23/03/2020
Por Edilson Silva em Mundo, Religião

Papa Francisco convoca o mundo para rede de oração

O Papa Francisco convocou duas importantes iniciativas para esta semana.

Horários dos eventos:

Quarta-feira, 25 de março, oração do Pai-Nosso com o Papa Francisco às 12h locais

Brasil: 08h
Portugal: 11h
Angola: 12h
Moçambique: 13h
Guiné-Bissau: 11h
Cabo Verde: 10h
Timor-Leste: 20h

Sexta-feira, 27 de março, oração com o Papa Francisco e bênção Urbi et Orbi às 18h locais

Brasil: 14h
Portugal: 17h
Angola: 18h
Moçambique: 19h
Guiné-Bissau: 17h
Cabo Verde: 16h
Timor-Leste: 02h do dia 28


23/03/2020
Por Edilson Silva em Mundo, Saúde

Coronavírus: cientistas descobrem como o corpo combate a covid-19

Cientistas australianos disseram ter identificado pela primeira vez como o sistema imunológico combate a infecção pelo novo coronavírus, causador da doença covid-19.

A pesquisa, publicada na revista médica Nature Medicine, mostra que as pessoas estão se recuperando da infecção pelo novo coronavírus da mesma maneira como elas se recuperam de uma gripe.

Segundo os especialistas, determinar quais células do sistema imunológico atuam no combate ao vírus poderá ajudar no desenvolvimento de uma vacina.

Globalmente, as autoridades já confirmaram mais de 170 mil casos de infecção pelo coronavírus e mais de 7 mil mortes. Cerca de 80 mil infectados já se recuperaram.

‘Esta descoberta é importante porque é a primeira vez que estamos realmente entendendo como nosso sistema imunológico combate o novo coronavírus”, disse Katherine Kedzierska, co-autora do estudo.


23/03/2020
Por Edilson Silva em Mundo, Saúde

Pesquisadores trabalham para encontrar remédio eficaz para o coronavírus

É uma corrida desigual. Enquanto o vírus se multiplica rapidamente, os cientistas precisam de tempo para testar os remédios. Pesquisadores do mundo todo estão na briga contra o relógio. O primeiro passo para achar o tratamento certo é entender direito como o vírus se comporta quando está dentro do nosso corpo.

A maioria das pessoas diagnosticadas com Covid-19 tem só sintomas leves. Isso acontece porque, quando o vírus entra na gente, nosso corpo percebe e contra-ataca produzindo anticorpos. Só que nem sempre isso é suficiente. Quando ganha a corrida, o vírus de certa forma “escraviza” as nossas células para se reproduzir.

Mais de 200 testes de medicamentos já estão feitos em várias partes do mundo – e boa parte dos remédios que estão sendo testados já existem. É que eles foram desenvolvidos pra serem usados no tratamento de outras doenças, como ebola, aids, câncer e artrite – mas podem funcionar também para pacientes diagnosticados com a Covid-19.


22/03/2020
Por Edilson Silva em Mundo, Religião

Croácia atingida por um terremoto neste domingo

Um violento terremoto de magnitude 5,4 abalou a cidade de Zagreb na manhã deste domingo. Informações falam de feridos, incluindo um rapaz em estado grave, e danos consideráveis. Francisco no Angelus não se esquece de manifestar a sua proximidade para com a população que já bloqueada pelo coronavírus.

Cecilia Sepia, Silvonei José – Cidade do Vaticano

Eu exprimo a minha proximidade à população da Croácia atingida por um terremoto nesta manhã. Que o Senhor lhes dê a força e a solidariedade para enfrentar esta calamidade”.

Após a recitação da oração mariana do Angelus da Biblioteca do Palácio Apostólico, o Papa dirigiu o seu pensamento ao povo croata que ainda está nas ruas por causa do terremoto que atingiu a capital Zagreb ao amanhecer.

Feridos e Danos

Dois tremores, um de magnitude 5,4 e outro de 4,6, um às 5,24 horas locais, o outro meia hora depois, também sentidos na Itália, causaram grandes danos à cidade e alguns ferimentos, incluindo, um jovem de 15 anos em estado grave: em um primeiro momento dado como morto, sob os escombros de um edifício no centro. As imagens que circulam na mídia mostram edifícios seriamente danificados, carros destruídos por detritos e ruas cobertas de escombros. O jornal Vecernji também relata danos no hospital da Rebro.

Para além do terramoto, a epidemia

No país a situação é muito difícil, pois desde a noite deste sábado está em vigor o bloqueio destinado a limitar a propagação do coronavírus e há uma parada total dos trens e dos transportes públicos. O presidente da República, Zoran Milanovic, foi colocado em segurança. O Ministério do Interior apelou a todos para permanecerem nas ruas, mas mantendo uma distância segura. “Estamos enfrentando duas crises graves, o terremoto e a epidemia”, disse o ministro do Interior, Davor Bozinovic: nas últimas horas se contam mais 29 casos de coronavírus no país, com o total subindo para 235.

Nenhum dano à central nuclear

Não há nenhum problema na central nuclear Krsko em território esloveno e a cerca de 60 km de Zagreb, que continua a funcionar de modo seguro e fiável sem quaisquer problemas. A direcção da estrutura continua as inspeções preventivas dos sistemas e equipamentos, mas por enquanto não há necessidade de fechar a central.

Vatican News


22/03/2020
Por Edilson Silva em Esporte, Mundo, Saúde

Ex-presidente do Real Madrid morre aos 76 anos vítima do coronavírus

A pandemia do coronavírus fez uma vítima no futebol neste sábado (21). Internado desde a última terça-feira (17) após testar positivo para a Covid-19, o ex-presidente do Real Madrid, Lorenzo Sanz, acabou não resistindo e morreu aos 76 anos.

Sanz fazia parte do grupo de risco da doença, e de acordo com informações divulgadas pelo seu filho na última quinta, ele havia apresentado um quadro de insuficiência renal, além das dificuldades respiratórias oriundas da doença.

Lorenzo Sanz comandou a equipe merengue entre 1995 e 2000, conquistando duas edições da Champions League (1998 e 2000). O ex-presidente foi substituído por Florentino Pérez, atual comandante do Real Madrid, em sua primeira passagem. Ele ainda foi responsável pela contratação do lateral-esquerdo Roberto Carlos para os madrilenhos. Após deixar o time da capital, Sanz foi dono do Málaga por quatro temporadas, e posteriormente vendeu o clube a um grupo do Qatar.

A Espanha é um dos países com o maior número de casos já registrados do coronavírus.


19/03/2020
Por Edilson Silva em Mundo, Saúde

Famoso paramédico que ajudou centenas na luta contra a Covid-19 em Itália morre com o vírus

Diego Bianco, um paramédico de apenas 46 anos, morreu no passado dia 13 de março, em Bergamo, uma das cidades italianas mais afetadas pela pandemia do novo coronavírus.

O homem que ajudou a tratar centenas de compatriotas na luta contra a Covid-19 acabou por perder a vida para o vírus. A sua história é contada pelo Corriere della Sera. Disse a um colega que se sentia como se o tivessem puxado para debaixo de um camião, mas o otimismo não o abandonava.

De acordo com a publicação, Diego esteve em longos turnos durante as semanas anteriores à sua morte do outro lado da linha do número 118 – o usado para as emergências em Itália, equivalente ao 112 em Portugal.

Dia 7 de março, o paramédico começou a ter febres altas que também atingiram outros dos seus colegas. Os operadores que estavam ainda a trabalhar foram enviados para Milão para continuarem o seu trabalho.

O jornal italiano conta ainda que Diego recebeu chamadas destes seus companheiros de luta que lhe perguntaram como se encontrava. Infectado com Covid-19, o paramédico ora se mostrava otimista, ora desesperado. Além da febre, Bianco teria também tosse, outro dos sintomas que o vírus transmite.

Entre o dia do primeiro sintoma e o do falecimento, contou-se menos de uma semana. Diego morava em Montello e deixa mulher e um filho com oito anos.

A história trágica de quem tanto tentou ajudar os seus compatriotas está a correr o mundo, tendo já sido noticiada também em Espanha e no Reino Unido, entre outros.

noticiasaominuto.com


19/03/2020
Por Edilson Silva em Mundo, Saúde

Exército da Itália é enviado para enterrar os mortos pelo coronavírus

O governo italiano enviou militares para coletar os mortos na cidade de Bérgamo. Os corpos dos italianos que morreram por causa do coronavírus serão levados para outras cidades para serem enterrados lá.

As empresas funerárias na cidade do norte da Itália não conseguem mais lidar com o volume de trabalho. Os crematórios também estão funcionando a toda velocidade.

Um vídeo gravado por um dos moradores de Bergamo mostra uma longa fila de caminhões militares dirigindo pela cidade à noite a caminho de um cemitério onde os caixões foram acumulados. Um oficial do exército confirmou mais tarde que cerca de 15 caminhões e 50 soldados haviam levado os corpos para serem enterrados nas províncias vizinhas.

Ontem (18), a Itália sofreu seu dia mais mortal com 475 vítimas de coronavírus chinês, das quais 300 eram da região da Lombardia.

O governo de Roma provavelmente estenderá o bloqueio existente para todo o país hoje.


18/03/2020
Por Edilson Silva em Mundo, Saúde

Presidente do Santander Portugal morre após ser contaminado com coronavírus

O presidente do conselho administrativo do Santander Portugal (ainda conhecido no país como Santander Totta), António Vieira Monteiro, morreu nesta quarta-feira (18) em Lisboa.

Ele estava em quarentena e faleceu no hospital Curry Cabral depois de ser infectado com a Covid-19. O banco confirmou ao CNN Brasil Business a morte do gestor de 73 anos.

A imprensa local afirma que Vieira Monteiro foi colocado em quarentena no início deste mês após uma viagem à Itália, e estava em tratamento intensivo desde a semana passada.

O executivo era formado em Direito e fez longa carreira no mercado financeiro. Começou em 1970, no Banco Português do Atlântico, passou pela Caixa Geral de Depósitos entre 1993 e 2000 e estava há 20 anos no Santander.

Essa foi a segunda morte por coronavírus no país. Até hoje, Portugal tem 448 casos confirmados de coronavírus, muito abaixo dos 11.178 da vizinha Espanha.

CNN Brasil – *(Com Estadão Conteúdo e Reuters)


17/03/2020
Por Edilson Silva em Mundo, Religião

Mais de 10 padres mortos pelo Coronavírus na Itália

Andressa Collet – Cidade do Vaticano – O diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, afirmou nesta segunda-feira (16), que a pandemia do Covid-19 é “a grande crise sanitária global dos nossos tempos”. Pela primeira vez, o número de mortes pelo coronavírus no mundo superou aquele da China e são mais de 85 mil contágios.

As medidas de restrição para conter a disseminação da doença estão sendo adotadas, inclusive, dentro da Igreja católica para preservar fiéis e consagrados. Na Itália, um comunicado oficial da Conferência Episcopal lembrou que o período é “de grande responsabilidade” e “proximidade ao país”.

A pandemia, porém, mesmo com as disposições, atingiu os responsáveis pela atenção pastoral aos fiéis. Segundo reporta a agência de notícias ACI, onze sacerdotes já morreram na Itália, vítimas do Covid-19. A maioria estava na região da Lombardia, de onde se originou a disseminação do coronavírus no país: 6 morreram na cidade de Bérgamo, três em Bréscia e um em Cremona. O outro padre falecido estava na região da Emilia-Romagna.

Os infectados pelo Covid-19

No caso de Bérgamo, os dois últimos sacerdotes falecidos são Pe. Silvano Sirtoli, de 59 anos, e Pe. Giancarlo Nava, de 70 anos. Outros 20 padres testaram positivo e alguns, inclusive, já se recuperaram.

Entre os infectados pelo Covid-19 está o bispo de Bérgamo, Dom Francesco Beschi, que segue se recuperando bem. Já o bispo de Cremona, Dom Antonio Napolioni, recuperado, retornou à residência episcopal nesta segunda-feira (16) para o período de convalescença e 14 dias de quarentena. Depois, o prelado deverá refazer os exames para confirmar que já não tem a doença.

Período “perfeito” de conversão

Dom Atonio assegura que esta crise deve ser vivida como “uma oportunidade para a conversão” neste tempo de Quaresma. Em entrevista concedida ao Vatican News, quando ainda estava internado, mostrou pesar pelo falecimento, no mesmo hospital em que se encontrava em Bérgamo, do sacerdote de 75 anos, Pe. Vincenzo Rini, ex-presidente da agência SIR (Serviço de Informação Religiosa), diretor do semanário diocesano “La Vitta Cattolica” e presidente da Federação Italiana de Semanários Católicos.

Ao viver a doença em primeira pessoa, o bispo exortou a não ter medo e a aproveitar este período de isolamento domiciliar para “redescobrir a presença do Senhor de uma forma muito mais poderosa e fiel”. Uma Quaresma “dramaticamente dura, mas precisamente, por isso, perfeita”.


16/03/2020
Por Edilson Silva em Esporte, Mundo

Morre treinador do Atlético Portada Alta, da Espanha, com coronavírus

O clube espanhol Atlético Portada Alta anunciou neste domingo a morte de Francisco Garcia, de 21 anos, treinador das categorias de base da equipe. Ele estava internado em um hospital em Málaga e testou positivo para o coronavírus na semana passada.

Segundo o jornal Marca, da Espanha, Francisco era um paciente oncológico, ou seja, um indivíduo que já tratou ou ainda trata um câncer. Por isso, ele pertencia ao chamado grupo de risco. Essa é a 7ª morte confirmada na região da Andaluzia, onde fica a cidade de Málaga, por conta do COVID-19.

Por meio das redes sociais, o Atlético Portada Alta prestou sua homenagem. “Agora, o que fazemos sem você, Francis? Se você sempre esteve conosco quando necessário, ajudando. Como vamos continuar conquistando quilômetros na liga? Não sabemos como, mas certamente faremos isso por você. Não esqueceremos você, descanse em paz, fenômeno. Até sempre”, escreveu em nota.

No país, o Campeonato Espanhol foi suspenso por duas rodadas como medida preventiva contra a pandemia, e o elenco do Real Madrid se encontra em quarentena, depois de um jogador do time profissional de basquete ser diagnosticado com o vírus.

Gazeta Esportiva


16/03/2020
Por Edilson Silva em Mundo, Religião

Papa caminha por ruas desertas de Roma pedindo proteção de Deus contra coronavírus

Vatican News – Na tarde deste domingo, pouco antes das 16h locais, o Papa Francisco saiu do Vaticano e foi até a Basílica de Santa Maria Maior para rezar diante do ícone de Nossa Senhora Salus populi Romani (protetora do povo romano).

Depois, percorrendo a pé um trecho da “Via del Corso” – no centro de Roma – foi até a Igreja de São Marcelo, onde se encontra o Crucifixo milagroso que, em 1522, foi levado em procissão pelos bairros da cidade para que acabasse a “Grande Peste”.

Com a sua oração, afirma o diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, Matteo Bruni, o “Santo Padre invocou o fim da pandemia que atinge a Itália e o mundo, implorou a cura para os muitos doentes, recordou as inúmeras vítimas desses dias e pediu que seus familiares e amigos encontrem consolação e conforto. A sua intenção se dirigiu também aos agentes de saúde, aos médicos, aos enfermeiros e àqueles que, com o seu trabalho, garantem o funcionamento da sociedade”.

Leia também reportagem da Ansa Brasil sobre o coronavírus na Itália:

(ANSA) – A Defesa Civil da Itália anunciou neste domingo (15) que o número de mortos no país em decorrência do novo coronavírus (Sars-CoV-2) subiu para 1.809, um aumento de 368 vítimas em relação ao último balanço.

Segundo o chefe da Proteção Civil, Angelo Borrelli, a quantidade de pessoas contaminadas aumentou mais 2.853, totalizando 24.747 casos ativos de infecções.

Até o momento, 2.335 indivíduos conseguiram se recuperar da doença, enquanto 1.372 pacientes estão em terapia intensiva.

A região mais atingida continua sendo a Lombardia, no norte da Itália, com 13.272 casos positivos e 1.218 mortos.

Já na Emília-Romagna são 3.093 pacientes, seguida do Vêneto (2.172), Piemonte (1.111), Marcas (1.133), Toscana (781), Campânia (333), Ligúria (559), Lazio (436), Friuli Venezia Giulia (347), Sicília (188), Puglia (230), Abruzzo (137), Vale de Aosta (57), Trentino Alto-Ádige (378), Molise (17), Úmbria (143), Bolzano (204), Calábria (68), Sardenha (77) e Basilicata (11).


16/03/2020
Por Edilson Silva em Mundo, Saúde

Itália tem 3.590 novos casos de coronavírus em um dia; mortes chegam a 1.809

O número de casos do coronavírus na Itália chegou a 24.747, com 3.590 novos casos registrados entre sábado (14) e domingo (15) de acordo com Departamento de Proteção Civil do país. O número de mortos aumentou para 1.809.

De acordo com o Departamento, o maior número de casos é na Lombardia, região no Norte do país em que fica a cidade de Milão e que tem 10.043 pessoas infectadas. Logo depois vêm a Emília-Romanha, com 2.741 casos, Vêneto, com 1.989, e Marcas, com 1.087.

As mortes, segundo o órgão governamental italiano, só podem ser confirmadas como tendo sido causadas pelo coronavírus após o Instituto Superiore di Sanità (ISS) estabelecer a causa real da morte. Até o momento, 2.335 pessoas foram curadas da doença no país, que tem o maior número de casos na Europa.

Agora RN


11/03/2020
Por Edilson Silva em Mundo, Saúde

OMS declara pandemia de novo coronavírus

A Organização Mundial da Saúde (OMS) disse nesta quarta-feira que a epidemia de COVID-19, que infectou mais de 110.000 pessoas em todo o mundo desde o final de dezembro, pode ser considerada uma “pandemia”.

Consideramos que o COVID-19 pode ser caracterizado como uma pandemia“, disse o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, em entrevista coletiva em Genebra.


08/03/2020
Por Edilson Silva em Brasil, Mundo

Ronaldinho Gaúcho chega algemado para audiência no Paraguai

Ronaldinho Gaúcho, 39, e seu irmão Roberto de Assis, 49, chegaram algemados para uma audiência, às 10h deste sábado (7), no Palácio da Justiça, em Assunção (o horário local é o mesmo de Brasília). O jogador cobriu as algemas com um pano.

Eles deixaram a Agrupácion Especializada da Policia Nacional, onde estão detidos, para comparecer à uma audiência com juíza Clara Ruiz Diaz. Ela irá decidir se os irmãos permanecerão em detenção preventiva enquanto a investigação pelo uso de documentos falsos é realizada ou se serão aplicadas medidas alternativas.

A detenção preventiva no Paraguai é medida utilizada quando se acredita na existência do risco de fuga da pessoa investigada. Ela pode durar até 48 horas, prazo máximo para que o detido seja submetido a um juiz ou que a detenção seja revogada. Também foi pedida a prisão preventiva dos dois, medida que precisa de autorização judicial.

Segundo o Ministério Público paraguaio, Ronaldinho e seu irmão entraram na quarta (4) no país portando passaportes e cédulas de identidades paraguaios falsos. Os números dos documentos apreendidos pertencem a outras pessoas, que estão detidas.

A defesa de Ronaldinho e Assis aponta o empresário brasileiro Wilmondes Sousa Lira como responsável por entregar a eles os passaportes falsos. Ele está em prisão preventiva. Duas mulheres, María Isabel Galloso e Esperanza Apolônia Caballero, donas das cédulas de identidade adulteradas, também foram denunciadas e estão em prisão domiciliar.

Na quinta (5),o Ministério Público paraguaio havia decidido não acusar os irmãos pelo uso dos documentos falsos. De acordo com o promotor público Frederico Delfino, ambos “foram enganados em sua boa-fé” e acabaram beneficiados pelo “critério de oportunidade”, item do código penal paraguaio usado quando os suspeitos admitem delito e não têm antecedentes criminais.Delfino defendeu que os irmãos deveriam ser punidos com multa ou prestação de serviço comunitário. O promotor, no entanto, deixou claro que a decisão final seria tomada por um juiz.

Na sexta, uma reviravolta aconteceu após audiência de mais de seis horas com o juiz Mirko Valinotti. Ele decidiu que o caso deveria ser remetido para a procuradora-geral do Estado, Sandra Quiñónez, que revisaria a decisão inicial da Promotoria em até dez dias.Poucas horas depois da audiência, ainda na noite de sexta, os irmãos foram detidos enquanto estavam no hotel Sheraton.

O ex-atleta chegou ao Paraguai com uma agenda repleta de compromissos. Convidado por Nelson Belotti, um dos donos do cassino Il Palazzo, que fica no hotel onde o ex-camisa 10 da seleção brasileira estava hospedado inicialmente com seu irmão Assis, e pela empresária Dalia López, anfitriã da visita do pentacampeão do mundo ao Paraguai, Ronaldinho a princípio ficaria do dia 4 ao dia 7 de março na região de Assunção.

Uma página no Facebook, “Ronaldinho en Paraguay”, anunciava nos últimos dias quais seriam os compromissos do brasileiro ao lado de Dalia, representante da Fundação Fraternidade Angelical, que teria sido fundada em 2019 e aparece como apoiadora do evento. Segundo jornal ABC Color, do Paraguai, a empresária era, até esta semana, “desconhecida pelo grande público”.

De acordo com a programação, Ronaldinho Gaúcho participaria do lançamento do programa “Móvel de Saúde para Meninas e Meninos”, uma iniciativa anunciada pela empresária para oferecer assistência médica gratuita a crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade por todo o país.


03/03/2020
Por Edilson Silva em Brasil, Mundo, Política

Lula recebe título de cidadão honorário de Paris

Em uma cerimônia na Prefeitura da capital francesa, o ex-presidente Lula recebeu nesta segunda-feira (2) o título de Cidadão Honorário de Paris. O título lhe havia sido conferido em outubro passado, quando Lula ainda estava preso. O convite foi feito pela prefeita da cidade, Anne Hidalgo, que abriu a cerimônia.

Desde que foi instaurada, em 2001, a honraria foi atribuída a 17 personalidades presas ou em perigo por suas opiniões políticas. Após Nelson Mandela, Taslima Nasreen e Shirin Ebadi, Lula obtém a proteção da cidade de Paris e está reconhecido como um perseguido político, vítima de um processo injusto. Outro brasileiro que fora agraciado com a honraria fora o cacique Raoni em 2011.

O Conseil de Paris, o equivalente à Câmara dos Vereadores da capital francesa, afirma que a luta de Lula pelos direitos humanos, a justiça social, a proteção do meio ambiente, são “valores guardados pela cidade de Paris e que colocaram o político em perigo pelo seu engajamento”.

O Conseil considera que através da figura do ex-presidente “todos os defensores da democracia no Brasil são atacados” e “pela luta constante da cidade de Paris pelos direitos humanos, expressa seu desejo em conceder a homenagem”. O Conseil leva em consideração que Lula foi preso no momento em que era o favorito para vencer as eleições no Brasil. O documento diz ainda que o juiz que o julgou, Sérgio Moro, virou ministro da Justiça do seu candidato concorrente.

Leia abaixo o discurso lido por Lula na cerimônia (sem os improvisos):

“Senhora Anne Hidalgo, senhoras e senhores representantes do Conselho de Paris, minhas amigas e meus amigos.

Agradeço de coração o título que a cidade de Paris me concede, por meio de seus representantes. Agradeço especialmente à prefeita Anne Hidalgo, pela generosa indicação, e ao Conselho de Paris que a aprovou.

Este título teria de se estender, na realidade, às mulheres e homens que defendem a democracia e os direitos da pessoa humana, às brasileiras e brasileiros que lutam por um mundo melhor.

Receber este privilégio me emociona, primeiramente, porque a cidade de Paris é universalmente reconhecida como símbolo perpétuo dos Direitos do Homem e da mais elevada tradição de solidariedade aos perseguidos.

E me emociona de maneira especial porque foi concedido num dos momentos mais difíceis da nossa luta, quando me encontrava preso de forma ilegal, uma prisão política num processo que ainda não se encerrou.

Era o momento em que mais precisávamos da solidariedade internacional, para denunciar as injustiças que vinham sendo cometidas contra o povo brasileiro e as agressões ao estado de direito em meu país.

E o povo de Paris, como em tantas outras ocasiões, estendeu a nós sua proteção fraternal. Recordo-me de ter escrito, numa carta de agradecimento em outubro passado, que Paris estava rompendo o muro de silêncio que ocultava os crimes contra a democracia no Brasil.

Gostaria de estar nesta cidade libertária para simplesmente celebrar a fraternidade entre os povos e recordar os laços de solidariedade que nos unem ao longo da História. Afinal, sempre houve lugar para brasileiros e latino-americanos entre os lutadores da liberdade que Paris acolheu.

Mas é meu dever falar aqui em nome dos que sofrem, em meu país, com o desemprego e a pobreza, com a revogação de direitos históricos dos trabalhadores e a destruição das bases de um projeto de desenvolvimento sustentável, capaz de oferecer inclusão e oportunidades para todos.

É meu dever falar em nome de milhões de famílias de agricultores, das populações que vivem à margem dos rios e nas florestas, dos indígenas e dos povos da Amazônia, para denunciar a deliberada destruição das fontes de vida em nosso país, por causa das políticas irresponsáveis e criminosas de um governo que ameaça o planeta.

O que está ocorrendo no Brasil é o resultado de um processo de enfraquecimento do processo democrático, estimulado pela ganância de uns poucos e por um desprezo mesquinho pelos direitos do povo; desprezo que tem raízes profundas, fincadas em 350 anos de escravagismo.

No período historicamente breve em que o Partido dos Trabalhadores governou o Brasil, muitos desses direitos foram colocados em prática pela primeira vez. Dentre eles, o direito fundamental de alimentar a família todos os dias, o que se tornou possível graças à combinação do Bolsa Família com outras políticas públicas, com a valorização do salário e a geração de empregos.

Temos especial orgulho de ter aberto as portas da Universidade para 4 milhões de jovens, na maioria negros, moradores da periferia e dos rincões mais isolados de nosso imenso país; quase sempre os primeiros a conquistar um diploma universitário em gerações de suas famílias.

Milhares desses jovens tiveram a oportunidade de estudar nas melhores universidades do mundo, graças a um programa da presidenta Dilma Rousseff. Certamente alguns deles se encontram em Paris.

Bastaram 13 anos de governos que olharam o povo em primeiro lugar, para começarmos a reverter a doença secular da desigualdade em nosso país.

Foram passos ainda pequenos para a dimensão do desafio, mas estávamos no caminho certo, porque 36 milhões saíram da pobreza extrema e o Brasil saiu do tristemente conhecido Mapa da Fome da ONU.

Este processo, ao longo do qual cometemos erros, certamente, porém muito mais acertos, foi interrompido em 2016 por um golpe parlamentar, sustentado por poderosos interesses econômicos e geopolíticos, com apoio de seus porta-vozes na mídia e em postos-chave das instituições.

Como sabem, a presidenta Dilma, uma mulher honrada, foi afastada pelo Congresso sem ter cometido crime nenhum, num processo em que as formalidades encobriram acusações vazias.

A este primeiro golpe contra a Constituição e a democracia, seguiu-se a farsa judicial em que fui condenado, também sem ter cometido crime algum, por um juiz que hoje é ministro do presidente que ele ajudou a eleger com minha prisão.

Quando a Justiça Eleitoral cassou minha candidatura, contrariando uma determinação da ONU baseada em tratados internacionais assinados pelo Brasil, lançamos a candidatura do companheiro Fernando Haddad.

Ele foi vítima de uma das mais perversas campanhas de mentiras por meio das redes sociais, disparadas e financiadas ilegalmente pelo adversário, num crime eleitoral que denunciamos e que até hoje, passados quase18 meses, não foi julgado pelo tribunal competente.

O candidato que venceu aquelas eleições, dono de um histórico de ataques à democracia e aos direitos humanos, foi poupado pelas grandes redes de televisão de enfrentar em debates o companheiro Haddad. Essa mídia, portanto, é corresponsável pela ascensão de um presidente fascista ao governo do Brasil.

A triste situação em que se encontra meu país e o sofrimento do nosso povo são consequência de repetidos ataques, maiores e menores, ao estado de direito, à Constituição e à democracia.Se hoje estou aqui, num estado provisório de liberdade e ainda sem direitos políticos, é porque em novembro passado, num julgamento por maioria, o Supremo Tribunal Federal do Brasil reconheceu, para todos os cidadãos, o direito constitucional à presunção de inocência que havia sido negado ao cidadão Lula, às vésperas de minha prisão.

Aqui na Europa, quero me encontrar e agradecer a todos que nos apoiaram nesses momentos tão duros. Mas quero especialmente dialogar com os que trabalham para enfrentar a desigualdade, essa doença criada pelo homem e que está corroendo o próprio conceito de humanidade.

Quero compartilhar as políticas exitosas que tivemos no Brasil, conhecer a experiência, os projetos de outros países e dos que estudam e lutam contra a desigualdade no mundo.

No recente encontro que tive com Sua Santidade papa Francisco, fiquei contagiado pelo entusiasmo com que ele convoca os jovens economistas a debater e buscar saídas para essa questão, que é crucial para o presente e o futuro.

Quero propor aos dirigentes políticos, aos governantes e à sociedade civil dos mais diversos países que promovam, não apenas o debate, mas ações concretas em conjunto, para reverter a desigualdade.

Sei que é possível. Temos de ter fé na juventude, como tem o papa Francisco. Temos de ter fé na humanidade e na nossa capacidade de construir, pelo diálogo e pela política, as bases de um mundo mais justo.

Sei o quanto tem sido importante a solidariedade internacional, na Europa, nos Estados Unidos e ao redor do mundo, para que se restaure plenamente o processo democrático, o estado de direito e a justiça para todos em meu país. E mais uma vez agradeço, em nome dos que sofrem com a atual situação.

O povo de Paris me acolhe hoje entre seus cidadãos, como um reconhecimento pelo que fizemos, junto com tantos companheiros e com intensa participação social, para reduzir a desigualdade e combater a fome no Brasil.

Quero me despedir afirmando que nossa luta prosseguirá, com a participação de todos vocês, porque é a luta pela democracia, pela igualdade, pelos direitos dos desprotegidos, pela humanidade e pela paz.

Muito obrigado.


24/02/2020
Por Edilson Silva em Brasil, Mundo, Política

Críticas a Bolsonaro atravessam fronteiras e chegam ao carnaval da Europa

São Paulo – As manifestações contra Jair Bolsonaro atravessam fronteiras no carnaval 2020. Além dos gritos de “Ei, Bolsonaro…”, que assolam blocos carnavalescos Brasil afora, e dos sambas-enredo que protestam diante do governo do capitão, o carnaval da Europa também dá destaque à figura do presidente da República.

Reportagem da Deutsche Welle Brasil, emissora internacional da Alemanha, relata que Bolsonaro é uma das estrelas dos festejos carnavalescos de Colônia. “Entre as atrações no tradicional desfile da próxima segunda-feira (24/02), ponto alto do carnaval da cidade no oeste da Alemanha, está um carro alegórico com um boneco do presidente brasileiro, segurando a bandeira do Brasil atada a um palito de fósforo tamanho família e exibindo um largo sorriso, diante de árvores carbonizadas e sambistas seminuas e chamuscadas”, afirma a DW .

A alegoria critica as queimadas na Amazônia. O diretor do desfile, Holger Kirsch, afirma em entrevista ao jornal local Kölner Stadt-Anzeiger que esse é seu carro preferido. A DW Brasil informa, ainda, que a sátira política sempre foi foco dos principais desfiles carnavalescos alemães, em cidades como Colônia, Mainz ou Düsseldorf.

Além de Bolsonaro, personagens como o presidente russo, Vladimir Putin, seu colega chinês Xi Jinping, o premiê britânico Boris Johnson, o líder norte-coreano Kim Jong-un, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e a chanceler alemã, Angela Merkel, também são “homenageados”.

No Brasil, fora a folia e a esculhambação nos blocos de rua, pelo menos duas das mais tradicionais escolas do Rio de Janeiro, Mangueira e Portela, trazem menções pouco honrosas ao presidente.

Favela, pega a visão/ Não tem futuro sem partilha/ Nem messias de arma na mão”, diz o samba da Mangueira.

Índio pede paz, mas é de guerra/ Nossa aldeia é sem partido ou facção/ Não tem bispo, nem se curva a capitão/ Quando a vida nos ensina/ Não devemos mais errar”, traz o enredo da Portela.

Rede Brasil Atual


24/02/2020
Por Edilson Silva em Mundo, Religião

Papa diz que países que “falam de paz e vendem armas” são “hipócritas”

papa Francisco condenou neste domingo, durante um compromisso em Bari, no sul da Itália, a guerra que atormenta os países nas proximidades do Mediterrâneo e definiu como hipócritas aqueles que “falam de paz e vendem armas“.

Pontífice disse também ter medo dos discursos de líderes populistas.

“A guerra é contrária à razão, é uma loucura e não faz sentido, e com a qual não podemos nunca nos acostumar”, acrescentou.

A crítica do papa foi feita durante uma rápida viagem de um dia a essa cidade na região de Apulia, onde participou do encontro “O Mediterrâneo, fronteira para a paz”, organizado pela conferência episcopal italiana junto a 59 bispos vindos de 20 países.

Em seu discurso, o papa aproveitou para fazer menção ao “grande pecado da hipocrisia”, já que muitos países “falam de paz e vendem armas aos que estão em guerra”, ressaltou.

O pontífice argentino reiterou ser contrário às guerras e mencionou “as divisões” e “as desigualdades” que afetam a região do Mediterrâneo, que definiu como “O Mare Nostrum, o lugar físico e espiritual no qual nossa civilização foi formada, como resultado do encontro de diferentes povos”, comentou.

Ao referir-se a essa área, com muitos focos de instabilidade e guerra, tanto no Oriente Médio quanto na África, Francisco comentou sobre o conflito entre Israel e os palestinos.

“Também não podemos esquecer o conflito, ainda sem resolução, entre israelenses e palestinos, que corre o perigo de ter soluções não equitativas e, portanto, pode gerar uma nova crise”, alertou.

O pontífice disse também ter medo dos discursos de líderes populistas, porque o fazem lembrar das “mensagens de ódio dos anos 1930 do último século”, em referência ao nazismo e ao fascismo.

Durante o compromisso na cidade italiana, o papa fez um dos discursos mais pacifistas já realizados por ele.

A guerra “é uma verdadeira loucura, porque é irracional destruir casas, pontes, fábricas, hospitais, matar pessoas e aniquilar recursos em vez de construir relações humanas e econômicas”, ressaltou.

Na ocasião, o pontífice argentino também aproveitou para defender de novo os imigrantes, que são os que “mais sofrem na área do Mediterrâneo, os que fogem das guerras e deixam sua terra em busca de uma vida humana mais digna”, alertou Francisco.

Exame


24/02/2020
Por Edilson Silva em Mundo, Saúde

Itália tem toque de recolher por coronavírus e cresce alerta global

Os alertas mundiais sobre coronavírus entraram em um novo patamar nas últimas 48 horas, com mais relatos fora da China, toques de recolher e fechamento de fronteira. “O Covid-19 (nome técnico do novo coronavírus) já põe em risco a economia mundial”, disse no domingo Kristalina Georgieva, chefe do Fundo Monetário Internacional, na reunião do G-20.

O presidente chinês, Xi Jinping, admitiu que o país vive sua maior crise sanitária desde 1949, quando se iniciou o regime comunista, e considerou que houve “deficiências” no combate inicial. O vírus, relatado no fim de dezembro em Wuhan, já causou 2.445 mortes e contaminou 78 mil.

No entanto, o ritmo de avanço nos relatos diminuiu na China – e passou a preocupar mais em outros países. A Coreia do Sul, com 602 casos de contágio, é quem mais preocupa. E o presidente, Moon Jae-in, considera que os “próximos dias serão essenciais para o controle”.

Além disso, frente à multiplicação de casos no Irã, que já teve 8 mortes, Turquia, Jordânia, Paquistão e Afeganistão fecharam fronteiras e restringiram suas viagens.

A Itália decretou toque de recolher em 11 municípios em que casos de coronavírus foram confirmados – afetando cerca de 60 mil pessoas.

O famoso carnaval de Veneza foi cancelado na tentativa de impedir a propagação do vírus. O número de diagnosticados com coronavírus no país é de 152 – foram reladas três mortes.

Autoridades da região norte, onde se concentram os casos, decidiram fechar escolas, museus, teatros, cinemas. Até mesmo a catedral de Milão – o célebre Duomo – foi fechada.

França, Suíça e Áustria informaram estar em alerta com a situação no país vizinho. O ministro da Saúde francês, Olivier Veran, considera “muito provável” que surjam mais casos no país.

Futuro

Um estudo do Imperial College de Londres, recém-divulgado, estima que “dois terços dos infectados com o coronavírus na China não foram detectados antes de deixar o país”.

A Organização Mundial da Saúde (OMS), por sua vez, passou a ver “com cuidado” relatos envolvendo pessoas que não estiveram na China. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.


24/02/2020
Por Edilson Silva em Mundo, Saúde

Coronavírus: missas suspensas no norte da Itália e apelo pela união em oração

A quinta morte causada pelo coronavírus na Itália foi confirmada no final da manhã desta segunda-feira (24) por fontes oficiais da Região da Lombardia, no norte do país. Em todos os casos fatais se trata de pessoas idosas com um quadro clínico geral comprometido em precedência. Já o número de pessoas infectadas ultrapassa os 200 na Itália, caracterizando o país como o terceiro no mundo por número de contágios, depois da China e da Coreia do Sul.

Toque de recolher na região norte

A província de Lodi, na região da Lombardia, tem quase 200 mil habitantes e é dividida em 61 municípios. Dez dessas cidades (Codogno, Castiglione d’Adda, Casalpusterlengo, Fombio, Maleo, Somaglia, Bertonico, Terranova dei Passerini, Castelgerundo e San Fiorano) fazem parte de uma zona considerada “vermelha” e de “quarentena forçada”. Um decreto do Ministério da Saúde com disposições específicas e destinadas aos residentes da Lombardia foi divulgado no final de semana e tem validade até 1º de março: são normas de prevenção como “o de evitar, na medida do possível, de frequentar lugares superlotados e de participar de manifestações e eventos públicos”, além das medidas extraordinárias, como a restrição na circulação entre as cidades afetadas, o fechamento de 5.500 escolas de toda ordem e grau, creches, cinemas e museus; os eventos esportivos e as missas também foram canceladas.

As restrições para conter a difusão do vírus

As celebrações eucarísticas foram suspensas nas duas regiões mais atingidas, em especial, na Lombardia e no Vêneto, e a Igreja está colaborando com as autoridades para conter a difusão do vírus. Em Milão, a diocese estabeleceu que as igrejas permaneçam abertas; que, nos oratórios, não sejam realizados encontros, iniciativas e reuniões; que os enterros e os matrimônios podem ser celebrados, mas somente com a presença dos parentes próximos.

O arcebispo de Milão, Mario Delpini, invocando a bênção de Deus sobre àqueles que estão doentes ou isolados, afirmou que “cada indicação que será dada para a prevenção e para comportamentos prudentes será acolhida com rigor pelas instituições eclesiásticas. Quem está sendo obrigado a suspender as atividades ordinárias encontrará ocasião para dias menos frenéticos: poderá viver o tempo à disposição também para rezar, pensar, buscar formas de proximidade com os irmãos e as irmãs”, finalizou o arcebispo.

O Patriarca de Veneza, Francesco Moraglia, também convida os fiéis a dedicar “um tempo conveniente à oração e à meditação, eventualmente também se ajudando através das celebrações transmitidas pela rádio e pela TV”. Como cidadãos e fiéis, acrescenta ele, “somos chamados a viver este momento de dificuldade com sentido de responsabilidade cívica, sem ceder a alarmismos e a medos injustificados. Confiamos à proteção da Virgem Maria, invocada com o título de Nossa Senhora da Saúde. Que ela interceda junto a Seu Filho, o Santíssimo Redentor. A nossa oração é também para aqueles que são designados ao bem comum para que assumam decisões prudentes e sábias para o nosso povo, sobretudo para os mais frágeis e para os idosos”.

A situação das dioceses

Por precaução, paróquias do norte da Itália já estão tomando medidas de prevenção: durante as celebrações não será dada a saudação da paz, a comunhão será dada na mão e a água benta dos locais está sendo retirada. Pe. Gabriele, pároco da cidade de Castiglione d’Adda, dirigiu uma mensagem comovente aos fiéis, sobre a emergência sanitária que “parecia estar distante, mas que agora está aqui na nossa casa”. Ele fala de seguir as indicações das autoridades, como a suspensão das missas, mas não de deixar de rezar, ao contrário, “incrementá-la”.

200 milhões de euros em apoio à Itália

A atual situação sanitária está em plena evolução, mas está sendo monitorada continuamente por parte de todas as autoridades, inclusive dos 60 prefeitos dos municípios de Lodi, para administrar a emergência com responsabilidade. A comissária da saúde em nível europeu, Stella Kyriakides, anunciou que nesta terça-feira (25) virá à Itália, “em acordo com as autoridades” do país, para uma missão conjunta com o Centro Europeu para a Prevenção e o Controle das Doenças e a Organização Mundial da Saúde (OMS). A Itália, segundo a comissária europeia, tomou “todas as medidas necessárias” para rastrear a difusão do vírus e prevenir mais contágios. Ela também anunciou que a Comissão Europeia decidiu destinar 230 milhões de euros para a luta contra  difusão do coronavírus.

Andressa Collet – Cidade do Vaticano


04/02/2020
Por Edilson Silva em Mundo

Mulher com coronavírus dá à luz na China; bebê nasce saudável

Uma mulher de 27 anos diagnosticada com coronavírus deu à luz na China. O bebê nasceu saudável. O hospital de Harbin, na China, onde a criança nasceu, atualizou o estado de saúde das duas nesta segunda-feira (3).

A criança nasceu na semana passada, assim que a mãe foi diagnosticada com o vírus. Os médicos decidiram submeter a mulher à cesárea. O bebê nasceu pesando 3kg. No domingo (2), os exames para saber se o recém-nascido tinha coronavírus deram negativo.

Os médicos optaram por uma cirurgia de emergência porque o estado de saúde da mãe estava piorando e ela não poderia receber o tratamento contra a doença enquanto carregava o bebê. A cirurgia foi extremamente perigosa, já que a paciente estava com febre e tossia sem parar enquanto os próprios médicos enfrentavam o risco de contaminação. Segundo os médicos, a temperatura corporal da mãe também retornou ao normal no domingo. A mulher e a criança vão permanecer em quarentena para observação.

O número total de mortes por epidemia de coronavírus na China aumentou para 361 no domingo, 57 a mais que no dia anterior, informou a Comissão Nacional de Saúde. Segundo o relatório, 56 das novas mortes ocorreram na província de Hubei e uma no município de Chongqing. O número de novas infecções confirmadas na China aumentou 2.829 no domingo, elevando o total para 17.205. As Filipinas confirmaram, neste domingo, a primeira morte pelo novo coronavírus fora do país asiático.




Facebook


Twitter