03/05/2017
Por Edilson Silva em Sem categoria

Operação desarticula quadrilha que usava central telefônica para roubar dados de cartões de crédito

A Polícia Civil deflagrou, na manhã desta quarta-feira (3), uma operação contra uma quadrilha de estelionatários especializada em aplicar golpe com cartão de crédito das vítimas no Rio GRande do Sul e em São Paulo.

De acordo com a investigação, os criminosos ligavam para as vítimas se passando por atendentes de centrais de segurança de cartões de crédito e perguntam se elas estavam realizando alguma compra naquele momento. As vítimas, que nem sempre estavam efetuando transações, negavam que estivessem usando o cartão. Era nesse momento que começavam os golpes. As ligações eram sempre feitas para telefones fixos.

Os bandidos se colocavam à disposição, então, para bloquear os cartões e pediam às vítimas que fizessem isso. No entanto, alertavam que o chip precisava ficar intacto. Depois, pediam que ligassem para o telefone que estava no verso dos cartões.


03/05/2017
Por Edilson Silva em Policial

Bandidos explodem agências do BB e Bradesco e fogem de lancha

Bandidos realizaram um assalto, na madrugada desta quarta-feira (3), no Banco do Brasil e no Bradesco de Tamandaré, no Litoral Sul de Pernambuco, distante 104 quilômetros do Recife. De acordo com a Polícia Militar, os ladrões usaram explosivos para abrir caixas eletrônicos das agências, no Centro da cidade. Depois da ação criminosa, o bando foi até a Praia de Carneiros, no mesmo município, e fugiu em lanchas.

A ação criminosa começou às 3h20. Cerca de 20 homens fortemente armados, segundo o 10º batalhão da PM, chegaram em vários carros. Eles colocaram explosivos no Banco do Brasil e depois no Bradesco. As duas agências ficam no mesmo quarteirão. Moradores relataram que os ladrões atiraram várias vezes. Foram pelo menos 40 minutos de barulho de disparos e explosões.


03/05/2017
Por Edilson Silva em Policial, Política

Mossoró: Ex-prefeito, ex-presidente de Câmara e empresário viram réus

O ex-prefeito Francisco José Júnior (PSD) passa a figurar como réu em ação movida pelo Ministério Público do RN acerca da “Operação Vulcano”, realizada em Mossoró (no dia 30 de maio de 2012), pela Polícia Federal e que visava descobrir indícios de formação de quadrilha (cartel) relacionada à elaboração de lei que contemplaria o que a Justiça chama de cartel de combustíveis de Mossoró.

A ação é do tempo em que “Silveira” presidia a Câmara Municipal, antes de assumir a Prefeitura Municipal de Mossoró interinamente em dezembro de 2013 e posteriormente ser eleito prefeito para mandato suplementar, em maio de 2014.

Ele foi denunciado ao lado do seu primo e empresário Otávio Augusto Ferreira da Silva, do Grupo FAN, e o ex-vereador e presidente da Câmara Municipal de Mossoró Jório Nogueira (PSD).

O processo estava no âmbito do Tribunal de Justiça do RN (TJRN), em face de Francisco José Júnior e Jório terem mandato eletivo até 31 de dezembro do ano passado. Mas a demanda desceu para  3ª Vara Criminal, que tem como titular o juiz Cláudio Mendes Júnior, que acatou a denúncia.

Crimes

O prefeito e o vereador responderão por crime de abuso do poder econômico, eliminando total ou parcialmente a concorrência mediante ajuste ou acordo de empresas) e corrupção passiva (aceitar promessa de e receber vantagem indevida, em razão de função pública). Já Otávio, é denunciado por corrupção ativa (oferecer vantagem indevida para determinar funcionário público a praticar ato de ofício).

A denúncia do Ministério Público informa que, após o Supermercado Atakadão ter noticiado à Prefeitura sua intenção de abrir posto de revenda de combustíveis em suas instalações, o Poder Executivo enviou à Câmara de Vereadores Projeto de Lei Complementar que, na prática, impedia a consecução de tal objetivo, modificando o art. 122 do Código de Obras, Postura e Edificações da cidade.

Via Carlos Santos


03/05/2017
Por Edilson Silva em Policial

Suspeitos de grupo especializado em arrombamentos a residências são presos em JP

A Polícia Civil da Paraíba, por meio de um trabalho desenvolvido pela Delegacia de Crimes contra o Patrimônio (Roubos e Furtos) da Capital, prendeu oito pessoas (por força de mandado de prisão e ainda em flagrante), suspeitas de integrarem uma quadrilha especializada em arrombamento de residências, veículos e ainda furtos em estabelecimentos comerciais.


03/05/2017
Por Edilson Silva em Política

Fátima Bezerra: “Dados comprovam repúdio do povo sobre as reformas”

Em pronunciamento nesta terça-feira 2, a senadora Fátima Bezerra (PT-RN) afirmou que o Brasil viveu em 28 de abril a maior greve da história recente do país. Segundo ela, a pauta da paralisação — contra as reformas da Previdência e trabalhista — uniu milhões de pessoas.

A parlamentar salientou que não foi uma greve apenas das centrais sindicais e dos partidos da oposição. Para ela, foi um movimento da sociedade, pois as pessoas entenderam que está em jogo a cidadania dos filhos e que as reformas são um atentado aos direitos dos trabalhadores.


03/05/2017
Por Edilson Silva em Policial

PRF registra 1.025 acidentes e 77 mortes no feriado

O feriado prolongado do Dia do Trabalho deste ano teve menos acidentes nas rodovias federais que o do ano passado, segundo balanço preliminar divulgado nesta terça-feira (2) pela Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Foram registrados 1.025 acidentes de sexta-feira (28) até a meia-noite desta segunda-feifra (1º), 12% a menos que no mesmo período em 2016. Nesses acidentes, morreram 77 pessoas, 7% a menos que no mesmo período do ano passado.


03/05/2017
Por Edilson Silva em Policial, Política

Corrupção: Supremo Tribunal Federal determina perda de mandato de deputado

A Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) determinou por unanimidade, nesta terça-feira, a perda de mandato do deputado federal Paulo Feijó (PR-RJ), ligado ao ex-governador do Rio, Anthony Garotinho. Ele foi condenado a 12 anos, 6 meses e seis dias de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. A pena deverá ser cumprida inicialmente em regime fechado.

A Ação Penal na qual Feijó é investigado é um desmembramento da Operação Sanguessuga, da Polícia Federal, que desvendou um esquema de compras superfaturadas de ambulâncias e equipamentos médicos por prefeituras de vários estados como uma forma de desvio de recursos públicos. O grupo criminoso usava as licitações fraudulentas, segundo a denúncia, para favorecer o grupo empresarial Planam.


03/05/2017
Por Edilson Silva em Policial, Política

Agentes penitenciários invadiram prédio do Ministério da Justiça

Cerca de 500 agentes penitenciários invadiram o prédio do Ministério da Justiça, na Esplanada dos Ministérios, por volta das 14h desta terça-feira (2/5). Os manifestantes negociaram com o Secretário Nacional de Segurança Pública, general do Exército Carlos Alberto dos Santos Cruz, mas as duas partes não chegaram a um acordo.

Até as 18h20, eles ainda aguardavam uma reunião com o ministro da Justiça, Osmar Serraglio. A Força Nacional foi acionada e está posicionada na entrada do palácio.


02/05/2017
Por Edilson Silva em Política

Revista americana lista ilegalidades de Moro

A revista norte americana “Foreign Affairs” trouxe um artigo do advogado Geoffrey Robertson intitulado “O caso de Lula – ele merece um julgamento justo, e não perseguição”, no qual ele critica a maneira como o juiz da 13ª Vara Federal de Justiça de Curitiba, Sérgio Moro, conduz as investigações contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

A partir de fatos ocorridos desde o início da Operação Lava Jato, o advogado australiano prova a prática de lawfare por parte do juiz paranaense e atenta para uma desqualificação da Justiça brasileira como um todo.

Nascido em Sidney, Geoffrey Robertson é um advogado que tem no currículo as defesas de Julian Assange, dono do WikiLeaks, do ex-boxeador Mike Tyson e do autor indiano Salman Rushdie. Atualmente, ele representa Lula na Comissão de Direitos Humanos da ONU.

Para Robertson, o fato de Moro estar à frente dos casos envolvendo Lula e a relação estabelecida entre os investigadores e parte da imprensa já tornam inviáveis um julgamento isento e justo do ex-presidente.

Ele defende que o caso saia das mãos do juiz paranaense. Somam-se a isso a falta de provas contundentes apresentadas contra Lula até esse momento e a tática “agressiva” de vazamento seletivo para a imprensa.

“Procuradores não encontraram evidências fortes que o liguem aos crimes alegados. Além disso, usaram táticas agressivas, como o vazamento de áudios de conversas telefônicas que Lula fez para sua família apenas para embaraçá-lo. O caso de Lula levanta questões cruciais sobre o sistema jurídico brasileiro: especificamente se ele (sistema judiciário) conseguirá dar a Lula um julgamento justo ou mesmo assegurar os direitos daqueles investigados por corrupção”, argumentou o australiano na revista, considerada uma das mais importantes do mundo na área das relações internacionais.

Ele citou a condução coercitiva do ex-presidente como um dos espetáculos mais cruéis e fora de qualquer previsão legal: “(Moro) usou uma forma de condução que juízes deveriam usar apenas quando o suspeito se nega a colaborar. Lula nunca se negou a colaborar, inclusive no dia em que entraram em sua casa às 6 horas da manhã e ele não se recusou a colaborar”.

Além disso, todo o circo foi montado – mais uma vez com apoio da mídia – para parecer que o ex-presidente não estava colaborando, cita o advogado.

Robertson alerta para o caráter ilegal da divulgação das conversas de Lula com a presidenta eleita Dilma Rousseff. O fato é classificado por ele como “perturbador” e considerado ilegal em qualquer país no qual a democracia funcione.

O australiano destaca ainda a devassa promovida por Moro nas contas do ex-presidente, em suas ligações, bem como de pessoas próximas a ele e que não trouxeram qualquer prova contundente até o momento.

Para o advogado, a maneira como as investigações contra o ex-presidente têm sendo conduzidas levanta questionamentos em torno da atuação do Judiciário e das leis brasileiras. A saída, para ele, é a adoção de um novo modelo já implementado em Hong Kong e também utilizado na Austrália, Cingapura, e outros, cujo sistema usa uma agência ou comissão independente para investigar ilegalidade promovidas por servidores públicos, empresas estatais e políticos.


02/05/2017
Por Edilson Silva em Policial

Homens são baleados em bar

Dois jovens foram feridos a tiros na manhã desta segunda-feira, 1, em um bar que fica no cruzamento da Rua São Lucas com São Judas Tadeu, no bairro do Rangel, em João Pessoa.

De acordo com informações preliminares, as vitimas estariam bebendo quando foram surpreendidos por dois homens em uma moto e o carona efetuou vários disparos, atingindo Flaviano Costa, 26 anos, com um tiro na cabeça e o amigo identificado como Cleber, que foi atingido no ombro.

Ambos foram socorridos para o Hospital Estadual de Emergência e Trauma, aonde Flaviano já chegou sem vida, enquanto a segunda vitima chegou em um carro particular e foi encaminhado para área vermelha.

Via Aguinaldo Mota


02/05/2017
Por Edilson Silva em Política

Governadores articulam carta pública de apoio à candidatura de Lula a presidente em 2018

Inflamado pelo crescimento de Lula no último Datafolha, um grupo de governadores articula lançar carta pública em apoio à candidatura do petista à Presidência. A ideia, ainda em gestação, é fazer um apelo para que o ex-presidente saia em caravana pelos Estados para debater o que seria apresentado como um programa de governo.

A proposta nasceu entre nomes do Nordeste, como Flávio Dino (PC do B-MA), mas já tem o apoio de Tião Viana (PT-AC) e de Fernando Pimentel (PT-MG), segundo informações da coluna Painel, da Folha de São Paulo.

Os governadores que tratam do assunto dizem que o ideal é lançar o documento após Lula prestar depoimento ao juiz Sergio Moro, no dia 10 de maio. O encontro entre o político e o magistrado é alvo de forte expectativa, especialmente entre os apoiadores do petista.


02/05/2017
Por Edilson Silva em Policial, Política

Corrupção: Cervejaria apontada como laranja doou a 81 políticos

Entre os 57 beneficiários da Itaipava que não são alvo de inquérito estão candidatos a quase todos os cargos eletivos: governador, senador, deputado federal, deputado estadual, prefeito e vereador

Pelo menos 57 políticos que estão fora das investigações da operação Lava Jato podem ter recebido, por via indireta, recursos do esquema de caixa 2 da Odebrecht. O dinheiro, que soma cerca de R$ 5 milhões, foi distribuído como doação de campanha, entre 2010 e 2014, por empresas ligadas à cervejaria Itaipava, apontada em delações como parceira da empreiteira na entrega de propina a agentes públicos.

No total, a Itaipava fez doações oficiais a 81 candidatos entre 2010 e 2014. Destes, 24 já são alvo da operação. Os demais receberam doações registradas na Justiça Eleitoral e, ao menos por enquanto, não foram citados nominalmente nos acordos de delação premiada firmados por executivos e ex-executivos da Odebrecht.

Mas, nos depoimentos, há indícios de que todas as doações da Itaipava foram, na verdade, repasses da Odebrecht. O próprio Marcelo Odebrecht, ex-presidente da empreiteira, confessou em depoimento ao Tribunal Superior Eleitoral que sua empresa usava a Itaipava como fachada para ocultar doações eleitorais a políticos.

Há ainda comprovação de que isso aconteceu em quatro casos, relacionados a doações recebidas pelo senador Aécio Neves (PSDB), pelo ex-ministro Aloizio Mercadante (PT), pelo ex-senador Demóstenes Torres (ex-DEM) e pelo PPS, presidido pelo atual ministro da Cultura, Roberto Freire. Os quatro já divulgaram notas à imprensa citando repasses da Itaipava quando questionados sobre doações da Odebrecht.

Entre os 57 beneficiários da Itaipava que não são alvo de inquérito estão candidatos a quase todos os cargos eletivos: governador, senador, deputado federal, deputado estadual, prefeito e vereador.

As doações foram registradas sob o CNPJ das empresas Praiamar e Leyroz de Caxias (depois rebatizada como Rof Comercial), ambas distribuidoras de bebidas do Grupo Petrópolis, fabricante das cervejas Itaipava e Cristal. Em alguns casos, a contribuição foi feita de forma direta – em outros, o dinheiro foi das empresas para o partido, e só então chegou ao candidato.

Sociedade

A existência de uma parceria entre a Itaipava e a Odebrecht foi revelada em março de 2016, quando a Polícia Federal apreendeu na casa de um executivo da empreiteira uma planilha com nomes de cerca de 300 políticos que teriam recebido dinheiro em 2012 e 2014.

A planilha trazia uma coluna com o título “parceiro IT”, na qual estavam registrados repasses de cerca de R$ 30 milhões a dezenas de candidatos. Anotado a mão, o nome “Itaipava” ao lado de um dos valores revelava a identidade do “parceiro IT”.

Posteriormente, executivos da Odebrecht detalharam os termos da parceria. A cervejaria chegou a fornecer reais para os pagamentos em caixa 2 da empreiteira, recebendo como contrapartida depósitos em dólares no paraíso fiscal de Antígua e Barbuda.

O deputado Paulo Teixeira (PT-SP) é um dos políticos que não são alvo de inquérito relacionado às delações da Odebrecht, mas que receberam dinheiro da Itaipava. Em 2010, como candidato, Teixeira foi beneficiário de quatro depósitos feitos por empresas ligadas à cervejaria, no total de R$ 320 mil.

Apesar de ter recebido do Estado oito perguntas sobre eventuais relações com representantes da cervejaria e da empreiteira, o deputado limitou-se a divulgar nota na qual afirma que “todas as doações recebidas em 2010 foram feitas via transferência eletrônica disponível, declaradas à Justiça Eleitoral e devidamente aprovadas”.

Outros beneficiados, como o presidente dos Correios, Guilherme Campos (PSD), e os deputados Elmar Nascimento (DEM-BA) e Fernando Monteiro (PP-PE), negaram relação com a Itaipava e disseram que as todas as doações foram feitas via partido.

Procurada, a Itaipava se limitou a afirmar que “todas as doações feitas pelo Grupo Petrópolis seguiram estritamente a legislação eleitoral”. A Odebrecht não comentou o assunto e informou que já reconheceu seus erros.


02/05/2017
Por Edilson Silva em Florânia, São Vicente

Buracos na pista atrapalham trânsito na BR-226 próximo à Florânia sentido São Vicente

As más condições do asfalto é o maior problema dos motoristas que estão circulando pelo trecho entre São Vicente e Florânia na BR-226.

Diversos buracos na pista, no trecho à 8km de Florânia.

Veja nas imagens do Blog São Vicente:


02/05/2017
Por Edilson Silva em RN

FIERN realizará dia 3 de maio curso de formação de preço de exportação

A FIERN, através do Centro Internacional de Negócios, em parceria com o Sebrae, realizará no dia 3 de maio, na Casa da Indústria (auditório do 1º andar), curso de formação de preço de exportação. Com carga horária de 8 horas, abordará os principais fatores na formação do preço de exportação.

Será ministrado pelo professor Dr. da Universidade de Caxias do Sul-UCS, Guilherme Bergmann. A capacitação também discorrerá sobre incentivos fiscais e como devem ser considerados na formação dos preços de exportação, além de simular os custos dos produtos em diferentes mercados de destino, avaliando a sua competitividade.


01/05/2017
Por Edilson Silva em Brasil

Exército abre inscrições para 440 vagas na escola de cadetes

O Exército lançou concurso público para o curso de Formação e Graduação de Oficiais de Carreira da Linha de Ensino Militar Bélico, da Escola Preparatória de Cadetes (EsPCEx). No total são 440 vagas, 400 para homens e 40 para mulheres, as inscrições foram abertas nesta segunda (1º/5).

Os interessados devem ter nível médio completo e idade entre 17 e, no máximo, 22 anos completados até 31 de dezembro do ano da matrícula. A altura mínima para o sexo masculino é de 1,60m e para o sexo feminino de 1,55m.


01/05/2017
Por Edilson Silva em Esporte

ABC-RN é o 1º campeão estadual de 2017

O ABC, do técnico Geninho, ficou no empate sem gols com o Globo nesta segunda-feira, no estádio Frasqueirão, em Natal, e faturou o título do Campeonato Potiguar. A conquista veio graças a uma vitória por 1 a 0 no jogo de ida, na semana passada, em Ceará-Mirim (RN).

As equipes fizeram uma partida bastante disputada, com jogadas violentas de ambos os lados. No final das contas, cada um dos times teve um jogador expulso, mas o placar seguiu inalterado.

Após o apito do árbitro, o ABC ergueu o 54.º troféu potiguar de sua história e se tornou o primeiro campeão estadual de 2017. A maioria dos regionais será definido no próximo final de semana.

Depois de ser eliminado pelo São Paulo na terceira fase da Copa do Brasil, o ABC agora se prepara para a estreia na Série B do Campeonato Brasileiro. No próximo dia 13, receberá o Paraná, no estádio Frasqueirão, em Natal.

O Globo também disputou a Copa do Brasil deste ano e foi eliminado pelo Fluminense na primeira fase. O time agora voltará as atenções para a estreia na Série D do Brasileiro. No próximo dia 21, visitará o Parnahyba-PI pelo Grupo A6, que conta ainda com Guarani-CE e América-PE.


01/05/2017
Por Edilson Silva em Pernambuco

Choque elétrico deixa feridos em show de Wesley Safadão em Pernambuco

A Polícia Civil de Pernambuco vai investigar as causas de um acidente ocorrido, na noite de domingo (30), durante o evento ‘Vai Safadão’, realizado na área externa do Centro de Convenções, em Olinda, no Grande Recife. A central de Plantões registrou casos de vítimas de choque elétrico em uma área perto do bar. Pelo menos 10 pessoas ficaram feridas.

Por telefone, na manhã desta segunda-feira (1º), a organização do evento do cantor Wesley Safadão informou que o acidente foi provocado pela queda de um cabo energizado que sustentava um balão de publicidade. A assessoria do evento explicou que ventava muito no momento em que ocorreu o problema, por volta das 21h.

Os organizadores contaram que o fio bateu em uma grade localizada atrás de um dos pontos de compra de bebidas. As pessoas levaram choques e, logo em seguida, houve um princípio de tumulto. O show do cantor cearense chegou a ser interrompido por 10 minutos.


01/05/2017
Por Edilson Silva em Jucurutu

Blog parabeniza todos os trabalhadores do município de Jucurutu e do Brasil pelo seu dia

1º de Maio – 2017.

Nosso blog parabeniza os TRABALHADORES do município de Jucurutu e de todo Brasil.

Deus abençoe os lixeiros e as varredeiras
e os operários que sujam as mãos
e o limpador de bueiros e as lavadeiras
e quem se suja de graxa e sabão!

Trabalhadores, trabalhadoras,
Deus também é trabalhador!

Deus abençoe os banqueiros, e os fazendeiros
e os comerciantes e os industriais
e os ilumine também, pra que não explorem
nem especulem, nem ganhem demais!

Deus abençoe os artistas e educadores
e os sonhadores do lado de lá
e os ilumine também, pra que não se esqueçam
que tem criança do lado de cá!

Deus abençoe os profetas e os religiosos
que gostam muito de profetizar
e os ilumine também, pra que não imaginem
que só seu grupinho é que vai se salvar!

Deus abençoe as mulheres trabalhadoras
porque trabalham duas vezes mais
e as abençoe também, pra que não se cansem
porque sem elas não vai haver paz!

Deus abençoe os eleitos e os eleitores
e quem governa este nosso país
e os ilumine também, pra que não se esqueçam
do excluído e do mais infeliz!


01/05/2017
Por Edilson Silva em Brasil, Política

Data Folha mostra que 71% dos brasileiros são contratos à reforma previdenciária

Reportagem veiculada hoje no jornal Folha de São Paulo traz a informação de que sete em cada dez brasileiros se dizem contrários à reforma da Previdência, mostra pesquisa realizada pelo Datafolha. A rejeição chega a 83% entre os funcionários públicos, que representam 6% da amostra e estão entre os grupos mais ameaçados pelas mudanças nas regras para aposentadorias e pensões.

Há maioria antirreforma entre todos os grupos sociodemográficos, e a taxa cresce entre mulheres (73%), brasileiros que ganham entre 2 e 5 salários mínimos (74%), jovens de 25 a 34 anos (76%) e os com ensino superior (76%).

O Datafolha fez 2.781 entrevistas em 172 municípios na quarta (26) e na quinta (27), antes das manifestações ocorridas na última sexta-feira (28). A margem de erro é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos.


01/05/2017
Por Edilson Silva em Policial, Política

Eduardo Cunha repartiu caixa 2 de R$ 6 mi com Henrique Alves e governador do Tocantins, afirmam delatores

Ex-presidente da Câmara, condenado a 15 anos de prisão na Lava Jato, exigiu valores ilícitos da Odebrecht em 2014, segundo executivos da empreiteira relataram ao Ministério Público Federal

Luiz Vassall – O Estado de São Paulo

O ex-deputado federal Eduardo Cunha, condenado a 15 anos e 4 meses de prisão no âmbito da Lava Jato, pediu R$ 7 milhões em caixa dois para a Odebrecht, que foram divididos entre as campanhas dele, de Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) ao governo do Rio Grande do Norte e do governador Marcelo Miranda (PMDB-TO), em 2014, relataram delatores ao Ministério Público Federal.

O ex-presidente da Odebrecht Ambiental Fernando Reis afirmou que Eduardo Cunha ‘apresentava aos diretores da Odebrecht uma série de candidatos’ a ser financiada pela construtora. “Ele fazia essa introdução e deixava depois os candidatos conversando conosco”.

“Uma vez, nos pediu um apoio para a campanha a um cabo eleitoral em Itaboraí (região metropolitana do Rio). O prefeito de Itaboraí era da base de apoio dele. Pediu R$ 300 mil. Nós doamos. Tive percepção de que aquele dinheiro era para outros. Nunca entrei no mérito”, afirmou.

Nas eleições de 2014, segundo relatou Fernando Reis, Cunha pediu R$ 6 milhões. Do total, R$ 2 milhõesseriam destinados à campanha do então presidente da Câmara Federal, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), ao governo do Rio Grande do Norte, e R$ 1 milhão ao então candidato ao governo do Tocantins Marcelo Miranda (PMDB).

O delator afirmou que Eduardo Cunha havia pedido doações aos diversos presidentes das empresas do Grupo Odebrecht. “No meu caso, um valor de R$ 6 milhões. Não foi regateado. Ele não pediu mais. Foi uma conversa bastante harmônica”.

As investigações a respeito dos repasses da Odebrecht a pedido de Cunha para Henrique Alves estão sob sigilo, por determinação do relator da Lava Jato no Supremo, Edson Fachin. O motivo para o sigilo dessas delações se justifica, segundo o ministro do STF, pelo fato de já existir investigação aberta pela Procuradoria da República do Rio Grande do Norte sobre o peemedebista.

Os depoimentos dos delatores da Odebrecht foram enviados ao Ministério Público Federal naquele Estado.

No caso do Tocantins, o ex-presidente da Odebrecht Ambiental Fernando Reis relata que houve uma convergência de interesses regionais com um acordo feito entre ele e Eduardo Cunha (PMDB-RJ). “Porque na estratégia de financiamento de campanha sugerida por Eduardo Cunha, ele queria que a gente ajudasse o Marcelo Miranda no Tocantins com apoio de R$ 1 milhão. Da mesma forma, ele tinha contato com o Mário Amaro (Executivo da Odebrecht Ambiental em Tocantins). Miranda procurou Mário já informado do compromisso do Eduardo Cunha com a Odebrecht”.

O executivo da Odebrecht em Tocantins, Mário Amaro, relatou ter se reunido com Marcelo Miranda na casa do então candidato a governador pelo PMDB. O encontro também teria tido presença do assessor Hebert Brito, supostamente encarregado de receber o valor de R$ 1 milhão em espécie, do ‘departamento de propinas’ da construtora.

“Marcelo se elegeu. A intenção era atender pedido de Eduardo Cunha. Pra mim entra aspecto da política de boa vizinhança”, afirma Amaro.

Tocantins. O histórico da Odebrecht no Tocantins envolve a compra, em 2012, pela construtora, da Companhia de Saneamento (Saneatins), que prestava serviços ao Estado, por R$ 400 milhões. De acordo com os executivos, assim que assumiu o fornecimento de água dos 47 municípios da região, a empreiteira planejou investimentos de R$ 700 milhões.

“Desde a campanha municipal de 2012, a Saneatins viu-se sujeita a ameaça de cancelamento de contratos municipais, como aconteceu na capital Palmas, em que o prefeito Carlos Enrique Franco Amastha, logo após a sua posse, em 2013, criou um quadro de artificiosa caducidade, a Saneatins viu-se sujeita a CPIs estaduais com o objetivo de revistar os atos desde a privatização da Companhia em 2011, entre outras ameaças”, afirma Reis.

A questão teria se resolvido após o a insurgência da classe política local contra a atitude do então Prefeito, segundo relataram os delatores.

A fim de evitar o que chama de ‘achaque’ da classe política sobre os contratos da Odebrecht Ambiental na área de saneamento e de garantir tratamento privilegiado, o ex-presidente da companhia Fernando Reis relatou ao Ministério Público Federal ter financiado candidatos com chances de vencer em municípios e estados – inclusive os adversários. Dessa forma, em 2014, a Odebrecht alega ter pago caixa dois tanto à campanha de Sandoval Cardoso (PSD) – R$ 4 milhões – quanto à de Mário Miranda (PMDB).




Facebook


Twitter