquer missão, ouviram.

Print da convocação de ontem à noite:


19/05/2017
Por Edilson Silva em Policial, Política

Foto do registro prisional da irmã de Aécio Neves (PSDB) vaza na internet

A irmã do senador Aécio Neves (PSDB-MG), Andrea Neves, presa nesta quinta-feira (18/5), teve seu registro no Complexo Penitenciário Feminino Estevão Pinto divulgado. As fotos da ficha criminal vazaram em grupos de WhatsApp logo após a jornalista dar entrada no presídio. A divulgação ilegal da imagem já está sendo investigada pela polícia.


19/05/2017
Por Edilson Silva em Policial, Política

Corrupção: Temer (PMDB) está na gravação. Ferrou-se

A partir do minuto 11′,  da gravação depois de Michel Temer falar sobre seu governo, Joesley Batista entra nas questões realmente importantes. Ele diz que, dentro do possível, fez o máximo por Eduardo Cunha.

“Zerei tudo, liquidei tudo e ele foi firme. Veio cobrou, eu acelerei o passo e tirei da frente”, diz o empresário. Ele comenta ainda que ficou sem interlocução com o governo depois que Geddel Vieira Lima caiu.

“É complicado. Não posso entrar em contato com ele.” Diz então que está pagando Cunha. Temer emenda: “Tem que manter isso, viu”

Joesley ainda comenta. “Todo mês. Eu tô segurando as pontas.

O Antagonista


18/05/2017
Por Edilson Silva em Notas

MPT/RN recebe quase mil denúncias de assédio moral nos últimos cinco anos

Empresas que permitem a exposição dos trabalhadores a situações vexatórias e humilhantes, de forma repetitiva e prolongada, no trabalho, podem responder por assédio moral. Nos últimos cinco anos (de 2012 a 2016), 950 denúncias de assédio moral foram recebidas pelo Ministério Público do Trabalho no Rio Grande do Norte (MPT/TN). Até meados de maio, já são 82 novas denúncias referentes ao tema, somente em 2017.

Para se ter uma ideia do aumento, entre 2007 e 2011, foram 332 denúncias, ou seja, a média anual era de 66,4, e passou para 190 (de 2012 a 2016). “Os trabalhadores estão mais conscientes do que é o assédio moral, enquanto a organização do trabalho está mais doente, com cobranças excessivas na busca do cumprimento de metas e do lucro a qualquer custo”, explica a procuradora do Trabalho Izabel Christina Baptista Queiróz Ramos, titular regional da Coordenadoria de Promoção da Igualdade (Coordigualdade) do MPT/RN.

Curiosamente, do total das 332 denúncias registradas de 2007 a 2011, o MPT/RN recebeu 112 delas apenas no ano de 2009. Um dos motivos do ano ter este destaque é que, na época, foi realizada uma campanha de combate ao assédio moral, em jornais impressos, rádio, televisão e outdoor, fruto de acordo firmado após condenação obtida contra a Ambev por assédio moral, no valor de R$ 1 milhão.


18/05/2017
Por Edilson Silva em Política

Cunha, o profeta: “Conhecido por derrubar dois presidentes”

Ao que parece, a profecia de Eduardo Cunha vai se realizar. Em julho de 2016, o Radar On-Line noticiou um diálogo que o ex-deputado teve com um interlocutor brasiliense. Na ocasião,  Cunha falou: Ficarei conhecido por derrubar dois presidentes do Brasil”.

Por vias tortas, porque não foi ele quem denunciou, o atual presidiário pode ser o artífice da renúncia ou do impeachmeht do presidente Michel Temer. Se o diálogo mostrar o aval de Temer para comprar o seu silêncio, o Brasil terá dois presidentes derrubados em um ano. Ambos por obra de Cunha.


18/05/2017
Por Edilson Silva em Policial

Irmã de Aécio Neves acaba de ser presa

A irmã do senador Aécio Neves (PSDB-MG), Andréia Neves, foi presa na manhã desta quinta-feira pela Polícia Federal, cumprindo mandado de prisão expedido pelo ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF). Informações davam conta de que ela estava fora do Brasil, mas Andréia foi presa em Nova Lima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

Ela foi a responsável pela primeira abordagem ao empresário Joesley Batista, por telefone e via WhatsApp (as trocas de mensagens estão com os procuradores), conforme revelado pelo colunista Lauro Jardim, do GLOBO.


18/05/2017
Por Edilson Silva em Policial

Quadrilha invade cidade no RN, explode caixa de banco e atira em delegacia

Um caixa eletrônico da agência do Bradesco da cidade de Arez, distante 60 quilômetros de Natal, foi explodido na madrugada desta quinta-feira (18). Segundo a Polícia Militar, pelo menos dez homens participaram da ação. Ninguém foi preso. Essa é a 33° unidade bancária atacada somente este ano no estado.


18/05/2017
Por Edilson Silva em Política

STF determinou afastamento de Aécio Neves e Rocha Loures dos mandatos

O STF determinou o afastamento do senador Aécio Neves (PSDB-MG) do mandato de senador e do deputado Rocha Loures (PMDB-PR) do mandato de deputado federal. Com relação ao senador Zezé Perrela (PMDB-MG), o mandado é de busca e apreensão.

O Supremo também autorizou a prisão da irmã do senador, a jornalista Andrea Neves. O mandado é de prisão preventiva, quando não há prazo para a soltura, segundo O Estado de São Paulo.

Todos os envolvidos foram citados na delação do empresário Joesley Batista fechada com a Procuradoria-Geral da República. Aécio e Rocha Loures foram acusados por ele de pedirem dinheiro. Os valores foram pagos com notas rastreadas e a entrega filmada.

Todas as ações são autorizadas pelo ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo. Endereços de Aécio Neves e Rocha Loures foram alvo de busca e apreensão.


18/05/2017
Por Edilson Silva em Policial, Política

Polícia Federal filma indicado por Temer (PMDB) recebendo propina

Por volta de 22h30m do dia 7 de março, Joesley Batista entrou no Palácio do Jaburu. Michel Temer estava à sua espera. Joesley chegou à residência oficial do presidente com o máximo de discrição: foi dirigindo o próprio carro para uma reunião a dois, fora de agenda. Escondia no bolso uma arma poderosa — um gravador. Temer havia chegado pouco antes em casa, logo depois do seu último compromisso do dia: uma passada rápida na comemoração dos 50 anos de carreira do jornalista Ricardo Noblat.

O presidente e o empresário conversaram por cerca de 40 minutos a sós. Poderiam, por exemplo, ter discutido a queda de 3,6% do PIB em 2016, um terrível dado econômico divulgado justamente naquele dia. Mas eram outros os assuntos da pauta, segundo Lauro Jardim, de O Globo.

Todo o diálogo foi gravado por Joesley. Tem trechos explosivos. Num deles, o dono da JBS relatou a Temer que estava dando mesada a Eduardo Cunha e Lúcio Funaro para que ambos, tidos como conhecedores de segredos de dezenas de casos escabrosos, não abrissem o bico. Temer mostrou-se satisfeito com o que ouviu. Neste momento, diminuiu um pouco o tom de voz, mas deu o seu aval:

— Tem que manter isso, viu?

Em seu depoimento aos procuradores, Joesley afirmou que não foi Temer quem determinou que a mesada fosse dada. Mas que o presidente tinha pleno conhecimento da operação cala-boca.

Em nota, Temer disse que “jamais” solicitou pagamentos para obter o silêncio de Cunha e negou ter participado ou autorizado “qualquer movimento” para evitar delação do correligionário.

Tanto Cunha quanto Funaro já haviam prestado diversos serviços para o grupo J&F. Cunha, por exemplo, por meio de emendas em projetos de lei e pela influência que detinha no FI-FGTS, que investiu mais de R$ 1 bilhão em empresas da J&F. A mesada já era dada há alguns meses. A PF filmou pelo menos uma entrega de R$ 400 mil para Roberta, irmã de Funaro. Para Cunha, o dinheiro era entregue a Altair Alves Pinto, seu homem de confiança. O “senhor Altair”, como era conhecido, já foi apontado por Fernando Baiano como o responsável pelo transporte das propinas pagas a Cunha.

A conversa continuou e, em seguida, Joesley pediu a ajuda de Temer para resolver uma pendência da J&F no governo. Temer disse que Joesley deveria procurar Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) para cuidar do problema:

— Fale com o Rodrigo.

Joesley quis se certificar do que Rocha Loures poderia fazer por ele e perguntou:

— Posso falar tudo com ele?

Temer foi sucinto:

— Tudo.

Rocha Loures é um conhecido homem de confiança do presidente. Foi chefe de Relações Institucionais da Vice-Presidência sob Temer. Após o impeachment, virou assessor especial da Presidência e, em março, voltou à Câmara, ocupando a vaga do ministro da Justiça, Osmar Serraglio.

Assim foi feito. O dono do JBS procurou Rocha Loures. Marcaram um encontro em Brasília — e se acertaram. Joesley lhe contou do que precisava do Cade. Desde o ano passado, o órgão está para decidir uma disputa entre a Petrobras e o grupo sobre o preço do gás fornecido pela estatal à termelétrica EPE. Localizada em Cuiabá, a usina foi comprada pelo grupo em 2015. Explicou o problema da EPE: a Petrobras compra o gás natural da Bolívia e o revende para a empresa por preços extorsivos. Disse que sua empresa perde “1 milhão por dia” com essa política de preços. E pediu: que a Petrobras revenda o gás pelo preço de compra ou que deixe a EPE negociar diretamente com os bolivianos.

Com uma sem-cerimônia impressionante, o indicado de Temer ligou para o presidente em exercício do Cade, Gilvandro Araújo. E pediu que se resolvesse a questão da termelétrica no órgão. Não há evidências de que Araújo tenha atendido ao pedido. Pelo serviço, Joesley ofereceu uma propina de 5%. Rocha Loures deu o seu ok.: “Tudo bem, tudo bem”.

Para continuar as negociações, foi marcado um novo encontro. Desta vez, entre Rocha Loures e Ricardo Saud, diretor da JBS e também delator. No Café Santo Grão, em São Paulo, trataram de negócios. Foi combinado o pagamento de R$ 500 mil semanais por 20 anos, tempo em que vai vigorar o contrato da EPE. Ou seja, está se falando de R$ 480 milhões ao longo de duas décadas, se fosse cumprido o acordo. Loures disse que levaria a proposta de pagamento a alguém acima dele. Saud faz duas menções ao “presidente”. Pelo contexto, os dois se referem a Michel Temer.

A entrega do dinheiro foi filmada pela PF. Mas desta vez quem esteve com o homem de confiança de Temer foi Ricardo Saud, diretor da JBS e um dos sete delatores.

Esse segundo encontro teve uma logística inusitada. Certamente, revela o traquejo (e a vontade de despistar) de Rocha Loures neste tipo de serviço. Assim, inicialmente Saud foi ao Shopping Vila Olímpia, em São Paulo. Em seguida, Rocha Loures o levou para um café, depois para um restaurante e, finalmente, para a pizzaria Camelo, na Rua Pamplona, no Jardim Paulista. Foi neste endereço, próximo à casa dos pais de Rocha Loures, onde ele estava hospedado, que o deputado recebeu a primeira remessa de R$ 500 mil.

Apesar do acerto de repasses semanais de R$ 500 mil, até o momento só foi feita a primeira entrega de dinheiro. E, claro, a partir da homologação da delação, nada mais será pago.

A assessoria do deputado Rodrigo Rocha Loures informou que ele que vai “esclarecer os fatos divulgados” sobre a delação.


18/05/2017
Por Edilson Silva em Policial, Política

Grampo revela que Aécio pediu R$ 2 milhões a dono da JBS

Gravação foi entregue por Joesley Batista à PGR. Entrega de dinheiro a primo do senador foi filmada

POR LAURO JARDIM / GUILHERME AMADO – O Globo

Joesley Batista entregou à PGR uma gravação que piora de forma descomunal a tempestade que já cai sobre a cabeça de Aécio Neves. No áudio, o presidente do PSDB surge pedindo nada menos que R$ 2 milhões ao empresário, sob a justificativa de que precisava da quantia para pagar despesas com sua defesa na Lava-Jato.

O diálogo gravado durou cerca de 30 minutos. Aécio e Joesley se encontraram no dia 24 de março no Hotel Unique, em São Paulo. Quando Aécio citou o nome de Alberto Toron, como o criminalista que o defenderia, não pegou o dono da JBS de surpresa. A menção ao advogado já havia sido feita pela irmã e braço-direito do senador, Andréa Neves.

Foi ela a responsável pela primeira abordagem ao empresário, por telefone e via WhatsApp (as trocas de mensagens estão com os procuradores). As investigações, contudo, mostrariam para a PGR que esse não era o verdadeiro objetivo de Aécio.

O estranho pedido de ajuda foi aceito. O empresário quis saber, então, quem seria o responsável por pegar as malas. Deu-se, então, o seguinte diálogo, chocante pela desfaçatez com que Aécio trata o tema:

— Se for você a pegar em mãos, vou eu mesmo entregar. Mas, se você mandar alguém de sua confiança, mando alguém da minha confiança — propôs Joesley.

— Tem que ser um que a gente mata ele antes de fazer delação. Vai ser o Fred com um cara seu. Vamos combinar o Fred com um cara seu porque ele sai de lá e vai no cara. E você vai me dar uma ajuda do caralho — respondeu Aécio.

O presidente do PSDB indicou um primo, Frederico Pacheco de Medeiros, para receber o dinheiro. Fred, como é conhecido, foi diretor da Cemig, nomeado por Aécio, e um dos coordenadores de sua campanha a presidente em 2014. Tocava a área de logística.

Quem levou o dinheiro a Fred foi o diretor de Relações Institucionais da JBS, Ricardo Saud, um dos sete delatores. Foram quatro entregas de R$ 500 mil cada uma. A PF filmou uma delas.

No material que chegou às mãos de Fachin na semana passada, a PGR diz ter elementos para afirmar que o dinheiro não foi repassado a advogado algum. As filmagens da PF mostram que, após receber o dinheiro, Fred repassou, ainda em São Paulo, as malas para Mendherson Souza Lima, secretário parlamentar do senador Zeze Perrella (PMDB-MG).

Mendherson levou de carro a propina para Belo Horizonte. Fez três viagens — sempre seguido pela PF. As investigações revelaram que o dinheiro não era para advogado algum. O assessor negociou para que os recursos fosse parar na Tapera Participações Empreendimentos Agropecuários, de Gustavo Perrella, filho de Zeze Perrella.

Não há, portanto, nenhuma indicação de que o dinheiro tenha ido para Toron.




Facebook


Twitter