14/07/2014
Por Edilson Silva em Jucurutu, Policial

Moto foi tomada de assalto em Boi Selado, na noite deste sábado. PM agiu rápido e deteve o ladrão

PQAAAH1vKy__VKZqX7e-6CMzQwhmzNOtCg17li308_EWBYbZ6FtqNPFPgvTUcet-pdXSDH-j4GfjjpnecIi_yn4NNVEAm1T1UEUoeXc7gggXRavjlky8qBLmyTFb

Na foto Cabo Agenor 

Na noite deste sábado, 12, por volta das 23h00 min., o Cabo Agenor (foto acima), Comandante de dia da GU da Rádio Patrulha, foi acionado pela Central da 3ª Companhia, que informava que um homem teria tomado uma moto de assalto na Comunidade de Boi Selado, zona Rural de Jucurutu. De imediato , a Guarnição foi até o local e conversou com a vítima, que passou as características do assaltante. Segundo o proprietário da moto, uma CG 125, Honda, ano 97, de cor vermelha, o homem se aproximou dele e exigiu que ele saísse da moto, caso contrário, lhe daria um tiro de espingarda 12.

IMG_20140713_104938819_HDR-1024x575

Com as informações em mãos, o Cabo Agenor, juntamente com sua guarnição, saiu em diligência, na tentativa de capturar o ladrão e, com o apoio de uma Guarnição do GTO de Assu, conseguiu localizar e prender, no Posto Florestal, na BR 304, em Assu/RN, a pessoa de FRANCISCO REGINALDO DO NASCIMENTO, vulgo “BRANCO” natural de BARAÚNA/RN , o qual estava de posse da motocicleta roubada.

No momento da abordagem “Branco” estava desarmado, mas diante do crime de roubo praticado por ele, os Policiais o conduziram para Jucurutu, de onde, já na manhã deste domingo, foi conduzido para a Delegacia de Caicó, onde foi apresentado à Autoridade Policial de plantão, e foi autuado em flagrante pelo crime de roubo. Branco ficou preso e, a partir de agora, fica à disposição da Justiça.

Nosso Blog parabeniza a ação de toda a Guarnição responsável por essa ação. Isso mostra o quanto a Polícia Militar é de fundamental importância para a sociedade. Parabéns aos guerreiros.

Blog PM Jucurutu


14/07/2014
Por Edilson Silva em Esporte

Felipão não é mais técnico da Seleção Brasileira

felipao-croacia

Depois do fiasco diante dos holandeses no Mané Garrincha, na noite de sábado, Felipão, como prometeu, entregou o cargo de técnico da Seleção. A CBF oficializará a saída do treinador e de toda a comissão técnica nesta segunda-feira. O anúncio ocorre após dois vexames consecutivos da Seleção na Copa. Na semifinal, levou 7 a 1 da Alemanha, no Mineirão. E na disputa de terceiro lugar, contra a Holanda, também foi goleada por 3 a 0.

Felipão voltou ao comando da Seleção em 2012, substituindo Mano Menezes. No ano seguinte, foi o técnico do tetra na Copa das Confederações, quando derrotou a Espanha por 3 a 0 no Maracanã. Em seu retrospecto desde que retornou ao cargo, Felipão acumulou 29 jogos, 19 vitórias, seis empates e quatro derrotas. Se sair logo, a CBF pode recorrer a Alexandre Gallo, observador da Seleção e técnico da equipe sub-20. Gallo teria ainda a desculpa do projeto da Olimpíada de 2016, no Rio, competição em que o Brasil jamais venceu e jamais levantou o ouro.


13/07/2014
Por Edilson Silva em Esporte

Na hora da taça, aplausos a campeões e ofensas a Dilma

10462548_512330578899703_5290627438142833764_n

O momento da entrega da Taça Fifa aos vencedores da vigésima Copa do Mundo foi inusitado: uma mistura de aplausos aos alemães, que foram apoiados pela maioria esmagadora da torcida brasileira na finalíssima deste domingo, no Maracanã, e ofensas em coro à presidente Dilma Rousseff, que repassou o troféu ao capitão Philipp Lahm de cara fechada e num gesto rápido, livrando-se rapidamente do prêmio reservado aos tetracampeões. Dilma, que já havia sido vaiada em todas as ocasiões em que foi mostrada no telão (ela só apareceu depois do encerramento da partida), voltou a ouvir o mesmo xingamento em coro que já havia sido gritado pela torcida no jogo de abertura, no Itaquerão, em São Paulo. Ao lado do presidente da Fifa, Joseph Blatter, e da chanceler da Alemanha, Angela Merkel, Dilma também foi vaiada ao ser mostrada no telão entregando as medalhas de ouro aos alemães e de prata aos argentinos.

Lahm, de 30 anos, remanescente das campanhas alemãs nas Copas de 2006 e 2010, levantou a taça e juntou-se aos capitães das conquistas de 1954, Fritz Walter, 1974, Franz Beckenbauer, e 1990, Lothar Matthäus. Depois de descerem da tribuna, os campeões do mundo foram buscar as mulheres e namoradas nas arquibancadas, e muitas delas permaneceram no gramado durante a comemoração com a torcida, que estava concentrada no lado oposto à meta onde foi marcado o gol do título, de Mario Götze, aos 7 minutos do segundo tempo da prorrogação. Os alemães cantaram, fizeram coreografias – uma delas, aprendida com os índios da tribo pataxó que visitou a concentração da equipe, na Bahia – e saíram do gramado cerca de meia hora depois da entrega das medalhas e da Taça Fifa. A Alemanha é a primeira tricampeã do torneio desde a adoção do novo troféu, em 1974. Ao contrário do que aconteceu com a Jules Rimet, conquistada de forma definitiva pelo Brasil em 1970, o troféu atual tem posse transitória e não ficará com nenhuma seleção, mesmo em caso de múltiplas vitórias na competição.

Revista Veja 


13/07/2014
Por Edilson Silva em Esporte, Política

Presidente Dilma é vaiada no Maracanã

encerramento-copa-20140713-57-size-598

Pelo menos em dois momentos a presidente Dilma Rousseff foi bastante vaiada nesse domingo no Maracanã. Na primeira vez, logo ao terminar o jogo em que a Alemanha venceu a Argentina, a imagem da presidente apareceu no telão foi vaiada. Pouco depois determinar a partida, quando o técnico argentino Alejandro Sabella a cumprimentou na tribuna as manifestações subiram de volume e também teve início o mesmo xingamento que ocorreu em São Paulo, na festa de abertura, dia 12 de junho.

As vaias se repetiram quando a delegação alemã foi cumprimentada também pela presidente, protocolarmente,  mas aí as imagens apareceram menos vezes no telão. A transmissão oficial também deixou de mostrar a invasão de um torcedor ao gramado, seminu, que tentou agarrar jogadores alemães.


13/07/2014
Por Edilson Silva em Esporte

Alemanha é Tetracampeã Mundial no Maracanã

EDILSON SILVA - ALEMANHA

A Alemanha é tetracampeã. De vilã da semifinal para heroína dos brasileiros na decisão. O time de Joachim Löw bateu a Argentina no Maracanã por 1 a 0, na prorrogação, e levantou seu quarto título na história: e o tetra deixa muitos no Brasil felizes. Menos do que os milhões de alemães, é claro, mas o coração do torcedor brasileiro sempre lembrará da segunda Copa que o país sediou também pela alegria da seleção alemã – que chegou dançando com índios, passou o tempo com as brincadeiras de Podolski sobre o Brasil, e deixa o país com a taça do mundo. Quem disse que preparação boa é aquela em que o time fica fechado, sem contato com o mundo? Os encontros alemães com o povo brasileiro, tirando um pequeno detalhe formado por sete gols em uma semifinal de Copa, provam o contrário.

EDILSON SILVA - ALEMANHA 02

Götze se tornou o herói do país que conquistou o Brasil. A torcida e a Copa. O sonho completo. A campeã do mundo mostrou uma variação de jogo inacreditável para apenas sete jogos de Copa. Começou com a velocidade contra Portugal e uma goleada marcante. Mostrou que podia ser parada por Gana. Soube jogar no abafa contra os EUA. Contou com a sorte e com a grandiosidade de Neuer contra a Argélia. Foi metódica contra a França. Humilhou o Brasil. E foi sádica contra a Argentina. Quando foi apertada, achou um gol em uma retranca na prorrogação. Dramática. Mas com merecimento. É tetra.

ALEMANHA 3


13/07/2014
Por Edilson Silva em Esporte

‘Queria entrar em campo para ajudar o Brasil’, diz Blatter

Joseph-Blatter-durante-evento-da-Fifa-em-Sao-Paulo-size-598

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, nunca foi jogador de futebol, mas revelou que gostaria de ter estado em campo no Mineirão para tentar evitar o vexame brasileiro contra a Alemanha na última terça – feira. “Eu fiquei triste. Queria entrar em campo e incentivar os jogadores brasileiros”, disse Blatter, durante um evento de promoção da Copa de 2018, neste sábado, no Rio de Janeiro.

“Eu sou um lutador. Queria estar lá dentro do campo e dar um empurrão”, disse o cartola de 78 anos, enquanto fazia gestos com os braços imitando um pugilista. De acordo com o jornalEstado de S. Paulo, pessoas presentes ao camarote do Mineirão relataram que o presidente da Fifa simplesmente ficou calado ao ver os sete gols da Alemanha. O presidente da CBF, José Maria Marin, teria chorado enquanto assistia à goleada. “Ficamos todos em silêncio”, contou Rafael Salguero, membro do Comitê Executivo da Fifa.

Via Veja 


13/07/2014
Por Edilson Silva em Caicó, Jucurutu, Policial

Bando praticou assalto em Caicó e PM de Jucurutu foi mobilizada para evitar que os assaltantes adentrassem à nossa Cidade

00000000000000

Jair Sampaio informa em sua página que neste sábado 12, por volta das 17 horas, quatro homens invadiram a queijeira ”F5″ no bairro Alto da Boa Vista, zona norte de Caicó, espancaram o proprietário, Jorge Meira, e fugiram com dinheiro e uma Escopeta Cal.12.

Segundo informações os homens estavam agrupados mas foi vista apenas uma arma de fogo, possivelmente um revólver e a fuga do bando foi feita numa Pick Up – Saveiro – da cor branca.

Do blog PM Jucurutu: Logo após o assalto, informações davam conta de que o bando estaria vindo em direção a Jucurutu. Policais Militares da 3ª Companhia se dirigiram para RN 118, fizeram a varredura na região, mas os bandidos não foram encontrados. Logo depois, outra informação indicava que eles teriam ido em direção ao Município de São Fernando. Até este sábado pela manhã, nosso Blog não teve notícias se o bando foi preso.


13/07/2014
Por Edilson Silva em Jucurutu, Policial

Governo promove dois PMs que participaram da Ocorrência “Caso Smith” em Jucurutu. UM deles, é o próprio Smith

sd_smith_cb_cezar

O governo do Rio Grande do Norte publicou na manhã deste sábado (12) no diário oficial promoções relativas a policiais da cidade de Caicó. Foram promovidos o soldado Smith (a graduação de cabo) e o cabo César (a graduação de 3º sargento), ambos pertencentes ao efetivo do 6º BPM.

Os dois estiveram envolvidos em uma ocorrência no dia 10 de março de 2011, onde uma guarnição da P2 (setor investigativo da PM) trocou tiros com bandidos que praticavam um assalto na cidade de Jucurutu. Na oportunidade o cabo Cesar foi salvo pelo colete balístico, enquanto infelizmente o soldado Smith acabou atingido por dois disparos, foi socorrido para Caicó, depois encaminhado para natal onde veio a falecer dias depois.

Sem dúvida um reconhecimento mais do que merecido a esses dois guerreiros que estiveram na linha de frente arriscando a própria vida para defender a sociedade. No caso do agora cabo Smith sua família recebe sua promoção.

Fonte: 3º DPRE


13/07/2014
Por Edilson Silva em Brasil, Esporte

As lições de uma grande derrota

10410338_511852752280819_5719029581472636311_n

O Brasil e o mundo ficaram chocados, aturdidos, com a derrota de 7 a 1 da seleção brasileira contra a Alemanha. Ninguém pôde entender e explicar como em menos de trinta minutos de jogo já tínhamos tomado cinco gols muito bem construídos. Gols elegantes.

No país do futebol, numa das “Arenas” mais belas e caras do mundo, o time de craques milionários que jogam no mundo todo, muito bem pagos e treinados, com menos de trinta minutos estava prostrado, derrotado, paralisado. Algo inimaginável, algo que superou todas as piores previsões negativas. O “gigante do futebol”, cinco vezes campeão do mundo, gemia e chorava, dentro de sua casa… Alguns falaram em “apagão” do time. Nenhum comentarista de futebol conseguiu explicar o que houve, embora arriscassem muitos palpites. Nunca houve em toda a história das Copas do Mundo um time que tivesse sido tão massacrado, vexado, em sua própria casa. Foi algo sobre-humano… por isso, tudo merece muita reflexão.

As palavras do povo em lágrimas eram: vergonha, humilhação, etc… É precioso olhar tudo isso, com os olhos da fé. Michel Quoist disse que “na perspectiva da fé, submeter-se à realidade é submeter-se a Deus”.

Os sábios dizem que são nas piores derrotas que o homem aprende a reconhecer seus erros e se preparar para a vitória. Os nossos fracassos, quando bem aproveitados, são remédios eficazes. Então, o mais importante agora é tirar desta catástrofe futebolística, dessa hecatombe nas almas da maioria dos brasileiros, as lições que esse belo país, Terra de Santa Cruz, precisa aprender para vencer os enormes desafios que tem pela frente.

Em junho do ano passado o povo brasileiro foi para as ruas reclamar, como há muito tempo não fazia, contra todas as mazelas que o afligem. Conhecemos bem; houve até um cartaz que dizia: “São tantos problemas que não cabem num cartaz”.

Não podemos nos orgulhar diante do mundo, apenas com realidades tão passageiras, efêmeras e voláteis como futebol, carnaval, e coisas semelhantes. Não. Precisamos nos orgulhar de ter um povo educado, com mais honestidade, sem criminalidade descontrolada, sem fome, sem falta de moradia, sem corrupção, sem malversação do dinheiro público, com bons hospitais, bons médicos e dentistas para o povo, saneamento básico, transportes públicos adequados, mais remédios, menos inflação e impostos, melhor PIB, políticos mais honestos, menos “toma lá dá cá”, menos conchavos políticos, menos fingimentos, etc. Isto sim, deve encher de orgulho uma nação; e não simplesmente se satisfazer com um orgulho perigoso e enganador de querer ser “o melhor do mundo” em futebol e carnaval. Mas agora o circo “pegou fogo”.

É claro, que o esporte é belo e necessário, e a sua disputa sadia e educada é boa; mas não pode ser um fanatismo doentio, a realização determinante de um povo; é muito pouco e efêmero como acabamos de ver. Disse o profeta: “Maldito o homem que confia no homem”. Arriscar a felicidade numa competição é insensatez e imprudência. São Paulo recomendou aos filipenses: “Alegrai-vos sempre no Senhor” (Fl 4,4).

Quiseram fazer “A Copa das Copas”, num orgulho exacerbado, acintoso, tentando humilhar os que fizeram as outras Copas, como se assim pudéssemos “ganhar o mundo” e o “satisfazer” o povo. A FIFA pediu 8 estádios e fizeram 12 Arenas ao custo de cerca de trinta bilhões de reais… numa nação carente.

Então, para se combater o orgulho e a vaidade desvairada, nada melhor do que a humilhação. O grande santo e doutor da Igreja, São Francisco de Sales, dizia que sem humildade ninguém se salva, e sem passar pela humilhação ninguém se torna humilde. Jesus abominou a ostentação e a soberba. “Aquele que se exalta será humilhado, o que se humilha será exaltado”.

Que então, essa humilhação que o Brasil sofreu na Copa, como nenhum outro país já experimentou, nos ajude a vencer as terríveis misérias acima citadas.

Especialmente neste ano de eleições, temos uma grande oportunidade desta conscientização se manifestar num voto consciente, lúcido, sem venda da própria consciência, sem votos nulos ou brancos, que em nada ajudam a democracia, ao contrário, a enfraquece. A esperança do povo deve nascer nas urnas, exercendo de maneira realmente patriótica o voto. A urna é mais sagrada que o campo de futebol.

Por Professor Felipe Aquino 


13/07/2014
Por Edilson Silva em Esporte

Alemanha x Argentina: duelo de opostos na final da Copa

16686236

O Globo – Imprevisíveis por natureza e irônicos em determinadas ocasiões são os caminhos do futebol. Reservado para ser o palco da redenção do futebol brasileiro, 64 anos depois da derrota em 50, o Maracanã recebe neste domingo, às 16h, sua segunda final de Copa do Mundo, tendo o Brasil como espectador.

No duelo entre Alemanha e Argentina, o país terá de escolher entre o time que humilhou os pentacampeões mundiais com os 7 a 1 da semifinal, no Mineirão, ou os rivais sul-americanos. A terceira decisão entre alemães e argentinos — uma repetição inédita em Mundiais — opõe duas seleções que chegaram até aqui por diferentes vias e em realidades absolutamente opostas.

Em busca do tetracampeonato, a Alemanha representa a consagração do jogo coletivo, do trabalho planejado de renovação do seu futebol e de um padrão de excelência: de 18 participações, foram 13 semifinais — as quatro últimas em sequência — e o recorde de oito decisões.

A bicampeã Argentina, que não passava das quartas desde 1990, na Itália, quando foi vice-campeã justamente diante da Alemanha, faz seus torcedores sonharem com a repetição de 1986, no México. Na ocasião, o pé esquerdo de Diego Maradona, gênio solitário de uma equipe mediana, derrotou os alemães. A esperança, agora, se chama Lionel Messi. Um gênio capaz de aniquilar diferenças.


12/07/2014
Por Edilson Silva em Esporte

Na despedida da seleção, “vaias” para Felipão e Neymar

neymar-banco-selecao-brasilia-01-size-598

A derrota da seleção brasileira de futebol para Holanda, por 3 a 0, na disputa pelo terceiro lugar da Copa do Mundo, rendeu novamente muitas manifestações negativas no Twitter. Durante a partida, realizada no Estádio Mané Garrincha, em Brasília, a maioria dos jogadores da seleção foi criticada — comportamento semelhante à histórica derrota para a Alemanha, por 7 a 1. O campeão de críticas foi o técnico Luiz Felipe Scolari. É o que revelam os dados do Corneteiro Digital, ferramenta do site de VEJA que exibe em tempo real o sentimento dos torcedores durante os jogos da competição.

Das mensagens publicadas entre 18h e 19h, período que cobre a realização do segundo tempo da partida, 65,8% dos tuítes em português relativos a Felipão eram desfavoráveis ao treinador — muitas críticas eram relacionadas ao fraco desempenho da equipe durante os primeiros 45 minutos. Fora do Mundial em função de uma lesão na vértebra, Neymar também teve seu nome criticado na rede: 64,5% dos conteúdos publicados eram desfavoráveis ao atleta — muitos usuários questionaram a ausência do jogador nas últimas duas partidas do Brasil na competição.

No mesmo período, os “aplausos digitais” foram divididos apenas entre Thiago Silva e Oscar. Enquanto o zagueiro recebeu uma aprovação de 60,9%, o meia foi o brasileiro mais elogiado na rede: 63,4% das mensagens eram favoráveis.

Via Veja 


12/07/2014
Por Edilson Silva em Esporte

Apesar de Você, amanhã há de ser outro dia

Torcida-brasil-e-holanda-mane-garrincha-14-size-598

Hoje você é quem manda
Falou, tá falado
Não tem discussão
A minha gente hoje anda
Falando de lado
E olhando pro chão, viu

Você que inventou esse estado
E inventou de inventar
Toda a escuridão
Você que inventou o pecado
Esqueceu-se de inventar
O perdão

Apesar de você
Amanhã há de ser
Outro dia
Eu pergunto a você
Onde vai se esconder
Da enorme euforia
Como vai proibir
Quando o galo insistir
Em cantar
Água nova brotando
E a gente se amando
Sem parar

Quando chegar o momento
Esse meu sofrimento
Vou cobrar com juros, juro
Todo esse amor reprimido
Esse grito contido
Este samba no escuro

Você que inventou a tristeza
Ora, tenha a fineza
De desinventar
Você vai pagar e é dobrado
Cada lágrima rolada
Nesse meu penar

Apesar de você
Amanhã há de ser
Outro dia
Inda pago pra ver
O jardim florescer
Qual você não queria
Você vai se amargar
Vendo o dia raiar
Sem lhe pedir licença
E eu vou morrer de rir
Que esse dia há de vir
Antes do que você pensa

Apesar de você
Amanhã há de ser
Outro dia
Você vai ter que ver
A manhã renascer
E esbanjar poesia
Como vai se explicar
Vendo o céu clarear
De repente, impunemente
Como vai abafar
Nosso coro a cantar
Na sua frente

Apesar de você
Amanhã há de ser
Outro dia
Você vai se dar mal
Etc. e tal
Lá lá lá lá laiá


12/07/2014
Por Edilson Silva em Esporte

Brasil perde terceiro lugar e sai da Copa vaiado

BsYFYmPIEAAsJa2

O dono da festa saiu dela envergonhado. A Seleção Brasileira que imaginava poder ser hexacampeã na Copa do Mundo que sedia não conseguiu nem manter o perdão que recebeu da torcida neste sábado. O time montado por Luiz Felipe Scolari não foi capaz nem de terminar o torneio com o terceiro lugar e voltou a ter motivo para se envergonhar ao perder da Holanda por 3 a 0 neste sábado.

A torcida que foi ao Mané Garrincha gritou “pentacampeão” e aplaudiu a equipe, só não desculpando Felipão pela humilhante derrota por 7 a 1 para a Alemanha na semifinal. Mas ampliou a vaia para todos que vestiam verde e amarelo no gramado e percebeu que, sem nada a comemorar no presente, foi necessário recorrer ao passado, terminando o Mundial lembrando que só Pelé fez mil gols.

Os novos motivos para protestos não demoraram a aparecer. Antes dos dois minutos, o Brasil não tinha conseguido dominar a bola quando Robben venceu disputa pelo alto e tabelar com Van Persie para ser agarrado perto da área por Thiago Silva. Como nada dá certo para os anfitriões, o árbitro deu pênalti, que Van Persie converteu.

Ainda no primeiro tempo, David Luiz ajeitou cruzamento de De Guzmán, em posição duvidosa, para Blind, completamente livre, fazer 2 a 0 aos 16 minutos. A partir daí, o que se viu foi mais uma atuação vexatória pela qualidade dos comandados de Scolari, que ainda sofreram o terceiro gol nos instantes finais da partida. Não foi humilhante como uma goleada, mas serão raros os brasileiros que não saíram do estádio nesta noite sem se sentir envergonhado.


12/07/2014
Por Edilson Silva em Esporte

Entre o deboche e o desânimo, torcida espera fim honroso

Torcida-brasil-e-holanda-mane-garrincha-06-size-598

Que os jogadores e a comissão técnica da seleção brasileira não pensem que a pressão acabou. Mesmo fora da disputa pelo título, a torcida espera uma vitória sobre a Holanda neste sábado, na decisão do terceiro lugar, no Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília.

Entre os torcedores que vieram ao jogo de despedida do Brasil na Copa do Mundo, as opiniões estão divididas: para alguns, é hora de manifestar apoio e gratidão pelo esforço dos atletas; para outros, é momento de cornetar, zombando do desempenho do time na goleada histórica sofrida na semifinal, contra a Alemanha. Muitos chegaram ao estádio com faixas e cartazes que faziam referência aos 7 a 1 do Mineirão – e o técnico Luiz Felipe Scolari, que não descartou a permanência no comando da equipe depois do Mundial, era o alvo preferido.

Além de debochar de sua própria desgraça, o torcedor brasileiro esfriou os ânimos neste sábado: se nas partidas anteriores os arredores das arenas em que o Brasil atuava estavam repletos horas antes de cada duelo, em Brasília o público chegou lentamente, sem muita empolgação, mas sempre com a mesma cobrança na ponta da língua: o brasileiro, tenha ou não perdoado a equipe pelo fiasco da última terça, quer uma despedida honrosa, com a medalha de bronze no peito de seus combalidos jogadores.


12/07/2014
Por Edilson Silva em Jucurutu

Prefeitura de Jucurutu manteve a tradição e promoveu o X Festival de Quadrilhas Juninas

10530739_797152340316300_6580197175741342766_n

A Prefeitura de Jucurutu manteve a tradição, e através da Secretaria de Assistência Social, em parceria com a pasta de Lazer e Turismo, promoveu na noite desta sexta-feira, 11 de julho, mais uma edição do Festival de Quadrilhas Juninas. O evento que chegou sua décima edição atraiu um grande público para a Praça Januncio Afonso de Medeiros, no Centro da cidade, onde ocorreram apresentações das quadrilhas juninas, e logo após o espaço deu lugar a dois shows de forró, ao som de “Pisada de Playboy” e “Deixe de Brincadeira”.

O prefeito George Queiroz prestigiou a festa e pontuou a importância da realização do Festival:“Realizar mais um Festival de Quadrilhas Juninas em Jucurutu, significa manter a nossa tradição, mantendo assim a bela cultura. E a nossa administração tem tratado de forma especial essa área, principalmente objetivando valorizar os talentos e as quadrilhas juninas de nossa cidade”, disse. O Festival também foi assistido pela vice-prefeita Paula Lopes e pelos os secretários municipais.

Com informações da Assessoria de Comunicação da PMJ – Prefeitura Municipal de Jucurutu/RN


12/07/2014
Por Edilson Silva em Jucurutu, Saúde

Drª. Emanuela Alves, fonoaudióloga fala sobre câncer de boca

Needing dental care

O câncer de boca é uma denominação que inclui os cânceres de lábio e de cavidade oral (mucosa bucal, gengivas, palato duro, língua oral e assoalho da boca). O câncer de lábio é mais freqüente em pessoas brancas, e registra maior ocorrência no lábio inferior em relação ao superior. O câncer em outras regiões da boca acomete principalmente tabagista e os riscos aumentam quando o tabagista é também alcoólatra.

O principal sintoma deste tipo de câncer é o aparecimento de feridas na boca que não cicatrizam em uma semana. Outros sintomas são ulcerações superficiais, com menos de 2 cm de diâmetro, indolores (podendo sangrar ou não) e manchas esbranquiçadas ou avermelhadas nos lábios ou na mucosa bucal. Dificuldade para falar, mastigar e engolir, além de emagrecimento acentuado, dor e presença de linfadenomegalia cervical (caroço no pescoço) são sinais de câncer de boca em estágio avançado.

Pessoas com mais de 40 anos de idade, dentes fraturados, fumantes e portadores de próteses mal – ajustadas devem evitar o fumo e o álcool, promover a higiene, ter os dentes tratados e fazer uma consulta odontológica de controle a cada ano. Outra recomendação é a manutenção de uma dieta saudável, rica em vegetais e frutas.

Para prevenir o câncer de lábio, deve – se evitar a exposição ao sol sem proteção (filtro solar e chapéu de aba longa). O combate ao tabagismo é igualmente importante na prevenção deste tipo de câncer.

O exame rotineiro da boca feito por um profissional de saúde pode diagnosticar lesões no inicio, antes de se transformarem em câncer. Pessoas com mais de 40 anos que fumam e bebem devem estar mais atentas.

Por Edilson Silva – Contatos (84) 9629 7591


12/07/2014
Por Edilson Silva em Esporte

Fifa revela candidatos à Bola de Ouro

bola-de-ouro

Alemanha e Argentina disputam neste domingo, no Maracanã, a grande final da Copa do Mundo. Em campo, sete jogadores terão mais uma partida para alcançar um importante prêmio: a Bola de Ouro, concedida ao melhor jogador do torneio. Pelo lado alemão, Toni Kroos, Mats Hummels, Philipp Lahm e Thomas Muller são candidatos. Entre os argentinos, os indicados pela Fifa são Lionel Messi, Javier Mascherano e Ángel Di Maria. Completam a lista o colombiano James Rodríguez, o holandês Arjen Robben, e o brasileiro Neymar.


Página 538 de 608« Primeira...102030...536537538539540...550560570...Última »


Facebook


Twitter