Eclipse solar total escurece e emociona o sul do Chile e Argentina

O céu ficou completamente escuro por cerca de dois minutos nesta segunda-feira (14) no sul do Chile e Argentina por causa de um novo eclipse solar total. O fenômeno comoveu as milhares de pessoas que se deslocaram para essas áreas para ver o espetáculo natural.

A noite começou a cair por volta das 13h00min locais (mesmo horário em Brasília). Uma leve brisa antecedeu o fenômeno, ocorrido em meio à alegria das pessoas na praia, aos pés do Lago Villarrica, na cidade de Pucón, na região de La Araucanía, aproximadamente 800 km ao sul de Santiago, parte da “zona zero” de escuridão total deste novo eclipse solar, o segundo presenciado no Chile depois de julho de 2019.

Chuva, vento e nuvens cobriram os céus do sul do Chile e da Argentina durante toda a manhã. Mas no momento do eclipse no sul do Chile, um círculo se abriu entre as nuvens e o sol.

“Foi lindo, único. A verdade é que ninguém tinha muita esperança de vê-lo por causa do tempo e das nuvens, mas foi algo único porque clareou. Foi um milagre”, contou, animado, Matías Tordecilla, de 18 anos, à AFP. “É algo que não se vê apenas com os olhos, mas se sente com o corpo”, acrescentou este jovem, que viajou 10 horas por terra com sua família da cidade de Viña del Mar a Pucón para ver o eclipse.

Milhares de pessoas vieram de diferentes partes do Chile para esta cidade turística, apesar dos pedidos para “ficar em casa” para evitar a propagação do novo coronavírus. No momento do eclipse, Cinthia Vega, moradora de Pucón, sentiu “calafrios”.

Em Carahue, outra cidade do sul do Chile, mais perto da costa, o eclipse foi visto em um clima calmo, com muitas orações Mapuche – os indígenas e primeiros habitantes do Chile e da Argentina – que veem neste fenômeno o fim de uma era e o início de um novo processo de mudança.

Em Santiago, capital do Chile, o fenômeno também pôde ser apreciado. O céu escureceu um pouco e a temperatura caiu.

Apesar das restrições à mobilidade para evitar a propagação de casos de covid-19, cerca de 300.000 turistas viajaram ao sul do Chile para ver ao vivo o momento em que a Lua, o Sol e a Terra estavam alinhados, transformando o meio-dia em noite, tendo como pano de fundo a vegetação abundante e os imponentes vulcões que esta região do sul do Chile oferece.

Argentina

Depois de passar pelo Chile, o eclipse foi vivido com igual emoção no sul da Argentina. Na província argentina de Neuquén não choveu, mas durante a manhã surgiu um vento muito forte que atrapalhou a visibilidade.

Na rota 237, entre Villa El Chocón e Piedra del Águila, havia um acampamento onde várias famílias e estrangeiros aguardavam a chegada do eclipse. Um grupo relatou a odisseia de chegar à Argentina em meio à pandemia e conseguir diversos documentos para chegar a Bariloche e, finalmente, no acampamento, uma jornada que inclui a coleta de ao menos três cotonetes para exames e a contratação de seguro saúde.

Visão Mapuche

Para o povo indígena Mapuche, que concentra grande parte de suas comunidades nesta região do Chile, o eclipse tem um significado especial e anuncia mudanças a curto e longo prazo, abrindo a página para um novo ciclo.

Quando a Lua cobre o Sol, ela traz uma mensagem de mudança, às vezes negativa, mas também de equilíbrio.

Assim, alguns mapuches atribuíram as mudanças sociais e políticas que abalaram o Chile desde outubro de 2019 ao eclipse solar total ocorrido em 2 de julho daquele ano em uma espécie de festa massiva no deserto do norte do país.

Compartilhe aqui:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*