23/04/2020
Por Edilson Silva em Brasil, Rio de Janeiro, Saúde

Cinegrafista do SBT que teve coronavírus morre antes de conhecer filha recém-nascida

O cinegrafista do SBT Rio, Robson Thiago Mesquita, conhecido como Tio Chico, morreu na noite de terça (21), vítima do novo coronavírus. Robson estava internado no Hospital Badin, no Rio, mas acabou não resistindo e vindo a óbito.

O jornalista Léo Dias, que trabalhou com Robson no SBT Rio, prestou uma homenagem para ele na rede social: “Este período tem sido bem difícil pra mim em vários sentidos. Mas nada se compara ao que aconteceu esta madrugada: TIO CHICO, o cara mais fiel a mim no sbt Rio. Ele me atualizava sobre tudo o q aconteceu e ainda me levava diariamente pra casa, Meu Deus: por que ele? Acabou de nascer sua primeira filha… à família, minhas condolências e estou aqui pro que vcs precisarem”, escreveu ele em seu Instagram.

O profissional era casado e deixa uma filha de 15 dias que não chegou a conhecer.


03/03/2020
Por Edilson Silva em Rio de Janeiro

Prefeitura do Rio tirou R$ 14 milhões de obras de prevenção a enchentes em fevereiro

G1 RJ – Na semana que antecedeu a chuva que destruiu parte da Zona Oeste do Rio e deixou, no município, três mortos, o prefeito Marcelo Crivella remanejou verbas previstas para contenção de encostas e para drenagem. O carnaval foi um dos destinos do dinheiro — cerca de R$ 14 milhões.

Três decretos de Crivella com as movimentações orçamentárias foram publicados no Diário Oficial do Município de quinta (27) e sexta-feira (28).

O temporal desabou na noite de sábado (29) e continuou por todo o domingo (1º). Realengo e Taquara foram os bairros mais afetados.

O que determinam os decretos

O remanejamento cancelou três serviços da Georio.

  1. Na quinta (27), R$ 4 milhões inicialmente destinados para obras de contenção foram para a Riotur;
  2. Na sexta (28), mais R$ 4 milhões, previstos para drenagem e pavimentação, foram para o Cimento Social;
  3. Também na sexta, R$ 6 milhões, reservados para conservação de viadutos, foram para a Casa Civil.

O PRIMEIRO DECRETO

No DO de quinta (27 ), Crivella retirou R$ 3,98 milhões da Georio aprovados para obras e instalações para “estabilização geotécnica”.

Esse valor foi repassado para a Riotur para, entre outros, “projeto carnaval”, “desfile da passarela” e “evento na Cinelândia”.

O SEGUNDO DECRETO

No Diário Oficial de sexta (28), foi aberto crédito suplementar de R$ 4.086.282,16 para o Cimento Social.

O programa contempla a “construção, reforma e realocação de moradias populares em comunidades carentes ou em áreas de risco”.

O TERCEIRO DECRETO

No mesmo dia, R$ 8 milhões, sendo R$ 6 milhões da Georio, foram transferidos para a Casa Civil.

A verba vai reforçar o caixa de obras e a “participação no capital da Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio de Janeiro”.

CPI cita ‘cortes irresponsáveis’

A CPI das Enchentes foi aberta por causa da contratação de empresas após as fortes chuvas que caíram em fevereiro de 2019, que mataram sete pessoas.

O relatório final pediu o indiciamento do prefeito Marcelo Crivella e de secretários municipais.

Os vereadores afirmam que, desde 2017, a prefeitura não atualiza planos de chuvas e fez “cortes orçamentários irresponsáveis”.

O documento também citou a falta de integração entre órgãos e indícios de formação de cartel nos contratos das obras de emergência.

O que diz a prefeitura

Em nota, a Prefeitura do Rio afirmou que não houve perdas de recursos para a Georio.

“Um novo decreto será publicado, reincorporando os valores”, emendou.


03/03/2020
Por Edilson Silva em Rio de Janeiro

RJ tem cerca de 5 mil pessoas fora de casa após temporais

Diversos locais na Região Metropolitana do Rio estão recebendo doações para ajudar as as vítimas da chuva que atingiu o Rio de Janeiro neste fim de semana. Até o momento, cinco pessoas morreram por conta dos alagamentos.

De acordo com a Defesa Civil estadual, na manhã desta terça (3) havia cerca de cinco mil desabrigados/desalojados em todo o Rio de Janeiro em decorrência das chuvas.

Segundo a Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos da capital, até o momento 200 famílias foram atendidas, sendo: 103 desalojadas, 11 desabrigadas e 86 permanecem em domicílio, totalizando 739 pessoas assistidas no município do Rio.

G1 RJ


09/04/2019
Por Edilson Silva em Rio de Janeiro, Tempo

Chuva forte alaga ruas, arrasta carros e deixa o Rio em estado crítico

É destaque nos principais portais do Brasil uma chuva forte que cai no Rio de Janeiro na noite desta segunda-feira (08).  O temporal alagou ruas, derrubou árvores e destruiu carros em vários bairros do Rio, levando a “cidade maravilhosa” ao estágio mais grave de três níveis de risco, segundo o Alerta Rio, sistema da prefeitura.

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) prevê mais chuvas fortes com trovoadas até às 10h de terça-feira (9). A Prefeitura recomenda que a população somente se desloque “em caso de extrema necessidade”.

No Jardim Botânico, Zona Sul, o bairro mais afetado, choveu em 4 horas 36% mais do que o esperado para o mês abril (entenda abaixo). O alagamento formou “rios” com forte correnteza descendo por vias como as ruas Pacheco Leão e Lopes Quintas.

Em entrevista à TV Globo, o prefeito Marcelo Crivella disse que a chuva foi “atípica” e a Zona Sul foi a região mais atingida. O prefeito disse que órgãos da prefeitura vão atuar durante toda a madrugada liberar as regiões com maiores problemas. O prefeito estava reunido com os secretários no Centro de Operações da Prefeitura na noite desta segunda.

G1


26/11/2018
Por Edilson Silva em Rio de Janeiro

Chuva deixa o Rio de Janeiro em estágio de atenção

As chuvas fortes que caíram no Rio de Janeiro na manhã de hoje (26) deixaram a cidade em estágio de atenção. Segundo o Centro de Operações da prefeitura, a cidade entrou em atenção às 23h40 de ontem (25), domingo.

Riscos de deslizamentos de terra provocaram o acionamento de sirenes de alerta em três comunidades da região de Jacarepaguá no início da madrugada e em duas da zona sul (Chapéu Mangueira/Babilônia e Cabritos) já pela manhã.


02/05/2018
Por Edilson Silva em Rio de Janeiro

Incêndio atinge barracão de escola de samba no Rio

Um incêndio atingiu na manhã desta quarta-feira o barracão de uma escola de samba na zona portuária do Rio de Janeiro. Os bombeiros do quartel central da cidade foram acionados antes das 7h para combater o fogo. O estabelecimento servia para guardar alegorias das escolas de samba Unidos da Ponte e Lins Imperial.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, por enquanto não há informações sobre vítimas. O barracão fica próximo ao Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into).


15/02/2018
Por Edilson Silva em Brasil, Política, Rio de Janeiro

Tuiuti é a campeã no placar da história

O desempenho da escola de samba Paraíso do Tuiuti e os gritos de “Fora Temer”, até na apuração dos resultados do carnaval do Rio de Janeiro de 2018, decretam o fim do governo golpista de Michel Temer. Durante sua transmissão ao vivo, longe das ilhas de edição, a Globo não conseguiu abafar o clamor popular pela saída do presidente ilegítimo e, ainda que tenha ficado na segunda colocação da classificação oficial, certamente, no placar da história, a Tuiuti é a grande campeã do carnaval deste ano.

No carnaval de 2018, o desfile da agremiação de São Cristóvão foi um destaque à parte. Denunciou a manipulação dos meios de comunicação e da própria Globo em rede nacional, pela frequência da própria emissora.  As críticas ao presidente vampiro do neoliberalismo foram destaque até na imprensa internacional. Foi uma verdadeira goleada. A Tuiuti jogou como time grande na casa do adversário

A Globo até tentou nos convencer de que o desfile da Tuiuti não foi nada demais, cerceando o tempo dedicado à escola no Jornal Nacional. Mas, diante da grande repercussão que foi o desfile, a emissora teve de se render aos fatos e, ainda que tardiamente, apenas no dia seguinte, se viu obrigada a voltar ao assunto no Jornal Nacional.

Em um sentido mais amplo, este carnaval representou uma verdadeira catarse do povo. Um grito de indignação, que nem mesmo os grandes meios de comunicação de massa, aliados históricos da elite nacional, foram capazes de silenciar. Aos poucos, o povo parece acordar de um estado de letargia, provocado pelo golpe de 2016. É como se a população começasse, agora, a despertar de uma ressaca, daquelas que nos deixa com muita dor de cabeça.

Dor de cabeça, não só em razão da reforma trabalhista, da lei da terceirização irrestrita, do congelamento do orçamento público para educação e saúde pelos próximos 20 anos, da reforma da Previdência, da entrega da Petrobras, ou da privatização da Eletrobras, mas, também, pela volta do desemprego, da pobreza e da violência, que avançam brutalmente no cotidiano das pessoas nas grandes cidades. Esse é o espectro e o legado do governo Temer e não há como qualquer candidato que se identifique com esse golpe tentar se desassociar de tal realidade.

Outro ponto que parece ter ficado ainda mais evidente, neste carnaval, é a força do presidente Lula como única liderança realmente capaz de aglutinar a esperança do nosso povo. Os gritos de “Volta Lula” deixaram claro: não há pacificação sem Lula e eleições sem Lula é fraude. No carnaval de 2018, o povo demonstrou já entender que eleições sem Lula serão o golpe dentro do golpe.

Este carnaval evidencia que o Brasil, retratado diariamente pelos meios de comunicação de massa como excludente e em que a riqueza só pode ser para um pequeno grupo de privilegiados, fracassou. Os governos de Lula e de Dilma provaram que é possível fazer diferente e que é possível, sim, incluir e distribuir renda, sem deixar de lado o crescimento econômico.

Os exemplos de resistência são inúmeros. Os mais pobres não estão dispostos a voltar para as favelas, os beneficiários do Minha Casa, Minha Vida não abrem mãos do sonho da casa própria, os negros e as negras não querem sair dos bancos das universidades, milhões de brasileiros que passaram a ter acesso à luz elétrica, por meio do programa Luz para Todos, não querem regressar para a escuridão, entre tantos outros brasileiros e brasileiras, que conheceram o que é ter mais cidadania, a partir dos governos Lula e Dilma.

Por isso, está cada vez mais claro que a superação da crise política, econômica e de representatividade, em que o golpe de 2016 mergulhou o país, exige, necessariamente, um processo eleitoral livre e democrático, em que Lula tenha o direito de ser candidato. Que o carnaval deste ano sirva de exemplo para as eleições que se aproximam. Pois, a legitimidade da nossa democracia e de um novo governo eleito necessita, assim como foi o carnaval de 2018 e o desfile da Tuiuti, de um verdadeiro banho de povo.

Danilo Molina – Jornalista


31/12/2017
Por Edilson Silva em Rio de Janeiro

Queima de fogos do réveillon do Rio de Janeiro vai durar 17 minutos

No Rio de Janeiro, a programação do réveillon terá festa em nove bairros, incluindo a queima de fogos de Copacabana, que vai durar 17 minutos e consumir 25 toneladas de fogos de artifícios. O espetáculo deve ser visto por três milhões de pessoas, entre elas, muitos turistas que estão chegando à cidade. Os fogos serão colocados em balsas que ficarão no mar.

O palco erguido na orla da praia receberá o DJ Tucho às 17h30. A programação segue com Ana Petkovic, Belo, Cidade Negra e Frejat. O primeiro show de 2018 será da cantora Anitta, e depois dela se apresentam as escolas de samba Portela e Mocidade de Padre Miguel, campeãs do carnaval em 2017. A ocupação dos hotéis cariocas deve passar de 90%.


17/03/2017
Por Edilson Silva em Brasil, Rio de Janeiro

Museu do Amanhã ganha na França prêmio de Construção Verde mais Inovadora

O Museu do Amanhã, do Rio de Janeiro, ganhou ontem (16) o prêmio internacional Mipim (Mercado Internacional dos Profissionais Imobiliários), na categoria Construção Verde mais Inovadora, superando concorrentes do Reino Unido, da Suécia e da Alemanha. O resultado foi divulgado em Cannes, na França.

Para o diretor-geral do museu, Ricardo Piquet, o prêmio é um reconhecimento da conexão entre o conteúdo do Museu do Amanhã, que “trata da sustentabilidade do planeta”, e o fato “de ser um prédio sustentável”.

Piquet acentuou que, com o prêmio, a responsabilidade aumenta, na medida em que se tem que preservar os sistemas que foram pensados e projetados para o museu, para dar o caráter sustentável ao prédio. Entre esses sistemas, ele destacou o de captação de água da Baía de Guanabara, as placas de energia solar na cobertura, e o espelho d’água que reduz a temperatura no entorno do museu.

“Todos os quesitos da sustentabilidade e a relação com o tema propriamente dito, a relação do museu com o meio, com o entorno, com a própria Baía de Guanabara. Esses compromissos serão mais percebidos”, frisou Piquet.

Despertar de consciência

“Arquitetura e conteúdo, localização no espaço urbano e integração com meio ambiente, tudo neste museu converge para um despertar de consciência sobre como as escolhas feitas hoje, por cada um de nós, impactam em um amanhã comum”, ressaltou Hugo Barreto, secretário-geral da Fundação Roberto Marinho, instituição responsável pela concepção do Museu do Amanhã.

O Prêmio Mipim foi criado em 1991. A competição seleciona os mais notáveis projetos já construídos ou em fase de construção em todo o mundo. O Museu do Amanhã concorreu com a sede da Siemens, em Munique, na Alemanha; o edifício residencial 119 Ebury Street, em Londres; e a fábrica da Värtan Bioenergy, em Estocolmo.

No ano passado, o Museu do Amanhã obteve o Selo Ouro da certificação LEED (Leadership in Energy and Environmental Design – Liderança em Energia e Projeto Ambiental, em português), concedida pelo Green Building Council, principal instituição americana na chancela de edificações verdes. Foi o primeiro museu brasileiro a obter este reconhecimento no segundo mais alto nível de classificação.

Grandeza

Ao visitar o Museu do Amanhã no último da 9, o ministro do Turismo, Marx Beltrão, se disse “impressionado com a grandeza, com o conceito do museu”. O ministro enfatizou, na ocasião, que o museu “é a cara do Brasil”, em uma referência às suas características de tecnologia e sustentabilidade.

Segundo o ministro, o diferencial do Museu do Amanhã para conquistar o prêmio é a sustentabilidade. “É um museu ecologicamente correto. Isso é um grande diferencial, tem todo um conceito moderno, mas um conceito de sustentabilidade muito diferente do de outros museus.”

Beltrão disse que, do ponto de vista ecológico, os benefícios são fundamentais para que o museu funcione gastando pouca energia, o que torna mais barata sua manutenção. “Aqui, não só conhecemos quem nós fomos, quem somos e quem queremos ser, a questão do amanhã. Mas [há)]um conceito de modernidade, de tecnologia, de sustentabilidade que está impregnado aqui no museu”, acrescentou.


02/02/2017
Por Edilson Silva em Rio de Janeiro

Rio de Janeiro em chamas

Na abertura do ano legislativo nesta quarta-feira, 1º, na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), servidores estaduais que protestam contra o pacote de medidas do governo e a tropa de choque da Polícia Militar (PM), que cerca o prédio da Alerj, entraram em confronto. O ano legislativo começou nesta terça, com a reeleição de Jorge Picciani (PMDB) e do resto da mesa diretora.

A confusão começou quando representantes de alguns sindicatos tentavam puxar a grade de proteção que cercava o Palácio Tiradentes. A Polícia atirou bombas de efeito moral para afastar os manifestantes. Eles revidaram atirando pedras na direção dos policiais.

O ônibus depredado na manifestação, explodiu. Os manifestantes mascarados atearam fogo ao banco do motorista. Um homem que trabalha em prédio vizinho tentou usar um extintor para apagar as chamas, mas não conseguiu. As labaredas se espalharam para o resto do ônibus até ocorrer a explosão.

Uma banca de jornal foi atingida pelas chamas do ônibus e ficou parcialmente destruída. Dois contêineres de lixo foram incendiados por manifestantes com os rostos cobertos e integrantes dos black blocs, na Avenida Rio Branco, em frente ao Largo da Carioca. Manifestantes também atearam fogo a uma guarita da Guarda Municipal, na Rua da Assembleia.


31/12/2016
Por Edilson Silva em Rio de Janeiro

Copacabana espera 2 milhões de pessoas no réveillon

Protagonista do réveillon do Rio, Copacabana se prepara para receber cerca de 2 milhões de pessoas que vão curtir a grande festa ao som de muita música e com vista privilegiada para a queima de fogos. Um grande esquema de trânsito e de segurança foi montado.

A expectativa da Riotur é de que 865 mil turistas circulem pela cidade e que eles gastem cerca de R$ 2,5 bilhões no fim de ano. Em Copacabana e no Leme, a ocupação dos hotéis chegou a 75%, de acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Rio (ABIH-RJ).


16/11/2016
Por Edilson Silva em Política, Rio de Janeiro

Protesto de servidores no Rio tem bombas e confronto entre manifestantes

16nov2016-manifestantes-em-carro-de-som-que-pede-a-intervencao-militar-durante-protesto-de-servidores-publicos-na-alerj-no-rio-1479305089724_615x300

O ato que reúne milhares de servidores públicos do Estado do Rio de Janeiro contra o pacote de medidas de austeridade apresentado pelo governo, em discussão na Alerj (Assembleia Legislativa do Rio), teve confronto entre dois grupos de manifestantes, derrubada de uma grade e repressão policial, com bombas de efeito moral e de gás lacrimogêneo, nesta quarta-feira (16).

A manifestação acontece diante do Palácio Tiradentes, sede do Legislativo estadual, no centro da capital fluminense. O prédio está cercado por grades e é protegido por policiais militares. Apesar disso, os manifestantes tentam arrebentar a grade de proteção que cerca o prédio. Numa segunda tentativa, ela foi derrubada. A PM jogou spray de pimenta e dispersou a confusão. Com isso, foi ocupada a escadaria. Há uma corrente de PMs e outra grade.

Com o clima tenso e a nova tentativa de invasão, a PM jogou bombas de efeito moral e gás lacrimogêneo para reprimir o grupo que estava à frente. Pelo menos, um manifestante ficou ferido e foi socorrido. Não foi informado o estado de saúde da vítima.

O Choque e a cavalaria foram chamados para ajudar na segurança. Houve agressões a manifestantes que estavam com máscaras de gás.

Via Uol


05/07/2016
Por Edilson Silva em Rio de Janeiro

Tribunal de Contas bloqueia R$ 198 milhões por irregularidades no Maracanã

maracana-1442524288639_615x300

TCE/RJ – Tribunal de Contas bloqueia R$ 198 milhões por irregularidades no Maracanã.

O TCE-RJ (Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro) decidiu nesta terça-feira (5) bloquear R$ 198 milhões em repasses a Odebrecht e a Andrade Gutierrez devido a irregularidades na reforma do Maracanã para a Copa do Mundo de 2014. As duas construtoras foram as responsáveis pela obra, contratada pelo governo do Rio.

Um relatório recomendando o bloqueio dos repasses foi aprovado no início desta tarde, por unanimidade, pelos conselheiros do TCE. Auditores do tribunal de contas já haviam detectado irregularidades de R$ 93 milhões durante a reforma do estádio (2010 a 2013). Até hoje, porém, os processos sobre o caso não haviam sido julgados.

A sessão plenária desta terça-feira mudou essa situação. Conselheiros do TCE ratificaram a análise do conselheiro-relator José Gomes Graciosa e atestaram a existência de pagamentos em duplicidade feitos pelo governo, realização de serviços desnecessários e sobrepreços na compra de materiais usados na reforma.

A obra no Maracanã para a Copa do Mundo começou orçada em R$ 705 milhões. O governo do Estado afirma ter empregado mais de R$ 1,2 bilhão no projeto.

Maracanã e a Lava Jato

A reforma do Maracanã para a Copa do Mundo já virou tema de investigações vinculadas à Lava Jato. Executivos da Andrade Gutierrez chegaram a afirmar que pagaram 5% do valor da reforma ao ex-governador Sérgio Cabral em proprinas. Cabral nega.

Delações indicam também conselheiros do próprio TCE-RJ receberam 1% do valor da obra em propina. O Tribunal de Contas também nega.

O governo do Estado do Rio de Janeiro e o Consórcio Maracanã 2014, que reúne Odebrecht e Andrade, já foram procurados para comentar a decisão do TCE. Ainda não se pronunciaram.




Facebook


Twitter