Mossoró

Juiz de Mossoró diz que há insegurança jurídica na eleição

herval-sampaio-TN

Neste domingo, 141 mil eleitores irão às urnas em Mossoró participar da primeira eleição suplementar, que já usará o sistema de biometria. O juiz da 33ª Zona Eleitoral de Mossoró, José Herval Sampaio Júnior, acredita que não haverá problemas com a novidade do uso da tecnologia, mas reforçou a equipe de fiscalização e segurança.

Alvo de duras críticas e acusado de ser “ditador da eleição”, Sampaio afirma que o que havia em Mossoró é uma “ditadura da ilegalidade” que está sendo combatida. “Nós vimos diversas ilegalidades e estamos aplicando a lei. Se há algo errado o Judiciário vai cruzar os braços? Se não é para aplicar a lei, então é melhor fechar a Justiça”, rebate o magistrado.

Embora enfatize que não tramita na Justiça pedidos de adiamento ou cancelamento da eleição, o juiz admite que a insegurança jurídica que ronda o pleito abre a possibilidade. “Essa insegurança jurídica é ruim para a Justiça Eleitoral também. Há insegurança até mesmo quanto as eleições, que podem ser suspensas”, afirmou à Tribuna do Norte.

Compartilhe aqui:

145 mil eleitores estão aptos pela eleição suplementar de Mossoró

Segundo dados do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), 145 mil eleitores estão aptos a participar da eleição suplementar de Mossoró neste domingo (04). Ainda segundo da Corte, 2,5 mil pessoas trabalharão amanhã no pleito. A Polícia Militar garantiu um reforço de 250 homens, além do efetivo do município.

Prisões

Algumas detenções foram registradas na noite de hoje (03), tendo em vista práticas irregulares, principalmente a compra de voto. O frentista de um posto de combustíveis, por exemplo, foi preso atendendo ordens de abastecimento.

Compartilhe aqui: