02/02/2017
Por Edilson Silva em Rio de Janeiro

Rio de Janeiro em chamas

Na abertura do ano legislativo nesta quarta-feira, 1º, na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), servidores estaduais que protestam contra o pacote de medidas do governo e a tropa de choque da Polícia Militar (PM), que cerca o prédio da Alerj, entraram em confronto. O ano legislativo começou nesta terça, com a reeleição de Jorge Picciani (PMDB) e do resto da mesa diretora.

A confusão começou quando representantes de alguns sindicatos tentavam puxar a grade de proteção que cercava o Palácio Tiradentes. A Polícia atirou bombas de efeito moral para afastar os manifestantes. Eles revidaram atirando pedras na direção dos policiais.

O ônibus depredado na manifestação, explodiu. Os manifestantes mascarados atearam fogo ao banco do motorista. Um homem que trabalha em prédio vizinho tentou usar um extintor para apagar as chamas, mas não conseguiu. As labaredas se espalharam para o resto do ônibus até ocorrer a explosão.

Uma banca de jornal foi atingida pelas chamas do ônibus e ficou parcialmente destruída. Dois contêineres de lixo foram incendiados por manifestantes com os rostos cobertos e integrantes dos black blocs, na Avenida Rio Branco, em frente ao Largo da Carioca. Manifestantes também atearam fogo a uma guarita da Guarda Municipal, na Rua da Assembleia.



0 Comentários

Deixe o seu comentário!


Facebook


Twitter