28/09/2017
Por Edilson Silva em Política

Temer (PMDB) é notificado de denúncia por obstrução e organização criminosa

O presidente Michel Temer foi notificado na tarde desta quarta-feira (27) para que apresente a sua defesa da denúncia encaminhada contra ele pela PGR (Procuradoria-Geral da República) por obstrução judicial e organização criminosa.

O primeiro-secretário da Câmara dos Deputados, Fernando Giacobo (PR-PR), entregou o documento ao subchefe de Assuntos Jurídicos da Casa Civil, Gustavo Rocha, no Palácio do Planalto.

O assessor presidencial também recebeu as notificações contra os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria-Geral).

Na saída do encontro, o parlamentar, que é aliado do presidente, lamentou o que chamou de “mar de corrupção no país”. Para ele, vive-se um momento triste no Brasil.

“O meu sentimento é de tristeza e estou aqui cumprindo meu papel institucional. Como cidadão brasileiro, estou triste pelo momento que passa o Brasil com esse mar de corrupção”, disse.

Ele lembrou que, na primeira denúncia, votou contra o prosseguimento da acusação, mas que não tomou uma decisão sobre a segunda. “Nós vamos analisar também para ver se há algum elemento diferente”, disse.

CCJ

Com a notificação do peemedebista, o processo é enviado à CCJ (Comissão de Constituição e Justiça), a quem caberá dar o parecer sobre o caso.

A palavra final será do plenário. É preciso o apoio de pelo menos 342 dos 513 parlamentares para que o STF (Supremo Tribunal Federal) seja autorizado a analisar a denúncia.

Se o aval for dado e a corte aceitá-la, é aberto o processo, com o consequente afastamento do presidente do cargo.

A intenção do governo federal é acelerar a votação, já que avalia ter apoio para barrar a denúncia.


28/09/2017
Por Edilson Silva em Política

Brasileiro é o que menos confia em seus políticos

Um estudo do Banco Mundial, em parceria com Fundação Dom Cabral, divulgado nesta quarta-feira (27), apresenta o Brasil na 137ª posição do sub-item “Confiança do público nos políticos”. Esse é o último lugar, já que são 137 os países que compõem o Índice.

Em 2008, o país ficou na posição 122 nesse item, comparado com 134 nações. Em 2013, ano dos protestos que levaram milhões às ruas contra o aumento das tarifas do transporte público nas capitais, o Brasil tinha caído para a posição 136 de um total de 148 países. No ano passado, em uma escala que vai de 1 a 7, a nota de confiança dos políticos brasileiros não passou de 1,3. O primeiro do ranking, Cingapura, marcou 6,4 pontos.

A corrupção é apontada pelo estudo como um dos piores problemas para a competitividade do Brasil. Esse item só perde para a carga tributária do país. No item “efeito da tributação no incentivo para trabalhar”, o Brasil também ocupa o último lugar. No “efeito da tributação no incentivo para investir”, o penúltimo posto. No ranking de países mais corruptos, o Brasil está em quinto, atrás apenas de Venezuela, Paraguai, República Dominicana e Chade.


22/09/2017
Por Edilson Silva em Política

Deputado defende intervenção militar no Brasil

Depois de o general Antonio Hamilton Mourão, secretário de Economia e Finanças do Exército, defender a intervenção militar no Brasil – e ser “enquadrado” pelo comandante das Forças Armadas, general Eduardo Villas Bôas –, coube a um deputado federal a proposta de extinção do Congresso Nacional com a consequente tomada de poder pelos militares.

A proposta vem de um parlamentar oriundo da base da Polícia Militar: Cabo Daciolo (PTdoB-RJ), eleito deputado federal em 2014 pelo PSOL – partido que é radicalmente contra a ideia. No meio da votação sobre o fim das coligações partidárias e motivado pela polêmica do general Mourão, Cabo Daciolo defendeu, na tribuna da Câmara, o fechamento do Congresso Nacional. Segundo o parlamentar, no Legislativo “só tem corruptos”.

Vários deputados reagiram e pediram punição a Daciolo e que seu discurso fosse excluído dos anais da Casa. O parlamentar pode ser alvo de uma representação por quebra de decoro parlamentar no Conselho de Ética da Câmara. As informações são da Agência Estado.

Em mais uma dissonância com a legenda pela qual foi eleito, o deputado atacou a homossexualidade. “Vamos colocar a bandeira do Brasil nos nossos lares, contra a corrupção e pela denúncia aprovada no STF (Supremo, contra Michel Temer). E mais, o ‘homossexualismo’ é pecado e está escrito que ele (o homossexual) não vai para o céu.

Assim como não vão o alcólatra, o adúltero, o ladrão e o corrupto. E Deus está no controle. E que se feche o Congresso Nacional, com intervenção federal, com um governo provisório para acertar a nação”, disse Daciolo, que foi expulso do PSOL em 2015 depois que defendeu a liberação dos 12 policiais acusados de torturar o pedreiro Amarildo de Souza, caso emblemático ocorrido numa favela do Rio em 2013. O partido, porém, preferiu não retirar o mandato dele.


22/09/2017
Por Edilson Silva em Policial, Política

Funaro diz que Temer, Cunha e Henrique Alves (PMDB) levaram R$ 250 milhões da Caixa

Em delação premiada, o doleiro Lúcio Bolonha Funaro afirmou que o grupo político formado pelo presidente Michel Temer e pelos ex-deputados Eduardo Cunha e Henrique Alves recebeu cerca de R$ 250 milhões em propinas decorrentes de créditos da Caixa Econômica Federal, repassados pelas vice-presidências de Pessoa Jurídica e Fundos de Governo e Loterias. As duas áreas foram controladas pelo PMDB e comandadas por Geddel Vieira Lima e Fábio Cleto. Operador financeiro do partido, Funaro disse que Cunha funcionava como um “banco de propina” para deputados e, depois, virava o “dono” dos mandatos de quem era beneficiado.

O doleiro afirmou não saber exatamente o valor da propina repassada a Cunha, “mas sabe que este sempre distribuía parte da propina recebida com Henrique Eduardo Alves e Michel Temer, fora outros deputados aliados”.

O ex-ministro Geddel Vieira Lima ocupou o cargo na Caixa entre 2011 e 2014. Segundo Funaro, apenas na área de Geddel o grupo liberou entre R$ 5 bilhões e R$ 8 bilhões para empresas em troca de vantagens. Um valor igual ou superior a este teria sido liberado pelo setor comandado por Cleto. Funaro disse que Geddel recebeu, sozinho, no mínimo R$ 20 milhões e continuou a operar mesmo depois de deixar o cargo, até fevereiro de 2015. As informações são de CLEIDE CARVALHO E GUSTAVO SCHMITT, O Globo.

A assessoria do Planalto afirmou, por e-mail, que “o valor da delação e das palavras do doleiro Lúcio Funaro é zero, como já registrou a própria Procuradoria-Geral da República”.

Para o Grupo J&F, dos irmãos Joesley e Wesley Batista, relatou Funaro, foram liberados cerca de R$ 3,04 bilhões em troca de propinas. Foram R$ 1,35 bilhão para a holding J&F e o restante para empresas do grupo — R$ 200 milhões para a Vigor, R$ 250 milhões para a Flora e R$ 300 milhões em crédito para exportação para a Eldorado, além de R$ 940 milhões de debêntures adquiridas.

Os irmãos Batista só não pagaram o pedágio dos políticos, segundo o delator, para o empréstimo de R$ 2,7 bilhões feito para a compra da Alpargatas e outro R$ 1 bilhão tomado pela Seara — os dois feitos após Geddel deixar o cargo. Em uma única operação, de R$ 300 milhões para a holding J&F, o grupo político de Temer teria recebido R$ 9,75 milhões. O percentual das propinas, segundo o delator, variava de 2,7% a 3,4% da operação.


22/09/2017
Por Edilson Silva em Política

Aécio vem à tona nas redes e leva surra de internautas

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) resolveu twittar sobre a mudanças nas regras eleitorais para 2018 e tomou uma surra dos internautas na rede social. Segundo as mais recentes pesquisas eleitorais, Aécio é o político mais rejeitado do Brasil: 70% dos eleitores dizem que não votariam no tucano de jeito nenhum.

Com as mudanças, a vontade dos eleitores prevalecerá, pondo fim a legendas de aluguel e à eleição de parlamentares sem voto.

Após o tweet sobre o fim das coligações partidárias, Aécio recebeu uma saraivada de críticas: “A vontade dos eleitores era vc está preso. Corrupto de marca maior como vc tem a cara de pau de falar em vontade de eleitores”, escreveu um dos usuários. Um outro respondeu ao tucano que “minha vontade era de ve.lo respondendo seu processo com um minimo de dignidade e honradez”.


21/09/2017
Por Edilson Silva em Política

Zenaide Maia assume presidência da câmara

A deputada federal Zenaide Maia assumiu a presidência da Câmara durante a solenidade de entrega do Prêmio Brasil mais inclusão, nesta quarta-feira (20), em Brasília. Durante a solenidade, um dos agraciados foi o Instituto de Educação e Reabilitação de Cegos do Rio Grande do Norte, indicado pela parlamentar. O Instituto recebeu o prêmio através de sua representante Diretora Administrativa Senhora Gleide Dias de Medeiros.

A solenidade foi realizada no final da manhã, no Plenário Ulysses Guimarães da Câmara dos Deputados. A iniciativa destaca o trabalho de entidades e personalidades que atuam na inclusão de pessoas com deficiência.

O Prêmio Brasil Mais Inclusão é destinado a empresas, entes federados (União, estados, Distrito Federal e municípios), entidades ou personalidades que tenham realizado ações em prol da inclusão de pessoas com deficiência.

Esta foi uma das mais concorridas edições da premiação e a que conseguiu maior representação nacional, com agraciados do Paraná, Minas Gerais, Rio Grande do Norte, São Paulo, Rondônia, Distrito Federal, Rio de Janeiro, Santa Catarina e Paraíba.

O prêmio

O Prêmio Brasil Mais Inclusão é concedido anualmente, durante a semana em que se comemora o Dia Nacional da Luta da Pessoa com Deficiência (21 de setembro). Os dez vencedores são contemplados com diplomas de menção honrosa.

A Câmara vem atuando para promover a inclusão da pessoa com deficiência. Em 2015, foi aprovado o Estatuto da Pessoa com Deficiência (Lei 13.146/15). Também foram criadas a Comissão Permanente sobre Direitos da Pessoas com Deficiência e a Coordenação de Acessibilidade, esta última com a finalidade de fomentar a acessibilidade no País.


19/09/2017
Por Edilson Silva em Policial, Política

Governador do RN é denunciado em processo que apura desvio de recursos na Assembleia Legislativa do Estado

G1 – O governador do Rio Grande do Norte, Robinson Mesquita de Faria (PSD), foi denunciado pela Procuradoria-Geral da República (PGR) nesta segunda-feira (18), com base no processo que apurou desvio de recursos na Assembleia Legislativa do estado. A denúncia está no gabinete do ministro Raul Araújo, do Superior Tribunal de Justiça. A informação foi confirmada pelo STJ.

A denúncia ainda vai passar pela apreciação da Corte Especial do STJ. Ainda não há data prevista para isso. Se aceita, o governador se tornará réu. Junto com Robinson Faria, foram denunciados os servidores Magaly Cristina da Silva e Adelson Freitas dos Reis, assessores de confiança do governador e presos por uma operação da Polícia Federal no dia 15 de agosto. Na ocasião, o governador também foi alvo de mandados de busca e apreensão.

O advogado José Luis Oliveira Lima, que representa Robinson Faria, foi procurado pelo G1 e afirmou que só irá se manifestar após ter acesso à denúncia.

A operação Anteros apurou manobras ilegais por parte de Robinson Faria e de servidores do governo potiguar para impedir investigações sobre os desvios na Assembleia Legislativa

Os dois são suspeitos de tentar comprar o silêncio da ex-procuradora da Assembleia, Rita das Mercês, a mando do governador. O objetivo seria impedir que ela firmasse acordo de delação premiada com o Ministério Público para denunciar os desvios de recursos do Legislativo, mas a ex-procuradora não cedeu e firmou acordo de delação com o MPF.


18/09/2017
Por Edilson Silva em Policial, Política

Intervenção Militar: General do Exército ameaça ‘impor solução’ para crise política no país

Um general da ativa no Exército, Antonio Hamilton Mourão, secretário de economia e finanças da Força, afirmou, em palestra promovida pela maçonaria em Brasília na última sexta-feira (15), que seus “companheiros do Alto Comando do Exército” entendem que uma “intervenção militar” poderá ser adotada se o Judiciário “não solucionar o problema político”, em referência à corrupção de políticos.

Mourão disse que poderá chegar um momento em que os militares terão que “impor isso” [ação militar] e que essa “imposição não será fácil”. Segundo ele, seus “companheiros” do Alto Comando do Exército avaliam que ainda não é o momento para a ação, mas ela poderá ocorrer após “aproximações sucessivas”.

“Até chegar o momento em que ou as instituições solucionam o problema político, pela ação do Judiciário, retirando da vida pública esses elementos envolvidos em todos os ilícitos, ou então nós teremos que impor isso.”

O general afirmou ainda: “Então, se tiver que haver, haverá [ação militar]. Mas hoje nós consideramos que as aproximações sucessivas terão que ser feitas”. Segundo o general, o Exército teria “planejamentos muito bem feitos” sobre o assunto, mas não os detalhou.


14/09/2017
Por Edilson Silva em Policial, Política

Temer (PMDB) é acusado de liderar organização criminosa que desviou 587 milhões dos cofres públicos

A três dias de deixar o cargo, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, apresentou nesta quinta-feira 14 a segunda denúncia contra Michel Temer, desta vez por organização criminosa e obstrução de Justiça.

Com mais de 200 páginas, a nova acusação tem como base a delação da JBS, atualmente suspensa pelo Supremo Tribunal Federal, e a colaboração de Lúcio Funaro, operador do PMDB ligado ao ex-deputado Eduardo Cunha, preso em Curitiba.

Janot denunciou a cúpula do PMDB da Câmara, alvo de um inquérito da Polícia Federal enviado ao STF na segunda-feira 11. Segundo a investigação, integram a organização liderada por Temer os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria-Geral) e os ex-deputados Eduardo Cunha (RJ), Geddel Vieira Lima (BA) e Henrique Alves (AL). Os três últimos estão presos.

Segundo o PGR, o esquema desenvolvido permitiu que os denunciados recebessem pelo menos 587 milhões de reais em propina. Segundo relatório da PF da segunda-feira 11, Temer se beneficiou de 31,5 milhões de reais ao utilizar terceiros para executar tarefas ilegais.

Segundo a denúncia, eles praticaram ações ilícitas em troca de propina por meio da utilização de diversos órgãos públicos, como Petrobras, Furnas, Caixa Econômica, Ministério da Integração Nacional e Câmara dos Deputados. A Procuradoria acusa Temer de ter atuado como líder da organização criminosa desde maio de 2016.

De acordo com o relatório dos agentes federais que embasa a denúncia de Janot, a soma dos desvios que beneficiaram diretamente Temer incluem 500 mil reais pagos a Rodrigo Rocha Loures, o “homem da mala”, 10 milhões de reais em doações pelo Grupo Odebrecht, 20 milhões de reais referentes ao PAC SMS da empreiteira e 1 milhão de reais supostamente pago ao coronel João Baptista Lima, pelo Grupo J&F Investimentos.

Além da acusação de chefiar a organização, Temer foi denunciado pelo crime de obstrução de Justiça, baseado principalmente na delação da JBS. Michel Temer é acusado de instigar Joesley Batista a pagar, por meio de Ricardo Saud, vantagens a Roberta Funaro, irmã de Lúcio Funaro.

Os três são denunciados por embaraçar as investigações de crimes praticados pela organização criminosa liderada por Temer.

Organização criminosa

Na denúncia contra a organização criminosa, Janot faz um registro histórico das nomeações e cargos ocupados pela organização criminosa desde a chegada de Lula ao poder, em 2002.A partir de 2016, o grupo do “PMDB da Câmara” passaram a orbitar, diz Janot, em torno de dois interesses primordiais: a prorrogação da CPMF e a a ampliação da base do governo em razão do processo do “mensalão”.

Os temas foram negociados, diz a denúncia, por Temer e Henrique Alves, que teriam trocado o apoio ao governo de Lula em troca de cargos chaves, tais como a Presidência de Furnas, a Vice-Presidência de Fundos de Governo e Loterias na Caixa Econômica, o Ministério da Integração Nacional, a Diretoria Internacional da Petrobras, entre outros.

Segundo a denúncia, o papel de negociar os cargos na organização criminosa era desempenhado por Temer por ter sido ele o grande articulador para a unificação do PMDB em torno do governo Lula.

Os outros integrantes da organização, diz a acusação, eram responsáveis pelos assuntos ilícitos de interesse direto de Temer. A organização adquiriu, segundo Janot, caráter transnacional pelos mecanismos de lavagem de dinheiro utilizados.

A denúncia explica ainda a rápida ascensão de Cunha no PMDB por sua “atuação direta e incisiva na arrecadação de valores lícítos ou ilícitos”. O ex-deputado teria, segundo Janot, deixado de lado o acordo de alternância entre o PT e o PMDB na presidência da Câmara ao se lançar como candidato ao comando da Casa. Ainda segundo a denúncia, os caciques do PMDB achavam que o governo não estava agindo para barrar a Operação Lava Jato.

Janot também destaca que a organização criminosa continuou a cometer crimes nos anos de 2015, 2016 e 2017.

O que ocorre com a denúncia?

Há dúvidas sobre como tramitará a nova denúncia. O STF precisa enviar a acusação à Câmara para os deputados analisarem se autorizam a Corte a transformar Temer em réu, mas há um impasse em relação à delação da JBS.

A Corte deixou para a próxima semana a análise sobre a validade das provas apresentadas pelos executivos da empresa, após a revelação de que o ex-procurador Marcelo Miller atuou na colaboração quando ainda estava no cargo. Se a Corte só encaminhar a denúncia na próxima semana, Janto não estará mais à frente do cargo: ele será substituído por Raquel Dodge a partir da segunda 18.

Caso chegue à Câmara, a denúncia só voltará ao STF caso se terços dos deputados, ou 342 parlamentares, votarem em favor de sua continuidade. Na primeira denúncia apresentada por Janot, baseada nas relações entre Temer e Rocha Loures, os deputados barraram a acusação. Foram 263 votos contra a denúncia, 227 favoráveis, duas abstenções e 19 ausências.


13/09/2017
Por Edilson Silva em Policial, Política

Ex-governador Anthony Garotinho é preso enquanto apresentava programa de rádio

O ex-governador do Rio de Janeiro Anthony Garotinho (PR) foi preso na manhã desta quarta-feira. Ele estava apresentando o programa que mantém na Rádio Tupi, sediada em São Cristóvão, na Zona Norte do Rio, quando agentes da Polícia Federal (PF) apareceram para cumprir um mandado de prisão domiciliar.

Garotinho foi conduzido para a sede da PF em Campos dos Goytacazes, no norte do estado, onde fará exames de corpo de delito e será interrogado. Em seguida, o ex-governador deverá ser levado para a casa onde irá cumprir prisão domiciliar, no bairro da Lapa. Ele terá de usar tornozeleira eletrônica.

A Justiça diz que o grupo chefiado por Garotinho não cessou a prática de crimes durante o período em que o ex-governador esteve em liberdade. A decisão é do juiz Ralph Manhães, da 100º Zona Eleitoral de Campos dos Goytacazes.

O ex-governador é investigado na Operação Chequinho, que apura a suspeita de compra de votos em Campos dos Goytacazes durante as eleições do ano passado. O nome da operação é uma referência ao programa Cheque Cidadão, que teria sido usado como moeda de troca para comprar votos em candidatos à Câmara Municipal. O benefício, que prevê o pagamento de 200 reais a famílias carentes, foi suspenso pela Justiça em setembro de 2016.

Garotinho foi preso na Chequinho em 16 de novembro. O ex-governador passou a cumprir prisão domiciliar após receber autorização para realizar uma cirurgia cardíaca. Em novembro, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) revogou a prisão de Garotinho mediante o pagamento de 88 mil reais.

Procurado, o PR não se manifestou sobre a prisão do ex-governador. A defesa de Garotinho ainda não foi localizada.

Surpresa

O locutor Cristiano Santos foi chamado para substituir Garotinho no programa de Rádio Tupi. Ao anunciar a mudança aos ouvintes, Santos afirmou que o ex-governador teve um problema de saúde e precisou deixar o estúdio. Ele não mencionou a prisão em nenhum momento.

“Nosso Garotinho até tentou, você viu, até tentou fazer o programa hoje, mas a voz foi embora, e a orientação médica é que ele pare de falar. Agora ele tem que se cuidar. O marido que pertence à Rosinha vai se cuidar para amanhã estar de volta, se Deus quiser, quando estiver bom. Já falei com ele, volta quando estiver bom. Eu cuido aqui do programa com muito carinho”, disse Santos.

Histórico

Garotinho, que já foi candidato à Presidência da República em 2002, tem um extenso currículo de escândalos. Entre eles, um dos mais graves foi a suspeita de ter usado seu período no Palácio Guanabara — e também o de sua mulher, Rosinha — para acobertar as ações de um grupo de policiais que, encastelados na chefia da Polícia Civil, barbarizou o Rio de Janeiro cometendo ilícitos variados.

A lista inclui ainda facilitação de contrabando, formação de quadrilha, proteção a contraventores, cobrança para nomeação de delegados, lavagem de dinheiro, corrupção ativa e passiva. Em 2010, Garotinho chegou a ser condenado a dois e meio de prisão pela Justiça Federal do Rio por formação de quadrilha. Na mesma sentença, o ex-chefe da Polícia Civil na sua gestão, Álvaro Lins, foi condenado a 28 anos de reclusão por corrupção passiva, lavagem de bens e formação de quadrilha.

(Com Reuters)


13/09/2017
Por Edilson Silva em Educação, Jucurutu, Política

Prefeito Valdir Medeiros discute criação de Pólo de Cursos Técnicos e Superiores EAD em Jucurutu

Em sua visita à UFRN – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, o prefeito Valdir Medeiros esteve na última terça-feira, 12/09 em contato com a Secretária de Ensino à Distância e Coordenadora da UAB/UFRN, professora Maria Carmem Freire, e o Secretário-Chefe do Gabinete Civil, Ranieri Almeida, onde na ocasião, discutiram acerca da possibilidade de criação de um Pólo de Cursos Técnicos e Superiores EAD, no município de Jucurutu. Nova reunião, para avaliar à estrutura da cidade, foi agendada.


12/09/2017
Por Edilson Silva em Policial, Política

Polícia Federal vê organização criminosa em PMDB da Câmara

A mídia nacional estampa que a Polícia Federal concluiu nesta segunda-feira (11) o inquérito que apura se integrantes do PMDB da Câmara formaram uma organização criminosa para desviar recursos de órgãos públicos. O relatório com as conclusões do inquérito foi enviado para o Supremo Tribunal Federal porque entre os apontados como responsáveis estão políticos com foro privilegiado no STF.

De acordo com o relatório da PF, os investigadores encontraram indícios de formação de organização criminosa que envolvem o presidente Michel Temer, os ex-deputados Eduardo Cunha e Henrique Alves, o ex-ministro Geddel Vieira Lima e os ministros Moreira Franco e Eliseu Padilha, todos do PMDB.


11/09/2017
Por Edilson Silva em Política

Zenaide Maia presente na abertura do 35º Encontro Nacional dos Auditores Fiscais do Trabalho – Enafit

A deputada federal Zenaide Maia esteve presente na abertura do 35º Encontro Nacional dos Auditores Fiscais do Trabalho – Enafit na noite desse domingo (10), no Olimpo Recepções, sendo a única parlamentar a participar, por estar votando contra as reformas trabalhistas.

O Encontro Nacional dos Auditores-Fiscais do Trabalho – Enafit chega à sua 35ª edição retornando a Natal, de 10 a 15 de setembro. A cidade foi palco do Encontro pela primeira vez em 1991. De lá para cá, muita coisa mudou, mas não a generosidade dos Auditores-Fiscais do Trabalho potiguares para receber colegas do país inteiro. Por isso, o 35º Enafit está sendo organizado para ser um encontro de amigos que se reúnem para a discussão técnica e político-sindical e para a confraternização, marcas do evento.


11/09/2017
Por Edilson Silva em Jucurutu, Política

Valdir Medeiros e Ranieri Almeida, Secretário-Chefe do Gabinete participaram do I Fórum de Dirigentes e Sec. de Desenvolvimento Econômico do RN

O Prefeito Municipal, Valdir Medeiros, juntamente com Ranieri Almeida, Secretário-Chefe do Gabinete Civil, participaram nesta segunda-feira (11), do I Fórum de Dirigentes e Secretários de Desenvolvimento Econômico do Rio Grande do Norte, no auditório do Sebrae, em Natal/RN.

As pautas foram voltadas para:

1. Ações desenvolvimentistas dos municípios com base em suas vocações econômicas e novas oportunidades;
2. Criação dos fóruns de desenvolvimento econômico regionais, no RN;
3. Discussões sobre o apoio às micro e pequenas empresas, incluindo os MEI’s; e
4. Importância das secretarias municipais de desenvolvimento econômico como provedoras da implementação de políticas públicas para captação de empresas e aumento do emprego e renda.


11/09/2017
Por Edilson Silva em Policial, Política

Mala, caixa e até cueca: confira ‘esconderijos’ de propina flagrados em 12 anos no país

A imagem de uma montanha de dinheiro atribuída ao ex-ministro Geddel Vieira Lima jogou luz, essa semana, sobre uma situação que, embora devesse ser excepcional, tem se tornado quase rotina no noticiário brasileiro: os flagrantes de corrupção no serviço público. Pelo menos desde 2005, quando um vídeo de um diretor dos Correios recebendo propina fez estourar o escândalo do mensalão, as cenas de políticos colocando dinheiro em malas, cuecas, meias ou qualquer lugar em que pudessem carregar propina se multiplicaram.

Os casos envolvem milhões de reais que deveriam ir para obras e serviços em prol da população. O Estado de Minas listou oito casos em que políticos foram pegos com dinheiro na mão.

Confira:


08/09/2017
Por Edilson Silva em Jucurutu, Política

Jucurutu: Quase 2 milhões injetados em uma semana na economia local

Em Jucurutu no período de uma semana, a gestão municipal do prefeito Valdir Medeiros injetou quase 2 milhões de reais na economia local, isso porque no dia 30/08 foi o pagamento da folha de pessoal, e dia 05/09 o adiantamento de 50% do 13º salário, conforme nos informou o Secretário de Finanças do município, Macilon Bezerra.

Tem sido um compromisso nosso desde que Valdir Assumiu, pagar rigorosamente em dia todos os funcionários, nos afirmou o secretário.

E como forma de aquecer o comercio local na semana da 33ª vaquejada, a gestão deu esse incentivo a mais pagando metade do 13º salario.

Via Célio Alves


08/09/2017
Por Edilson Silva em Esporte, Policial, Política

Corrupção no RN: Fantástico vai revelar esquema que desviou R$ 100 milhões da Arena das Dunas

O repórter secreto do Fantástico do quadro “Cadê o Dinheiro que Tava Aqui?”, esteve em Natal na semana que passou.

As reportagens feita por Eduardo Faustini vai ao ar neste domingo no programa dominical da rede globo e vai abordar um desvio de R$ 100 milhões na construção da Arena das Dunas, um superfaturamento que teria beneficiados políticos potiguares.

A reportagem aponta que enquanto o dinheiro correu frouxo para a construção da Arena das Dunas falta ao hospital Walfredo Gurgel que vive uma situação dramática, com corredores superlotados, falta de insumos e material humano para da conta da demanda.

CITADOS EM DESVIOS NA ARENA DAS DUNAS

O ex-deputado Henrique Alves (PMDB) em um dos mandatos que está cumprindo pena, é em relação aos desvios na construção do estádio. Também já foi citado o Senador José Agripino e pessoas que fizeram parte da administração do governo Rosalba Ciarlini.


08/09/2017
Por Edilson Silva em Policial, Política

Roubalheira: Ex-ministro Geddel Vieira (PMDB) é preso pela Polícia Federal em Salvador

O ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB) foi preso, na manhã desta sexta-feira (8), pela Polícia Federal,  no prédio em que vivia, em Salvador. A prisão do peemedebista se deu após pedido do Ministério Público Federal.

A prisão de Geddel Vieira acontece três dias após a PF apreender R$ 51 milhões em um apartamento que seria utilizado pelo ex-ministro em Salvador. Geddel Vieira já cumpria prisão domiciliar suspeito de atrapalhar investigações.


06/09/2017
Por Edilson Silva em Policial, Política

Vídeo: A contagem do dinheiro ‘de Geddel’

A PF reuniu sete máquinas de contagem de dinheiro para conseguir determinar o valor total armazenado em malas e caixas por Geddel Vieira Lima.

A última contagem estava em R$ 22,5 milhões. O pessoal parou há pouco para fazer um lanche.

Deu no Antagonista


05/09/2017
Por Edilson Silva em Policial, Política

Urgente: PF acha bunker onde Geddel escondia propina

A Polícia Federal deflagrou hoje a Operação Tesouro Perdido.

Leia as informações divulgadas:

A Polícia federal deflagrou hoje, 5/9, a Operação Tesouro Perdido, com vistas a cumprir mandado de busca e apreensão emitido pela 10ª Vara Federal de Brasília.

Após investigações decorrentes de dados coletados nas últimas fases da Operação Cui Bono, a PF chegou a um endereço em Salvador/BA, que seria, supostamente, utilizado por Geddel Vieira Lima como “bunker” para armazenagem de dinheiro em espécie.

Durante as buscas foi encontrada grande quantia de dinheiro em espécie. Os valores apreendidos serão transportados a um banco onde será contabilizado e depositado em conta judicial.

Fonte: Estado de S.Paulo




Facebook


Twitter