Acari

Casal de Acari morre de Covid-19 em intervalo de 24 horas

 

O casal de Acari Airon e Valdenir, ela com 70 anos e ele com 82 anos, morreu por complicações da Covid-19 em um intervalo de apenas 24h.

 

Internado no HRS-Caicó, Airon faleceu ainda no sábado, já a esposa, Dona Valdenir, faleceu de ontem para hoje vítima da doença. Ela estava em Natal.

 

Em Acari, a comoção é grande. O casal era muito querido por lá e tinha grande simpatia da sociedade acariense. São muitas as homenageiam na web.

 

Por Jair Sampaio

 

Compartilhe aqui:

Acari: Morre Gilson da Farmácia. Empresário não resistiu às consequências da Covid

 

A família do empresário Gilson Bezerra de Medeiros comunicou seu falecimento nas primeiras horas do dia de hoje, 29, vítima da Covid-19.

 

Gilson da Farmácia, como era conhecido na cidade de Acari-RN, era ex-candidato a prefeito pelo PT, ele teria enfrentado o prefeito Fernandinho.

 

Sua morte deixou uma cidade inteira de luto. Gilson era um empreendedor de sucesso, gerador de emprego e renda no município de Acari e em Caicó.

 

Compartilhe aqui:

Acari foi as ruas cobrar justiça e prestar apoio a família do pequeno Natan que morreu atropelado no caminho para Gargalheiras

 

Uma caminhada de protesto pedindo que o Poder Judiciário mantenha presa a mulher que matou o garoto Nathan Pablo Félix, aconteceu na cidade de Acari/RN, no início da noite de quarta-feira (16). A criança foi atropelada e morta na tarde de domingo passado por um veículo Vectra de cor preta que era conduzido por Alexsandra Oliveira, de 30 anos, que foi preso momentos depois.

 

Uma multidão de pessoas a pé, em carros e em motos, portando cartazes e faixas compareceu ao movimento que teve início na frente da Igreja Basílica Menor de Nossa Senhora Daguia e seguiu até a escola onde Nathan estudava.

 

Relembre

 

Nathan havia se sentado em uma calçada para ajeitar a corrente da bicicleta, quando o carro sobrou em uma curva e o atingiu. De acordo com a PM, a motorista de 30 anos fugiu do local do acidente sem prestar socorro à vítima, mas foi reconhecida por testemunhas. Ela foi localizada e detida momentos após o atropelamento e testes do bafômetro apontaram que ela estava alcoolizada.

 

A decisão judicial que homologou a prisão flagrante e converteu em prisão preventiva afirma que, “com efeito, os indícios de autoria e a materialidade encontram-se devidamente configurados, principalmente através dos depoimentos das testemunhas e do exame de alcoolemia”.

 

Sidney Silva

 

Compartilhe aqui:

Papa Francisco concede o Título de Basílica Menor à Igreja Matriz de Nossa Senhora da Guia, em Acari

 

Com um Decreto emanado pela Santa Sé, o Papa Francisco torna a Igreja Matriz de Acari uma Basílica Menor, em razão da sua história, da fé secular do povo católico seridoense, além da beleza arquitetônica e da exemplaridade da liturgia que se celebra no seu interior. Celebra também o centenário do nascimento do Cardeal Dom Eugenio de Araujo Sales, filho de Acari, que foi batizado naquela Igreja e por cuja pessoa, falecido em 2012, a Diocese de Caicó nutre uma especial gratidão principalmente pelo cultivo das vocações sacerdotais do clero seridoense.

 

A Paróquia Nossa Senhora da Guia, na cidade do Acari, é a primeira que foi desmembrada da antiga Freguesia da Senhora Santa Ana do Seridó, cujo território paroquial abrangia o que hoje corresponde ao território da Diocese de Caicó. Sua Igreja é a mais imponente de todas as igrejas paroquiais da Diocese de Caicó, com a ressalva de que a Catedral de Sant’Ana de Caicó possui a primazia absoluta seja teológica que em importância eclesial sobre todos os demais Templos do Seridó.

 

A Matriz de Acari, que agora passa a ser Basílica Menor pontifícia, foi construída por um filho seu, o Padre Thomaz Pereira de Araújo, inaugurada em 1867 e nela foi batizado o Cardeal Dom Eugenio de Araujo Sales (Arcebispo Emérito do Rio de Janeiro), cujo centenário de nascimento foi solenemente celebrado aos 08 de novembro de 2020.

 

Sendo a segunda paróquia mais antiga da Diocese de Caicó, por haver sido erigida em 1835, e uma das mais antigas do estado do Rio Grande do Norte, ela guarda uma inefável expressão da piedade popular de nossa gente, que é, na sua maioria, humilde e pacata. A devoção à Nossa Senhora da Guia remonta, porém, ao ano de 1738, de modo que as cidades ao seu redor têm na cidade de Acari um referencial de piedade mariana e de decoro nas celebrações litúrgicas.

 

A então Matriz de Acari sempre foi tido como um lugar sagrado e fonte secular de vida cristã do povo fiel, tanto pela antiguidade de sua devoção, como pela mística que inspira a sua arquitetura imponente, que relembra a grandeza de Deus que se faz próximo a cada pessoa que nela se encontra, em oração, certo de ter o auxílio de Jesus Cristo, nosso Senhor, o filho bendito da Virgem que nos Guia.

 

Foi considerando a sua importância para a fé do povo do Rio Grande do Norte que Sua Santidade o Papa Francisco quis que a Igreja Matriz de Nossa Senhora da Guia de Acari tivesse a merecida dignidade de Basílica Menor.
Essa Igreja, que é o povo de Deus que caminha peregrino neste mundo, cuja imagem é misteriosamente representada no Templo material, será a partir de agora um sinal de sua comunhão com o Sucessor de Pedro, o Papa Francisco.

 

O fato de nela haver sido batizado o Cardeal Dom Eugenio de Araujo Sales, filho de Acari, reforça a consciência da comunhão eclesial deste lugar com o Bispo da Igreja de Roma, o Papa, que nos preside na caridade, em cuja pessoa Dom Eugenio serviu por muitos anos. Em uma transmissão televisiva, ele afirmou nitidamente: “Honra-me profundamente ter nascido em Acari, uma cidade que está sob as bênçãos de Nossa Senhora da Guia”.

 

O Pároco, Padre Fabiano Maurício Dantas, e o Pároco emérito, Monsenhor Raimundo Sérvulo da Silva, capelão do Santo Padre, reconhecidos a Deus por tamanha efeméride, sabem hoje que contam com a benevolência do coração de nosso Pastor Supremo, o Papa Francisco, que tem constantemente voltado o olhar para o povo mais simples.

 

Não existe na Província Eclesiástica de Natal nenhuma igreja com a dignidade de Basílica menor pontifícia, e essa Graça repousou sobre a linda Matriz do Acari, localizada na região semiárida do Rio Grande do Norte, lugar marcado pela irregularidade de chuva, o que torna o sertão uma terra de difícil sobrevivência, que exige do seu povo uma fé inabalável para a superação dos seus problemas pessoais e sociais.

 

A Liturgia que se celebra em Acari sempre foi reconhecida e valorizada por sacerdotes e fiéis pela sua consonância e conformidade com as orientações litúrgicas e pastorais do Concílio Ecumênico Vaticano II. A música sacra ali cultivada desde épocas imemoráveis sempre a distinguiu em beleza e harmonia.

 

Acari está localizada na microrregião do Seridó Oriental do estado do Rio Grande do Norte, tem origem no início do séc. XVIII, quando os desbravadores dos sertões adentraram o interior do Nordeste em busca de condições favoráveis para o desenvolvimento do criatório do gado, encontrando nessas terras, até então habitadas por silvícolas, o pouso desejado. Assim, o lugar que recebeu essa denominação por causa de um peixe encontrado nas águas do Rio Acauã, foi se tornando ponto de referência. Em 1738, com a construção de uma capela dedicada a Nossa Senhora da Guia, patrocinada pelo Sargento-mor Manuel Esteves de Andrade, começou o núcleo do povoamento que iria constituir a vila e a cidade nas décadas subsequentes.

 

Nesse contexto histórico-cultural se destaca a devoção a Nossa Senhora da Guia, o título mariano mais antigo a ser venerado no Seridó. Segundo os relatos orais que foram passados através das gerações, a Capela em honra a Nossa Senhora da Guia foi construída a pedido da mãe do fundador de Acari, condição para que esta viesse morar nessas paragens.

 

Com o passar do tempo a Vila foi crescendo gradativamente, sem contar que a maioria da população vivia exclusivamente na zona rural, cujas principais atividades econômicas eram a pecuária (criação de gado vacum) e a agricultura de subsistência. Nos anos seguintes a Capela foi sendo ampliada para comportar a participação dos fiéis nos ofícios sagrados.

 

Em 13 de março de 1835 a Vila do Acari foi elevada à categoria de Paróquia, e a Capela de Nossa Senhora da Guia elevada à dignidade de Igreja Matriz. O primeiro pároco foi o Padre Thomás Pereira de Araújo, sacerdote do clero secular, natural da mesma Vila do Acari e cuja memória jamais saiu do coração dos acarienses. Por todos era venerado e invocado com o apelativo Padrinho Padre.

 

No ano de 1857 o Padre Thomás e a comunidade acariense decidiram construir uma nova Igreja Matriz, cujos serviços começaram com a bênção da pedra fundamental, no dia 15 de agosto de 1857. A execução da obra continuou nos anos seguintes, sendo interrompida pela falta de recursos, pela seca característica no semi- árido nordestino, e até mesmo por uma epidemia de varíola. Mas, a generosidade do povo, de mãos dadas à fé, fez multiplicar-se o pouco dinheiro e superar as adversidades por maiores que fossem. Desse modo os trabalhos prosseguiram e a conclusão da obra ocorreu no final do ano de 1863.

 

Na construção dessa igreja, foram empregados diariamente cerca de 14 pedreiros. Carpinteiros, entre 6 e 12. Serventes, até 30, no máximo. 7 a 8 carros de bois foram empregados no transporte de materiais (pedra e madeira). Para o transporte das tesouras, vindas das serras de Florânia, foram necessários 16 carros, 32 juntas de bois e 38 serventes. A cal foi transportada da Acauã ao pé da obra em costas de animais. De 1863 a 1864, os marceneiros fecharam a Igreja e construíram os altares principais, sendo decorados pelos pintores de 1865 a 1866. Na manhã do dia 05 de agosto de 1867, foi trasladada para a nova Matriz, a Imagem de Nossa Senhora da Guia. Ainda chegam até nossos tempos os ecos dessa triunfal trasladação.

 

Nada menos de 19 sacerdotes, entre os quais o próprio Vigário do Natal, o Padre Bartolomeu da Rocha Fagundes e seus auxiliares, e incalculável multidão, compuseram o préstito. A essa festa que se prolongou até o dia 16, assistiram para mais de 8 mil pessoas. Houve o problema da hospedagem para tanta gente. A cidade era pequena, e poucas as casas. Construíram ruas de ranchos para acomodar moradores e visitantes.

 

Várias reformas foram feitas ao longo do tempo na Igreja Matriz, mas esta conserva seus traços arquitetônicos originais, cuja imponência se faz notar na paisagem do município de Acari.

 

A Festa de Nossa Senhora da Guia, celebrada anualmente no período de 05 a 15 de agosto, atrai acarienses, visitantes e devotos para os festejos. É um grandioso marco de fé para Acari e para toda a região. Pode-se afirmar com convicção que a Festa da Padroeira faz parte da identidade de Acari, alcançando significados que emocionam e cativam todos os fiéis, devotos e peregrinos. É um momento singular que une a todos na suntuosa Igreja Matriz, lugar especial do coração do povo do Acari, sempre convidativa e acolhedora, onde os mistérios da Fé são celebrados para maior honra de Deus.

 

A Basilica de Acari é um dom incomensurável para o povo Católico do RN. Seu serviço ao louvor perene de Deus possa ser uma fonte de muita esperança para o povo sofrido nas agruras dos difíceis tempos que atravessamos.

 

Compartilhe aqui:

Reservatórios do RN continuam com bons volumes na primeira quinzena de julho

Gargalheiras, localizado em Acari, acumula bom volume de água – (Foto: Eduardo Araújo)

O Governo do Estado do Rio Grande do Norte, por meio do Instituto de Gestão das Águas do RN (Igarn), monitora os 47 reservatórios, com capacidades superiores a 5 milhões de metros cúbicos, responsáveis pelo abastecimento das cidades potiguares. O Relatório do Volume dos Principais Reservatórios Estaduais, divulgado nesta quinta-feira (16), indica que a barragem Umari, localizada em Upanema, acumula 266.869.390 m³, que correspondem a 91,14% da sua capacidade total que é de 292.813.650 m³. No dia 16 de julho de 2019 o volume do manancial era de 113.825.040 m³, percentualmente, 38,87% da sua capacidade total.

As reservas hídricas superficiais potiguares somam 2. 465.278.437 m³, que correspondem a 56,33%, dos 4.376.444.842 m³ que os mananciais monitorados conseguem acumular juntos. No início de julho de 2019, as reservas estaduais eram de 1.386.775.515 m³, percentualmente, 31,68% da capacidade total do RN.

A barragem Armando Ribeiro Gonçalves, maior reservatório do RN, acumula 1.552.949.645 m³, percentualmente, 65,44% da sua capacidade total que é de 2,37 bilhões de metros cúbicos. No mesmo período do ano passado o manancial represava 792.536.000 m³, correspondentes a 33,02% do seu volume total.

Segundo maior reservatório do Estado, a barragem Santa Cruz do Apodi recebeu pequeno aporte hídrico com relação ao último relatório, divulgado no dia 6 de julho, atualmente acumula 210.739.360 m³, correspondentes a 35,14% da sua capacidade total que é de 599.712.000 m³. Em meados de julho de 2019, o manancial estava com 146.071.583 m³, percentualmente, 24,36% do seu volume máximo.

A barragem Poço Branco, localizada no município de Poço Branco, também recebeu aporte hídrico, com relação ao último relatório divulgado pelo Igarn, e acumula 31.417.326 m³, percentualmente, 23,1% da sua capacidade total que é de 136.000.000 m³. No mesmo período do ano passado o reservatório estava com 40.666.359 m³, correspondentes a 29,90% do seu volume total.

O açude Beldroega, localizado em Paraú, chegou a ficar, novamente, com 100% da sua capacidade que é de 8.057.520 m³, durante a última semana, mas já perdeu volume e acumula 7.933.466 m³, correspondentes a 98,46% do seu volume total. Esse valor, no entanto, ainda é superior ao apresentado no último relatório. Em comparação com 2019, o manancial, neste mesmo período, estava com 7.304.218 m³, correspondentes a 90,65% do seu volume total.

Além do açude Beldroega e da barragem Umari, outros reservatórios com mais de 90% da capacidade de acúmulo são: Mendubim, localizado em Assu, com 99,73%; Pataxó, em Ipanguaçu, com 95,24%; Dourado, em Currais Novos, com 91,44%; Encanto, localizado em Encanto, com 93,61%; Santo Antônio de Caraúbas, localizado em Caraúbas, com 95,49%; Morcego, em Campo Grande, com 95,91%; Apanha Peixe, em Caraúbas, com 98,33%; Riacho da Cruz II, localizado em Riacho da Cruz, com 93,79%; Passagem, em Rodolfo Fernandes, com 96,92% e Santana, em Rafael Fernandes, com 96,67%.

A barragem de Pau dos Ferros acumula 20.072.558 m³, que correspondem a 36,6% da sua capacidade que é de 54.846.000 m³. No mesmo período do ano passado o manancial estava com 351.356 m³, percentualmente, 0,64% do seu volume total.

O reservatório Marechal Dutra (Gargalheiras), localizado em Acari, acumula 14.578.852 m³, percentualmente, 32,82% da sua capacidade total que é de 44.421.480 m³. Em meados de julho do ano passado o Gargalheiras estava com 240.161 m³, correspondentes a 0,54% do seu volume total.

O açude Itans, em Caicó, acumula 10.833.302 m³, percentualmente, 14,28% da sua capacidade total que é de 75.839.349 m³. No ano passado, nesse mesmo período, o reservatório estava com 1.346.000 m³, correspondentes a 1,65% do seu volume total.

Os reservatórios com volumes inferiores a 10% das suas capacidades, portanto em nível de alerta, são: Esguicho, em Ouro Branco, com 2,74%; e Passagem das Traíras, que está em obras e não pode acumular um grande aporte hídrico, com 1,26%. Em termos percentuais os dois representam 4,25% dos reservatórios monitorados pelo Igarn.

Já os mananciais secos também são dois: Inharé, localizado em Santa Cruz, e Trairi, em Tangará. Portanto, em termos percentuais também representam 4,25% dos açudes monitorados.

Situação das lagoas

A Lagoa de Extremoz, responsável pelo abastecimento de parte da zona norte da capital, está atualmente com 100% da sua capacidade que é de 11.019.525 m³.

A Lagoa do Boqueirão, localizada em Touros, acumula 10.922.267 m³, percentualmente, 98,62% da sua capacidade total que é de 11.074.800 m³.

A Lagoa do Bonfim, localizada em Nísia Floresta, está com 45.798.013 m³, correspondentes a 54,35% da sua capacidade total de acumulação que é de 84.268.200 m³.

Compartilhe aqui:

Acari: Corpo de homem que desapareceu no açude Gargalheiras é encontrado

O corpo de Jácio Mamede Galvão, desaparecido desde domingo no açude Gargalheiras, em Acari, no Seridó potiguar, foi encontrado sem vida na tarde desta terça-feira (14) preso a um pedra.

De acordo com informações, o homem pegou a lancha para passear no açude por volta das 16h do domingo. Após sair para o passeio, Jácio não foi mais visto.

Desde então, o Corpo de Bombeiros (CBM) foi acionado para auxiliar nas buscas. A Polícia Militar também foi acionada.

Segundo moradores da região, uma sacola com a máscara que Jácio usava e uma quantia de R$ 50, foram encontradas no dia do desaparecimento.

Compartilhe aqui:

Faltam 5 metros para o Açude Gargalheiras atingir a sua sangria

Faltam 5 metros para o Açude Marechal Dutra, “O Gargalheiras”, atingir a sua lâmina de sangria. Para algumas pessoas pode ser muito, mas para os acarienses não é impossível, já que o reservatório esteve completamente seco.

Nas últimas 24 horas, o Gargalheiras que está localizado no município de Acari, aumentou seu nível em 10 centímetros. Com capacidade para 44 milhões 421 mil 480 metros cúbicos de água, hoje o açude está com 14 milhões 246 mil 150 metros cúbicos de água, o que percentualmente representa 32,07 %.

Compartilhe aqui:

Em Acari, Gargalheiras está com 31,24% da sua capacidade

O reservatório Marechal Dutra, também conhecido como Gargalheiras, em Acari, acumula atualmente 13.876.482 m³, equivalentes a 31,24% da sua capacidade total que é de 44.421.480 m³.

No mesmo período do ano passado o manancial estava com 269.918 m³, percentualmente, 0,61% do seu volume total.

Compartilhe aqui:

Em Acari, Açude Gargalheiras está com quase 27% da sua capacidade

O reservatório Marechal Dutra, também conhecido como Gargalheiras, localizado em Acari, atualmente acumula 11.991.171 m³, percentualmente 26,99% da sua capacidade total que é de 44.421.480 m³.

As últimas chuvas tem sido um fator positivo para que o reservatório venha dia a dia acumulando um bom volume de água. No mesmo período de 2019 o Gargalheiras estava seco. De acordo com a meteorologia a previsão é de mais chuva para o município e outros da região do Seridó que aguardam anciosos pela recarga considerável de outros reservatórios

Compartilhe aqui:

Caicó tem primeiro caso confirmado do novo coronavírus; paciente de Acari

Boletim Covid-19
Hospital Regional Telecila Freitas Fontes
13/04/20

Municípios de residência dos pacientes INTERNADOS:
Acari – 01 paciente
Caicó – 02 pacientes
Cerro Corá – 01 paciente
Parelhas – 02 pacientes
Município de residência do paciente confirmado – ACARI.

Obs.: Excluídos os que saíram do isolamento social sem sintomatologia depois de 15 dias.

Compartilhe aqui:

Monsenhor Antenor recomenda que cristãos façam leitura do Salmo 90 diariamente nesse período de pandemia

#SemanaSanta

Com a Igreja olhamos para Semana Santa e mergulhamos no Mistério Pascal de Cristo.
Monsenhor Antenor sugere que façamos a leitura do Salmo 90. Ele gravou com sua voz firme aos 90 anos de idade.

Áudio: Nelder/Acari
Edição de vídeo: #BlogEdilsonSilva

https://www.facebook.com/BlogDoEdilsonSilva/videos/229602328393900/UzpfSTEwMDAwMzY4Mjk3NTY0NzoxOTA2NTQ1MzUyODExNTQ1/

Compartilhe aqui:

Gargalheiras de Acari está com 28,24% da sua capacidade

O reservatório Marechal Dutra, também conhecido como Gargalheiras, localizado no município de  Acari, com capacidade para 44.421.480 m³, acumula atualmente 12.545.674 m³, percentualmente, 28,24% do seu volume máximo.

As últimas chuvas tem sido um fator positivo para que o reservatório venha dia a dia acumulando um bom volume de água. No mesmo período de 2019 o Gargalheiras estava seco.

De acordo com a meteorologia a previsão é de mais chuva para o município e outros da região do Seridó que aguardam anciosos pela recarga considerável de outros reservatórios.

W. DANTAS

Compartilhe aqui:

Após quase cinco anos, Gargalheiras volta a abastecer Currais Novos

Após quase cinco anos, o reservatório Marechal Dutra – conhecido como Gargalheiras – voltou a abastecer a cidade de Currais Novos, complementando a água fornecida pelo Açude Dourado. A informação foi confirmada pela Caern.

De acordo com a Caern, ambos os mananciais tiveram uma recarga importante na última semana: o Gargalheiras saiu do volume morto e praticamente seco para quase 14,61% de sua capacidade, segundo o boletim mais recente do Instituto de Gestão das Águas (Igarn); enquanto o Dourado passou de 2% para seu volume total de armazenamento, atingindo a sangria.

Com este cenário positivo, a Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) retomou o fornecimento de água pelo Gargalheiras para Currais Novos, o que não interfere no abastecimento de Acari, que continuará a receber água com a mesma vazão.

O Gargalheiras não abastecia Currais Novos desde setembro de 2015. Desde então, apenas a cidade de Acari era abastecida pelo açude.

Essa gestão na distribuição da água disponível também vai amenizar o impacto da seca em Currais Novos, que atualmente funciona em um sistema de rodízio quinzenal, dividindo a cidade em dois setores.

Atualmente, a Companhia está captando para Currais Novos, 200 metros cúbicos de água, o equivalente a 200 mil litros de água, por hora (200m³/h) durante 24 horas, e completando com 120 a 150 mil litros de água (m3/h) do Gargalheiras, por aproximadamente 10 horas por dia.

G 1

Compartilhe aqui:

Açude Gargalheiras ganha vida com o “peixamento”

O Açude Marechal Dutra, “o Gargalheiras” de Acari começou a ganhar vida nesta quarta-feira (12). O Departamento Nacional de Obras Contra as Secas despejou nas águas do Gargalheiras centenas de peixes, através do projeto Peixamento que visa repovoar os açudes com espécies nativas da região.

Via Wllana Dantas.

Dá o play no vídeo abaixo e confira a ação:

https://www.facebook.com/BlogDoEdilsonSilva/videos/673471746790501/

 

 

Compartilhe aqui:

Após chuvas, Caern reativa sistema do açude Gargalheiras em fase de testes

As chuvas no Seridó fizeram o açude Marechal Dutra, o Gargalheiras, atingir a marca de 6,79% de medição volumétrica. Por este motivo, a Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) iniciou em fase de testes a reativação da captação de água pelo manancial. De acordo com a gerente da Regional Seridó, Rosi Gurgel, estão sendo observadas as condições operacionais como vazão e qualidade da água, para a captação ser feita definitivamente pelo Gargalheiras.

A Caern deixou de captar água pelo Gargalheiras em 1º de setembro de 2015. A princípio, quando o sistema for colocado definitivamente em funcionamento, Acari terá seu abastecimento por rodízio. Já Currais Novos continuará sendo abastecida pelo açude Dourado. De toda forma, a Caern está trabalhando na reativação do sistema que vai do Gargalheiras para Currais Novos. Caso o açude Dourado entre em colapso, o abastecimento volta a ser pelo Gargalheiras.

Compartilhe aqui:

Acari: Açude Gargalheiras volta a receber água

Depois da chuva caída neste sábado (01) no entorno da barragem Marechal Dutra, “Gargalheiras”, na cidade de Acari, o reservatório volta a receber um grande volume de água.

Neste momento ainda é possível ver o rio desaguando com bastante água no manancial.

Logo no início deste ano de 2020, o manancial chegou a receber cerca de 3.274.877,00 de metros cúbicos de água, ou seja 7,37% do seu volume total de 44 milhões.

Por Aislan Araújo, jornalista

Compartilhe aqui:

Açude Gargalheiras sobe 7% com chuvas recentes

O açude Gargalheiras, em Acari, na região Seridó do Rio Grande do Norte, subiu 7,37% de nível com as chuvas recentes que caíram no início deste ano na localidade e em todo o estado. Esse aumento fez com que o reservatório atingisse o maior volume total de água desde 2014, segundo o Instituto de Gestão das Águas do RN (Igarn).

De acordo com o Igarn, o último relatório produzido, divulgado no dia 15 de janeiro – há cinco dias – apontava que o Gargalheiras estava seco. Assim, os 7% de nível que subiu com as chuvas representa também o nível total da barragem.

Os dados estão presentes no Relatório da Situação Volumétrica dos Principais Reservatórios Potiguares, que foi divulgado nesta segunda-feira (20) pelo instituto. O Gargalheiras, que tem seu nome oficial de barragem Marechal Dutra, recebeu 3.274.877 m³ de água com as recentes chuvas na região – isso corresponde a 7.37% da capacidade total do manancial que é de 44.421.480,38 m³.

O instituto monitora, ao todo, 47 reservatórios com capacidade superior a 5 milhões de metros cúbicos no Rio Grande do Norte – eles são responsáveis pela segurança hídrica no estado.

G1

Compartilhe aqui: