23/02/2017
Por Edilson Silva em Astronomia

Nasa encontra sistema solar com 7 planetas parecidos com a Terra

A Nasa anunciou nesta quarta-feira, 22, que encontrou um sistema solar parecido com o nosso a apenas 40 anos-luz de distância. Ao todo, são sete planetas do tamanho da Terra orbitando em volta de uma estrela.

De acordo com agência espacial, que foi capaz de encontrar o sistema através do telescópio Spitzer, três dos planetas estão dentro da “Zona Cachinhos Dourados”, que é uma área que permite a formação de água líquida na superfície do planeta. A referência ao conto infantil se dá pelo fato de que a distância do astro faz com que o corpo celeste não seja nem muito frio para a água congelar, nem quente demais para evaporar. Na história, a jovem rejeita os pratos que considera quente ou frio demais para consumir.

Esta é a primeira vez que os astrônomos descobrem um outro sistema solar com sete planetas aproximadamente do mesmo tamanho do nosso. Mas o mais importante é que a NASA calcula que, com as condições atmosféricas adequadas, todos os sete poderiam conter água – embora as chances sejam mais altas nos três que estão na Zona Goldilocks.

Além disso, caso seja comprovado a existência de oxigênio, metano, ozônio e dióxido de carbono em suas atmosferas, a possibilidade de existir vida nesses planetas é de 99%. O problema é provar que tais elementos existem.

O conjunto, batizado de Trappist-1, encontra-se no sistema Aquarius apenas cerca de 378 trilhões de quilômetros da Terra. Alguns dos planetas são capazes de completar a volta em torno da sua estrela entre 1,5 dia e 2,4 dias, sendo que o sexto planeta é capaz de fazer isso a cada 12 dias. O planeta mais externo ainda não foi definitivamente observado, mas acredita-se que tenha uma órbita de cerca de 20 dias.

Vale notar que, mesmo que o planeta tenha condições de abrigar vida, uma viagem até lá está fora de cogitação com a tecnologia atual. O objeto mais rápido que lançamos ao espaço foi a sonda New Horizons, que saiu da Terra a 52.000 quilômetros por hora. Nessa velocidade, a viagem até lá demoraria mais de 800 mil anos.



0 Comentários

Deixe o seu comentário!


Facebook


Twitter