Colega de técnica repassou vídeo de corpo de Cristiano Araújo, diz polícia

dsc9928
Rapaz enviou imagens para duas tias, mas não explicou motivo ao delegado. Justiça já determinou que material seja retirado do Google e do Facebook.

O estudante de enfermagem Leandro Almeida Martins, de 24 anos, prestou depoimento e assumiu que passou o vídeo feito em uma clínica de Goiânia durante a preparação do corpo do cantor Cristiano Araújo para duas tias, segundo a Polícia Civil. Os esclarecimentos foram feitos no fim da tarde de sexta-feira (26). As imagens foram feitas pela colega de sala do rapaz, Márcia Valéria dos Santos que trabalhava no local. O músico morreu em um acidente de carro na BR-153, quando voltava de um show.

Segundo a polícia, a técnica confessou que gravou o vídeo e enviou ao jovem. A Justiça já solicitou ao Google e Facebook que as imagens sejam retiradas da internet. As imagens foram gravadas na Clínica Oeste. No vídeo, o técnico em tanatopraxia (procedimento de retirada dos fluídos do corpo para o enterro) Marco Antônio Ramos, 41, aparece fazendo os preparativos no corpo para o funeral. O arquivo acabou vazando nas redes sociais e causando grande revolta em fãs e, principalmente, familiares. A assessoria de imprensa da Clínica Oeste informou ao G1 que os funcionários já foram demitidos.

Em nota, o estabelecimento afirmou que repudia a ação dos empregados. “A Clínica Oeste existe há quatro anos e reitera seu compromisso com a ética, a transparência, o zelo pela prestação do serviço e o respeito às famílias, e se solidariza com todos os que, como ela, repudiam tal ato”, destacou o texto.

“O Leandro não soube explicar o motivo de ter divulgado o vídeo para as tias, disse apenas que recebeu da Márcia e divulgou. Mas ele falou que apagou logo em seguida e não sabe como essas imagens chegaram a tantas pessoas”, explicou Eli José de Oliveira, responsável pelo caso. Assim como os dois técnicos em tanatopraxia, o jovem será indiciado pelo crime de vilipendiar cadáver (desrespeito ao corpo), com pena que vai de um a três anos de prisão.

Ainda segundo o investigador, as duas tias serão ouvidas na próxima semana para saber se elas repassaram para mais pessoas. “Informações antecipadas que nós tivemos por parte do Leandro é que elas não teriam passado para mais ninguém. Mas ainda é cedo concluir se ele só passou para as duas, se elas realmente não repassaram ou até mesmo se a Márcia não enviou para outras pessoas também”, disse Oliveira.

Via G1

Compartilhe aqui:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*