04/05/2014
Por Edilson Silva em Eleições, Mossoró

Larissa Rosado vota em Mossoró e evita falar sobre recurso ao TSE

larissa

A deputada estadual e candidata à prefeitura de Mossoró Larissa Rosado (PSB) chegou ao local de votação por volta das 10h20. Ela estava acompanhada da ex-prefeita da cidade Fafá Rosado. Ao conversar com jornalistas, Larissa preferiu não entrar no mérito do recurso que aguarda análise do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

A candidata Larissa Rosado teve o registro de candidatura indeferido na 33ª zona eleitoral. A decisão foi confirmada no Tribunal Regional Eleitoral e ela recorreu ao TSE. O nome da candidata está nas urnas, mas o votos não serão validados enquanto a decisão do TSE não for proferida.

“Eu estou muito tranquila. A campanha foi feita com muito respeito, dentro da lei. Mossoró vive um tempo de mudança e se Deus quiser nós vamos restabelecer a estabilidade política da cidade”, disse.

Larissa Rosado é da coligação Unidos por Mossoró, que conta com o PSB, PMDB, PEN, PROS, PRTB, PHS, PTC, PR, PPS, PTdoB e PRF.


04/05/2014
Por Edilson Silva em Eleições, Jucurutu

Título de eleitor: prazo para solicitação e transferência termina em 7 de maio

foto-título-eleitoral

O cidadão que ainda pretende votar nas eleições de 2014, termina na próxima quarta-feira, 7 de maio, o prazo para solicitar o título de eleitor ou pedir a transferência do domicílio eleitoral. A data é também o último dia para o eleitor com deficiência ou mobilidade reduzida requerer a transferência para votar em uma seção eleitoral especial este ano.

O interessado deve procurar um cartório eleitoral mais próximo de sua residência.  Para fazer o pré-atendimento e agilizar a retirada ou a transferência do título, basta acessar o Título Net e preencher os campos de identificação e apresentar o protocolo gerado on-line em uma unidade de atendimento da Justiça Eleitoral, com a documentação exigida.

Confira o calendário eleitoral de 2014

O Título Net é um serviço da Justiça Eleitoral que permite aos cidadãos iniciarem, pela internet, requerimentos de alistamento eleitoral, transferência de domicílio e revisão de dados cadastrais. O sistema também permite a atualização online das obrigações eleitorais.

Mas atenção: todas as solicitações via internet deverão ser feitas, impreterivelmente, até o dia 2 de maio, ou seja, cinco dias antes do prazo final estipulado pelo Calendário Eleitoral. Após essa data, o pré-atendimento não estará mais disponível e o cidadão deverá comparecer em um cartório eleitoral até o dia 7 de maio para solicitar o serviço desejado.

Qual é a documentação necessária para tirar título do eleitor ?

Para solicitar o título de eleitor, é necessário apresentar o documento oficial de identificação com foto e o comprovante de residência, além do certificado de quitação do serviço militar obrigatório para pessoas do sexo masculino, maiores de 18 anos.

Qual é a documentação necessária para pedir transferência do título de eleitor?

Já para fazer o pedido de transferência do domicílio eleitoral nos casos em que eleitor muda de município, estado ou país, é preciso apresentar o documento de identificação com foto, o título de eleitor e um comprovante de residência. O requerente também deverá estar quite com a Justiça Eleitoral, ou seja, ter cumprido obrigações legais, ter obtido o primeiro título ou feito a última transferência há pelo menos um ano e residir no novo domicílio há, no mínimo, três meses

Pessoas com Deficiência

Também termina no dia 7 de maio o prazo para o eleitor com deficiência ou mobilidade reduzida solicitar a transferência do local de votação para uma Seção Eleitoral Especial.

Os procedimentos previstos na Resolução TSE nº 21.008, aprovada em 2002, determinam que os locais especiais de votação sejam de fácil acesso, com estacionamento próprio e instalações que atendam às normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).


04/05/2014
Por Edilson Silva em Eleições, Mossoró

Juiz de Mossoró diz que há insegurança jurídica na eleição

herval-sampaio-TN

Neste domingo, 141 mil eleitores irão às urnas em Mossoró participar da primeira eleição suplementar, que já usará o sistema de biometria. O juiz da 33ª Zona Eleitoral de Mossoró, José Herval Sampaio Júnior, acredita que não haverá problemas com a novidade do uso da tecnologia, mas reforçou a equipe de fiscalização e segurança.

Alvo de duras críticas e acusado de ser “ditador da eleição”, Sampaio afirma que o que havia em Mossoró é uma “ditadura da ilegalidade” que está sendo combatida. “Nós vimos diversas ilegalidades e estamos aplicando a lei. Se há algo errado o Judiciário vai cruzar os braços? Se não é para aplicar a lei, então é melhor fechar a Justiça”, rebate o magistrado.

Embora enfatize que não tramita na Justiça pedidos de adiamento ou cancelamento da eleição, o juiz admite que a insegurança jurídica que ronda o pleito abre a possibilidade. “Essa insegurança jurídica é ruim para a Justiça Eleitoral também. Há insegurança até mesmo quanto as eleições, que podem ser suspensas”, afirmou à Tribuna do Norte.


04/05/2014
Por Edilson Silva em Eleições, Mossoró

145 mil eleitores estão aptos pela eleição suplementar de Mossoró

Segundo dados do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), 145 mil eleitores estão aptos a participar da eleição suplementar de Mossoró neste domingo (04). Ainda segundo da Corte, 2,5 mil pessoas trabalharão amanhã no pleito. A Polícia Militar garantiu um reforço de 250 homens, além do efetivo do município.

Prisões

Algumas detenções foram registradas na noite de hoje (03), tendo em vista práticas irregulares, principalmente a compra de voto. O frentista de um posto de combustíveis, por exemplo, foi preso atendendo ordens de abastecimento.


03/05/2014
Por Edilson Silva em Eleições, Política

PT oficializa Dilma à Presidência para tentar afastar fantasma do ‘Volta, Lula’

dilmaluladanielteixeira2

O PT usou a abertura de seu 14.º Encontro Nacional nesta sexta-feira, 2, para ratificar o nome de Dilma Rousseff como pré-candidata do partido nas eleições de outubro. O presidente do partido, Rui Falcão, perguntou aos 800 delegados e aos cerca de 2 mil convidados que compareceram ao Anhembi, na zona norte de São Paulo, se concordavam com o projeto reeleitoral. O apoio foi unânime. O ato foi uma forma de tentar dissipar o coro do “volta, Lula”.

“Recebo essa missão honrosa que é ser pré-candidata do PT à Presidência”, discursou Dilma, que atacou a oposição. “Tem gente achando que é melhor voltar ao passado. São poucos, mas eles tem amigos e falam muito. Nós somos muitos e temos que falar muito mais”, afirmou a presidente, referindo-se à fala de minutos antes de seu padrinho político e antecessor, Luiz Inácio Lula da Silva.

Lula, ao falar no encontro, havia cobrado mais ação de Dilma. “Acho que os trabalhadores estavam precisando ouvir um discurso daquele e que o PT precisava daquele discurso. Portanto, querida, faça mais”, disse o ex-presidente, dirigindo-se à sucessora.

Ele se referia ao pronunciamento de Dilma feito na quarta-feira em razão do Dia do Trabalho. A presidente anunciou um pacote que incluiu aumento do Bolsa Família e desoneração de imposto para a classe média. Também criticou a oposição, que segundo ela aposta no “quanto pior, melhor”.

“Se você reunir seu ministério, vai ver que 80% não sabe 30% que o governo fez. Se eles não sabem, o povo também não sabe. A gente não está dando uma ferramenta de trabalho para este povo defender a gestão”, disse Lula à afilhada política diante da plateia petista.

O ex-presidente também falou em reconstruir o PT, fazendo referência indireta a escândalos envolvendo integrantes do partido. “A gente não pode compactuar com uma pessoa que, em nome do partido, com mandato do partido, saque coisas em nome pessoal. Precisamos fazer uma reconstrução da imagem do PT. É um desafio tão importante e grande quanto eleger a Dilma porque. Criamos o partido para ser diferente de tudo que existia. A gente não tinha panfleto para fazer campanha e hoje parece que o dinheiro resolve tudo.”


03/05/2014
Por Edilson Silva em Eleições, Política, RN

Cidades do RN realizam novas eleições neste domingo (4)

ELEIÇÕES

Eleitores dos municípios de Cabeceiras, em Goiás, e de Mossoró e Francisco Dantas, no Rio Grande do Norte, voltarão às urnas neste domingo (4) para eleger prefeito e vice-prefeito em novas eleições. Os pleitos ocorrerão porque a Justiça Eleitoral anulou a eleição de outubro de 2012 nessas cidades devido à cassação dos diplomas/mandatos dos candidatos que receberam mais de 50% dos votos válidos. Nestes casos, segundo a Resolução nº 23.280/2010 do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), novas eleições devem ser marcadas sempre no primeiro domingo de cada mês pelos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs).

Rio Grande do Norte

Em Mossoró, que tem hoje 167.246 eleitores, a renovação do pleito será necessária porque o TRE do estado cassou os mandatos da prefeita eleita em 2012, Claudia Regina, e de seu vice, Wellington Carvalho. A corte potiguar também declarou a inelegibilidade de ambos pelo prazo de oito anos. Os juízes entenderam que Claudia e Wellington praticaram abuso de poder político e econômico, compra de votos e conduta vedada a agente público. Os candidatos à prefeitura de Mossoró nestas novas eleições são: Francisco José Lima Silveira Júnior, da coligação “Liderados pelo Povo” (PSD/PTB/PDT/PSC/PT/PTN/PSL/PMN/PV); Gutemberg Henrique Dias (PCdoB); Josué de Oliveira Moreira (PSDC); e Raimundo Nonato Sobrinho (PSol).

Na cidade de Francisco Dantas, a nova eleição ocorrerá devido à decretação de inelegibilidade e à cassação dos diplomas do prefeito e do vice eleitos em outubro de 2012, Gilson Dias e Ribeiro Alecrim, também por compra de votos. Hoje, o município contabiliza 2.356 eleitores. Apenas o candidato Wandeilton Bezerra de Queiroz, da coligação “Unidos por Francisco Santas” (PMDB/PSD/PSB/PTB), teve o registro deferido pelo TRE do Rio Grande do Norte para concorrer nas eleições deste domingo. A votação nas três localidades será das 8h às 17h.


05/04/2014
Por Edilson Silva em Eleições

Brasil: Governo Federal lança cartilha eleitoral para eleições 2014

slide-1-638

A Advocacia-Geral da União (AGU), a Secretaria de Comunicação Social (Secom) e a Comissão de Ética Pública da Presidência da República (CEP) lançaram a cartilha com as condutas vedadas aos agentes público em ano eleitoral.

O documento reúne informações básicas acerca dos direitos políticos e das normas éticas e legais que devem nortear a atuação dos agentes públicos federais no ano das eleições gerais de 2014.




Facebook


Twitter