Tempo

Município de Parelhas tem chuva de até 70mm; Cruzeta 30mm

 

Quarta-feira, 24 de fevereiro de 2021
Registros de chuvas em Parelhas e Região

 

Povoado Santo Antônio – Parelhas – 35 mm
Sítio Carnaúba dos Bezerras – Parelhas – 40 mm
Sítio Salgadinho – Parelhas – 36 mm
Parelhas – Centro – 13 mm
Conjunto COHAB – Parelhas – 10 mm
Rua Ageu de Castro – Centro – Parelhas – 10 mm
Sítio Almas II – Parelhas – 12 mm
Comunidade Barra – Parelhas – 62 mm
Sítio Cidade – Parelhas – 30 mm
Sítio Maracujá – Parelhas – 25 mm
Sítio Tapera – Parelhas – 31 mm
Comunidade Timbaúba – Parelhas – 38 mm
Bairro São Sebastião – 15 mm
Sítio Pudrinho – Parelhas – 70 mm
Sítio Gamenho – Parelhas – 42 mm
Povoado Joazeiro – Parelhas – 36 mm
Sítio Saco de Santo Antônio – Parelhas – 60 mm
Sítio Algodão – Parelhas – 30 mm
Conjunto IPE – Parelhas 10 mm
Sítio Rio do Meio – Cruzeta – 30 mm

 

Compartilhe aqui:

Chuvas de mais de 48 milímetros foram registradas na região de Caicó (RN) nesta terça-feira (16)

Fazenda Feitosa – São João do Sabugi – 130 mm
Sítio Mulunguzinho – Caicó – 91 mm
Sítio Juá debaixo – Caicó – 144 mm
Sítio Nova Olinda – Caicó 20 mm
Sítio Brejinho – São João do Sabugi – 130 mm
Ipueira – zona urbana – 105 mm
Boa Passagem – Caicó – 45 mm
Sítio Serrote do Tigre – Picuí – 6 mm
Sítio Manhoso – Caicó – 13 mm
Fazenda Monte Alegre – Carnaúba dos Dantas – 72 mm
Sítio Carcará – São João do Sabugi – 100 mm
Fazenda Mulungu – São João do Sabugi – 165 mm
Lagoa da Serra – 102 mm
Sítio Bestas Bravas – 35 mm
Sítio Barra do Riacho – Junco do Seridó – 15 mm
Bairro Penedo – Caicó – 40 mm
Serra Negra do Norte – 127 mm
Sítio Malhada da Pedra – Paulista/PB – 50 mm
Sítio Lagoa da Serra – Serra Negra do Norte – 120 mm
Sítio Saudade – 80 mm
Sítio Jerusalém – São João do Sabugi – 96 mm
Sítio Barra da Espingarda – 17 mm
Sítio Curral Queimado – Serra Negra do Norte – 115 mm
Sítio Logradouro dos Enéias – 110 mm
Sítio Riacho da Serra – Caicó – 15 mm
Bairro Paraíba – 42 mm
Sítio Buriti – Caicó – 15 mm
Timbaúba dos Batistas – zona urbana – 73 mm
Fazenda Bom Sucesso – 60 mm
Bairro Nova Caicó – 45 mm
Bairro Paulo VI – Caicó – 55 mm
Florânia – 15 mm
Sítio Varzea Redonda – 85 mm
Sítio Três Riachos -42 mm
Fazenda Herança – Caicó – 37 mm
Sítio Caibreira – São João Sabugi – 79 mm
Sítio Maravilha – Caicó – 115 mm
Sítio Mata Fome – São João do Sabugi – 100 mm
Chacará Vaca Brava – São João do Sabugi – 85 mm
São João do Sabugi – Zona Urbana – 110 mm
Sítio Riacho dos Cavalos – São João do Sabugi – 100 mm
Penitenciária Estadual do Seridó – 40 mm
Cohab – Jucurutu – 48 mm

Por Sidney Silva

Compartilhe aqui:

Chuvas voltam a banhar a região de Caicó

(Foto: Ney Douglas)

Sidney Silva – O programa Violeiros do Seridó, na Rádio Rural FM 102,7, divulgou na manhã desta sexta-feira (12), os registros de chuvas enviados por moradores de cidades, bairros sítios da zona rural de Caicó. Os registros são de quinta-feira (11).

Confira:

SÍTIO GARCIA/SÃO FERNANDO – 17mm

SÍTIO BATALHA/J. PIRANHAS – 23mm

SÍTIO VÁRZEA REDONDA/CAICÓ – 10mm

BAIRRO PARAÍBA/CAICÓ – 13mm

SÍTIO SSBOEIRO/CAICÓ – 15mm

BAIRRO CASTELO BRANCO/CAICÓ – 21mm

SÍTIO PITOMBEIRA/CAICÓ – 18mm

BAIRRO MAYNARD/CAICÓ – 15mm

SÃO JOÃO DO SABUGI/RN – 08mm

SÍTIO BRAZ FÉLIX/BELÉM DO BREJO DO CRUZ/PB – 10mm

BAIRRO BOA PASSAGEM/CAICÓ – 26mm

BAIRRO VILA ALTIVA/CAICÓ – 18mm

SÍTIO RIACHO DO MEIO/CAICÓ – 12mm

BAIRRO RECREIO/CAICÓ – 22mm

RAFAEL GODEIRO/RN – 05mm

BAIRRO BARRA NOVA/CAICÓ – 21mm

SÍTIO VÁRZEA ALEGRE/CAICÓ – 17mm

SÍTIO CAMPO GRANDE/SÃO JOÃO DO SABUGI – 22mm

SÍTIO JERUSALÉM/SÃO JOÃO DO SABUGI – 23mm

SÍTIO RAMADA/SÃO FERNANDO – 11mm

SÍTIO TRINCHEIRAS/MESSIAS TARGINO/RN – 04mm

SÍTIO CORDEIRO/SÃO JOÃO DO SABUGI – 07mm

SÍTIO PEDRA E CAL/SERRA NEGRA DO NORTE – 05mm

BAIRRO PENEDO/CAICÓ – 20mm

DISTRITO PALMA/CAICÓ – 03mm

SÍTIO CASA NOVA DE BREJINHO/SÃO JOÃO DO SABUGI – 3,5mm

GRANJA RECREIO/CAICÓ – 25mm

Compartilhe aqui:

Agricultor morre após ser atingido por uma descarga elétrica proveniente de um raio no interior do RN

Um agricultor morreu após ser atingido por uma descarga elétrica proveniente de um raio que caiu nas imediações do Sítio Filgueira, zona rural do município de Lagoa Nova-RN. O caso aconteceu na tarde desta terça-feira (9).

O agricultor foi identificado como José Florêncio da Costa. Segundo informações, ele estaria tomando banho quando começaram as descargas de raios na propriedade. Ele foi encontrado inconsciente no banheiro de sua residência.

A vítima foi encaminhada ao hospital de Lagoa Nova, onde foi comprovado o óbito.

Grande Ponto

Compartilhe aqui:

Chuva volta ao município de Jucurutu

Blog Edilson Silva – Após longos dias de estiagem e forte calor, o tempo mudou na cidade de Jucurutu/RN. O fim de tarde e início de noite desta terça-feira, 09 de fevereiro ficou marcado pela forte precipitação que banhou o município e fez alegria dos jucurutuenses.

Apesar de ainda não termos os números das precipitações, relatos de internautas dão conta de que choveu bem em várias localidades.

Compartilhe aqui:

Quadra chuvosa no RN deverá ser normal, diz Emparn

Nos próximos três meses, a previsão de chuvas para o Rio Grande do Norte está dentro do que é considerado regular pela Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (Emparn). Na divulgação dos levantamentos iniciais sobre a previsão de precipitações, o ano de 2021 não deverá ser marcado pela estiagem severa. Entretanto, os estudos serão aprofundados para traçar um cenário mais fiel nos próximos meses.

Para 2021, segundo o chefe da unidade de Meteorologia da Emparn, Gilmar Bristot, disse há divergências entre os modelos analisados anualmente. Nesses métodos, que vão desde padrões nacionais a internacionais, alguns apontam condição de chuvas normais com poucas regiões também apontando precipitações acima do normal. “Não estamos convencidos que em 2021 será um ano de seca”, comentou durante a apresentação dos dados. Em fevereiro, será divulgada uma nova previsão na sede da Emparn.

As atuais, apontaram que entre janeiro e março deste ano, os valores mínimos esperados são de 390,7mm para a região Oeste; 307,6mm na região Central; 234,8mm para a região Agreste e 319,0mm para a região Leste. Gilmar Bristot comentou que o cenário poderá ter uma série de mudanças a depender das condições climáticas e não recomendou, aos produtores do Estado, o plantio de sementes neste momento.

Compartilhe aqui:

Verão inicia com chuva e fenômeno La Niña pode proporcionar chuvas dentro da normalidade

A estação mais quente do ano começou hoje, por volta das 07h05, (21) com chuva na capital potiguar. De acordo com as análises da Unidade Instrumental de Meteorologia da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte-EMPARN, a previsão para estação é dentro da normalidade, devido a influência do fenômeno ‘La Niña’.

“O fenômeno La Niña que acontece com a diminuição na temperatura das águas superficiais do Oceano Pacífico provoca uma maior circulação dos ventos na região Nordeste do Brasil mantendo a regularidade das chuvas para o período”, disse o chefe da unidade, Gilmar Bristot.

Sobre as chuvas, Bristot explica que nos meses de janeiro e fevereiro, quando acontecem as chuvas da pré-estação chuvosa no Rio Grande do Norte, “as chuvas serão ocasionadas pelos sistemas que transitam sobre o Nordeste e são de baixa previsibilidade e podem ou não acontecer. Para o período chuvoso de fevereiro a maio as condições analisadas são propícias para a ocorrência de chuvas acima do normal para o Nordeste como um todo”, comentou.

Para o período de janeiro a março a previsão, por região é:  Oeste do RN com o maior volume com a estimativa de 315 mililitros (mm); as regiões Leste e Central do RN, deverão receber, cada uma, 250 mm; E a região Agreste tem previsão de 188 mm de volume.

Para a capital potiguar, as análises apontam que, as temperaturas máximas esperadas deverão variar entre 28°C e 33°C e as mínimas, entre 24°C a 26°C. No interior, em algumas cidades do Alto Oeste a temperatura máxima poderá chegar a 38ºC e ter uma queda durante a noite, podendo registrar a mínima de 27ºC. Na região serrana a temperatura mínima poderá registrar 23°C.

Compartilhe aqui:

Passou dos 100 mm: Chove forte em em Patos (PB) e vários municípios da região

O Inmet – Instituto Nacional de Meteorologia, acertou no alerta que emitiu nesta segunda-feira, 02 de novembro, avisando da possibilidade de chuva forte para vários municípios do Sertão. Não deu outra, caiu muita chuva de ontem (segunda-feira, 02 de novembro) para hoje (terça-feira – 03).

Como costuma dizer o sertanejo: “Parecia pegada de inverno”, chuva forte e trovoada que ecoavam sobre o Sertão.

Segundo as primeiras informações colhidas pela equipe Patosonline.com, o índice pluviométrico passou dos 100 mm em alguns municípios, foi o caso de Malta e Cacimba de Areia.

Em Patos, segundo informações do engenheiro florestal Rildo Alencar, no bairro Jardim de Espanha, zona oeste da cidade, já choveu 80. Na Praça Edvaldo Motta, no centro de Patos, o pluviômetro instalado pelo empresário Renê Fontes registrou 75 mm.

No Núcleo de Piscicultura do Governo do Estado no açude Jatobá (Bairro Jardim Alto da Tubiba), segundo o agrônomo João Batista, choveu 110mm e em Piancó, 140mm.

Em Santa Terezinha, no Sítio São José, choveu 81mm. Na cidade choveu 57,5mm, de acordo com o pluviômetro da EMPAER, que fica na sede da CAGEPA local.

Compartilhe aqui:

Onda de calor faz Inmet emitir alerta para risco de morte em parte do Brasil

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu alerta de “grande perigo” até a próxima sexta-feira (9). De acordo com o Instituto, há risco de morte por hipertermia em grande parte da região Centro-Oeste e no estado do Tocantins, no Norte do país.

Segundo o Inmet, as temperaturas registrarão 5ºC acima da média na região, por mais de 5 dias consecutivos. O aviso registra alerta para as seguintes áreas: Distrito Federal, Centro Sul Mato-Grossense, Nordeste Mato-Grossense, Norte Mato-Grossense, Sudeste Mato-Grossense, Sudoeste Mato-Grossense, Centro Goiano, Leste Goiano, Sul Goiano, Norte Goiano, Noroeste Goiano, Sudeste Tocantinense, Sul Tocantinense, Oeste Tocantinense.

O alerta foi emitido para que as pessoas tenham cuidados redobrados com a saúde nos próximos dias. Em caso de emergência, o Inmet recomenda que a população contate a Defesa Civil (telefone 199). Algumas recomendações devem ser seguidas no período. Entre elas, evitar a prática de atividades ao ar livre entre 10 horas e 17 horas, usar protetor solar e aumentar a ingestão de líquidos. Crianças e idosos precisam de atenção especial.

Calor no DF

No Distrito Federal há chances de chuva somente a partir do próximo sábado (10). No último domingo (4), foi registrado recorde de temperatura em 2020, de 36,7°C, e segundo o Inmet, há chances de o Distrito Federal atingir novas máximas nesta semana.

São Paulo

A Defesa Civil de São Paulo também emitiu um aviso para as fortes ondas de calor que se aproximam do estado. O Inmet alerta para perigos de incêndios florestais e risco de morte por hipertermia.

As temperaturas na região metropolitana de São Paulo, no litoral norte e algumas cidades do interior, como Sorocaba, Campinas, Itapeva, Franca e Serra da Mantiqueira, poderão variar entre 30° e 39°. Para esta terça (6), a previsão na Grande SP é chegar à máxima de 37°.

Outras cidades do interior, como Ribeirão Preto, Bauru, São José do Rio Preto, Araçatuba, Marília, Presidente Prudente, Araraquara e Barretos, poderão ultrapassar os 40°.

(Com informações de Julyanne Jucá, da CNN, em São Paulo)

Compartilhe aqui:

Jucurutu – Inmet emite dois alertas de baixa umidade para 60 municípios do RN

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu dois alertas de baixa umidade, um amarelo e outro laranja, para 60 municípios do Rio Grande do Norte.

Alerta amarelo foi emitido para 31 cidades e o laranja para 35, mas seis cidades estão nas duas listas. Os avisos começam às 12h desta segunda-feira (5) e duram até as 20h de quarta (7).

As cidades em ambos alertas são: Almino Afonso, Apodi, Itaú, Lucrécia, Severiano Melo e Umarizal.

Moradores de municípios em alerta amarelo devem beber bastante líquido, evitar desgastes físicos nos períodos mais secos e evitar exposição ao sol nas horas mais quentes do dia, de acordo com as orientações do Inmet. A umidade relativa do ar varia entre 30% e 20%. Há baixo risco para a saúde e de incêndios florestais.

Já as cidades com alerta laranja também devem beber bastante líquido, evitar atividades físicas e evitar exposição ao sol nas horas mais quentes do dia, de acordo com as orientações do Inmet. A umidade relativa do ar varia entre 20% e 12%. Há risco de incêndios florestais e as pessoas podem ter ressecamento da pele, desconforto nos olhos, boca e nariz.

Para mais informações, o Inmet disponibiliza o número da Defesa Civil, que pode ser acionada pelo telefone 199, e do Corpo de Bombeiros, no telefone 193.

Cidades do RN sob alerta laranja de baixa umidade:

  1. Alexandria
  2. Almino Afonso
  3. Antônio Martins
  4. Apodi
  5. Coronel João Pessoa
  6. Doutor Severiano
  7. Encanto
  8. Francisco Dantas
  9. Frutuoso Gomes
  10. Itaú
  11. José Da Penha
  12. João Dias
  13. Lucrécia
  14. Luís Gomes
  15. Major Sales
  16. Marcelino Vieira
  17. Martins
  18. Paraná
  19. Pau Dos Ferros
  20. Pilões
  21. Portalegre
  22. Rafael Fernandes
  23. Riacho Da Cruz
  24. Riacho De Santana
  25. Rodolfo Fernandes
  26. Serrinha Dos Pintos
  27. Severiano Melo
  28. São Francisco Do Oeste
  29. São Miguel
  30. Taboleiro Grande
  31. Tenente Ananias
  32. Umarizal
  33. Venha-Ver
  34. Viçosa
  35. Água Nova

Cidades do RN sob alerta amarelo de baixa umidade:

  1. Almino Afonso ok
  2. Apodi ok
  3. Augusto Severo
  4. Baraúna
  5. Caicó
  6. Caraúbas
  7. Felipe Guerra
  8. Governador Dix-Sept Rosado
  9. Ipueira
  10. Itaú ok
  11. Janduís
  12. Jardim De Piranhas
  13. Jardim Do Seridó
  14. Jucurutu
  15. Lucrécia ok
  16. Messias Targino
  17. Mossoró
  18. Olho-D’Água Do Borges
  19. Ouro Branco
  20. Paraú
  21. Patu
  22. Rafael Godeiro
  23. Serra Negra Do Norte
  24. Severiano Melo ok
  25. São Fernando
  26. São José Do Seridó
  27. São João Do Sabugi
  28. Timbaúba Dos Batistas
  29. Triunfo Potiguar
  30. Umarizal ok
  31. Upanema
Compartilhe aqui:

Calor excessivo aumenta risco de infarto e derrame, dizem especialistas

As altas temperaturas exigem atenção redobrada com o coração, principalmente em cidades onde o calor é forte e seco.

Segundo a Climatempo, a maior parte do Brasil deve enfrentar o calor até 9 de outubro, com exceção do próximo final de semana, mais ameno. Em várias cidades do país os termômetros oscilarão entre 37°C e 43°C. Os estados do Sul e Sudeste estão entre os que mais sentirão o clima esquentar.

O aparelho cardiovascular é vulnerável e sensível à maioria das variações de temperatura, principalmente quando as mudanças são bruscas.

Ricardo Pavanello, cardiologista do HCor, aponta que o aumento da temperatura tem ação vasodilatadora, ou seja, o diâmetro das artérias e veias aumenta, fazendo com que a resistência à passagem do sangue diminua.

“De certa forma, isso facilita o trabalho do coração, mas há um limite no qual essa dilatação passa a ser muito intensa e a pressão cai. Quando isso acontece, a tendência é que aumente o número de batimentos. Então, ele tem uma taquicardia reflexa. Isso é indesejável e pode causar sintomas, tanto a taquicardia como a hipotensão”, explica.

Para os hipertensos, o calor é melhor que o frio, porque a ação vasodilatadora os protege parcialmente. Pavanello alerta, porém, que é uma situação de artificialidade: o ideal é que se faça um tratamento adequado e se tenha atenção com as alterações.

“Nesta circunstância, os sintomas se confundem. Uma tontura pode se confundir com alteração de pressão—neste caso, queda. Quem usa medicação vasodilatadora deve checar com frequência a pressão arterial e as condições clínicas para evitar que, na confusão de imaginar que esteja com pressão mais alta quando na verdade é o oposto, se use medicamento adicional, o que será desastroso”, alerta Pavanello.

“Vai ter hipotensão sintomática, queda súbita da pressão arterial, síncope, desmaio. Isso pode acontecer na condução de um veículo, atravessando uma rua e com o idoso, que requer cuidado e atenção por ser muito sensível ao calor”, diz o médico.

Outro problema é o aumento da espessura do sangue. “O engrossamento pode formar coágulos e causar o fechamento das artérias; na região do coração, o fechamento das artérias coronárias ocasionaria infarto e no cérebro, derrame” diz Marcelo Sampaio, cardiologista da BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo.

Sampaio cita estudos que mostram que o calor pode, ainda, aumentar as taxas de colesterol e favorecer a formação de placas de gordura nas artérias. “O colesterol sofre flutuações pelo ano, porque o organismo requer energia, seja para aumentar a temperatura no frio ou esfriá-la quando está muito quente. Essa condição pode afetar o metabolismo mesmo que a pessoa não consuma com frequência alimentos ricos em gordura.”

Segundo a SBC (Sociedade Brasileira de Cardiologia), as doenças cardiovasculares, afecções do coração e da circulação representam a principal causa de mortes no Brasil. São mais de 1.100 mortes por dia.

A atividade física é importante para a saúde do coração, mas o calor traz ressalvas. “Ainda há quem pense que transpirar emagrece e use roupas mais quentes na hora do exercício, o que só leva a perda de líquido e sais minerais”, diz Cléa Colombo, presidente do grupo de cardiologia do esporte do Departamento de Ergometria, Exercício, Cardiologia Nuclear e Reabilitação Cardiovascular da SBC.

A perda de água e sais leva à queda da pressão e pode causar de desmaios a convulsões, derrames e arritmias fatais. A perda de sais pode desencadear confusão mental e culminar em coma cerebral.

OMS (Organização Mundial da Saúde) recomenda evitar exercícios intensos acima dos 30ºC.

“Se for se exercitar, tenha atenção à reposição de líquido e sais minerais; prefira exercícios de intensidade leve a moderada com pausa para hidratação; use roupas leves e bonés ou outras barreiras que diminuem o risco de aumentar a temperatura corporal”, orienta Colombo. “E nunca molhe o corpo, porque a pele úmida dificulta a transpiração. O correto é secá-lo para equilibrar a temperatura.”

FOLHAPRESS

Compartilhe aqui:

Apenas três reservatórios estão com volume abaixo de 10% da capacidade no RN

Em termos gerais, dos 47 reservatórios monitorados pelo Instituto de Gestão das Águas do RN (Igarn), 3 estão com volumes inferiores a 10% das suas capacidades, portanto, considerados dentro do nível de alerta.

São eles: Flechas, localizado em José da Penha, com 8,87%; Esguicho, localizado em Ouro Branco, com 1,84% e Passagem das Traíras, localizado em São José do Seridó, que continua em obras na sua estrutura, com 0,6% do seu volume total. Já os Secos são: Inharé, localizado em Santa Cruz e Trairi, localizado em Tangará.

Compartilhe aqui:

Apenas dois reservatórios potiguares estão com volume acima de 90%

Os reservatórios  do Rio Grande do Norte que permanecem com volumes em torno dos 90% das suas capacidades são:  Apanha Peixe, localizado em Caraúbas, com 94,5% e Mendubim, localizado em Assu, com 91,72% do seu volume total.

Além de Umari, os reservatórios que permanecem com volumes em torno dos 80% das suas capacidades são: Santana, localizado em Rafael Fernandes, com 88,33%; Passagem, localizado em Rodolfo Fernandes, com 84,03%; Riacho da Cruz II, localizado em Riacho da Cruz, com 84,12%; Morcego, localizado em Campo Grande, com 81,73%; Encanto, localizado em Encanto, com 88,31% e Beldroega, localizado em Paraú, com 81,03%.

Os que estão com volumes em torno dos 70% são: Rodeador, localizado em Umarizal, com 76,78%; Santo Antônio de Caraúbas, localizado em Caraúbas, com 77,94%;Pataxó, localizado em Ipanguaçu, com 79,62% e Dourado, localizado em Currais Novos com 77,33% da sua capacidade.

Compartilhe aqui:

Planetários de todo país vão transmitir a chegada da primavera online; veja como

Planetários de todo o país se unirão, nesta terça-feira (22), em uma sessão virtual exclusiva que marcará a chegada da primavera. A transmissão será pelo canal no Youtube da Associação Brasileira de Planetários (ABP) e, após a exibição de vídeo editado especialmente para esta apresentação, astrônomos e especialistas responderão perguntas e explicarão o que acontece com o planeta Terra no chamado equinócio da primavera.

“Quando você vai ao planetário, geralmente você vê [vídeos] sobre o céu da sua cidade. [Nessa sessão], vamos ver o céu do Brasil”, disse o presidente da ABP, José Roberto de Vasconcelos, em entrevista à Agência Brasil.

A sessão começa às 10h, no horário de Brasília. A exibição dura 30 minutos, terminando exatamente no horário que marca o início da primavera, às 10h31. A conversa segue até as 11h. A exibição poderá ser acessada gratuitamente pela internet.

Planetários são espécies de cinema. Ao invés de observarem uma tela plana, os espectadores sentam-se em poltronas reclináveis, possibilitando que observem uma cúpula, onde são projetados conteúdos sobre astronomia e sobre ciência. Os vídeos são produzidos pelos próprios planetários.

“É como se estivesse ao ar livre olhando para o céu. A função do planetário – embora ele possa apresentar vários tipos de conteúdos diferentes nessa tela em formato de domo – a principal finalidade é fazer um simulação do céu”, explicou Vasconcelos.

Com mais de 100 planetários fixos e itinerantes, o Brasil é, de acordo com o presidente da ABP, o país com o maior número deles em todo o Hemisfério Sul.

Na América, fica atrás apenas dos Estados Unidos. Esses espaços, disse Vasconcelos, ajudam as pessoas a despertar o gosto pela ciência: “Vivemos em uma sociedade altamente dependente de ciência e tecnologia, mas que poucos entendem o fazer da ciência, como ela funciona. Então, o planetário tem esse papel importante”.

Para falar sobre o equinócio de primavera, planetários, educação e a importância da ciência, conversamos com Roberto de Vasconcelos.

Leia a seguir os principais trechos da entrevista:

Por que foi escolhida a data 22 de setembro para esta exibição?
A ideia surgiu porque os planetários, assim como os cinemas e outros espaços em que há aglomerações de pessoas, ficaram bastante afetados durante a pandemia, os planetários inclusive ainda permanecem fechados.

Nós, que trabalhamos nesses ambientes, os chamados planetaristas, estávamos com uma saudade enorme de atender as pessoas, de mostrar nosso conteúdo. Nos planetários, a gente produz o nosso próprio conteúdo. São espaços voltados para a educação. Surgiu uma ideia de fazer algo virtual de planetário só para matar a saudade.

Decidimos aproveitar que nesse mês de setembro tem o equinócio de primavera, dia 22, e, por meio da ABP, reunir planetaristas do Brasil todo. Quando você vai ao planetário, geralmente você vê [vídeos] sobre o céu da sua cidade. [Nessa sessão], vamos ver o céu do Brasil. Dependendo da região que você está, você vê uma constelação mais alta, outra mais baixa.

Como será essa sessão?
Vamos tentar emular um pouco do que acontece dentro de um planetário. O planetário é um simulador do céu. Ele lembra uma sala de cinema, mas a projeção, ao invés de ser em uma tela plana, que fica na sua frente, acontece em uma cúpula, em um domo, que fica acima de você.

Quando você vai a um planetário, você senta em uma poltrona reclinável e olha para cima. É como se estivesse ao ar livre olhando para o céu. A função do planetário, embora ele possa apresentar vários tipos de conteúdos diferentes nessa tela em formato de domo, a principal função dele é fazer uma simulação do céu. Então, constelações, planetas, viagens espaciais, essas são as especialidade do planetário.

O que a gente vai fazer nesse dia 22 é uma simulação de planetário que vai acontecer no computador, no celular, no meio que a pessoa quiser assistir. Vamos falar sobre constelações, estações do ano, o que é o equinócio e o que é esse fenômeno que marca o início da primavera. E sobre os céus do Brasil.

O que é o equinócio de primavera, esse fenômeno que vai acontecer às 10h31 do dia 22?
Equinócio é um ponto da órbita do nosso planeta que marca o início de uma estação do ano. No ano, você tem quatro estações, que são mudanças climáticas que acontecem por conta da posição do nosso planeta em relação ao Sol. São quatro pontos de interesse nessa órbita, nessa trajetória que a Terra faz em torno do Sol.

O que a gente chama de ano é uma volta completa da Terra em volta do Sol. E tem quatro pontos de interesse, são dois pontos chamados equinócios e dois solstícios, os do equinócio, marcam o início da primavera e do outono e os solstícios, do verão e do inverno.

Qual é a situação dos planetários no Brasil e de forma eles foram impactados pela pandemia do coronavírus?
O que me incomoda é que a distribuição dos planetários é desigual. Ainda temos muito mais planetários nas regiões Sul e Sudeste que no Norte e Nordeste. Mas, somos uma comunidade numerosa, temos mais de 100 planetários no Brasil, entre unidade fixas e móveis.

Esse número de planetários, mais de 100, faz com que a nossa comunidade planetária seja a segunda das Américas, só perde para os Estados Unidos, e seja a maior de todo o Hemisfério Sul. No Hemisfério Sul não tem uma quantidade de planetários em um único país tão grande quanto no Brasil. Em termos de número, eles estão bem e estavam abertos. Agora estão nessa pausa.

Quem está sofrendo mais são os pequenos, os planetários móveis, porque muitas vezes são da iniciativa privada ou de uma associação. A parte dos planetários públicos, os federais, estaduais e municipais, eles estão em stand by. A grande maioria deles está ativa, no sentido de que, quando terminar essa pandemia, eles retornam, sim.

Esta semana tivemos uma notícia importante, a possível descoberta de vida em Vênus. Como isso foi visto pelos planetaristas?
Se a gente estivesse recebendo o público nesse momento, esse seria um assunto que todo planetarista ia conversar com os visitantes. Já estaria tudo preparado para mostrar a eles, estaríamos com sessão, com programa sobre o planeta Vênus.

O planetário está sempre muito conectado [com a atualidade], em termos de ciência, de astronomia em particular, de ciência em geral, e com a importância que isso tem para a nossa sociedade. Vivemos em uma sociedade que é altamente dependente de ciência e tecnologia, como afirma o astrônomo Carl Sagan.

Estamos conversando por celular, vamos fazer a live no computador, pela internet. A vacina que está sendo desenvolvida contra covid-19 é ciência, tudo isso é ciência. Mas, as pessoas não têm muito contato com a ciência. Vivemos em uma sociedade altamente dependente de ciência e tecnologia, mas que poucas pessoas entendem, compreendem o fazer da ciência, como ela funciona.

Então, o planetário tem esse papel importante de fazer esse gancho, de resgatar, de dizer “olha como a sociedade precisa da ciência”.

CNN Brasil

Compartilhe aqui:

Primavera começa nesta terça-feira com influência da La Niña

A estação primavera 2020 chega, nesta terça-feira (22) às 10h31, no hemisfério sul do planeta. De acordo com as análises da equipe da Unidade Instrumental de Meteorologia da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (EMPARN), o potiguar vai sentir, com o passar dos dias, a elevação da temperatura que deve variar entre 29°C a 31°C, a partir do mês de outubro e possibilidade de ocorrência de chuvas durante as madrugadas na faixa litorânea leste.

As análises apontam a ocorrência de resfriamento das águas superficiais do Oceano Pacífico Tropical, indicando a presença do Fenômeno La Niña. “A estação da primavera neste ano terá a circulação dos ventos mais intensificada, o que poderá manter as temperaturas com valores um pouco abaixo do normal e com mais possibilidades de ocorrência de pancadas de chuvas durante as madrugadas na faixa litorânea leste do RN devido a influência do sistema de brisa”, explicou o chefe da Unidade, Gilmar Bristot.

No início da estação, que segue até 21 de dezembro, as temperaturas não serão muito elevadas pois as condições climáticas não apresentarão mudanças significativas aqui no RN. “Em todas as regiões do estado, a variável que define o clima, a chuva, praticamente estará ausente, uma vez, que esta época do ano é o período de estiagem”, explicou o chefe da Unidade, Gilmar Bristot.

Como é característico da estação, os dias ficarão mais longos do que as noites, as temperaturas vão aumentar e o vento na costa leste do Nordeste tende a diminuir com o enfraquecimento do centro de Alta Pressão do Atlântico Sul.

Bristot alerta que a umidade relativa do ar, que nas regiões do interior apresentarão queda, ficando em média abaixo de 50%. “Em determinados horários do dia, a umidade vai atingir concentrações ainda menores, por exemplo no interior do Estado, no período da tarde, onde a temperatura atinge valores máximos- sendo muito quente e seco durante o dia e a umidade do ar com valores mínimos”, completou.

Compartilhe aqui:

Cidades da Serra Gaúcha já tiveram os primeiros registros de neve em 2020

Em função da potente massa de ar polar que ingressou no Rio Grande do Sul nesta quinta-feira, 20, algumas cidades da Serra Gaúcha já tiveram os primeiros registros de neve durante a tarde De forma tímida, os flocos foram avistados em São Francisco de Paula e Riozinho. Já a incidência de “chuva congelada” foi registrada em mais de quinze cidades como Caxias do Sul, Canela, Gramado e Bento Gonçalves, conforme a MetSul Meteorologia.

O frio intenso derrubou as temperaturas em todo Estado. Nesta quinta, em Porto Alegre, a mínima foi de cinco graus e a máxima não passou dos 12 graus. Ao longo da noite, a possibilidade de nevar em toda região Sul do Brasil ganha força, alerta a meteorologista Estael Sias, da MetSul.

“Nas próximas horas, com a intensificação do frio no Rio Grande do Sul, a neve poderá ser mais intensa e atingir também Santa Catarina e parte do Paraná, na sexta-feira”, indicou. Nas redes sociais, a instituição compartilhou vídeos da neve no RS.

Mesmo classificada com a bandeira laranja (risco médio), no mapa estadual de contágio do novo coronavírus, a região da Serra gaúcha também deve registrar um aumento significativo de turistas neste fim de semana. Apenas na área de Canela, Gramado, São Francisco de Paula e Nova Petrópolis estão concentrados 25 leitos de hotel.

Conforme o presidente do Sindicato da Hotelaria, Restaurantes, Bares, Parques, Museus e Similares da Região das Hortênsias (Sindtur- Serra Gaúcha), Mauro Salles, a previsão é de que este fim de semana seja o segundo maior em ocupação desde início da pandemia.

Compartilhe aqui:

Tornado deixa 16 feridos e mais de 800 desabrigados em Santa Catarina

Um tornado atingiu o estado de Santa Catarina nesta sexta-feira (14) e deixou um rastro de destruição em ao menos seis municípios. Segundo informações preliminares da Defesa Civil, são 16 feridos, 830 desabrigados e 115 desalojados. Chove forte em toda a região.

De acordo com a Defesa Civil, 4.245 unidades habitacionais foram afetadas, além de 65 instalações particulares e outras 40 públicas. Mais de 5% das unidades consumidoras estão sem energia elétrica.

Em Água Doce, 700 imóveis tiveram o telhado atingido com a ventania e outras 25 casas ficaram destruídas. Imagens mostram queda de árvores sobre vias e carros, caminhões tombados e o centro da cidade devastado, com muitos fios expostos, vidros de estabelecimentos quebrados e entulho. Na cidade, 11 pessoas ficaram feridas, sendo duas em estado grave.

Em Catanduvas, 235 casas foram destelhadas e duas ficaram destruídas. Em Ibicaré, duas igrejas e dois pavilhões foram danificados com a passagem do tornado, que atingiu três comunidades do interior.

O município de Tangará foi fortemente atingido e 90% das casas foram danificadas. Em todos os bairros houve destelhamento, inclusive em empresas. Em Vargem Bonita, a mesma destruição foi verificada em cerca de 1.300 casas.

A chuva é forte na região e há previsão de novos temporais ao longo do fim de semana. O oeste do estado é o mais atingido. Em Santa Rosa de Lima, em cinco horas, choveu 71 milímetros. Em Petrolândia, foram outros 66 milímetros entre 21h de sexta (14) e 2h deste sábado (15).

A Defesa Civil está recebendo itens de doação para ajuda humanitária aos desabrigados.

Compartilhe aqui:

Chove em mais de 30 cidades cearenses nas últimas 24 horas; média mensal já foi superada em 122%

Como previsto para o período da pós-estação chuvosa, iniciado em junho no Ceará, as precipitações ao longo de julho têm sido espassas, com alternância entre longos dias de pouca ou completa ausência de chuva e outros com boas pluviometrias, como acontecera entre as 7 horas de sexta-feira (10) e 7 hora deste sábado (11).

Conforme dados da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), neste intervalo, choveu em 33 das 184 cidades cearenses. As precipitções ficaram concentradas nas regiões Jaguaribana, Sertão Central e Inhamuns.

Compartilhe aqui: