30/11/2015
Por Edilson Silva em Policial

Promotora do caso Telexfree é encontrada morta

nicole

Natural da cidade de Araraquara, no interior de São Paulo, Nicole, de 35 anos, ingressou na carreira de promotora no MP do Acre em dezembro de 2009 .

A polícia do Acre ainda não sabe dizer se o tiro que matou a promotora de justiça Nicole Gonzalez Colombo Arnoldi, 35 anos, da Promotoria de Justiça Criminal Cumulativa de Bujari, foi acidental e se ela cometeu suicídio na noite deste domingo (29) dentro do próprio apartamento, localizado no primeiro andar do edifício Florença, na Via Verde, próximo a Uninorte.

Um vizinho de Nicole que não quis se identificar disse que estava passeando com seu cachorro quando ouviu um disparo. “Estava chegando no apartamento quando ouvi um barulho, tipo um disparo de revólver. Ao entrar em casa falei com minha esposa que achava que era um tiro, mas ficou por isso, e após cerca de 30 minutos começaram chegar ambulâncias e o carro do IML. Dai me dei conta que o que tinha ouvido era mesmo um tiro de revólver”, conta um morador do terceiro andar do edifício Florença.

A Secretaria de Segurança Pública do Acre marcou uma reunião de emergência com autoridades das polícias Civil e Militar, e com membros do Tribunal de Justiça do Acre, para a noite deste domingo. Até o momento ninguém sabe dizer o motivo que levou a morte da promotora de Justiça.

Natural da cidade de Araraquara, no interior de São Paulo, Nicole, de 35 anos,  ingressou na carreira de promotora no MP do Acre em dezembro de 2009 e foi uma das responsáveis pelo bloqueio das contas e encerramento das atividades da Telexfree no Brasil, caso que teve repercussão internacional. Atualmente, ela era responsável pela promotoria do município de Bujari.



0 Comentários

Deixe o seu comentário!


Facebook


Twitter