30/05/2019
Por Edilson Silva em Educação, Política

Estudantes recolocam faixa “Em defesa da Educação” retirada por bolsonaristas na UFPR

Um ato simbólico de muita importância ocorreu nesta quinta-feira (30), durante manifestação pela Educação, realizada em Curitiba. Estudantes afixaram na fachada da Universidade Federal do Paraná (UFPR) uma faixa enorme com os dizeres: “Em defesa da Educação”, com direito à contagem regressiva.

Durante manifestação promovida por bolsonaristas, no domingo (26), na capital paranaense, apoiadores do governo de extrema direita arrancaram a faixa em defesa da educação, que estava exposta na mesma fachada da UFPR, o que provocou revolta do reitor da instituição, Ricardo Fonseca.

Neste exato momento manifestantes retiraram, com muitos aplausos, uma faixa no Prédio Histórico da UFPR em que estava escrito: ‘Em defesa da educação’. Inacreditável”, disse Fonseca, via Twitter.


30/05/2019
Por Edilson Silva em Jucurutu, Política

Jovem empresário Pablo Cassiano rompe com o grupo liderado pelo Deputado Nelter Queiroz

O jovem empresário Pablo Cassiano rompe com o grupo liderado pelo Deputado Nelter Queiroz. O empresário Pablo Cassiano rompe com o Deputado Queiroz. O mesmo nos passou que ouve uma conversa tranquila e cordial entre ambos. Onde cada um desejou boa sorte ao outro para os seus trabalhos futuros. O caminho de Pablo Cassiano será o Partido Podemos do Senador Styvenson Valentim. Ambos já conversaram sobre o futuro, e o Senador reforçou a importância de Jucurutu em sua eleição.


30/05/2019
Por Edilson Silva em Policial, Política

Miliciano preso por grilagem de terras é tio de Michelle Bolsonaro

Nesta quarta-feira (29) sete policiais militares foram presos por integrarem uma milícia com atuação na região do Sol Nascente, em Brasília. O 1º sargento João Batista Firmo Ferreira, tio da primeira-dama, Michelle Bolsonaro, foi um dos alvos da Operação Horus, que investiga agentes por crimes de loteamento irregular do solo, extorsão e até homicídio, relacionados à grilagem de terras.

Segundo informações divulgadas pelo ‘Correio Braziliense’, a operação foi realizada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Distrito Federal e as investigações começaram em 2011.

Com autorização judicial, as ligações telefônicas dos suspeitos foram interceptadas e as conversas revelaram a forma de atuação dos policiais militares. A denúncia destaca que os dados obtidos com a quebra do sigilo bancário de João Firmo, autorizada pela Justiça, reforçam a ligação do PM com a organização criminosa.

Ainda segundo a publicação, a Polícia Militar alegou ter colaborado com as investigações por meio da Corregedoria. A corporação acrescentou que instaurou procedimentos internos para apurar a conduta dos policiais. “Mas todos correm sob segredo de Justiça. Portanto, não podemos dar mais detalhes”, informou.

O Palácio do Planalto informou que não se pronunciará sobre o assunto.

Vale lembrar que João Batista Firmo Ferreira é irmão de Maria das Graças, mãe de Michelle. A família da primeira-dama mora na região do Sol Nascente.


29/05/2019
Por Edilson Silva em Política

CORRUPÇÃO – Flávio Bolsonaro tenta bloquear investigação na Justiça pela terceira

O senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) apresentou a terceira tentativa de barrar a investigação do Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) sobre suspeitas de crimes envolvendo ex-assessores dele na Assembleia Legislativa do Estado, segundo reportagem do jornal Folha de S.Paulo nesta quarta-feira (29).

De acordo com a publicação, a defesa do filho do presidente Jair Bolsonaro apresentou na semana passada um pedido de habeas corpus ao Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro contra a quebra de seus sigilos bancário e fiscal determinada pela 27ª Vara Criminal.

O MPRJ alega que há “indícios robustos” dos crimes de peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa no gabinete de Flávio Bolsonaro na Alerj de 2007 a 2018.

Flávio Bolsonaro passou a ser investigado após o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) apontar movimentações atípicas de seu ex-assessor parlamentar na Alerj Fabrício Queiroz. Também foram identificados depósitos suspeitos na conta do próprio senador. Ele nega ter cometido irregularidades.


29/05/2019
Por Edilson Silva em Política, Religião

Papa Francisco escreve carta a Lula e diz que ‘o bem vencerá o mal’

O Papa Francisco escreveu carta ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso político há mais de um ano. No texto, Francisco diz que ora por Lula e pede que o e-presidente ‘não deixe de rezar por mim’.

A informação é da coluna da jornalista Mônica Bergamo na Folha de S.Paulo. O Papa Francisco lamenta “as duras provas que o senhor viveu ultimamente” e cita a morte de dona Marisa, do irmão de Lula, Genival Inácio, e do neto dele, Arthur.

“Não deixe de rezar por mim”, pede Francisco a Lula, dizendo que também ora pelo líder brasileiro. De acordo com Mônica Bergamo, “a correspondência é uma resposta a uma carta que o ex-presidente enviou ao santo padre em março”.

O texto traz reflexões religiosas e filosóficas. Diz que graças ao “triunfo de Jesus sobre a morte”, é possível acreditar “que, no final, o bem vencerá o mal, a verdade vencerá a mentira e a Salvação vencerá a condenação”.

A advogada Carol Proner, que faz parte de um grupo de estudos no Vaticano e teve acesso à correspondência, diz que “é uma carta que carrega muitas mensagens, além daquelas de afeto”.

Leia a íntegra da carta: 

Estimado Luiz Inácio, 

Recebi sua atenciosa carta do passado 29 de março, com a qual, além de agradecer a minha contribuição para defesa dos direitos dos mais pobres e desfavorecidos dessa nobre nação, me confidenciava seu estado e ânimo e comunicava sua avaliação sobre o contexto sócio-político brasileiro, o que me será de grande utilidade. 

Como assinalei na mensagem para o 52 Dia Mundial da Paz, celebrado no passado 1 de janeiro, a responsabilidade política constitui um desafio para todos aqueles que recebem o mandato de servir ao seu País, de proteger as pessoas que habitam nele e de trabalhar para criar as condições de um futuro digno e justo. Tal como meus antecessores, estou convencido de que a política pode tornar-se uma forma eminente de caridade, se for implementada no respeito fundamental pela vida, liberdade e dignidade das pessoas. 

Nesses dias, estamos celebrando a ressurreição do senhor. O triunfo de Jesus Cristo sobre a morte é a esperança da humanidade. A sua Páscoa, sua passagem da morte à vida, é também a nossa Páscoa. Graças a ele, podemos passar da escuridão para luz, das escravidões desse mundo para liberdade da terra prometida. Do pecado que nos separa de Deus e dos irmãos para a amizade que nos une a ele. Da incredulidade e do desespero para alegria serena e profunda de quem acredita, no final, o bem vencerá o mal, a verdade vencerá a mentira e salvação vencerá a condenação. 

Tenho presente das duras provas que o senhor viveu ultimamente, especialmente da perda de alguns entes queridos, sua esposa Marisa Letícia, seu irmão Genival Inácio e, mais recentemente, seu neto Arthur de somente sete anos- quero lhe manifestar a minha  proximidade espiritual e lhe encorajar pedindo para não desanimar e continuar confiando em Deus. 

Ao assegurar-lhe minha oração a fim de que, neste tempo pascal de Júbilo,  a luz de cristo ressuscitado o cumule de esperança, peço-lhe que não deixe de rezar por mim.  

Que Jesus o abençoe e a Virgem santa lhe proteja. 

Fraternalmente. 


26/05/2019
Por Edilson Silva em Política

Pesquisa no RN: maioria reprova Bolsonaro e aprova Fátima Bezerra

A administração do presidente Jair Bolsonaro (PSL) é reprovada por 60,3% dos potiguares. Enquanto a da governadora Fátima Bezerra (PT) é aprovada por 55,3%. Esses índices foram apurados em pesquisa promovida pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Norte (Fiern), divulgada neste domingo (26).

A pesquisa foi realizada no período de 17 a 20 de maio, em 12 regiões do estado. Foram aplicados 1700 questionários e a margem de erro é de 2,3% para mais ou para menos. Isso significa que a reprovação de Bolsonaro oscila entre 58% e 62%; enquanto a aprovação de Fátima Bezerra pode variar de 53% a 57%.

De acordo com a pesquisa – feita pelo instituto Consult – 38,3% considera a administração Fátima Bezerra como “regular”; 29,29% como “boa”; e 9,2% como “ruim”. Para 8,8% dos potiguares o governo petista é “péssimo”; e para 2,1%, “ótimo”. 12% dos entrevistados não emitiram opinião.

A pesquisa revelou ainda que 42,2% têm boa expectativa com relação à administração Fátima Bezerra e 34,5% regular. 8,1% têm expectativa “ruim” com relação à petista; 3,4%, “péssima”; e 3,2% ótima. 8,3% não opinaram.

Foi perguntado ainda sobre a confiança nos governos. No caso de Fátima Bezerra, 49% dos entrevistados afirmou que “confia” na atual gestão; enquanto 31,2% disse não confiar. 19,71% não souberam ou não quiseram responder.

Governo Bolsonaro é “péssimo” para maioria no RN

O presidente também teve seu governo classificado no espectro de “ótimo” a “péssimo”. Para 35% dos norte-rio-grandenses, o governo de Jair Bolsonaro é péssimo. Para 23,1%, regular. E para 19,4%, ruim. No RN, as avaliações bom e ótimo para o governo Bolsonaro são 11,9% e 3,2%, respectivamente. 6,47% dos entrevistados preferiu não opinar.

Com relação a confiança, a maioria dos potiguares (61,5%) não confia no governo de Jair Bolsonaro. Foi perguntado ainda se o governo de Bolsonaro era melhor ou pior que os anteriores. Nesse quesito ele perdeu para Michel Temer (MDB). No RN, 44,1% considera a atual administração piro que a anterior; enquanto 23,24%, melhor.

Quando o assunto é expectativa, Bolsonaro também vai muito bem. No Rio Grande do Norte, 24% têm expectativa “ruim” com relação ao governo dele; e 22,6% “péssima”. Com expectativa “regular” há 21,5%; com “boa”, 20,4% e com “ótima”, 3,41%.


26/05/2019
Por Edilson Silva em Política

CORRUPÇÃO – Investigação sobre Flávio Bolsonaro alcança 37 imóveis

A investigação sobre o gabinete de Flávio Bolsonaro na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) atinge um total de 37 imóveis supostamente ligados ao senador do PSL, sua família, além da empresa Bolsontini Chocolates e Café. São 14 apartamentos e 23 salas comerciais em Copacabana, Botafogo, Barra da Tijuca e Jacarepaguá. O parlamentar afirma que não cometeu nenhum crime e se diz vítima de perseguição.

No pedido de quebra de sigilo bancário e fiscal de Flávio e outras 94 pessoas e empresas, de 15 de abril, o Ministério Público afirmava já ter reunido informações de que ele investira R$ 9,4 milhões na aquisição de 19 imóveis. “As vendas declaradas entre 2010 e 2017 representariam uma lucratividade de R$ 3 milhões.” Em 21 de março, no entanto, relacionou os 37 imóveis em um pedido de informações a cartórios do Rio.

O documento sobre os imóveis é assinado por três promotores estaduais, que requisitaram cópias das certidões para verificar se existe algum tipo de dívida ligada ao imóvel, quem são seus proprietários e quando e como eles foram adquiridos. A devassa patrimonial é uma das linhas de investigação do Ministério Público no caso dos supostos pagamentos irregulares detectados no gabinete do então deputado estadual Flávio Bolsonaro e das movimentações bancárias atípicas nas contas de seu ex-assessor Fabrício Queiroz.

‘Arrecadação’. A apuração começou após reportagem do jornal Folha de S.Paulo sobre a evolução do patrimônio da família Bolsonaro em janeiro de 2018. Ela envolvia negociações de 19 imóveis e foi aberta em 20 de fevereiro, no Grupo de Atuação Originária em Matéria Criminal.

Em 26 de abril, o parlamentar entregou sua defesa. Disse que os imóveis não valiam o que era estimado pela prefeitura, pois “qualquer habitante da terra sabe que estes valores são superfaturados pelo poder público para aumentar a arrecadação com impostos como IPTU e ITBI e que um imóvel jamais seria vendido se anunciado pelo valor estimado pela prefeitura”.

De acordo com ele, a acusação desconsiderava as formas e o contexto com que os imóveis haviam sido negociados e confundia as datas de “compra e venda dos mesmos”. Flávio disse ter adquirido o imóvel de Botafogo quando era solteiro, em 2005, por R$ 350 mil e o vendido nove anos depois por R$ 1,45 milhão, valores, segundo ele, “compatíveis com a valorização imobiliária ocorrida no Rio durante o período”.

Com esse dinheiro, o então deputado comprou o imóvel na Barra da Tijuca, onde mora, avaliado em R$ 2,55 milhões. Flávio afirma na manifestação ter feito financiamento no banco Itaú para pagá-lo e confirm ter comprado em 2008 salas comerciais na Barra da Tijuca. Pagou “parcelas da compra com muita dificuldade até a cessão de direitos ser adquirida pela MCA Participações Ltda em 2010”. Houve ganho de R$ 210 mil para Flávio. “Nenhuma mágica na operação”, diz ele. “Apenas um arriscado, mas bem-sucedido negócio legal, transparente e devidamente declarado.”

Sobre os apartamentos em Copacabana, ele afirmou que em 2012 vislumbrou outra “oportunidade de investimento em imóveis”. Comprou as “quitinetes em péssimo estado de conservação e com dívida de condomínio”. Disse ter pago R$ 140 mil por um e R$ 170 mil por outro aos proprietários americanos. Revendeu os imóveis “às vésperas da Copa do Mundo de 2014, o que os valorizou bastante”. Ele também negou irregularidades relacionadas ao imóvel em Laranjeiras e pediu o arquivamento da investigação.

Em 17 de maio, o promotor Tulio Caiban Bruno solicitou o arquivamento do caso por não vislumbrar “quaisquer elementos informativos alusivos à prática de infração penal antecedente pelo parlamentar Flávio Bolsonaro da qual o produto ou resultado financeiro estaria sendo ocultado ou dissimulado mediante a aquisição de imóveis”. Em 18 de maio, o subprocurador-geral de Justiça, Alexandre Araripe Marinho, aprovou o relatório.

Em 28 de fevereiro de 2019, o Grupo de Atuação Especializada no Combate à Corrupção (Gaecc) do MP do Rio pediu o desarquivamento do caso, o que ocorreu em 14 de março em razão da investigação sobre a apropriação de dinheiro de funcionários da Alerj no gabinete de Flávio.

A assessoria do senador informou que “não são verdadeiras as informações vazadas acerca do patrimônio do parlamentar”. “Continuo sendo vítima de seguidos e constantes vazamentos de informações contidas em processo que está em segredo de Justiça”, diz a nota. “Sempre declarei todo meu patrimônio à Receita Federal e tudo é compatível com a minha renda. Tenho meu passado limpo e jamais cometi qualquer irregularidade em minha vida.”


16/05/2019
Por Edilson Silva em Política, RN

Governo vai trabalhar em parceria com prefeituras para recuperação de estradas

Com o objetivo de recuperar estradas em todo o estado de forma emergencial, o Governo do Estado vai criar grupos de trabalho dentro do Departamento de Estradas de Rodagem do Rio Grande do Norte (DER-RN) para trabalhar em parceria com prefeituras.

O modelo de parcerias e convênios entre o Governo e os entes municipais etá sendo desenhado pela equipe técnica do DER-RN. “Temos desafios diários nessa área de infraestrutura rodoviária e, segundo as previsões da Emparn, a temporada de chuvas ainda não encerrou, mas mesmo assim estamos trabalhando de forma antecipada”, afirmou a governadora Fátima Bezerra.

A medida foi bem recebida pelos prefeitos presentes na reunião. “Nós já fizemos parcerias antes e estamos totalmente à disposição para ampliar esse trabalho, de forma legal, contribuindo para a melhoria das estradas e beneficiando a população”, completou o prefeito de Serra Negra do Norte, Sérgio Fernandes.

De acordo com o diretor geral do DER-RN, Manoel Marques, o planejamento de ação ainda inclui a formação de equipes para atuar em casos emergenciais. “A nossa ação na região Central foi rápida e bem sucedida. Queremos repetir esse modelo”, disse Marques.

Ainda durante a reunião, representantes do Associação dos Municípios do Seridó (AMS), em conjunto com o presidente da Assembleia Legislativa, Ezequiel Ferreira, também apresentaram a demanda para a continuidade do convênio com o Governo que cede uma motoniveladora que trabalha na região. “Esse trabalho é muito importante para os produtores da nossa região e estamos dispostos a manter essa parceria, até dentro da programação do DER para os trabalhos de recuperação”, apontou o prefeito de São Fernando, Polion Maia.

A governadora Fátima Bezerra determinou a formação de um grupo, com a participação da Federação dos Municípios do RN (Femurn), do DER-RN e da AMS para acertar o modelo de utilização da máquina na recuperação das estradas do estado.


16/05/2019
Por Edilson Silva em Política

CORRUPÇÃO – MP vê indícios de lavagem de dinheiro em imóveis de Flávio Bolsonaro

O Ministério Público (MP) do Rio de Janeiro apontou “sérios indícios de lavagem de dinheiro” em transações imobiliárias para embasar seu pedido de quebra de sigilo bancário e fiscal do senador Flávio Bolsonaro e de mais 94 pessoas ou empresas ligadas a ele, em 15 de abril, informaram nesta quarta-feira (15/05) os sites da Veja e da Folha de S. Paulo.

Segundo a Veja, com base no documento do MP que embasa o pedido de quebra de sigilo, entre 2010 e 2017, o então deputado estadual lucrou R$ 3,089 milhões em transações imobiliárias nas quais há “suspeitas de subfaturamento nas compras e superfaturamento nas vendas”. O valor supera os seus vencimentos como deputado.

Receba as notícias e análises da DW no WhatsApp

As transações suspeitas envolvem 19 imóveis, entre salas e apartamentos, nos quais Flávio Bolsonaro investiu R$ 9,425 milhões. O MP afirmou que as transações podem simular ganhos fictícios para encobrir enriquecimento ilícito decorrente de desvios de recursos da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro.

Os promotores relacionam casos em que o filho mais velho do presidente Jair Bolsonaro lucrou com a valorização excessiva de imóveis adquiridos por ele a preços abaixo de mercado.

Segundo a Folha, que teve acesso ao mesmo documento, Flávio Bolsonaro comprou dois imóveis em Copacabana por R$ 310 mil em novembro de 2012 e os revendeu, 15 meses depois, por mais do que o triplo desse valor.

Os donos anteriores dos imóveis os haviam adquirido em 2011 por R$ 440 mil e os revenderam por menos do que isso ao senador eleito em pleno boom imobiliário da cidade.

Alguns negócios suspeitos envolvem uma empresa com sede no Panamá, um conhecido paraíso fiscal, afirma o documento do MP.

A quebra dos sigilos faz parte das investigações que começaram depois de um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), em desdobramento da Operação Lava Jato, ter indicado movimentações de dinheiro atípicas numa conta bancária de Fabrício Queiroz, um ex-assessor de Flávio Bolsonaro.

Queiroz movimentou R$ 1,2 milhão entre janeiro de 2016 e janeiro de 2017, segundo o Coaf. Ele também teve o sigilo bancário e fiscal levantado. Para o MP, há indícios de uma organização criminosa dedicada ao crime de peculato (desvio de dinheiro público) no gabinete de Flávio Bolsonaro na Assembleia Legislativa do Rio.

Via Twitter, Flávio Bolsonaro disse que o sigilo bancário de suas contas já havia sido levantado “ilegalmente, sem autorização judicial”, e que informações detalhadas de suas contas bancárias haviam sido divulgadas. “Agora tentam uma manobra para esquentar informações ilícitas, que já possuem há vários meses.”

 


15/05/2019
Por Edilson Silva em Educação, Política

Desequilibrado: Bolsonaro ataca famílias ao chamar estudantes de idiotas

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta quarta-feira (15) em Dallas, no estado norte-americano do Texas, que os manifestantes que protestam no Brasil contra o bloqueio de verbas de educação são “uns idiotas, uns imbecis”.

“É natural, é natural. Agora… a maioria ali é militante. É militante. Não tem nada na cabeça. Se perguntar 7 x 8 não sabe. Se perguntar a fórmula da água, não sabe. Não sabe nada. São uns idiotas úteis, uns imbecis que estão sendo utilizados como massa de manobra de uma minoria espertalhona que compõe o núcleo de muitas universidades federais do Brasil”, afirmou Bolsonaro.

(…) “Não existem cortes. Nós temos um problema que… Eu peguei um Brasil destruído economicamente também. Então as arrecadações não eram aquelas previstas de quem fez o orçamento no corrente ano e se não houver contingenciamento, eu simplesmente entro de encontro, né, à lei de responsabilidade fiscal. Então, este mês não tem dinheiro. É o que qualquer um faz. Não tem, tem que contingenciar. Agora gostaria que nada fosse contingenciado. Gostaria, em especial, educação.” (…)


11/05/2019
Por Edilson Silva em Política

Avaliação negativa do governo Bolsonaro vai de 26% para 31%, aponta pesquisa XP Ipespe

A avaliação negativa do governo do presidente Jair Bolsonaro passou para 31% em maio ante 26% em abril, com a provável migração para o campo ruim e péssimo de pessoas que antes disseram não saber ou que não responderam, apontou pesquisa XP Ipespe nesta sexta-feira.

De acordo com o levantamento, o percentual daqueles que consideram o governo ótimo ou bom se manteve em 35%, enquanto os que consideram a administração Bolsonaro regular passaram para 31% em maio ante 32% no mês anterior.

Não responderam ou não sabiam avaliar 3% dos entrevistados, ante 7% no levantamento passado. “Considerando a redução de quatro pontos percentuais entre as pessoas que não responderam ou não sabiam avaliar, é provável que entrevistados desse grupo tenham migrado para uma avaliação negativa do governo”, afirmaram os responsáveis pela pesquisa em comunicado.

A margem de erro do levantamento é de 3,2 por cento. Foram feitas 1.000 entrevistas telefônicas nos dias 6 a 8 de maio.

Sobre a expectativa dos entrevistados para o restante do mandato de Bolsonaro, 51% disseram acreditar que será ótimo ou bom ante 50% em abril, enquanto a expectativa de que será ruim ou péssimo passou a 27% ante 23% e a regular foi a 17% ante 18%.

A pesquisa também abordou, pela primeira vez, a proposta de reforma da Previdência enviada pelo governo ao Congresso. A PEC da Nova Previdência tem o apoio de 44% da população, ainda que 21% divirjam parcialmente do texto. Outros 51% discordam da PEC, mas nesse grupo 22% acreditam que alguma reforma seja necessária.

No total, para 62% dos entrevistados é necessária uma reforma da Previdência (eram 61% em abril), e 32% disseram não ser necessária (33% em abril).

A pesquisa foi realizada pela XP Investimentos em parceria com o Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas (Ipespe).

(Por Pedro Fonseca, no Rio de Janeiro, e Ricardo Brito, em Brasília)


09/05/2019
Por Edilson Silva em Política

Corrupção: Coronel Lima se apresenta na sede da Polícia Federal pouco antes do prazo

JOVEM PAN – Após o ex-presidente Michel Temer se apresentar na Superintendência da Polícia Federal nesta quinta-feira (9), às 15h, o coronel reformado João Baptista Lima fez o mesmo pouco antes de vencer o prazo estipulado pela juíza, que seria às 17h. Lima chegou na sede da PF por volta das 16h45min, acompanhado dos advogados e de carros dos agentes da PF.

Ele ficará preso em uma unidade militar na cidade de São Paulo, como havia sido solicitado pelos seus advogados, para ficar mais perto da família.

Lima é apontado como o operador financeiro de Temer e é investigado por corrupção, peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa por envolvimento no desvio de R$ 1,8 bilhão das obras da usina nuclear de Angra 3, operada pela Eletronuclear.

Nesta quarta-feira (8), a 1ª Turma Especializada do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2) determinou que Temer e o coronel Lima voltem à prisão em outro caso, no qual são acusados de desvios nas obras da usina nuclear de Angra 3. Este processo corre na Justiça Federal do Rio de Janeiro, no âmbito da Operação Lava Jato.

A corte acolheu, por 2 votos a 1, o recurso apresentado pelo Ministério Público Federal. O ex-presidente e o Coronel Lima, foram presos no dia 21 de março, na Operação Descontaminação. Eles foram soltos quatro dias depois.

A força-tarefa da Lava Jato acusa Michel Temer de chefiar uma quadrilha que desvia dinheiro público há 40 anos. Segundo o MPF, o grupo de Temer já desviou R$ 1,8 bilhão dos cofres públicos.


09/05/2019
Por Edilson Silva em Política

Temer (Corrupto do MDB) chega à sede da Polícia Federal (PF) em SP

Conversa Afiada – O ex-presidente Michel Temer (MDB), de 78 anos, se apresentou à Justiça em São Paulo na tarde desta quinta-feira (9) para cumprir prisão após revogação do habeas corpus. Ele deixou sua casa, na Zona Oeste da capital, e seguiu escoltado até a Superintendência da Polícia Federal (PF).

Temer disse que iria se apresentar “voluntariamente”, ao contrário do que ocorreu em 21 de março, quando foi abordado na rua e preso por policiais federais em um desdobramento da operação Lava Jato no Rio.

O comboio com o ex-presidente saiu de sua casa às 14h40 e chegou menos de 20 minutos depois à sede da PF, na Lapa, também na Zona Oeste de São Paulo.

Na noite de quarta-feira (8), a 1ª Turma do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2) decidiu, por 2 votos a 1, pela revogação do habeas corpus e o retorno à prisão de Temer e de João Baptista Lima Filho, o coronel Lima, amigo do ex-presidente. Eles estavam soltos desde o dia 25 de março após decisão liminar do desembargador Ivan Athié.

(…)

Por 2 votos a 1, a 1ª Turma do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2) votou nesta quarta-feira (8) pela revogação do habeas corpus do ex-presidente Michel Temer e de João Baptista Lima Filho (Coronel Lima), amigo dele. Com a decisão, os dois terão que voltar à prisão.

O ex-ministro e ex-governador do Rio Moreira Franco e outros cinco acusados tiveram o habeas corpus mantido.

  • Michel Miguel Elias Temer Lulia, ex-presidente – voltará a ser preso
  • João Baptista Lima Filho (coronel Lima), amigo de Temer – voltará a ser preso
  • Wellington Moreira Franco, ex-ministro do governo Temer
  • Maria Rita Fratezi, arquiteta e mulher do coronel Lima
  • Carlos Alberto Costa, sócio do coronel Lima na Argeplan
  • Carlos Alberto Costa Filho, diretor da Argeplan e filho de Carlos Alberto Costa
  • Vanderlei de Natale, sócio da Construbase
  • Carlos Alberto Montenegro Gallo, administrador da empresa CG IMPEX

Os acusados estão soltos desde o dia 25 de março, após decisão liminar de Ivan Athié.

(…)


08/05/2019
Por Edilson Silva em Educação, Política

Alunos e servidores da UFRN e do IFRN protestam contra cortes do Bolsonaro

Alunos e servidores de diferentes campi do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN) e da Universidade Federal do Rio Grande do Norte protestam nesta quarta-feira (8) contra os cortes orçamentários anunciados pelo Governo Federal. O ato aconteceu em Natal, no cruzamento entre as avenidas Salgado Filho e Bernardo Vieira, em frente ao Campus Central do Instituto.

Por volta das 17h os manifestantes saíram em caminhada pela Avenida Salgado Filho, no sentido Zona Sul. Com faixas e cartazes, eles entoam cantos e frases em defesa da educação e da ciência.

“A gente faz pesquisa de ponta em várias áreas, em várias linhas dentro da neurociência no Instituto do Cérebro e isso exige que a gente tenha financiamento, se a gente não tem vai acabar havendo uma saída de cientistas do país. Teve um movimento de retorno, da repatriação de cientistas em 2008 e 2009, onde muitas pessoas que saíram do país querendo ter melhores condições de trabalho, voltaram para o Brasil querendo construir uma ciência de primeiro mundo aqui. Mas agora vai ficar inviável porque a gente não tem como sustentar um laboratório, uma pesquisa se a gente não tem financiamento pra isso. E se a gente não tem como fazer pesquisa a educação vai ficar altamente comprometida”, disse Geissy Araújo, pós-doutoranda em neurociências do Instituto do Cérebro.

Juntas, UFRN, IFRN e Ufersa tiveram cortes anunciados de R$ 101 milhões no orçamento. Em entrevista ao G1, a reitora da UFRN, Ângela Paiva, afirmou que com o corte no orçamento a instituição deverá demitir 1.545 servidores terceirizados e suspender parcial ou totalmente suas atividades ainda em setembro deste ano.

O IFRN também terá dificuldade de manter a estrutura dos campi. De acordo com o professor Márcio Azevedo, pró-reitor de Pesquisa e Inovação que está respondendo pela instituição, diz que uma das áreas afetadas é a manutenção das unidades.

Além disso, ainda segundo o docente, o Instituto Federal terá dificuldade de comprar insumos e garantir a manutenção dos laboratórios. Bolsas de pesquisa e extensão também devem ser cortadas, por falta de dinheiro. “E essas bolsas são muito importantes, porque os estudantes praticam nesses projetos de extensão o que aprendem em sala de aula”, acrescenta Azevedo.

O professor afirma que as aulas de campo também serão comprometidas, porque o IFRN não terá como arcar com as diárias de motoristas e com o combustível do transporte. “Aulas que são muito importantes para os cursos de Geologia e Controle Ambiental, por exemplo”, diz.

Márcio Azevedo responde pela administração do Instituto Federal no Rio Grande do Norte interinamente, pois o reitor, Wyllys Farkatt, está em Brasília. Segundo Azevedo, Farkatt tem reuniões marcadas com a bancada federal potiguar e com o Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif).

Os encontros, em que os representantes de cada estado também vai tentar acesso aos secretários do Ministério da Educação, visam a tentar solucionar a questão da diminuição da verba.

O professor Márcio Azevedo explica que, como o corte é referente a todo o orçamento, contudo incidirá sobre o segundo semestre, acaba tendo um maior impacto. “No fim das contas, é como se fosse mais de 30%, porque recairá sobre o dinheiro disponível para o segundo semestre, a parte do orçamento que não foi gasta”.

G1


08/05/2019
Por Edilson Silva em Política

Temer (Ladrão do MDB) e seu assessor na cadeia

TRF-2 acaba de determinar nova prisão de Michel Temer (MDB) e de seu assessor João Baptista Lima Filho, o coronel Lima.

Votaram pela retomada da prisão preventiva os desembargadores Abel Gomes e Paulo Espírito Santo. Ficou vencido o relator, Ivan Athié.


06/05/2019
Por Edilson Silva em Educação, Política

Protesto: Alunos do Pedro II cercam Bolsonaro no Rio

Alunos, pais e professores de colégios federais do Rio realizam, na manhã desta segunda-feira (6), um protesto em frente ao Colégio Militar do Rio de Janeiro, na Tijuca, Zona Norte. Lá, o presidente Jair Bolsonaro participou de solenidade de comemoração pelos 130 anos da instituição.

Na semana passada, o Ministério da Educação (MEC) anunciou o corte de verba de 30% das universidades e institutos federais. Entre eles, o Colégio Pedro II (CPII), um dos mais tradicionais da cidade, com 13 mil alunos. O acesso a um dos 14 câmpus é por concurso, sempre disputado.

Além do CPII, participam do ato estudantes do Instituto Federal de Ciência e Tecnologia (IFRJ), do Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (Cefet-RJ), da Fundação Osório e do Colégio de Aplicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (CAp-UFRJ).

(…) Para Davi Marques da Costa, pai de uma aluna do 8º ano do Colégio de Aplicação da UFRJ (CAP-UFRJ), o corte representa o descumprimento das promessas do presidente durante a campanha eleitoral.

“Ele falou em campanha que ia dar ênfase para a educação de base e ensino médio, e isso ele não fez. Cortar verba da UFRJ é cortar verba em outros setores. A UFRJ tem hospital, ele também corta verba do hospital, tem centro de pesquisa de ponta do RJ”, criticou Davi.

(…) Ex-aluno do Colégio Pedro II e pai de estudante da unidade, o advogado Carlos Henrique de Carvalho ressalta que é fundamental a participação estudantil contra o corte de verba.

“Esse problema não afeta somente estudantes do Pedro II, afeta toda a população. Outros cortes em outros setores estratégicos podem vir, e é importante que haja uma resposta popular”, declarou Carlos Henrique.

Em um comunicado divulgado na quinta-feira (2), diretores do CPII disseram que o corte de 36,37% é tão grande que terá “implicações devastadoras” e “consequências para a manutenção” da instituição. (…)

Via – Conversa Afiada


06/05/2019
Por Edilson Silva em Educação, Política

Alunos, pais e professores protestam contra os desmandos do governo Bolsonaro

Aos poucos, a população vai se organizando contra os desmandos do governo. Primeiramente, por pautas específicas, que afetam diretamente as famílias. Esta é sempre a primeira etapa. Em breve, terá início a segunda etapa, das lutas organizadas por pautas maiores. E aí começará, de fato, a derrocada do governo de Jair Bolsonaro.

No Rio manifestantes protestam contra o corte de verbas de instituições federais durante a visita do presidente Jair Bolsonaro ao Colégio Militar na Tijuca, na Zona Norte do Rio, na manhã desta segunda-feira. O ato conta com alunos, pais e professores dos colégios Pedro II (CPII), Instituto Federal de Ciência e Tecnologia (IFRJ), Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (Cefet-RJ), Fundação Osório e o Colégio de Aplicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Cap-UFRJ).

Mesmo com o som alto do evento no colégio, é possível ouvir os manifestantes que protestavam contra Bolsonaro em frente ao Colégio Pedro II, na calçada oposta ao da unidade escolar militar. O protesto critica o corte de 30% da verba das universidades e institutos federais, anunciado na semana passada pelo Ministério da Educação (MEC).

Via: O Cafézinho


04/05/2019
Por Edilson Silva em Política, RN

Bolsonaro corta: UFRN, IFRN e Ufersa têm cortes de R$ 101 milhões no orçamento

As universidades e o instituto federal do Rio Grande do Norte terão cortes orçamentários de aproximadamente R$ 101,8 milhões, em custeio e investimentos, após anúncio feito pelo Ministério da Educação, de que irá cortar 30% do orçamento de todas as instituições no país.Em algumas das instituições, há risco de suspensão de serviços e inviabilização das atividades, segundo os representantes.

Na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), o corte será de cerca de R$ 59 milhões, de acordo com o pró-reitor adjunto de Planejamento, Jorge Dantas. O valor contingenciado atinge principalmente as áreas de custeio e investimento da instituição e representa cerca de 25% de um orçamento total de aproximadamente R$ 250 milhões.

“Mas isso não reflete exatamente a situação, porque esse valor total do orçamento engloba, por exemplo, as autorizações de receita de arrecadação da instituições, através das especializações, por exemplo, a assistência estudantil, que não sofreu cortes e os benefícios previstos em lei para os servidores”, ressalta.


03/04/2019
Por Edilson Silva em Caicó, Política

Prefeito Batata viabiliza pagamento de contratos deixados pela gestão de 2016

O prefeito de Caicó, Robson de Araújo (Batata) está informando através da secretaria de Tributação e Finanças que nesta quarta-feira (03), a prefeitura de Caicó conclui o pagamento dos contratos que ficaram pendentes de 2016.

Logo no início do seu governo em 2017, o prefeito Batata conseguiu com sua equipe econômica viabilizar um pagamento de cinco milhões que também foi herdado da gestão de 2016 e atualmente com um trabalho dinâmico os salários dos servidores estão em dia.

“As pessoas contratadas que ficaram sem receber seus salários de novembro, dezembro e décimo terceiro de 2016, o município conclui o referido pagamento nesta quarta. Já receberam os contratados da Assistência Social, Educação e nesta quarta será concluído o pagamento dos contratos da saúde”, confirmou o secretário municipal de Tributação e Finanças, Francisco Oliveira.

O secretário tinha planejado e noticiado que o pagamento seria feito até o final de março, mas houve uma pequena adequação no prazo informado, mas o compromisso de pagar os atrasados de 2016 foi mantido e o pagamento está sendo concluído nesta quarta.


21/03/2019
Por Edilson Silva em Política

CORRUPÇÃO: Prisão de Moreira Franco (MDB) teve perseguição com participação de taxista

Moreira Franco, ex-ministro de Minas e Energia, foi preso na manhã desta quinta-feira, 21, após desembarcar no aeroporto internacional Tom Jobim, em uma ação que contou até com uma perseguição que teve a participação de um taxista.

O jornalista Rodolfo Schneider revelou ao Band News TV que o taxista Paulo Roberto foi abordado por agentes da Polícia Federal para ajudar no cumprimento do mandato de prisão de Moreira Franco.

Quatro agentes da PF esperavam pelo ex-ministro no aeroporto, mas ele acabou saindo por uma outra porta e entrou em uma SUV, modelo Volvo, na cor marrom.

Os policiais acabaram surpreendidos, e como estavam longe da viatura, pediram ajuda para um taxista que trabalha na cooperativa do aeroporto e chegava para pegar uma passageiro. Eles ordenaram que Paulo Roberto seguisse o Volvo, utilizasse a faixa seletiva do BRT. Eles conseguiram ultrapasar o carro de Moreira, foi quando os agentes desceram e realizaram a prisão.




Facebook


Twitter