Seridó

Artesãos do Seridó já podem se inscrever para primeira exposição da Casa do Artesão; veja como

 

Artesãos da região do Seridó já podem se inscrever para participar da primeira exposição da Casa do Artesão do Seridó Raimunda Cícera da Conceição (CARTS), inaugurada em Caicó. As inscrições para seleção se estendem até dia 14 de maio e podem ser feitas de forma presencial e por e-mail. Ao todo, dez vagas estão disponíveis e de acordo com o edital são direcionadas a associações, cooperativas e demais entidades representativas dos artesãos que pertencem ao território do Seridó. O evento acontece de 13 de junho a 13 de agosto de 2022.

 

Neste Chamamento Público, de número 001/2022, a Secretaria de Estado do Trabalho, da Habitação e da Assistência Social (Sethas) adota ação afirmativa para entidades do artesanato que pertençam a povos tradicionais- indígenas e/ou quilombolas.

 

Para os povos tradicionais, no ato da inscrição, a associação, cooperativa ou artesão individual deverá apresentar declaração do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) para comunidades quilombolas, Fundação Nacional do Índio (Funai) para indígenas, ou Coordenação Estadual de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (COEPPIR), confirmando que a parte interessada se autodeclarou junto ao órgão como membro de respectiva população tradicional. Os candidatos assim identificados serão contemplados com bônus de pontuação no valor de 5 (cinco) pontos.

 

Portal da Tropical

 

Compartilhe aqui:

Geoparque Seridó vai receber ações de estímulo ao turismo

 

Uma série de ações para estimular a atividade turística sustentável no interior do geoparque vai acontecer com aporte do Sebrae. Propor ações de fomento ao turismo, com foco nos negócios, a serem implementadas de forma colaborativa com populações locais, empresas e entidades envolvidas na governança desse patrimônio natural do Estado.

 

O projeto está estruturado em três etapas, sendo a primeira a de Aproximação, na qual está prevista a parte de sensibilização e adesão dos perfis de negócios a serem acompanhados pelo projeto, com foco nas necessidades dos segmentos. Passada essa fase, começa a etapa de aceleração, quando haverá capacitação e qualificação continuada do público-alvo de acordo com as necessidades identificadas. A terceira e última etapa é a de certificação. Nessa fase final, o projeto fará uma Integração com instituições de ensino superior e apresentará as oportunidades de mercado derivadas do Geoparque Seridó.

 

Denominação

 

Os geoparques são áreas geográficas únicas e unificadas, onde os locais e paisagens de significado geológico internacional são gerenciados com um conceito holístico de proteção, educação e desenvolvimento sustentável. A estratégia de desenvolvimento sustentável aliada a uma gestão de qualidade passa por três componentes principais em um geoparque: geoconservação, geoeducação e geoturismo.

 

E esses três pilares objetivam proteger o patrimônio geológico para as futuras gerações; promover o estudo das geociências junto às escolas, universidade e centro de visitação; e estimular a criação de atividades econômicas tendo como base a geodiversidade e o patrimônio geológico do território, em cooperação com a comunidade local.

 

O território do Geoparque Seridó se situa no semiárido nordestino, região centro-sul do Estado do Rio Grande do Norte, envolvendo totalmente os territórios dos municípios de Acari, Carnaúba dos Dantas, Cerro Corá, Currais Novos, Lagoa Nova e Parelhas. Estes municípios fazem parte da mesorregião Central Potiguar e englobam partes das microrregiões Serra de Santana e Seridó Oriental.

 

Tribuna do Norte

 

Compartilhe aqui:

IFRN desenvolve projeto para queijo do Seridó ganhar reconhecimento nacional

 

O projeto de pesquisa Queijo de manteiga tradicional do Seridó – RN, desenvolvido no campus do IFRN de Currais Novos, foi selecionado no Edital 63 da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (SETEC) do Ministério da Educação (MEC). O edital visa à promoção das indicações geográficas no Brasil. Uma indicação geográfica é um nome que identifica um produto ou serviço como originário de uma área geográfica delimitada, quando determinada qualidade, reputação ou outra característica é essencialmente atribuída a essa origem geográfica.

 

Selecionado em primeiro lugar no eixo voltado à estruturação de indicação geográfica, o projeto será desenvolvido através de atividades de pesquisa, inovação e extensão junto aos produtores da famosa iguaria seridoense em parceria com a Agência do Desenvolvimento Sustentável do Seridó (ADESE).

 

Coordenada pela Prof.ª Dr.ª Ítala Mesquita, a equipe conta com a participação do Téc. Ramon Araújo, do Prof. Dr. Saint Clair Lira e das estudantes Júlia Dantas, do curso técnico em Alimentos, Ianne Macedo e Érica de Souza, ambas do curso em tecnologia em Alimentos, além de colaboradores da UFRN, da EMATER/RN e do SEBRAE/RN.

 

Compartilhe aqui:

Recursos hídricos como potencializador do turismo no Geoparque Seridó

 

Altas temperaturas, seca e solos cobertos pela vegetação da Caatinga são os atributos da região semiárida do Nordeste brasileiro que surgem primeiramente no imaginário popular. No entanto, além desse cenário instigador e ainda pouco aproveitado, existe uma paisagem composta por maciços de rochas cristalinas, planícies fluviais, vales e planícies de inundações com extensas áreas de sedimentos aluvionares, que, na ausência das águas, o que ocorre na maior parte dos anos, oferece um cenário atraente e desafiador. No período chuvoso, por sua vez, essa paisagem se transforma e passa a convidar, agora com água, para outras experiências neste tempo limitado.

 

É nessa perspectiva que o projeto de extensão intitulado Os Recursos Hídricos no Desenvolvimento do Geoturismo no Geoparque Seridó, coordenado pela professora da Escola de Ciências e Tecnologia (ECT/UFRN) Vera Lúcia Lopes de Castro, contribuiu para o fortalecimento das ações no Geoparque Seridó. Por meio do compartilhamento do conhecimento sobre os aspectos da paisagem, seja na ausência ou na presença das águas fotogênicas, o projeto estimula a população e as instituições envolvidas a enxergar os elementos hidrológicos como parte da geodiversidade e, consequentemente, como atrativo no campo do geoturismo.

 

Segundo Vera, a ideia do projeto surgiu da necessidade de caracterizar o potencial dos elementos hidrológicos em agregar valor ao geoturismo, possibilitando um incremento para o desenvolvimento socioeconômico e ambiental do Geoparque Seridó. A ação tem um público-alvo que compreende a comunidade acadêmica da UFRN, envolvendo docentes da ECT e dos Centros de Ciências Exatas (CCET) – Departamento de Geologia, Centro de Tecnologia (CT) – Engenharia Ambiental; e Faculdade de Engenharia, Letras e Ciências Sociais do Seridó (Felcs/UFRN). Os alunos envolvidos são da ECT e da Felcs. Além disso, destaca-se a participação das comunidades da região e de instituições governamentais e não governamentais municipais e estaduais.

 

Na primeira fase do projeto, serão levantados dados e informações junto aos órgãos governamentais, que posteriormente serão sistematizados em um banco de dados. Este, por sua vez, estará associado a uma ferramenta de geoprocessamento para integrar e referenciar os geossítios às suas respectivas sub-bacias hidrográficas, que serão acompanhados dos elementos e valores hidrológicos que interagem com a geodiversidade e com o geopatrimônio, respectivamente. Serão produzidos, portanto, mapas e roteiros com registros fotográficos georreferenciados, considerando os cenários dos períodos chuvosos e secos.

 

Em um segundo momento, serão realizadas visitas técnicas ao Geoparque Seridó, nas quais serão identificadas as relações entre recursos hídricos e o geoturismo. Na sequência das atividades, algumas comunidades e escolas serão identificadas e selecionadas para a realização das oficinas, que terão como objetivo a socialização das ações do projeto, assim como a discussão dos conhecimentos alcançados. Durante as oficinas, também serão levantadas sugestões para possíveis complementações das informações e dados que farão parte dos mapas e roteiros. A última fase do projeto compreenderá a elaboração de material educativo.

 

Localizado em uma das áreas mais áridas do mundo, cujas temperaturas podem chegar a 40 graus, é no Geoparque que nasce o rio mais importante do Rio Grande do Norte do ponto de vista histórico, o Rio Potengi, inicialmente chamado de Rio Grande, que originou o nome do estado. Em outro projeto de extensão da UFRN, coordenado pelo professor Marcos Nascimento, notou-se que o patrimônio do Geoparque é composto por formações rochosas com dois bilhões de anos e paisagens com relevos de mais de 20 milhões de anos.

 

O Geoparque Seridó ocupa uma área de 2.800 quilômetros quadrados e abrange os municípios de Cerro Corá, Lagoa Nova, Currais Novos, Acari, Carnaúba dos Dantas e Parelhas. Na área, estão localizados 21 geossítios, sendo eles: Serra Verde, Cruzeiro de Cerro Corá, Nascente do Rio Potengi, Vale Vulcânico, Mirante de Santa Rita, Tanque dos Poscianos, Lagoa do Santo, Pico do Totoró, Mina Brejuí, Cânions dos Apertados, Açude Gargalheiras, Poço do Arroz, Cruzeiro de Acari, Morro do Cruzeiro, Marmitas do Rio Carnaúba, Serra da Rajada, Monte do Galo, Xiquexique, Cachoeira dos Fundões, Açude Boqueirão e Mirador.

 

Compartilhe aqui:

Seridó registra chuvas em várias cidades e comunidades rurais

 

A região do Seridó voltou a ser banhada pelas chuvas. Na noite deste domingo (02), as precipitações pluviométricas foram registradas em várias cidades e comunidades rurais.

 

Confira:

 

  • Ipueira – 44mm
  • Sitio Pitombeira (Caicó) – 18mm
  • Sítio Garcia (São Fernando) – 36mm
  • Sítio Santa Cruz (Jardim de Piranhas) – 24mm
  • Sítio Pitombeira (Serra Negra do Norte) – 16mm
  • Sitio Cachoeira (Serra Negra  do Norte) – 30mm
  • Sítio Serrote Branco (São Fernando) – 10mm
  • Sítio Angicos (Serra Negra do Norte) – 78mm
  • Sítio Saboeiro – 15mm
  • Timbaúba dos Batistas – 35mm
  • Sítio Pintado (Serra Negra do Norte) 18mm
  • Sítio Barra da Carnaúba (Serra Negra do Norte) – 35mm
  • Sítio Soledade (Jucurutu) – 4mm
  • Sitio Pintado (Timbaúba dos Batistas) – 55mm
  • Sitio Barra da Maniçoba (Serra Negra do Norte) – 45mm
  • Bairro Paraíba (Caicó) – 50mm
  • Bairro Barra Nova (Caicó) – 32mm
  • Sítio Juazeiro (Jardim de Piranhas) – 5mm
  • Sítio Cruz (São Fernando) – 40mm
  • Bairro Maynard (Caicó) – 10mm
  • Sítio Residência – 19mm
  • Sítio Fechado – 15mm
  • Sítio Cacimba da Ilha (São João do Sabugi) – 32mm
  • Sítio Jerusalém (São João do Sabugi) – 13mm
  • Bairro São José (São João do Sabugi) – 05mm.
  • Timbaúba dos Batistas – 35mm
  • Sítio Volta do Som – 38mm
  • Sítio Retiro (Caicó) – 40mm
  • Sítio Vida Nova – 40mm
  • Sitio Picos – 25mm
  • Chácara Belo Monte (São Fernando) – 38mm
  • Sitio Jurema (Serra Negra do Norte) – 38mm
  • Fazenda Rolinha (Serra Negra do Norte) 0 40mm
  • Bairro Vila Altiva (Caicó) – 10mm.
  • Bairro Santa Costa (Caicó) – 20mm
  • Sítio Ramada (São Fernando( – 21,5mm
  • Sítio Bestas Bravas (São Fernando) – 20mm
  • Sítio Carrapateira (Caicó) – 13mm
  • Conjunto Anibal Macedo (Ipueira) – 26mm

 

Com informações do radialista Djalma Mota – 102,7 Rural FM

 

Compartilhe aqui:

Unesco indica reconhecimento oficial do Geoparque Seridó

 

A proposta do Governo do Estado de inclusão do Geoparque Seridó no Programa Internacional de Geociências e Geoparques da Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura) foi acatada pelo Conselho Mundial de Geoparques após ser analisada em reuniões realizadas no período de 8 a 11 deste mês.

 

“É uma conquista extraordinária. Adquirir esse status vai contribuir fortemente para a preservação do meio ambiente, defesa da educação e da nossa história. Vai trazer uma coisa muito importante que é o incentivo ao turismo, uma atividade que gera empregos para nosso povo”, disse a governadora Fátima Bezerra.

 

“Nos últimos anos fizemos um trabalho árduo em parceria com o Governo do Estado e outras instituições. Agora recebemos a chancela da Unesco para sermos reconhecidos oficialmente como geoparque mundial pela Unesco. O reconhecimento internacional é importante porque vai favorecer as comunidades locais no desenvolvimento do turismo, da educação e da conservação”, informou o o professor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Marcos Leite do Nascimento, coordenador científico do Consórcio Geoparque Seridó.

 

Marcos Leite explica que o reconhecimento internacional não limita as atividades econômicas na área. “É um território aberto, no qual as atividades econômicas poderão ser desenvolvidas, inclusive a geração de energias renováveis e mineração, desde que seguindo as normas de sustentabilidade”.

 

A área do geoparque Seridó abrange área de 2.800 quilômetros quadrados e seis municípios com recursos naturais e construções humanas importantes: Cerro Corá – nascente do Rio Potengi, Carnaúba dos Dantas – Monte do Galo, Acari e Parelhas – açudes Gargalheiras e Boqueirão respectivamente, Currais Novos – Cânion dos Apertados e Mina Brejuí, e Lagoa Nova – Tanque dos Poscianos.

 

O conceito de Geoparque surgiu na década de 1990 como resposta à necessidade de melhorar áreas com importância geológica e promover a conservação. As paisagens e as formações geológicas retratam a evolução do planeta e são determinantes para o desenvolvimento sustentável.

 

A estratégia de desenvolvimento sustentável deve estar aliada a gestão de qualidade baseadas na geoconservação, educação e geoturismo. A geoconservação objetiva proteger o patrimônio geológico para as futuras gerações; a educação promove o estudo das geociências junto às escolas, universidade e centro de visitação, contemplando o público em geral; o geoturismo busca estimular a criação de atividades econômicas tendo como base a geodiversidade e o patrimônio geológico do território, em cooperação com a comunidade local.

 

Compartilhe aqui:

Pesquisa de professores do Ceres/UFRN no Rio de Janeiro resgata materiais sobre os sertões

 

Organizada por professores do Mestrado em História dos Sertões (MHIST), do Centro de Ensino Superior do Seridó (Ceres), a Missão de Pesquisa Rio de Janeiro realizou uma expedição em museus e arquivos no estado do Rio de Janeiro para coletar documentação e bibliografia por meio de vídeo e de material fotográfico. O trabalho propõe a criação de uma base de dados que ajude a criar sustentação empírica aos projetos de pesquisa ligados ao MHIST.

 

Para coletar os materiais, os professores Helder Macedo, Lourival Andrade e Rosenilson Santos sondaram materiais de diferentes lugares de preservação de memória, como o Arquivo Nacional (AN), o Museu Histórico Nacional, o Centro Cultural Djalma Sabiá e o Museu de Arte Moderna, entre outros locais no período de 28 de novembro a 4 de dezembro.

 

“Especificamente no Rio de Janeiro, partimos do pressuposto de que, por muito tempo — de 1763 a 1960 —, a cidade foi a capital do Brasil desde a Colônia, passando pelo Império e entrando na República. Logo, em alguma medida, os espaços de memória do Rio de Janeiro (como arquivos, museus e bibliotecas) agregam registros documentais da cultura material e bibliográfica do que hoje é o país. Visitar esses espaços e fazer as sondagens em seus acervos nos possibilitam conhecer aspectos da história do Brasil e de vários sertões constituídos em seu território — incluindo os ditos sertões cariocas e mesmo os do Seridó”, diz o professor Helder Macedo.

 

Apesar da expedição acontecer no Sudeste do país, os materiais documentados falam muito sobre a história do sertão nordestino. Um dos materiais encontrados, por exemplo, foi um decreto no qual era agraciado com o grau de Comendador da Ordem de Christo o sacerdote Francisco de Brito Guerra, personagem muito relevante na conformação do que hoje é considerado o sertão do Seridó do Rio Grande do Norte.

 

Essas missões de pesquisa são realizadas desde 2016, antes da implementação do Mestrado em Histórias dos Sertões, e têm como objetivo construir um banco de dados que até então era inexistente, reunindo materiais com o potencial de dar apoio aos novos pesquisadores que queiram se aprofundar no estudo dessa região.

 

Compartilhe aqui:

Conselhos de Geoparques mundiais da Unesco indica Seridó como Geoparque mundial

 

Na 6ª reunião estatutária realizada online entre os dias 8 e 11/12/2021, o Conselho Mundial de Geoparques da UNESCO avaliou solicitações de aspirantes a geoparques mundiais da UNESCO (apresentadas em 2019 e 2020).

 

Como resultado desse exame minucioso e na presença de mais de 50 observadores e representantes de mais de 30 Estados Membros, o Conselho Mundial de Geoparques da UNESCO propôs encaminhar a indicação de 8 novos Geoparques Mundiais da UNESCO ao Conselho Executivo da UNESCO, para seu endosso durante a sessão de primavera (em abril) de 2022.

 

Entre as oito propostas aceitas nesse momento estão dois representantes do Brasil. Assim somos o 2o Geoparque Mundial da UNESCO (Geoparque Seridó-RN) em conjunto com o Geoparque Caminhos dos Cânions do Sul (RS/SC). Aguardamos até abril/2022 para a decisão final, mas é mais uma etapa vencida rumo ao reconhecimento de nosso território pela UNESCO.

 

Parabéns a todos que fazem o Geoparque Seridó e parabéns também aos amigos dos Cânions do Sul por essa vitória!

 

O território do Geoparque Seridó situa-se no semiárido nordestino, região centro-sul do Estado do Rio Grande do Norte, envolvendo totalmente os territórios dos municípios de Acari, Carnaúba dos Dantas, Cerro Corá, Currais Novos, Lagoa Nova e Parelhas.

 

Compartilhe aqui:

UFRN, Diocese e ADESE iniciam elaboração do roteiro turístico religioso do Seridó

 

“Seridó, fé e tradições” é o tema do projeto que tratará da elaboração do roteiro de turismo religioso e cultural do Seridó. A ação é uma iniciativa da Diocese de Caicó, UFRN, por meio do curso de Turismo da FELCS (Currais Novos) e ADESE – Agência de Desenvolvimento Sustentável do Seridó.

 

Durante toda essa semana, um grupo de pesquisadores da UFRN visitará os doze municípios que serão envolvidos inicialmente com o projeto. Eles explicarão as metodologias do inventário e dos roteiros que serão elaborados. Para isso, buscarão a adesão dos municípios.

 

“Estaremos apresentando nossa proposta aos municípios e ouvindo as comunidades sobre as expectativas para um roteiro religioso e cultural. Queremos contar com a presença de gestores públicos, vereadores, lideranças religiosas (de todas as religiões), empreendedores que trabalham com hospedagem, alimentação, transporte e turismo, e toda a população interessada na temática”, explica professor Vanderli Araújo, diretor da ADESE.

 

Esse é mais um passo das três instituições para o fortalecimento do turismo religioso na região e conta com aporte de emenda destinada para a ADESE pelo deputado Kelps Lima via Emprotur. Em julho já tinha sido realizado o 1º Fórum de Turismo Religioso do Seridó, em plataforma virtual.

 

Confira a agenda de encontros dessa semana:

 

Segunda-feira – 13/12:
09h – 11h: Jucurutu (Câmara Municipal)
15h – 17h: Florânia (Câmara Municipal)

 

Terça-feira – 14/12:
09h – 11h: Lagoa Nova (Centro Pastoral)
15h – 17h: Cerro Corá (Câmara Municipal)

 

Quarta-feira – 15/12:
09h – 11h: Caicó (ADESE)
15h – 17h: Parelhas (Salão Paroquial)
19h – 21h: Acari (Câmara Municipal)

 

Quinta -feira – 16/12:
09h – 11h: São João do Sabugi (Câmara Municipal)
15h – 17h: Serra Negra do Norte (Casa de Cultura)

 

Sexta-feira – 17/12:
09h – 11h: Jardim do Seridó (Câmara Municipal)
15h – 17h: Carnaúba dos Dantas (Câmara Municipal)

 

Sábado – 18/12:
09h – 11h: Currais Novos (Câmara Municipal)

 

 

Compartilhe aqui:

Outubro inicia e traz com ele a 13ª edição da Aldeia Sesc Seridó

Realizada anualmente, a Aldeia Sesc Seridó chega a sua 13ª edição e contará com uma programação extensa, com debates, oficinas, exibições e apresentações artísticas, no período de 6 a 31 de outubro. O evento promove a diversidade cultural e artística do Seridó, de modo a contemplar de maneira dinâmica e atrativa aspectos referentes às artes, cinema, cultura, literatura, cordel, geografia, história, entre outras abordagens regionais.

 

Uma promoção do Sesc-RN e Sistema Fecomércio com foco na valorização da cultura, a Aldeia é uma das principais ações desenvolvidas na região. O Sesc tem como objetivo o desenvolvimento de ações que contribuam para o bem-estar social, propagação da cultura e promoção de uma sociedade justa e democrática.

 

A Aldeia Sesc Seridó terá como tema “Terras Potiguares do Seridó” e, em seu primeiro dia, será lançado um debate com a participação dos professores da UFRN, Durval Muniz e Sandra Kelly, além da presença do escritor Marcus Cesar. A mediação será por conta de Maria Dolores – Sesc RN, com transmissão pelo canal do YouTube do Sesc RN.

 

Cinco municípios do Seridó serão homenageados nesta edição: Acari, Caicó, Cruzeta, Timbaúba dos Batistas, Jardim do Seridó. A programação contará com vídeos relatos de historiadores dessas cidades e exibição de apresentações das cinco filarmônicas.

 

Ao todo, a programação da Aldeia Sesc 2021 contará com 14 debates, 25 apresentações, 4 oficinas e exibições de curtas-metragens produzidos na região. Entre as apresentações estarão as transmissões dos shows do Projeto Letra & Música. Os principais canais de veiculação da programação serão o Instagram e o YouTube do Sesc-RN.

 

A fim de valorizar e atribuir protagonismo às mulheres, esta edição conta com uma maior participação feminina na programação. Assim como na edição passada, a atual também terá o Mestrado de História dos Sertões da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) como parceiro. A programação oficial será lançada no próximo dia 6 de outubro, em um café para imprensa, educadores, artistas e autoridades dos cinco municípios homenageados.

 

Compartilhe aqui:

Museu do Seridó lança exposição virtual sobre devoções e fé em tempo de isolamento

 

Museu do Seridó, vinculado ao Centro de Ensino Superior do Seridó/UFRN – Campus de Caicó (RN) e à Rede Universitária de Museus da UFRN (RUMUS), inaugurou nesta quarta-feira (28) a sua II Exposição Virtual, com tema “Devoções do Seridó: A fé em tempos de isolamento”. O lançamento aconteceu dentro da programação do 1º Fórum de Turismo Religioso do Seridó.

 

A exposição traz as Devoções do Seridó a partir de peças do acervo de Arte Sacra do Museu do Seridó e conta com a imagem primitiva de Sant’Ana, também tombada pelo IPHAN e cedida pela Catedral de Caicó (RN). Os três módulos da exposição dialogam com uma das devoções religiosas do povo seridoense e refletem sobre suas práticas durante o primeiro ano do isolamento social, por conta da circulação da COVID-19.

 

O primeiro módulo mostra a “Devoção à Sant’Ana” e tem como destaque a primeira imagem de Sant’Ana do Seridó. Datada de 1735, esta peça constitui um marco na devoção dedicada à Ana, mãe de Maria, avó de Jesus, segundo os preceitos bíblicos cristãos.

 

Na sequência, o módulo “Gerações” faz um resgate sobre a fé católica desde os primórdios do Seridó e como Sant’Ana esteve presente, desde o início destas devoções católicas até os dias atuais. Através das representações imagéticas, a trindade Ana, Maria e Jesus sempre esteve presente em muitos lares sertanejos.

 

O terceiro e último módulo, intitulado “Devoções em Isolamento”, traz o grande diferencial, pois apresenta um olhar direcionado aos altares particulares.

 

A equipe curadora convidou três pessoas devotas para narrarem sobre sua fé e suas experiências, em um momento em que os templos não poderiam acolher os fiéis, por isso, cada casa tornava-se um templo vivo.

 

A Web Exposição ainda conta com vídeos, tanto da curadoria, como dos três entrevistados que, nas suas narrativas de fé e devoção, farão o visitante refletir acerca da discussão contemporânea sobre a fé católica e as dinâmicas históricas e socioculturais.

 

A exposição está disponível no endereço http://www.museudoserido.ufrn.br

 

O evento é do Museu do Serodó, Pró- reitoria de extensão da UFRN, Ceres – UFRN, com apoio do 1º Fórum de Turismo, Diocese de Caicó, Referência Comunicação e NERD English.

 

Compartilhe aqui:

Antropóloga discutirá devoções do catolicismo popular no Seridó

 

A professora do Programa de Pós-graduação em Antropologia Social da UFRN, Julie Cavignac, é uma das palestrantes confirmadas para o 1° Fórum de Turismo Religioso do Seridó. O evento acontece em modalidade virtual, no período de 27 a 29 de julho, durante da Festa de Sant’Ana de Caicó 2021.

 

A palestra destacará a importância de levar em conta o componente étnico, o passado e a tradição oral das populações que vivem no Seridó para entender as práticas e devoções religiosas do catolicismo popular na região.

 

“Nas histórias contadas em Carnaúba dos Dantas ou na comunidade quilombola de Boa Vista dos Negros (Parelhas) é possível encontrar indícios de acontecimentos trágicos que foram retrabalhados pelo tempo: massacres, mortes violentes, doenças contagiosas, fugas, entre outros. São crianças, negros, ciganos, caboclas brabas e indígenas que esconderam nas serras ou que se ‘encantaram’. Nesses lugares, acontecem aparições misteriosas, árvores ficam verdes e cheirosas no meio do sertão seco, marca de que alguém morreu e foi santificado, ruídos se escutam nas serras”, destaca Julie Cavignac.

 

A antropóloga diz que o mais curioso é que há uma homologia entre esses fenômenos misteriosos, os relatos sobre figuras históricas que se encantaram e a vida dos santos católicos. “Todos seguem um destino semelhante. Os que foram marginalizados pela sociedade morreram sem receber os cuidados necessários e seus corpos não foram encomendados. Eles precisam ser visitados, pagam-se promessas, graças são alcançadas”, comenta Julie.

 

Para a palestrante, as práticas rituais, os relatos de mistérios e os milagres descritos nos folhetos de cordel exemplificam um catolicismo que escapa dos cânones da Igreja e revelam uma versão local da história na qual ressurgem elementos de uma etnicidade reprimida pelos séculos da colonização e regularmente reelaborada.

 

Julie Cavignac coordenou o Inventário das Referências Culturais do Seridó (IPHAN), entre 2007-2008, e coordena o projeto de extensão “Museu Virtual Tronco, Ramos e Raízes”. O Fórum de Turismo Religioso do Seridó é uma promoção da ADESE, Diocese de Caicó e curso de Turismo da FELCS-UFRN. Os inscritos também poderão submeter trabalhos para apresentação durante o evento. Inscrições e programação detalhada estão disponíveis em doity.com.br/forumturismoreligioso

 

Compartilhe aqui:

Pesquisadores já podem inscrever trabalhos para o Fórum de Turismo Religioso do Seridó

 

As inscrições estão abertas e o prazo vai até 19 de julho para os pesquisadores que quiserem submeter trabalhos para serem apresentados durante o 1º Fórum de Turismo Religioso do Seridó. Os trabalhos aprovados serão publicados em um Livro de Resumos, após o Fórum.

 

As submissões são feitas pelo site doity.com.br/forumturismoreligioso/artigos. Os trabalhos podem ser direcionados a quatro temáticas: Cultura, Sociedade e Religiosidade (GT1); Festas, Celebrações e Brincantes (GT2); Hospitalidade e Turismo (GT3); e Economia Criativa (GT4).

 

Será permitida a submissão de até três propostas por autor e cada trabalho pode contar com, no máximo, quatro autores (1 autor + 3 coautores). As apresentações dos trabalhos aprovados acontecerão no dia 27 de julho.

 

O 1º Fórum de Turismo Religioso do Seridó acontecerá durante a programação da Festa de Sant’Ana de Caicó 2021, de forma virtual, e é uma realização da ADESE, Diocese de Caicó e Curso de Turismo da Faculdade de Engenharia, Letras e Ciências Sociais do Seridó (FELCS-UFRN).

 

Compartilhe aqui:

Fórum discutirá potencial do Turismo Religioso no Seridó

 

“O Turismo Religioso e as expressões do sagrado no Seridó potiguar” será o tema do 1° Fórum de Turismo Religioso do Seridó, confirmado para o período de 27 a 29 de julho próximo, durante a programação da Festa de Sant’Ana de Caicó-RN. O evento será em plataforma digital e é uma realização da ADESE – Agência de Desenvolvimento Sustentável do Seridó, Diocese de Caicó e do Curso de Turismo da FELCS-UFRN.

 

A programação de palestras e mesas temáticas debaterá as expressões religiosas no Nordeste do Brasil, as festas como patrimônio cultural imaterial, o hibridismo religioso no sertão e o potencial para o desenvolvimento do Turismo Religioso no Seridó potiguar. “Uma das propostas do evento é tratar da roteirização turística e as implicações no desenvolvimento regional do Seridó”, explica o professor Marcelo Taveira, da comissão organizadora.

 

Um dos destaques da programação será a submissão e apresentação de trabalhos, distribuídos em quatro grupos: GT1 – Cultura, Sociedade e Religiosidade; GT2 – Festas, Celebrações e Brincantes; GT3 – Hospitalidade e Turismo; GT4 – Economia Criativa. Todos os resumos aprovados e apresentados no evento serão publicados em um livro.

 

O Fórum também conta com apoio da Fundação Joaquim Nabuco, IPHAN e Sebrae-RN e pretende mobilizar pesquisadores, gestores públicos, empreendedores do turismo, religiosos e comunidade em geral. As inscrições e submissões de trabalho serão feitas diretamente na página doity.com.br/forumturismoreligioso.

 

Compartilhe aqui:

Seridó potiguar adere a decreto regionalizado com medidas mais restritivas contra a pandemia

 

Atendendo a pedido formulado pela Associação dos Municípios do Seridó (AMS), o Governo do Estado editou nesta quarta-feira 26 o decreto 30.610/2021, com medidas emergenciais e temporárias que serão implementadas em 9 municípios da região, na área de atuação da IV Unidade Regional de Saúde, no período compreendido entre 26 de maio e 6 de junho de 2021. Este é o terceiro decreto regionalizado de enfretamento da pandemia no Rio Grande do Norte. Os dois anteriores estão em vigor em 52 municípios do Alto Oeste e Vale do Açu/Central.

 

Durante reunião do governo do RN com os prefeitos, o presidente da associação, Ivanildo Araújo de Albuquerque, mostrou-se preocupado com o aumento dos casos da doença, agravado pela falta de leitos para atender à grande demanda e “pela escassez de oxigênio já registradas em alguns municípios.” Desde o início da pandemia, morreram 212 pessoas por Covid-19 nessas nove cidades e os casos confirmados ultrapassam 16,4 mil. A proposta da edição do decreto foi aprovada por unanimidade.

 

“Essas reuniões são importantes para buscarmos o consenso e agir de forma conjunta e unificada, como deseja a governadora Fátima Bezerra. Hoje, mais um grupo de municípios se soma à luta contra o coronavírus (Covid-19). É um momento importante e devemos comemorar cada avanço que a sociedade dá no enfrentamento à pandemia”, disse o secretário de Gestão de Projetos e Metas, Fernando Mineiro, coordenador do Pacto pela Vida. “A prática nos tem mostrado que as medidas são mais efetivas quando elas têm a adesão dos municípios porque traz um compromisso maior dos gestores e da população”, observou o chefe do Gabinete Civil, Raimundo Alves, que também participou da reunião com os prefeitos do Seridó na tarde desta quarta-feira 26.

 

O decreto será implementado em Caicó, Ipueira, Jardim de Piranhas, Jucurutu, São Fernando, São José do Seridó, São João do Sabugi, Serra Negra do Norte e Timbaúba dos Batistas, totalizando 128,8 mil habitantes.

 

A partir de agora, e até 06 de junho, fica suspensa a venda de bebidas alcoólicas, em qualquer estabelecimento comercial, incluindo supermercados, mercados, padarias, feiras livres e demais estabelecimentos similares, bem como seu consumo em locais de acesso ao público, independentemente do horário, durante o período de vigência do decreto.

 

Também estão suspensos o funcionamento de parques públicos, circos, parques de diversões, museus, bibliotecas, teatros, cinemas e demais equipamentos culturais; realização de eventos corporativos, técnicos, científicos, esportivos, convenções, shows, festas ou qualquer outra modalidade de evento de massa, inclusive locais privados; atividades recreativas em clubes sociais e esportivos, assim como as atividades esportivas profissionais, ainda que previstas em agenda de campeonatos oficiais.

 

O toque de recolher, com a proibição de circulação de pessoas como medida de diminuição do fluxo populacional em ruas e espaços públicos e consequente mitigação de aglomerações, passa a valer das 22h às 05h, de segunda a sábado, e em tempo integral nos domingos e feriados.

 

As aulas presenciais das redes pública e privada de ensino, incluindo o ensino superior, técnico e profissionalizante, serão suspensas, devendo, quando possível, manter o ensino remoto. No entanto, não se sujeita a essa norma, as atividades de educação em que o ensino remoto seja inviável, exclusivamente para treinamento de profissionais de saúde e aulas práticas e laboratoriais destinadas aos concluintes do ensino superior.

 

O QUE PODE FUNCIONAR

 

Fica permitida, a abertura das igrejas, templos, espaços religiosos de matriz africana, centros espíritas, lojas maçônicas e estabelecimentos similares, inclusive para atividades de natureza coletiva, respeitados os protocolos sanitários vigentes e obedecida a limitação de uma pessoa para cada 5 metros quadrados de área do estabelecimento, assim como a frequência não superior a 30% da capacidade máxima.

 

O funcionamento de academias de ginástica, box de crossfit, estúdios de pilates e afins fica limitado a 30% de sua capacidade máxima, observados os protocolos sanitários estabelecidas nas Portarias Conjuntas GAC/SESAP/SEDEC nº 012, de 13 de julho de 2020, nº 018, de 04 de agosto de 2020 e nº 002, de 19 de março de 2021.

 

No período de vigência do decreto, somente poderão permanecer abertos, para atendimento presencial, os estabelecimentos comerciais e de prestação de serviços que tenham por finalidade a oferta de produtos e serviços essenciais.

 

As atividades essenciais, observarão o distanciamento mínimo de 1 pessoa para cada 5 metros quadrados e deverão, sempre que possível, priorizar o atendimento não presencial. Como as atividades industriais estão no rol dos serviços essenciais, as fábricas de confecções instaladas nos municípios poderão funcionar, desde que cumpridos os protocolos de segurança sanitária.

 

BANHOS DE AÇUDES E FEIRAS LIVRES

 

Como medida de contingência à disseminação do novo coronavírus e visando reduzir aglomerações, recomenda-se aos municípios, entre outras, a adoção de medidas destinadas a proibir, durante os finais de semana e feriados, o acessos às praias, lagoas, balneários, clubes, rios e similares, bem como piscinas, inclusive aquelas em locais de uso coletivo; reorganizar as feiras livres e similares, de modo a assegurar o distanciamento social, mantendo as condições de higiene dos respectivos ambientes; instalar barreiras sanitárias nos pontos estratégicos do território, preferencialmente nas vias de entrada e de maior circulação e, ainda, quando possível, de forma volante nas demais localidades;

 

E mais: definir horários prioritários para pessoas idosas e em grupo de risco nos serviços em que permitido o funcionamento, especialmente nos serviços bancários e nos estabelecimentos de comércio de gêneros alimentícios; proibir o transporte de passageiros em pé nos transportes públicos municipais; disciplinar o funcionamento do transporte coletivo urbano, impedir o acesso de passageiros sem utilização de máscara de proteção facial em transportes públicos ou privados de passageiros.

 

FIQUE POR DENTRO

Decretos regionalizados

 

ALTO OESTE

Decreto n° 30.596, de 21 de maio de 2021

Municípios: 37

População: 257.314

 

VALE DO AÇU/CENTRAL

Decreto 30.606, de 25 de maio de 2021

Municípios: 15

População: 193.380

 

SERIDÓ OCIDENTAL

Decreto 30.610, de 26 de maio de 2021

Municípios: 09

População: 128.833

Total de municípios: 61

Total da população: 579.527

 

CONFIRA: DECRETO Nº 30.610, DE 26 DE MAIO DE 2021.

http://diariooficial.rn.gov.br/dei/dorn3/docview.aspx?id_jor=00000001&data=20210526&id_doc=724711

 

 

Compartilhe aqui:

Historiador Hélder Macedo publica “Outras famílias do Seridó: genealogias mestiças nos sertões do Rio Grande do Norte”

 

O historiador seridoense, professor da UFRN, Hélder Alexandre Medeiros de Macedo publicou o livro OUTRAS FAMÍLIAS DO SERIDÓ: genealogias mestiças nos sertões do Rio Grande do Norte (séculos XVIII-XIX).

 

Na sinopse da obra, é informado que ”  essas genealogias mestiças, embora tenham produtos mistos, como as pessoas pardas, nas últimas gerações, não podem ser objeto de amplo entendimento sem que tracemos um olhar retroativo até os patriarcas e matriarcas que as originaram”

 

Assim sendo, a obra literária faz um regresso, partindo das gerações mais recentes, indo ao encontro das gerações do passado.  “Outras famílias do Seridó é, pois, uma história de regresso, por meio da crítica às fontes históricas, a um dos passados possíveis do sertão, o das mestiçagens” diz o autor.

 

Está previsto para junho, lançamento oficial da obra, no canal Mestrado em História dos Sertões. Atualmente,  “Outras famílias do Seridó: genealogias mestiças nos sertões do Rio Grande do Norte (séculos XVIII-XIX)” pode ser adquirido via Editora CRV no site www.editoracrv.com.br.

 

Compartilhe aqui:

Criada nova Forania na Diocese de Caicó

 

O Bispo Diocesano de Caicó, Dom Antonio Carlos Cruz Santos, msc, em união com o Conselho Presbiteral no dia vinte e nove de abril de 2021, e os padres da Forania de Caicó nesta segunda-feira, dia três de maio, decidiram criar a Forania do Vale do Piranhas, composta pelas seguintes cidades: Jucurutu, Jardim de Piranhas, São Fernando, Timbaúba dos Batistas, Serra Negra do Norte, São João do Sabugi e Ipueira.

 

A nova Forania terá como Vigário Forâneo, o Pe. Rômulo Azevedo da Silva, Pároco de Nossa Senhora dos Aflitos em Jardim de Piranhas.

 

Com a Criação da Forania do Vale do Piranhas, a Forania de Caicó ficou composta pelas 7 Paróquias de Caicó: Sant´Ana, São José, Nossa Senhora de Fátima, Santo Estêvão Diácono, São Francisco e Santa Cruz e Santa Marta de Betânia.

 

O objetivo da Criação de uma Forania é para melhor organização de uma Igreja Particular. Os representantes de  cada Forania se reúnem para organizar seus trabalhos pastorais, bem como revigorar o espírito comunitário, fundamentais para o fortalecimento de uma fé viva e atuante no seguimento e testemunho de Jesus Cristo e renova o ardor missionário a exemplo de São Paulo, Apóstolo.

 

Compartilhe aqui:

Campanha “Mesa Farta” do Sistema Fecomércio distribuiu cesta básica em Caicó

 

A campanha “Mesa Farta” do Sistema Fecomércio RN segue pelo interior do Estado. Foram distribuídas cestas básicas no Sesc Caicó para os trabalhadores do comércio de bens, serviços e turismo impactados pela pandemia e que ficaram sem renda.

 

A iniciativa conta com a parceria de sindicatos dos segmentos, que estão encaminhando os beneficiados.

 

A campanha “Mesa Farta” do Sistema Fecomércio RN, realizada por meio do Serviço Social do Comércio (Sesc RN), realiza agora sua segunda etapa, que iniciou dia 14, atendendo com cestas básicas, trabalhadores do comércio de bens, serviços e turismo impactados pela pandemia e que ficaram sem renda, na capital e interior.

 

O projeto mantém o mesmo modelo da primeira etapa, contando com a parceria de sindicatos de vários segmentos que encaminharão os associados ao Sesc RN para receber a doação.

 

Desta vez, a ação chega ao interior do Estado, nas cidades de Mossoró, Santa Cruz, Macaíba, Caicó, Currais Novos, Nova Cruz, São Paulo do Potengi e Assu.

 

Mesa Farta Sesc tem como parceiros os Sindicatos dos Varejista de Peças e Acessórios para veículos; Comércio Varejista de Gêneros Alimentícios; Varejista de Produtos Farmacêuticos do RN; Intermunicipal do Comércio Varejista; Das Empresas de Asseio, Conservação e Limpeza; Compra, Venda, Locação Imobiliárias e representantes da área de Refrigeração.

 

Em Caicó, a distribuição aconteceu dia 15 de abril.

 

Fonte SESC

 

Compartilhe aqui:

AÇÃO EMERGENCIAL DA DIOCESE DE CAICÓ – “O SERIDÓ TEM SEDE DE SOLIDARIEDADE II”

 

A Diocese de Caicó, através da Cáritas Diocesana, realiza ações permanentes de formação, mobilização, organização e acompanhamento às pessoas e grupos em situação de vulnerabilidade social e econômica. Contudo, o momento exige uma ação emergencial para atender às famílias que, devido à pandemia do Corona vírus, se encontram em situação de extrema necessidade.

 

Portanto, estamos realizando a segunda Ação Emergencial da Diocese De Caicó: “O Seridó tem sede de solidariedade II”. Uma campanha juntamente com as Paróquias, Pastorais e Serviços Sociais da Diocese de Caicó, para doação de cestas básicas e kits de higiene pessoal.

 

Você pode ajudar! Escolha a melhor forma para você.

 

Doação em alimentos, no Centro Pastoral Dom Wagner ou doação financeira:

 

Caixa Econômica Federal: Agência 0758 / Conta: 585-8 / Operação 003.

Banco do Brasil: Agência 128-7 / Conta corrente 60552-2

PIX: 08066854000182

 

Compartilhe aqui:

Cia de Teatro Arte e Vida lança projeto resgatando histórias de assombração, de outrora

 

As chamadas “histórias de assombração” são parte das memórias do povo seridoense. Era comum a noite, as crianças, de olhos e ouvidos atentos, ouvirem dos familiares mais idosos, histórias de assombração que eram contadas de pai para filho, ao longo dos anos. E geralmente, eram histórias que tinham como cenário o local onde viviam, tornando a curiosidade muito maior.

 

Em projeto da Cia de Teatro Arte e Vida, as histórias de assombração  foram pesquisadas e trazidas, sendo agora contadas em literatura de cordel.

 

“O projeto tem o nome de Histórias que Ouvimos e reúne contos de assombração que foram coletados em municípios do Seridó. A importância de ouvir e repassar esses contos é para que eles não sejam esquecidos, pois muitos deles foram passados de avós para netos”, diz Bruno César coordenador da Cia de Teatro Arte e Vida, idealizador do projeto.

 

“Histórias que Ouvimos” vai ao ar pelo canal do Youtube  Cia de Teatro Arte e Vida, de 09 a 13 de abril, às 18h.

 

“Os poetas Djalma Mota e Edcarlos Medeiros transformaram os contos em literatura de cordel, e agora o grupo faz uma contação dessas histórias” diz Bruno César.

 

Foto Divulgação

 

Compartilhe aqui: