08/12/2019
Por Edilson Silva em Patos, Tempo

Noite de chuva em Patos e outros municípios da região

Na noite de ontem (sábado, 07/12) voltou a chover na cidade de Patos. Na Praça Edvaldo Motta, no centro de Patos, o pluviômetro instalado pelo empresário Renê Fontes registrou 15 mm. No Jardim de Espanha, zona oeste da cidade, o pluviômetro do engenheiro florestal Rildo Alencar, registrou 15 mm. No bairro do Salgadinho o pluviômetro instalado pela Folha Patoense registrou 25 mm.

Foram registradas chuvas em vários municípios da região, entre eles Teixeira, Cacimba de Areia, Passagem, Currais Novos-RN, Carnaúba dos Dantas-RN e outros.


27/11/2019
Por Edilson Silva em Paraíba, Tempo

Volta a cair boas chuvas no Vale do Piancó na Paraíba

Na noite desta terça-feira. 26, voltou a chover no Sertão da Paraíba, com destaque para os municípios do Vale do Piancó. É o segundo dia consecutivo de chuva na região.

Veja os índices abaixo divulgados pela Agência Executiva de Gestão das Águas da Paraíba (AESA).

Diamante: 35,0 mm

Ibiara: 35,0 18,4 mm

São José de Caiana: 30,4 mmI

Serra Grande: 29,5 mm

Boa Ventura: 26,0 mm

Pedra Branca: 19,3 mm

Igaracy: 18,2 mm

Bonito de Santa Fé: 18,0 mm

Curral Velho: 17,0 mm

Santana dos Garrotes: 16,1 mm


26/11/2019
Por Edilson Silva em Paraíba, Tempo

Índices oficiais das chuvas em dezenas de municípios da região

A Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba (AESA), a Empresa Paraibana de Pesquisa, Extensão Rural e Regularização Fundiária (EMPAER) – na pessoa do técnico Marconi Palmeira Filho – e demais colaboradores – como o assessor de comunicação da Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (CAGEPA), Juracy Barbalho – divulgaram os índices oficiais das chuvas caídas nas últimas 24 horas em mais de vinte municípios do Sertão Paraibano:

  • Patos

Bairro Liberdade: 3,0 mm;

EMBRAPA: 1,4 mm;

Jardim de Espanha: 7,0 mm (informação do engenheiro florestal Rildo Alencar);

Palmeirão: 3,0 mm;

Praça Edivaldo Motta: 6,0 mm (informação do empresário Renê Fontes).

  • Água Branca: 18,0 mm;
  • Boa Ventura: 22,0 m;
  • Conceição: 39,8 mm;
  • Curral Velho: 70,0 mm;
  • Diamante: 32,0 mm;
  • Emas: 6,1 mm;
  • Ibiara: 76,0 mm;
  • Igaracy: 4,6 mm;
  • Imaculada: 41,5 mm;
  • Mãe d’Água: 55,0 mm;
  • Manaíra: 36,2 mm;
  • Matureia (região do Pico do Jabre): 30,0 mm
  • Monteiro (EMBRAPA): 4,6 mm;
  • Ouro Velho: 6,5 mm;
  • Pedra Branca: 14,9 mm;
  • Prata: 2,6 mm;
  • Princesa Isabel: 59,5 mm;
  • Santa Inês: 37,0 mm;
  • Santa Teresinha: 1,5 mm;

Assentamento Dom Expedito: 20,0 mm;

Sítio Cipó: 20,0 mm.

  • Santana de Mangueira: 62,0 mm;
  • Santana dos Garrotes: 5,0 mm;
  • São José do Bonfim: 3,0 mm;
  • São Mamede: 28,9 mm;
  • Serra Grande: 2,2 mm;
  • Tavares: 69,0 mm.


26/11/2019
Por Edilson Silva em Paraíba, Tempo

Chove a noite toda e amanhece chovendo forte em Conceição

Choveu a noite toda desta segunda-feira, 25, na cidade de Conceição, no Vale do Piancó, e amanheceu chovendo forte neste terça-feira, 26, para a a alegria da população.

Depois de dias de intenso calor. choveu em diversos municípios da região, inclusive em Patos.

Além de Conceição, choveu bem em outros municípios da região, como Princesa Isabel e São Mamede.

Foto: Claudia Alcantra


26/11/2019
Por Edilson Silva em Paraíba, Tempo

Chuva na noite de ontem no sertão paraibano com muitos trovões e relâmpago

Na noite de ontem (segunda, 25) voltou a chover na cidade de Patos. Na Praça Edvaldo Motta, no centro de Patos, o pluviômetro instalado pelo empresário Renê Fontes registrou 6 mm. No Jardim de Espanha, zona oeste da cidade, o pluviômetro do engenheiro florestal Rildo Alencar, registrou 7 mm.

Em São Mamede, cidade da região de Patos, choveu 32 mm, segundo informações dos nossos colaboradores.

Recebemos informações de chuvas também em Conceição (choveu a noite toda), Princesa Isabel, Juru, Teixeira, Matureia, São José do Bonfim, Juru, Monteiro e outras cidades da região.

Nesta terça-feira, 26, a cidade amanheceu nublada e com o tempo bastante agradável.


19/11/2019
Por Edilson Silva em Tempo

Após dias de estiagem, chove na região do Cariri

Após 14 dias, voltou a chover no Cariri, entre 7h de ontem e às 7h desta terça-feira (19). O maior registro — o segundo em todo o Estado — aconteceu no município de Jardim, no posto pluviométrico da Serra Brejinho, que alcançou 8,5 milímetros. Com menor intensidade, também houve precipitações em Lavras da Mangabeira (3,3 mm) e no distrito Dom Leme, em Santana do Cariri (1,2 mm).

Os dados da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) mostrou que a maior chuva que caiu no Ceará nas últimas 24 horas ocorreu no município de Tianguá, na Serra da Ibiapaba, que registrou 42 milímetros.

As chuvas acontecem no mês mais quente do ano no Sul do Estado, antecedendo o período de pré-estação chuvosa, que começa a partir de dezembro. Diferente do restante do Ceará, onde a quadra invernosa acontece de fevereiro a maio, na região do Cariri o período com maior intensidade de precipitações é de janeiro a abril.

“Na medida que vai aproximando o fim do ano, as chuvas tendem a cair mais”, explicou o supervisor da Unidade de Tempo e Clima da Funceme, Raul Fritz.

Previsão

Segundo a Funceme, a previsão para esta terça-feira (19) é de nebulosidade variável com possibilidade de chuva na faixa litorânea, Ibiapaba, no Cariri e Sertão dos Inhamuns. Já nos próximos dois dias, segue com nebulosidade variável em todas as regiões.

Diário do Nordeste


24/09/2019
Por Edilson Silva em RN, Tempo

Semana inicia com alerta de ventos fortes para o litoral do RN

A Marinha do Brasil emitiu um alerta de ventos fortes para o litoral do Rio Grande do Norte. Segundo o aviso, as rajadas podem chegar até 61 km/h no trecho entre a costa potiguar e o Maranhão desta segunda-feira (23) até a quarta-feira (25).

Recomenda-se que as embarcações de pequeno porte “evitem a navegação” e que as demais embarcações redobrem a atenção quanto ao material de salvatagem, estado geral dos motores, casco, bomba de esgoto do porão, equipamentos de rádio e demais itens de segurança.


20/09/2019
Por Edilson Silva em RN, Tempo

Previsão de chuva para o RN no fim de semana

A Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte(Emparn) destaca previsão de baixas pancadas de chuvas em Natal  e região neste fim de semana. No período entre esta sexta-feira(20) ao domingo(22), a predominância será de céu parcialmente nublado a claro.


18/09/2019
Por Edilson Silva em Nordeste, Tempo

Meteorologia não descarta La Niña em 2020; chuvas chegam em novembro no Piauí

Um boletim meteorológico divulgado pela Somar Meteorologia não descarta a possibilidade de uma “La Niña” influenciar o clima no Brasil logo no início de 2020. Na prática, uma La Niña beneficiaria o Nordeste brasileiro, sobretudo, o norte e centro-norte da região com destaque para o Maranhão, o Piauí e o Ceará.

O último registro de La Ninã no Brasil aconteceu no ano de 2008 quando grandes volumes de chuva atingiram todo a porção Norte do Piauí com acumulados expressivos, em especial na região de Campo Maior. Em abril daquele ano, as águas do Rio Longá chegaram a passar por cima da BR-343, deixando desalojadas inúmeras famílias numa das maiores cheias de que se tem notícia na história da cidade.

No entanto, é bom destacar que é apenas uma possibilidade e que a tendência, pelo menos até o fim do ano, é que a próxima estação seja influenciada por um cenário de normalidade, portanto temperaturas e chuvas dentro da média. A primavera inicia no próximo dia 23 de setembro e é conhecida por ser o ápice do br-o-bró, com temperaturas na casa dos 40° e a novidade para este ano é que teremos ainda a continuidade de tempo seco, mesmo a baixa umidade relativa do ar sendo característica do inverno, que está terminando.

A previsão é a de retorno da chuva de forma mais generalizada para o fim do mês de novembro. No entanto, essa chuva começa pela porção Sul do Piauí, na região produtora (Matopiba). Para a porção Norte (Teresina, Campo Maior, Piripiri) essa chuva deve chegar apenas em dezembro. Porém, é importante destacar também que entre outubro e novembro não estão descartadas pancadas de chuva no Piauí, apesar de isoladas e extremamente pontuais.

Mesmo com El Niño de fraca intensidade, a região de Campo Maior foi beneficiada com grandes volumes de chuva em 2019. Até agora, desde o início do ano, já choveu cerca de 1365 mm, ou seja, mais que a média de chuva esperada para todo o ano. Esse volume poderá se aproximar dos 1500 mm, caso as previsões se confirmem.

portaldeolho


25/08/2019
Por Edilson Silva em RN, Tempo

Marinha alerta para ventos fortes de até 60 km/h no litoral do RN

A Marinha do Brasil emitiu um alerta de ventos fortes que podem chegar até 60 km/h no litoral do Rio Grande do Norte. O comunicado vale a partir deste sábado (24) até às 21h da segunda-feira (26).

O alerta é para todo o litoral do Rio Grande do Norte até o litoral do Maranhão.

Por conta do mau tempo, a Capitania dos Portos do RN recomenda que embarcações de pequeno porte evitem navegar neste período e que as outras embarcações redobrem a atenção de salvatagem, estado geral dos motores, casco, bomba de esgoto do porão, equipamentos de rádio e demais itens de segurança.

Centro de Hidrografia da Marinha (CHM) mantém todos as informações sobre alertas de ressaca e mau tempo em vigor atualizadas em seu site. Por G1 RN


16/08/2019
Por Edilson Silva em RN, Tempo

Emparn registra chuvas abaixo da média

A Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (Emparn) registrou a redução de chuvas no estado em geral, tanto no interior, quanto na faixa leste, ficando abaixo da média esperada para o mês de julho em 17,9%.

“Quando se analisa os índices pluviométricos observados em julho de 2019, observou-se que em praticamente todas as regiões do RN os desvios foram negativos ou próximo disso, isto é, choveu menos do que o normal. Os maiores desvios negativos ocorreram nas Mesorregiões Oeste e Leste, e no Estado como um todo o desvio ficou em -17,9 % abaixo do normal”, explicou o Chefe da Unidade Instrumental de Meteorologia da Emparn, Gilmar Bristot.

O meteorologista explicou que a principal causa foi a posição do centro de alta pressão do Atlântico Sul, que além de mais fraco do que o normal, esteve muito próximo do continente sul-americano, produzindo na costa leste do Nordeste, ventos fracos e soprando das direções sul/sudeste. “Essa configuração favoreceu a ocorrência de chuvas somente nos estados da Bahia, Sergipe e Alagoas”, disse.


06/08/2019
Por Edilson Silva em RN, Tempo

Marinha do Brasil adverte que pequenas embarcações evitem sair ao mar no litoral potiguar até quinta-feira

A Marinha do Brasil, por meio da Capitania dos Portos do Rio Grande do Norte, participa da possibilidade de ocorrer MAR GROSSO com RESSACA e VENTOS FORTES de sudeste aleste, velocidade de até 61Km/h, ondas de até 3,5 metros, em todo o litoral da Bahia até o Maranhão.

A previsão meteorológica poderá acontecer entre 5 a 8 de agosto, segundo o aviso de mau tempo divulgado pelo Centro de Hidrografia da Marinha.

Alerta-se aos navegantes que consultem essas informações antes de se fazerem ao e recomenda-se que as embarcações de pequeno porte “evitem a navegação” e que as demais embarcações redobrem a atenção quanto ao material de salvatagem, estado geral dos motores, casco, bomba de esgoto do porão, equipamentos de rádio e demais itens de segurança.

Recomenda-se que as embarcações de pequeno porte “evitem a navegação” e que as demais embarcações redobrem a atenção quanto ao material de salvatagem, estado geral dos motores, casco, bomba de esgoto do porão, equipamentos de rádio e demais itens de segurança.


06/08/2019
Por Edilson Silva em Natal, Tempo

Terça-feira começa com chuva em Natal

Chove em Natal desde o início da madrugada desta terça-feira (6). A previsão do site Climatempo indica que o tempo deve continuar chuvoso na capital potiguar no período da manhã.

No entanto, a precipitação deve diminuir a partir do período da tarde. “Sol, com chuva de manhã e diminuição de nuvens à tarde. Noite com pouca nebulosidade”, diz a previsão.


06/08/2019
Por Edilson Silva em Natal, Tempo

Chuvas no fim de semana, embora em baixo volume, foram concentradas no Leste potiguar

A Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (Emparn) registrou baixas pancadas de chuvas no estado no período que compreende a sexta-feira(02) até o inicio da manhã desta segunda-feira(05).

Conforme registro da Emparn, os maiores volumes de chuvas foram registrados nos municípios de Parnamirim e Ceará-Mirim, com mais de 11 milímetros. Na capital potiguar, que teve predominância de ventos fortes e tempo nublado, apenas 5,2 milímetros foram registrados.

CENTRAL POTIGUAR

São Bento Do Norte(Prefeitura) 6,0
São Vicente(Emater(ex-particular)) 3,1
São José Do Seridó(Associacao Usuarios Agua) 2,0
Caiçara Do Rio Dos Ventos(Particular) 1,2
Angicos(Prefeitura) 0,5

AGRESTE POTIGUAR

Monte Das Gameleiras(Emater) 7,0
Monte Alegre(Emater) 5,0
São Bento Do Trairi(Prefeitura) 4,0
Tangara(Emater) 3,8
Serrinha(Emater) 3,5
Bento Fernandes(Sec Agricultura) 2,0
Bento Fernandes(Riacho Dos Paus-part.) 2,0
João Câmara(Centro Saude) 1,5
Boa Saúde(Emater) 0,5

LESTE POTIGUAR

Parnamirim(Base Fisica Da Emparn) 11,7
Ceara Mirim 11,0
Extremoz(Emater) 9,7
Baia Formosa(Destilaria Vale Verde) 9,0
São Gonçalo Do Amarante(Base Fisica Da Emparn) 8,3
Ceará-Mirim (Prefeitura) 8,0
Espirito Santo(Prefeitura) 6,5
Canguaretama(Emater/barra De Cunhau) 6,3
Natal 5,2
Montanhas(Prefeitura) 3,8


24/07/2019
Por Edilson Silva em Recife, Tempo

Sobe para treze número de mortos após deslizamentos em Recife

Subiu para treze o número de mortos em deslizamentos após fortes chuvas atingirem a região metropolitana do Recife, no Pernambuco, entre a noite de terça-feira (23) e a madrugada desta quarta (24).

O acumulado de chuvas de mais de 241 mm nos últimos cinco dias na região equivale a 20 dias da média histórica do período, o que corresponde a 357 mm, informou o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia). Além disso, uma forte chuva atingiu a área na madrugada desta quarta, chegando a 102 mm em apenas seis horas.


22/07/2019
Por Edilson Silva em RN, Tempo

Litoral do RN tem alerta de chuva forte até quarta-feira (24)

O litoral Leste do Rio Grande do Norte tem alerta de chuva forte e volumosa até a quarta-feira (24). O aviso foi divulgado pelo site Climatempo. De acordo com a publicação, “áreas de instabilidade associadas aos ventos úmidos marítimos persistentes influenciam praticamente toda a costa leste do Nordeste. Essas nuvens carregadas provocam pancadas de chuva de moderada a fortes intensidade e com grandes volumosas acumulados”.

O aviso do Climatempo ainda destaca que áreas de Natal, João Pessoa, Recife e Maceió podem sofrer com alagamentos causados pelas precipitações até a próxima quarta. Além do alerta de chuva, o litoral potiguar está sob risco de ondas de até 4 metros e ventos fortes, segundo alerta emitido pela Marinha do Brasil, na última sexta-feira (19).


10/07/2019
Por Edilson Silva em Natal, Tempo

Quarta-feira deve ter ‘chuva a qualquer hora’ em Natal

“Sol com muitas nuvens durante o dia. Períodos de nublado, com chuva a qualquer hora”. É o que indica a previsão do site Climatempo para esta quarta-feira (10), em Natal.

A chuva cai na capital desde o final da noite de terça-feira (9) e seguiu por toda a madrugada. Apesar de se manter constante, a precipitação ainda não teve pontos de alagamentos registrados na cidade. A temperatura máxima será de 28ºC.

Já na quinta-feira (11), a previsão do tempo indica chuva pela manhã e diminuição de nuvens à tarde e à noite. A temperatura máxima será de 30ºC e a mínima de 23ºC.

Na sexta (12), as pancadas de chuva devem se concentrar à tarde e à noite. A manhã deverá ser de sol com aumento de nuvens. A máxima será de 30ªC e a mínima de 23ºC, como no dia anterior.

Portal No Ar


26/06/2019
Por Edilson Silva em Tempo

Quarta-feira começa com chuva, mas dia deve ser de sol em Natal

A quarta-feira, 26 de junho, começou com chuva em Natal. No entanto, a previsão do tempo indica que o sol deve predominar ao longo do dia, segundo o site Climatempo.

Com máxima prevista para 30ºC, o dia na capital deve ter sol com aumento de nuvens pela manhã e possibilidade de chuvas rápidas à tarde e à noite.

Durante a madrugada choveu em alguns pontos da cidade, o que deixou a pista molhada. A recomendação é para que o motorista redobre a atenção mesmo com o sol aparecendo.


23/06/2019
Por Edilson Silva em Astronomia, Tempo

Meteoro visto no Nordeste se deslocou a 72 mil km/h sobre o RN

O meteoro visto esta semana em cidades de Pernambuco, da Paraíba e do Ceará, surgiu e desapareceu sobre o Rio Grande do Norte. A revelação foi feita após o cruzamento de imagens de câmeras de monitoramento que registraram a passagem do fragmento de rocha espacial.

As informações são da Rede Brasileira de Observação de Meteoros (Bramon). Um dos registros foi feito na estação da rede em João Pessoa (PB). Outras quatro câmeras do portal Clima Vivo, de informações meteorológicas, também registraram o meteoro em Araripina, Cabrobó e Ouricuri (todas PE); e em Juazeiro do Norte (CE).

A partir dessas imagens, feitas dia 19 de junho, os especialistas da Bramon conseguiram calcular a rota do meteoro: ele apareceu a 91,2 quilômetros de altura próximo à cidade de Cerro Corá; e se deslocou até sumir a cerca de 39,6 quilômetros de altitude sobre a cidade de Cruzeta.

Esse trajeto foi feito em cerca de 4 segundos numa velocidade estimada de 72 mil km/h (20 km/s). Também de acordo com a Bramon, o fenômeno foi causado “por um fragmento de rocha espacial de cerca de 1,5 Kg que atingiu a atmosfera em altíssima velocidade”.

Em geral, a resistência atmosférica e o calor gerado na entrada desintegram completamente essas rochas. Mas há casos nos quais o fragmento resiste a isso e consegue atingir o solo. No caso desse meteoro sobre o RN, tudo indica que ele foi totalmente consumido.

Segundo o site da Bramon, a Terra atravessa atualmente uma região do espaço cheia de fragmentos rochosos, restos de um cometa que se partiu há cerca de 20 mil anos. Por este motivo, o monitoramento de meteoros foi intensificado.

De acordo com a Rede, “existe uma suspeita que um desses fragmentos atingiu a Terra no dia 30 de junho de 1908 na região de Tunguska, na Sibéria”. Esse evento foi tão violento que devastou completamente uma área mais de 2.000 Km² de floresta.

Motivado por este acontecimento foi criado o movimento global “Asteroid Day” (Dia do Asteróide), que ocorre anualmente exatamente no dia do evento de Tunguska, 30 de junho. Um dos idealizadores disso foi o ex-guitarrista da banda Queen, Brian May, que é astrofísico.

A ideia é que no dia do evento, várias ações ao redor do mundo são promovidas para alertar sobre o risco de um impacto do tipo à Terra. E também são discutidas ações que podem ser promovidas para evitar os danos de um desastre do tipo. A Bramon é uma organização aberta e colaborativa, mantida por voluntários e colaboradores e sem fins lucrativos


18/06/2019
Por Edilson Silva em Tempo

Chuvas do RN ficaram acima da média no período de janeiro a maio de 2019

As chuvas registradas no período de janeiro a maio de 2019, no semiárido potiguar, de acordo com a análise pluviométrica do Rio Grande do Norte, elaborada pela Gerência de Meteorologia da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (EMPARN) ficaram acima da média, em 12,1%, em relação aos últimos sete anos.

“A chuva esperada para o período era de 587mm, enquanto que a registrada foi de 658 mm. A média climatológica utilizada neste estudo, refere-se aos postos pluviométricos com mais de 30 anos de dados no período de 1963 a 2007”, salienta o meteorologista, Gilmar Bristot.

As análises apontam que as chuvas ocorridas neste período no Estado, foram ocasionas pela atuação de vários sistemas meteorológicos, sendo os principais os Vórtices Ciclônicos de Ar Superior (VACS) e a Zona de Convergência Intertropical (ZCIT). As condições térmico/dinâmicas das águas superficiais do Oceano Atlântico, mais aquecidas na parte Sul e mais frias do que o normal na bacia Norte também foram fatores que influenciaram diretamente na ocorrência delas.

A intensificação do Fenômeno El Niño (Oceano Pacífico) durante o final de março e início de abril, é apontada pela análise como a causa bloqueios atmosféricos parciais sobre a Região Nordeste prejudicando a ocorrência de chuvas com mais intensidade, regularidade e distribuição durante o mês de abril. “A influência do Fenômeno El Niño comprometeu a ocorrência de chuvas principalmente na Região do Alto Oeste, algumas áreas da Região Central e a Região da Borborema. Mesmo com predominância de chuvas acumuladas entre 400 a 800 mm e índices acima de 1000mm (Martins), observou-se desvios negativos na maior parte do Alto Oeste. Isso comprometeu a recarga hídrica do principal reservatório de água que abastece algumas cidades na Microrregião de Pau dos Ferros”, destaca Britot.

Diz ainda Gilmar Bristot que “outra região que neste período não apresentou um bom comportamento pluviométrico foi a Microrregião da Borborema Potiguar, que tem sofrido com pouca chuva nos últimos anos e que mesmo com chuvas próximo da normalidade, ainda não recuperou a reserva hídrica dos reservatórios que está próximo de zero. Chama-se a atenção para essas regiões, pois no ano de 2018, apresentaram déficit de chuvas o que comprometeu as recargas nos mananciais hídricos das regiões, mantendo-se atualmente essa condição”. Mesmo com a adversidade do Fenômeno El Niño, quando se analisa a distribuição espacial das chuvas, observa uma predominância de índices acumulados acima de 600mm, com exceção de algumas regiões (Alto Oeste, Borborema e alguns município do Potengi), satisfazendo a necessidade hídrica para um bom desenvolvimento da agricultura de sequeiro. No geral, quando analisa o estado, como um todo, as chuvas ficaram 12,1% acima do esperado, valor esse que confirma a previsão divulgada em fevereiro pelos Núcleos de Meteorologia do Nordeste que o período chuvoso seria com chuvas próximo da normalidade. Mesorregião Chuva Observada em 2019 até maio (mm).”

Concluindo a análise, o meteorologista reforça “que a distribuição espacial da chuva acumulada nesse período destaca a predominância de chuvas acima de 600mm. Somente em algumas áreas do Agreste e Alto Oeste, apresentaram chuvas acumuladas abaixo de 400mm. No mapa dos desvios percentual é possível observar a predominância de desvios percentuais positivos em grande parte das regiões de Mossoró, Vale do Assú, Serra de Santana, Agreste Potiguar e Grande Natal. Predominância de desvios percentuais negativos na Região do Alto Oeste, algumas áreas do Seridó e municípios da Região do Potengi e Litoral Sul”.




Facebook


Twitter