31/01/2018
Por Edilson Silva em Economia

Banco do Brasil terá R$ 12,5 bi para safra 2018/2019

O governo federal vai liberar, por meio do Banco do Brasil, R$ 12,5 bilhões para financiar a safra agrícola de 2018 e 2019. O lançamento do custeio antecipado da nova safra foi feito pelo presidente do Banco do Brasil, Paulo Cafarelli, em cerimônia realizada na manhã de terça-feira (30), na zona rural de Rio Verde (GO).

O montante é 16% superior ao valor liberado no ano passado, e servirá para adquirir insumos e serviços agropecuários para as lavouras de soja, milho, arroz, algodão e café. O objetivo do lançamento, segundo Cafarelli, é evitar que o produtor fique refém do fornecedor, além de contribuir para a sustentabilidade do agronegócio e da melhora do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro e aumento da renda.

Cada produtor poderá financiar, no máximo, R$ 3 milhões. Para os médios produtores que integram o Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp), os recursos serão disponibilizados com taxas de 7,5% ao ano.

Para os outros produtores, o banco oferece financiamento com encargos de 8,5% ao ano. Modalidades alternativas de financiamento serão disponibilizadas para os produtores que demandam valores superiores ao limite do plano.

Impacto. Presente ao evento, o presidente Michel Temer destacou o papel do agronegócio no crescimento da economia brasileira e o grande impacto do setor no volume de exportações do país. Temer lembrou ainda que a última safra foi recorde, com uma produção de mais de 240 milhões de toneladas. E afirmou que acredita em novo recorde para a safra deste ano, conforme as projeções do Banco do Brasil.

“Nós estamos destinando esses R$ 12 bilhões de crédito aos agricultores não apenas para ter juros mais acessíveis, não apenas para aumentar a produção, mas é um reconhecimento também àquilo que os senhores fizeram pelo nosso país”, declarou Temer.

Também participaram do evento, os ministros da Fazenda, Henrique Meirelles, da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, da Integração, Hélder Barbalho, e das Cidades, Alexandre Baldy, além, do governador de Goiás, Marconi Perillo.

Taxação

Meirelles. O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, negou que o governo irá onerar o agronegócio com a de exportações do setor, principal responsável pelo saldo positivo da balança comercial.



0 Comentários

Deixe o seu comentário!


Facebook


Twitter