20/07/2019
Por Edilson Silva em Nordeste, Política

Símbolo do Maranhão, Alcione critica fala de Bolsonaro e pede respeito ao Nordeste

Diário do Nordeste – Filha ilustre do Maranhão, a cantora Alcione, de 71 anos, saiu, neste sábado (20), em defesa de sua terra natal e se manifestou contra uma fala depreciativa do presidente Jair Bolsonaro (PSL-RJ) ao estado nordestino. Em sua conta oficial no Instagram, a artista postou um vídeo em que aparece vestindo uma camisa com estampa da bandeira do Maranhão e pede ao presidente “respeito ao povo brasileiro”.

Ela inicia a gravação dizendo que não votou em Bolsonaro e não se arrepende. Na campanha presidencial de 2018, Alcione declarou voto ao ex-governador do Ceará Ciro Gomes (PDT). “O senhor precisa respeitar o povo nordestino. Respeite o Maranhão, hein”, diz a cantora do estado, historicamente dominado pela família Sarney e é governado, desde 2015 por Flávio Dino, do PCdoB, partido de oposição a Bolsonaro.

Ela rebate um dos argumentos (torcida contra o Brasil) usados com frequência por alguns defensores do Bolsonaro nas redes sociais contra os críticos do Governo. “Eu sou uma brasileira que não torço contra o governo, não sou burra. Eu sei que se torcer contra, estou torcendo contra o meu país”, destacou Alcione.

Em um dos trechos, a cantora também alerta Bolsonaro sobre o peso do eleitorado nordestino, que colocou o candidato do PSL em segundo lugar na contagem dos votos, atrás de Fernando Haddad (PT).

“O senhor tem medo de facada, tem medo de tiro, mas o senhor precisa ter medo do pensamento. O pensamento é uma força. Pense em mais de 30 milhões de nordestinos pensando contra o senhor? Comece a nos respeitar. Respeite o povo brasileiro”, finalizou Alcione.

‘Paraíba’

Durante o café da manhã com jornalistas na sexta-feira,  Bolsonaro criticou o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), e se referiu aos estados da região Nordeste pelo termo “Paraíba”, considerado pejorativo para se referir a nordestinos. Bolsonaro disse que “daqueles governadores de ‘paraíba’, o pior é o do Maranhão” e ainda “tem que ter nada com esse cara”.

A fala motivou a divulgação de uma nota conjunta dos governadores dos nove estados nordestinos expressando indignação com a declaração do presidente. O Palácio do Planalto não se manifestou sobre o incidente.



0 Comentários

Deixe o seu comentário!


Facebook


Twitter