Corrupção no RN – Rita das Mercês aponta Robinson Faria como principal beneficiário dos desvios na Assembleia Legislativa

O desvio de dinheiro da Assembleia Legislativa, segundo o relato da ex-Procuradoria-Geral Rita das Mercês, em delação firmada com o MPF e homologada pelo Ministro do STF, Edson Fachin, teve início em 2006 com o objetivo de arrecadar dinheiro para o então presidente da AL e atual governador Robinson Faria (PSD).

Rita disse que o esquema teria seguido na gestão dos ex-presidentes da Casa, Ricardo Motta e Ezequiel Ferreira.

Outro lado

Robinson Faria: a defesa representada pelo advogado José Luís Oliveira Lima não se pronunciou ainda e a assessoria do Governo do Estado disse que não irá se pronunciar sobre a Operação Dama de Espadas, “por se tratar de assunto de âmbito pessoal e anterior ao cargo de governador”.

Ricardo Motta: a defesa representada pelo advogado Thiago Cortez disse que vai se manifestar nos autos do processo, “entendendo que a delação não trouxe nenhum elemento novo de prova é que será comprovado que não houve nenhum dos fatos ali narrados. Que a simples palavra do colaborador deve ser provada de forma cabal e não apenas por presunção”.

Ezequiel Ferreira: sua assessoria jurídica informou que não teve acesso aos termos da colaboração de Rita das Mercês: “O deputado rechaça a existência de irregularidade no exercício de seu mandato e se coloca à disposição da Justiça ou de qualquer órgão de investigação para esclarecimentos, caso sejam necessários”.

Todos os detalhes da delação de Rita estão na edição impressa da Tribuna do Norte.

Compartilhe aqui:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*